(navigation image)
Home American Libraries | Canadian Libraries | Universal Library | Community Texts | Project Gutenberg | Children's Library | Biodiversity Heritage Library | Additional Collections
Search: Advanced Search
Anonymous User (login or join us)
Upload
See other formats

Full text of "Diccionario teto-português"

Google 



This is a digital copy of a book that was prcscrvod for gcncrations on library shclvcs bcforc it was carcfully scannod by Google as part of a projcct 

to make the world's books discoverablc online. 

It has survived long enough for the copyright to expire and the book to enter the public domain. A public domain book is one that was never subject 

to copyright or whose legal copyright term has expired. Whether a book is in the public domain may vary country to country. Public domain books 

are our gateways to the past, representing a wealth of history, cultuie and knowledge that's often difficult to discover. 

Marks, notations and other maiginalia present in the original volume will appear in this file - a reminder of this book's long journcy from the 

publisher to a library and finally to you. 

Usage guidelines 

Google is proud to partner with libraries to digitize public domain materiais and make them widely accessible. Public domain books belong to the 
public and we are merely their custodians. Nevertheless, this work is expensive, so in order to keep providing this resource, we have taken steps to 
prcvcnt abuse by commercial parties, including placing lechnical restrictions on automated querying. 
We also ask that you: 

+ Make non-commercial use of the files We designed Google Book Search for use by individuais, and we request that you use these files for 
personal, non-commercial purposes. 

+ Refrainfivm automated querying Do nol send automated queries of any sort to Google's system: If you are conducting research on machinc 
translation, optical character recognition or other áreas where access to a laige amount of text is helpful, please contact us. We encouragc the 
use of public domain materiais for these purposes and may be able to help. 

+ Maintain attributionTht GoogXt "watermark" you see on each file is essential for informingpcoplcabout this projcct and hclping them find 
additional materiais through Google Book Search. Please do not remove it. 

+ Keep it legal Whatever your use, remember that you are lesponsible for ensuring that what you are doing is legal. Do not assume that just 
because we believe a book is in the public domain for users in the United States, that the work is also in the public domain for users in other 
countiies. Whether a book is still in copyright varies from country to country, and we can'l offer guidance on whether any specific use of 
any specific book is allowed. Please do not assume that a book's appearance in Google Book Search mcans it can bc used in any manner 
anywhere in the world. Copyright infringement liabili^ can be quite severe. 

About Google Book Search 

Googlc's mission is to organize the world's information and to make it univcrsally accessible and uscful. Google Book Search hclps rcadcrs 
discover the world's books while hclping authors and publishers rcach ncw audicnccs. You can search through the full icxi of this book on the web 

at |http: //books. google .com/l 



Google 



Esta é uma cópia digital de um livro que foi preservado por gerações em prateleiras de bibliotecas até ser cuidadosamente digitalizado 

pelo Google, como parte de um projeto que visa disponibilizar livros do mundo todo na Internet. 

O livro sobreviveu tempo suficiente para que os direitos autorais expirassem e ele se tornasse então parte do domínio público. Um livro 

de domínio público é aquele que nunca esteve sujeito a direitos autorais ou cujos direitos autorais expiraram. A condição de domínio 

público de um livro pode variar de país para país. Os livros de domínio público são as nossas portas de acesso ao passado e representam 

uma grande riqueza histórica, cultural e de conhecimentos, normalmente difíceis de serem descobertos. 

As marcas, observações e outras notas nas margens do volume original aparecerão neste arquivo um reflexo da longa jornada pela qual 

o livro passou: do editor à biblioteca, e finalmente até você. 



Diretrizes de uso 

O Google se orgulha de realizar parcerias com bibliotecas para digitalizar materiais de domínio púbUco e torná-los amplamente acessíveis. 
Os livros de domínio público pertencem ao público, e nós meramente os preservamos. No entanto, esse trabalho é dispendioso; sendo 
assim, para continuar a oferecer este recurso, formulamos algumas etapas visando evitar o abuso por partes comerciais, incluindo o 
estabelecimento de restrições técnicas nas consultas automatizadas. 
Pedimos que você: 

• Faça somente uso não comercial dos arquivos. 

A Pesquisa de Livros do Google foi projetada p;ira o uso individuíil, e nós solicitamos que você use estes arquivos para fins 
pessoais e não comerciais. 

• Evite consultas automatizadas. 

Não envie consultas automatizadas de qualquer espécie ao sistema do Google. Se você estiver realizando pesquisas sobre tradução 
automática, reconhecimento ótico de caracteres ou outras áreas para as quEus o acesso a uma grande quantidade de texto for útil, 
entre em contato conosco. Incentivamos o uso de materiais de domínio público para esses fins e talvez possamos ajudar. 

• Mantenha a atribuição. 

A "marca dágua" que você vê em cada um dos arquivos 6 essencial para informar aa pessoas sobre este projoto c ajudá-las a 
encontrar outros materiais através da Pesquisa de Livros do Google. Não a remova. 

• Mantenha os padrões legais. 

Independentemente do que você usar, tenha em mente que é responsável por garantir que o que está fazendo esteja dentro da lei. 
Não presuma que, só porque acreditamos que um livro é de domínio público para os usuários dos Estados Unidos, a obra será de 
domínio público para usuários de outros países. A condição dos direitos autorais de um livro varia de país para pais, e nós não 
podemos oferecer orientação sobre a permissão ou não de determinado uso de um livro em específico. Lembramos que o fato de 
o livro aparecer na Pesquisa de Livros do Google não significa que ele pode ser usado de qualquer maneira em qualquer lugar do 
mundo. As consequências pela violação de direitos autorais podem ser graves. 

Sobre a Pesquisa de Livros do Google 

A missão do Google é organizar as informações de todo o mundo c torná-las úteis e acessíveis. A Pesquisa de Livros do Google ajuda 
os leitores a descobrir livros do mundo todo ao m esmo tempo em que ajuda os autores e editores a alcançar novos públicos. Você pode 
pesquisar o texto integral deste livro na web, em |http : //books . google . com/| 



UNIVERSITY/CF 
VIRGÍNIA 
CHARLOTTESVILLE 
LIBRARIES 




HOÍ 






' acnODICAL O C 

CIC 



DICCIONARIO 

rrETO-PORTLGUÈS 



l'tl.l) S. S. 0. L. 



RAPHAEL DAS DORES 



LISBOA 

IHFSSNSA NACIONAL 

(9or 



DICCIONARIO 
TETO-PORTUGUÈS 



PELO S. S. G. 1. 



RAPHAEL DAS DORES 



LISBOA 

mpa&irsA nacional 

(907 



qHd venemetúa 



Sociedade ^e Ueoatap^ia ce Xj^òV}ca 



'Offerece 



(S. ©. 



do òCH Sopji amiao 



Sx. St. ^i. ^o:>í Xcià bz 9JaòCcnutío:> 



(Dedica 



(R. (D, 



PREFÁCIO 



É evidente a conveniência, direi mais, a absoluta neces- 
sidade que se manifesta de habilitar os funccionarios públicos 
e outras pessoas que teem de conviver com os indigenas das 
nossas colónias, a estarem nas circumstancias de, pelo menos 
praticamente, conhecer algum ou alguns dos idiomas verná- 
culos desses povos. Esta necessidade levou já os alemães, a 
nação colonial mais recente, a publicarem grammaticas e 
mesmo vocabulários das principaes línguas que nas suas co- 
lónias são usuaes, compêndios summarios, desadornados de 
theorias, mas rigorosissimos na forma didáctica, breves e 
claramente redigidos. 

Sabido é também o desvelo com que os liollandeses, os 
ingleses e os franceses se teem occupado deste assunto mo- 
mentoso : os segundos, a bem dizer, em relação a quasi todas 
as suas vastas colónias, mas principalmente com respeito á 
índia e em geral á Ásia, quer em vasta litteratura scienti- 
fica, quer em não menos considerável ensino pratico dos va- 
riados idiomas daquelle opulento império, e ainda com refe- 
rencia ás linguas africanas, mormente cafriaes, faladas na 
Africa Britannica; levando o seu cuidado até o extremo de 
publicarem uma grammatica pratica de um dialecto, pode 
dizer-se inculto e illiterario, comquanto oriundo de uma lin- 
gua europeia possuidora de copiosa literatura, o hollandôs. 
Refiro-me ao idioma do Transval, o denominado taal, Cape- 
Dutch, ou hoUandês do Cabo, muito simplificado nas formas 
gramraaticaes, e bastante inglesado. 



VIII 



Pela sua parte, os franceses não teem nunca descurado o 
estudo do árabe e do berbere, e bera assim o dos idiomas da 
Indo-China. Os próprios italianos dotaram recentemente a 
sua pátria com tratados resumidos dos vários idioiiias prati- 
cados na Colónia Erythreia, taes como o árabe e o oromo- 
nico, publicando vocabulários e grammaticas delles. 

Os espanhoes e os portugueses, desde que se relaciona- 
ram com povos estranhos, já principalmente africanos, já 
asiáticos ou americanos, cuidaram de lhes estudar os diffe- 
rentes dialectos ; e é notório quanto trabalho útil foi dado á 
estampa, ou existe manuscrito, sobre innumeras linguas, de- 
vido principalmente ao continuado labor dos religiosos, no- 
meadamente dos padres da Companhia de Jesus, durante os 
séculos XVII e xviii, em obras relativas a linguas asiáticas e 
americanas. 

Modernamente, tanto em Portugal, como em Espanha, 
interrompeu-se aquella meritória tradição ; e quando digo mo- 
dernamente, entendo referir-me á quasi totalidade do século 
precedente. Com effeito, descontando algumas obras de valia 
indiscuti\el, como as do padre Gonçalves sobre o chinês, as 
grammaticas de alguns idiomas cafriaes, um vocabulário 
quimbundo-português, a substituir o já antiquado de Canne- 
catim, um dicciopario português-tetense, recente, os traba- 
lhos do cónego Barros e de outros, mais para serem lidos 
que estudados, os primorosos diccionarios concani-português 
e português-concani de Monsenhor Rodolpho Dalgado, e um 
ou outro estudo parcial, com muito pouco teem os portugue- 
ses concorrido para o indispensável conhecimento dos idio- 
mas dos povos sujeitos ao nosso dominio. 

Um ramo desses idiomas que tem sido, e sempre foi, des- 
curado pelos nossos, é a grande familia de linguas malaio- 
polynesias, a respeito da qual a principal literatura didác- 
tica é de origem hoUandesa, actualmente. 

Em possessão nossa, Timor, falam-se vários dialectos 
pertencentes a essa familia, e entre elles é, ao que parece, o 
mais geral o teto, ou tétum como lhe chama o padre Sebastião 
Apparicio da Silva no seu Diccionano português-téium. 

Publica o Sr. líaphael das Dores agora o Diccionario teto- 
portvguês, complemento daquelle, acompanhado de algumas 



IX 



notas grammaticaes, se bem que succintas, sufficientes para 
a comprehensão da estructura phonetica e morphologica do 
tétum, simplicíssima como as de todas as linguas desta fa- 
mília. 

Emprega o autor transcrição portuguesa para a escrita 
deste dialecto analphabetico, e faz bem; assim houvessem 
sempre feito os que expõem em português, doutrinas relati- 
vas a possessões nossas. 

O dialecto apresenta palpáveis semelhanças com o malaio 
costeiro, ao qual o autor por vezes o compara, semelhanças 
que se patenteiam não só nos processos morphologicos, mas 
também nos syntacticos, e no vocabulário, tanto commum ^ 
herdado, como principalmente naquelle que por transmissão 
directa passou do malaio ao tétum, conservando quasi intac- 
tas as suas feições originaes. 

Todos os trabalhos desta natureza são bem vindos, at- 
tenta a penúria extrema em que estamos de obras similares ; 
é portanto digno de applauso o Sr. Raphael das Dores, por 
se ter abalançado animosamente a esta profícua e árdua ta- 
refa, e é de esperar que o seu diccionario obtenha acceitação 
publica. 



Qy. -^^. ^onça/i*eá ^í/i^t^rina. 



Pagf. Lin. Erros Emendas 

7 3 Bença Bensa 

18 29 Idu Ida 

19 14 Han Haú 
'21 12 Aço Asso 

M 21 Meta Metan 

82 29 Akeéulo Akeé ulo 

85 24 Tio, irmão Tios, irmãos 

90 24 Porquanto Por quanto 

V»3 18 Bé-mo880 Bé mosso 

94 43 > Encorporado Encorpado 

96 2 Botelha Botija 

124 49 «. pron. 

157 10 Falta a designação de verbo, 

173 Nh segunda columna estão algumas palavras fora da 

, ordem alphabetica. 

177 8 Oh! 

178 8 a. pron. 
181 23 Rai-labi Rai-labis 
192 13 Cerra Cerrar 



DICCIONARIO DE TETO 



PKELIMINABES 

A ilha de Timor, a ultima da sequencia de ilhas que limita o 
estreito de Malaca, pertence ao archipelago da Sonda, e nella existe 
uma colónia portuguesa que resta do império que os nossos heroes do 
fim do século xv e principio do xvi descobriram. Ahi se falam varias 
linguagens, a que os portugueses que por lá teem passado deram o 
nome de dialectos, e das quaes a maior parte tem um campo de ex- 
pansão muito restricto. 

A mais geral, falada ou entendida em quasi toda a ilha, eque me 
parece talhada para vir a ser a lingua única da país, alem da portu- 
guesa, se os dirigentes a isso se propuserem, é a denominada teto^ 
não sõ por mais conhecida, mas principalmente por conter muitíssi- 
mas ^palavras das que entram em cada uma das outras. 

E, pois, d'essa linguagem ou dialecto que vou tratar, começando 
por chamar-lhe lingua, resolução que submetto á conspícua apreciação 
dos mestres em philologia. 

# * 

Reduzir á escrita uma lingua ou dialecto que tem apenas existência 
oral, é trabalho de grande fôlego, para que não me julgo completa- 
mente habilitado. Não obstante este convencimento, proponho-me a 
coordenar todos os apontamentos que tomei em Timor, a respeito da 
lingua que ali se fala, denominada teto. 

Confio na benevolência dos competentes que apreciarem o meu 
trabalho, pois estou certo de que presto um pequeno serviço ao meu 
país, contribuindo para preencher, ainda que deficientemente, a lacuna 
que encontrei, visto que, possuindo Portugal, vae em quatro séculos, 
aquella colónia, mui poucos entre nós se teem dedicado ao estudo da 
lingua que ali se fala mais geralmente. 

Chegado a Dilly pela primeira vez em õ de agosto de 1871, e 
tendo aprendido praticamente um pouco da lingua malaia nos três me- 
ses da minha viagem pelas ilhas da Oceania, sem encontrar uma única 

1 



2 

pessoa que falasse português, e pareeendo-me que havia qualquer se- 
melhança entre essa lingua e a que falavam os indígenas de Timor, 
entendi que de^^a aprender a fala do país em que tinha de v^iver 
algum tempo, e por isso comecei a tomar notas de tudo o que os na- 
turaes diziam, sendo-me então graciosamente offerecidos bastantes 
apontamentos pelo Kev.**® Padre Mesquita, superior da missSo catho- 
lica, Índio muito intelligente e instruído, que posteriormente foi perse- 
guido, para dar logar ao estabelecimento da missão dos europeus orde- 
nados em Sernache de Bom Jardim, sem duvida mais instruídos que 
os missionários de Goa. 

Residi por essa occasião em Timor até dezembro de 1§73, per- 
correndo grande parte da ilha, tomando sempre notas e recebendo 
apontamentos dos meus camaradas José dos Santos Vaquinhas e Far- 
inando António, posteriormente fallecidos, de modo que, quando me 
retirei, no fim de dezembro, possuía grandes maços de apontamentos 
sobre a linguagem dos indígenas e seus usos e costumes, o que porem 
não julguei ainda suífíciente para publicar um livro sobre o assunto. 

Voltei a Timor mais três vezes : em 30 de agosto de 1878, em (i 
de março de 1886, e em 8 de outubro de 1891 ; e continuando sem- 
pre a tomar notas sobre a maneira de falar nos differentes reinos que 
percorri, nomeadamente nos da chamada contra-costa ou costa do Sul, 
observei que os poucos discípulos da missão que se encontram no inte- 
rior teem introduzido, no teto muitas palavras portuguesas a mais que 
as existentes nas notas que tomei até 29 de dezembro de 1873, data 
da minha partida para Macau, em seguida á primeira peregrinação 
que fiz em Timor. 

Estava eu resolvido em 1889 a coordenar todos os meus aponta- 
mentos e publicar .um livro sobre a lingua dos indígenas, quando me 
chegou a noticia da publicação de um Diccionario português-tétiun^ 
pelo Rev."^^ Padre Sebastião Maria Aparício da Silva, missionário muito 
digno, em consequência do que sustei o meu trabalho, por julgar que 
já não mereciam a luz da publicidade as minhas notas, por isso que 
estava preenchida a lacuna que eu notara. 

Vendo depois o livro de que me tinham falado, o qual é sem du- 
vida o primeiro passo para que o teto fique reduzido ao sinal gra- 
phico, comprehendi que ainda era admissível a publicação das minhas 
notas, por isso que foram ellas tomadas sempre no intuito de fazer um 
vocabulário ou diccionario de teto para português, o que me pareceu 
mais próprio para poder deduzir quaesquer regras. 

Apesar d^isso, porem, tal publicação nunca se faria a não serem 
as instancias de vários amigos meus, conhecedores do meu humilde 
trabalho, principalmente o digno capitão-tenente da armada real, o 
Ex.™® Sr. José Francisco da Silva, lente da Escola Naval, que me 
enthusiasmou a trabalhar para o Congresso Colonial, e ulteriormente 
o meu amigo o Ex."*° Sr. Dr. José Leite de Vasconcellos, a quem o 
dedico, o qual em carta extremamente amável me incitou a dá-lo á 
estampa o mais breve possível. 



* # 



Para que se possa comprehender bem a orientação que dei ao meu 
estudo, e as raz5es em que fundamento as regras que deduzo, passo 
a apresentar os esclarecimentos que me parecem indispensáveis. 

As palavras ouvidas por mim aos indigenas foram escritas om 
caracteres romanos do modo mais simples, e quanto possível e van- 
tajoso, empregando a orthographiá sónica, para depois poder deduzir 
quaesquer regras, sendo todas essas palavras acompanhadas da res- 
pectiva traducção em português. 

Ao mesmo tempo fui classificando taes palavras nas partes de ora- 
ção que, pelo sentido, me eram indicadas; isto é, em verbos, substan- 
tivos, adjectivos, etc. 

Não tendo percebido, na fala dos indigenas, palavra, ou som algum, 
que precisasse ser representado pelos caracteres G ou J, e bem ao 
contrario, reconhecendo que elles, em geral, teem difficuldade em pro- 
nunciar esses sons, entendi que não devia introduzir estes caracteres 
no respectivo alphabeto, visto que apenas são usados nas palavras es- 
tranhas introduzidas na linguagem. 

Como também nunca houvesse sequer percebido som absolutamente 
nitido que fosse necessário gravar com a letra P, igualmente a não 
representei. 

O som correspondente á letra V nunca o encontrei na conversação 
dos indigenas, a não ser algumas vezes na palavra bé «agua», que 
ouvi pronunciada quasi como véj e que em vários pontos os indigenas 
pronunciam mui nitidamente ué. Devo porem dizer que a letra V é 
empregada nos nomes próprios de reinos, povoações, montanhas, rios, 
etc, e que alguns indigenas pronunciam esses nomes como os euro- 
peus ; mas que elles na generalidacle teem difficuldade em pronunciar 
tal som, prova-se com a introducção da palavra portuguesa «vaca», 
que por toda a parte se pronuncia uaca, 

O W tem sido empregado nos nomes próprios de rios e monta- 
nhas, pronunciado com o som de U á inglesa, não sei com que fun- 
damento, podendo apenas suppor que isto começasse por algum anglo- 
maniaco, ou então que provenha da modificação que apontei de bé em 
ué^ como succede com a denominação da ribeira Bémôr, a que os indi- 
genas, conforme os locaes pôr onde passa, chamam Uémôr ou Uáimôr^ 
palavras que os europeus escrevem com W, o que comtudo não influe 
na linguagem falada pelos indigenas, na qual não se manifesta a ne- 
cessidade do emprego de tal caracter; por isso o supprimo. 

As letras X, Y, Z não me parecem necessárias para escrever as 
palavras de teto que ouvi usar aos indigenas. 

Nunca ouvi, nem me consta que exista na fala dos timores, som 
algum guttural, como asseverou o Sr. Aflfonso de Castro no seu livro 



As colónias portuguesas da Oceania; o que eu percebi, ouvindo -os 
falar, foram uns sons mais ou menos ligeiramente aspirados á seme- 
lhança do antigo H francês. 

Para indicar o som que deve ser aspirado, antepus á respectiva 
vogal um H, e para quando deve repetir-se o som da mesma vogal 
empreguei o accento agudo sobre aquella que deva ser mui ligeira- 
mente aspirada. 

Algumas palavras escrevi com H e sem elle, porque os indigenas 
de alguns pontos as pronunciam aspirando-as mais ou menos ligeira- 
mente, ao passo que outros as dizem muito naturalmente, o que seria 
mui difficil, senão impossivel discriminar. 

Em consequência das judiciosas observações que me fez o distincto 
philologo o Ex."® Sr. Gonçalves Vianna, resolvi empregar o K no 
principio, meio e iim das palavras, onde esse som deva substituir os 
caracteres C e Q, os quaes supprimi. Assim kuda «cavallo ou plan- 
tar», hnódok «amarello». 

Muitos indigenas teem o habito inveterado de acrescentar um K no 
íim de varias palavras, sem que com isso queiram modificar a ideia 
ou a significação ; e d'ahi vêem os termos, por exemplo : hirak 
«quanto», ruak «dois», etc, os quaes não diíFerem nada na significa- 
ção de hira^ ma, etc, forma geralmente mais usada. 

Nunca ouvi termo ou expressão alguma para designar o substan- 
tivo «cor» ; os indigenas designam as cores, pelas suas próprias deno- 
minações, como: niatàk «verde» ou «a cor verde». 

Dispostos todos os meus apontamentos em ordem alphabetica, de- 
duzi doesse agrupamento algumas regras para a escrita, e outras mui 
resumidas para a composição. 






Concluído isto, comecei de fazer um estudo comparativo das mi- 
nhas notas com o Diccionario portugues-tétumj do Sr. Padre Sebastião, 
e encontrei uma immensidade de palavras portuguesas introduzidas 
no mesmo: mais de mil alem das que já existiam em 1873, outras 
palavras mais que eu nunca ouvi em Timor, e que alguém, que co- 
nhece praticamente alguns dialectos da ilha, me disse pertencerem 
ao galoU, e ainda outras que parece terem apenas uso em Liquiçá, 
povoação na costa do Norte, capital do reino do mesmo nome, onde 
estive de passagem somente algumas horas quando recolhi gravemente 
doente de Batugadé. 

D^essas innumeras palavras portuguesas fiz uma lista em sepa- 
rado,' escrevendo-as com a mesma orthographia que tinham, e intro- 
duzi no meu trabalho aquellas que já tinha escrito desde 1871, e que 



me parece estarem radicadas no modo de falar dos indígenas; das 
outras só menciono algumas que julgo não prejudicam a harmonia e a 
Índole da lingua. 

A respeito do som Gr, encontrej no dito Diccionario a palavra dar- 
gon como significado de «chaleira» (vid. pag. 104), mas esta palavra 
somente é usada em Dilly e legares circum\âzinhos, e assim mesmo 
com algumas variantes, como gargó, gargú, pois esse termo provém 
de gargih introduzido pelas pessoas de Macau e pelos chinas. Igual- 
mente encontrei as palavras hiuing, suang, «bruxa», «bruxaria» (vid, 
pag. 81), as quaes também só teem uso em Dilly, na forma suangue, 
que lhe dão os europeus, e no interior ouve-se dizer aos indigenas 
bnank ou suank. 

Com relação ao som J, encontrei as palavras jambata «ponte» 
(vid. pag. d39)j jamhua «toranja» (vid. pag. 409); quasi de exclu- 
sivo uso dos europeus e indigenas de Dilly, e que, sendo palavras 
malaias, ao serem introduzidas no teto ficaram iambata^ icimbua^ como 
dizem os indigenas por toda a parte fora da capital e subúrbios. Tam- 
bém encontrei a palavra cojabas «goiaba» (vid. pag. 241), a qual 
me parece uma invenção infeliz, pois que substituindo o Gr por C, 
como é naturalíssimo, substituo também o I por J, o que é absoluta- 
mente contrario á Índole da linguagem dos indigenas, que em geral 
mostram dilficuldade em pronunciar o J, como se vê da palavra clin- 
dun «jejum» (vid. pag. 266). 

Referente á letra P, encontrei as palavras ampcl na phrase que quer 
dizer «alvorada» (vid. pag. 27); lápis para significar «camada» (vid. 
pag. 89); dapôr como significação de «cozinha» (vid. pag. 131); 
padan significando «suspeitar» (vid. pag. 399); pahén com a significa- 
ção de «velho» (vid. pag. 421); piscen devendo designar «vagaroso» 
(vid. pag. 418) ; e mais algumas, mui poucas. 

Ora a primeira, que é palavra malaia e significa «quatro», pois a 
phrase se refere ás quatro horas da manhã, parece-me prescindível por 
haver em teto: daãél «manhã» e rai-nakée «amanhecer»; a segunda 
ouvi-a sempre pronunciar pelos indigenas labis; a terceira é também 
palavra malaia e é usada geralmente como dabur (vid. pag. 131); a 
quarta, que é ainda palavra malaia igualmente á primeira e terceira, 
significa «planura», sendo ao mesmo tempo o nome de uma povoação 
de Java, tem para a substituir tean; a quinta é palavra china desfi- 
gurada, que neste idioma tem a mesma significação de «velho», ha- 
vendo em teto para a substituir a palavra Maen, ou a mais commum- 
mente usada katiias; e a sexta, da qual desconheço por completo a 
origem, é perfeitamente substituível por bahuko ou demite. 

Sobre a letra V encontrei no Diccionario unicamente a palavra 
varic^ significando tratamento das crianças filhas de reis ou de princi- 
paes (vid. pag. 412), a qual eu ouvi aos indigenas pronunciar uáric, 
em consequência da diíRculdade de pronuncia, o que também é con- 
firmado com a introducção da palavra «fivela» que ficou modificada 
em jiélas (vid. pag. ^27). 



* 



Ainda do meu estudo comparativo me resultou grande coliecçâo 
de phrases e circumloquios, algims dos quaes arranjados para expri- 
mir ideias que eram completamente ignoradas dos indigenas, e das 
quaes apresento uma lista em separado, usando a orthographia do 
próprio diccionario, a qual servirá para estudo dos que se dedicarem 
ao aperfeiçoamento da lingua teto. 

Deixei de mencionar muitas phrases e circnmloquios em que entram 
varias palavras portuguesas, das que já constam da outra lista, por- 
que me pareceram pouco aproveitáveis para estudo, e mesmo porque 
sou contrario á introducção de pala^Tas estranhas na linguagem dos 
indigenas. 

O expediente dç formar circumloquios, quando se siga com cri- 
tério, parece-me acceitavel, mas, no diccionario de que trato, existem 
alguns cuja formação não está a meu ver muito cuidada, como, por 
exemplo, cúac iha oda niátan hôiiA^i née bê búça tãvia, para significar 
«gateira» (vid. pag. 238); ora a traducção literal das palavras que 
o compSem é : «Buraco para escada olhar passar onde gato acolher-se», 
e a livre é : «Buraco que olha para a escada onde passa o gato a aco- 
lher-se», parecendo-me- muito mais simples e talvez mesmo mais cor- 
recto dizer: kaak hússa «buraco do gato» ou «gateira», o que todos os 
indigenas entenderiam perfeitamente *. 

Mas embora alguns dos circumloquios sejam muito longos, isto é, 
compostos de palavras em demasia para designar a ideia, assim mesmo 
acho isso melhor para o estudo e aperfeiçoamento da lingua, do que 
o systema de introduzir palavras portuguesas puras ou estropeadas. 

Essa introducção tem-se feito sempre devido aos empregados que 
vão em serviço ao interior da ilha, e que á falta de outro expediente 
as vão usando no seu trato com os naturaes, e principalmente aos 
missionários que as introduzem não só no seu trato, mas ainda nas 
suas praticas e sermões feitos na lingua do pais, mesmo antes de a 
saberem bem, com o que provam a sua dedicação pela missão reli- 
giosa, sem lhes importar com a pureza da linguagem. 

O que principalmente me leva a esta convicção, é o seguinte. Os 
indigenas no seu actual estado de civilização não teem ainda formula 
alguma de cumprimentar, ou mandar cumprimentar qualquer pessoa; 
o único modo que teem de manifestar o seu respeito por alguém, á ma- 
neira de cumprimento, reduz-se a tirar o lenço, se o teem, em redor 
do cabello, coUocar a mão esquerda de palma entre o pescoço e a 



1 Alguém nos diz que a expressão kuák bússa «buraco do gato», poderá ter 
uma signiíicaç^ burlesca; observação sem peso, visto que para tal significação 
lá existe a palavra kidun, e não é porque uma expressão possa ter significações 
mais ou menos engraçadas que ella deve ser riscada de um diccionario. 



nuca e um pouco de lado, estender a direita para a frente, curvar um 
pouco o corpo, e dizer: Nai «senhor» ; ultimamente já alguns indíge- 
nas dizem aos missionários benqa Nai, Em consequência d'isto houve 
quem formasse a já celebre phrase «/o recado^ fó bom dia, fó boa 
noite, etc», certamente inventada por português, europeu ou macaista, 
para enviar algum criado a casa de alguém; tal invenção porem era 
desnecessária, visto que existem em teto as palavras diak abom», 
loron «dia», kalan «noite», com as quaes se podia fazer a mesma 
phrase, unicamente de palavras indígenas, sem precisar introduzir 
aquella verdadeira manta de -retalhos, que tem feito quebrar a cabeça 
aos estudiosos que de países longínquos se dedicam ao estudo circum- 
specto das línguas crioulas. 

Se a introducçâo se fizesse de palavra ou phrase completa e com 
a sua própria significação, ainda poderíamos esperar que com o andar 
dos tempos os indígenas chegassem insensivelmente a falar português; 
mas qual! Precisa-se, por exemplo, de termo para indicar o cumpri- 
mento do dever, ou da obediência, etc; como não se conhece bem a 
lingua, emprega-se a palavra «obedece» tempo de verbo, introdu- 
zindo-o com variadas significações, o que, longe de ser um serviço 
prestado, estabelece a confusão. 

Ora tanto em relação á linguagem, como em relação a outros as- 
suntos, a humanidade tem sempre a ganhar com a simplificação, para 
que tudo possa chegar ao conhecimento de todos. 

Com respeito ás regras grammaticaes que precedem o Diccionario 
português-tétum, do Sr. Padre Sebastião, se bem que me não julgo á 
altura de as poder bem apreciar, devo dizer que, em parte, me pare- 
cem demasiado transcendentes para uma lingua que em relação á es- 
crita se pode bem dizer incipiente, sem que com isto lhe queira fazer 
a critica, pois julgo todo o trabalho de muitíssimo merecimento, e 
bastante útil para quem se dedicar ao estudo da língua teto que se 
fala em Timor. 

Ainda devo dizer que desde 1871, em que comecei o meu traba- 
lho de coordenação, ouvi dar sempre, e também dei, o nome de teto 
á lingua de que trato, e que eu estudava, e por isso, ainda que me 
mereça muitíssima consideração o digno autor do mencionado diccio- 
nario que lhe chama tétum, eu continuarei a denominá-la como de 
principio, visto não ter encontrado fundamento para a emenda. 



# 



Eis o que se me offerece dizer sobre a lingua teto, e a narração 
dos trabalhos que fiz desde 1871, para chegar só agora a apresentar 
este resultado. 

Sendo, como é, incompetente o obreiro, é claro que não pode a 
obra ser perfeita; mas convenço-me de que, se os empregados intelli- 



8 

gentes e de sabor que vão a Timor, e os missionários instruidos e dedi- 
cados que lá vivem em intimas e constantes relações com os indig^enas, 
se quiserem dar ao incommodo da apreciação, estudo e comparação 
entre este trabalho, o do Sr. Padre Sebastião e quaesquer outros, 
pode certamente resultar obra mais perfeita, de maior utilidade, e 
que venha a concorrer para que desappareça a grandissima variedade 
de linguagens ou dialectos. 

O que principalmente peço a todos, é que prestem a máxima at- 
tenção á pronuncia das palavras mais ou menos ligeiramente aspira- 
das, a fim de depois se lhes acrescentar ou supprimir o H, conforme 
as observações. 

Sendo pois destinado este livro aos empregados e missionários de 
Timor, é d^elles que desejo e espero obter maior indulgência, por- 
quanto com a dos philologos, meus compatriotas, conto eu, convencido 
de que me relevarão os defeitos por attenção para com o aturado tra- 
balho que tive, a tenacidade com que o levei a cabo, e principalmente 
o intuito desinteressado que me moveu a tentá-lo. 

Finalmente apraz-me consignar aqui o meu mais sincero e cordial 
agradecimento ao Ex.™® Sr. Gonçalves Vianna, que com a sua muita 
proficiência e vastos conhecimentos theoricos das linguas oríentaes, 
me aconselhou algumas modificações no meu trabalho, que certamente 
lhe darão o Valor philologico que elle não tinha. 

Lisboa, 18 de janeiro de 1906. 

Raprael das Dores. 



OBSERVAÇÕES GRAMMATIOAES 



A lingua teto^ que se fala quasi geralmente na colónia portuguesa 
de Timor, é a meu ver pertencente á mesma famiiia a que pertence 
a lingua malaia que se fala nos archipelagos oceânicos, o que deduzi 
de ter encontrado muitas palavras que são communs a ambas essas 
línguas, e de terem as mesmas regras de construcção. 

I. — Phonologia 

Ha em teto as consoantes B, D, F, H, K, L, M, N, R, kS,(SS) T. 

Ha as vogaes j S^^^' A' Â, E, Ê, I, O, ò, U. 
*^ ( ríasaes — an, en, m, on, un. 

N%o ha ditongos. 

Logo os caracteres romanos de que precisei servir-me sâo: A, B, 
D, E, F, H, I, K, L, M, N, O, R, S, T, U. 

A pronuncia do teto é suave como a do maUio, e comquanto não 
me pareça tão harmoniosa, ainda assim encontrei-lhe vários poRtos de 
contacto, taes como: 

Accento predominante na penúltima syllaba. ^ 

Terminação frequente em vogal atona. 

Ausência dos sons brandos J e Z. 

Grande maioria das palavras de teto são, exactamente como no ma- 
laio, dissyllabicas, formando-se com ellas palavras compostas. 

Os sinaes orthographicos que me foram indispensáveis á escrita, 
sao: o traço de união para separar algumas palavras compostas, o 
accento agudo para marcar as vogaes abertas e as ligeiramente aspi- 
radas, quando repetidas, e o circumflexo para accentuar as fechadas. 

O accento nos vocábulos do teto recae na penúltima syllaba em 
^eral. 

Elimina- se o accento graphico, nos vocábulos terminados em vo- 
gal seguida, ou não, de s, e marca-se nos terminados em consoante: 
ex. : ida «um»; tiídik «faca». 

Marcam-se graphicamente todas as excepçcHes á regra geral bem 
como as vogaes â^ t e o quando fechadas. 

Quanto á pontuação, só poderá ser usada quando alguém escrever 
qualquer texto em tal lingua. 



10 

1 1. — Morphologia 
Nome 

Em teto^ como em malaio, o nome não tem género, nem numero. 

Conhece-se o género em relação aos racionaes, pospondo-lhe as 
palavras mane «homem», feto «mulher»; ex,: anôrin feto «mestra». 
anôinn mane «mestre»; ata feto «escrava», ata mane «escravo»; mas 
quasi geralmente á supprimido o mane para indicar o masculino, en- 
tendendo-se quando usada apenas a palavra ata como «escravo» ou 
mais usualmente como «criado», juntando-lhe/eío para indicar a criada. 

£m relação aos irracionaes, pospondo-Ihe as palavras áman «pães; 
Inan «mãe» ; ez. : russa áman «veado», ru««a inan «corça» ; mas usando 
unicamente o termo russa, todo o indigena comprehende que se trata 
do veado macho, e não fêmea *. 

O plural forma-se como na lingua malaia, repetindo a palavra; 
eiL..: feto «mulher», /(eío-/eío «mulheres»; algumas vezes repetindo 
apenas a primeira syllaba; ex. : fúan «coração», fufúan «corações»; 
e ainda juntando-lhe o pronome sira «elles, ellas» ; ex. : mane «ho- 
mem», mane sira «homens». Esta regra, porem^ tem algumas excep- 
ções, pois em vários pontos da ilha os indigenas formam o plural a 
alguns nomes; como, por ex. : kakae «cacatua», kakaen «cacatuas», 
ria «primo», rian «primos», uhtn «principal», utúr «principaes». 

Em grande numero de palavras não existe differença alguma en- 
tre verbo, substantivo, adjectivo, etc.; ex. : bóssok — que como adjec- 
tivo significa «fraudulento», como substantivo «fraude» ou «mentira», 
como verbo «fraudar, defraudar ou mentir». 

Os indigenas formam alguns adjectivos pospondo ao substantivo 
o pronome pessoal nia; ex. : abuto «raiz», abuto nia «radical; outros 
pospondo-lhe a particula ten; ex. : hárok «preguiça», hárok ten «pre- 
guiçoso». 

Os adjectivos numeraes em teto são: 

ida «um». 
rua «dois». 
tolo «três». 
hate «quatro». 
lima «cinco». 
néen «seis». 
Jiito «sete». 
ualo «oito», 
8Ía «nove». 



1 Na lingua malaia o género indica-ee pela me&ma forma com as palavras 
laki-laJci «masculino», prampáan «feminino», para os racionaes, e diántan «mascu- 
lino», betina «feminino», para os irracionaes. 



» 


» 


» 


]» 


)) 


» 


» 


J) 


» 


f 


» 


» 


D 


)> 


» 


» 



11 

sanulo «^dez». 

sanulo réssin ida «onze». 

rwa idoze». 

tolo «treze». 

hate «quatorze». 

lÍ7na «quinze». 

néen «dezaseis». 

híto «dezasete». 

ualo «dezoito». 

81a «dezanove». 
rua nulo «vinte». 
tila nulo réssin ida «vinte e um». 
tolo nulo «trinta». 
tolo nulo réssin ida «trinta e um». 
hate nulo «quarenta». 
atos ida «cem». 

atos ida réssin ida «cento e um». 
atos rua «duzentos». 
atos rua réssin ida «duzentos e um». 
atos sia sanulo réssin ida «novecentos e onze». 
atos sia rua nulo réssin ida «novecentos e vinte e um». 
atos sia sia nulo réssin sia «novecentos e noventa e nove. 
rilum «mil». 

O aumentativo forma-se pospondo ao primitivo a palavra hote 
K grande»; ex. : Toâne «homem», mane bote «homemzarrão». 

O diminutivo forma-se pospondo ao primitivo a palavra kik «pe- 
jueno»; ^n,: feto «mulher-», /eío kik «mulherzinha; e algumas vezes 
i palavra ôan «filho» ; ex. : mane «homem», mane ôan «homemzinho» *. 

O comparativo forma-se pospondo ao positivo a palavra liu «mais» ; 
3X. : naruko liu «mais comprido». 

O superlativo forma-se do mesmo modo, mas diíFerença-se do com- 
parativo, em que este exige depois da palavra liu o termo de compa- 
ração, o que o superlativo não admitte ; ex. : neé naruko liu neé há 
listo é mais comprido do que aquillo», comparativo; neé nanico liu 
«isto é compridíssimo», superlativo 2. 

Pronome 

Em teto, como em malaio, ha pronomes pessoaes, possessivos, 
demonstrativos, determinativos, relativos e reciprocos. 



1 Na língua malaia forma-se o aumentativo acrescentando a palavra tingui 
«grande», e o diminutivo acrescentando a palavra panda «pequeno». 

2 Na lingna malaia forma-se o comparativo pospondo ao positivo as pala- 
vras léhi ou déri, e o superlativo pospondo-se a palavra ter. 



12^ 

Os pronomes pessoaes são: 

haií «eu». , ita «nós». 

ó atu». <« emi cvósi. 

nia celle, ella». sira celles, ellast. 

Outras formas de pronomes pessoaes: 

aií «tne, se». 

há-nia ou ho^nia «Ihot . 

haú eme, mim». 

hatUan ou haú-dtini ceu mesmo». 

han-rassik ceu em pessoa». 

lha haú ou mal haú eme». 

ihuik tvós». 

nia-an «se». 

ma-duni ou nm-rassík «olie mesmo». 

o «te, ti, tigo». 

8ia celles, ellas». 

Os pronomes possessivos formam-se acrescentando aos pessoaes 
a palavra nia celle, ella», exceptuando a terceira pessoa do numere 
singular, que sendo igualmente nia ficava nm nia de que os indigenaí 
fizeram ninia; assim: 

haú-nia cmeu, minha». 

ó-nia ateu, tua». 

ninia seu (d'elle), sua (d Vila). 

íta-nia «nosso, nossa». 

emi-nia c vosso, vossa». 

sira-nia «seus (dVUes), suas (d'ellas)» *. 

Outras formas de pronomes possessivos: 

haún cmeu, minha». 

ninian cseu (d'elle), sua (dVUa)». 

oú «teu, tua». 

sirak ou siran «seus (dVUes), suas (dVUas)», 

em uso na contra- costa e em vários pontos 

do interior. 



i Em malaio formam-so os pronomes possessivos acrescentando aos pes- 
soaes n palavra punia. 



O 



í)s demonstrativos são: 

neé «esta, este, isto». 

neé-há «aquella, aquelle, aquiilo, essa, esse, isso». 

neé'bé «qual, que, quem». • 

Outras formas de pronomes demonstrativos usados em vários 
>caes : 

buate-neé «isso». 
ida-neé «este». 
neé-éte-sduko «aquelle». 
neé'Ó8 «esse mesmo». 
neér «aquelles, esses». 
nenék «estes, estas». 

Os determinativos ou indefinidos, são: 

hálun «outro». 

ema-ruma ou viahi «alguém». 

ida «um». 

ida-lae «ninguém». 

7'uma «algum». j 

Os relativos são : 

eina ou enia-sé «quem». 
ema-neébe ou sé «que, quem». 
sã «qual, que». 

O reciproco é: 

mcUu^ cuja significação é «próprio» ou «camarada». 

Ouíros pronomes usados pelos indigenas : 

duni 

hanessan 

> «mesmo». 
nanessan 

Oin ida 

nia-messak ou nia-rassik «de per si». 

08 «mesmos». 

^. JJ. Não existe artigo em teto, como igualmente não existe em 
malaio. 

ÁdTerbio 

Como já disse a respeito do nome, existem em teto muitas pala- 
vras em que não ha differença alguma entre o adverbio e o verbo, 



14 

substantivo ou adjectivo; ex. : úluko, que empregado como verl>«| 
significa cprecedert, como substantivo, ccomeço, principioi, com- 
adjectivo c prévio i, e como adverbio f antes •• 

Os advérbios podem ser, como no malaio, de qualidade, de quan 
tidade, de tempo, de logar, e outros. 



De qualidade temos: 

diak-Uu «melhor*. 

ketik \ 

vietin >«bem». 

iietik ) ' 

De quantidade temos: 



hodtak í 1 

7 , - / «a bemt 

la-hirus \ 

ladiak «maU. 

iianuti «assim». 



(lek 1 

cUó ] 

7 .f } «quasi». 

oessik ) ^ 

haín 

bárak 
7* 7 > «assaz». 

náin 

bera 

bira 

ressín > «mais». 

tan 

tenik 



«nada». 



hárak-liu « demais » 

bissek «menos». 

bmde-lae 

labuaie 

deite ] 

7 > «apenas». 
mesêok | ^ 

la-sura «exclusive» 

Uu-ressin 

íiáín 



«muito». 



ineêsa 
nioko 



«basta». 



De tempo temos: 

aábé j 

aefoin > «depois». 

hôto ) 

aban ) , , * 

> «amanha». 
an \ 

bai'hira 

naton \ «quando» 

uai-hira 

beibeik 

duruko 

lerek 

/. .. > «sempre». 
najatm [ * 



uai 

uáin 

Meuro «tarde». 



kakôa 

lahois I j 

7 . V «depressa». 

lais ' ^ 

lalais 

hôri'lae 

07'assida \ « logo » . 

sei 

hôri-sehik ) , ^ 

hôrí-uluco <d'antes». 

kedan 

kedris 

nahas \ «já». 

ôna 

tihá 



15 



foin «ainda agora». 

lae «nunca». 

lai } . j 
. > «ainda». 

sei ) 

molak 

moluko \ «antes». 

uluko 



neineik «devagar». 

ohin ) 1 . 
7 . } «noie». 

oraa-nee «agora». 
san «cedo». 
toók «acaso». 



De logar temos : 



bessik 

heis , 

7 j '7 ) «perto» 

tessik 

kraik «abaixo». 

fo-hon ] 

7 ,* \ «acima». 

íeten ) 

hôssi-hé «donde». 

hôssi-neé ) i 

•I. j 'j } *ao lonffe» 

íha-aook ) ° 

hôssi-liur «fora». 

hôssi-neé) j, 
.1 . } «daqiu.» 
ida-tan j ^ 

hôssi-neér «d^ali». 

ikus «atrás». 

iha-ôin «adeante». 



iha-bé 
neé-bé 
nuú-bé 



«aonde». 



sa 

iha-neé 

) «aqui». 
nee j ^ 

kdok «aparte». 

kdoók ) , 

lôr \ *'^"&^*- 

láran «dentro». 

neé-bd 

neête 

neér «acolá». 

ókos «debaixo». 

talain «defronte». 



alem». 



Outros advérbios simples : 



alossa 

7 ) «porque» 

ba-sa ) ^ ^ 

antete ) 

7 j ' 7 í «a- par». 
kaduak ) ^ 

bá 

bessik 

kcíla 

karik 

soik 

toók 

dadaún 

kedan \ «mesmo». 

kedas 

eék 

heé ] «sim». 

hon 



«acerca». 



«talvez». 



«rente». 



dassa 

raba 

rabate 

tete 

hanessân «conforme». 

haúk «adeus». 

la «nada». 

ladáu «ainda não». 

laék «não». 

leéte «debalde». 

lás 

fetéhes 

nu d 

nuiídd 

tebes «certo». 



«deveras». 



«como». 



1() 



Outros advérbios compostos: 

anak'hâ / , 

, , 7 . / «adeus». ^ 

han-bfi \ * 

bera j . . 

7 .i V «mais perto». 
òessik ) ' 

hera-kraik cmais abaixo». 

bera-dok cmais longe». 

bera-leten cmais acima». 



fiãi-m ccomo assim». 
fatin-ru ma c algfures i . 
íkus-ktuír c atrás». 
hUlós c certo». 
oin-selako c aliás». 
teki-UMl casinha». 



Alem dtí vários outros advérbios, que seria demasiado mencionar, 
ha muitas locuções adverbiaes. 

Preposições 

Em teto ha preposições simples e compostas como em malaio. 
As simples mais usadas são: 



c contra». 



úabé 

hôto \ c depois». 

hten 

assôro 

sdkar 

ato 

atóki 

bá 

Ural 'P*""**- 

lha 

mai 

bá 

. ) «a, em». 
viai ) ' 

bessfk «perto». 

kraik «infra». 

As compostas sao: 



«entre». 



klaran ] 

leéte I 

f(/nia ca, de». 

fohon-Uten c sobre». 

hú ccom»*. 

hossi cdês, desde por». 

hõri c desde». 

hoto ] 

lha ca, durante, em». 
okóB csob». 
talain cante». 



toó ] 



tuka j 



' «até». 



para» 



ba-sa 

Jila-sd 

kuran-kuran « perto » . 

duni-tan \ 

7 . ) «após». 
tan-ba ) ^ 

iha-klaran «entre». 



ho88i-oin . 

.7 >^. } «ante, perante» 

iha-kotuko « de trás » . 

{ha-fohon ) 

•L 7 í «acima». 

ina-leten ) 

iha-laran «dentro». 



1 No diccionario citado dâo-se umas variantes doesta preposição que julgo 
resultado de má percepção. Creio qae os indigenas dizem haiik ho ttia eeu com 
elle», nian ho nia «clle commigo». As modificações em mó e róy nunca eu as ouyí< 
c parecc-me que estão no caso da conjugação do verbo aruka nmandar». 



17 



Coi^uncçSo 

As conjimcçSes mais geralmente usadas, são: 



aak 

^1 \ «que» 
naa/c j ^ 

ulo-sá 

duni'tan 

fcíi-Ba 

neè-duni 

nun-sá 

bai-hira 

liai hirak 

kã «ou, quer». 



porque» 



«como». 



ato «a fim». 

^. { «também». 
mos ) 

lae «nem». 

lai «quer». 

mae «mas». 

réssin «é». 

deite , 

j . ) «senão». 
selai 



Interjeição 

As interjeições que em teto tem uso mais geral, siio 



a! «ah! oh!». 

cídé! «ai! eia!». 

âdó! «ai! oh!». 

oiáf «ah! ui!». 

aii! «ai! hui!». 

aio! «apre ! hui!». 

areld! «apre! irra!». 

arui! «eia!». 

há! «anda!». 

há-sá! «pois!». 

sa! ] .^ , 

.7 , ' «então 1 9. 
sa-ida! 



biha! «viva!». 

diak-ôna! \ 

naton! > «alto lá!». 

tito-lae ! ] 

ikbéi! «e agora!». 

íhuik! «ui!». 

nanoko! «caluda! chiton!». 

6! «ah! oh!». 

oió! «safa». 

soiôna! «basta!». 

ui! «haí!». 



Verbo 



Na lingua teto, assim como na malaia, não ha propriamente o que 
s(i chama conjugação de verbos*; as palavras que exprimem acção, 
conservam sempre uma única forma invariável. 



^ Desejava eu abster- tne de falar da conjugação do verbo haruca ninaudar», 
(que eu escrevi aruka por nâo ser aspirado), pelo Sr. Padre Sebastião no seu 
DiccionariOy como existente nos reinos do interior, e que elle diz servir de norma 
para conjugar todos os outros verbos que começam por H ; isto pela muita con- 
sideração que me merece este digno sacerdote ; acima porem d'essa consideração 
está para mim o respeito pela verdade, e por isso sou forçado a declarar que, na 
minha prolongada convivência com os indígenas, notei effec ti vãmente, que alguns 
dizem karuJca, naruka^ raruka, etc, mas isto sem attenção a pessoa ou a tempo, 

2 



18 

As formas do presente não differem doesta única forma funda- 
mental, e só se conhecem pelo pronome pessoal que o antecede ; ex. : 
aUídak testreitar», haú abádàk <eu estreitei. 

O pretérito é determinado pelo acrescentamento da palavra onn 
fjá» á forma invariável; ex. : abótiaok tenganar», ó abóssok ôna «tu 
enganaste»; excepto quando na phrase já se exprime tempo. 

O futuro é indicado pela palavra sei posta entre o pronome pe^- 
soal e o verbo; ex. : ahidik «brincar», nia sei ahidik «elle brincará» *. 

Para determinar o modo imperativo, único que se pode indicar. 
posp5e-se á forma invariável a palavra bá «ir»; por ex. : bánati «de- 
senhar», banati bd «desenha tu». 

O gerúndio é algumas vez-es indicado pela palavra rfíMÍatt/i «mesmo», 
posposta ao verbo; ex. : kakérek dadaún «pintando». 

Os verbos reflexivos são formados c<)m a particnla an; os recí- 
procos com a particula mcdu, 

III.— Syntaxe 
Algimiag regras deduzidas 

O adjectivo coUoca-se depois do substantivo a que se refere; ex.: 
uma diak «casa boa»; o interrogativo vae no fim da phrase; ex. : " 
aruka sá? «que mandas?»; excepto se for sujeito, que vae no princi- 
pio; ex. : sé titlun haú? «quem me acode?» 

Os adjectivos que restringem ou expli% am, coUocam-se depois dos 
termos a restringir ou explicar; ex. : tima kik «casa pequena», mâin 
matének «homem sábio». 

O demonstrativo vae depois do substantivo a que se refere; ex. : 
feto neé diak «esta mulher é linda». 

Para dar mais força ao demonstrativo, junta-se a particula maht 
«mesmo», e em alguns pontos da ilha a particula ás «mesmo»; ex. : 
sela kuda neé «apparelha este cavallo», ida neéf «este?», lae^ idu seluko 
«não o outro», ida neé? «este?» heé^ maka neé «sim, esse mesmo». 

O pronome possessivo precede o substantivo a que se refere : 



de modo que o mesmo individao diz sempre karúka^ naruka ou rarúkay como se 
habituou, sem que d'ahi se possa concluir a conjugação do verbo. 

Alem d*esta razão, que é muito importante, temos que na capital, onde 8c 
falia o teto talvez mais correctamente, não existe tal conjugação, como também 
não existe na lingua malaia, muito mais conhecida e estudada, portanto não pa- 
rece racional que ella exista no interior, e ex(>epcionalmente para aquelle verbo. 
pois que em outros começados por H, como por exemplo habelak «achatar», nunca 
ouvi dizer nabelak ou rabelak a nenhum indigena, e kahelak só ouvi empregar como 
adjectivo com a significação de «chato». OxaU que novos estudos do mesmo pa- 
dre ou de quaesquer outros individues me convençam de que estou em erro nesse 
ponto. 

^ £m malaio o presente conhece-se pela ausência do adverbio, o pretérito 
acrescentando ao verbo qualquer das palavras áhis, lalú, swia, telif e o futuro 
indica-se com as palavras, buli, nanti antes da pessoa. 



19 

ex. : ninia feto ladiak «a mulher d'elle é má» ; bem como o objecto 
possuído; ex. : haú nia áman to meu pae». 

Os pronomes determinativos vão depois da palavra a que se refe- 
rem; ex: mâm neé bá^ ladiak «este homem é mau». 

O adverbio kala a talvez» entra no principio da phrase; ex. : kala 
hakãrak haú nia feto ôan? «queres talvez a minha filha?», karik «tal- 
vez» ; vae no fim, ex. : ó há ôna karik? «tu foste talvez ?» , toók «talvez» ; 
pode ir indiflPerentemente no principio ou no fim; ex. : toók nia niai 
ôna «talvez elle já viesse», sira há ôna toók «elles já foram talvez»; 
e succede por vezes entrar um d'elles no principio e outro no fim ; ex. : 
toók mane neé há karik «talvez este homem seja assim». 

O verbo usa-se sempre antes do complemento. 

Alguns verbos compostos de dois termos usam-se separando esses 
termos pela phrase ou parte d'ella; ex. : hodi-bá «levar», sira Jiodi han 
nia labarik feto há uma «elles levam a minha rapariga para casa». 

O verbo há «ir» não admitte, na mesma oração, a mesma expres- 
são como particula. 

Para indicar a matéria de que qualquer cousa é feita, não empre- 
gam os indigenas preposição alguma; ex. : sássak hessi «porta de ferro». 

Na designação dos adjectivos gentílicos ou patrícios também não 
usam preposição; ex: liurái Montael «rei de Montael», ulún Laléa 
«principal de Laléa». 

A conjuncção réssin «e» emprega-se unicamente nos adjectivos 
numeraes cardinaes; ex: lima nulo réssin ida «cincoenta e um». 

Os indigenas formam o participio coUocando o verbo depois da 
cousa ou pessoa que com elle concorda, e algumas vezes posp5e-lhe 
a palavra ôna^ ex. : uma hakérek^ ou uma hakérek ôna «casa pintada». 

Na lingua teto não ha expressão que corresponda completamente 
ao verbo «ser» substantivo, por isso os indigenas se apropriaram do 
termo português do dialecto creoulo de Macau para certas phrases, ou 
exprimem-se ordinariamente sem empregar termo que designe tal 
verbo; ex: Lacló haú nia rai «Lâcló é minha pátria». 



Lista das palavras portuguesas, puras ou estropiadas, que julgo 
foram introduzidas na lingua TETO posterio;*mente a 1873, e 
que constam do Diccionario português-tétum do Sr. Padre Se- 
bastião Maria Aparício da Silva. 



Palavra 


Significado 


Abestruz 


Abestruz 


Abismo 


Abismar 


Abuza 


Abusar 


Academia 


Academia 


Achar 


Conserva 


Aço 


Aparo 


Adeus 


Adeus 


Admira 


Admirar 


» 


Maravilhar 


Adora 


Adorar 


Adoração 


Adoração 


Adultério 


Adulterar 


Advogado 


Advogado 


Africano 


Africano 


Agora 


Actualmente 


JO 


Agora 


Agrada 


Agradar 


» 


Encantar 


» • 


Aprazer 


Agradece 


Agradecer 


Alcatifa 


Alcatifa 


» 


Tapete 


Alfaiate 


Alfaiate 


Alfandega 


Aduana 


» 


Alfandega 


Alferes 


Alferes 


» 


Posto 


Alfinete 


Alfinete 


Algema 


Algema 


Almoça 


Almoçar 


Altar 


Alta/ 


a 


Vários 


Alvorada 


Alvorada 


» 


Aurora 


Ama 


Amar 


Ambiçã 


Ambição 


Amora 


Amora 


Amostra 


Amostra 


» 


Amostrar 


Ananaz 


Ananaz 


Andor 


Andor 


u 


Ataúde 



Correspondente 
em teto 




Observações 




Pag. 


3 Não ha no país 


Kléan 


» 


5 


Bôssók 


» 


5 


Uma anôrin 


» 


6 Nunca houve 


Budú 


U 


9 




J» 


38 A palavra aço 
em teto é cão 


Bá-ôna 


» 


12 


Sarébak 


1> 


12 


SahÔi^ 


» 


287 


Akruúko 


» 


250 


Akruúko 


» 


13 


Séluko 


» 


13 


SÔrí 


X^ 


14 


Malai meta 


« 


16 


Oras-née 


» 


11 


» 


1> 


18 


Ahônôko 


» 


19 


Aksumik 


» 


177 


Hakárak 


» 


19 




» 


41 




» 


22 Nem na igreja ha 




» 


402 Idem 


Badáin suko 


» 


23 




» 


13 




» 


23 




M 


23 




U 


343 


Kussan-kik 


» 


23 


Uén-lima 


» 


23 


Han dadel 


» 


25 




M 


26 




U 


65, 128, 385 


JRai-nakée 


» 


27 


Rai-narôma 


» 


57 


Adômi 


U 


28 


Kárak 


» 


28 




» 


30 


Banati 


» 


30 


Liki 


» 


30 


Nanás 


» 


31 Já radicado 




» 


33 


Tumba 


» 


54 Já radicado 



22 



1 

Palavra 


Significado 


Correspondente 
•m teto 


* 


Obsenraçtet 


Andor 


1 

Caixão 


Ai-balo 


p*«- 


87 


» 


Charola 




» 


105 


Animal 


Animal 


Ulár 


» 


33 


» 


Variados 




Em 16 paginas 


Anjo 


Anjo 




Pag. 


U 


» 


Angélico 




» 


33 


» 


Espirito 


Rlâmar 


» 


203- 


Anniversario 


Anniversario 


Halo-tinan 


» 


34 


Anta 


Aló 


Sá-ida 


» 


26 


» 


Então 


Bá-sá 


» 


187 


Antigo 


Antigo 


Kleur 


» 


86 


Apas 


Apa 


Han 


m 


37 


Apito 


Apito 


Fui 


9 


39 


Aprende 


Aprender 


Aténe 


» 


41 


» 


Vários 




» 


97,100,170,251 


Apresenta 


Apresentar 


Hatudo 


» 


41 


» 


Comparecer 


Tatebân 


» 


116 


Arado 


Arado 




» 


43 Nunca houve 


Arame 


Arame 


Eabate 


'« 


43 


Arcabuz 


Arcabuz 


Kilate bote 


» 


43 


Arco 


Arco 


Kleu 


» 


44 


Argola 


Argola 


» 


]» 


44 


Armada 


Almirante 




» 


25 


Armari 


Almario 




» 


25 


» 


Ar m avio 




9 


45 


Arsenal 


Arsenal 




» 


48 


Arte 


Arte 


Badain 


» 


48 


Assiste 


Assistir 


Aiuda 


• 


52 Já radicado 


Atençã 


Applicaçâo 


Tau 


» 


40 


» 


Attenção 


Rona 


» 


56 


Atrevido 


Atrevido 


Ema aáte 


9 


56 


» 


Audaz 


u 


» 


57 


Auciliar 


Auxiliar 


Tulún 


» 


58 


Avisa 


Advertir 


Hanôrin 


» 


14 


» 


Prevenir 




» 


347 


Aviso 


Aviso 




U 


59 


Azeitona 


Oliveira 




» 


312 Não ha no país 


Bacalhau 


Bacalhau 




• 


60 


Bacia 


Alguidar 




» 


23 


m 


Bacia 




» 


61 


Báculo 


Báculo 




9 


61 


Baeta 


Baeta 




9 


61 


Bago 


Dente de alho 


Dan. Lis-asso 


» 


143 


Baioneta 


Baioneta 




1» 


62 


Baixa 


Baixa 


Kráik 


» 


62 i 




Balde 


Balde 


Knában 


» 


63 ' 




Baloa 


Baleia 




9 


63 




Banco 


Banco 


Adák 


» 


64 




Banda 


Banda 


Balun 


9 


64 




» 


Bandar 




9 


65 




Bandeira 


Bandeira 




9 


65 




Bandeja 


Bandeja 


Batík 


9 


65 




Bando 


Edital 


Bandú 


U 


170 Já radicado 





J 



!3 



PaUvra 


Significado 


CorrespondAnte 
em teto 


ObservaçSeB 


Baralha 


Baralhar 


Kahúl 


Pag. 66 


BaiTil 


Barrica 




. 67 


» 


Banil 




» 68 


Batalha 


Batalhão 


Bataian 


» 68 Já radicado 


Batina 


Batina 


Faro nailulik 


» 69 


» 


Roupeta 


Faro naruko 


» 380 


u 


Sotaina 


)> 


. 380 


Bença 


Bemdizer 


Ratak diak 


» 71 


» 


Benção 


Sarâui 


» 72 


Bendito 


Bemdito 


Kmánek 


» 71 


Bentinho 


Bentinho 




» 71 


Beringella 


Beringella 




. 71 


Bife 


Bife 




. 72 


Bilhete 


Bilhete 


Snratc kik 


. 73 


Binóculo 


Binóculo 




» 74 


Biscoito 


Biscoito 




. 74 


Bispado . 


Bispado 




» 345 


Bispo 


Bispo 


Nailulik-bote 


Em 8 paginas 


Bolaxa 


Bolacha 




Pag. 76 


Bolo 


Bolo 


• 


76 


Bolsa 


Algibeira 


Kakúluko 


»> 23 


» 


Bolsa 


Kóbe 


Env 6 paginas 


Bolso 


Bolso 


Tatéhí 


Pag. 76 


Bom 


Bom 


Diak 


» 77 


Bomba 


Bomba 


1 


» 77 


Boneca 


Boneca 


Feto bádak 


« 77 


Borla 


Borla 




» 78 


Bota 


Bota 




» 78 


Botija 


Botija 


Bótil 


» 79 Já radicado 


Breve 


Breve 




» 80 


Bulia 


Bulia 




» 81 


Bule 


Bule 


Dardón 


» 81 


Burro 


Burro 




» 82 Não ha no país 


Cabide 


Cabide 




» 84 


Cabo 


Cabo 




84 


Cabresto 


Cabresto 


Kabaressi 


» 84 


Cacatua 


Cacatua 


Kakáe 


» 84 


Cacau 


Cacau 




• 84 Não ha no país 


Cada 


Cada 




» 85 


Cadeia 


Corrente 


Héno 


» 85 


Cadeiado 


Cadeado 




Em 6 paginas 


Cadeira 


Cadeira 




Pag. 85 


Café 


Café 




» 86 


Cair 


Cair 


Mono 


» 87 


Cajus 


Caju 


Kaidii 


» 87 Já radicado 


Calis 


Cálix 




» 88 


» 


Vários 




Em 5 paginas 


Cama 


Berço 




Pag. 72 


j) 


Cama 


Fátik 


» 88 


» 


Thalamo 




» 406 


Camará 


Camará 




89 


Camarada 


Camarada 


Belo 


» 89 


Camello 


Camello 




» 89 Não ha no país 



24 



Palayrft 


SlRiiifleado 


CorrMpondente 
em teto 


Observasses 


Camisa 


Camisa 




Pag. 90 Nâo usam 


Camisola 


Camisola 




. 90 


Campainha 


Campainha 




90 


Campo 


Campo 


Rlés 


» 90 


» 


Labrego 


Ema bêik 


» 268 


Canafistula 


Canaiistula 


Krarás 


» 91 


Canapé 


Canapé 




» 91 


Candieiro 


Candieiro 


• 


» 91 


Canela 


Canella 




» 91 


Caneta 


Caneta 




» 91 


Cânfora 


Cânfora 




» 90 


Canivete 


Canivete 


Túdikkik 


» 91 


Cano 


Açude 




• 11 


» 


Canal 




• 91 


» 


Cano 




» 91 


Capa 


Capar 


Kôa 


» 93 


Capaz 


Sábio 


Matének 


• 93 


» 


Vários 




Em IB paginas 
Pag. 93 


Capella 


Capella 


Uma kreda 


» 


Ermida 


u 


• 192 


» 


Oratório 




» 314 


Capitan 


Capitão 




» 93 


Capote 


Encapotar-se 


Faro bote 


» 177 


Capricho 


Capricho 


Dekúr 


93 


Caridade 


Beneficência 


Diak 


71 


» 


Caridade 


Hadômi 


• 95 


Caril 


Caril 


Han 


. 95 


Caro 


Caro 


Dóben 


» 96 


Carreta 


Vários 




Em 11 paginas 


Caso 


» 




Pag. 98, 147, 151 


Castello 


Castello 


Kota 


» 99 


Castiçal 


Banqueta 


Bidin 


» 65, 99 


Castidade 


Castidade 




» 99 


» 


Impureza 


Aáte 


. 254 


Castigo 


Vários 


Ukún 


Em 8 paginas 


Catana 


Catana 


Súrik 


Pag. 100 


Catatua 


Catatua 


Kakáe 


» 99 


Cedo 


Cedo 


San 


« 101 


Cemiteri 


Cemitério 




» 102 


Centeio 


Seara 




!> 386 


Centopê 


Centopeia 


Láliân 


. 102 


Cepilha 


Cepilho 




» 102 


Cerimoni 


Cerimonia 


Knaál 


» 103 


» 


Rito 


Ukúr 


» 377 


Cerveja 


Cerveja 


Tua náran 


» 103 


Cha 


Chá 




» 104 


Chave 


Chave 




» 105 


» 


Vários 




>» 94, 105 


Chávena 


Chávena 




» 105 


Chicra 


Chicara 




» 105, 106 


China 


Vários 




» 77, 106, etc. 


Chocolate 


Chocolate 




» 107 


Chouriço 


Chouriço 


Surisso 


» 107 Já radicado 



25 



Paiftyra 


Si^niflcado 


Correspondente 
em teto 


ObiervaçSea 


/hristo 


Christo 


Maromak ôan 


Em muitas paginas 


ndadã 


Cidadão 




Pag. 108 


Cidade 


Cidade 




» 108 Não ha no país 


;ifra 


Cifra 




D 108 


Cifrão 


Cifrão 




n 108 


/igarro 


Cigarro 
Cilba 


Ranudo 


» 108 Já radicado 


Ulha 




. 108 


yintura 


Cinturão 


Futii kabúr 


» 109 


iJircular 


Circular 


Kabuál 


» 109 


!)Iima 


Clima 




* 110 


Coelho 


Coelho 




B 112 


yoentro 


Coentro 




» 112 


Ilofre 


Cofre 


Ossa-fatin 


» 112 


:olchâ 


Colchão 


Rarlúnt 


» 112 


Colchete 


Colchete 




» 112 Não se usa 


Collegio 


Vários 




» 113, 170, 368 


CJolete 


Collete 




» 103 


[Cominho 


Cominhos 




. 105 


Commandante 


Commandante ' 




n 105 


Comunffa 


Vários 




» 3, 116, 156 


Comunbã 


Communhão 


Halo-Nai Ma- 








romak 


» 65 


Comunidade 


Communidade 


Amaluko 


» 116 


Compaço 


Compasso 




» 116 


Compara 


Comparar 


Bádan 


. 116 


u 


Vários 




Em 5 paginas 


Comparaçâ 


Comparação 


Bádan 


Pag. 116 


Concelho 


Concelho 




« 118 


Conde 


Conde 




» 119 Não ha no país 


Condenado 


Réprobo 


Ema aáte 


» 379 


Confeça 


Confessar- se 




. 119 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Cónego 


Cónego 


Nailutik 


» 119 


Confeito 


Confeito 




» 119 


Confiança 


Confiança 


Tier 


« 119 


Conforme 


Conforme 


Simú 


» 120, 387 


Confraria 


Confraria 




« 120 


Consagra 


Dedicar 


Fó 


» 140 


Consagraçã 


Consagração 




» 121 


Conselho 


Vários 




Em 11 paginas 


Consinte 


Vários 


Térus 


Em 5 paginas 


Consola 


Consolar 


Haksôlok 


Pag. 122 


Cônsul 


Cônsul 




» 122 


Conta 


Vários 




Em 12 paginas 


Contas 


Rosário 




Pag. .379 


» 


Terço 




» 405 


Contente 


Alegrar-se 


Moo 


22 


» 


Vários 




Em 7 paginas 


Contra 


j> 




Em 21 paginas 


Contrato 


Ajuste 


Aknáuko 


Pag. 21 


» 


Vários 




Em 7 paginas 


Contra-vontadc 


Despeito 


Hírus 


Pag. 156 


Convento 


Educanda 




D 170 



26 



Palarra 


Signiíleado 


Coirefpoiídeate 
em teto 


1 

ObiervftçSes . 


Convite 


Convite 


Ténè 


Pag. 125 


1 


Copo 


Vários 




» 88, 126, 3?^2 




Copa 


Copa 




. 126 




Cor 


Cor 




» 126 


■ 
■ 


Coral 


Coral 


Mórten 


^ 126 


• 


Corneta 


Cometa 




» 127 




Coro 


Coro 




. 127 




Coroa 


Vários 




Em 7 paginas 




Coronel 


Coronel 




Pag. 127, 359 




Corrente 


Corrente 


Béssi-tali 


• 128 




Cortesia 


Cortesia 


Ukúr 


>» 130 




m 


Mesura 


Knaál 


• 293 




Cortina 


Cortina 




. 130 




Corveta 


(Jorveta 


Ró 


. 130 




Costumado 


Costumado 


Tóman 


» 130 




» 


Habituado 


» 


» 146 




Costume 


Vários 




Em 5 paginas 




Coxeiro 


Bolieiro 


Kuda ata 


Pag. 76 




Creado 


Vários 


Ata 


Em 4 paginas 




Creatura 


Criatura 


Hahálak 


Pag. 132 




Credito 


Credito 




» 132 KSo ha no 


pais 


Cruz 


Vários 




Em 10 paginas 




Cuida 


Cuidar 


Anôim 


Pag. 134 




Cuidado 


Cuidado 


Alodidiak 


B 134 




» 


Desvelo 


• 


« 158 




Culpa 


Vários 


Sala 


D 132, 134, 142 




Cumpre 


Cumprir 


Halo 


» 134 




» 


Infringir 


Lá halo 


• 258 




Cura 


Cura 


Bali 


» 134 




Custa 


Custar 


Tós 


• 135 




Custodi 


Custodia 




» 135 




Dar 


Favor 


Fó 


» 136 




Decreto 


Decretar 




» 140 




Dedal 


Dedal 




• 140 Não usam 




Degráo 


Degrau 


Heín 


» 141 




Demora 


Pausa 


Klêuro 


» 142, 325 




Desconfia 


Desconfiar 


Téan 


. 150 




Desconta 


Descontar 


Ha-sáe 


. 150 




Descubre 


Descobrir 


Lókè 


» 150 




Desculpa 


Escusa 


Haróhan 


» 197 




Desejo 


Desejo 


Hakárak 


» 151 




Desgosta 


Desgostar 


Keón sala 


. 154 




Desgraça 


Infortúnio 


Aáte 


» 144, 288 




Despacho 


Despacho 




» 156 




Despensa 


Vários 




Em 5 paginas 




Despeza 


Despesa 


Tós 


Pag. 157 




Despreza 


Vários 


Heu-uái 


Em 5 paginas 




Despreso 


Desdém 


u 


Pag. 151 




i> 


Desprezo 


» 


» 159 




Desterra 


Vários 


Fó lakón 


» 141, 145, 158 




Desterrado 


Desterrado 


1» 


» 158 




Desterro 


Degredo 


» 


» 141 




Determina 


Assinalar 


Ha-mêno 


» 51 





27 



PalftTrâ 


Significado 


Correspondente 
em |eto 


Observaçfiei 


[)eve 


Dever 


Hatussân 


Pag. 159 


3evoçâ 


Devoção 




. 160 


Diabo 


Vários 




Em 13 paginas 


Diauiante 


Diamante 


Fátuk laka 


Pag. 161 


Dicionari 


Diccionario 




» 161 


Divisa 


Divisa 




» 165 


Doce 


Doce 


Midel 


» 166, 352 


Docel 


Docel 




» 166 


Domingo 


Domingo 




» 167, 245, 350 


Dona 


Dona 


Nai-feto 


» 167 


Dormitori 


Camarata 




» 89 


» 


Dormitório 




» 168 


Dotor 


Vários 


Badaín 


Em 6 paginas 


Doutrina 


Catechese 




Pag. 100 


» 


Doutrinar 


Hanôrin 


» 168, 169 


Dragão 


Dragão 




« 169 


Dura 


Durar 


Kleur 


» 169, 244 


Duzi 


Dúzia 


Sanulo ressin 








rua 


B 169 


Eça 


Eça 




. 170 


Educaçâ 


Educação 




. 170 


Embaraça 


Embaraçou 


Uatáu 


D 172 


Empata 


Empatar 


1» 


» 174 


Emprego 


Vários 


Lákon 


Em 5 paginas 


Empresta 


Emprestar 


Fó 


Pag. 376 


Entende 


Entender 


Hatene 


^ 187 


Entendimento 


Entendimento 


» 


» 187 


Entrega 


Entregar 


Sara 


» 189 


Entrudo 


Carnaval 


1 


» 95 


Enxada 


Enxada 


Bessi kerai 


. 191 


Enxó 


Enxó 




» 191 


Enxofre 


Enxofre 




• 191 


» 


Sulfúreo 




» 398 


Epistula 


Epistola 


Surate 


» 192 


Erda 


Herdar 


Hétan 


. 247 


Ervilhas 


Ervilhas 




» 193 


Escaler 


Escaler 


Ró kik 


» 194 


Escândalo 


Escandalizar 


Tólok 


» 194 


Escapulari 


Escapulário 




» 194 


Escola 


Aula 


Uma anôri 


» 195 


Escolante 


Vários 




Em 9 paginas 


Escolta 


Escolta 




Pag. 196 


Escomunháo 


Anathema 




» 31 


Escova 


Escova 




. 196 


Escrivan 


Escrivão 




. 197 


Esmola 


Esmola 




» 199 


» 


Mendicante 


Ema kiak 


. 291 


Esperto 


Vários 


Maténèk 


Em 10 paginas 


Espirito 


Espirito 


Klâmár 


Pag. 203, 330 


Espital 


Vários 




. 26, 181, 249 


Espleta 


Espoleta 




D 203 


Explica 


Definir 


Haláken 


n 140 


Esplica 


Vários 


Kátâk 


Em 5 paginas 



28 











Palavra 


significado 


Coneapondejito 
em teu> 


ObserraçSes 


Estado 


Governo 




Pag. 242 


Estilo 


Estilo 


Ukúr 


» 207 


Estribo 


Vários 




• 209, 278 


Estrica 


Engomar 




» 183 


Estrondo 


Vários 


Balaim 


Em 14 paginas 


Estuda 


Estudar 


Hanôin 


Pag. 210 


Estudo 


Estudo 


Hanánun 


» 210 


Eternidade 


Eternidade 




» 210 


Eucharistia 


Angélico 




1» 33 


» 


Eucharistia 




» 211 


Evangelho 


Vários 




» 40, 211, 348 


Falso 


Vários 


Bôssôko 


» 267, 332, 406 


Falta 


Carecer 


Mukite 


» 218, 269, 330 


Fama 


Diffamar 




» 162 


Farol 


Farol 




» 219 


Favor 


Favor 


. 


» 220 


» 


Obsequio 




• 309 


Fechadura 


Fechadura 




» 222 


Feira 


Feira 


Bassár 


• 223 Já radicado 


Feriado 


Sueto 


Has sala 


» 398 


Festa 


Solemnidade 


Ksôlók 


. 225, 298 


u 


Vários 




Em 5 paginas 


Fiado 


Fiado 


Kábas 


Pag. 225 


Fiador 


Fiador 




» 225 


Figura 


Figura 


Oin 


» 226 


» 


Vários 




Em 8 paginas 


Filho 


Filho 


Oan 


Pag. 108 


Filtro 


Filtro 




» 226 


Fita 


Vários 


Tali 


Em 5 paginas 


Finta 


Tributar 




Pag. 414 


Fivelas 


Fivela 


Fiélas 


» 227 Já radicado 


Flanela 


Flanella 




» 227 


Força 


Vários 


Biite 


Em 7 paginas 


Forma 


Ala 




Pag. 21 


Forno 


Vários 


Tuno fati 


« 182, 230 


Forte 


Vários 


Kóta 


1 

Em 13 paginas 


Fortuna 


Vários 


Sórite 


Em 3 paginas. Já radi- 
cado 


Frade 


Frade 


Nailulik 


Pag. 230 


Fragata 


Fragata 


Ró bote 


• 230 


Franeez 


Franco 




. 231 


Frasco 


Vários 


Bótil 


» 78, 182,231 Já radi- 
cado 


Frasqueira 


Frasqueira 




Pag. 231 


Freio 


Vários 




» 152, 182, 231 


Freguezia 


Parochia 


Uma kreda 


» 322 


Frontal 


Frontal 




• 322 


Funil 


Afunilar 


Halo-klote 


« 17 


» 


Funil 


Kakúm mátan 


. 234 


Gaiola 


Gaiola 




» 236 


Gala 


Gala 




. 236 


Galã 


Galão 




> 236 


Galhcta 


Galheta 




. á36 



29 



Palavra 


Significado 


Correspondente 
em teto 


, Observações 


rargó 


Gorgoleta 


Dardón 


Pag. 241 Já radicado 




rasta 


Empregar 


Tos 


» 170,176 




raveta 


Gaveta 


* 


u 115, 239 




renebra 


Genebra 


Lamák 


» 239 




reneral 


General 




» 239 




rentio 


Vários 


Ema-fuík 


Em 6 paginas 




reraçâ 


Geração 




Pag. 240 




Gigante 


Agigantado 


Ema bote 


18 




rloria 


Gloria 




. 240 




70uia 


Engomar 


• 


. 183 




Tonilha 


Golilha 


Tronko 


» 241 Já radicado 




xorgoleta 


Vários 


Dardón 


» 73, 92, 241 




jroverno 


Governo 




• 242 




jrraça 


Graça 


Túlun 


» 242 




jl^raxa 


Engraxar 




» 183 




Grrude 


Betume 


Dámer 


» 72 




Gruarncce 


Guarnecer 


Afutár 


» 245 




Gvuia 


Guia 




» 245 




Gruisado 


Guisado 


Han 


» 246 




Gruiné 


Vários 




Em 5 paginas 




Imagem 


Pianha 


Hilas 


Pag. 326 




Império 


Imperador 




» 252 Nunca houve 




Importa 


Importar-se 


Klétak 


» 253, 257, 261 




Incenso 


Incenso 




• 254, 301 




Indigno 


Indigno 


Aáte 


» 257 




Indistâo 


Indigestão 


Tuan moras 


» 257 




Indulgenci 


Indulgência 




» 257 




Infante 


Infante 


Niirak 


»> 258 




Inferno 


Vários 


Rai-kidun 


Em 9 paginas 




Injustiça 


Injustiça 


Aáte 


Pag. 259 




Innocenei 


Innocencia 


La sálá 


» 259 




Inspiraçã 


Inspiraição 




» 260 


" 


Instante 


Instante 


Lais ôan 


. 260 




Instrumento 


Instrumento 




!> 260 




Intenta 


Tentar 


Hakárak 


•D 404 




Interprete 


Interprete 


Duro bá-sa 


>> 262 




Intriga 


Desacreditar 


LÔri-lia 


• 146 




Inveja 


Ciúme 


Hanessan 


» 109 




Istori 


Questão 


Lia 


»> 357 




M 


Vários 




Em 7 paginas 




Janella 


Vários 




Em 5 paginas 




Janta 


Banquete 


Han 


Pag. 65 




Jara 


Jarra 




» 266 




Jardim 


Jardim 


Klés fúnan 


» 266 




Jaro 


Jarro 




>, 266 




Jesus Christo 


Jesus Christo 


Marumak-ôan 


Em 29 paginas 




Jinela 


Janela 




Pag. 266 




Jinjun 


Vários 


Dindún 


» 15, 266 




Jogador 


Jogador 




» 266 




Jornal 


Gazeta 


• 


» 239 Nunca houve 




Juga 


Jogar 


Halimar 


» 266 




Juiz 


Vários 




n 70, 267 




Juízo 


Siso 


Néon 


Em 4 paginas 









30 




PaUTTA 


Sigaifleado 


Correipondente 
em teto 


Obiienraç8«e 


Jalga 


Julgar 


Dulka 


Pag. 267 Já radicado 


Jura 


Vários 




Em 5 paginas 


Juramento 


Juramento 


é 


Pag. 267, 347 


Juro 


Juro 




» 267 


JuBtiça 


Vários 




£m 7 paginas 
Pag. 356 


Keijo 


Queijo 




Kedtão 


Questão 


Lia 


» 357 


Ktnino 


Quinino 




» 358 


Kintal 


Vários 


Klés-kik 


w 266, 258 


Laço 


Laço 


Fafôáte 


. ?68 


Lacre 


Lacre 




» 268 


Ladainha 


Ladainha 




• 269 


Langosta 


Lagosta 


Knassè 


» 270 


Lampa 


Lâmpada 




. 270 


Lampiam 


Vários 




Em 5 paginas 


Lanxa 


Lancha 


Ró-ôan 


Pag. 271 


Lápis 


Lápis 




. 271 


Lata 


Lata 


Kalen 


» 271 


Leão 


Leão 




» 272 Não ha no país 


Lei 


Lei 




. 273 


Leia 


Leilão 


Biissár 


» 273 


T^enço 


Lenço 


£ua-suúte 


» 273 


Lençol 


Lençol 




» 273 


Letra 


Vários 




Em 7 paginas 


T^etra conta 


Algarismo 




Pag. 23 


Licença 


Vários 




Bm 7 paginas 


Limar 


Lima 




Pag. 276 


Linho 


Linho 


Fuka 


» 276 


Lirio 


Lirio 




. 277 


Lista 


Catalogo 




. 99, 277 


Livra 


Livrar 


SÔri 


» 277 


Livre 


Livre 


Issin-leéte 


. 277 


Livro 


Vários 




Em 10 paginas 


Lobo 


Lobo 




Pag. 277 Não ha no puís 


Logo 


Logo 


Orílae 


»> 278 


Lona 


Lona 




» 278 


Louça 


Louça 




» 278 


Luto 


Luto 




» 35 


Luva 


Luva 




» 280 


Machado 


Machado 


BaUún 


» 280 


Magestade 


Majestade 




» 281 


Major 


Maj'or 




» 283 


Mal 


Mal 


Aáte 


• 283 


Mala 


Mala 




» 283 


Malcreado 


Malcriado 


Oin kabôbil 


» 283 


Maldiçã 


Vários 




Em 5 paginas 


Mangaçâ 
Manha 


Vários 




Em 4 paginas 


Astúcia 


Kaba-kaba 


Pag. 53 


Mantéga 


Manteiga 


Bôkúr 


» 286 


Marca 


Vários 




» 224, 287 


Marfim 


Marfim 




« 287 


Maria Santíssima 


Maria Santíssima 




Em 8 paginas 


Marinheiro 


Gente do mar 


Ema- ró 


Pag. 240 



31 



Palavra 


•Signtficaéo 


Correspondente 
em teto 


Obsenraçõee 


íartello 


Vários 




Pag. 280, 288 


lar ti r 


Martyr 




» 288 


larxa 


Marcha 


Lan 


» 287 


[as 


Mas 


Máe 


» 288 


fatraca 


Matraca 


Ai krárika 


• 289 


faxila 


Maca 


Massila 


» 280 Já radicado 


leda 


Meda 


Bóii 


» 289 


iedallia 


Medalha 




» 290 


ledico 


Medico 




» 290 


tieias 


Peúgas 




» 336 Não usam 


ifleio 


Meio 


Naknótak 


» 290 


ileio dia 


Sesta 




» 391 


Meirinho 


Meirinho 




» 291 


Wercê 


Mercês 




• 292 


Vlerece 


Vários 




Em 5 paginas 


Mestre 


Vários 




Em 7 paginas 


Meza 


Vários 




Em 9 paginas 


Milagre 


Milagre 




Pag. 294 


Edilitar 


Militar 


Ema-fúnun 


» 295 


Ministro 


Ministro 




» 295 


Minuto 


Minuto 


Láis-ôan 


» 295 


Missa 


Missa 




Em 15 paginas 


Missa 


Missão 




Pag. 296 


Missal 


Estante 




» 206 


Misteri 


Mysterio 




D 302 


Mitra 


Mitra 




» 296 


Modéstia 


Immodesto 


Lá-diak 


» 251 


Moleiro 


Moleira 


/ 


» 297 


Momento 


Momento 


Lais-ôan 


» 298 


Mostarda 


Mostarda 


Sassabe 


» 300 


Mudo 


Gmmudecer 


Lá-atéteu 


» 174 


Multa 


Multar 




Em 6 paginas 


Mundo 


Mundo 




Pag. 302 


Munigã 


Munição 




. 301 


Musica 


Cantoria 


Anano 


92 


» 


Musica 




» 302 


Nabo 


Nabo 




» 302 


Naçã 


Nação 




» 302 


Natal 


Advento 




» 14 


» 


Natal 




» 304 


Nora 


Nora 




» 307 


Nossa Senhora 


Nossa Senhora 




» 269 


Nota 


Nota 




» 307 


Notice 


Noticia 


Lia 


» 307 


Numero 


Numero 


Sura 


» 308 


Obedece 


Cumprir 


Halo ktúír 


» 134 


» 


Vários 




Em 9 paginas 


Obediência 


Vários 




Pag. 309, 398 


Obriga 


Compellir 


Odi-biíte 


» 116 


» 


Vários 




Em 5 paginas 


Obrigaçã 


Cargo 




Pag. 95 


» 


Vários 




Em 13 paginas 


Obrigado 


Vários 




Em 5 paginas 



:52 



Palavr» 


SlgniflcAdo 


Corretpondento 
em teto 


Observações 


(jcasiã 


Occasião 




Pag. 310 


Óculo 


Óculo 




» 310 


Ofende 


Ofiender 


Tôlòk 


» 31) 


Oferece 


Oflferecer 


Fó 


w 311 


Oficial 


Marinha 




» 288 


» 


Official 


• 


• 283, 311 


Ofício 


Officio 




« 311 


Onra 


Honroso 


Diak 


» 248 


Opa 


Opa 




» 313 


Oração 


Catecbese 




> 100 


9 

» 


Vários 




£m 11 paginas 


Orde 


Preceito 




Pag. 314, 344 


Ordem 


Decreto 




• 140 


» 


Vários 




Elm 5 paginas 


Órgão 


Orgio 
Oalhandro 




Pag. 315 


Orinol 


Kússi 


» 88 


Ospital 


Orate 




» 314 


Ostia 


Consagrar 




. 121,249 


1» 


Vários 




£m 5 paginas 


Ostra 


Ostra 


Tíran 


Pag. 310 


Ourinol 


Bacio 


Kússi 


n 61 


Pâ 


Broa 


Han 


» 80 


m 


Vários 




Em 3 paginas 
Pag. 409 


Pabio 


Torcida 


Bauio 


Pacienci 


Paciência 




£m 4 paginas 


Padre 


Padre 


Nailulik 


Pag. 317, 330 


Padre nosso 


Padre nosso 




» 314 


Pagode 


Pagode 




» 77, 318 


Paiol 


Paiol 




» 318 


Palmatória 


Palmatória 




u 319 


Papa 


Papa 




Em 9 paginas 


Papo 


Papo 


Kakáluko 


Pag. 321 


Para 


Afim de 


Ató 


» 16 


Parabém 


Con^atular 




«» 121 


» 


Vários 




Em 3 paginas 


Paráça 


Praça 


Bassár 


Pag. 344 


Paráo 


Parau 


R6 


» 321 


Parente 


Affim 




» 15 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Parte 


Communicar 


Bálun 


Pag. 116 


» 


Vários 




Em 3 paginas 
Pag. 323 


Páscoa 


Páscoa 




Passe 


Passaporte 




» 324 


Passiar 


Passear 




» 324 


Pataca 


Pataca 


Ossa 


» 167, 325 


Patarata 


Basofio 


Lôkò 


» 69 Já radicado 


» 


Vários 




Em 8 paginas 


Patena 


Patena 


1 
1 


Pag. 325 


Pato 


Pato 




» 325 


Pátria 


Pátria 




» 325 


Patriarcba 


Patriarcba 




• 325 


Patrono 


Patrono 


Sôri 


■ . 325 


Paz 


Paz 


Dâme 


, >» 317,326 



3â 



Palavra 


Significado 


Correspondente 
em teto 


Observações 


cça 


Vários 




£m 4 paginas 


ecado 


Adulterar 


Sala 


Pag. 13 


» 


Vários 




£m 8 paginas 


elo sinal 


Benzer-se 




Pag. 72 


ena 


Aparo 




38 


enitenci 


Affliçâo 




» 15 


n 


Vários 


• 


Em 9 paginas 


erdíl 


Accusar-se 




Pag. 8 


•erdã ^ 


Vários 




Em 9 paginas 


^erdiçã 


Perdição 




Pag. 331 


^erdido 


Bandarra 


Aáte 


» 65 


» 


Vários 




Em 6 paginas 


^erdoa 


Clemência 


Diak 


Pag. 110 


» 


Vários 




Em 7 paginas 


*erdua 


Perdoar 




Pag. 330, 331 


*ertence 


Pertencer 




» 333 


*e8te 


Peste 




M 334 


>ia 


Pia 




» 335 


>ia 


Peão 


Luro 


n 335 


Pico 


Pico 




» 335 


Piloto 


Piloto 




» 335 


Pimenta 


Pimenta 


Ai manas 


» 335 


?inta 


Pinta 


Tádan 


» 336 


Pires 


Pires 


Bikan klk 


» 336 


Pistola 


Pistola 


Kiláte-kik 


» 336 


Plantãçâ 


Plantação 


Ai kúda 


» 337 


Pelica 


Policia 




» 338 


Polvarinho 


Polvarinho 




» 338 


Pomba 


Pomba 




» 339 


Ponte 


Ponte 


lambáta 


» 339 Já radicado 


Ponto 


Ponto 


Haksôite 


» 339 


Portuguez 


Aportuguesar 




« 39 


» 


Vários 




Em 3 paginas 


Posto 


Posto 




Pag. 343 


Povos 


Povo 


Ema 


. 347, 340 


Praga 


Praga 




>» 344 


Pratica 


Pratica 




B 344 


Preço 


Preço 


Fólin 


» 345 


Precisa 


Dever-se 




» 159 


Preciso 


Vários 




Em 10 paginas 


» 


Precisar 




Pag. 344 


Prega 


Affixar 




» 15 


» 


Pregar 




» 345 


Prégaçâ 


Discurso 


Hatéten 


» 163 


Prego 


Prego 


Kussân 


» 345 


Premi 


Galardão 




« 236 


1 


Vários 




Em 5 paginas 


*rende 


Prender 




Pag. 346 


^repara 


Preparar 




» 346 


*resente 


Dadiva 


Sauáte 


» 135 Já radicado 


[ . 


Vários 




Em 3 paginas 


Presidente 


Presidente 




Pag. 346 


Processo 


Processo 




» 346 



3 



l 



34 



PaUTra 


Bigniíleaçlo 


Coiretpondente 
em teto 


Obfervmçòea 


Procissão 


Pr o. isijâo 




Pag. 349 


Procuraçã 


Procuração 




• 349 


Procurador 


Agente 




. 18 


Pi'ouies»a 


Promessa 




. 350 


Pronto 


Aprestar 


LdlaÍB 


• 41 


1» 


Vários 




Em 8 paginas 


Propi 


Próprio 




Pag. 351 


Proposta 


Propor 


Lia 


. 351 


Protestante 


Protestante 




» 351 


Protesto 


Protesto 




. 351 


Província 


Província 




• 352 


Pudin 


Pudim 




• 352 


Palpito 


Cadeira 




» 86, 353 


Purga 


Soltar ventre 




> 395 


Purgatório 


Alma 




25 


» 


Vários 




£m 3 paginas 


Purso 


Coragem 


Biite 


Pag. 126 


Quando 


Quando 


Bai-hira 


» 354 


Quaresma 


Quaresma 




» 156, 855 


Quartel 


Caserna 




. 9S 


Quarto 


Camará 




» 89 


• 


Vários 




Em 5 paginas 


Queijo 


Ácaro 




Pag. 7 


Quintal 


Cerca 


Kles-kik 


» 102 


Rabeca 


Rabeca 




• 358 


Recado 


Vários 




» 363, 364 


Recibo 


Recibo 




» 364 


Rede 


Rede 


Kláhate 


» 365 


Reformado 


Aposentado 




tt 39 


• 


Vários 




Em 3 paginas 


Regente 


Regente 


Nai alúu 


Pag. 367 


Registo 


Registo 




» 367 


Regoa 


Régua 




» 367 


Regra 


Regra 




» 367 


Reino 


Reino 




Em 11 paginas 


Relaçâ 


Relação 




Pag. 368 


Religiâ 


Apostatar 




» 40 


» 


Vários 




Em 8 paginas 


Religião 


Religioso 




Pag. 369 


Relojo 


Ampulheta 




• 31 


» 


Vários 




Em 5 paginas 


Eekerimento 


Requerer 


Hússu 


Pag. 372 


Remata 


Acabar 


Hôto 


. 5 


Renda 


Renda 




» 370 


Renova 


Renovar 


*• 


» 870 


Repike 


Repique 




» 371 


Reposta 


Resposta 




.373 


Reprova 


Reprovar 




. 372 


Retiro 


Retiro 




» 374 


Retrato 


Effigie 


lias 


» 170 


» 


Retrato 


9 


«» 375 


Respeito 


Desacatar 




» 146 


» 


Respeito 




. 373 



35 



Palavra 


Significado 


Correspondente 
em teto 


ObservaçSes 


Responsável 


Responsável 




Pag. 373 


Reunião 


Reunião 




. 375 


Reza 


Vários 


• 


Em 5 paginas 


Reza 


Absurdo 




Pag. 5 


1» 


Vários 




Em 4 paginas 


Rezina 


Enresinar 




Pag. 185 


Rico 


Opulento 
Ala 




» 314 


Kisea 




» 21 


» 


Vários 


• 


Em 4 paginas 


Roda 


Carril 




Pag. 97 


Ronda 


Ronda 




» 379 


Rosca 


Rosca 




» 379 


Roupa 


Enroupar 


Faro 


» 186 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Rosa 


Rosa 


Fúnan 


Pag. 379 


Rosário 


Rosário 




» 379 


u 


Terço 




» 405 


Rude 


Rude 


Aáte 


» 380 


Rufo 


Rufo 




» 380 


Rupia 


Rupia 


Ossa 


» 381 


Sabã 


Sabão 




» 381 


Sábado 


Sabbado 




. 381,388 


Sacarolha 


Saea-rolhas 




» 382 


Sacramento 


Sacramento 




Em 4 paginas 


Sacrari 


Sacrário 




Pag. 188 


Sacrifício 


Sacrifício 




» 382 


Sacrilégio 
Sacristã 


Sacrilégio 




» 382 


Sacristão 




. 382 


Sacristia 


Sacristia 




» 382 


Sala 


Sala 




» 383 


Salada 


Salada 




» 383 


Salsa 


Salsa 




» 384 


Salva 


Salva 




» 384 


Salvação 


Salvação 




» 384 


Salvador 


Salvador 




» 384 


Salvo 


Salvo 




» 384 


Sangra 


Sangrar 




» 384 


Santa Cruz 


Santa Cruz 




» 102,392 


Santissirno 


Santissimo 




Em 4 paginas 


Santissimo Sacra- 


Santissimo Sacra- 




Em 4 paginas 


mento 


mento 






Santo 


Advogado 


Sôri 


Pag. 14 


j> 


Vários 




Em 8 paginas 


Sapateiro 


Sapateiro 




Pag. 385 


Sapato 


Sapato 




» 385 Não usam 


Sardinha 


Sardinha 


Ikan 


» 385 


Sargento 


Sargento 




» 385 


Saúda 


Saudar 




» 886 


Saúde 


Brindar 




» 80 


Secreta 


Secreta 


Lakló 


» 387 


Secretaria 


Secretaria 




• 387 


Secretario 


Secretario 




» 387 


Segundo 


Segundo 




» 387 



3(> 



! 

Palavra 


Significado 


Correspondente 
em teto 


Ob»enraçõe« 


Sela 


Sella ' 




Pag. 388 


Selo 


Séllo 




^ 388 


Sello 


Estampilha 




» 206 


Semana 


Advento 




1» 14 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Semana Santa 


Semana Santa 




Pag. 377 


Seminário 


Seminário 




• 388 


Sentença 


Sentença 




» 389 


Sentido 


Alerta 




» 22 


» 


Vários 




Em 9 paginas 


Sentinella 


Sentinella 




Pag. 389 


Sinte 


Sentir 


Hadômi 


» 389 


» 


Vários 




« 176, 252, 289 


Seri 


Sisudo 


Maténèk 


. 392 


Sermão 


Sermão 




» 390 


Servente 


Servente 


Ata 


» 391 


Serviço 


Trabalho 




» 410 


» 


Vários 




Em 20 paginas 


Significa 
Silenci 


Significar 


Kátâk 


Pag. 392 


Silencio 


Nonôko 


. 392 


Sinal 


Cedilha 




» 101 


» 


Vários 




Em 7 paginas 


Sino 


Badalar 




Pag. 61 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Sirve 


Servir 




Pag. 391 


Soberba 


Amor próprio 




» 26,30 


Soberbo 


Altivo 


Aáte 


» 26, 186 


Sobre escripto 


Sobrescrito 




1. 394 


Sobre mesa 


Sobremesa 




» 393 


Sobrinho 


Sobrinho 


Mâne-fónun 


» 394 


Socegado 


Desassocegar 




» 148 


Sociedade 


Sociedade 


Sússi 


» 394 


Sofre 


Comporta 




D 177, 329 


» 


Soffrer 


Térus 


- 394 


Soldada 


Soldada 


Sêlo-kole 


» 395 


Soldado 


Vários 


Ema fónun 


Em 21 paginas 


Sombreiro 


Chapéu 




Pag. 105 


» 


Vários 




» 345, 396 


Sopa 


Sopa 


Sássôro 


. 396 


Succede 


Acontecer 




» 10 


» 


Vários 




Em 9 paginas 


Superior 


Superior 


Ema bote 


Pag. 399 


Sumo Pontífice 


Summo Pontífice 




Em 3 paginas 


Suspende 


Suspender 


Tara 


Pag. 399 


Tabaco 


Tabaco 




» 361, 400 


Taco 


Buxa 




» 81 


Talento 


Talento 


Maténèk 


» 401 


Talher 


Talher 




» 401 


Tapete 


Alcatifa 




» 22 


Tarde 


Tarde 




w 402 


Taxo 


Tacho 


Tasso 


» 401 Já radicado 


Tempo 


Bonança 




« 77 


» 


Vários 




Em 19 paginas 



37 



Palavrft 


Significado 


Correspondente 
em teto 


Observações 


Teuipra 


Tempero 


Búdu 


Pag. 403, 404 


Tenda 


Abarracamento 




2 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Tenente 


Tenente 




Em 3 paginas 


Tenta 


Tentar 




Pag. 404 


Tentaçâ 


Tentação 




» 404 


Terço 


Rosário 




» 370 


» 


Terço 




» 405 


Terrina 


Terrina 




V 405 


Testamento 


Testamento 




» 406 


Throno 


Enthrouizar 




» 190 


Tia 


Tia 


Inan klaran 


» 406 


Tigre 


Tigre 




» 406 Não ha no país 


Tinta 


Pintar 




. 336 


» 


Tinta 




» 407 


Tio 


Tio 


Aman klaran 


» 407 


Tiras 


Fita 




» 227 


Tiro 


Tiro 




» 407 


Tiro peça 


Canhonhada 




» 91 


Toalha 


Toalha 




» 408 


Tomate 


Tomate 


Faí-mátak 


» 409 


Torcida 


Torcida 


Báuío 


» 409 


Torre 


Campanário 




90 


» 


Torre 




» 410 


Traiçáo 


Trahir 




» 411 


Trata 


Insultar 




»» 260 


a 


Vários 




Em 4 paginas 


Tratamento 


Tratamento 




Pag. 412 


Tribunal 


Juízo 




. 267 


Trigo 


Seara 


Toós-fúin 


» 386 ^ 


» 


Vários 




Em 5 paginas 


Triste 


Entristecer 


Anôi 


Pag. 190 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Trombeta 


Trombeta 




Pag. 405 


Tronco 


Prisão 




Do dialecto de Macau 


Trono 


Throno 




Pag. 406 


Tropa 


Tropa 




» 213, 415 


Trucar 


Cambiar 


Seluko 


» 89 


Tumba 


Caixão 




» 87, 204, 224 


Turapa 


Ataúde 




D 54 


Uniforme 


Fardamento 




» 219 


Uvas 


Vários 




Em 7 paginas 
Pag. 417 


Uzo 


Uso 




Vacina 


Vacinar 




» 418 


Vapor 


Vapor 
Balcão 




» 419 


Varanda 




62 


» 


Galeria 


Téte henko 


1» 236 


» 


Varanda 


» 


» 419 


Vassalo 


Subjugar 


Manam 


» 397 


» 


Vários 




Em 4 paginas 


Vazo 


Vasa 




Pag. 420 


Veo 


Veu 




» 422 


Venera 


Venerar 


Hakruúko 


» 421 



38 



Pftlavra 


Significftdo 


Correspondente 
em teto 


ObiervaçSes 


Verniz 


Verniz 




Pag. 423 


Verónica 


Medalha 




» 290 


» 


Verónica 




» 423 


Verruma 


Verruma 




B 249, 423 


Verso* 


Verso 




» 423 


Véspera 


Véspera 


Lóraik 


. 423 


Vidro 


Envidraçar 




» 191 


» 


Vários 




• 425 


Vigário 


Cura 


Nailulik 


» 134 


u 


Vario» 




Em 4 paginas 


Villa 


Villa 


Knúa 


Pag. 426 


Vintém 


Avo 




Õ9 


» 


Vários 




Em 3 paginas 


Viola 


Viola 




Pag. 426 


Virtude 


Fé 




» 222 


» 


Vários 




Em 3 paginas 


Vizinho 


Vizinho 


Malnko 


Pag. 125, 428 


Vizita 


Visitar 




«> 427 


Vitoria 


Victoria 


Mánân 


» 425 


Viva 


Viva 


Biba 


» 428 Já radicado 


Vontade 


Appetite 


Akárâk 


» 40 


» 


Vários 




Em 10 paginas 


Voto 


Voto 


Boto 


Pag. 429 Já radicado 


Xicra 


Pires 




» 336 


Zelador 


Zelador 


ê 


» 431 


Zinco 


Zinco 


Kálen 


n 431 



Collecção de phrases e circumioquios coordenados 
do Diccionario português-tétum, com a orthographia do mesmo 



w 

A.ate liu — Da pelle do diabo 

àban bai rúa — De hoje em deante; de 
ora em deante ; desde agora. 

Açac óda mátan — Abrir a porta. 

Aço bóote áin náruco — Galgo. 

Aço bóote hein bibi — Cão de gado. 

Aço haténo récin lá táta — Cào que la- 
dra Dâo morde. 

Aço nacsóloc ema — Embaraçar- se um 
cão pela gente. 

Aço nari récin la táta — Cão que ladra 
não morde. 

Ahi ha lácon — Abrasar 

Ahi nâ látun — Murrâo. 

Ahi ôan lilin bóote — Círio. 

Ahi báluco ôan — Acfha. 

Ai bálun ki^ec hakérec — Carteira. 

Ai cfúçu méçac — Falar em nome de 
outros. 

Ai cnanôic hac fúdie — Conto. 

Ai cnanôic la lós — Conto ; novella. 

Ai déroc láran — Limoal. 

Ai dila tuco fúan — Marmello. 

Ai dila tuco hun — Marmelleiro. 

Ai fúan láran — Pomar. 

Ai fúan séluco máran — Passa. 

Ai fúan tóos — Pomar. 

Ai fúnan ki^ec — Florinha. 

Ai fúnan ruma hamútuco — Ramalhete. 

Ai háçan méçac — Compilar, pag. 116 ; 
o que fala em nome de outros, pag. 
218. 

Ai ida iha cuda lúhan hodi kéta cuda — 
Baia. 

Ai ida nia cúlite iha taci bálun — Cor- 
tiça. 

Ai lá na fúan — Arvore que ainda não 
dá fruto. 

Ai láran állas — Floresta. 

Ai láran métin — Floresta ; mata ; ma- 
tagal. 

Ai lárani métin nia — Selvático. 

Ai ló^oco fúan — Maçã de Timor. 

Ai manas di^ac — Gengibre. 

Ai manas ki'ec — Malagueta. 

Ai mano harâni bá — Gallinheiro; po- 
leiro. 

Ai mano tur bá — Gallinheiro ; poleiro. 

Ai meie icin — Garfada. 



Ai móruco áto múta — Vomitório. 

Ai móruco lá iha — Nao haver remédio, 
pag. 369 ; não ter appellaçâo nem ag- 
gravo, pag. 40. 

Ain cábum nacsá^ec — Caimbra. 

Ain nia láran — Âmago. 

Ain kélen naceá^ec — Caimbra. 

Ain BÚcate rihnn ida — Milha, pag. 294. 

Ai saçúcáte hódi túni hanéçan — Ea- 
soura. 
i Ai saçúco icin — Garfada. 

Ai suco icin — Garfada. 

Ai suórun méçac — Falar em nome de 
outros. 

Ai tanútuco fálun — Maço. 

Ai tanútuco ki*ec — Macete. 

Ai tatúuco nacôno ôna — Cerrar a abo- 
bada das culpas. 

Ai tjatúuco tó'o ôna — Tdem. 

Ai tômac ato halo uma — Madeira- 
mento. 

Ai uén súno — Pez. 

Alin máun cadúac — Irmãos gémeos. 

Alin máun hadômi málu — Fraterni- 
dade. 

Alin máun sarâni — O afilhado e os fi- 
lhos do padrinho. 

Alin ôan ki^ec — Irmãozinho. 

Aman ho inan mate nadére — Os pães 
que morrem deixando filhos peque- 
nos. 

Aman ho inan sjra náin rua — Casal. 

Aman túac — O mais velho. 

Aman túac ála súçu — Bisavô materno. 

Ami ho sira — Nós com elles. 

Ami nia — Padre nosso. 

An dadél san — Amanha de manhã 

cedo. 
Ande — Não sei. 

Anin ho údan — O vento mais a chuva. 
Anin ho údan bóote — Tempestade. 
Anin la iha mate — Morrer aqphixiado. 
An sei mai sacirin tômac — Amanha é 

preciso virem todos. 
An nai rua — De hoje em deante ; de 

ora em deante; desde agora. 
Ato búlac — Bater com a cabeça pelas 

paredes. 
Ato halimar dê4te ■— Por graça. 
Ato halo sá — Para que. 
Ato ha sáe icin manas — Febrífugo. 



40 



Ato mate — O ultimo suspiro. 

Ato muta — Estar com ânsias. 

Ato rai mina sarâni — Ambula. 

Ato sáe — Andar para sair. 

Ato sáe la clêur — Estar com o pé 



no ar. 



Bá^an bá rai — Cair em terra por si. 

Babérac áto hála búate ruma — Delibe- 
berar fazer alguma cousa. 

Babilácan — Andar de parte para parte 
sem parar. 

Babúal loto bárè bun — Melão. 

Baça — Pregar um bofetão, pag. 345. 

Baça dála ida — Dar uma bofetada, 
pag. 76. 

Baça ema ruma — Cruzar a cara a al- 
guém. 

Baça ema ruma nia ôin — Assentar 
uma bofetada na cara de alguém. 

Baça icin ida, rua — Dar uma, duas 
palmadas. ' 

Baça iba cnóruco — CacbaçSlo. 

Baco baço tó^o lima cole — Zurzir até 
mais nSo. 

Baco cótuco — Para trás. 

Baco ema ruma — Assentar as costu- 
ras; chegar a roupa ao coiro a al- 
guém. 

Baco hodi ái — Dar com um pau. 

Baco ládi^ac ema ruma — Sacudir o pó 
a alguém. 

Baco ládi^ac halo ran sáe — Fazer san- 
gue. 

Baco ládi^ac tohar cótuco — Desancar. 

Baco tohar cótuco — Derrear. 

Badáin áto halo búate ruma -^ Ter 
queda para fazer alguma cousa. 

Badáin nia béci tômac — Ferramenta. 

Bá dê'ite iha fatin ida — Convergir. 

Bá halo fúnun — Sair á campanha. 

Bá hârè nia cala mai ôna — Vae yer^ 
talvez elle já viesse. 

Ba bira — A que hora. 

Ba hira sóça cuda né^e ? Quanto custou 
este cavallo? Por quanto comprou 
este cavallo. 

Bá ho Marômac — Vá com Deus. 

Bá boto n6'e — Vamos acabar isto. 

Bá iha fátin di^ac né^e bé la iha ânin, la 
iha malirin, la iha údan — Abrigar- 
se, pag. 4. 

Ba iha fatin ida dê^íte — Affluir. 

Ba iha fatin ruma — Dar comsigo em 
algum legar, p^g. 138 ; Occorrer, 
pag. 310. 



Ba iha séluco nia fatin — Succeder. 

Bá iha uma — Ir a casa. 

Bá lalais nú^u né^e — NSo vás tâo d^ 

pressa. 
Bá lalais téki lalais mai — Vae num ^ 

e vem no outro, pag. 263. 
Bá lalais tekis lais mai — Idem, pat 

426. 
Bá lós umacreda — Ir dar á Igreja. 
Bá mono iha umacreda — Idem. 
Bani uma iha taci bálun — Colmeia. 
Ba ôna ou — Adeus. 
Bárac liu — Uma boa dose. i 

Bárac sira nia — Commum, pag. IIJ: 

privativo, pag. 349. 
Ba sá né^e dúni — Pois que. 
Bátar fúlin néhan mônuco — Espiga de 

milho não grada, pag. 202. 
Bátar mano còhe — Milho já um poucc 

crescido, pag. 295. 
Bátar mano cóhen — Grelo de milho jí 

grande, pag. 244. \ 

Bá teki tekil — Ir em bolandas. 
Bá tinan rua — Biennal. 
Bá tóba ôna — Vae deitar-se. 
Bá úluco — Ir a deante. 
Bá uma — Ir a casa. 
Béci bá lúhan — Apriscar com corda. 
Bécic bá^u nia uma — Perto da minlia 

casa. 
Bécic mota — A beira do rio. 
Bécic rai — Perto de terra. 
Béci hódi haráte rai — Sacho. 
Béci hódi ha sáe cnàlan — Saca-rolhns 
Béci hódi ha sáe súlan — Idem. 
Béci hódi ké'e rai — Enxada. 
Béci lacúuco ato fókite néhan — Boti 

cão, pag. 79. 
Béci sôna úti — Ferrão de insecto. 
Bé copo ida — Um copo de agua. 
Bêic la hatén búate ida — Não distin- 
guir o preto do branco, pag. 79 ; não 

saber onde tem a cara, pag. 93. 
Bei ôan feto — Neta. 
Bei ôan mane — Neto. 
Beis ato hahóris — Ter a barriga á boca. 
Beis ato hála — Estar para fazer. 
Beis ato mate — Agonia, pag. 18; em 

artigo de morte, pag. 49 ; estar sem 

fala, pag. 217 ; chegar a sua hora. 

pag. 248 ; ás portas da morte, pag. 

342; próximo a morrer. 
Beis ato mono — Imminente. 
Beis áto múta — Náusea. 
Beis ato sáe — Estar de partida ; estâr 

com o pé no estribo, pag. 209. 
Beis ato sáe ato láe — Estar com c p^ 

no estribo. 



41 



keis ato táa — Imminente. 

Jcis tinan ida — Vae para um anno. 

lei túac 8ÚÇU — Bisavô materno. 

)é kidun lilu — Fundo de conchas. 

ié kidun meça fátuco — Fundo de pe- 
dras. 

Sé kidun táhu mólen — Fundo de lodo. 

3éle hala búate tômac — Omnipotente. 

Belo didi^ae ho ema ruma — Ser unha 
com a carne de alguém. 

Be mota halo fáhi cacúluco — Corrente 
de agua da ribeira. 

Bíbi malai ata — Ovelheiro, pag. 317; 
pastor de ovelhas, pag. 325. 

Bíbi malái fnlum — Lã. 

Bíbi malái inan — Ovelha. 

Bíbi malái lúhan — Ovil. 

Bíbi malái nia lia — Balato. 

Bibi malái ôan — Cordeiro. 

Bíbi riiça dicul — Armação de veado. 

Bíbi riíça ínan — Corça. 

Bíbi ruça lúbun — Manada de veados. 

Bíbi ruça uá4n — Manada de veados. 

Bier lae — Espera, não faças isso. 

Bíite iha clamar — Constância. 

Bíite Ia iha ato déhan búate ruma — 
Não ter cara para dizer cousa alguma. 

Bin áliu ôan ki^éc — Irmanzinha' 

Bocáe ai hã — Comedoria. 

Bócur bóote ôna — Nutrido, pag. 308. 

B<)cur liu récin — Não caber na pelle 
de gordo. 

Bó'oc ai sôurin — Arramalhar. 

Bôtobôto hatéten habôtuco — Cochi- 
char. 

Bôtu bôtu ema ruma — Cortar um ves- 
tido a alguém, pag. 120. 

Buan ba rai — Dar com o corpo em 
terra ; dar comsigo no chão. 

Búate áate sucede -^ Adversidade. 

Búate abbade nia — Abbaeial. 

Búate ato hadi^ac — Ornamento. 

Búate ato ha sáe bé — Bomba. 

Búate béle cair hóliman — Maneiro. 

Búate bó*oc icin nú^udar mâné ida — Au- 
tómato. 

Búate di*ac liu — Cousa de alto bordo, 
pag. 78. 

Búate ema béle hatén — Intelligivel. 

Búate ema fá^an — Mercadoria, pag. 292. 

Búate ema fó — Prenda. 

Búate ema móe ato déhan — Cousas ver- 
gonhosas. 

Búate ema móe ato halo — Idem. 

Búate ema ná^uco — Furto ; roubo. 

Búate ema sóça — Mercadoria, pag. 292. 

Búate hakérec iha cráic — Infra escrito. 

Búate halo hamenáça — Alegre. 



Búate halo láran sá^e — Enjoativo. 

Búate hanéçan hó áin fátin — Aboti- 
nado. 

Búate hodi baço — Açoute. 

Búate hó dícul — Cornudo. 

Búate hódi móris — 'Indispensável ; cou- 
sa indispensável á vida, pag. 257. 

Búate hó liras iha áin — Alipede. 

Búate hôto Marumac ha kí'ac — Natu- 
reza. 

Búate hôuri úluco — Antepassado. 

Búate ida meça deite — Individuo. 

Búate ida nain — Dono de uma cousa. 

Búate iha ái tárac uá4n — Espinhoso. 

Búate iha bárac — Abundante. 

Búate iha clamar — Animoso. 

Búate iha fúlin — Espigado. 

Búate iha kíkite — Escamoso. 

Búate iha liras — Alado. 

Búate iha néhan — Dentado. 

Búate iha ôin séluco — DiflFerente. 

Búate iha sôurin — Collateral. 

Búate iha sôurin rua — Bilateral. 

Búate iha uá4n — Abundante. 

Búate iha úlar — Bichoso. 

Búate la béle heli — Incontestável. 

Búate lae uále búate ida — Aéreo, 
pag. 14. 

Búate la iha róhan — Despontado. 

Búate la uále búate ida — Bagatella, 
pag. 61; cácarácá, pag. 84; faúlh», 
pag. 220 ; frioleira, pag. 232 ; insigni- 
ficante, pag. 260 ; ninharia, pag. 306. 

Búate meça táhu — Barroso. 

Búate nanéçan hó ai sórum — Aforqui- 
Ihado. 

Búate né'e ato hódi hála sá — Para que 
é isto. 

Búate né'c bé hódi cmúracméan — Au- 
rífero, pag. 57. 

Búate né^e bé iha cmúrac méan — Idem. 

Búate ué'e bé ita admira — Admirável. 

Búate né'e bé ita béle hadômi — Amá- 
vel. 

Búate né'e bé túlun — Auxiliar. 

Búate né'e cátac sá — Como se entende 
isso. 

Búate né'e di'ac é lae — Essa cousa é 
boa ou m.á. 

Búate né*e la béle — Isto nâoleva geito. 

Búate né'e la caláuco — Não bulas 
nisso ; isto não é brincadeira, pag. 80. 

Búate né'e lálica — Escusa-se isto, pag. 
197 ; esta cousa é desnecessária, pag. 
156. 

Búate né'e náton — Isto já chega. 

Búate né'e han nia — Essa cousa é mi- 
nha. 



42 



Búate né^e sá ida — O que é isto. 
Búate né^e sé nia — De quem é isto. 
Búate nia fatin — Substituir. 
Búate nú^udar cádeli — Annullar. 
Búate rai clâran — Mundano. 
Búate ruma eontra^rezã — Absurdo. 
Búate ruma di^ac — Fazer conta com 

alguma cousa, pag. 123. 
Búate ruma hó ráihênec — Areeiro. 
Búate taci báiun — Europeu. 
Búate tÓ8 ato fier — Incrivel. 
Búate tos ato háten — Incomprehensi- 

vel. 
Búbu halo táçac — Inflammação. 
Búça áman òan — Gatinho. 
Búca búate ruma — Andar em cata de 

alguém. 
Búça hó láran métin — Afanar. 
Búça inan ôan — Gatinho. 
Búça naclúhas nametáuco ué namáta — 

Gato escaldado de agua fria tem 

medo, pag. 239. 
Búlac sira nia uma — Casa de orates. 
Búti cácôroc — Apertar com as mãos. 
Búti cárac — Apertar as guelas. 



C 



Cáben iha umacreda — Casar. 

Cáben ôna dala rua — Passar a segun- 
das núpcias. 

Cábun úlun moras — Cólica. 

Cabúra kéça métan — Feto, pag. 225. 

Caço ema ruma — Apear alguém do seu 
emprego ; dar baixa a alguém. 

Caço nia a bá — Abdicar em alguém. 

Caço nia iha ema ruma — Abdicar em 
alguém. 

Cácun mátan — Unhas de fome. 

Cáhul bé hó tua — Baptisar o vinho. 

Cáhul hó tua — Avinhado. 

Cair búate ruma — Deitar a mSo a al- 
guma cousa, pag. 141 ; pegar em al- 
guma cousa, pag. 327. 

Cair ema ruma — Pegar em alguém. 

Cair halo áate — Amarrotar. 

Cair hó ibun — Abocar. 

Cair hó liman — Empalmar. 

Cair metin hódi béci cácá4c cai — Afer- 
rar. 

Cair ulo hóris — Aprisionar. 

Cakitin nandi clâran liurki — Caixa e 
bandeira levantada, e o rei no meio. 

Cálan liu ôna — Ser de dia. 

Caléuco ôin nacúcun — Vertigem. 

Calóhan táca laléhan — Cerrar-se o 
céu. 



en 



Calóhan taça lóro halo nacucura— Ado 

viar. 
Calóhan táca nacúcun — Ennuvear. 
Cánec béle fó mote — Ferida mortal. 
Cánec bóote iha cúda cótuco — Mati 

dura. 
Cánec di'ac ôna — Cicatriz. 
Cánec fila bá fóloc — Gangrenar-se 
Cánec ôan iha ibun láran — Aphta. 
Cánec sae fóloc — Gangrenar. 
Cárac tem lá fó búate ida — Não da 

uma sede de agua. 
Caráu âman ténan — Búfalo de grande 

cornos. 
Caráu ida loer icun — Um búfalo ar 

rasta a cauda pelo chão. 
Caráu uáca âman fónun — Novilho. 
Caráu uáca ata — Boieiro. 
Caráu uáca cúlite — Sola. ' 
Caráu uáca inan fónun — Novilho. 
Caráu uáca lian — Mugido. 
Caráu uáca lúbun — Tourada. 
Caráu uáca ôan — Bezerro, vitella. 
Caráu uáca tem — Bosta. 
Cátac béle tâma — Franquear a 

trada. 
Cátac bóçoc — Pregar uma mentira 
Cátac búate ruma iha séluco nia tilun- 

Dizer pela boca pequena. 
Cátac búate ruma lós — Attestar; au 

tenticar. 
Cátac di'ac cá ládi^ac bá ema séluco h 

rôna — Fazer boas ou más ausências 

de alguém. 
Cátac hó nia — Dizer-lhe. 
Cátac láe — Dizer que nâo. 
Cátac meça dê^te — Dizer com os seos 

botões. 
Cátac nia bóçoc — Desmentir. 
Cátac nú*udar sácin — Testemunha. 
Cátac ôin séluco — Desdizer ; desmen 

tir. 
Cátac sáe ema ruma nia sala — Darná 

balda a alguém. 
Cátac sáe nia sala — Accusar-se. 
Cátac sáe sala iha nailulic nia ôin ate 

hetan Marômac nia perda — Confi? 

são. 
Cátac sáe sala iha nailulic nia ôin ate 

hêtan perdoa — Confessar-ss. 
Cátac simu ôna súrate ida — Accusar í 

recepção de uma carta. 
Catúas ôna — Estar gasto de annosj 

pag. 238; estar com os pés na 8epaí^ 

tura, pag. 326. 
Cáuco búate ruma — Estar alheio. 
Cfo'er hó táhu — Enlamear-se; enlo^ 

dar-se. 



[S 



ímar bá ôna iha laléhan — Beato. 

imar bá ôna laléhan — Espirito ce- 
leste. 

^an liu récin — Abysmo. 

puro ôna — Ha muito tempo. 

láus liu recin — Podre de rico. 

aódoc nú'udar kínur — Açafroado. 

núrac méan ráhun — Pó de oiro. 

lúa ida n^cféra — Eeduzir a cinzas 

uma povoação. 

inúro lila uér — Colher de concha. 

ia icin báluco — Desmembrar. 

ia icin báluco ruma — Amputar al- 
gum membro. 

)a ná^an tau mácin, — Atassalhar. 

)çal lótuco sáe — As oito horas, pag. 

248. 

Sce bó lilin — Encerar. 

>he mama áta — Creado do cohe. 

ohe riae ibuu kéci — Charuteira sapa 

tampa. 

ohe riac ibun táca — Charuteira com 

tampa. 

ói háçan ráhun — Fazer a barba. 

ói ican sikite — Escamar. 

(Ur ican klkite — Idem. 

!ole léete — Malhar em ferro frio. 

ioufeça la dála ua'in, tinan ó dála ida — 
Confessar-se ao menos uma vez cada 
anno. 

Jonfeça sala iha nailulic nia ôin — Des- 
carregar a consciência. 

yóre clamar houci sala — Absolver. 

Jruz né'e bé Jesus Christo mate bá — 
A cruz em que Jesus Christo morreu. 

3ruz nia âinal — Sinal da cruz. 

ítuir béeic ema ruma — Ir nas costas 
de alguém. 

intuir dalan técic — Atalhar, 

intuir ema nia lia fáan — Abraçar. 

Dtuir ema ruma bá fátin tomac — An- 
dar ao rabo de alguém. 

Ctuir ema ruma nia hanôin — Arri- 
mar-se á opinião de alguém ; ater- se 
ao parecer de alguém. 

Ctuir ema séluco nia hanôin — Dar as 
mãos á palmatória. 

Ctuir iha sôurin — Ladear. 

Ctuir náfatin la fila — Perseverança. 

Ctuir nia láran di'ac — Ajustar- se com 
a sua consciência. 

Cuãc iha oda matan hôuci né^e bé buça 
tama — Gateira. 

Cuac iha rai súute — Cratnra. 

Cuda ai cuda — Cavalete. 

Cuda ai sôurun — Cangalhas. 

Cuda ato lôuri náhan — Azemola. 

Cuda hâ fatin — Manjedoura. 



Cuda hárè eácun — Cavallo bafo. 

Cuda ibun tós — Cavallo rijo be boca. 

Cuda liu cárau — Ha mais cavallos que 
búfalos. 

Cuda makérec mútin dála rua — Ca- 
vallo branco malhado de branco mais 
escuro. 

Cuda mutin hárè cácun — Cavallo ruço. 

Cuda nahi dadóba — Cavallo aberto dos 
peitos. 

Cuda né^e se nia? — De quem é este ca- 
vallo ? 

Cuda rean tós fitun — Cavallo estrel- 
lado. 

Cuda uvas sánac — Abacelar. 

Cuda uvas sôuron — Idem. 

Cúlu láran métin — Castanhal. 

Cúlu lobas fúan — Castanha. 

Cúlu lobas hun — Castanheiro. 

Cúlu modo fúan — Castanha. 

Cúlu modo hun — Castanheiro. 

Cúlu náca fúan — Jaca. 

Cúlu náca hun — Jaqueira. 

Cúlu tárac hun — Castanheiro. 

Cúlu túno hun — Castanheiro que nâo 
dá castanhas. 

Cúran cúran áto tó'o túco háte — Síío 
quasi quatro horas. 

Cúran cúran áto ucún rai tômac — Gro- 
vernar as terras quasi todas. 

Cúran cúran mane néen — Cousa de seis 
homens. 

Cúran cúran mane tôlo^núlo — Perto de 
trinta homens. 

Cúran cúran nú'udar— Quasi como aça- 
frão. 

Cúran cúran túco rua — Perto das duas 
horas. 



I> 



Dada bá lúhan — Apriscar com corda. 

Dada feto ato hala sala — Seduzir. 

Dada hala dadoras — Levar de rastos. 

Dada halo tós — Entesar. 

Dada ró bá taci lidun — Engolfar. 

Dadel ôan san — De manhã muito cedo. 

Dadinis hate hanéçan — Quadrado. 

Da iul hó béci — Accorrentar. 

Dadul hó béci iha liman — Algemas. 

Dadul hó heno — Corrente. 

Dadul iha ema nacúcun — Aferrolhar, 

pag. 15 ; ter as casas pagas, pag. 98. 
Dadul iha fimun — Aprisionar. 
Dadul iha uma nacúcun — Encarcerar; 

engaiolar. 
Dadul tau béci — Agrilhoar. 
Dala fila atos ida — Cêntuplo. 



44 



Dala hala dadoras — Levar de rastos. 

Dala ida hamútuco — Ao mesmo tempo. 

Dala né'e dê4te — Sem exemplo. 

Dala ua4ii — Com frequência. 

Dala uma léete — Travessa. 

Danic sánan — Tapar a panela. 

Déhan áate bá ema — Dizer mal de al- 
guém. 

Déhan áate cpntra ema ruma — Falar 
em desabono de alguém, pag. 146. 

Déhan áate ema — Pôr a boca em al- 
guém ; dizer mal de alguém ; maldi- 
zer alguém ; murmurar de alguém. 

Déhan áate ema ruma — Desdenhar de 
alguém, pag. 151; cortar vestido de 
alguém, pag. 129 ; dizer raios e coris- 
cos de alguém, pag. 359; fazer a 
cama a alguém, pag. 88 ; ter alguém 
entre dentes, pag. 189; por a lingua 
em alguém, pag. 276. 

Déhan áate liu ema ruma — Dizer co- 
bras e lagartos de alguém. 

Déhan áate Marômac — Blasfemar. 

Déhan ema ruma — Falar de alguém. 

Déhan hanéçan ho ema séluco — Con- 
testar. 

Déhan iha léten — Sobredito. 

Déhan lia áate — Dizer palavras inde- 
centes. 

Déhan lia cfó*er — Dizer palavras obs- 
cenas. 

Déhan nia sala iba nailulic ida nia ôin 
áto simu perda — Accusar-se. 

Dele mata máre mátan nia ôin — Olhar 
para alguém e retirando a vista como 
quem suspeita mal. 

Deróc cacum mihis — Tangerina. 

Deróc cupan hum — Laranjeira. 

Dêuto hala rábun — Esmigalhar. 

Di*ae ato halo búate ruma — Ter algum 
préstimo. 

Didin iha uma láran — Tabique. 

Doco liu ricu — Enxaguar. 

Dóoc halo hákate ain rihum tolo — Lé- 
gua. 

Dudo ho lia — Convencer com palavras. 

Duni bá sá — Porque. 

Duni ctuir ema ruma — Dar so])re al- 
guém, pag. 188 ; lançar-se sobre al- 
guém, pag. 271. 

Duni tan bá — Por amor de. 

Duni tan bá Marômac — Por amor de 
Deus. 

Duni tan mai ita — Por amor de nós. 

Duni tan Marômac — Por amor de Deus. 

Duni tan né'e — Conseguintemente, 
pag. 121 ; pois que, pag. 338 ; por 
este motivo, pag. 300; por isso mes- 



mo, pag. 293 ; sobre que, pag. 

consequentemente, pag. 122. 
Duni tan sá — Porque. 
Dúu ema ruma — Descarregar a culp 

sobre alguém, pag. 149; levantar tei 

lemunho a alguém, pag. 274. 



Ema aiduda missa — Acolyto. 

Ema ás recin -^ Gigante. 

Ema ato hatúdo tur iha f»tín mma- 

Acampamento. 
Ema áto mate — Agonisante. 
Ema baço liu recin — Algoz. 
Ema badáim nia haláloc — Artificio. 
Ema bá hala fiinun — Combatente. 
Ema bá hala sala cfó^er — Casto, 
fona bá halo fúnun — Combatente. 
Ema bá hatúda — Guerreiro. 
Ema bá húcic — Caçador. 
Ema bá iha rai ocos la béle baré Mar' 

mac — Pena de damno, pag. 32H. 
Ema bá iha rai ocos sei téras ahi h 

búate séluco áate — Pena de sentido 

pag. 328. 
Ema bá laléhan — Ir ao céq. 
Ema bá ôna laléhan — Berna ventoradc 
Ema bárac hamútuco iha fatin ida- 

Concurso. 
Ema bárac mai, ema uite bá — òlniln 

vêem, poucos vSo. 
Ema beis áto mate — Moribundo. 
Ema bóco ôna — Adulto. 
Ema bóote ôna — Adulto, homem feit 
Ema caben iha umaereda sira ni 

ôan — Fruto de benção. 
Ema cá búate taci bálum — Euiopea 
Ema cátac la iha Marômac — Atheu. 
Ema cátac Marômac la iha — Atheu 
Ema catuas uite ôna — Homem entrada 

em annos. 
Ema cmáus liu — Millionario. 
Ema coi fatin haçan ráhun — Barbeiro 
Ema contra — Adversário. 
Ema craic áate — Gentalha. 
Ema ctuir ema mate — Funeral. 
Ema cuda rai — Agricultor. 
Ema cuda tó*os — Agricultor. 
Ema curo bé — Aguadeiro. 
Ema dada cuda — Arrieiro. 
Ema dada dálan — Guia de caminho. 
Ema dada fui — Flautista. 
Ema dádul sáe — Prófugo. 
Ema déhan dá^ate — Intercessor. 
Ema di^ac la iha sala — Pessoa sem 

taxa. 



45 



ia dóoc — Feitfceiro. 

ia ducul recin la aáé matenec — 

juem muito dorme pouco aprende. 

ia fá^an ahi ânar — Carvoeiro. 

ia fá^an ahi látun — Idem. 

ia fá'an ahi ôan lilin — Cerieiro. 

ia fá'an dãun — Agulheteiro. 

ia fá^an ican — Peixeiro. 

ia fá^an lá tódan — Barateiro. 

ia fá'aii lilin — Cerieiro. 

ia fá'aii mina — Azeiteiro. 

ia fá'an ná^an — Carniceiro. 

aa fá^an táca ulo — Chapeleiro. 

aa fá^an táli — Cordoeiro. 

fia fila lia — Intrigante. 

ia fó conselo — Conselheiro. 

na fokite nélian — Dentista. 

na folin nain — Negociante. 

na fÓQun nía — Juvenil. 

na háçan fúluco — Barbudo. 

na hacárac debite fúnun — Bellicoso. 

na haçára dê^te — Galhofeiro. 

na hacfóhòco recin — Prudente. 

na ha fólin — Mercador. 

na ha fólin iha baçar — Feirante. 

na hakerec — Pintor. 

na halo ahi látun ■ — Carvoeiro. 

na halo ain fátin — Sapateiro. 

na halo búate ruma di^ac ba ema se- 

luco — Caridoso. 

na halo cail — Anzoleiro. 

na halo cucin — Albardeiro. 

na halo dãun — Agulheteiro. 

na halo dê4te di'ac ato bá laléhan — 

Kspiritual. 

na halo di*ac — Bemfeitor. 

na halo ema seluco nia fátin — 

Agente. 

na halo fólin — Mercador. 

ma halo fiinun — Guerreiro. 

na halo hamenáça -— Jocoso. 

na halo boto hilas feto — Afeminado. 

na halo istóri — Buliçoso. 

na halo kilate — Espingardeiro. 

na halo mina — Azeiteiro. 

(na halo sala cfó*er — Incontinente ; 

libidinoso. 

na halo sánan rai — Oleiro. 

aia halo táli — Cordoeiro. 

ma halo tó'os — Agricultor 

ma halo uma — Arcbitecto. 

ma halúha fila fila — Ksquecidiço. 

ma hamenáça dê^te — Galhofeiro. 

ma han ná^an sei bocur — Carne, carne 

cria. 

ma hanôin bicas ho láran moras nia 

sala — Compungido, pag. 117. 

ma hanôin lólós — Consciencioso. 



Ema hanôurím Marômac nia lia fwan — 
Catechista. 

Ema han recin — Intemperante. 

Ema hatéten di'ac — Eloquente. 

Ema hatéten halo hamenáça ~ Engra- 
çado. 

Ema hatéten lia rua — Bilingue. 

Ema hêin bibi — Cabreiro. 

Ema hêin óda matan — Porteiro. 

Ema hêin rate — Coveiro. 

Ema hêmo recin — Intemperante. 

Ema héuai Marômac — ímpio. 

Ema hodi murac méan táca. — Doura- 
do r. 

Ema ho láran áate — Pessoa de maus 
bofes. 

Ema ho láran bíite — Corajoso. 

Ema ho láran di^ac — Bonacheirão. 

Ema ho láran di^ac Marômac — De- 
voto. 

Ema ho modun di'ac — Affavel. 

Ema ho ôin áate — Pessoa mal enca- 
rada. 

Ema ho ôin di*ac — Pessoa bem enca- 
rada. 

Ema hôto déhan — Dar-sc como certo. 

Ema hôto hanôin haneçan — Todos 
num coração. 

Ema hôto háten — Andar de boca em 
boca. 

Ema hôto mate — Morreram todos. 

Ema hôuci liur — Forasteiro. 

Ema hiicic dôr — Caçador. 

Ema húçu dáate — Intercessor. 

Ema icin manas — Febricitante. 

Ema ida — Uma certa pessoa, pag. 103. 

Ema ida cmáus cátac la curan búate 
ida — Uma pessoa xica diz que não 
precisa de nada. 

Ema ida déhan né^e mai ha'á — Certa 
pessoa disse-me isto. 

Ema ida déhan né'e no há'u — Idem. 

Ema ida di'ac la béle bóçoc — Não cabe 
num homem de bem o mentir. 

Ema ida la bá — Ninguém foi, pag. 
306. 

Ema ida láe — Ninguém. 

Ema ida lá iha — Nem viva alma; não 
ha alma viva. 

Í2ma ida .lá mai — Ninguém ; nenhuma 
pessoa vem. 

Ema ida lá mate — Ninguém morreu. 

Ema ida méçadê^te — Individuo. 

Ema iha bárac — Afazendado. 

Ema iha ládi'ac liu sei mai beis rai né^c 
icus ato hanôurim áate náran anti^^ 
christo — Anti-Christo. 

Ema iha láran di*ac — Misericordioso. 



46 



£ma ilia láran makerec — Tartufo. 

Ema iha modun di^ac — AfTavel. 

Ema iha oçan — Adinheirado. 

Ema iha oçan bárac — Amoedado. 

Ema iha oçan nain — Endinheirado. 

Ema iha ôin áate — Mal apessoado. 

Ema iha ôin di'ac — Bem apessoado. 

Ema iha sala cfó*er — Impuro. 

Ema iha tuçan — Devedor. 

Ema iha ulo témec — Calvo. 

Ema iha ulo tós — Pessoa para pouco. 

Ema kiac húçu saçá — Pedir esmola. 

Ema láa dálan — Passageiro. 

Ema láa lemo rai — Perigrinar. 

Ema la béle hárè Marômac — Deus é 
invencível. 

Ema la bilac lia — Homem de palavra, 
pag. 247 ; pessoa de palavra, pag. 319. 

Ema lacon bua te ruma — Faltar uma 
cousa a alguém. 

Ema la ctuir Marômac — ímpio. 

Ema lae muras — Ter carne de eào. 

Ema la fier búate ruma — Incrédulo. 

Ema la hacfílac lia — Homem de pala- 
vra ; pessoa de palavra. 

Ema Ia halo búate ida — Mosca morta. 

Ema la hametáuco — Afoito. 

Ema lá hanôin Marômac — ímpio. 

Ema lá hemo tua — Abstemio. 

Ema la iha sala — Justo. 

Ema la nailulic — Leigo. 

Ema la selo tuçan — Caloteiro. 

Ema láu dálan — Passageiro. 

Ema lia cfílac — Homem de duas ca» 
ras. 

Ema liras bélec — Inhabil. 

Ema loco â — Gabarola. 

Ema lôuri bé — Aguadeiro. 

Ema lôuri lia — Intrigante. 

Ema lúbun ctuir — Acampamento. 

Ema lúbun lá^a dálan — Caravana. 

Ema lúbun hamútuco ato rôna — Audi- 
tório. 

Ema mai hôuçi li*ur — Alienegena. 

Ema mate malu — Morreu toda a gente. 

Ema mate moti — Morreram todos. 

Ema maténec — Philosopho. 

Ema mate nia icin — Cadáver. 

Ema má umac — Caseiro. 

Ema maus ho laran di^ac — Cordeiro. 

Ema móris iha fóbo — Montanhês. 

Ema móris iha nuca ida — Insulano. 

Ema moti mate — Morreram todos. 

Ema nahi lalêur ato mate — Agoni- 
sante. 

Ema nahi saçá^en — AflBicto. 

Ema nain rua hadômi malu — Duas 
pessoas querem-se. 



Ema nain rua hatéten — Dialogo. 
Ema nain rua hatéten malu— Da 

pessoas falam -se. 
Ema nain rua léete — Intervallo enã 

duas pessoas. 
Ema liain rua né^e tálainmalu — Esti 

duas pessoas sSo parentas em lini 

igual. 
Ema nain tolo — Trindade. 
Ema nalin nain — Capador. 
Ema náuco saca ki^ec — Batoneiro. 
Ema náuco tem bóote — Ladroaço. 
Ema né^e be bôssoc moe la iha — i^ae 

mente não tem vergonha. 
Ema né^e be fá^an ai fúnan — Floristj 
Ema né^e bé há^a sarâni — Baptisante 
Ema né^e bé cakerec funan — Florísti 
Ema né^e bé halo — Autor. 
Ema né^e bé halo ai fúnan — Florista. 
Ema né^e bé suno — Incendiário. 
Ema nia âman ho inan ho âman tcj 

ho inan bêi — Ascendente. 
Ema nia clamar iha inferno— Oi 

demnado. 
Ema nia cole — Feitio. 
Ema nia kulite — Cútis. 
Ema nia ema — Súbdito. 
Ema nia hatais — Alfaia. 
Ema nia tinan — Idade. 
Ema nia naran hakérec — Firma. 
Ema nia rai — Pátria. 
Ema óho áate ema — Matador. 
Ema óho áate ôan — Infanticida. 
Ema óho ema séluco — Assassino; nu 

tador. 
Ema óho nia alin — Fratricida. 
Ema óho nia mâan — Idem. 
Ema ôin cabôubil — Pessoa mal eu 

nada. 
Ema rilum ida — Mil pessoas. 
Ema rôna didi^ac — Attento. 
Ema ruma hamúlac — Auditório. 
Ema ruma hamútuco — Junta. 
Ema ruma hirus — Subir a mostarda i 

nariz de alguém. 
Ema ruma mate — Chegar a hora a a 

guem. 
Ema ruma rôna — Consta a alguei 

pag. 122. 
Ema saca fahé — Apartador. 
Ema saía clêur ôna — Peccador invett 

rado. 
Ema sala hanôin hicas nia sala hó li 

ran moras béle tito Morômac fó pe 

doa bá nia — Quem erra e se emeod 

a Deus se encommenda. 
Ema sala tôman — Peccador inveti 

rado. 



47 



Sma sara lia — Pesaoa bem ensinada. 

Cma sei móris — Os posteriores. 

ima seluco hadômi — Amado. 

ima seluco nia — Alheio. 

Croa si^ac iha ôin craic — Carrancudo. 

ima sitnu binaca — Hospedeiro. 

ímA sira maténec hamútuco halo dú- 
lur — Academia. 

ima Biiu rai — Mineiro., 

Sma táas lia — Pessoa bem ensinada. 

£ma taci bálun — Europeu. 

Elma tan cmurac méan — Dourador. 

Ema teri fúuco — Cabelleireiro. 

Ema terus mate duin tan bá Marômac — 
Martyr. 

Ema tômac haten né*e — Não ha nin- 
guém que o não saiba. 

Ema tur ho lulic — Quem trata do pom- 
bal. 

Ema úcun ró — Piloto. 

Ema uma laran nia — Familia. 

Embóote nia uma — Palácio. 

Emi béle bá ami nain tolo la béle bá — 
Vós podeis ir, mas nós três não po- 
demos. 

Emi hacárac sá — Que quereis. 

Emi hira — Quantos sois. 

Emi bo nia — Vós com elle. 

Emi la halo biíate ida — Nenhuma cousa 
fizeste. * 

Emo hacárac icin di^ac — Brindar. 



F 



Fá^an búate ida — Desfazer-se de uma 
cousa. 

Fá^au folin tôdan — Vender caro. 

Fá^an ha bôssóc — Vender gato por le- 
bre. 

Fá^^an ha sala — Idem. 

Fá*an iha baçar — Feirar. 

Face bala mós — Alimpar. 

Fáhe halo ki^ec — Migar. 

Fáhe iha sôurin balun rua — Fazer me- 
tade cada vez. 

Fáhe malu hela ema ruma — Apartar-se 
de alguém. 

Fáhe mata rua — Dividir dois a dois. 

Fáhe mata tatossa — Dividir em partes 
iguaes. 

Fáhe mata tolo — Dividir três a três. 

Fahi aman baçar — Vender porco gordo. 

Fáhi aman iha tínan ida — Bácoro. 

Fáhi inan iha tinan ida — Bácora. 

Fáhi inan ki'ec — Marrão. 

Fáhi ná^an bocur — Toucinho. 
Fáhi ôan ki^ec — Leitão. 



Fáhi ôan lá tó'o tínan ida — Farropo. 

Fálí sá — Por que carga de agua. 

Fali hodi cótuco — Recuar. 

Faro bóote nanico la iha liman — Capa. 

Faro malai sira — Casaca; casaco. 

Faro mutin malai ha tais uluco faro se- 
luco — Camisa. 

Fátin áate né*e bé ema béle mono — Pre- 
cipicio. 

Fátin ato rai — Deposito. 

Fátin ato rai kilate rahun — Paiol. 

Fátiil áto sae — Saida. 

Fátin ato tara faro — Cabide. 

Fátin craic né^e bé suli hamútuco — Ba- 
cia de ribeira. 

Fátin hôuci né^e bé ema ha sae táhu — 
Barreiro. 

Fátin iha né^e bé ema harôuus — Lava- 
tório. 

Fátin iha uma ato ha — Refeitório. 

Fátin lae — Não ha logar. * 

Fátin lae ôna — Cerrar a abobada das 
culpas. 

Fátin la iha — Não ha logar. 

Fátin luan iha óda matan ôin — Átrio. 

Fátin luan iha umacreda ôin — Adro. 

Fátin luan iha uma nia tama fatin — 
Átrio. 

Fátin né^e bé ânim la iha — Abafadiço. 

Fátin né'e bé ema la iha — Despovoado; 
ermo. 

Fátin né^e bé ema hacoi â — Esconderijo. 

Fátin né*e bé emahakerec — Escritório. 

Fátin née bé ema hóric — Mansão; mo- 
rada, pousada. 

Fátin né^e bé ema óho animal ato fá^an 
ná^an — Açougue. 

Fátin né^e bé ema lá iha — Despovoado. 

Fátin né*e bé ema rai tua mina — Adega. 

Fátin né'e be iha raihenec — -Areal. 

Fátin né*e bé lalar iha — Mosqueiro. 

Fátin né*e bè mano haráni — Pousada. 

Fátin né*e bé raihenec iha — Arieiro. 

Fátin né'e bé sarâni — Baptistério. 

Fátin né*e bé sira hamútuco — Acade- 
mia. 

Fátin né'e bé uma la iha — Despovoado. 

Fátin rua nia lé^ete — Distancia. 

Fatuco ás bóote — Penhasco. 

Fatuco cadi bóote — Rebolo. 

Fatuco iha rate fóhon --» Campa ; lapide. 

Fatuco makérec ato halo uma — Can- 
taria. 

Fatuco moço iha taci — Recife. 

Fatuco mutin tós — Seixo. 

Fedu ai sôurin — Arramalhar. 

Fen nia alin maun — Cunhado. 

Fen nia bin — Cunhada. 



48 



Fera ai halo ai cdádal — Eecavacar. 

Fera knua ida — Reduzir a cinza uma 
povoação. 

Ferie ôna — Estar gastado de annos. 

Feto áate liu — Mulher diabólica. 

Feto bin alin — Irmãs. 

Feto bóote haneçan ho mânc — Machio. 

Feto caben lós — Cônjuge. 

Feto ema selnco banôin — Amada. 

Feto foi nai — Púbere. 

Feto fútu ôna lia ato caben — Noiva. 

Feto móe laec — Desavergonhada. 

Feto náuco tem — Ladra. 

Feto né*e bé suco — Costureira. 

Feton ho nan — Irmãos e irmãs. 

Fetorá la tada lia rai claran — Virgem. 

Feto tanis ema mate — Carpideira. 

Feto uma cain — Concubina; manceba. 

F . . . há^u nia belo — F meu amigo. 

F. . . hodi embóote nia fatin — F... é 
governador interino. 

Fier ema ruma — Dar ouvidos a alguém. 

Fier Marômac — Ter confiança em Deus. 

F. . . iha né'e bé — Onde está F. . . 

F . . . iha tinan rua nulo recin lima — 
F . . . faz vinte e cinco annos. 

F. . . iha tinan sanulo recin uálo mate- 
nec ôna — F... aos 18 annos era já 
sábio, pag. 250. 

Fila bá áate — Malignar. 

Fila bá ahi clac — Afoguear. 

Fila bá catnas — Avelhentar; envelhe- 
cer. 

Fila bá cuians — Afazendar-se nao an- 
dando fora de casa. 

Fila bá crecas — Mirrar-se. 

Fila bá di'ac — Conversão ; converter-ge ; 
mudar de vida. 

Fila bá di^ac liu — Reformar. 

Fila bá diuco — Emmudecer. 

Fila bá ferie — ATclhentar. 

Fila bá fuic — Abarbarizar-se. 

Fila bá ladi^ac liu — Empoeirar-se. 

Fila bá mean — Enrubescer ; inflam- 
mar-se. 

Fila bá métan — Fazer-se uma cousa 
negra; negrejar. 

Fila bá módòc — Emmarelecer; loure- 
cer. 

Fila bá mutin — Embranquecer. 

Fila bá naciicun — Entrevar. 

Fila bá siin — Envin agrar- se. 

Fila bá taci — Arribar. 

Fila bá tuan — Envelhecer. 

Fila bá tua siin — Acetificar-se. 

Fila fila — Com frequência. 

Fila lima — Anda mão e fia dedo. 

Fila ôna bá di'ac — Convertido. 



Fila óstia bá Marômac nia icin fila mni 
tua bá Marômac nia ran cátac da 
dáum Marômac nia há faan — Consa- 
grar. 

Fitul ho icun naruco lia naroma — Cc- 
meta. 

Fitun loro tem — Estrellas qne appa^^ 
cem primeiro depois do soi posto. 

Fitun nacônu iha laléhan — Cen e^- 
trellado. 

F moris hôuri tinan ma nalo recla 

lima — F. . . faz vinte e cinco anr.c*. 

F . . . naran sá ? — Como se intitnis 
F... 

Fó ai moruco — Medicar ; mezinhar. 

Fóate á mate — Enforcar-se. 

Fó ato hare — Fazer ver. 

Fó ato rai — Depositar. 

Fó ato selo — Estipendiar. 

Fó bá nia — Dar-lhe a elle. 

Fó búate ida — Desfazer-se de uma 
cousa. . 

Fó buli aio mate — Envenenar. 

Fó con&elo di*ac — Admoestar. 

Fó dimen bá ema ruma — Armar al- 
guém. 

Fo hã ato sae bocur — Cevar. 

Fo hã fo hemo fo batais — Dar de co 
mer, beber e vestir. 

Fo hã nain — Fartar. 

Fo ha^ú — Dar-me a mim. 

Fo hira — Quanto custou. 

Fo ho rua léete — Garganta entre duas 
montanhas ; valle. 

Fo iha nia — Dar-lhe a elle. 

Fo kilate bá ema ruma — Armar ai 
guem. 

Fokite hó ai abuto — Desarraigar. 

Fo lia ato caben — Desposar. 

Fo Ítalos — Prometter; fazer propósito. 

Fo lia lós ato búate ruma — Estipular 

Fó lia lós bá nia — Prometter-lhe. 

Fo lia lós mai há^u — Promettem-me. 

Folin cman ha folin tódan — Encarecer 

Folin la todan — Baixo preço. 

Fó mai ha'ú — Dar-me a mim. 

Fó mai ha'ú bican né'e bá — Dá-ine 
aquelle prato. 

Fó né'e mai há*u — Dê-me isso. 

Fo nia á tômac iha ema seluco — En 
tregar-se nos braços de alguém. 

Fo saca bá ema kiac — Dar esmola. 

Fo sala ha ema ruma — Deitar as cul- 
pas a alguém. 

Fo sarâni tán narun — Baptisar. 

Fós cácum kérèc — Arroz mal pilado. 

Fo suçu uén — Amamentar. 

Foti halo hameric — Empinar. 



49 



ti halo hameric lólofi — Aprumar, 
ti lia hanânun — Entoar. 
ti lia la lós — Assacar. 
ti mátan bá laléhan harokan Marô- 
nac — Levantar os olbos ao ceu. 
túco tetébes — Esmurrar, 
an la samúla — Digestão, 
i bé iha lima ato face — Dar agua ás 
mãos. 

i bó iba tua — Baptisar o vinho. 
Jau iTiate — Fim do mês. 
lan nan rán — Eclipse da lua. 
lan né'e mate há^u sei mai — No fim 
i^este mês bei de voltsu:. 
ilau roban — Fim do mês. 
ilan rua boto — Dois meses depois.' 
ilan rua nôbun — Idem. 
ilan rua cá tolo bá — D' aqui a dois 
ou três meses. 

ilau sei mai — O mês próximo futuro, 
irac eto môurim bátar — Ter o sabor 
de arroz, mas cheirar a milho, 
liar la iha — Inerme. 
\i\x lia ato cáben — Desposar, 
itu lia ho ema ruma — Fazer assento 
com alguém. 

Lii'ico bua saren — Cabello encarapi- 
nhado. 

uiico fila bá mutin — Agrisalhado. 
uúco mutin saráuco — Aguisalhar-se. 



a babilác ema — Mandar a alguém 

fazer alguma cousa, escangalhá-la e 

mandar fazer outra. 

a bai bá lóro — Assoalhar. 

abÔQoc ema ruma — Pregar o mono a 

alguém. 

acáas cuda hetin — Silha. 

acáhic búate ruma — Dar corte a al- 
guma cousa. 

acáhic ho ai — Atravancar. 

acahu ema ruma — Levar alguém aos 

hombros. 

a cánec ho liman cácum — Agatanhar. 

taçan rahun buras — Barbaçudo. 

íaçan rahun lae — Imberbe, pag. 251. 

laçan rahun laec — Desbarbado. 

íaçan rahun mpço — Apontar a bar- 
ba; barbar. 

laçan rahun namelan — Idem. 

lacárac búate ruma ho laran — Estar 
arrebentando por alguma cousa. 

lacárac dê'ite nia a — Egoismo ; egoísta. 

lacárac cá-lacohi — Quer queira, quer 
nào queira. 



Hacárac haderania — Querer beber-llie 
o sangue. 

Hacárac ho láran di'ac — Ter boa von- 
tade. 

Hacárac ho mátan cárac — Ambicio- 
nar. 

Hacárac sá ida tau — Que mais quer. 

Hacárac surate ida bá ema ruma — Es- 
crever uma carta a alguém. 

Hacárac tinan di^ac — Dar as boas fes- 
tas, 08 bons annos. 

Hacárac nain baço — Almejar, pag. 25; 
auhelar por, pag. 33 ; anciedade, pag. 
36; apaisonar-se, pag. 37; apetecer, 
pag. 40; aspirar, pag. 50; desejar 
com ânsia, pag. 151; empenhar-se, 
pag. 175; escorjar, pag. 199; estar 
em brasa, pag. 79; faminto, pag. 219; 
suspirar por, pag. 400; desejar mui- 
tíssimo. 

Hacárac nain baço búate ruma — An- 
dar morto por alguma cousa, pag. 
300; ter paixão por alguma cousa, 
pftg. 318. 

Hacárac nain baço ema ruma — Chora 
por alma de alguém, pag. 107; te 
paixão por alguma pessoa. 

Haçára ema ruma — Zombar de a 
guem. 

Hacári lá lós — Propalar noticia. 

Hacári lia los — Propalar uma noticia 
verdadeira ou falsa. 

Hac cfilac lia — Voltar com a palavra 
atrás, pag. 56. 

Hacfodac ho ibun naclóc — Boqui- 
aberto. 

Hacfúdic lacohi hai-é — Fazer a vista 
grossa. 

Hacfúdic lá haré — Fechar os olhos. 

Hacfúdic lá bateu — Fazer que não en- 
tende ; fazer-se de novas. 

Hacfúdic tilum diuco — Não se dar por 
entendido. 

Hacláken hactúir aicnanôiclós — Exem- 
plificar, pag. 213. 

Hacláken Marômac nia lia fúan — Mis- 
sionar; pregar. 

Hacnean iha ema ruma nia ôin — Lan- 
çar- se aos pés de alguém. 

Hacnian bá rai — Estar de joelbos ; 
pôr-se de joelhos. 

Hacôco ai fuan ida — Provar uma fruta. 

Ha coi â lacohi ema ruma hare nia — 
Esconder se de alguém. 

Ha coi ema mate — Enterro. 

Haçôuro ema ruma — Dar com alguém, 
pag. 137 ; ir ao encontro de alguém, 
pag. 264; ir ter com alguém, pag. 



50 



40õ ; ter entrevista com alguém, pag. 
190 ; topar com alguém, pag. 409. 

Haçôaro ema ruma ihadálan — Encon- 
trar-se com alguém no caminho 

Hactáir aicnanôic lá los — Fabular. 

fiactúir aicnanôic lós — Contar exem- 
plos. 

Hactúir ema ruma nia móris — Biogra- 
phia. 

Hactúir lia bóçoc tan — Exagerar. 

Hactúir lia múmuco hó ema ruma — 
Metter alguma cousa no bico a al- 
guém. 

Hactúir lia nanôco bó ema ruma — 
Idem. 

Hadér dadél san — Madrugar, pag 281. 

Hadi^ac ema birus — Arrancar ódios. 

Hadi^ac hó ema ruma — Por-se a bem 
com alguém. 

Hadômi ema duni tan Maròmac — Ca- 
ridade. 

Hadômi ema ruma — Perdido por al- 
guém ; querer bem a alguém. 

Hadômi hó láran — Amercear-se, pag. 
29. 

Hadômi hó láran di'ac — Metter no co- 
ração. 

Hadômi Marômac — Caridade. 

Hadômi Marômac liu hôto — Amar a 
Deus sobre tudo. 

Hadômi Marômac liu tômac — Idem. 

Hadômi nain baço — Entranhar-se de 
amor. 

Hadômi nain baço búate ruma — Ter 
paizíto por alguma cousa. 

Hadômi nain baço ema ruma — Arder 
por alguma pessoa ; ter paixão por 
alguma pessoa. 

Hafúdic lá haten — Fazer-se desenten- 
dido. 

Hafutar iein lólon — Enfeitar-se. 

Ha hemo la nain — Comer e beber de 
outrem. 

Hahi â la 1«')S — Vangloria. 

Hahi baça liman — Applaudir. 

Hahi ema ruma — Apoiar alguém. 

Hahi liu recin — Pôr nas nuvens. 

Ha hôris ladáu tempo — '■ Abortar. 

Hahú balo búate ruma — Pôr mãos á 
obra. 

Hahú móris iha inan láran — Conce- 
bido, pag. 117; conceição, pag. IIH. 

Hâ iha cálan — Cear. 

Hái lia fúan — Falar com respeito. 

Hakérec bá malu — Corresponder-se. 

Hakérec ctúir banáti — Copiar segundo 
o original. 

Hakérec hacsúbal letra — Abreviatura. 



Hakérec iha túi rua leéte — Entreli- 
nhar ; escrever entrelinhas. 

Hakérec faia náran — Faser a sua assi- 
natura. 

Hakérec suráte bá ema ruma — £s<:r^ 
ver a alguém. 

Ha kéta rai — Balisar; pôr balisas s» 
terreno. 

Hakilar bóio ema ruma — Chamar }iot 
alguém. 

Haia bé bá — Para. 

Ha lacon ema ruma — Deitar a perder 
alguém. 

Ha lácon fama — Deshonrar. 

Ha lácon mátan -^ Cegar. 

Haia ctúir úcur — Fazer estilos. 

Haia folin cmán — Baratar. 

Haia bate ema ruma — Correr atrá^í -i^ 
alguém. 

Halái bá dóoc — Desgarrai*- se. 

Halái bá halái mái — Correr para cáe 
para lá. 

Halái bibiite — Fugir a unhas de w 
vallo, pag. 101 ; tomar as de VilU 
I Diogo. 

Haia icin nacuári — Descansar. d»i- 
xando o trabalho, pag. 149. 

Halái ctúir ema ruma — Correr atras de 
alguém, pag. 128 ; correr após al- 
guém, pag. 39. 

Halái dal a ida — Uma corrida. 
' Halái ema ruma — Fazer cruzes a al- 
guém. 

Halái hòuci áate — Apartar-se do pe- 
rigo ; evitar o mal. 

Haia mátan dórec — Envesgar. 

Haia nú^udar hacárac — Levar a siii 
avante. 

Halanú^udar haten — Dar-se por entia 
dido. 

Haia ôin áate — Afear. 

Haia sá bá — Para. 

Haia sacar ema — Ir contra alguém. 

Haia sala haçòuro Nai Marômac — Of* 
fender a Deus. 

Haia tua mó — Assentar as fezes do vi 
nho. 

Haia ué cadálac — Regar de pé. 

Haia ué mó — Assentar o lodo na agua 

Haia ué sareti — Aspergir. 

Ha lénico à — Curvar- se. 

Ha leur ema moras — Estar á cabeceira 
de um enfermo. 

Ha leur lórum mái lórum mái — Diferir 
de dia para dia. 

Ha liu recin — Alambasar-se ; comer 
alem do preciso ; gula. 

Halo áate bá — Desgraçar. 



51 



[alo áate bá ema ruma — Fazer mal a 
alguém. 

[alo áate iha ôan sei iha láran — Pro- 
curar abortar. 

[alo ã biite — Arrijar. 

[alo a catúas — Avelhentar. 

[alo a compare ho ema ruma — Acom- 
padrar-se. 

[alo ã féric — Avelhentar. 

[alo áhi hó beci áhi — Afusilar. 

[álo ai hum — Edificar uma casa, 
pag. 97. 

[alo ái óhar bóote hanéçan hó ema ida 
sa^e cuda — Fazer de um argueiro um 
cavalleiro. 

íalo a mane — Humanar-se. 

[alo ato déhan áate ema— Afiar a lín- 
gua. 

[alo ato déhan ema — Idem. 

[alo ato hametá^uco — Assombrar. 

[alo ato hétan — Agenciar. 

[alo bá ôan — Perfilhar. 

[alo bóote liu — Dilatar. 

[alo búate áate iha ema séluco nia 
ôin — Escandalisar. 

[alo búate ida léete -r- Fazer uma 
cousa inutilmente. 

lalo búate la lós — Desacertar. 

[alo búate ruma áate — Amarrotar. 

lalo búate ruma di^ac — Adornar ; 
aformosear. 

lalo búate ruma di^ac bá ema — Cari- 
dade, pag. 9õ. 

ialo búate ruma cfó'er — Sujar alguma 
cousa. 

íalo búate ruma ladauco iha — Crear. 

lalo búate ruma náhi lalabun — Fazer 
alguma cousa á toa. 

lalo búate ruma sala — Fazer mal a 
alguma cousa. 

lalo cánec fitei — Cicatrizar. 

íalo cánèc hó líman cácum — Agata- 
nhar. 

íálo clamar bároc ato haná4 di'ac Ma- 
rômac — Atediar, pag. 54. 

lalo cmódoc nú*udar kínur — Aça- 
froar. 

íalo contra ema — Ir contra alguém. 

íalo ctúir dadáun — Perseverar. 

íalo ctúir ema dê'íte — Seguir o exem- 
plo de alguém. 

íalo ctúir ema nia hacárac — Condes- 
cender. 

íalo ctúir ema nia lia fúan — Satisfa- 
zer ás ordens. 

íalo ctúir ema ruma nia hanôin — Be- 
ber a doutrina de alguém. 

íalo ctúir feto sira — Adamar-se. 



Halo ctúir feto sira costume — Afemi- 
nar- se. 

Halo ctúir nia lia — Cumprir a sua pa- 
lavra. 

Halo cúac iha búate ócòs — Solapar. 

Halo cúac uá4n — Esfuracar. 

Halo dálan lúac — Estradar. 

Halo dalan lúan — Idem. * 

Halo dala úluco — Estrear-se. 

Halo dê4te di*ac — Evitar o mal. 

Halo di^ac ca ládi^ac — Andar bem ou 
mal. 

Halo di*ac hó laran — Fazer obras de 
misericórdia. \ 

Halo di'ac liu — Promover. 

Halo ema ida mái — Fazer vir uma 
pessoa, pag. 220. 

Halo ema ruma bóote — Ennobrecer. 

Halo ema ruma dúcul — Adormecer al- 
guém. 

Halo ema ruma fila bá ki^ac — Reduzir 
alguém á miséria. 

Halo ema ruma hirus — Acabrunhar ; 
afiligir. 

Halo ema ruma hirus la béle térus — 
Apurar a paciência a alguém. 

Halo ema ruma nia fatin — Supprir al- 
guém. 

Halo ema séluco caláuco — Imperti- 
nente. 

Halo ema séluco hatéten — Dar que falar. 

Halo ema séluco nahi saçá'en — Imper- 
tinente. 

Halo ema séluco nia sáça — Arrogar. 

Halo fali manas — Arrequentar. 

Halo fila bá áate — Perverter. 

Halo fila fila — Exercitar-se ; fazer a 
miude. 

Halo fólin tódan — Encarecer. 

Halo fútum kí^ec — Engavetar. 

Halo fúuco bua sáren — Annelar o ca- 
bello ; encrespar o cabello. 

Halo fúuco carúto — Idem. 

Halo fúuco crúto — Idem. 

Halo fúuco crútuco — Idem. 

Halo ã compare hó ema ruma — Acom- 
padrar-se. 

Halo hamútuco hó ema séluco — Coope- 
rar. 

Halo ã iha — Fazer que haja comida. 

Halo hanôin ato halo búate ruma tós — 
Engenhar. 

Halo hanôin fali — Recordar. 

Halo hirus — Inquietar, pag 259. 

Halo hôto hôto — Lançar mão de todos 
os meios. 

Halo ícin nacútac — Atarantar, pag. 
54-, aterrar, pag. 54. 



52 



Halo istóri hó ema ruma — Levantar-se 
contra alguém. 

Halo ki^ec liu — Atteuuar. 

Halo iácon biite — Quebrar os braços. 

Halo Iácon dálan — Extraviar. 

H»lo Iácon mátan — Cegar. 

Halo ládi^ac liu — Aggravar ; empeo- 
rar. 

Halo lá hametánco — Affrontar. 

Halo lólós — Apurar-se. 

Halo láran mâmal — Atediar. 

Halo lia mótic — Enrouqnecer. 

Halólon hó ema ruma — Pegar com al- 
guém, pag..327; ter duvidas com al- 
guém, pag. 169; ter dares e tomares 
com alguém, pag. 138 ; travar-se de ra- 
zoes com alguém. 

Halo luto bá ema mátè — Enlatar. 

Halo luto bá mate — Arrojar-se. 

Halo luto ha lê^u — Entaipar. 

Halo mamai neinéic — AmoUentar. 

Halo manas fali — Arrequentar. 

Halo méan iha áhi — Afoguear; esbra- 
sear. 

Halo méic nú'udar saçúlar — Afusar. 

Halo méic nii^ndar súlar — Idem. 

Halo métin la béle ha sáe — Imprimir. 

Halo raídêl úite — Adocicar. 

Halo nac funan — Abolorecer. 

Halo nacônu ho ema — Povoar. 

Halo nadá'i lái — Convalescer. 

Halo náhi saçá^en — Agoniar, pag. 18; 
importunar; inquietar; magoar. 

Halo na uálec — Agitar gente. 

Halo néhan siin — Embotar os dentes. 

Halo néon sala — Contristar. 

Halo nóbun búate ruma tos — Levar a 
cruz ao calvário. 

Halo nú'udar advogado — Advogado. 

Halo niVudar béle — Fazer da sua 
parte. 

Halo nú'udar ema di^ac — Proceder 
como homem de bem. 

Halo nú'udar láe — Aniquilar; esvae- 
cer; facilitar, pag. 216. 

Halo ôan húcic siiçu — Desmamar. 

Halo ôin áate — Afear; desfear; fazer 
caretas. 

Halo ôin búlac — Atontar. 

Halo ôin cráic — Contristar ; entriste- 
cer. 

Halo ôin craic nanôco — Amuar. 

Halo ôin csóloc — Contentar. 

Halo ôin ctúir lekiráuco — Bugiar. 

Halo ôin méan — Corar. 

Halo ôin maon — Contristar. 

Halo ôin nacúruto — Franzir. 

Halo ôin nalái — Aturdiv. 



Halo ôin séluco — Variar. 

Halo ráhun bádac — Abreviar a vià 

Halo ráhun náruco — Acrescentar a 

vida. 

Halo réin nacúruto — Engelhara tosta. 
Halo ró ida môúute — Metter no fando 

um navio. 
Halo ró môúute — Metter a pique uid 

navio. 
Halo rúin tóhar — Fracturar. 
Halo sáe houci dálan — Desencami 

nhar. 
Halo sáe houci lúhan — Desencurra 

lar. 
Halo sáe houci úma — Pôr no olho à 

rua. 
Halo sáe looo ã — Ensoberbecer. 
Halo sá ita bá halo née — Porque nào 

fazemos isto. 
Halo sala bóote cfó^er — Fornicar, 

229. 
Halo sala cfó'er — Prostituir- se. 
Halo serviço lalais — Abelhar-se. 
Halóte ai bálun — Encaixotar. 
Halo tem fíUi — Referver. 
Halo terus ladi^ac — Martjrizar. 
Halóte sáça ruma — Pôr em ordem al- 
guma cousa. 
Halo tiha lalais búate née — Faze iste 

já depressa. 
Halo tíiun diuco — Emmouquecer ; eu 

surdecer. 
Halo tós nú^udar fátuco — ErapederDÍr 
Halo ulo canáluco — Aturdir. 
Halo uma ida — Edificar mna casa. 
Haiúha búate ruma — Deixar alguma 

cousa em branco, pag. 79 ; perder &1 

guma cousa da memoria, pag. 330. 
Ha luto bá tó^os — Parque 
Hamáran iha lórò — Assoalhar. 
Ha Marômac nia icin — Commungar. 
Ha mate áhi — Matar o fogo. 
Ha mate áhi ôan — Matar o candieiro. 
Ha maus ema ruma — Cortar a cólera i 

alguém. 
Ha maus ema ruma hirus — Aplacar a 

ira a alguém. 
Haméan iha áhi — Esbrasear. 
Hameláha ladi^ac haméroc ladi^ae- 

Apertado de fome e de sede. 
Hameláha ladi^ac mate — Morrer de 

fome. 

Hametáuco áto halo búate ruma — Es- 
crúpulo. 
Hametáuco ladi^ac — Mijar-se com me 

do, pag. 294. 
Ha mono ema ruma ~r- Dar com alguma 

pessoa em terra. 



53 



ia mono náhan — Dar com a carga em 
terra. 

[a mós búate cfó^er — Defecar. 

[a mós clamar — Alimpar a consciên- 
cia. 

[a mós cóhu — Descaspar. 

[a mós hó raihênec — Arear. 

Ia môiiute ró ida — Metter no fundo 
um navio. 

[amúlac hacláken Marômac nia lia 
fúan — Evangelizar. 

lamútuco halo fiVac — Agrupar. 

lamútuco iha cláran — Centralizar, 
pag. 102 ; reconcentrar, pag. 364. 

lanai Marômac hamátuco hó mundo 
né'e la béle — Servir a Deus e a(í 
mundo não sao cousas que possam 
acompanhar-se. 

Janânun búate áate — Cantar cantigas 
indecentes. 

3an coco ai fúan ruma — Tomar o 
gosto a alguma cpusa. 

Handi cacúluco — As cinco d?r manhã. 

[Ianéç«n ca lae — Aferir. 

Hanéçan hó búlac — Endiabrado. 

Hanéçan hó ema nia icin — Encarnado. 

Hanéçan hó ema ruma — Ser alguém 
em carne. 

Hanéçan hó mano tólun — Oval. 

Hanóhic â didi'ac — Enroupar-se. 

Hanôin áto hala — Emprehender. 

Hanôin búate la uále búate ida — Fa- 
zer castellos no ar, pag. 221. 

Hanôin búate ruma — Conservar a me- 
moria de alguma cousa ; ter presente 
alguma cousa. 

Hanôin buca sala ida láran — Fazer 
exame de consciência. 

Hanôin ctúir ema ruma — Arrimar- se á 
opinião de alguém. 

Hanôin di'ac ba ema — Julgar bem al- 
guém. 

Hanôin háneçan ho ema ruma — En- 
contrar-se com o pensamento de al- 
guém. 

Hanôin hicas hó láran moras — Peni- 
tencia interna, pag. 32í) ; ter pesar, 
pag. 334. 

Hanôin hicas ho láran moras fila bá 
di'ac — Arrepender-se do mal, pag. 47. 

Hanôin hicas hó láran moras duni tan 

sala — Compunção, pag. 117. 
Hanôin hicas sala hó láran moras — 

Ter dôr dos peccados. 
Hanôin ho láran — Amereear-se, pag. 

29; bem querer, pag. 71. 
Hanôin ho láran moras — Sentir cheiro, 
pag. 389. 



Hanôin iha láran — Ter esperança. 

Hanôin lá lós — Juizo temerário. 

Hanôin lia iha láran — Recolher-se. 

Hanôin lós liu — Reconhecer. 

Hanôin Marômac — Ter confiança em 
Deus. 

Hanôin sala fila bá di'ac — Arrepen- 
der-se do mal, pag. 47. 

Hanôin sala ho láran moras duni tan 
Marômac — Contrição. 

Hanôin ná4n baço — Ter saudade. 

Hanôurin áto halo di'ac — Morigerar. 

Hanôurin halo di'ac — Moralizar. 

Hanôurin Marômac nia lia fúan — Ca- 
techizar; doutrinar. 

Hanôurin lia áate — Dar mau exemplo. 

Hanôurin lia di^ac — Dar bom exemplo. 

Haôa sarani ema ruma — Ser padrinho 
de alguém. 

Ha ráhu sôbo — Arrombar ; destruir. 

Harái ita seca mái ami áta — Pedir ao 
rei tabaco e comida. 

Haranán eto ho náan iha lulic — Sacri- 
ficar aos pomaes offerecendo carne e 
arroz. 

Haré búate ruma úluco — Antever al- 
guma cousa. 

Haré dácin hanéçan ca lae — Aferir. 

Haré didi*ac — Olha o que fazes. 

Haré ema beis ato mate — Assistir a 
um moribundo. 

Haré ema moras — Assistir a um doen- 
te, pag. 52 ; tratar de um doente, 
pag. 412. • 

Haré halo ôinclôuco — Olhar de esgue- 
lha. 

Haré hanéçan ca lae — Conferir. 

Haré ho clamar — Contemplar. 

Haré lá lós — Entrever. 

Haré lós é lae — Aprumar. 

Haré náhi mamôite — Olhar estendendo 
o pescoço. 

Haré náhi sasi4c — Vislumbrar. 

Haré nú'udar fétò nó nán — Attender 
ou olhar por uma mulher dando-lhe 
de comer e vestir, etc, mas não vi- 
vendo mal, pag. 301. 

Haré sáça calabo — Nao ver bem as 
cousas, pag. 422 ; ver mal as cousas. 

Haré táhila hanéçan cá lai — Aferir. 

Ha róhan ema ruma — Lançar-se aos 
pés de alguém. 

Harúea ema ida mái — Fazer vir uma 
pessoa, pag. 220. 

Harúea ema ruma sá'c hôuci uma — 
Pôr alguém no andar da rua. 

Harúea ema ruma sáe uma — Idem. 

Harúea hódi bá — Endereçar. 



õl 



Ilarúca hòuci uma — Pôr no olho da 
rua. 

Harúca la bá — Prohibir. 

Harúca la faála — Prohibir. 

Harúca sáe bouci rai kéta — Extermi- 
nar, pag. 21Õ. 

Harúmo áate — Apertar na mão. 

Ha sáe ai fúan miiçan — Descaroçar. 

Ha sáe áin fátin — Descalçar. 

Ha sáe ai fúnan — Deflorar ; debilorar. 

Ha sáe ai táhan — Desfolhar. 

Ha sáe bároc — Espreguiçar; espregui- 
çar-se. 

Ha sáe béci cuçan — Despregar. 

Ha sáe béci méac — Desenferrujar. 

Ha sáe buli — Desenvenenar. 

Ha sáe bútan — Desabotoar. 

Ha sâe cóhu — Descaspar. 

Ha sáe cópi — Copiar. 

Ha sáe cúlite — Escoriar ; descascar ; 
esburgar; esfolar; pelar. 

Ha sáe ema ruma nia sáça boto Ia héla 
búate ida — Deixar alguém sem ca- 
misa ; não lhe deixar nem a camisa. 

Ha sáe ema séluco nia sáça — Desa- 
possar. 

Ha sáe fama — Deshonrar ; infamar. 

Ha sáe faro — Despir. 

Ha sáe fátuco — í^spedregar. 

Ha sáe fátuco iha uma cacúluco — Des- 
telhar. 

Ha sáe fúlun — Depeunar. 

Ha sáe fúriu — Escumar, pag. 197. 

Ha sáe hias — jj)esarregaçar. 

Ha sáe hô biite — Arrebentar de riso 

Ha sí^e hôuci — Livrar de. 

Ha sáe hôuci ai bálun — Desencaixotar. 

Ha sáe hôuci búate ida — Tirar do 
nada. 

Ha sáe hôuci nia ã — Apartar de si. 

Ha sáe hôuci rai ocos — Desenterrar; 
exhumar. 

Ha sáe hôuci táhu môúute — Desatas- 
car; desatolar. 

Ha sáe hôuci uma nacúcun — Encarce- 
rar. 

Ha sáe íis — Alentar; anhelar; arfar; 
arquejar; bafejar; esfolegar; pag. 
198; espirar; offegar; suspirar no 
acto de morrer. 

Ha sáe iis icus — Arrancar o ultimo 
suspiro. 

Ha sáe inun — Desnarigar. 

Ha sáe inur — Idem. 

Ha sáe kilate — Desarmar. 

Ha sáe láran — Desentranhar; estirpar. 

Ha sáe lia — Fazer propósito; partici- 
par. 



Ha sáe lúlun— Desembrulhar; de^^^Q 
volver. 

Ha sáe málu — Substituir alguém. 

Ha sáe mânae — Refrigerar. 

Ha sáe mátan — Cegar. 

Ha sáe múçan — Descaroçar. 

Ha sáe náan icin iha rúim-^Escamarl 

Ha sáe náan icin iha iilo — EBcaveirarl 

Ha sáe náhan — Descarregar. 

Ha sáe náran — Infamar. 

Ha sáe néhan — Desdentar. 

Ha sáe ôna — Exposto. 

Ha sáe rái ráhun — Espanar. 

Ha sáe rái ráhun iha áin fátin — Saeu 
dir o pó dos sapatos. 

Ha sáe rôhan — Despontar. 

Ha sáe súlan — Abrir garrafa. 

Ha sáe táca — Destapar. 

Ha sáe táca úlo — Desbarretar; des<j<> 
brir-se. 

Ha sáe tais — Despir. 

Ha sáe úen — Distillar. 

Ha sáe úlun — Descabeçar. 

Ha sêi^ — Zombar na ausência. 

Ha sêiú ema ruma — Falar mal de al- 
guém. 

Hatáis áin fátin — Calçar. 

Hatáis faro bárac — Enroupar-se. 

Hatáis faro nanico — Idem. 

Hatáis hena Marômac — Paramentar-se 

Hatáis múis icin — Vestido justo âo 
corpo, pag. 268. 

Hatáis nú''udar feto sira — Adornar-se. 

Ha tâma áin fátin — Calçar. 

Ha táma búate suli iha láran — Engeí 
tar. 

Ha tâma bútan — Abotoar. 

Ha tâma icin iha kélen léete — Metter 
o rabo entre as pernas. 

Ha tama icun iha kélen léete — Idem. 

Ha tflma iha bótil — Engarrafar. 

Ha tama iha c«'»ta — Entranqueirar: en- 
trincheirar. 

Ha tama iha cúac — Encovar. 

Ha tama iha láran — Entranhar; met- 
ter dentro; internar. 

Ha tama úlun — Encabar de enxada. 

Ha tau lê*u — Assediar; cercar de pa- 
gar um quintal. 

Ha tau lútuco — Assediar. 

Hatéki â iha clalênòc — Espelhar-se. 

Hatéki bá hatéki mái — Olhar para um 
lado e para outro. 

Hatéki búate ruma — Pendurar os olhos 
em algum objecto ; pregar os olhos 
em alguma cousa. 

Hatéki ema ruma — Cravar os olhos 
em alguém ; não tirar os olhos de ai- 



55 



guem; pôr os olhos em alguma pes- 
soa. 

atén biiate ladáu succede — Adivi- 
nhar. 

atén euia ruma hôuci labáric ôan sei 

núrac — Conhecer alguém desde o 

berço. 

atén ema ruma nia sala — Dar na 

balda a alguém. 

atén la lós — Saber com incerteza. 

atén ôna búate ruma— Cair ou dar 

na coDta. 

atéten ato halo búute ruma — Persua- 
dir. 

atéten ato halo ema fier — Idem. 

'atéten bárac — Bachai*e]ar. 

atéten biíate ruma didi^ac — Saber 
alguma cousa de perto. 

[atéten háçan tós — Gaguejar. 

[atéten hála cbiite — Esforçar a voz; 
fallar alto. 

latéten halo hameuáça — Engraçar. 

latéten hó ema ruma — Allocuçao, 
pag. 95; fallar com alguém, pag. 

— lo. 

latéten hó ema ná'in — Lidar com 
muita gente. 

latéten hôto — Nào ha mais que dizer. 

latéten inár bái — Falar pelo uariz. 

latéten Jahóis récin — Tagarellar. 

latéten la mánan búate ida — Desper- 
diçar palavras. 

íatéten lia la nacláhen—Não fallar 
bem. 

latéten lia uá'in — Fallar pelos coto- 
velos. 

iatéten liu récin — Bacharelar; taga- 
rellar. 

iatéten sala fiian — Falar errado. 

iatéten sala láan — Idem. 

latéten táas lia — Falar como bem 
criado. 

iía tódan há né'e — Queira sentar-se. 

3a tódan fólin ^-Levantar o preço de 
uma cousa. 

Ha tóhar riiin — Fracturar. 

Batúdo láran di^ac — Agradecer. 

Hatúdo ôin cráic — Acabrunhar-se. 

Hatúdo ôin mérin — Ido.m; amuar. 

Hatúdo ôin djó^oc — Exultar de alegria. 

Hatúdo ôin môon — Acabrunhar-se; en- 
tristecer- se. 

Hatúdo ôin nacúruto — Franzir. 

Hatúdo uin náin — Franquear. 

Ha túm hôuci ró — Desembarcar. 

Ha túm iha rái — Espraiar. 

Ha túm iha rái rate — Idem. 

Ha túm náhan — Descarregar. 



Ha túruco cúus uén — Ter defluxo. 

Ha uai ba lórò — Assoalhar; enxugar 
ao sol ; pôr ao sol. 

Há'u ato sáe — Estou para sair.' 

Há'u bâ hira áto bá la háten— Eunâo 
sei quando vou. 

Há^u cacárac ne'e mai ha'u — Eji qtíero 
isto para mim. 

Há^u cahonôco búate ne'e— Isto agra- 
da-me. 

Há'u cala bá — Talvez eu vá. 

Há^u canôin sáe an — Conto sair ama- 
nhã. 

Há'u cmáus — Achar-se rieo, pag. 8. 

Há'u cole léete— Causei-me debalde. 

Há*u có nia — ílu com elle. 

Há'u hacárac hatéten hó F ...—Te- 
nho que falar com F . . . 

Ha'u hacárac né'e mai ha'u — Eu quero 
isto para mim. 

Há'u hacárac uá^n baço ó nia áço — 
Eu gosto muito do teu cão. 

Há'u hác mái — Eu é que vim. 

Há'u hála né'e hôuri labáric — Desde 
criança tenho feito isto. 

Há'u halo tiha ôna— Eu já fiz. 

Há'u halúha — Não me occorre. 

Há^u hanôin ato sáe ában — Conto sair 
amanhã. 

Há'u hanôin háac — Está me pare- 
cendo. 

Há^u hanôin hanéçap — Sou do mesmo 
parecer. 

Há^u hanôin la béle halo né*e— Aposto 
que não és capaz de fazer isto. 

Há'u hanôin nú^u né'e — Esta é a mi- 
nha opinião. 

Há^u haré ema ida sáe cúda — Vi uma 
pessoa a cavallo. 

Há^u hétan fátin áto bá— Tenho occa- 
sião de ir. 

Há'u icin cole — Estou cansado. 

Há^u icin dia'c — Achar-se bem, pag. 8; 
estou bom, pag. 206; eu estou bom, 
pag. 77 ; gozar de saúde, pag. 242. 

Há^u icin dia'c nafátin — Eu sempre 
gozo de saúde. 

Há^u icin malírin — Estou com frio. 

Há''u icin manas — Estou com febre. 

Há'u icin moras — Achar-se doente, 
pag. 8 

Há*u iha né'e — Eis-me aqui. 

Há^u iha óçan — Estou com dinheiro. 

Hâ úite debite — Lambiscar. 

Há'u la béle hála tan — Não está mais 
na minha mão. 

Há'u la béle halo né'e — Isto não está 
no meu poder. 



5(3 



lláu la béle hanôin — Kâo me oecorre. 

Há^u la dêuro áto mate — Não posso 
viver muito. 

Há^u lacôhi háten — Não se me dá nada. 

Há^a lacôhi òna — Já nâo quero. 

Há^u la déhan búate ida — Eu nada 
disse; eu não disse nada. 

Há^u la déhan óli — £u não digo mais 
nada. 

Há^u la déhan tan Mate ida — ídem. 

Há*u la haré cáre búate ida — Vm 
nada vi. 

Há^n la haré biiate ida — Idem. 

Há^u )a háten —Não sei. 

flá^u la háten búate ida — Não entendo 
palavra, pag. 319. 

Há*u la háten búate né'e iha né*e bé — 
Nâo sei que caminho levaram estas 
cousas. 

Há^^u la háten didi^ac — Ponho-lhe du- 
vida. 

Há'u liman róhan — Legar. 

Há^u maca mái — Eu é que vim. 

Ha^n maca né'e — Eis me aqui. 

Há'u maca dúcul — Tenho somno. 

Há^u meça cátac — Eu dizia cá com- 
migo. 

Há'u nia — E minha. 

Há'u nia ã — Eu mesmo. 

Há^u nia belo dóben — Meu querido 
amigo. 

Há*u nia émar — A minha gente. 

Há>u nia ráhun bádac — A minha vida 
é curta. 

Há'u rácic bá — Eu vou em pessoa. 

Há'u rôna sá — Que oiço? 

Há'^u sei lácon tômac mae lacôhi liala 
sala haçouro Kai Marômac — Estou 
disposto a perder tudo antes que a 
peccar ou oÍPender a Deus. 

Há^u séi máe iha fúlan né'e mate — No 
fim doeste mês hei de voltar. 

Ilá^u sóça né'e ba tudic ida — Isto cus- 
tou uma faca. 

Há^u nái hira áto bá lá cáten — Eu não 
sei quando irei. 

Hédi béci cúçan — Cravejar; encravar. 

Hédi iha cruz — Crucificar. 

Héin â — Queira sentar-se. 

Héla búate ruma — Ficar com alguma 
cousa. 

Héla catúas — Avelhentar. 

Héla féric — Idem. 

fléla fiador — Abonar. 

Héla lima róhan — Legar; testar. 

Héla tos nú'udar fátueo — Empeder- 
nir- se. 

Héla ulo témec — Encalvecer. 



Hemo héla lânaco — Embriagar- se. 

Hemo liu recin — Beber de mais ; guii 

Hemo tua lânuco — Embebedar-se: 
emborrachar- se ; embriagar-se. 

Hemo tua recin - - Enfnuscar-se em vi- 
nho 

Hemo uite fila fila — Beberricar. 

Hena hái cóçal — Xairel. 

Hena mútin harôuus — Toalha de rost». 

Hena mútin iha ícin — Parte do corpn 
branco. 

Hena mútin ki^ec ato tau óeti h'< crJii 
iha altar léten — Corporal. 

Hena seda hodi tan iha tiltar nic — 
Frontal. 

Hêno béci táu iha áin — Grilheta. 

Hêno béci táu iha líman — Algema. 

Hétan búate ruma — Atinar com al- 
guma cousa ; dar alguma cousa. 

Hétan Marõmac iha laléhan — Goznrs 
Deus. 

Hétan nú^udar hacárac — Cumprir sen 
desejo. 

Hétóc be*ic — Cada vez mais ícto- 
rante. 

Hétóc ladi'ac liu — De mal para peor. 

Heúuái ema ruma — Desdenhar de ril- 
guem. 

Hilas ema ruma — Dar ares a alguém; 
sair a alguém. 

Hilas feto háçan ráhun láe — Imberb'-. 

Hilas nia áman — Sair ao pae. 

Hirus — Estar levado da breca, pag. >*'• 

Hirus ema ruma — Apurar-se com al- 
guém, pag. 42 : estar ardendo contra 
alguém, pag. 44; nâo poder ver nl- 
guem, pag. 337 ; ter alguma pessna 
atravessada na garganta, pag. 55: 
ter raiva a alguém, pag. 3õ9 : trazer 
alguém entre dentes. 

Hirus hanéçan ho díhi — Abespinbar-se 

Hirus hó ema ruma — Pôr-se nral com 
alguém ; zangar-se coni alguém. 

Hirus ladi'ac ema ruma — Beber o san- 
gue a outrem. 

Hirus mátan moras — Doente do peito. 

Hirus náhi lalira — Frenesi. 

Hirus nú^udar díhi — Abespinhar-se. 

Hódi áhi clác taça — Emborralhar. 

Hódi áhu cócè — Caiar. 

Hódi ai báco — Acajadar, pag. 6; dar 
com pau. 

Hódi ai cacá^c cá'i — Agarrar cora 
cambo. 

Hódi ai canár hàm(>s — Varrer arro- 
jando. 

Hódi ai clalóloc baço — Medir ás va- 
ras. 



57 



»di ai dona túco — Dar cacetadas, 

pag. 84. 

'>di ai fúnan hadi^ac — Florejar. 

)di ai hacáhic — Atravancar. 

>di ain fátin tuco — Dar uma bofe- 
tada. 

)di áin sarna — Conculcar. 

)di áin túban sâma — Acalcanhar. 

>di ai sôurim táca — Arramar. 

>di ai súcate — Varejar. 

>di ai tauútaco tuco — Martelar. 

Sdi ai tui — Pautar. 

5di bá dú'uto — Apascentar ; pascer. 

ódi báliuco hacánèe — Machadada. 

óii báliuco tá^a — Idem. 

ódi béci cacáic cái — Apanhar com 

um ferro cortante na ponta de um 

pau. 

ódi béci dádul — Agrilhoar. 

ódi béci tanútuco tuco — y artelar. 

ódi bé halo nacônu — Alagar. 

ódi biite ato halo — Instigar. 

ódi biite ato sáe hôaci nia rái — Ex- 
patriar. 

iódi biite hacárac — Exigir. 

[ódi biite hala ema ruma nanôco — 

Pôr mão na boca a alguém ; tapar a 

boca a alguém. 

[ódi biite harúca — Exigir. 

[ódi biite ha sáe — Arrebatar; extor- 
quir; raptar. ' 

[ódi biite hatéten — Esforçar a voz. 

tódi biite hola — Empolgar. 

[ódi biite nanoco — Dar ura ponto na 
boca. 

[ódi biite sala hó fétorá — Estuprar. 

íódi biite soe — Arremessar. 

lódi biite ta ma — Invadir. 

lódi búate ruma bá nia — Levar-lhe 
alguma cousa. 

lódi búate ruma mái — Fazer alguma 
cousa. 

íódi cbabáruco báru — Assar em es- 
peto ; espetar carne para assar, pag. 
201. 

lódi cepilha halo cuére — Acepilhar. 

lódi clalái halo cúac — Brocar. 

lódi cnában fui — Baldear. 

lódi cuda bá dii'uto — Levar o cavallo 
a pastar. 

Sódi cuda óe baço — Chicotar. 

3ódi culite taça — Encoirar; encourar. 

Sódi dái tiha — Tarrafar. 

Hódi dicul baço — Dar cornadas ; es- 
cornar. 

Hodi dimen hacânéc — Azagaiar. 

Hódi dimen tuda — Idem. 

Hódi diidúco ráci — Calafetar. 



Hódi dá'uto fálun — Empalhar. 

Hódi ema ruma fátin — Fazer as vezes- 
de alguém. 

Hódi ema ruma nia fátin — Fazer as 
vezes de alguém, pag. 221 ; sapprir 
alguém, pag. 399. 

Hódi fátuQO táca rate — Enlousar, pag^ 
184. 

Hódi fiíi hác fuic — Apitar. 

Hódi fútu cábun fútu — Taxar. 

Hódi hác fálun — Empalhar. 

Hódi hamáha táca — Levar o pallio. 

Hódi hêaa áate fálun — Entrapar. 

Hódi hêna áate hanôhic à — Entra- 
par-se. 

Hódi hêna táca — Acobertar; empa- 
nar. 

Hódi hêno dadul — Acorrentar. 

Hódi hó biite — Arrebentar. 

Hódi ibun cair — Abocar. 

Hódi laháte cair — Enredar. 

Hódi láran di*ac — Agradecer; dar gra- 
ças ; reconhecer. 

Hódi láran di^ac ba ema ruma— Agra-^ 
decer a alguém. 

Hódi láran di'ac ba sé nala búate ruma 
di^ac — Gratidão. 

Ilódi láran di'ac hadômi — Idem. 

Hódi láran makérèc — Armar uma en- 
trega; atraiçoar. 

Hódi láran úlo — Dar graças. 

Hódi lilin coce — Encerar. 

Hódi lilin táca — Idem. 

Hódi liman cair — Manejar. 

Hódi liman coce — Dar fricçòefe com a 
mão. 

Hódi liman fúan hatudo — Mostrar com 
o dedo. 

Hódi liman hacáti — Mçdir a jialmos. 

Hódi liman hatúdo — Assinalar com o 
dedo. 

Hódi liman túco — Dar socos. 

Hódi malu táda — Fazer publico, tor- 
nar publico. 

Hódi Marômac húçu — Pedir por amor 
de Deus. 

Hódi Márômac nia náran — Em nome 
de Deus. 

Hódi mina coce — Azeitar, pag. ttO ; 
besuntar com azeite, pag. 72. 

Hódi mina coce búate ruma — Untar 
com alguma cousa. 

Hódi múrac méan táca — Dourar. 

Hódi óc báco — Chibatar. 

Hódi ôin mo'on — Entristecer-se. 

Hódi ráihenéc hâmos— Arear. 

Hódi rái ráhun táca — Empoar. 

Hódi rama icin hacânéc — Assetiar. 



58 



Hódi rana icin hacânéc — Dardejar. 

flódi sábâ face — Ensaboar. 

■ Hódi sáça hòuei rái iha ba li^r — Ex- 
portai*. 

Hódi sáça hóaci rái iha barái.séineo — 
Idem. 

Hódi sicuii tueo — Acotovelar. 

Hódi suráte fálnn — £mpap^ar-se. 

Hódi táhi táca — Embarrar. 

Hódi táhu halo â cfó*er — Enlamear-8e: 
enlodar-se. 

Hódi táhu halo cfó^er — Enlamear ; en- 
Iodar. 

Hódi tais tácii — Arronpar. 

Hódi táli dada hôuci cráic ba léten — 
Alar. 

Hódi thli sucáti — Cordear. 

Hódi táli tónda — Sirgar. 

Hódi tan mái — Fazer mais. 

Hódi taniituco tuco — Amartelar. 

Hódi túdic ida có â — Cortar com uma 
faca. 

Hódi ulo tueo — Dar uma cabeçada. 

Hó há^u duni — Commigo mesmo. 

Ho há*u rácio — Idem. 

Hola ai hà — Alimentar-se. 

Hola ai morúco — MeEÍnhar-se. 

Hola ba lia — Levar a mal. 

Hola conta hó láran — Zelar. 

Hola cuidado hó — Ter conta com. 

"Hola ema ruma nirudar maluco — Aca- 
maradar-se com alguém. 

Hola fali biite — Levantar o espirito. 

Hola feto ida ba fen lós— Receber por 
mu'her. 

Hola hó biite — Empolgar. 

Hola icin nirodar ema — Encarnação : 
encarnar. 

Hó láran áato — Malignamente. 

Hó láran' di-ae — Ardentemente, pag. 
44: humano, pag. 249: boamente, 
pag. 74: ; com alma e vida : com gosto, 
pag. 241 : com mào larga ; de boa- 
mente, pag. 74 ; de boa vontade, pag. 
429 ; devotadamente : do cora^ào : 
probo. pag. 349: voluntariamente: 
cortèz, pag. 12Í*- 

Hó láran makên-c — Fementido. 

Hó láran moras — Pesarosamente. 

Húla sentido didi*ac — Acautelar- se. 

Hola sentido hó — Ter conta com. 

Hó liman rua — Bimano: com duas 
màos. 

H«'* Mar«'«mac nia di*'ac — Com a ajuda 
de Deus^ : divinamente, pag. 165 : gra- 
ças a Deue. pag. 144. 

Hó Marômac nia tólun — Deante de 
Deus. 



i Hó nia alin maon nia fen — Aitim. 
I Hó nia duni — Com&igo mesmo. 

Hó nia maon alin nia fen — Affim. 
I Hórie iha cálan — Pernoitar. 
Hóric lha £&tin rama — Assistir em ai- 

gmn logar. 
fiorúto tabaco rahon — Cheirar rapé. 
Hó sira dani — Comsigo mesmo. 
Hôto búale rama tiís — Levar a crQ2 

ao calvário. 
Hôto ema nia mate — Depois dos dias 

de algaem. 
Hôto la béle mái sárac ida mái — Mo 

podem vir todos, basta que venha um. 
Hôto la béle mái sárac ida mai sárac— 

Idem. 
Hôto séi mate — Nós todos havemos de 

morrer. 
Hôuci ai abato — fiadical. 
' HôQci bálun né-eba — Da banda dela; 

dela. 
Hôuci bálun né*e mái — Ulterior, pag. 

109: da banda de cá: d^aqaem: 

d'aqui. 
Hôuci bálan né*e mái, hônci bálun née 

bá — De am e de outro lado. 
Hôuci cráic to'o léten — Debaixo arri- 
ba, pag. 47. 
• Hôuci fàtin séloco — Por outro logar. 
Hôuci f<''ho bálun né*e mái — D'aqaem 

do monte. 
Hôuci há*a sáe ba ó — Sae de mim 

para ti. 
Hôuci laléhaa — Lá do alto. 
Hôuci léten t«'»*o cráic — De cima até 

abaixo. 
Hôuci liman 0>co8 — Por baixo de mâo. 
Hôuci mota bálun né'emái — Da banda 

de cá da ribeira: d^aqaem da ri- 
beira. 
Hôuci né'e bá — Por lá ; d*ahi : d'ali : 

lie lã. 
Hôuci né*e bá né*e bá — D'aqai para ali. 
Hôuci né*e be — D onde : por onde. 
Hôuci nô*e bé la bele lá*u — Impervio 
Hôuci né'e mái — De cá, 
Hôuci nê*e mái, hôuci né*e bá — D*aquem 

e dalém ; de cá e de lá. 
Hôuci né*e tô*o Dilly bécic — Quando 

vae d 'aqui a Dilly. 
Hôuci né*e tô*o Dilly dó^oc — Idem. 
Hôuci né*e tóo né^e bá — D*aqai aí<^ 

ali : desde aqui até ali. 
Hôuci taci bálun né'e mái, hôoci taci 

balun né*e bá — D^aqnem e d 'alem 

mar. 
Hôuri bai hira — Que tempo ha; desde 

quando. 



59 



3uri bai rua — Ante-bontem. 

5uri baláun — Nao façam estrondo. 

5uri búate né'e — Nâo faça isto. 

ôuri hnla né'e — Idem. 

5uri ctuir né'e — Nâo faças caso d'Í8to. 

5uri déhan né*e hó bá^u — Não me 

falle nisso. 

ôuri fáhe — E bom poupar. 

5uri fier né'e — Mão creia nisso. 

ôuri bacáas recin lia — Deve baver 

prudência. 

ôuri hác fobôco rccin — Idem. 

ôuri keta — Espera nâo faças isso. 

ôuri labáric bá^u bala né'e — Desde 

criança tenbo feito isto. 

ôuri móris iba inan nia láran — Con- 
ceber, pag. 117. 

ôuri ohis ôan né'e — Ha pouco. 

ôuri táuco — Não tenbas medo. 

ôuri tempo né^e bá-^ Desde então. 

ôuri teri néticuna batéten — Não in- 
terrompas quem está falando. 

ôuri tinan ida — Ha um anno para cá. 

ôuri tinan ida ôna — Ha um anno a 
esta parte. 

ouri timidác — Ha um anno ; ba um 
anno para cá. 

úôuri toba ampa — Alva; alvorada; 
ante-aurora; ante-manhã; aurora. 

íôuri nai ruác — Ante bontem. 

[ôuri iilu uliico — Desde que o mundo 
é mundo ; ab eterno. 

liicic dálan di'ac ato ctúir dálan áate — 
Extraviar- se. 

íúcie fátin sáun — Ancorar ; acostar ; 
fundear. 

íúeie Marômac — Descrer de Deus. 

íuçu bá ema ruma — Pedir por al- 
guém. 

lúçu bá ema séluco — Advogar. 

lúçu fali sala — Pedir desculpa. 

lúçu fila fila — Conjurar ; insistir ; ins- 
tar. 

lúçu bias sala — Escusar- se; pedir 
desculpa. 

íúçu hódi Marômac nia náran — Ad- 
jurar. 

lúçu Marômac — Eneommendar-se a 
Deus. 

lúçu Nailulic barái comunbâ — Pedir 
a communbão a algum padre. 

íúçu ná'in baço — Pedir com inbtancia. 

íúdi dúbum láec — Banana. 

lún fó sánac, sánac fó cúnac, cúnac fó 
tàhan bó fúnan, fúnan fó fúan — O 
tronco dá os ramos maiores, estes dâo 
03 mais pequenos, estes dão as fo- 
Ibas e flores, estas dão os frutos. 



lan ôin batudo — A cara o diz, pag. 93. 

Ibun cúlite náraco — Beiçudo. 

Ibun cúlite nia — Labial. 

Ibun rábun foi moço — Buço. 

Ibun rábun lélas — Bigode retorcido. 

Ican icun náruco — Kabada. 

Icbêi ei — Ah! que já me nâo lembra- 
va, pag. 273. 

Icin cánec di'ac ôna — Encoirar. 

Icin fúlun nácsó'i — Levantarem-se os 
cabellos com medo. 

Icin fúlun nácsôite — Idem. 

Icin fúlum nac só'ic — Arripiar os ea- 
bellos com medo. 

Icin fúlum nac sóite — Idem i. 

Icin la cánec — Corpo enxuto. 

Icin manas ki^ec — Febrinba. 

Icin manas ládi'ac — Febrão. 

Icin moras úate — Entrevado. 

Icin mdras mátec — Entrevar-se. 

Icin nac sacáte — Arripiar os cabellos 
de espanto. 

Icin nú^udar ema — Encarnado. 

Icin séi áate úite — Convalescer. 

Icin séi ladáu di^ac — Idem. 

Icus mái — Por fim de contas. 

Ida ctúir séluco — Um depois do ou- 
tro. 

Ida déban néc séluco déban búate sé- 
luco — Qual disse isso, qual disse ou- 
tra cousa. 

Ida idác nú^udar bacárac — Fazer cada 
um o que entende. 

Ida idác táda nia rábun — Cada um 
sabe da sua vida. 

Ida ida ctúir — Alternar. 

Ida ida ctúir nia dálan — Ir cada qual 
por seu caminho. 

Ida la béle nia — Invencível. 

Ida láe icus — A par. 

Ida láe ulúco — Idem. 

Ida lá icus — Idem. 

Ida lá ulúco — Idem. 

Ida né^e bá — Aquelle ; aquella ; aquillo. 

Ida né'e bé — Qual. 

Ida né^e m4i — Esfoutro. 

Ida ne'er séluco — Eis outro. 

Ida né^e séluco — Est'outro. 

lha bé fóbon — yio lume de agua. 

lha bé léten — A tona de agua. 

lha cálan ba béle dúcul — Não pregai 
olho durante a noite. 

* Nestas phrases a diflferente maneira de es- 
crever 08 vocábulos nac8o'ij nac soHc, fuic sôUe e 
nacsoite, parecem-me eimples eiTog typographi- 
cos. 



60 



lha cálan la diicul — Passar a noite 
em claro, ptLs. 110. 

lha cráic né'e bá — Lá baixo. 

lha ema bárac sira nia ôin — Em pu- 
blico. 

lha ema fátin — Substituir. 

lha ema ida nia ôin — Na face de uma 
pessoa. 

lha ema ruma — Abdicar em alguém. 

lha ema ruma iha liman ocos — Su- 
jeito. 

lha ema ruma nia liman — Km poder 
de alguém. 

lha ema ruma nia ôin — Deante de al- 
guém ; nas barbas de alguém ; na 
presença de alguém : perante al- 
guém ; 

lha ema ruma nia sônrim — Ao lado de 
alguém. 

lha fátin hôto — Em toda a parte. 

lha fátin ruma — Algures; (Mn algum 
*logar. 

lha fátin séluco — Aparte: ora outra 
parte. 

lha fátin tômac — Em todo o logar. 

lha fátin úluco — Fistarna cabeceira do 
rol. 

lha fitun iha rén tós — Ter estrella na 
testa. 

lha fôho hiíu — Ao sopé da montanha. 

Iha fóho túlun — P^m cima da monta- 
nha ; no cimo da montanha. 

Iha fúlan alin — I)'aqui a um mes; 
para o mês que vem. 

Iha fúlan cláran— No meado do mes. 

Iha fúrac móruco úite — Amarujar. 

Iha háçan tós — Balbuciar; gaguejar. 

Iha haié diVuto ema nia mátan hó haré 
ai iha íta nia — Vemos um argueiro 
no olho alheio, e não vemos uma 
tranca no nosso. , 

lha háHi nia ôin — A minha vista ; ante 
mim ; na minha presença. 

Iha icin di*ac — Lograr saúde. 

Iha icin drac nafátin — Gozar de 
saúde. • 

lha icus — Por fim de contas. 

lha icus fálin — Finalmente. 

Iha inan nia côiius — Ao bafo da mâi. 

Iha ita nia tempo — Em nossos dias. 

Iha kélen léete — Entre pernas. 

Iha láran áate — Andar nas bocas do 
mundo. 

Iha láran makérec — Atraiçoar; affec- 
tar; trahir. 

Iha léten né^e bá — Lá arriba ; lá em 
cima. 

Iha liman láran — Entre mãos. 



ha liman ocos — Idem. 

ha lóron tôlo — Dentro de três dia>. 

ha mátan cánic — Ambicionar. 

ha meça ran — E^nsanguentar. 

ha mota díín — A beira do rio. 

ha né^e — Aqui está. 

ha né^e bá — Acolá; ali; eis ali: esâ 

acolá, pag. 206 ; lá. 
ha né^e bé — Aonde ; para onde. 
ha né*e dúni — Ahi mesmo, 
ha né*e la múkite búate ida iha néeM 

mukite búate nain — Aqui não hln 

nada, acolá faltam muitas cousas, 
ha nia cotiico — Detrás da casa. 
ha nia deite — Em vez d*elle. 
ha nia fátin — Em logar d*elle. 
ha nia ôin — Ante elle ; na sua cara. 
ha nia uma — Em casa d^elle. 
ha óda mátan — Postigo, 
ha ôin cráic — Acabrunhar -se. 
ha ôin naciiruto — Ter a cara enL- 

Ihada. 
ha ôin séluco — DiflPerençar-se. 
ha ôna lórun ruma — Ha dias. 
ha ííras né*e — Entrementes ; entre- 
tanto, 
ha rái ráhun — £mpoeirar-se. 
ha sanulo há sáe ida, — Dizima. 
ha sôurin caniço — Á mâo esquerda, 
ha sôurin côana, — A mâo direita, 
ha taci diin — A beiramar. 
ha taci ninin — Idem. 
ha tínan bárac — Annoso. 
ha tinan ida — Purante um anuo. 
ha uc fóhôn — A tona de agua. 
ha úlo ládi*ac — Ter poucos miolo.-, 
ha iilo tós — Ser rude. 
ha uma cótuco — Atrás da casa. 
ha uma láran — Dentro de casa: ie 

portas a dentro, 
mi lió nia — Vós com elle. 
nan bei ála — Bisavó; tresavó. 
nan bei ála súçu — Bisavó matenuK 

tresavó materna, 
nan bei siiçu — Avó materna, 
nan dóra nái — Tresavó. 
nan féric siiçu — Avó materna, 
ta bá halo nóbun né*e — Vamos acabai 

isto. 
ta bá iha bé — Aonde vamos nós. 
ta bá iha née bé — Aonde vamos wk 

para que parte vamos, 
ta bá nú^u bé — Aonde vamos nós. 
ta béle halimar, mae lá béle hatéte 

sala — Nunca se deve gracejar offen 

dendo. 
Ita bóote nia náran sá — Qual é o s 

nome ? 



61 



L liaré ai ôhar ema nia mÃtan la haré 
a.i rii iha ita né^e mátan dúni — Ve- 
mos um argueiro no olho alheio, e 
'saRo vemos uma trave no nosso. 
a hó eira — Nós com elles. 
Et Loto sei mate — Todos havemos de 
morrer. 

a la béle halo búate áate bá málu — 
^ao devemos fazer mal ao próximo. 
a la halo né^e nu^u sá — Porque nâo 
faremos isto ? 

a náran sá — Como é a sua graça? 
qual é o seu nome? 
a nia âman — O seu pae. 
:a séi hála sá — Que havemos de fa- 
zer. 
:a séi hanôin molúco hála búate ru 
ma — A reflexão deve preceder a ac- 
ção ; piámeiro que cases vê o que fa- 
zes, 
ta séi mate tumac — Todos havemos 

de morrer. 
ta tômac — Nós tcdos havemos de 
morrer. 



lesus Christo nia figura iha cruz — 
Crucifixo. 



ECéci iha dá'uto — Apascentar. 

Ivée né dadálan — Fazer regueiro, 
pag. 57. 

Kée né séran — Fazer rego. 

KétsL bóote — Não bulas nisso. 

Rèta ctúir né*;e — Não faças casod^isto. 

Kéta fabe — E bom poupar. 

Kéta fier né*e — Não creia isso. 

Kéta halo estrondo — Nâo façam es- 
trondo, pag. 210. 

Kéta oli — Não tornes a fazer isso. 

Kéta oli teri nétic ema hatéten — Não 
interromper quem fala. 

Kéta eóça búate ruma áate — O barato 
sae caro. 

Kéta táuco — Não tenhas medo. 

Ki'éc liu recin — Imperceptivel. 

Kilate fiían ki'éc — Balote. 

Kilate ráhum fatin — Paiol; polvari- 
nho. 

Kilate ráhum né^e bé ema táu iha ki- 
late dábur — Escorva. 

Kilate ráhun né^e bé ema táu iha ki- 
late mátan — Idem. 

Kitiliti dem — Os pirilampos refulgem. 



Lá^a hacôi ã — Andar agachado. 
Lá'a ha dóre — Atravessar um monte. 
Lá^a ho bároc — Tardo no andar. 
Lá^a la teto — Passar de largo. 
Lá^a lemo rái — Correr terras ; perigri- 

nar ; ver mundo. 
Lá^a lemo rái uá^in — Correr as sete 

partidas do mundo. 
Lá^a liu ema ruma — Deixar alguém 

atrás. 
Lá*a ôin rói te — Arrebitar- se, pag. 46; 

andar com modos altivos. 
Labáric bútuco halimar — Rapaziada. 
Labáric halimar dê4te — Garoto, pag. 

238. 
Labáric halimar dê'íte iha li^ur — Gaia- 
to, pag. 236. 
Labáric hôuci tinan sanulo récin háte 

tó^o rua nulo récin lima — Adoles- 
cente, pag. 13. 
Labáric láruco ôin tós — Diabrete. 
Labáric lia hákilar — Vagido. 
Labáric mane foi uái — Rapaz púbere. 
Labáric aé^e di^ac mane né*e ba di^ac — 

Este rapaz é bom ; aquelle homem é 

mau. 
Labáric ôan nia — Infantil. 
Labáriu ôin tós — Diabrete. 
Labáric séi múrac — Menina de leite. 
La béle bó^oc — Inabalável. 
La béie cole — Incansável. 
La béle dódoc — Incompatível. 
La béle fáhé — Inseparável. 
La béle hacsolóc ã — Inconsolável. 
La béle hála ctúir né^e — Não faças caso 

d'isto. 
La béle ha sáe — Indelével. 
La béle halo búate ida — Ficar com as 

mãos <atadas ; não prestar para nada 

alguém. 
La béle hai"é tau — Perder de vista. 
La béle hatéten — Mudo. 
La béle hatéten di'ac — Balbuciar. 
La béle hatéten mós — Idem. 
La béle héla — Indispensável. 
La béle héli — Não saber dizer que não, 

pag. 166 ; não ter boca para dizer que 

nâo. 
La béle hola né^e ba lia — Não se deve 

levar a mal. 
La bele láa — Não poder dar um passo ; 

ppgarem-se os pés. 
La béle lamas — Impalpável. 
La béle láu — Não poder dar um passo. 
La béle nanôco — Ser cesto roto. 
La béle ôna — Impossibilitar-se. 



&2 



La béle rái lia ha côin — Sm* cesto roto. 

La bèle sala — Impeccavel, infallivel. 

La béle sáe — Inseparável. 

La béle sadère — Desarrumar. 

La béle selo — Impagável. 

La béle sélaco — Inalterável. 

La béle simu — Inadmiti^ivel. 

La béle sinte — Insensível. 

La béle súra — Immemoravel. 

La béle térus — Impaciente ; intolerá- 
vel. 

La béle tó*o — Inacessível. 

La béle truca — Inalterável. 

La béle tún — Dar com a carga em terra. 

La béle tur nanôco — Ter bicho de car- 
pinteiro. 

La búate ida — Nada. 

La cátac búate ida — Nâo dizer sim nem 
nào. 

La cárac tem — Franco. 

La cáueo búate ida — Quem tudo sabe 
nâo ignora nada. 

La clêuro ato mate — Estar para moiTcr. 

La clêuro ato sae — Estar com o pé no 
ar. 

La cmátec — Ter bichos carpinteiros. 

Laco ai ida — Levantar um pau para 
bater com elle. 

Lacôhi búate ida — Abnegação. 

Lacôhi caço â — Abdicar. 

Lacôhi ctúir ema séluco má lia — Não 
dar seu braço a torcer. 

Lacôhi ctúir nia — Abandonar ; despre- 
zar. 

Locôhi déhan búate ruma — Andar com 
arcas encoiradas. 

Lacôhi fier Marômac — Descrer de Deus. 

Lacôhi fila bá di^ac — Endurecer-se no 
crime. 

Lacôhi hanôin liicas sala hó láran mo- 
ras — Impenitente. 

Lacôhi sé ôin — Irreconciliável. 

Lacôhi rôna — Fazer ouvidos de merca- 
dor. 

Lácon áço ná4n — Descoroçoar, pag. 
146 ; desalentar ; desanimar. 

Lácon biite — Cair o coração aos pés. 

Lácon lia táhan — Perder o fio ao dis- 
curso. 
Lácon liu récin — Prodigalizar. 
Lácon ró nacráhun — Naufrágio. 
Lácon tôman mánan tôman — Afeito a 
ganhar e perder ; estar acostumado a 
perder e ganhar, pag. 10. 
La ctúir di''ac liu — Péssimo ; ser da 

pelle do diabo. 
La ctúir láran áate — Refrear paixões. 
La ctúir lia — Quebrar a palavra. 



I^a ctúir Maròmac — Impiedade. 
La ctúir nia lia — Faltar a palavra. 
La ctúir sala — Infringir. 
La déhan búate ida — Não dizer olq 

nem bus. 

La déhan búate ida tan — Tal nâo áis^ 
La déhan búate séluco — Idem. 
La dí^ac liu — Diabo encarnado, p^u 

177; péssimo. 
La dúcul iha cálan — Passar a noite oi 

claro. 
La dúcul ôna — Desperto. 
La ema ida — Nenhum. 
Lá^en nia aiin màun — Cunhado. 
Lá^en nia bin — Cunhada. 
Lae selo túçan — Calote. 
Lafáòc rai máran — Sardâo. 
La fáhé recín — Economizar. 
La fila fila — Raras vezes. * 
La fó fátin ato hatéten — Não dar logai 

para falar. 
La hã búate ida — Fazer cruzes na boca. 
La hadômi Marômac — Perdido do amcr 

de Deus. 

La hã la hêmo búate ida hôuri sáko 
bóote — Estar em jejum desde a meia 
noite. 
La hála pecado cfó^er — Continência. 
La hâ liu récin — Moderação. 
La halo áate — Evitar o mal; inolFen- 

sivo. 
La halo búate ida — Estar á boa vida: 
estar com os braços cruzados ; inac- 
ção, pag. á54. 
La halo caso — Desamparar ; descai- 

dar-se. 
La halúha búate ruma — Nâo perder o 

ponto de alguma cousa. 
La hameláha ôna — Saciar a fome. 
La haméroc ôna — Saciar a eéde. 
La hametáuco búate ida — Impávido. 
La hametáuco ema ruma — Entesar-se 
com alguém ; perder o respeito a al- 
guém. 
La hanôin mate — Nenhum pensamento 

de morte. 
La hã récin — Guarda a boca. 
La haré didi'ac — Ter cataratas nos 

olhos. 
La háten — Andar ás apalpadellas. 
La háten búate ida — Não saber nada. 
La háten búate ruma — Estar alheio a 
alguma cousa; ser estranho a alguma 
cousa. 
La háten di*ac — Não saber ao certo. 
La háten los — Confundido; estar eiii 
duvida; não faber ao certo; saber 
com incerteza. 



63 



háten nâni — Nadar como um prego. 

. háten sêi halo sá — Dar com a ca- 
beça pelas paredes. 

. hatéten liu récin — Moderação. 

t hatéten los — Comer as palavras. 

i hêmo liu récin — Moderação. 

í hirus hó ema ida — Estar bem com 

todos. 

i hó biite — Voluntário. 

L hódi biite — Idem. 

i hóla liu — Incivil. 

i húçu hétan — Deparar. 

li déhan biíate ida, lai déhan búate 

séluco — Dizer de uma vez uma cousa 

e de outra vez outra; ora diz uma 

cousa, ora diz outra. 

i iha búate ida — Não ter em que Deus 

chova ; não ter leira nem beira *, não 

ter onde cair morto. 

3L iha clamar — Inanimado. 

a iha clamar mVudar ema — Irracio- 
nal. 

a iha dúis — Desasisado. 

a iha ema ida — Não ha alma viva ; 

nem viva alma. 

a iha fátin ida — Nenhuns. 

a iha icin — Incorpóreo. 

a iha icus — Eternamente, indefinido, 
intinito, infinidade. 

a iha iis — Inanimado. 

a iha óçan ato sélo tiíçan — Feliz de 
bens. 

a iha ôna — Concluir. 

■a iha ôna biite — Enfraquecer- se. 

ia iha ôna búate ida — Estar com a 
corda na garganta. 

»a iha ran — Exangue, incruento. 

ia iha s41a — Immaculado, impolluto, 
inculpado, innoeente. 

ja iha sucáte — A granel. 

íB. iha tau^ — Não ha mais. 

ja iha tempo — Nao ter uma hora de 
seu. 

ia iha údan — Abrigar-se. 

ja iha úluco la iha icus — Eterno, infi- 
nito. 

jái ida iái séluco — Ora um, ora outro. 

jakeru mútin bôcae — Cabaça branca 
que se come. 

ja lâcon récin — Economia; economi- 
zar. 

jaláis — Com rapidez ; de carreira; de 
chofre ; de contado ; de corrida ; em 
continente ; num salto ; sem demora. 

-iftláis liu — Num abrir e fechar de olhos. 

líálar áçôco tôlun — Vareja. 

Ular bá ahi — Enxugar ao fogo. 

Lalar bá iha áhi — Idem. 



Laléhan hó rái Marômac nia hahálac — 
O ceu e a terra são obras de Deus^ 
pag. 309. 

Laléhan hó rái Maromac nia haháloc — 
Idem. 

Lalica búate né'e — Escusa-ge isto. 

Lali lalais nú'u né'e — Não vás com 
tanta pressa. 

Lá lós — Não ter pés nem cabeça ; con- 
trario, pag. 125. 

La mánan búate ida — Infrutuoso. 

La móe búate ida — Andar com a cara 
descoberta. 

Lá ós né^e bá ida né^e — Não é aquelle 
senão este. 

Lá os né'e né'e bá — Não é este senão 
aquelle.' 

Láran áate — Diabo encarnado, pag. 
177. 

Láran di'ac hó Marômac — Fé. 

La rôna búate ida — Entrar uma cousa 
por um ouvido e sair por outro. 

La rôna didi^ac — Duvidar. 

Larus ha téllo — Adelgaçar qualquer ob- 
jecto. 

La sala biiate ida — Innoeente. 

La sala cfó'er — Castidade^ pureza. 

La sara lia — Incivil. 

La táas lia — Alarve, incivil. 

La táca icin didi*ac — Immodesto. 

La táda búate ida — Estúpido. 

La táda lós — Confundir; duvidar. 

La tau áin fátin — Descalço. 

La tau náran — Anónimo. 

La tito tau — Desesperar. 

La tôman ôna — Deaacostumar-se ; des- 
habituar-se. 

Láu bárac — Andar as sete partidas do 
inundo. 

La uále búate ida — Inútil; não vale 
dois caracoes ; não vale nada. 

Láu foti ain — Apertar o passo, 

Láu hacôi ã — Andar agachado. 

Láu hacsúmic ã — Idem. 

Láu hodi ai latôan — Andar em muletas. 

Láu lábu lábu — Andar perdido. 

Láu lalais liu — Alargar o passo; do- 
brar o passo. 

Láu lalais liu uite — Apertar o passo. 

Láu liu ema ruma — Tomar a deanteira 
a alguém. 

Láu náhi lalábun — Andar ás apalpa- 
dellas. 

Láu nú^udar lanúco — Andar como os 
bêbedos. 

Léete — Sem gloria ; sem perigo ; sem 
proveito. 

Léete ale — Com perigo ; em perigo. 



64 



Lêur ato mate — Agooizar. 

Lêur ato mate di^ac — Ajudar a bem 
morrer. 

Lêar ema beis ato mate — Assistir a um 
moribundo. 

Lêur ema moras — Tratar doentes, 

Lêur ema ruma — £m volta de alguém. 

Lia áate bá ema — Maledicência. 

Lia ato cáben — Esponsaes ; palavra de 
casamento. 

Lia ato balimar — Gracejo. 

Lia bibi ma lai nia — Mé. 

Lia bóçoc uá4n — Um chorrilho de men- 
tiras. 

Lia fúan los — Preito, pag. 345; pro- 
messa, pag. 350; votar á maneira dos 
indigenas; voto. 

Lia lá los — Balela; injustiça. 

Lia né'e cátac sá — Que querem dizer 
estas palavras. 

Lia né^e sá ida — Idem. 

Lia ôin cráic ôna ó — Dou- te uma triste 
noticia. 

Lia ôin cráic niVu sá — Que é. 

Lia uite ôan bá Marômac — Jaculató- 
ria. 

Lídun háte banéçan — Quadrado. 

Liman fúan cucámac — Dedo pollegar. 

Liman fúan cukilac — Dedo annelar. 

Liman fúan fátin — Dedada. 

Liman fúan fucámac — Dedo pollegar. 

Liman fúan fúeláras — Dedo máximo. 

Liman fúan fukílac — Dedo annelar. 

Liman fúan fútuco — Dedo indiee ou 
mostrador. 

Liman fúan fútudo — Dedo index, pag. 
2Õ7. 

Liman fúan icun — Dedo auiicular, mi- 
minho ou minimo, pag. 140. 

Liman fúan lacláran — Dedo máximo. 

Liman fúan fila ba liman cliac — Fa- 
zer-se um dedo tâo grosso como o 
pulHO. 

Liman fúan latudo — Dedo index, pag. 
257. 

Liman fúan liman cliac fila — Idem. 

Liman fúan lulúco — Dedo índice ou 
mostrador. 

Liman icin rua — Dois punhados. 

Liras la iba — Desasado. 

Liru ai fúan — Atirar com pau ás fru- 
tas. 

Liru búate ruma — Atirar a alguma 
cousa com pau pequeno. 

Liu dadáun bá — Vá andando seu ca- 
minho. 

Liu ema mate — Depois dos dias de al- 
guém. 



Liu folan rua — Dois meses depois. 
Liu lóron uálo — De oito dias a est 

parte. 
Liurái baça tab — O rei vae á neeesá 

dade. 

Liurái f útar icin manas — Doença do re 
Liurái fútar mátan — Olhos do rei. 
Liurái fútar úlo — Cabeça do rei. 
Liurái fútar unúco — ^Vestido do rei. 
Liurái ha dúcul — O rei dorme. 
Liurái ha tún lia — O rei diz ; fala. 
Liurái ha uái fútar mátan — O rei esti 

acordado. 
Liurái hiite ã — O rei vae ou quer ir 
Liurái hiite a fátin — O rei a cavallo 
Liurái hó nia en hó nia ôan — Familii 

real. 
Liurái icin lá cmáu — O rei está can 

sado. 
Liurái ida úcum ema náin — Um reino 

governa muita gente. 
Liurái iha dúlu láran haeucúte han- 

bate — O rei está dormindo bem fe- 
chado no quarto. 
Liurái iha ema náin iha nia liman U 

ran — Um reino governa muita gente. 
Liurái iha ema náin iha nia limào 

ocos — Idem. 
Liurái nâ sáe a — O rei morreu. 
Liurái nia áin — Cavallo do rei. 
Liurái nia clóçan — Povoações mais 

próximas do rei que lhe £azem ser- 
viço. 
Liurái nia lámac — Comida e bebida 

do rei. 
Liurái nia uma — Casa real ; paço. 
Liurái nia uma iha taci bálun — Corte. 
Liurái nia únuco — Vestido do rei. 
Liurái ôan feto — Princesa. 
Liurái uan nia feto — Idem. 
Liurái sair cóçal — O rei toma banho. 
Liurái soe ain — O rei vae ou quer ir. 
Liurái tino — O rei está sempre em 

casa, nâo sae ou não pode sair — pag. 

368. 
Liú tinan ida — Anniversario. 
Loco ã — Ter-se em conta de grande 

homem. 
Loco á dúni tan — Fazer gala de. 
Lohi iba bá áhi — Enxugar ao fogo. 
Lóke bótil ida — Destapar garrafa. 
Lóke óda mátan — Abrir a porta. 
Lóke óda mátan didrac — Escancarar. 
Lóro ás ôna — Muito ,de dia. 
Lóro cóçal lôtuco — As oito horas, pa^f. 

248. 
Lóro mátan boas — Nascimento do sol: 

ás seis da manhã, pag. 348. 



65 



lóro mono nacúcon ôna — Á boca da 
noite. 

ióro narôma ôna — Ser de dia. 

tÓYo úlo fòhon — Meio-dia ; no pino do 
dia. 

ióro úlo fôhon coto túco ida — Uma 
hora, depois do meio-dia. 

iórun hamêno ôna — Dia aprazado. 

jórun hito houri domingo tó^o Babba- 
do — Semana. 

iórun icus náton rái né^e séi hôto — 
Dia do juizo. 

iórun ida nia — Diurno. 

iórun jejum hâ úite iha cálan — Con- 
soada. 

iórun Iórun lá na léete — Vir todos os 
dias. 

jórun mái Iórun mái — Annoedia; to- 
dos os dias ; quotidianamente ; sem- 
pre. 

jórun rua rua — De dois em dois dias. 

iórun ruma ba Jórun ruma láe — Uns 
dias vae, outros não. 

iórun ruma tau — D 'aqui a alguns 
dias. 

jórun sanúlo récin lima — Quinzena. 

-órun tolo tolo — De três em três dias. 

jÓs é láe — Nâo é certo. 

jÓs ó hacárac — Conforme quizeres. 

jóuri ema ruma — Levar ás costas al- 
guém. 

júlie aço uá4ii — Feitiço de guerra. 

Aili ha náan — Abstinência de carne. 

iúlun ha sá'e — Arregaçar. 

iúlun ha sá'ec — Idem. 

iúraute ai tútun — Musgo, pag. 302. 

júmute bé láran — Lima, pag. 276. 



m: 

lacáe lúlic rate — Coveiro. 

lácin la iha — Falta de sal. 

lácin midal fátin — Açucareiro. ' 

íahóho aate ema — Homicida. 

Ia húcic dór — Caçador. 

lái fila fila — Frequentar. 

lái ha toda né'e — Queira suster-se. 

lái hó há'u — Vem commigo. 

lái hôuci li^ur — Estrangeiro; estranho. 

lái iha hanôin — Oceorrer. 

íái iha iié'e — Anda cá ; vem cá. 

lái lai — Anda cá. 

íai lai iha né*e — Vem primeiro aqui. 

dái la léete — Vir sempre. 

dái tó'o ai bóote — Arvorecer. 

dalirin liu récin — Glacial. 

^lane ain bádac — Anão. 



Mane ain crádec — Anào. 

Mane bároc tem — Homem brando. 

Mane béic la bádain — Homem sem arte. 

Mane cáben los — Conjugue. 

Mane cnáar náin — Homem de campo. 

Mane catúas ôna — Homem de dias, 
pag. 161. 

Mane di^ac liu — Homem de grande 
equidade. 

Mane ema séluco hadômi — Amado. 

Mane fútu ôna lia áto cáben — Noivo. 

Mane ha fólin — Homem de negocio. 

Mane halo búta — 3otoeiro. 

Mane halo tubi ráhun — Moleiro, pag. 
297. 

Mane hametáuco tem — Homem apou- 
cado. 

Mane hó feto lá cáben móris ladi^ac — 
Amancebado. 

Mane ho ôin di'ae — Homem de boa 
presença. 

Mane icin cacúm méac — Homem aco- 
breado. 

Mane icin métan — Homem preto. 

Mane icin mútim — Homem branco. 

Mane ida móris hó feto bárac — Bí- 
gamo. 

Mane iha cáite rua — Idem. 

Mane móris hó tito láe cáben iha uma- 
creda — Concubinario. 

Mane ué'e bá maténec — Aquelle ho- 
mem é sábio. 

Mane ôi ckbôubil — Homem grosseiro, 
malcriado. 

Mane ruma haré há'u hôuri séhic — Al- 
guns hoipens viram-me hontem. 

Mane ruma raré há'u hôuri séhic — 
Idem. 

Mane sélueo hálai — Os outros homens 
fugiram. 

Mane uma cáin — Amasio. 

Mano aman ôan — Frangão ; frango. 

Mano bárac hamiituco — Bando de 
aves. 

Mano fóre fúnan — Gallo vermelho 
com algumas pennas brancas. 

Mano icun bóèc — Gallo com pennas 
grandes nà cauda, pag. 237. 

Mano inan ôan — Franga. 

Mano núnun méic — Bico. 

Mano sáe ba ai túr fátin — Empolei- 
rar-se. 

Mano tôlnn hamútuco iha cnú'uco — 
Ninhada, pag. 306. 

Mano tôlun módoc — Gema. 

Mano tôlun mútin — Clara de ovo. 

Mano tôlun nafátin iha cnú''uco — En- 
dez, pag. 180. 

5 



(><; 



Mano tôlun sôna — jQvos fritos. 

Mano úlun cacútac — Com algum san- 
gne ainda. 

Ma òfao áate ema — Assassino. 

Ma ôho ema — Idem. 

Marômac béle hala tômac — A Deus 
nada é impossível. 

Marômac di*'ac Hu tômac — O eterno. 

Marômac hacárac — Aprouve a Deus. 

Marômac halo ft mane — Jesus. 

Marômac halo laléhan ho rái — Deus 
criou o ceu e a terra. 

Marômac haníca — Deus prescreve. 

Marômac hác nakiac laéhan nó rái — 
Deus criou o ceu e a terra. 

Marômac harúca náac — Deus manda 
que. 

Marômac háten hán — Deus é testemu- 
nha. 

Marômac háten né*e — Deus o sabe. 

Marômac há^u nia sacin — Deus é tes- 
temunha. 

Marômac héla biite ato ha sáe sala 
hôuci sarâni nia — Deus deixou poder 
para perdoar os peccados. 

Marômac hó há^u — Deus seja com- 
migo. 

Marômac iha laléhan — Deus está no 
ceu. 

Marômac lá bóçoc — Deus não mente. 

Marômac la iha úluco, Ia iha icus — 
Deus é eterno. 

Marômac* lá lós — ídolo. 

Marômac liu diabo — Mais pode Deus 
que o diabo 

Marômac lós mane lós — Jesus. 

Marômac maca hakiac laléhan ho rai — 
Deus criou o ceu e a terra. 

Marômac méçà ida dê^te — Deus é 
um só. 

Marômac né^e — Por Deus. 

Marômac nia créda — Igreja. 

Marômac nia créda cátac sarâni sira 
nia inan — A Santa Madre Igreja. 

Marômac nia di*ac — Graças a Deus. 

Marômac nia Inan hôuri moris iha nia 
inan nia láran la iha sála nú^uda ema 
séluco — Maria Santíssima foi conce- 
bida sem peecado original, pag. 118. 

Marômac nia lia fúan — Catechese, pag. 
100 ; lei de Deus, pag. 273 ; os man- 
damentos da lei de Deu», pag. 285 ; 
palavra de Deuí, pag. 319. 

Marômac nia lia fúan sanúlo — Decá- 
logo. 

Marômac séi fó — Deus dará. 

Marômac tiilun há*u — Deus seja com- 
migo. 



Más que — Dê onde der. 

Más que dún clêar — Dure o que di 

rar, pag. 169. 
Mátan dèlec hôuri móris — Cego d 

nascimento. 
Mátan fúan bóis — Olhos grandes d 

nascimento. 
Mátan la dúeul — NSo dormir ; náo pn 

gar olho. 
Mátan uén turo — Lagrimejar. 
Mátan oén oáMn — Um mar de Isgri 

mas. 
Mate — Arrancar o ultimo suspirv 

pag. 45. 
Mate dúni tan Marômac — Dar a \ié 

por Deus. 
Maténec hôuci rái kidnn tó^o ai fofaon- 

Que tudo sabe. 
Mate nú^udar móris — Tal vida t^ 

morte. 
Mate téki tékil — Morrer sem dizer Je 

sus. 
Mate tiha ôna — 9á morreu. 
Máun alin sarâni — O afilhado, e os £ 

lhos do padrinho. 
Meça fúluii tánan — Os ossos estio k- 

rando-lbe a pelle. 
Meça iha fátin ida — Isolado. 
Meça lia tána — Ralhar. 
Meça lia tánan — Vozearia. | 

Meça rúin tánan — Esqueleto ; os o^so 
. estáo furando-lhe a pelle. 
Meça rúin tánan, meça fúlnn tánan ^ 

Tão magro que parece ter só pelle ^ 

osso. 
Meza iha umacréda bécic altar— Cre] 

dencia. 
Modo iha múçan — Legume. . 
Móe ato halo sála cfó*er — Pudor. 
Móe hatúdo ôin méan — Envermel 

cer. 
Molúco ato halo búate ruma séi baré 

di^ac láe — Antes de fazer ai 

cousa é necessário ver se é 

ou má. 
Molúco ó mái há'u iha kédan né'e — J 

tes de tu vires já eu cá estava 
Molúco ó mái há*u iha né^e ôna 

Idem. 
Mono ba — Por isso é que ; eis a ra 

porque. 

Mono ba rái — Cair em terra por si,- 
Mono dála ida — Dar uma queda. 
Mono hác dúil — Dar cambalhotas. 
Mono hó bároc — Mandriar. 
Mono hôuci cótueo — Cair de costas. 
Mono iha áin — Pôr-se de rojo aos p 
Mono iha cléan — Abismar. 



67 



lóras áate liu — Doença grave. 

lóras hacman ôna — Melhorar. 

lóras iha cacóroc — Angina. 

íõras iha óoc — Baceira. 

lóras iha rái né'e — Viver neste 
mundo. 

íóras rái ida ninia — Doença endé- 
mica. 

ióris didi^ae hó ema ruma — Dar-se 
bem com alguém. 

lóta rua hamútuco hála ida — Duas ri- 
beiras confluentes. 

íukite — Estar com o baraço na gar- 
ganta ; não ter leira nem beira ; nâo 
ter onde cair morto ; nâo ter sobre 
que Deus chova. 

flútin haré cácun — Buço. 

íútin nú'udar cmúrac mútin — Argen- 
tado. 



N 



^á^an balúco sôna — Bife. 

^á'^an balúco túno — Idem. 

*^á^an dôuis nacróe — Kanço. 

!íacônu náton lós — Atulhar. 

!^acônun fuhu méi — Acogular; cogu- 
lar. 

I^acônun liu récin — Idem, idem. 

^acúcun duni tan ba áiabú — £nne- 
voar. 

!^acúcun duni tan bá calóban — Ennju- 
viar. 

ííáhi clolócon — Sem tom nem som. 

ííáhi diu diuco — Estar com os braços 
cruzados. 

ííáhi lalêur ato mate — Agonizar. 

ííáhi loco lôcon — Misturar alhos com 
bogalhos. 

^áhi saçáen áto mate — Estar com ân- 
sias de morte. 

Sáhi saçáen áto mate to ta áin tota li- 
man — Ânsias de morte com movi- 
mentos do corpo. 

ííáhi híite â mái — O rei vem. 

Sa''ilulic iha missa cláran fíla óstia ba 
Marômac nia icin fila mós tua bá Ma- 
rônaac nia ran cátac dadáun Marô- 
mac niá lia fúan — Consagração. 

Í^a4lulic nia faro — Batina. 

Na^lulic nia tais — Idem. 

Na4Iulic rôna ema confeça — Confessor. 

^a^ilulic ruma iha bispo nia umacre- 
da — Cónego. 

Na^ilulic ruma náran prior — Prior. 

Ma^ilulic sira — Officiaes de alma. 

Na41ulic úcun ema nia clamar — Padre 
espiritual. 



Na4n úlun lae — Anarchia. 

Nai ôanféto — Bisneta. 

Nai ôan mane — Bisneto. 

Nài sóe áin mái — O rei vem. 

Nai úlun iha taci bálun — Duque. 

Nai ulun náran conde — Conde. 

Nala bé ema rala uma iha fóho tútun — 
Porque fazem os timores as casas 
nas montanhas. 

Nameléle la lós — Bordejar. 

Náran ctúir málu^ — Tocaio. 

Náran hakérec ôna — Assinatura. 

Náran ké ai fúan — Qualquer qualidade 
de fruto. 

Náran ké búate ida — Qualquer cousa. 

Náran ké ema ida — Qualquer pessoa. 

Náran ké ida — Alguém. 

Náran láe iha — Anonymo. 

Náruco tó'o áin — Batina. 

Na sala ôna — Condemnado. 

Náton há^u ba Barique o eáe ôna — 
Quando eu fui a Barique tu já tinhas 
saido. 

Náton ó hakérec mái ha^u, há^u iha Ti- 
mor — Quando tu me escreveste es- 
tava eu em Timor. 

Náuco búate ruma — Levantai*-se com 
alguma cousa. 

Náuco ema ruma — Pegarem-se as mãos 
a alguém. 

Na'uco tem bóote — Ladravar 

Né^e be bá iSla fila — Frequente. 

Né*e bé ba úluco — Precursor. 

Né^e be bélle séluco — Variável. 

Né*e be bélle sêmo — Volante; volátil. 

Né^e bé bélle téte — Idem, idem. 
Né*e bé buate ida la ha kiac — Increado. 

Né'e bé cnádec — Choramingar. 

Né^e be contra — Contrario; desfavo- 
rável. 

• 

Né^e be ctuir icus — Penúltimo. 

Né*e be ctuir letra — Literal. 

Né'e be dáete — Pestilencial. 

Né^e be déhan áate ema — Má lingua. 

Né^e bé douis — Rançoso. 

Né'e bé ema béle haré — Visivel. 

Né'e bé ema la béle haré-=— Invisivel. 

Né*e bé fier — Confiado. 

Né^ebéfihir — Eleitor. 

Né^ebéfó boto — Idem. 

Né'e bé fó fúan — Frutifero. 

Né^e bé fó móris — Vivificante. 

Né*e bé fó óçan ato mánan liu récin — 

Usurário. 
Né^e bé fó óçan ato mánan lá lós — 

Idem. 
Né'e bé fóon — Rançoso. 
Né*e bé fúdi — Nutritivo. 



68 



Né^e bé habóçoc — Seductor. 

Né^e bé háçan ráhun fói móris — Pu- 
berdade. 

Né^e bé háçan rábun láe — Lampinbo. 

Né^e bé hacárac dê4te sala cfó^er — 
Lascivo. 

Mé^e bé hacárac halo áate — Malfa- 
sejo. 

Né^e bé hacfilac lia — Bilingue. 

Né^e bé hacribi — Enjoativo. 

Né^e bé hadéra — Vingativo. 

Ké^e bé hadôini — Amante. 

Né*e bé háhi — Lisonjeiro. 

Né'ebéháhiã— Ufano. 

Ké^e bé bakérec — Escritor. 

Né*e bé haki^ac — Criador ; nutritivo. 

Né^e bé halo áate — Malfeitor; perni- 
cioso. 

Né^e bé halo búate didi^ac — Vigilante. 

Né'e bé halo funun — Militar. 

Né^e bé halo hirns — Importuno. 

Né'e bé halo icin di^ac — Salubre. 

ííé*e bé halo môe — Podendo. 

Né^e bé halo sala — Peccador. 

Né^e bé halo sala cfó^er — Immoral. 

Né'e bé halóte icin — Recatado. 

Né^e bé hã mate ft — Suicida. 

Né^e bé haméroc — Sequioso ; ter sede. 

Né'e bé hametáuco — Temente. 

Né'e bè hâ ná^an — Camivoro. 

Né^e bé hanánun didi^ac — Estudioso. 

Né'e bé ha náton hêmo náton — Parco. 

^é^e bé hanóin icin — Recatado. 

Né*e bé hatén — Perito ; sabedor. 

Né*e bé hatéten uite — Taciturno. 

Né*e bé hatúdo — Indicativo. 

Né*e bé hetan áate dê4te — Infeliz. 

Né*e bé hirus — Raivoso. 

Né'e bé hodi ema séluco fátin — Vicá- 
rio. 

Né*e bé hodi lia — Mensageiro. 

Nè*e bé hodi lia habôtuco — Mexeri- 
queiro. 

ííé'e bé hodi mestre nia fátin — Con- 
tramestre. 

Né*e bé hóric icus — Atrasado. 

Né'e bé hótar — Praguento. 

Né'e bé hôuci rái séluco — Estran- 
geiro. 

Né^e bé húu fui — Gaiteiro. 

Né^e bé icin namáta — Constipado. 

Né^e bé icus la iha — Sempiterno. 

Né'e bé iha áiábo — Nevoado. 

Né'e bé iha ai cúnac uá4n — Rama- 
lhudo. 

Né^e bé iha ai fúnan — Florido; flori- 
fero. 

Né'e bé iha ain bádac — Pemicurto. 



Né^e bé iba ain bocal — Pemudo. 

Né^e bé iha ain rua — Bipede. 

Né^e bé iha bárac — Isto é mnito. 

Né^e bé iha bibi malái fulon — Lânil 
gero. ! 

Né*^e bé iha búate ma claran — Inter- 
médio. 

Né^e bé iha cábun bóote — Barrígndo. 

Né^e bé iha calôhan — Nubloso; ne- 
voado. 

Né*e bé iha cláran — Médio. 

Né*e bé iha dicul — Comigero. 

Né^e bé iha dicul ma — Bicorne. 

Né^e bé iha dikin — ViçoiiO. 

Né^e bé iha dóm — Carunchoso. 

Né^e bé iha ema séluco nia fátin —Vi- 
cário. 

Né^e bé iha fátin dóoc — Ausente. 

Né'e bé iha fátin ruma la beie hateten 
ho ema liur — Pessoa incommimka- 
vel. 

Né'e bé iha fucun — Nodoso. | 

Né^e be iha háçan ráhun — Barbadn. 

Né^e bé iha háçan ráhun bárac — Bar- 
baças ; barbaçudo. 

Né^e bé iha háçan ráhun cráic — Bar- 
budo. 

Né^e bé iha icun — Rabado. 

Né*e bé iha icun narúco — Rabudo. 

Né*e bé iha icus — Finito. 

Né^e bé iha inan ida depile — Uterino. 

Né*e bé iha kidan clê*uco — N adegado. 

Né'e bé iha láran — Interno. . ^ 

Né'e bé iha láran áaté — Malévolo: 
malfazejo ; malicioso ; pérfido ; per- 
verso ; sanguinário ; tyrano ; velhaco; 
verdugo ; vingativo. 

Né*e bé iha láran di*ac — Grato; sub- 
misso. 

Né^e bé iha láran màmal ato ctúir ena 
séluco — Sujeito. 

Né'e bé iha léten — Superior. 

Né^e bé iha liras — Asado. 

Né^e bé iha malírin — Friorento. 

Né*e bé iha roátan fuan bois — Oihudo 

Né'e bé iha nánal rua — Bilingue. 

Né*e bé iha néon métin — Constante. 

Né^e bé iha niinun mêic — Bicudo. 

Né'e bé iha ôin — Fronteiro. 

Né'e bé iha ôin rua — Biforme. 

Né'e bé iha ran — Cruento. 

Né*e bé iha rôhan — Bicudo; pontudo. 

Né'e bé iha sala cfó^er — Voluptuoso: 
impudico. 

Ne*e bé iha taci bálun né*e bá — Ultra- 
marino. 

Né^e bé iha táhan — Frondoso. 

Né^e bé iha táhu — Lamacento. 



69 



íé^e bé iha tilun bóote — Aurito ; ore- 
lhudo. 

fé'e bé iha tinan hito njilo — Septua- 
genário. 

[é^e bé iha tinan lima nulo — Qnin- 
quagenario. 

íé'e bé iha tinan néen nulo — Sexage- 
nário. 

íé^e bé iha tinan sia nulo — Nonage- 
nario. 

íé^e bé iha tinan ualo nulo — Octoge- 
nário. 

íé^e bé iha tolo — Trino. 

íé'e bé iha úlo mâmal — Leviano; me- 
moria de gallo. 

lé^c bé ita la béle hatén — Incógnito, 
pag. 2õ5. 

íé^e bé knúa — Esta vílla. 

íé'e bé láa lalais — Veloz. 

^é^e bé Ia béle hamútuco ho sarâni 
los — Escomtífungado. 

íé'e bé lá béle haré didi*ac — Myope. 

íé'e bé lá béle lácon — Invencível. 

íé^e bé lá béle mate — Immortal. 

íé^e be lá béle térus — Isto é ij;itolera- 
vel. 

íé^e bé lacôhi ctúir — Eefractario. 

íé'e bé lacóhi sala cfó^er — Pudico. 

^é^e bé lá hahônoco — Desagradar. 

íé*e bé lá halo búate ida — Ocioso. 

íé'e bé lá halo sala cfó^er — Continente. 

jé^e bé lá hametáuco — Intrépido. 

íé'e bé lá hola lia — Rústico. 

íé^e bé lá iha icin — Espiritual. 

íé*e bé lá iha háçan ráhun bárac — 
Mal barbado. 

íé'e bé lá iha úlô — Descabeçado. 

íé'e bé lá nave búate ida — Isto nâo 
vale nada. 

íé^e bé lá sara lia — Rústico. 

íé'e bé lá tá^as — Idem. 

íé'e bé lá táma moras — Salubre. 

íé^e bé lá uále búate ida — Em vao; 
'frivolo ; fútil ; isto não vale nada. 

íé'e bé lá uále ú^ain — Módico. 

íé^e bé lê— Leitor. 

Íéebèlêuá4n— Lido. 

íé*e bé lia cfílac — Volúvel. 

íé'e bé loco â — Ufano; vaidoso. 

íé'o bé mái — Frequente. 

íé'e bé mái hôuci — Oriundo. 

íé^e bé mánan — Victorioso. 

íé*e bé moris — Vicente. 

íé^e bé HKSris iha rái ida — Indígena, 
pag. 2Õ7. 

!íé'e bé moris sala hó feto tolo ^ Tri- 
gamo. 

!íé'e bé nacdédal — Tremulo. 



Nó'e bé nanôco — Silencioso. 

Né'e bé narôma — Luminoso. 

Né'ç bé na^uco — Ladro. 

Né'e bé ÓC08 cúac — Solapado. 

Né'e bé óho liurái — Regicida. 

Né'e bé óho nia â — Suicida. 

Né^e bé óho nia áman — Parricida. 

Né^e bé óho nia inan — Matricida. 

Né'e bé sá dia — Piedoso. 

Né'e bé séi mái — Venturoso. 

Né'e bé séi mate — Mortal. 

Né'e bé son — Pintor. 

Né^e bé sucede áate — Desastroso. 

Né^e bé súli hamútuco há fatin ida — 
Confluente. 

Né*e bé súro ican — Pescador. 

Né'e bé tanis — Choroso. 

Né-e bé tárido — Tremulo. 

Né'e bé térus hó láran di'ac — Paciente. 

Né^e bé tôman halo búate áate — Vi- 
cioso. 

Né^e bé uále bárac — Precioso. 

Né*e bé úcun — Poderoso ; reinante. 

Né^e cátac — Isto quer dizer. 

Né*e cátac sá — Que quer dizer isto ; 
que significa isto. 

ííé'e di*ac — Isto é bom; isto presta. 

Né^e di^ac lia ema hôto — Isto interessa 
a todos. 

Né'e di^ac liu — Isto serve de muito. 

Né'e fúrac éto môurin bátar — Isto sabe 
a arroz, mas cheira a milho. 

Né^e iha néon lós — Fiel. 

Né^e la búate ida — Nâo é n^da. 

Né^e ladi^ac — Isto é escusado; isto não* 
presta; isto não serve. 

Né*e ládun tôdan — Isto nem por isso é 
muito pes^ido. 

Né'e láe — A excepção d'isto. 

Né*e lalica — Isto não é preciso. 

Né'e lá lós — Isto não leva caminhb. 

Né'e lá uále biiate ida — Isto nâo pres- 
ta ; isso não tira nem pÕe ; isso nâo 
vale nada ; isto é uma bagatella. 

Né'e nála créec sá — Para que serve 
isto. 

Né^e sá ida — Então que é isso ; o que 
é isto. 

Né^e sã lós — Com certeza ; isso está 
bem ; não ha que duvidar. 

Né*e san di'ac — Isto presta. 

Né'e san lós — De certo; isto é verdade. 

Né'e sâ tós — Isto custa. 

Né'e tô*o híra — Quanto custa isto. 

Néhan báhate sicun — Denteado, pag. 
143. 

Néhan háçan hun — Dentes molares. 

Néhan kécuco — Os dentes abanam. 



70 



Néon nacloke áto S — Abrir a vontade 

de comer. 
Néon sala ctúir nia sala — Estar triste 

por alguma cousa. 
Nia cábun hác nia Marômac — NSo tem 

oatro Deus que a sua barriga. 
Nia cábun maca nia Marômac — Idem. 
Nia fôin mái — Elle acaba de chegar ; 

elle -veio ha pouco t«mpo. 
Nia hacárac haré ba^u — Elle deseja 

ver-me. 
Nia hacárac naré ha^u — Idem. 
Nia hatéten h(Vo — Elle falou comigo. 
Nia hilas nu^udar F. . . — Parece- se 

com F . . . 
Nia húçu sá ida — Que pede elle. 
Nia icin manas áta — Elle está sempre 

com febre. 
Nia icin manas náfatin — Elle não goza 

de saúde, sempre anda com febre. 
Nia icin moras — Elle está doente. 
Nia icin moras ladi^ac — Está muito 

doente, pag. 206. 
Nia iha né*e — Ei-la; ei-lo. 
Nia iha né^e bé — Aonde está elle ; que 

foi feito d'elle. 
Nia ladi^ac liu ó — Elle é peor que tu. 
Nia la halo né'e — Nâo fez tal. 
Nia maca né*e — Ei-la; ei-lo. 
Nia maca tó*o úluco — Foi o primeiro 

que chegou. 
Nia mái ôna la clêur — Elle acaba de 

chegar. 
Nia mâmal nia bároc tem — Elle é um 
« banana. 
Nia Marômac cátac nia cábun dê4te — 

N2o tem outro Deus que a sua barriga. 
Nia mate ôna — Chamou-o Deus para si. 
Nia meça debite — Por má cabeça. 
Nia mós bá — Elle também vae. 
Nia nateten nó^ó —Elle falou comigo. 
Nia nó há^u — Elle comigo. 
Nia nu^uda sira — Como assim. 
Nia nu^u sira — Elle com elles. 
Nia ôin áate — A cara nâo o ajuda. 
Nia ôin cátac — A cara o diz. 
Nia sei mái hó ami — Elle virá com- 

nosco. 
Nia tó'o maluco há*u — Chegou primeiro 

que eu. 
Nia úlo moras — Doe-lhe a cabeça. 
Ninia — É d^elle. 

Nóbun ôna — Nâo ha mais que dizer. 
Nó rái buli — Lua cheia. 
Núça ruma beis málu — Archipelago. 
Núnun ráhum namélan — Buço. 
Nú^udá há'u haten — Conforme o enten- 
der. 



Nú^uda Marômac hacárac — Por dis 

siçSo divbsa. 
Núndar aço hó baça — Como cio c 

gato. 
Nú^udar ai sómn — Aíbrquilhado. 
Nú'udar ai sôunm — Bifbrcado. 
Nú^^ndar alin máun — Irmãmente. 
Nú*ndar búlac — Adoidado. 
Nú^ndar dicul — Corniforme. 
Nú^ndar hacárac — A bel prazer; ámf 

dida do desejo ; á rédea solta. 
Nú^udar há'u béle — Quanto em mira 

couber. 
Nn^udar há^u hanôin^-No meu en ten- 
der. 
Nú^udar há^u haré — A meu ver. 
Nú^udar há*^u hatén — No meu entender 
Nú^udar hó nia bin nia l^en — ÀSàm. 
Nú^udar ita hacárac — A medida d<'s 

nossos desejos. 
Núndar Marômac hacárac — Como Deiis 

é servido. 
Nú*udar ó hacárac — A escolha seja 

tua. 
Nú^u nó^e cá láe — Nio é assim? 
Nú^u né'e ca ôin sélnco — Ou seja d'e5te 

modo ou de outro; tanto faz assim 

como assado. 
Nú^u né^e duni — Assim mesmo, pag. 51 

exactamente, pag. 211 ; isso já se en 

tende, pag. 187 ; juntamente, pag. 267: 

pois bem, pag. 338; santa palavra, pag. 

319. 
Nú^^u né^e nú'u né^e — Assim assim. 
Nú^u sá ita lá halo né'e — Porque não 

fasemos isto. 
Nú^u sá maca ema halo uma iha foh<^ 

tútnn — Porque fazem os timores ss 

casas nas montanhas. 



O 



Ga ki^ec feto — Rapariga de peito. 

Oa ki^ec mane — Rapaz de peito. 

Oan can rua — Enteado. 

Oan feto ki^ec — Filhinha. 

Oan feto núrac — Idem. 

Oan mane ki^ec — Filhinho. 

Oan mane núrãc — Idem. 

Oan né^e bé lá hatén nia iman hó inan 

bá sá sira sóe nia — Enjeitado. 
Oan sarâni feto — Afilhada. 
Oan sarâni mftne — Afilhado. 
Oan séi núrac — Filho de leite. 
Oan tó*o rái — Parto. 
Oan uma láran — Familia. 
Oa téc feto — Criança de peito. 



71 



a téc mane — Menino ; rapaz de peito. 

bá né^e bé — Para onde yaes. 

bá. iha né^e bé — Idem. 
bái hira maca bá Dilly — Quando 

vaes a Dilly. 

çan ato selo cole — Ordenado. 
•çan bárac láe — Atrasado em meios. 
«çan ha fólin — Esponsaes nos barla- 

quês. 
^çan hodi selo ró ato hodi sáça — 

Frete. 

► cátac né^e fali sá — Poçque dizes isto? 
^da mátan nácloki — As escancaras.' 

í hacárac moris di^ac séi rônafaaréna- 
nôco mós — Be queres a vida bem 
passar, has de ouvir, ver e calar. 

) hala sá — Olha o que fazes. 

) halo òna búate né^e — Já fizeste isto. 

) haré sá ida — Que viste tu. 

> hatéten hó nia — Tu falaste com 
elle. 

)hin ami mái móti — ^, Cá estamos todos 
hoje. 

!)ho áate ema — Assassinar. 

3ho ema ruma — Cortar o fio da vida a 
alguém, pag. 129. 

!)ho nia â — 8uicidar-se. 

3 ibun láe — Não tens boca para fa- 
lar? 

3 icin di'ac cá láe — Tu estás bom ? 

D icin di^ac é láe — Como estás ? 

D iha há*u nia óin — Tu estás na mi- 
nha frente. 

Oin cráic tan bá nia sala — Estar triste 
por alguma falta. 

Oin haçára ema ruma nia hilas --Dar 
ares a alguém. 

Oin hanéçan áman — Sair á casta. 

Oin hanéçan inan — Idem. 

Oin meça rúin — Escaveirado. 

Oin nú^udar china sira — Achinado. " 

Oin séluco — Contrario, pag. 126. 

Oin sélnco làe — Nâo de outro modo. 

O lá béle cátac — Nâo tens boca para 
falar? 

O lá béle hacárac bá ema séluco búate 
né<e bé ó lacôhi bá 6 duni — O que 
não queres para ti não queiras para 
os outros. 

O la bélle halo né'e — Não és homem 

Íiara isso. 
á iha mátan — Não tens olhos ? 
O mái hôuci do^oc — Tu vens de longe. 
O mái hôuci mota — Tu vens da ri- 
beira. 
O mái hôuci né*e bé — De onde vens. 
O maré sá ida — Que viste tu. 
O mátan lá iha — Não tens olhos. 



O matéten mó nia — Tu falaste com 

elle. 
O mó nia — Tu com elle. 
O náran sá — Como te chamas. 
O nia áman — Teu pae. 
O nia náran sá — Como te chamas. 
Oras ato mate — Artigo de morte. 
Oras ato sáe — A ponto de partir. 
Oras né'e duni — Agora mesmo 5 ainda 

agora. 
Oras túco ôna — Dar a hora. 
O talain há^u — Tu estás na minha 

frente. 
O uai hira bá — Quando vaes. 
O uai hira maca bá T . . . — Quando vaes 

aT... 



It 



Raci ró criac — Calafetar. 

Rai bá rái — Pausar. 

Rai bécic taci — Beiramar. 

Rai béci taci — Terras que vão beber 
no mar. 

Rai búate ida iha fatin ruma — Conser- 
var uma cousa em algum logar. 

Rai búate ruma — Ficar com alguma 
cousa. 

Rai cúac bóote — Gruta. 

Rai didi^ac iha béci — Aferrolhai. 

Rai didi^ac iha hó béci — Idem. 

Rai emamórisbá — Naturalidade, papr- 
304 ; patricio, pag. 325 ; terra natal, 
pag. 304. 

Rai fahe coto tuco ida — Meia hora de- 
pois da meia noite. 

Rai foi nakée — Ao apontar do dia. 

Rai fôin nakée — Idem. 

Rai hénec fúan bóote — Cascalho. 

Rai ida nia ema — Indiçena. 

Rai iha hóca — Encelleirar. 

Rai ké'e cléan — Barroca. 

Rai ladi*ac bá ema hôuci l\'ur — Terra 
inhospita. 

Rai lôlon áate — Declive. 

Rai nacucun ôna — Anoitecer. 

Rai né*e bé ema la iha — Deserto. 

Rai né'e bé ema moris — Terra natal. 

Rai né^e bé iha búate na4n — Terra 
farta. 

Rai BÚute cúac — Cratera. 

Rai tômac hó taci — Globo. 

Rai tó'o iha taci — Terras que vão be- 
ber no mar. 

Rana icin cánec — Setada. 

Rei fila fila — Beijocar. 

Rilun atos ida dála sanúlo — Milhão. 

Roca iha bé laran — Immersão. 



72 



Bo húcic fita sáan — Dar o navio ao 
íundo. 

Ko ida môúute bá taci kidon — Afun- 
dar-se. 

Ró ida náran corveta — Corveta. 

Ró ida náran cuter — Cúter. 

Ró ida náran escuna — Escana. 

Ró ida náran fragata — Fragata. 

Rôna didi^ac ema ruma — Beber as pa- 
lavras de alguém. 

Rôna ema nia sala ato fó perdoa — Con- 
fessar. 

Rôna ema ruma — Dar ouvidos a al- 
guém. 

Rôna haré hác nanôco — Ouvir, ver e 
calar. 

Rôna lia fuan di^ac — Nutrir-se espiri- 
tualmente. 

Ró nia sôurin cáruco — Bombordo. 

Ró íóco málu — Abalroar. 

Ró uá4n bamútnco — Frota. 

Rua ida né^e ba — Qual dos dois. 

Rupia ida hó bálun — Rupia e meia. 



Sáça fáhe hôuci sarâni — Escommun- 
gar. 

Sáça iba uma — Alfaia. 

Sacin né^e bé rona debite — Testemunha 
auricular. 

Sacin lia lós — Testemunha falsa. 

Sacin nia lia — Testemunhar. 

Sacin nia lia iba juiz nia ôin — Depoi- 
mento, pag. 145. 

Sacramento confirmaçá fó biite bá sa- 
râni clamar — Chrisma. 

Sá^e bá fátin ás — Empoleirar- se. 

Sá^e bá hó Marômac — Vá com Deus. 

Sáe bá li^ur — Expulsar. 

Sá'e bá ró — Embarcar. 

Sáe cuda tánan — Montar em osso. 

Sáe di'ac liu — Melhorar. 

Sáe éto feto — Prima que vae barla- 
quear-se. 

Sáe éto mane — Primo que vae barla- 
quear-se. 

^áe hó ema ruma — Apartar- se com 
algúem. 

Sáe hôuci báate áate — Salvar-se. 

Sáe hôuci dálan — Desencaminhar-se ; 
extraviar-se ; perder- se no caminho; 
sair fora do caminho. 

Sáe hôuci ema ruma nia ôin — Furtar- 
se aos olhos de alguém. 

Sáe hôuci né^e — Afastar-se d'aqui, pag. 
14 ; vá- se embora, pag. 264. 



Sáe hôuci táhn môuute — Desatolar. 

Sáe ôan feto — Prima. 

Sáe ôan mane — Primo. 

Sabe halo meie — Aguçar pau. 

Sala áate contra nia fen — Adultério. 

Sala áate contra nia láén — Idem. 

Sala cfó^er áate liu — Sodomia. 

Sala dála meça méçac — Errar uma t^^i 
ou outra. 

Sala haçôuro Marômac — Pecear, pag 
S26. 

Sala lá iha — Immacnlado. 

Saméan ai clalimco — Cobra delgada e 
comprida 

Saméan ai laeafétic — Idem. 

Saméan bóote liu -^ Giboia. 

Sáné'e— Oqueé isto? 

Santo né^e bé ita reza bá — Advogado. 

Sanúlo dála ida — Década. 

Sanúlo sira tômac — Eram 10 por todos. 

Sarâni caba ôna — Ser baptíaado com 
todas as cerimonias. 

Sarâni ema halo ctúir Marômac nia lia 
fuan — CfaristSo. 

Sarâni láe lós — Anti-christao. 

Sarâni sarâni iha rái hôto — Congrega- 
ção dos fieis. 

Sé búca séi hétan — Quem busca acha 

Sé hacárac bá hó há^u — Quem quer ir 
commigo. 

Sé hacarac bá nó há^u — Qaem quer ir 
commigo. 

Sé hác mái iha né^e — Quem vem lá. 

Sé húcie dálan bóote áto láa hôuci dá- 
lan técic cálau hétan áate — Quem 
deixa caminhos por atalhos não se 
livra de trabalhos. 

Sé húcic dálan inan ato láa hôuci dá- 
lan técic cálan hétan áate — Idem. 

Sei búate ruma tan — Et cetera. 

Sei fúlan ida — D*aqui a um mês. 

Sei hála né^e — Deve-se fazer isto. 

Sei lórun ruma — D^aqui a alguns 
dias. 

Sei mái lós tdco sanúlo — Virá ás dez 
horas em ponto. 

Sei úa4n ato hatéten^— Ha muito que 
dizer. 

Sei uite ôan -> D^aqui a nada. 

Selo ema séluco nia tuçan — Desempe- 
nhar. 

Séluco bé liu ôna — Aclimar^se. 

Séluco ué liu ôna — Idem. 

Se maca liu hôuci né^e — Quem passoa 
por aqui. 

Se maca mái iha né^e — Quem vem ahi: 
quem vem lá. 

Se mal iha né^e — Quem vem lá. 



73 



Marômac hacárac — Se Deus for eer- 
ido. 

no sáe hôuci rái — Rastejar de ave. 
nonôco hacárac — Quem cala con- 
ente. 

lu búate ruma — Tomar entrega de 

ilguma cousa. 

au ema iha uma — Agasalhar. 

lu ema ruma iha uma — Albergar; 

lar gasalhado a alguém. 

au bó láran di^ac — Acolher bem ; con- 

'ormar-se; receber de braços aber- 
tos. 

nú iha uma ^—Alojar; aposentar. 

nu nu'u — Já foi castigado. 

nu soro — Digne-se receber; faça fa- 
vor de receber. 

aal iha clamar metin lá béle há sáe — 

Caracter indelével na alma. 

ra náin tolo ida la hatéten — Eram 

três e nenhum falou. 

ra nú'udar nia — Elles com elle. 

ra ró ita — Elles comnosco. 

ra tòmac lacôhi mái sárac ida mái — 

Não podem vir todos basta que ve- 
nha um. 

'>ça cuda né^e bá hira — Quanto custou 

este cavallo. 

)ça cuda né'e fó hira — Idem. 

iça cuda né'e nii^u sá — Idem. 

Sça mánan li^léhan ho haháloc di^ac — 

Ganhar o ceu. 

Sça né^e nú^u sá — Quanto custa isto. 

oe bá li^ur — Alijar. 

De bó biite — Arremeçar. 

06 nu^u li^ur — Deitar fora. 

ona mano tólun — Frigir ovos. 

Sruco hôuci né'e — Afasta-te d'aqui. 

ôuri ema náuco tem — Ser capa de la- 
drões. 

ouri ema ruma — Estar por alguém, 
pag. 206 ; valer a alguém. 

nçar ato halo búate ruma — Escrú- 
pulo. 

úcate hó tali — Cordear. 

ucate ida hó hácate liman tolo — Ce- 
vado. 

úçu nên nia — Lácteo. 

ui tilun tem — Esgravatar os ouvidos 
com palito. 

qU táca halo nacônu — Inundar. 

úrate hakérec ôna — Escrito. 

úrate hódi lia — Carta mensageira. 

úrate iha búate né'e bé súra mútu — 
Inventario. 

>ú'u cmúrac fátin — Mina. 



X 



Tá*a bibi úlo — Cavalhada. 

Tá'a rába rái — Cortar rente ficando 

liso o corte. 
Tá*a rábate rái — Idem. 
Taba bá rái — Derribar. 
Tabó dúa cláran — Meia hora depois da 

meia noite. 
Tabo sá tur cmétin — As dez horas e 

meia da noite. 
Táca ema ruma nia ibun — Pôr a mao 

na boca a alguém ; tapar a boca a 

alguém. 
Táca hó áhi clác — Emborralhár. 
Táca hó ai sôurin — Arramar. 
Táca hó bé — Alagar. 
Táca hó cmúrac mutin — Pratear. 
Táca hó rái ráhun — Empoar; empul- 

verizar-se. 
Táca ibum hála nanôco — Emmordaçar. 
Táca liman harôhan Marômac — Le- 
vantar as mãos ao ceu. ^ 
Táca lima rábate — Unir as mãos. 
Táca úlo cnôan — Copa do chapéu. 
Táca úlo fúhur — Centro da copa do 

chapéu. 
Taci cnúlan áate — Maresia. 
Taci hóron áate — Idem. 
Taci láloron bóote — Encapelar-se o 

mar. 
Táfi fila fila — Cuspinhar ; èsputaçâo. 
Tafúi fila fila — Idem, idem. 
Tais feto fútus — Barão tingido. 
Tais narúco tó'o áin — Talar. 
Tálain bá búate ruma — Defronte de 

alguma cousa. 
Tálain mái há'n — Defronte de mim. 
Tâma há láran — Introduzir. 
Tâma iha ai láran — Abrenhar-se ; em- 

brenhar-se. 
Tâma iha cota — Entrincheirar- se. 
Tâma iha cota láran — Encastellar-se. 
Tâma iha fátin ida — Encurralar-se. 
Tâma iha fôhon — Amontoar-se. 
Tâma iha sálac — Abarracar. 
Tâma iha taci láran — Engolfar-se. 
Tâma lêmo uma — Percorrer uma casa 

para examinar tudo. 
Táma téki tékil — Acommetter ; aggre- 

dir. 
Tan fúlan rua cá tolo — D'aqui a áoia 

ou três meses. 
Tanis fila fila lá lós — Choramingar. 
Tanis hatéten bêibêic icus láe — Não 

cessar de chorar ; de falar. 
Tanis hatéten lá nóbun — Idem, pag. 

103. 



74 



Tas lórun ruma — D^aqui a alguns 
dias. 

Tau tinan ida — D'aqui a um anno. 

Tan tinan rua — D'aqui a dois annoe. 

Tan áhi cadéçan — Enclnzar. 

Taro bá — Vamos a apostar. 

Tau ai bóote narúco — Barrotar. 

Tau ai cabélac — £ntaboar. 

Tau ai cnanádus — Acunhar. 

Tau ai cúnsc — £nramar. 

Tau ai meie — Acunhar. 

Tau ai morúco — Amesinhar. 

Tau ai sánae — Enramar. 

Tau ai tatárac — Enlaçar. 

Tau bá cruz — Crucificar. 

Tau bá fúnun — Por causa das guerras. 

Tau bá láran — Atafulhar; metter; in- 
troduzir. 

Tau bá rái — Pousar. 

Tau bani ben — Melar. 

Tau béci cúçan — Cravejar; encravar; 
ferrar ; pregar. 

Tau l^ci iha áhi mátan — Fraguar. 

Tau búate môurin — Aromatizar. 

Tau daháte cAir — Enredar. 

Tau cmúrac méan — Dourar. 

Tau cmúrac mútin — Pratear. 

Tau fatúco bélac — Lagear. 

Tau fatúco tá ca — Telhar. 

Tau hamútuco iha cláran — Concentrar. 

Tau hôuci fôhon — Sobrepor. 

Tau iha ahi halo méan — Afoguear; 
encandecer. 

Tau ihH ahi haméau — Esbrasear. 

Tau iha ai bálàn — Encaixar. 

Tau iha ai bálun làran-^ Encaixotar. 

Tau iha ai láran — Embrenhar. 

Tau iha bótil — Engarrafar. 

Tau iha cabôbo — Aninhar. 

Tau iha caiu — Encelleirar. 

Tau iha cáMito láran — Alforjar; ensa- 
car; entaleigar. 

Tau iha cláran — Entremear; interpo- 
lar; interpor. 

Tau iha conta — Annumerar. 

Tau iha cotuco — Atrasar. 

Tau iha dálan — Encarrilhar. 

Tau iha didin láran — Emparedar. 

Tau iha fátin ás — Empoleirar. 

Tau iha fátin do'oc — Alongar. 

Tau iha fAtin ruma — Assentar. 

Tau iha fôhon — Sobrepor. 

Tau iha hóca — Encelleirar. 

Tau iha láran — Encerrar; internar. 

Tau iha léten — Sobrepor. 

Tau iha lidun — Acantuar. 

Tau iha mano cnúuco — Aninhar. 

Tau iha mátan ôin — Antolhar. 



Tan iha ôin — Apresentar ; pôr deanl 

dos olhos. 
Tau iha rái ócoa — Enterrar. 
Tan iha ró — Embarcar. 
Tau iha taláin — Oppor. 
Tau iha úlo — Aprender de cor : enm 

quetar. 
Tau iha uma nacúeun — Elncarcerar 
Tau kiiate rahun iha kilate dabyr— Es 

corvar. 
Tau kilate ráhun iha kilate mát&ii 

Ideni. 
Tau mácin midal — Açúcar. 
Tau ôan útn — Melar. 
Tau ôna bá cruz — - Cmeificado. 
Tau rái kéta — Abalisar; balisar. 
Tan rái ráhun — Empoeirar ; empoiv 

rizar-se. 
Tau rim iha ró — Mastrear ; emmastrei: 
Tau tan hanéçan — Dobrar ; duplicar 
Tau tua siin — Avinagrar. 
Tau tubi ráhun — Enfarinhar. 
Tébes — Dar-se-ha o caso. 
Téin )á táçac — Engorlar. 
Téki lalais mái — Vae num pé e vemai 

outro. 
Téki tékil — Kum abrir e fechar M 

olhos. 
Terus ctúir Msrômac nta vontade - 

Conformar -se com a vontade de Dem 
Terus hó laran bóote cota — Fortalezt 
Terus hó láran di*ac — ^flfrer com pa 

ciência. 
Tete bécic rái fôhon — Cortar rente fi 

cando liso o corte. 
Tile ai fúan — Cortar fruta em pedaços 
Tilun dúuoo úite — Ser duro do ouvida 
Tilun taba máran — Doença de ouvidos 
Tinan bái lórun — Sempre. 
Tinan ida nia — Annual. 
Tinan ida ôna — Ha um anno para cá 
Tinan ida tan — D'i<qui a um anno. 
Tinan rua tan — D 'aqui a dois annos. 
Tinan uái lórun — Quotidianamente'; 

todos os dias. 
Tito ema ruma — Estar á espera de ai 

guem. 
Tito ema ruma ato há — Contar coo 

alguém «para comer. 
Tito láe há^u — Espera ainda por mim 
Toba táca rábate — Debruçar-se; dei 

tar-se de barriga para baixo. 
Tocon ida dála sanúlo — Milhão. 
Tolan dála ida — Grole. 
Tóloc ema ruma — Injuriar alguém com 

palavras deshonestas. 
Tonda ró ida — Levar um navio a re 

boque. 



75 



£> laa. bécic — Avizinhar-se. 

3c iiú*u né*e càric — Por ventura 

srá. assim, pag. 342; talvez assim 

aja, pag. 7 e 401; provavelmente é 

jso, pag. 352. 

o iha carúic — Ganhar o cume do 

IO nte. 

o iha fóho tútun — Idem. 

o ilia né^e — Atéqui. 

o ilia ró ruma — Abordar. 

o iha taci ibun — Arribar. 

o iha tarúic — Idem. 

o ita mate — Até morrer. 

o ita nia mate — Idem. 

'O mái bécic — Avizinhar-se. 

•o ôhin né*e — Até agora; até o dia 

le hoje; até hoje. 

'o oras né'e — Idem, idem, idem. 

'o rái nôbun — Até o cabo do mundo. 

'os cnáar náin — Hortelão. 

'os cuda ôna — Sementeira. 

'os hó huto — Tapada. 

tta áin tota liman — Menear os pés e 

08 braços. 

>ta liman tota áin — Estrebuchar. 

ia liu ué — Mais vinho que agua. 

ia sucate icin ida — Uma medida de 

vinho. 

xa sucate láran ida — Idem. 

leo baço rái — Abater a terra. 

ico daJa ida — Uma pancada. 

ico bóra — Que horas sâo. 

ICO hirus mátan — Bater nos peitos. 

iico hó liman — Punhada. 

aco ho sicun — Acotovelar. 

aco ida hó balun — Hora e meia. 

aco iha cnoruco — Cachação. 

iico óda mata — Bater á porta. 

uda bá rái — Derribar. 

uda ràna icin — Atirar á seta. 

ai rua lécte — Entrelinha. 

ula deis matan — Porta do curral dos 
búfalos. 

ulun ema ato mate di'ac — Ajudar a 
bem morrer. 

ulun ema moras — Estar á cabeceira 
de um enfermo; valer aos desgraça- 
dos. 

'ulun ema móris — Valer aos afflictos ; 
valer aos infelizes. 

^ulun ema ruma — Dar a mão a al- 
guém ; valer a alguém. 

i'un houci cuda — Desmontar ; desem- 
barcar; pôr pé em terra. 

Pun hôuci ró — Saltar em terra. 

['uni halo cráic — Desfazer altos em 
terra. 

^uni halo hanéçan — Alhanar. 



Tuni ha uére — Desfazer altos em terra» 
Tuni rái halo hanéçan — Aplanar terra. 
Tur ita fátin ruma — Assistir em alguns 

logar ; fazer residência, pag. 221. 
Turo dála ida — Uma gota. 
Turo mátan uén — Lagrimejar. 

Ua'in baço — Estar com ânsias. 

Ua'in la béle sura — Sem conto. 

Ucun ró úlun bá fátin ruma — Emproar. 

Udan lae ona — Escampar; estar escamr- 
pado; estiar; estar fazendo bom tempo, 
pag. 2'22. 

Udan nahici nú'udar fátuco — Granizo. 

Udan tau ladi'ac — Desatar a nuvem em 
chuveiros, pag. 148. 

Udan ulo mútic — Choviscar. 

Ué hala fahi cacúluco — Torrente. 

Ué mátan ki'ec — Pontinha. 

Uite hac dê'ite — Muito pouco. 

Ular ki'ec ôan — Verme. 

Ular oi áate — Bicharroco. 

Ulo fila bá mutin — Encanecer. 

Ulo fú'uco mono — Encalvecer. 

Ulo fu'uco mútin — Cans. 

Ulo lá iha — Acephalo. 

Ulo rúin tánan — Caveira. 

Uma ai morúco fátin — Pharmacia. 

Uma ato hanôurin labáric — Collegio. 

Uma áto simu bináca — Hospedaria; 
hospício. 

Uma áto tóba — Dormitório. 

Uma badáin ai cabélac fátin — Carpin- 
taria. 

Uma Búlac sira bá — Casa de orates. 

Uma cacúluco hôuci láran — Abobada. 

Uma cacúluco tútun — Pináculo. 

Umacreda bóote liu — Basílica. , 

Uma dúuto fátin — Palheiro. 

Uma morúco fátin — Pharmacia. 

Uma nacúncun iha rái ocos hôuri úlu* 
CO — Masmorra. 

Uma náin — Dono da casa. 

Uma né'e bé ain fátin náin iha — Sa- 
pateiro. 

Uma né'e bé ema selo ato hâ ato tóba — 
Estalagem. 

Uma né'e bé fa'an tua — Taverna. 

Uma né'e bé rái tua mina — Adega. 

Uma né'e sé nia — De quem é esta casa. 

Uma rua léete — Entrevallo entre duas 
ruas. 



Vae sembora — Ora adeus. 
Vae t embora — Ora adeus. 



DICCIONARIO 



TETO-PORTUGUÊS 



! hiL ah ! oh ! 
ibé, adv. depois. 
i"bé, prep. depois. 

ihuko, V. esburacar, fazer buracos 
aa terra para semear milho, 
ik, V, falar, dizer, 
ik, conj. que. 

ite, a. Ob indigenas empregam este 
termo para significar tudo que de- 
nota defeito pu imperfeição, tanto 
nos animaes como nos inanimados. 
Abjecto, acerbo, áspero, asqueroso, 
aziago, astuto, atroz, avariado, bár- 
baro, boçal, depravado, desalmado, 
deshonesto, deshumano, desleal, en- 
diabrado, escabroso, estragado, faci- 
noroso, farrusco, fatal, feio, fementido, 
feroz, funesto, hediondo, horrendo, 
horroroso, ignóbil, immoral, Ímprobo, 
indócil, infame, infausto, inhumano, 
iniquo, insensato, maldoso, malicioso, 
maligno, malvado, maroto, mau, mo- 
fino, nefando, nocivo, obsceno, patife, 
pérfido, pernicioso, perverso, prejudi- 
cial, ruim, scelerado, sinistro, temi- 
vel, terrivel, tirano, torpe, tosco, tra- 
vesso, tremendo, velhaco, vicioso, vil, 
etc. 

â.te, s. adversidade, damno, defeito, 
infelicidade, mal, maldade, etc. 
àte-bote, a. formidável, 
.áte-liu, a. diabólico, execrando, peor, 
péssimo. 

.àte-ôna, part. Safado. 

i.ba, 8. doença de pelle especial do 

pais, a que os portugueses dão o 

nome de «cascadoo, em consequência 

da espécie de escamas que produz. A 



que tem a propriedade de apparecer 
e desapparecer em difFerentes épocas^ 
chamam os indigenas àba métno 
fónun. 

Abàbnte, v. amotinar-se, investir. 

Abétdak, V. abreviar, encolher, encur- 
tar, estreitai, ratear. 

Abàdak-lia, v. reduzir a breves^ ter- 
mos o que tem para dizer. 

Abado, V. lançar fogo ao mato para 
fazer sair gente ou animaes que es- 
tejam escondidos nelle. 

Abak, 8. moléstia de pelle, do país. 
Vide Aba. 

Aba-méan, s. especialidade da molés- 
tia de pelle chamada cascado que se 
apresenta com mau caracter. 

Aba-]^étan, s. outra especialidade de 
moléstia de pelle a que os indigena& 
applicam lavagens com agua salgada, 
sem o que pode tornar- se bastante 
perigosa. 

Aba-mútin, s. outra especialidade da 
mesma doença de pelle, de caracter 
benigno, a que chamam cascado 
branco como o nome indica. 

Aban, a. ámanhâ. 

Abàrak, v, multiplicar. 

Abar ate, s, cabello solto mas alisado. 

Abas 8 ar, v. comprar ou vender no mer- 
cado semanal que se faz em muitos 
reinos e ao qual concorre gente de 
varias povoações com géneros para 
negociar, e principalmente com o fim 
de assistir á dança nocturna, denomi- 
nada «tbatanda». Tanto nos reinos 
como em Dilly costuma ser aos do- 
mingos. 



ADA 78 

Abate, «. escroto, testículo. 

Ab&nko, V. criar. 

Abé, t\ delir, dilair, dissolver, fundir. 

Abelo» V. fazer amizade, tomar amizade. 

Aben, v. derreter, diluir, dissolver, li- 
qnifazer. 

Aber, 1% adelf^açar. Este termo empre- 
gam os indígenas para se referirem 
somente a qualquer lavor, como por 
exemplo aos delicados tecidos de cna- 
ruteiras e cigarreiras que fazem de 
folha de palmeira. 

Abétoko, V. conduzir com geito. 

Abite, V. fugir do caminho. 

Abite, s. alicate, pinça, tenaz, torquês. 

Abó, V. urrar, zurrar. 

Abókal, V. encorpar, engrossar. 

Abôko, t\ estalar. 

Abòko-Uma, «. estalo dos nós dos de- 
dos. 

Abôkon, V. embeber, ensopar, humede- 
cer, lentejar, molhar. 

Abóknr, v. cevar, criar carnes, engor- 
dar. 

AbóSBO, V. encher a barriga. 

Abó6BOk, V. defraudar, enganar, ene^- 
dar, entreter, fascinar, fraudar, lo- 
grar, malograr, seduzir, trahir, trapa- 
cear. 

Abôto, V. enredar, intrigar, mexericar. 

Abôto-lima, v. fazer estalar os nós dos 
dedos. 

Abôtú, t*. falar que mal se percebe, 
como se costuma dizer, entre dentes. 

Abôtuko, i;. £m alguns pontos do in- 
terior da ilha, empregam este termo 
com a mesma significação do ante- 
rior, mas a sua mais geral significa- 
ção é : tirar do lume o milho assado. 

Abòtuko-lia, v. mexericar. 

AbtL&bo, a. ruço (cor de animal). 

Abukina, s. aranha. 

Abútik, V. lutai*. 

Abtito, 8. raiz. 

Abuto-moris, v. enraizar. 

Abuto-nia, a. radical. 

Abuto-sae, V. criar raizes, enraizar. 

Ada, V. colíocar objectos uns sobre ou- 
tros, pôr em ordem. 

Adaàte, v. entregar, passar de mão em 
mão, transmittir. 

Adàbur, v. fazer festas, festejar. 

Adàbur, 8. batuque, festa com tebe- 
d&, a que os europeus dão o nome de 
«tabedai» ou batuque. 

Ádak, 8, leito indígena feito de bam- 
bus, ao qual os europeus dão o nome 
de «lanten*. 



AFA 



Adàk, «. banco. 

Ádak-bote, & cama, banco, tarimh» 

AdÃk-óan, s. banco peqoeno de hm 

Adakrai, v. arramar. 

Ad&me, V. apaziguar, fazer pazes. : 

cificar. 
Ad&me, 9. paz. 
Adànlk, v, colíocar uma cousa .^' j 

outra. 
Adão, r. arrebatar, assenhorear-se.e 

palmar, rapinar, roabar, sorripi 

usurpar. 
Adão, 8. rapina. 
Adao-kilate, r. desarmar. 
Adé ! int. ai ! eia ! 
Adél, V. acordar, deq»ertar, espertar 
Adél-dadél, v. madnigar. 
Adél-ôna, a. desperto. 
Adél-tékil, o. estremunhado. 
Ader, v. acordar. Termo usado prm 

palmente nos reinos da contra -coi 
Adera, v. vingar-se. 
Adera, «. vingança. 
Adérak, r. inclinar. 
Adia, r. concertar. 
Adiak, V. acear, adornar, aformose 

arranjar, compor, concertar, embeli 

zar, guarnecer, recompor. 
Adiak-fali, v. refazer. 
Adio, V. observar, olhar, ver sisado 

com attenção. 
Adio, 8, observância 
Adô ! itd. ai ! oh ! 
Adôin, a. amante. 
Adômi, V. amar, estimar, gostar, le 

brar, prezar, querer, sympatizar. 
Adòmi-an, v. querer-se, estimar-se 
Adôm.i-lia, v. querer mais. 
Adore, v. atravessar um monte. 
Adúal, V. extravasar. 
Adúil, V. espojar, rebolar. 
Adtiil-fatin, s. espojeiro. 
Adúir, V. rebolar. 
Adulas, V. andar ã roda, andar dei 

dor^ circular, circundar. 
Adúlur, V. acompanhar em gi-apo, a 

ranchar em commum, associar-se.n 

gociar em sociedade. 
Aefôin, adv. depois. 
Aék, a. pouco. 
Aék, adv. pouco. 
Aék-ôan, a. muito pouco. 
Afaà, r. arrancar. 
Afaã.-duiito, v. mondar. 
Afaba, v. arrancar. 
Afabe, v. arrancar. 
Afákal, V. despejar, esvasiar, extrav 

sar. 



AIII 



79 



AIA 



li, -v. frequentar. 

IlxL, loc. adv. amiúde. 

to , s. os movimentos do pé. 

L, «. ópio. Termo introduzido do 

[lina, «a^an». 

lio 9 V. traficar. 

iu, 3. frescura. 

IsiSLir, V. queimar, tisnar. 

11x1, V, traficar. 

L<lik , V. fingir, simular. 

Llio, V. espiar, espreitar, estar á es- 

reita. 

lia., V. espreitar. 

Lt;a.iT, V. enftíitar, guarnecer, ornar, 

aramentar, vestir. 

sl€Lèlo, V, abocanhar. 

a.élc, V, dar gargalhadas. 

a,lc, V. falar. 

éileL^y 8. acção, apparencia, efieito, 

kcto., feito, modo, obra, trejeito. 

.álok, 8. acção, etc. V. Ah&lak. 

.á.lok-bote, s. façanha. 

laJi, 8. alimento, comida, iguaria, 

laanjar, mantimento, pasto, sustento, 

i^ianda, viveres. 

leék, V. relinchar, rinchar. 

leék, 8. relincho. 

lei, V. gemer. 

lélik, V. desapparecer. 

li, V. acalentar. 

li, 8. fogo, lume, luz. Este termo é 

uma espécie de partícula que serve 

de radical a todos que t«em relação 

ou correlação com o sen significado. 

tiia, «. brasa, brasido. 

bi-an, V. abrasar. 

bi-anar, «. carvão. 

hian-làkan, v. accender. 

hi-bôn, V. fumegar. 

bi-bôn, 8. fumo. 

hi-búnin, s. chamma, labareda. 

lii-dúbiui, 8, chamma. 

hi-fafólar, v. chamuscar, queimar fo- 
lhagem. Termo que se emprega a res- 
peito das queimadas que fazem para 
as hortas. 

.M-fúnan, s. centelha, chispa, faúlha. 

.bi-kadéssan, s. borralho, cinza, cin- 
zeiro. 

■.bi-kcssaii, 8, borralho, cinzeiro. 

iM-klak, 8. brasa, brasido, borralho. 

Lhi-klolon, 8. fumo. 

Llii-knulo, 8. acha, archote, facho. 

^hi-kosse, 8. phosphoro. 

^hi-laln, 8. fuligem. 

^M-làkan, s. chamma, fiamma, laba- 
reda. 

iM-làkan, a. acceso. 



Ahi-làtim, 8, murrão. 

Ahi-lútan, «. tição. 

Ahimàtan, 8. fogão, fogareiro, forja, 
fornalha. 

Ahi-moris, a. acceso. 

Ahl-naburo, v, accender, arder. 

Ahinan, v. atear-se, incendiar. 

Ahlnan, 8. fogueira, incêndio. 

Ahinan, a. incendiado. 

Ahi-nia, a. igneo. 

Ahiôan, 8. candeia, vela. 

Ahiôan-bote, «. tocha. 

Ahiôan-fàtin, s. castiçal. 

Ahiôan-lilin, 8. vela de cera. 

Ahiôan-tur, 8. coto de vela. 

Ahi-sassnlo, 8* archote acceso. 

AbissÃo, a. amigo. Termo que se em- 
prega para indicar as boas relações 
de dois reinos indígenas entre si. 

Abissi, V. gelar, gelar-se. 

Atisiial, V, fumegar.. 

Ahi-súal, 8, fumeiro, fumo. 

Ahi-sulo, «. acha, archote, facho. 

Ahitôi, «. fusil. 

Ahitôlon, 8, fumo. 

Abôa, V, abortar, parir antes de tempo. 

Abodo, 8, pompa. 

Abobôko, V. grunhir. 

Abóiy V, chamar animaes. 

Abono, V. deixar cair. 

Abônoko, v. agradar, amar, dizer que 
sim, querer bem. 

Abônoko, a. agradável. 

Aboris, V, dar á luz, parir. 

Abóron, 8. zumbido. 

Abú, 8. cal. 

Abú-kábuko, v. conceber, emprenhar. 

Abti-knua, s. espécie de bolsa tecida 
de folha de palmeira, que usam cons- 
tantemente os indígenas e onde tra- 
zem betei, areca e cal para mascar. 

Abuko, 8. pequenas covas que os indí- 
genas fazem para semear o milho. 

Abalas, v. estar desasossegado na 
cama. 

Aburi, V, açular. 

Abuto, a. apinhado. 

Abuú, V. açular. 

Abuúko, 8, espécie de busina que os 
indígenas empregam para chamar e 
juntar gente. 

Ai, 8. arvore, lenha, madeira, pau. 
Este termo é o radical de todos que 
significam ideias relativas á sua tra- 
ducçâo. 

Aiét ! int, Ah ! ui ! 

Aiàbite, 8. alicate. 

Aiéibo, V. ennevoar. 



AlII 



80 



AIK 



Ai&bo, s, névoa, nevoeiro. 

Aiabuto, «. raiz de arvore. 

Aia-lÀkan, v. abrasar. 

Ai -alas, 8. bosqne, mata. 

Aiali, n. tear. 

AiÀssan, «. forcado. 

Ai-bâ>détk, #. arvore rasteira. 

Ai-bÀdak, ê. cacete, eetadulbo. 

Aib&dak-bote, «. cachamorra. 

Ai-balo, 8. caixão de madeira. 

AibÀluko, 8. lenbo, travessa. 

Aib&ltiko-ôan, 8, acba, cavaca. 

Aibalun, 8. arca, caixa. 

Aibaltm-bote, 8. arcaz, caixão, cai- 
xote. 

Aibalnn-kabutis, «. babu. 

Aibalun-kik, «. boceta, caixinba. 

Aiben, s. goma. 

Aibôko, 8, viga. 

Ai-bote, 8. arvore grande, trave, viga. 

Ai-dàkal, 8, lasca de pau. 

Ai-dikin, 8. arvore viçosa. 

Ai-dila, 8. arvore de papaia. Os indí- 
genas empregam esta expressão para 
significar igualmente o marmelleiro 
do pais. 

Aidôna, 8. cacete. 

Aidôna-bôln, 8. cacbamorra. 

Aiduda, V. ajudar, assistir. Este termo 
que parece ter sido introduzido do 
português, ficando estropeado em 
consequência da difiiculdade dos in- 
dígenas em pronunciar o J, é unica- 
mente usado em relação ao serviço 
da parteira. 

Aiduda, 8. ajuda. 

Aifafóate, «. laço. 

Aiféra, s. cavaca. 

Aifôun, 8. arvorezinha. 

Aifaan, 8. fruta, fruto, pomo. 

Aifnan-màran, s. fruta seca. 

Aifaan-nameléiek, «. fruta fallida. 

Aifaan-uén, s. sumo. 

Ai-fofuan, «. arvores de fruto. 

Aifónan, s. fior. 

Aifúnan-kik, s, Horinha. 

Ai'hà,bite, s. pinça de madeira. 

Aiban, v. alimentar. 

Aiban, s. alimento, comida, iguaria, 
manjar, mantimento, pasto, sustento, 
vianda, viveres. 

Aihedi, 8. estaca. 

Ai-hnn, s, toro de madeira, tronco de 
arvore. 

Aihuú, s. espécie de porta-voz que os 
indígenas usam para chamar e jun- 
tar gente, para a guerra ou outro ser- 
viço qualquer. 



Aii ! t»^ ai ! bui ! 
Aikabólak, «. tábua. 
Aikabélak-bote, «. tabuao. 
Aikabélak-ôan, «. tabuinha. 
Ai-kabaal, «. bola de madeira. 
Ai-kakÀik, 8. gancho de pau. 
Aikakes, «: espécie de regaa, de qn 

08 indígenas usam para riscar os dei 

tes dos pentes que fazem de chiír 

' de búfalo. 
Ai-kakatto, s. tenaz de pau. 
Ai-kameli, 8. arvore de sândalo. 
AikdÀkal, «. cavaca, cavaco. 
Ai-kóssak, «. palito de naadeira. 
Aiklk, 8. arvorezinha. 
Ai-klalai, 8, broca de pau. 
Aiklalirró^o, «. pao peqaeno de que ?< 

servem os indígenas para deitar fre 

tas abaixo das arvore». 
Aiklalólok, «. vara, vardasca, vergt 

■ vergasta. 
Aiklato, 8. cato selvagem ; espécie i 

espinheiro. 
Aiklônzn, «. forcado, forquilha. 
Aikmtunos, «. vaqueta. 
Ai-knÀdo8, 8, cunha de pau. 
Aiknamos, «. vaquetas. 
Aiknanôik, «. conto, fabula, histom 

tradição. 
Aiknânnko, 8. cântico, cantiga. 
Aiknar, s. vassoura. 
Aiknôr, «. vassoura. 
Ai-knnlo, 8 acha de lenha. 
Ai-kôabes, «. arvore de goiaba, goia 

beira. 
Aikrarika, «. matraca. 
Ai-kren, 8. dão os indígenas este nom< 

á lenha e outras coisas que as cheiai 

arrastam pelas ribeiras, e elles d& 

pois apanham nas margens quandi 

espraia. 
Aiknàk, 8. toca no tronco de uma ar 

vore. 
Aiktiak, 8, alavanca de pau. 
Aikúak-bessi, «. alavanca de ferro. 
Aikúak-bote, «. bimbarra. 
Ai-kuda, «. balisa para divisão de ter 

renos, marco de separação das plan 

taçòes. Alguns indígenas dão esta de 

nominação igualmente ás planta 

ções. 
Ai-ktilite, 8. cortiça. 
Ai-ktLn, «. arvore indígena que produj 

uma espécie de goma semelhante á 

gu taperebá. 
Aikúnak, «. franças, rama, ramagem^ 

ramalho, ramo. 
Ai-kússan, s. prego de madeira. 



AIX 



81 



AIT 



-laknéibitd, s. torquez de pau. 
-lakutiko, «. alicate, tenaz, torquez, 
[juando estes objectos sejam de ma- 
Jeira. 

-làlir, s. arvore oca, arvore seca. 
làran, «. bosque, deserto, mato, ser- 
tão. 

létran-alas, s. arvoredo, floresta, 
aelva. 

làran-métik, a. bosque espesso, 
làran-métin, s, arvoredo, cerrado, 
brenha, floresta, 
lédiky s, estaca de pau. 
leias, 8. parafuso de pau. 
léon, 8. sombra, 
lia, 8. gengibre. 

lók, 8. arvore indígena que produz 
uma espécie de ameixa ordinária, 
lók-fáan, 8, o fruto d^essa arvore, 
lôko-mússan, s. parafuso. Os indí- 
genas designam com este termo o 
parafuso que segura o cilo na fecha- 
ria de uma espingarda, 
-loóko, 8, espécie de macieira indí- 
gena. 

iós, s. vara. 
lós-kik, 8. vareta, 
-lótuko, 8, vardasca, vareta, verga, 
vergasta. 

i-lúmute, 8. musgo de arvore, 
im&lian, 8. sombra, 
-m&nas, 8. pimenta, 
méttan, 8. fragua, 
-méik, 8, cunha de pau. 
môik, 8. espeto, garfo, 
meta, 8. feitiçor 
mótín, 8. bosque de arbustos, 
mórako, 8. medicamento, mezinha, 
remédio. 

n, 8. base, pata, pé, planta. 
In-a&te, s, coxo. 

!-néifaan, 8. arvore qae começa a dar 
fruto. 

-nàrnko, a. barrote, madeiro, 
n-bote, 8. chanca, pé do grande di- 
mensão. 

.-nesso, 8. gral de madeira, pilão. £m 
alguns pontos do interior os indíge- 
nas dizem ai-néssnn. 
in-fàtin, 8, bota, calçado, chinelo, 
pògada, sapato. 

nfátin-bote, «. chanca, sapato gran- 
de. 

Infátin-túban, s. tacão, 
in-fúan, «. dedo do pé. 
infákun, 8. artelho, tornozello. 
inia, a. arbóreo. 
Ln-kabissen, s. pé dormente. 



Ain-kàbun, «. barriga da perna. 

Ain-kadôi, v. emmanquecer, mancar, 
manquejar. 

Ain-klk, «.pezinho. 

Ain-krétik, 8. planta do pé. 

Ain-kndéi, v\ emmanquecer, manque- 
jar. ^ 

Ain-mâ.tan, 8. casco das patas dos ani- 
maes. 

Ain-rúin, 8, cana da perna, canela. 

Ain-siknu, 8. joanete. 

Aintétnan, a. descalço. 

Aintane, «. sola do pé. 

AintâJii, 8. calcanhar. 

Ain-tetérik, 8. manco, pé coxinho. 

Aintúban, 8. calcanhar. 

Aintur, 8. joelho. 

Aió 1 int. apre ! hui ! 

Ai-ôan, ií. arvorezinha. 

Aió ar, 8. argueiro. 

Airàbun, 8. serradura. 

Al-ri, 8. columna de madeira, pilastra 
de madeira, poste de pau. 

Ai-rin, 8, esteio de pau. 

Ai-sétnak, «. rama, ramada, ramagem, 
ramalhada. 

Ai-sass&r, 8. rasoura. 

Ai-sassôik, 8. calha. 

Ai-sassókal, 8. calcador. Os indígenas 
empregam este termo para indicar o 
pau de que se servem para calcar 
quando enchem sacos. 

Ai-sÃssuko, 8. garfo, quando feito de 
madeira. Em muitos pontos da ilha os 
indígenas dizem Ai sassúkoko. 

Ai-sian, 8. espeque. 

Ai-sôran, s, rama, ramada, ramagem, 
ramalhada. 

Ai-stiak, 8. alavanca de pau. 

Ai-siiak bote, 8. bimbarra de pau. 

Ai-suko, 8. garfo. 

Ai-sano, 8, lenha. 

Ait&han, 8. remédio. 

Ai-tantLtuko, «. malho de pau, martelo 
de pau. 

Aitàrak, 8. cato selvagem, espinheiro. 
No Diccionario portuguêa-tetum do 
Sr. Padre Sebastião a pag. 202 dá-se 
como significado de «espinhar» a ex- 
pressão Ai tàrac sôna, da qual não 
comprehendemos a razão, visto que 
ai tàrao quer dizer tpau de espinho»* 
e sôna, diz o mesmo Diccionario a 
pag. 37 que quer dizer «apanhar fruta, 
com bambu rachado, ctc». 

Ai-tatôan, a, bordão, cajado, muleta do 
pau. 

Ai-tatuúko, 8. espeto de pau. 



(i 



AKA 



82 



AKL 



Aitéken, «. arvore copada, copa de uma 
arvore. 

Aitonka, «. espeqae, muleta. 

Aittii, s. pauta, régua. 

Aitur, ê, esgalho, rebentfto, rebento. 

Aitútnn, ê. ponta de pau. 

Alaén, $. goma, leite de planta, re- 
8ina, seiva. 

Aiun, ê. aposento, casa, palhoça, vi- 
venda. 

Aitmar, s. arvore sem casca. 

Aka, 8. folha de vegetal. 

Aka&k, V. levar ao collo. 

Aka&s, V. apertar, consolidar, entesar, 
esticar. 

Akàbuoo, V. conceber, emprenhar. 

Akàdak, v. col locar objectos bem uni- 
dos uns aos outros. 

Akétdessi, v. catar a cabeça. 

Ak&dik, V. brincar. 

AkÀdik, 8. brincadeira. 

Akádimn, 8. palmeira de cujas folhas 
fazem os indigenas charuteiras e ci- 
garreiras, bera como sacos para con- 
ducção do café. 

Akàer, v. escarrar, expectorar. 

Ak&er, «. escarro, expectoração. 

Akafoli, 8. langotim, tanga. Um pano 
com que os indigenas se cobrem da 
nudez em Africa, índia e Occania. 

Akahik, v. contrariar, embaraçar, em- 
bargar, empachar, empecer, estorvar, 
impedir, inhibir^ obstar, negar, sus- 
tar, tolher, vedar. 

AkahiK, 8. negação. 

Akahik-bà, v. deter. 

AkaMk-sàe, v, deter. 

Akaho, V. levar ao collo. 

Akàbal, v. mesclar. 

Akàik, V. atalhar, cohibir, defender, 
entreter, preservar, prohibir, sopear. 
Servem-se os indigenas d'este ternno 
também para designar o fazer uma 
cadeia de um único fio, cujo tecido 
fica igual ao dos cordoes de ajudan- 
tes de campo. 

Akàik-lialo, v. amarrar as mSos. 

Akàik-hatéten, v. amarrar a língua. 

Akàil, V. pescar com anzol. 

Akàite, 8. amiga, mulher nao casada. 

Ak&ite, a. amancebado. 

Aka-kélen, s. palapa. Peciolo de uma 
palmeira que serve para fazer as pa- 
redes das casas e aâ vedações dos 
quintaes denominadas «pagar». 
A^àly 8. palmeira de que se extrae o 
sagú, o qual tem entre os indigenas 
o nome de sakú. 



Ak&lik| ê. prestigio. 

Akan, i-. invejar, ter inveja. 

Akan, $. inveja. 

Ak&rak, v. desejar, querer. 

Akàrak, 8. desejo, vontade. 

Akari, v. propalar, pabli.-ar. 

Akatàan, 8. folha de palmeira em f 

ma de leque, usada para cobrir 

ca^as. 
Akate, 8. espaço, intervallo. 
Akate-ain, «. passo. 
Akate-lima, 8. palmo. 
Akati, V. inclinar, mover com o vt-Lt 

vergar. 
Akati, a. agitado. 
Akb&knto, «. briga de dois anims» 

marrarem. 
AkbÀrok, 8. má vontade. 
Akbédako, v. arredar. 
Akbés, V, sacudir. 
Akbidak, r. piscar os olhos. 
Akd&kas, v. estalar. 
Akdúil, 8, cambalhota. 
Aké, V. separar. 
Akédek, $. duas pessoas que se faz^i 

cócegas mutuamente. 
Akeé, V. catar. 

Akeé-knula, r. catar as pulgas. 
Akeénlo, v. catar a cabrça, espiolk 
Akela, i;. escarranchar -se. 
Akénnlo, a. transversal. 
Akérek, t*. escrever, lançar no pap^ 

rediíçir. 
Akérek, «. escrita. 
Akérek-didiak, a. bca lf*tra. 
Akérek-fÀtin, «. escritório. 
Akérek-ladiak, «. garatuja. 
Akérek-nàran, v. aseinar, firmar. 
Akérek-súrate, r. corresponder-sc.c: 

crever cartas. 
Akéssil, V. aborrecer, enfastiar, ú 

querer, recusar, rejeitar. 
Akfilak, 8. falsidade. 
Akfoli, 8. langotim, tanga. V. AkafoI 
Akfúdik, V. contrafazer-se, disfarv^i 

dissimular, fazer-sé esquecido, 61 

gir, não se dar por entendido, simi 

lar. 
Akfúdik, s. ficção. 
Akiak, r. fecundar. 
Akidnko, v. desandar, ficar atrás, r( 

cuar. 
Akiek, V. chamar as gallínhas. 
Akihik, V. ganir. 

Akilar, v. bradar, gritar, guinchar. 
Akilar, 8. brado, guincho. 
Akilar-lia, «. voz em grita. 
Aklàdik, V, alimpar, limpar. 



AKi\ 



83 



AKS 



àl^en, V. aclarar, decifrar, declarar, 
jfinir, desenvolver, deslindar, eluci- 
ir, esclarecer, expender, explanar, 
aplicar, expor, liquidar, 
áken, s. explicação, 
álal^, 8. algazarra, celeuma, grita- 
a, vozearia. Este termo emprega-se 
3 r ai mente para indicar o uso dos 
idigenas quando carregam èm ran- 
los com géneros ou bagagens para 
•ansportar. 
Lar, V, ouvir attento. 
Lari, V, descascar fruta, esburgar. 
Lânls:, V. acompanhar o chefe. 
Lâ,ato, V. cortar ás rodas, esfatiar, 
izer fatias. 

Lêlsar, v. confundir-se, desarranjar, 
spalhar, perturbar, transtornar. 
Leias, V. espojar-se. 
lelas-fàtin, s. espojeiro. 
lénan, v, inclinar- se. 
lete, V. andar pelo pico da monta- 
iha. 

lôTiko, V. empenar, entortar, 
lèuto, t;« machucar, 
liki, V oscillar, tremular, 
lilás, V. espojar-se. 
lili, V. dependurar ao hombro, pen- 
lurar. 

liuko, V. fazer uma cousa ao desafio 
>u á porfia, 
liuko, €. desafio, 
lolas, V. espojar-se. 
:lolas, 8. espojeiro. 
lólite, V, tombar, 
ilóran, v. torcer linhas. 
:lótuko, V. cercar, fazer sebe, cerco 
)u «pagar o. 

:màiuuko, v. esvaziar, evacuar. 
:man, v. aligeirar. 
:mànek, v. melhorar. 
:mátek, v, tranquillizar. 
cmátek, a. tranquillo. 
amidos, V. mostrar que se está enfa- 
dado como que mascando, 
cmilik, 8. fastio, 
tmó, V, escolhcri 
tmumo, V. bocejar, 
cnákas, v. estalar, 
man, v. mastigar, 
tnar, v. varrer, 
ináuko, 8. ajuste, contrato, 
knéa, v. ajoelhar, 
knéan, v. ajoelhar, 
cnébak, v. falar zangado, 
knéhak, v. falar zangado, fazer dis- 
túrbios. 
kn.élian, v. ajoelhar. 



Aknilií, V. servir. 

Aknikir, v. piscar um olho. 

Akniko, 8. gesticular. 

Akniko-màtan, v. dar de ollio. 

Akniuko, v: cantar indecencias. 

Aknua, v. brincar. 

Akôak, V. abraçar, estreitar nos bra- 
ços. 

Akôak-hela, v, desabraçar, desfazer 
um braçado. 

Akoàn, v\ cubicar, desejar. 

Akoé, V. grunhir. 

Akoi, V. enterrar, fazer exéquias. 

Akoi-mate, v. sepultar. 

Akoi-ôna, a. sepultado. 

Akoók, V, abraçar. 

Akóron, v. gargarejar. 

Akôto, V. decidir. 

Akôus, V, pegar em alguém ao collo, 
tomar alguém nos braços. 

Akràhnn, v, esborrachar, escachar, 
quebrantar. 

Akrai, v. encostar, encostar-se. 

Akrai, 8. encosto. 

Akràik, v. abaixar, abater, arrear, 
minguar, minorar, rebaixar, tombar. 

Akràk, V. bradar, bramar, clamar, dar 
vozes, gritar. 

Akràk, 8. brado, grito. 

Akr&kate, v. enriçar. 

Akrake, v, fazer alarido. 

Akrakite, v. arrebentar, rebentar. 

Akràk-lia, 8. grita, grito. 

Akràuko, v. adorar. 

Akr&oko, 8, adoração. 

Akriak, v. andar em bicos de pés, em- 
pinar-se, pular, saltar. 

Akribi, V. engulhar, enjoar, nausear. 

Akribi, 8. ânsias, asco, enjoo, nojo. 

Akribi, a. asqueroso. 

Akridak, v. alX^oroçar, amotinar, gri- 
tar, sobresaltar. 

Akridak, 8. animal teimoso. 

Akriuko, 8. jacto. 

Akró, V. amassar, esmagar, machucar, 
pisar. 

Akrã, V. chamar as gallinhas. 

Akruúko, v. adorar, venerar. 

Akruúko, 8. adoração. 

Aksàkar, v. enriçar. 

Aksala, v. deslocar. 

Aksàlak, v. deslocar. 

Akseék, s. batuque. 

Akseko, v. esquivar-se, fugir com o 
corpo. 

Aksia, V. acabrunhar* se. 

Aksiak, V. acabrunhar-se, agoniar-se, 
amofinar-se, apoquentar-£e. 



ALI 



84 



AMA 



Aksiakf 8, inquietação. 

Aksóik, V. enriçar. 

Aksôite, V. galgar, pinotear, pular, 
saltar. 

Aksôite, s. cabriola, pinote, pulo, salto. 

Aksólak, t*. consular. Este termo foi 
introduzido pelos primitivos portu- 
gueses entrados na ilha, e pela difi- 
culdade na pronuncia dos indígenas 
ficou sempre estropeado. 

Aksólik, V. pinchar aves, isto é, apa- 
nhá-las com laço, ou flecha. 

Aksólok, V. consolar. V. Aksólak. 

Aksômko, v, afastar-se fugindo. 

Aksábal, v. atabafar, encobrir, escon- 
der, occultar, sumir. 

Akstibali a. occulto, secreto. 

AkST^bal-an, v. escondor-se, occultar- 
se, Bumir-se, encantar. 

Aksnmik, v. atabafar, encobrir, escon- 
der, sumir, sonegar. 

Aksúmik, a. encantado, occulto, re- 
côndito, secreto, tácito. 

Akstimik-an, v. agachar- se, dissimu- 
lar, occultar-se. 

Aktéik, r. esgrimir, jogar as armas. 

AktÀmak, v. entremetter-se. 

Aktiak, V. descer escada. 

Aktilak, V. lutar. 

Akttiir, V. interpretar. 

Akttlkuko, 8. briga de dois animaes 
marrando. 

Akúak, V. buracar, esburacar, esfura- 
car, furar, perfurar. 

Akaàlan, v, não ter recato. 

Akuéko, 8. guincho do macaco. 

Akuika, 8. guincho do macaco. 

Akákate, s, duas cousas pegadas. 

Aktirnto, r. arrogar. 

Alai, V. «afastar, afugentar, arvorar, 
cultivar, debandar, esvoaçar, tornar. 

Alàlak, 8. acto. 

Alàlok, 8. acto. 

Alaôna, 8. feito. 

Alas, a. compacto, espesso. 

Alékar, v. confundir, desordenar, per- 
turbar, transtornar. 

Aléle, V, diffamar, dizer mal. 

Alérik, a. affiicto, meditabundo, pen- 
sativo. 

Alfris, 8. almofariz. Este termo foi in- 
troduzido pelos antigos portugueses, 
mas ficou completamente estropeado; 
é muito pouco usado, por haver o 
termo Nesso que indica um utensilio 
com o mesmo uso do almofariz c a 
que os portugueses chamam pilão. 

Ali, 8. arvore conhecida pelo nome de 



gondâo. que chega a ter propoin 
gigantescas. 

Alia, V. publicar. 

Alian, r. chiar, chilrar, chilrear. 

Allis, V. inclinar. 

Alik, 8. aspirai. 

Aliki, r. diffamar. 

Alimar, r. chacotear, divertir-se. gr 
cejar, mangar 

Alimar, s. chacota, divertimento. 

Alimar, a. ocioso. 

Alimànn, a. ai liado, segundo os u<( 
costumes indigenas. 

Alin, 8. irmão germano, o irmão na 
novo, primo co-irmâo, primo ms 
novo. £mprega-8C também este \cn 
para indicar o parentesco do aíilbai 
com os filhos do padrinho. 

Alin dóben, a. caro mano. 

Alin-feto, 8. irmã mais nova. 

Alin-m&nn, s. parente carnal, pris 
co-irmSo. 

Alin-maÉitin, adv. irmãmente. 

Aliòan, «. dependência. Este tem 
indica a parte de um reino que ; 
acha longínqua e encravada onti 
outros reinos, e que as autoridai 
portuguesas sempre teem denominai 
•jurisdicção*. 

Almônik, 8. almôndega. Este termo: 
introduzido do português. 

Almnssa, v. almoçar. Este termo foiii 
troduzido do português, e é mé 
pouco usado entre os indígenas ò 
interior que unicamente usam as pj 
lavras h& han para significar o teno 
genérico «comer». 

Alodiak, V. beneficiar, fazer bem. 

Alodiak, 8. benefício. 

Alodiak, a. benéfico. « 

Alodidiak, «. cuidado. 

Alodidiak, a. cuidadoso. 

Alohanôin, s. observação. 

Alohirus, r. acabrunhar. 

Aloleéte, a. gratuito. 

Aloòna, a. feito. 

Alossà, adc. porque. 

Alossà, cofij, porque. 

Alo te, s. disposição. 

Alote-issin, 8. recato. 

Alú, 8. pau do pilão. 

Alnha, s, olvido. 

Alúmato, a. azul. 

Aluro, r. ajuntar. 

Alúmko, r. juntar lenha chamuspíidi 

Amàha, «. pallio, umbella. 

AmÀha-loro, 8. guarda- sol. 

Amába-údan, s. guarda-cbuva. 



AME 



85 



AMl 



aalie, v. cozer consas inteiras para 
3omêr. 

aaho, s. susto. 
[lak, a. incerto» 
aalo, V. contar, numerar. 
aan, s. pae. ^o Dicdonario citado 
iá-se este termo como significado de 
xpãtriarchã». 
aan, a. macho. 

aan-beitúak, 8. tresavô. Para indi- 
;ar o materno pospõe-se a palavra 
311SS0, que significa principalmente 
«mamar». 

nan-bote, «. o tio que é o irmão mais 
velho do pae. 
aan-dórauái, s. tresavô. 
aan-fúd1, s. padrasto, 
aan-kanrua, 8. padrasto, 
nan-katuas, 8. avô. 
nan-kik, 8. o tio que é o irmão mais 
novo do pae. 

nan-klara, s. tio, irmão do pae, en- 
tre o mais velho e o mais novo. 
nan-klâran, 8. tio, irmão do pae en- 
tre o mais velho e o mais novo. 
nan-nia, a. paternal, paterno, pá- 
trio. 

nan-saréini, 8, padrinho. 
tnan-túak, 8. avô, e .pospondo o 
termo susso quer dizer o materno. 
Qian-tiiakala, 8, bisavô, e pospondo 
o termo susso quer dizer o materno, 
mata-bô, v. filtrar. Fazer uma cova na 
areia para limpar a agua filtrando -a. 
màtak, v, cubicar. 

nàtnko, s. communidade, sociedade. 
Ddàus, v, lisonjear. 
maus, 8. lisonja. 
tuàus, a. lisongeiro. 
me, a. sóbrio. Neste termo o e quasi 
não se pronuncia. 
méak, v. enTerrujar-se. 
mékan, v. invejar, ter inveja. 
mékan, «. ciúme, cubica, inveja, 
emulação. 

mekari, v. debandar. 
melele, v. andar sobre a agua, boiar, 
fluctuar. 

menana, v. admirar-se, embasbacar, 
menana, a, boquiaberto, estupefacto. 
menassa, v. alegrar-se, recrear-se, 
regozijar-se, sorrir, sorrir-se. 
menassa, s. alegria, jubilo, 
menassa-assara, «. cachinada. 
menassa-bibiite, v. rir de mais. 
aienassaladiak, v. arrebentar de 
riso, estalar com riso, rebentar a rir. 
tmenàuko, %\ roubar. 



Ameno, v. aprazar, assinalar, empra* 
zar, prescrever. 

Amenôko, v. calar-se. . 

Amérak, v. turbar, turvar. 

Amérik, v. ter-se. 

Amôrok, v. ter sede. 

Amérok-ladiak, v. desfallecer de sede. 

Ametànko, 8. reverencia. 

Ami, pr. pes. úós, 

Ami-aman, s. Padre Nosso. 

Amidel, v. dulcificar. 

Amiite, a. meudinho. 

Ami-nia, pr, pos. nosso. 

Amo, 8, fidalgo, patrão, senhor. Este 
termo foi introduzido pelos portugue- 
ses, e está tão radicado na linguagem 
dos indígenas que ó o tratamento 
familiar que todos dão aos europeus, 
mesmo ns mulheres que com elles ca- 
sam ou vivem amancebadas. 

Amoe, V. affrontar, envergonhar, escar- 
necer. 

Amólan, v. engolir sem mastigar. 

Amólan, s. glotão. 

Amólik, 8. limpeza. 

AmOlúlik, 8. preebytero. 

Amôn, V. olhar fixo, ver com attenção. 

Amoó, V, afí^rontar, envergonhar, es- 
carnecer. 

Amôsso, r. supprimir. 

Amôto, V. queimar as ervas e arbustos 
das hortas, para depois trabalhar as 
terras. 

Amôúte, V. mergulhar, sossobrar, sub- 
mergir. 

Amiilàkk, V. arengar, arrasoar, decla- 
mar, discorrer, discursar, discutir, 
dissertar, falar em publico, orar, pre- 
gar, recitar. 

Amúlak, 8. discurso, sermão, 

Amúruko, s. estampido. 

Amútik, V. desmaiar. 

Amútik, 8. desmaio. 

Amuto, 8. raiz. 

Amútuko, V. achegar, acostar, acres- 
cer, acrescentar, addicionar, addir, 
aditar, agglomerar, agregar, apinhar, 
amontoar, annexar, associar, colligir, 
conchavar, conchegar, conglobar, con- 
gregar, cuadunar, encorporar, inserir, 
recapitular, sommar, unir. 

Amtitnko, a. addição, somma, união. 

Amútuko, a. apinhado, associado, con- 
tíguo, unanime. 

Amútuko-an, v, unir-se, eolligar-se. 

Amútuko-fólin, s. sociedade commer- 
cial. 

Amútuko-halo, v. aecumular. 



ANK 



8G 



AOA 



Amútnko-bó, r, assocíar-se. 

Amtitoko-ikoa, «. appendice. 

An, pr. ptê. me, fee> 

An, adv. amanhã. 

Anai, V. servir alguém. 

Anak-bà, adc adeus, em uso em^al- 
guiiB reinos. i 

Analin, v, capsr, castrar, podar. 

Analin, s. capado, castrado. 

An ano, s. cantoria. 

AnÃnnn, v. estudHr, illustrar-te, ler. 

An&nun, «. estudo, liçáo. 

Anantin, v. cantar, musíquiar, canta- 
rola. 

Anar, s. carvão. 

Amladél, #. almoço, comer de manhã. 

Andara, v, assar sobre folhas. 

Ando, V, ignorar, não saber. 

Andi, V. ter-se. 

Andi, V. visitar. 

Aneé, v. andar de gata«, gatinhar. 

Aneék, v, andar de gatinhas. 

Anek, $. tijela. 

Anekai, s, caneca de madeira. 

Anek-bote, «. celha. 

Anek ral, s. caneca de barn». 

Anôno, 8. tinta vermelha com que os 
indígenas tingem os panos de que se 
servem para cobrir a nudez, dos quaes 
o destinado a mulheres tem o nome 
de «sarão». 

Anflan, s. ópio. Este termo é introdu- 
zido pelos commerciantes chinas. 

Ani, s, buiz. 

Ani-àssan, s. barbella de freio. 

Anin, ê, ar, atmosphera, vento. 

Anin-bote, «. baforada, furacão, lajada, 
tufão. 

Anin-daduras, s. redemoinho, venda- 
val, ventania. 

Anin-iba, v. ventar, faser vento. 

Anin-iis, «. bafagem, brisa. 

Anin-léie, 8. calmaria, bom tempo. 

Anin-mâjnal, «. aragem, aura, bafa- 
gem, brisa terrestre. 

Anin-n&in, s. furacão, tempestade, ven- 
tania. 

Anino, V. observar, olhar attento. 

Anino, 8. observância. 

Anin-tassi, 8. brisa do mar. 

Anin-uite, 8. aragem, brisa. 

Aniruko, r. aquecer ao lume. 

Ank&ir, «. carregar. Uma pessoa que 
carrega á pinga sobre um hombro. 

Ankákôa, v, tragar. 

Ankàkôa, a. sôfrego. 

AnkâA, V. emular. 

Ankâu, 8. ciúme, emulação. 



Ankfta-ladiak, v. roer-se de ídv« 
Ankari, v. difiindir, grassar. 
Ankirik, 8. escremento liquido 
AnklÀr, 8. noticia, novidade. 
Ankòko, L*. saber, saborear, ter si> 
Anlaba, v, ter fome. 
Anlaha» 8 fome. 
Anléle, v. andar sobre as agaas, ti 

tuar, navegar. 
An-mabo, a atarantado. 
An-mftn, v. descansar, parar. 
An-mók, r calar-se. 
An-mòno, r. escutar, ouvir, saber d 

cias. 
An-mnmnn, «. a comida qae cae dâ > 
Anoi, V. entristecer. 
Anoi, a. triste, melancholico. 
Anôik, r. agaisalhar-se, cobri r-se. 

brulhar se. 
Anóin, V, admoestar. 
Anôin, V. amar, apaixonar- se, estiei 

querer bem. 
Anôin, f . amor, amizade, estima. ^ 

mação, saudade. 
Anòin, a, estimado. 
Anôno, V. diminuir o fogo, quando ac 

mida já está cozida. 
Anórin, r. admoestar. 
Anôrin, v. adestrar. 
Anôrin, «. mestre. 
Anôrin, a. destro. 
Anôrin-feto, «. mestra. 
Anorin-mane, «. mestre. 
Anôun, 8. admoestação. 
Anréate, a. esquivo. 
An^ôu, 17. soluçar. 
AnrôTi, 8. soluço 
Anri, V. ter-se. 
Anrô, V. ter sede. 
Ans^o, r. esfiilfar, tstafar. 
Ant&nko, 8. espanto, medo. 
Antete, adv. a par. 
Antéten, v. falar. £ste termo é m 

em alguns pcmtos da contra-cosU 

costa do sul, por isso pouco conheci 

dos moradores de Diílj. 
Anteto, V. subir ao cume de uma me 

tanha. 
Anuba, v. firmar -se. 
Anuba-métin, t*. estribar- se^ firmar 

nas pontas dos pés. 
Anúkate, v. chafurdar, foçar. 
Anato, V. cortar ramos, decota lo:- 
Aôa, V. parir. 

Aôa-sar&ni, v. ser padrinho. 
Aôaka, v. Mffi*outar, aggredir, invee 

var. 
Aôaka, s. affronta, aggressao. 



ARO 



87 



ASS 



tlsOy 8. pêndula. 
"LSL, V. abortar. 

tl3ate, 8. duas cousas pegadas ; duas 
essoas que vivem muito ligadas. 
LlxTin, V. escachar, fazer pedaços. 
t.1, V. abaixar, baixar, rebaixar. 
xlís, V. abaixar, bnixar, rebaixar. 
^ils-an, V. rebaixar-se. 
^11^-mà.taix, V. baixar os olhos. 
SLik-néon, v. humilhar se. 
inan, «. holocausto. Nopomal, espe- 
ie de logar sagrado para 03 indige- 
las. 

Giiii, V, pousar. 
B,t;e, V. sachar. 
ate-rai, v. mecher a terra. 
âuzi, V. despedaçar, espedaçar, pisar, 
jiiebrar, reduzir a pó, triturar, 
é « 9j. ante-olhar, avistar, contemplar, 
livisar, differençar, encarar, enxer- 
gar, mirar, olhar, perceber, ver. Pa- 
rece que esta paJavra foi introduzida 
pelos padres indianos que, desde os 
íins do século xvii, missionaram na 
eolonia até 1873. 
•é, 6. visão, vista. 
■é-díak, 8. cuidado, observância, 
ré-didiak, v, averiguar, cuidar, ob- 
servar, vigiar, verificar, 
ré-fólin, V. ajustar, apreçar, avaliar, 
re^ákun, a. baio. Cor de animal, 
ré-kalabo, v lobrigar, 
ré-kalabo, s. curto de vista, vista 
baça, vista curta. 

ré-kôko, v. explorar, intentar, verifi- 
car. 

rela ! int. apre ! irra ! 
ré-lós, V. averiguar, distinguir, exa- 
minar, verificar, 
ré-lós, s. exame, 
ré-mós, «. boa -vista 
ré-sal)abo, s. curto de vista, vista 
baça, vista curta, 
xé-úluko, u. anteVer, prever, 
.ri, V. esfregar, limpar, 
.ri 3, V. banhar se. 
.ris, 8. banho. 

.ris-fátin, s. banheira. Este termo 
quer dizer propriamente logar de ba- 
nho, e refere-se a uma pequena ante- 
para de palapa qu*^ se faz perto do 
poço, ou corrente de agua, onde se 
tomam banhos corridos deitando a 
agua com uma timba pela cabeça 
abaixo. 
ÍTÓf 8. cabaia. 

^rôin, V. enòireitar levantando. Este 
termo emprega-se para indicar o ar- 



mar com madeiras o esqueleto da casa 
que se quer construir, quer seja^elo 
systema europeu quer pelo indigena. 

Aroka, 8. facto. 

Ami ! int. eia ! 

Aruin, V. abaixar para poder passar, 
entrar abaixando-se. 

Amka, v. commandar, determinar, go- 
vernar, mandar, ordenar, prescrever, 
recommendar. 

Aroka, s. preceito. 

Aruka-fali, v. devolver. 

Aruka-lialo, v, encommendar. 

Aruka-hodi, v. enviar, remetter. 

Aruka làkon, v. desterrar. 

Aruka-lalais, v. expedir. 

Aruka-nanôko, v. mandar calar a boca. 

Arnka-sàe, v. expulsar, mandar pôr na 
rua. 

Arumo, v. apertar com a mão. 

Aruúko, V. encolher. 

Ás, 8. altivez, altura, grandeza. 

Ás, a. alto, altivo, eminente, ethereo* 
excelso, grande, subido, sublime, su- 
perior, supino, transcendente. 

Ás-liu, V. fcobrepujar, sobresair. 

As-liu, a. altíssimo, superemioente, su- 
premo. 

As-liuréssin, a. agigantado. 

Assa, s. queixo. 

Asseie, V. abolir. 

Ass&e, 8. extracção. 

Assàe-súlan, v. abrir garrafa. 

Assak, V. abrir. 

Assàkin, v. escoar. 

Assala, v. descansar, estar em ferias, 
faltar, folgar, parar o que se está fa- 
zendo. 

Assan, 8. barba, queixada, queixo. 

Assan-dadéik, v. bater os dentes com 
frio. 

Assan-nia, a. queixai. 

Assan-ràhun, 8. barbas. Os indígenas, 
que em geral são imberbes, dão esta 
denominação a todos os talhos de 
barba dos europeus, como bigode, 
pêra, suissa, etc. 

Assan-tós, a. gago. A verdadeira si- 
gnificação d'este termo entre os indí- 
genas é «queixo perVo» que produz a 
difíiculdade no falar. 

Assar, V. bafejar. 

Assar s. conserva. Este termo é intro- 
du/ido pelos portugueses c us^ado em 
todo o oriente, havendo muitos indí- 
genas que dizem claramente aohar. 

Assara, v. achincalhar, apepinar, ar- 
remedar, burlar, caçoar, chasquear, 



ATA 



88 



ATO 



escarnecer, ílludir, ludibriar, mangar, 
mofar, motejar, zombar. 

Assara, «. burla, caçoada, chacota, 
chufa, galhofa, ludibrio, mofa, zom- 
baria. 

Assassi, V, eacoar. 

Ass&an, v. descascar. 

Assili, V. açular. 

Asso, s, câo, perro. 

Asso-b&rak, s. canzoada. 

Asso -bote, «. canzarrSo. 

Asso-inan» «. cadoUa. 

Asso-kik, 8. cãozinho, podengo. 

Asso kmela, «. pulga de cfto. 

Assòko, s. vareja. 

Asso-lian, a. ganido, latido. 

AsflO-lobtin, a. caeliorrada, ninhada de 
câesinhos. 

Assoméran, a. formiga g^nde aver- 
melhada. 

Asso-nia, a. canino. 

Asso-òan, a. cachorro, cãozinho. 

Assòro, V. alcançar, apresentar- 8C, con- 

* fluir, deparar, embai car, encontrar, 
encontrar-se, sair ao encontro, topar, 
visitar. 

Assôro, a. encontrão, encontro, visita. 

Assôro, prep, contra. 

Assôro-malo, v. abalroar com alguém, 
sair ao encontro. 

Assotexi, a. emboscada. 

Asso-nàin, a. cachorrada, canzoada, 
matilha. 

Asso-ato, a. pulga de cão. 

Assú, V. abaixar-se para passar. 

Assuétin, a. heroe, valentão, valente. 
Os indígenas dão este nome aos seus 
companheiros de guerra que já teem 
cortado varias cabeças dos inimigos. 

AssD&ten, a. roxo. 

Asquin, ik abaixar-se em sinal de res- 
peito. 

Assuú, V. afadigar-se. 

Ata, a. criado, escravo, servo. Os indí- 
genas empregam este termo para de- 
signar 08 escravos que possuem e os 
servem, e para indicação de macho 
e fêmea pospõem os termos mane ou 
feto, mas na linguagem vulgar em- 
pregam o termo simples para desi- 
gnar criado, e o composto para a 
criada. 

At&buko, V. abalroar. 

At&dan, v. macular. 

Ata-feto, a. criada, escrava, moça, 
serva. 

Ata-fólin, a. escravatura. 

Atàho, V. enlamear. 



Atali, t*. amarrar, apertar, atar, ligtil 
Este termo foi introdozido do portu- 
guês, e provém da expressão «ata alia, 
pois o termo propriamente indiger^ 
é fato. 

At&ma„ V, receber, recolher. 

At&ma-bó, V. regar de pé, oo peio i*^ 

Atàma-btitan, v. abotoar. Este ter„ 
foi adoptado do português, pois » 
iodigenas não conheciam o qoe eL 
representa, visto que os seus traj-: 
são apenas enrolados ao coipo e >•: 
guros na cintnra com os propnv 
panos ou com algum cordão, c zk 
usam botões. 

Ata-màne, a^ criado, escravo, mc*^ 
servo. 

Ata-métan, a. escrava negra. 

Atan, V. acudir, responder. 

Atàtaa, V. peitar, subornar. 

Atào, V. embaraçar, impedir. 

Ata-afrin, a. escravatura. 

Ataúdo, a. barata. 

AtÀuko, a. medonho. 

Atanlón, v, cercar, sitiar. 

Ateio, a. um pau aperfeiçoado com && 
extremidades bem aparadas. 

Aten, a. figado, pulmão. 

Atenbô, a. bofe. 

Atene, v. aprender, entender, saber. 

Atenia, a. figadal. 

Ateno, V. ladrar. 

Atôtek, V. atravessar montanhas. 

Atóten, V. falar. £ste termo, sem ser 
aspirado absolutamente, é maitopoaco 
usado, mas mencionamo-lo porqae se 
encontram alguns indígenas em vá- 
rios pontos da ilha que nao aspiram 
palavra alguma. 

Atótnko, t*. gradar. 

A ti, V. açular. 

Atiha, v. descer pulando. 

Atila, V, dar pulos no mesmo sitio. 

Atio, V. conduzir aô hombro. 

Atis, a. uma peça do tear muito primi- 
tivo, em que os indígenas tecem os 
panos com que se cobrem. 

Ató, adv. quasi. 

Ató, prep. para. 

Ató, conj. a fim de, a ponto de. 

Ató- a ré, a. miope, quasi cego. 

Ató-búlak, a. idiota, quasi doido. 

Atoda, V. carregar. 

Ató-halo, V. estar para fazer. 

Atók, prep. para. 

Ató-laâ., V. estar de partida. 

Ató-maifali, v. estar de volta. 

Atóman, v. acostumar. 



ALT 



89 



BAA 



'Oréii, 8, estrume âno^ quasi terra, 
terriço. 

.os, a. cem, cento. Este termo, ante- 
posto aos nomes dos algarismos, in- 
dica as centenas da quantidade, 
•ó-séie, V. sair. Esta expressão em- 
prega- se quando qualquer pessoa se 
move para sair do logar em que está. 
;ós-séte, v. estar para partir. Usa-sc 
para indicar os preparativos para sair 
cia localidade. 

.ó-tâ.ina, V. estar agasalhado. 
;xibukO) V. abalroar, abordar. 
*tida, t\ batalhar, fazer guerra, guer- 
rear. 

;uda, 8. batalha, guerra, 
iuda-mànan, s. conquista. 
^udo, V, amostrar, mostrar. 
tiUdo, 8, amostra, exposição, 
uudo-an, v. amostrar-se,fazer-se ver, 
manifèstar-se. 

sudo-â&lan, v. mostrar o caminho, 
budo-lôko, V. mostrar arrogância, 
budo-lolós, V. especificar, 
budo-néan, v, refilar, 
budo-ôna, a. exposto, 
buka, 8. fogo. Este termo refere-se 
unicamente ás fogueiras que os indi- 
genas fazem por debaixo dos «lan- 
tens» espécie de camas, em seguida 
Bos partos das mulheres, as quacs re- 
cebem esse excessivo calor durante 
muitos dias. 

túltm, V. negociar em commum, soc- 
correr-se mutuamente, 
biin, V, abaixar, arrear, baixar, 
tur, V. engastar pedras, 
turis, V. açular. 
turo, V, vasar. 
túruko, V. vasar. 
tuú, V. esconder, 
ú, pr, pe8. me, mim. 
a, 8. bambu, 
tiaiy V. aventar, ventilar, 
aak-bét, adv. adeus, 
u-akônuko, a. bambu cortado em dia- 
gonal no extremo. 



Auàlek, t\ vergar. 

Auànòin, «. parecer. 

Anàuko, v. ladrar. 

An-bassa, «. bambu com tampa para 
conterliquido. / 

Au-dian, 8. bambu sem pioos. 

Au-dúban, «. bambu para conducçao de 
agua. 

Aué, V. rarefazer. 

Auón, V. rarefazer. 

Au-folk, 8. bambu com picos. 

Auida, V. advertir, avisar. Este termo 
parece ser palavra portuguesa estro- 
peada, em consequência da difficul- 
dade dos indígenas em pronunciar o 
VeoZ. 

Auido, 8. aviso. 

Auiro, V. zurzir. 

Auissa, V. avisar, prevenir. Este termo 
é provavelmente a palavra portu- 
guesa «avisa», estropeada, em conse- 
quência da difRculdãde que tem os 
indígenas em pronunciar o V. 

Au-kakó, 8. bambu que alem de tampa 
tem também um bico para correr o 
liquido. 

Aa-keno, 8. espécie de copo ae bambu 
que fazem e usam os indígenas. 

Aakl&kate, s. bambu, rachado numa 
extremidade, para apanhar fruta ou 
para introduzir as tigelinhas de mar- 
mello indígena, de que se usa nas 
festas para fazer as illuminaçòes. 

Auko, 8. pendente. 

Aul, V. conduzir objectos ao hombro 
sobre um pau ou bambu. 

Au-lako, 8. bambu preto riscado de 
claro. 

An-lalôsso, s. bambu curto e fechado, 
de que os indígenas se servem para 
guardar papeis. 

Au-làran, 8. bambual. 

Au-luka, a. o buraco que os indígenas 
fazem no bambu destinado á «toáca^ 
e peio qual elles bebem. 

Auluko, a. inventor. 

Autúr, V. estar sentado. 



kf V. abalar, correr, dirigir-se enca- 
minhar-se, ir, marchar, partir, safar- 
se, sair. Este termo serve também de 
regimen a alguns verbos, c de radi- 
cal a muitos termos. 
•&, 8. ida. 



Bâ, aãv. acerca. 
Bà, prep, a, para. 
Bét ! int. anda ! 
Bà-amiitnko, v. concorrer. 
Bà-an, v. cair sem sentidos. 
Bâ atuda, v. sair á campanha. 



BAD 



90 



Baba, 8. adufe, tambor. 

Babahate, v. cortar cora escopro ou 
formão. 

Babalôto, s. pandeiro. 

Babaliko, s. tambor para batuque. 

Babalòto, s. tambor para batuque. 

Bà-bésaik, v, achegar- se, chegar* se. 

Bá-béssik, prep. para perto. 

Babélen, s. barbas de gato. 

Babérak, v. deliberar. 

Babilak, a. contrario.- 

Babilak-an, a. bohemio, homem que 
não pára em parte alguma. 

Babilan, v. cozer ao lume. 

Babo, 8. espécie de corneta que os in- 
dígenas fazem do chifre de búfalo. 

Babôno, s. cabaça iudigena. 

Baboras, 8. antraz. 

Babôras, 8. caranguejo. 

Baboras-dôko, 8. cancro externo. 

Baboras-kléan, s. cancro interno, car- 
búnculo. 

Babiial, 8. aboboreira. 

Babúal-fúan, 8, abóbora. 

Babaal-lôto, «. melão. 

Babúar, «. melancia. 

Babúar-lôto, s. melão. 

Babuko, 8. caracol, lesma. 

Babnko, a. pachorrento. 

Babula, v. amachocar, amarrotar, aper- 
tar na mão, esconder na mão. 

B abano, 8. cabaça para conduzir agua. 

Babúr, «. as fontes aos lados do fron- 
tal. 

Babiirlte, v. seringar. 

Babúrite, s. esguicho, seringa. 

Babute, 8. buraoo de onde nasce agua. 

Bà-dadàun, v. ir por deante, proce- 
der, progredir, proseguir. 

Badàin, v, engenhar. 

Badáin, s. aptidão, arte, destreza, en- 
genho, génio, habilidade, operário. 

Badàin, a. capaz, curioso, destro, dou- 
tor, engenhoso, esperto, geitoso, há- 
bil, industrioso, intelligente. 

Badàin-ai, s. carpinteiro. 

Badàin-ain, s. sapateiro. 

Badàin-bessi, s. ferreii o, serralheiro. 

Badâ.in-faro, 8. alfaiate. 

Badáin-fátuko, s. pedreiro. 

Badàin-kàlen,'í Intoeiro. 

Badáin-suko, s. alfaiate. 

Bàdak, v. abreviar, encurtar. 

Bádak, a. abreviado, baixo, breve, 
curto, escasso. 

Bâdàk, 8. rasteiro. 

Badâme, v, pacificar. 

Badàme, 8. pacificação. 



Bad&me, a. pacifico. 

B&dan, V. conferir, confrontar, compa 
rar, cotejar. 

B&dan, «. comparação. 

Badinas, «. diligencia. 

BadinaSy a. cuidadoso, diligente, soli 
cito. 

Bado, ». bando, e iital, edito. V. Bandu 

B adulo, 8. velas que os chinas eui 
pregam para bater cabeça nos pago 
des. 

Bafali, V. regressar. 

B afila, V. cursar. 

Baba, s. cerco. £ste termo emprega-si 
para indicar que te cerca o inimi':! 
na guerra. 

Ba-b&n, v. ir comer. 

B abate, 8. escopro, formão. 

Babôn, «. acabado, ancião. 

Bahin, «. ilharga. Este termo empr 
ga-se geralmente para indicar o> la 
dos maiores do telhado, ou do tedi 
de qualquer cusa: 

Bahira, loc. adv. porquanto. 

Babirak, adv. logo que. 

Babo, V, acompanhar. 

Ba-boe, v. cagar, evacuar. 

Babnik, «. mandrião. 

B&bnko, L*. desperdiçar, esperdiçar 

BÀbuko, a. ocioso, pachorrento, s-^i 
ro:?o. No Diccionario citado dá-te i 
pag. 158 como significado d' este ter 
mo o adjectivo «destemido», o que m 
parece em opposição acs signifícadc 
apontados, e não nos lembra de ta 
ouvido nunca aos indígenas. 

BabiLsaik, v, atirar com arma de fogo 
ir á caça. 

Bai, 8. dia. Este termo é empregadi 
quando a phrase é interrogativa coíT" 
por exemplo: bó bai bira? mii 
quantos djas? 

Baibàin, adv. sempre. 

Bai-bira, adv, quando. Usado prioci 
palmente pela gente de Dilly. 

Bai-bira, copj. como, quando. 

Bain, adv. assae. 

Bainaka, 8. hospede. 

Bai rua, adv. depois de amanha. 

Bai uma, r. recolher a casa. 

Bako, V. açoitar, atormentar, batPt 
cascar, castigar, espancar, flagelai 
fustigar, machucar, massar, purctitir 
punir, tosar, zurzir. 

Bako, 8. castigo, pena. 

Bako-an, v. açoitar-se. 

Bako bàtar, v. debulhar milho. 

Bako-bé, v. patinhar. 



BAL 



91 



BAR 



iako-fi.la, V. batucar, 
lako liodiak, v. bater com um pau. 
tako ladiak, v. assentar a mão, dar 
uma sova, suppliciar. 
tako-Iiman, v. bracejar. 
Sako-liras, v. adejar, alear, bater as 

Sako maio, v. baterem-sc mutuamente 

dois individues. 
Jako-ráhun, v. despedaçar, espeda- 

çar. 
Bako ulo, V. bater cabeça. Este termo 
emprega-se unicamente para indicar 
as rezas que os commerciautes chinas 
fazem aos penates no seu pagode. 
Bákuto, V. marrar. 
Bákuto, 8. coroada. 
Balabú, r. buscar, procurar. 
Balàbun, v. dar fundo, fundear. 
Balãliuko, a. azu], cinzento, pardo. 
Bá-lakló, V. cagar, cursar. 
Balalais, v. adeantar-se, avançar. 
Balàlais, 8. bolandas. 
Balémko, v. fazer alarido, gritar. 
Balànn, v. alvoroçar, atroar, barulhar, 

estrepitar, estrondar, fazer bulha. 
Balétun, 8. alarido, arruido, barulho, 

bulha, estrondo, ruido, rumor. 
Balékan, 8. cabaça para agua. 
Baléten, adv. para cima. 
Bali, V. curar. 
Bali, 8. cura. 

Balilékkan, v. andar constantemente. 
Balilàkan, £. motu continuo. 
Bàlin, V. mudar. » 

Bãlin, 8. mudança. 
Bali-ôna, a e part. curado. 
Baliuko, 8. machada, machado. 
Baliun, 8. machada, machado. 
Balíur, V. cagar, dar de corpo, evacuar, 

ir á latrina. Os indígenas empregam 

este termo quando se referem ao rei 

fazer as suas necessidades. 
Balmas, v. gesticular. 
Balmas, 8. esgares, gestos, tregeitos. 
Balmas-an, v. confranger- se, mover-se 

cheio de ira. 
Balo, 8. caixão. 
Bàluko, 8. artigo, bocado, fracção, 

lasL-a, membro, naco, parte, quinhão, 

retalho, talhada, troço. 
Bàluko, a. parcial. 
Bâ.lQko-kik, 8. átomo, molécula. 
Báluko-ôan, 8. bocadinho, fragmento, 

migalha, partícula, pedaço. 
Bàlun, 8. banda, bocado, lado, parte, 

traço, trecho. 
Bàlun, a. meio, metade, outro, parcial. 



Bàlun, pr. det. outro. 

Banati, v. copiar, desenhar, transcre- 
ver, trasladar. 

Banati, 8, amostra, copia, exemplar, 
modelo, molde, mostra, rascunho. 

Bandassétl, s. alpendre, barraca para 
celebrar os casamentos e os enterros 
dos reis e principaes. Alguns raros 
indígenas dizem Bankassal. 

Bandú, s. bando. Dá-se este nome a 
uma commissão de empregados quasi 
sempre militares, que vão aos reinos, 
a fim de publicar e fazer cumprir 
instrucções ou ordens do governo, e 
que vAo acompanhados de uma caixa 
de rufo e uma bandeira nacional. 

Banha, v. alinhavar, embainhar. Este 
termo foi introduzido do português 
•bainha» ficando es tropeado. 

Banha, 8. bainha. 

Bani, 8. abelha, insecto. 

Bà-nia, pr. lhe 

Bani-ben, 8. mel. 

Bani-búbnko, 8. zangão. 

B&nin, 6*. sogro. 

Bani-n&in, «. enxame. 

Banin-feto, 8. sogra. 

Banite, 8. negaça. Os indígenas empre- 
gam este termo para designar a fê- 
mea de búfalo de que se servem para 
conduzir oaanimaes que queremmatar. 

Bankassal, 8. parreira, ramada. 

B&ôna, adv. adeus. 

Bar, 8. travo. 

Bàrak, «. abundância, caterva, chorri- 
lho, chusma, dose, granel, grupo, 
quantidade, recua. 

Bàrak, a. bastante, basto, copioso, 
muito, profuso, tanto. 

B&rak, adu. assaz, em barda, larga- 
mente, tanto. 

Bàrak-liu, 8. infinidade. 

Bétrak-liu, a. innumeravel, superabun- 
dante. 

Bàrak-lia, adv. bem mais, demais, de- ' 
masiadamente. 

B&rak-réssin, adv. demais, demasia- 
damente. 

Barassa, s. mercado. Este termo foi 
introduzido do português «praça», fi- 
cando estropeado em consequência da 
diííiculdade na pronuncia do P. 

Barbara, s. latada. Od indígenas dão 
este nome ao entrelaçado de certas 
trepadeiras selvagens que chegam a 
cobrir uma arvore com os seus fustões 
de folhagem e fiores, á maneira das 
videiras no nosso Minho. 



BAT 



1>2 



BEI 



Barbáirak, s. ás carradas, ás manadas, 
ás mãos cheias. 

Barb&rak, a. muitíssimo. 

Baredo, «• barulho. 

Barôtan, s. vareta. P^ste (ermo é intro- 
duzido do português. 

Barlega, s. beldroega. Esto termo foi 
igualmente introduzido do português. 

Baro, V. assar em espeto, tostar. 

B&rok, 8. apathia, desleixo, desmazelo, 
ignavia, mandriice, modorra, negli- 
gencia, pachorra, preguiça. 

B&rok, a. demorado, descuidado, des- 
leixado, desmazelado, frouxo, ignaro, 
indolente, inerte, lerdo, preguiçoso. 

BÀrok-ten, s. grevista. 

Bàrok-ten, a. apathico, cagarola, ma- 
draço, mandrião, maiTalheiro, negli- 
gente, pachorrento, poltrão, pregui- 
çoso, relaxado, tardo, vagaroso. 

Baro-ôna, a. assado. 

Barúik, a. magríssimo. 

BÃs, «. hombro. Alguns indígenas de 
Dilly e arredores dizem pás. 

Bà-sà, adv. porque. 

Bá.-SÃ, prep. para. 

Bà-sà, conj, pois que, sendo que. 

Béi-sà ! int. então ! 

Bà-sele, v. cursar, evacuar. 

Bassa, v. dar bofetadas, dar palmadas, 
esbofetear, sopapar. 

Bassa, s» bofetada, bofetão, cachação, 
murro, palmada^ sopapo, tapona. 

Bassa-lima, v. bater palmas. 

Bassa-liras, v. alar, alear, avocjar, 
bater as asas, espanejar-se. 

BÀssar, s. bazar, feira, mercado. Este 
termo foi introduzido pelos portu- 
gueses, e é geralmente usado em 
todo o Oriente. 

Bassa-tàes, s. evacuar. Este termo só 
se emprega a respeito do rei quando 
vae fazer as suas necessidades eorpo- 
raes. 

Basso, V. debulhar. 

Basso-nahas, adv. já. £mprega-se so- 
mente para dar mais força á expres- 
são quando se ordena. 

Bataian, s. batalhão. Este termo é o 
português estropeado pelos indigenas 
pela dííticuldade da sua pronuncia 
para o som Lh. 

Bàtak, V. estancar. 

Batak, 8. açude de pedra. 

Batanda, s. dansa. Própria dos indige- 
nas, na qual passam noites inteiras 
ao som de um canto monótono e sem 
graça. 



Bàtar, s. milho. 

BÀtar damo, s. carolo do milho. 

B&tar fidin, s. espiga de milho. 

B&tar hnn, «. pé de milheiro. 

Batark&in, «. bracellcte que os indi- 
genas usam em grande quantidade no 
antebraço. 

Batar kós, s. camisa de milho. 

Batar nar, s. a carepa que sae do mi- 
lho ao desbaguar a massaroca. 

Bateka, s. melancia. Este termo vem 
do creoulo maçais ta «pateca», ficando 
estropeado porque os indigenas diâ- 
cilmente pronunciam o P. 

Bà-tékil, V. andar em bolandas. 

Batik, i\ acenar. 

Batlk, 8. bandeja. 

Batik-lima, v. chamar com a mão. 

Ba-tinanrua, a. biennal. 

Ba-toba, V. ir-se deitar. 

Bá-uéd, r. arejar. 

BÀnio, 8. pavio, torcida. Este termo foi 
introduzido do português, e é maia 
uma prova da difficuldade dos bdi- 
genas em pronunciarem os sons P e Y. 

Banko, 8. gordura molle. Os indígenas 
empregam este termo principalmente 
para indicar uma espécie de mole&tia 
nos membros locomotores, que en- 
grossam desmedidamente c a que se 
chama vulgarmente «elephantiãsisv. 

Bà-tiltiko, r. adeantar-se, anteceder. 
avançar, ir adeante, passar ávautc. 
preceder. 

Bà-tima, r. ir a casa. 

Bàun, V. desperdiçar, esperdiçar. 

Baur, 8. arco-iris. 

Bó, 8. agua. Este termo, alem de servir 
de radical a muitos outros, tem om 
emprego especial na formação das 
phrases, entrando como partícula sem 
significação própria, e dando-a ás 
mesmas phrases. 

Bébak, #. palapa. Peciolo da folha à 
palmeira, a que se dá vários nsos^ 
como fazer cebes ou pagares para cer 
car os quintaes, e fazer as paredes 
das casas, algumas das quaes depois 
de rebocadas e caiadas parecem cons- 
truídas de pedra c cal. 

Bédok, V, voltar no caminho. 

Beéte, «. palmeira pequena. 

Be-fúrin, «. espuma. 

Béban, 8. empecilho, impedimento. 

Bebemo-mate, t\ afogar-se. 

Beiala, 8. bisavó. 

Bôibôik, adv. constantemente, conti 
nuamente, de continuo, incessante- 



DEL 



93 



BES 



mente, perennemente, perpetuamente, 

sempre, sem cessar. 

>ôik, V. ignorar, não saber absoluta- 
mente cousa alguma. 

íôik, 8. ignorância, toleima. 

;éik, a. alarve, bajojo, basbaque, bes- 
ta, bestial, boçal, brutal, bruto, bur- 
ro, idiota, ignaro, ignorante, imperi- 
to, incivil, leigo, lerdo, louco, mente- 
capto, néscio, parvo, pateta, rude, 
tolo. 

léin, a. grande. 

ieiôan, s, neto. 

ieiôan-feto, s. neta. 

Jeiro, 8. barco. Este pequeno barco 
único de construcçáo indígena é feito 
do tronco de uma arvore, o qual se 
mantém sobro as aguas por uns bra- 
ços de bambu. 

Íeis, V. estar. Mui pouco usado. 

^eis, a. conjunto, contiguo, immediato, 
imminente, próximo, propinquo. 

Beis, adv. junto, perto, 

3eis-mate, 8. agonia. 

Beitúak, 8. bisavô paterno. 

3eittLak-snsso, s. bisavô materno. 

3ékan, a. vão, vácuo, vazio. 

3é-knemo, *. copo de bambu. 

3ékoii, a. vácuo, vazio. 

Selai, 8. seco. 

3é-lalila, a. árido. 

3élak, V. achatar. 

3eléik, 8. placa. Dáo os indigenas esta 
denominação ás placas de ouro ou 
prata, que por vezes lhes teem sido 
distribuidas por occasiâo das guer> 
ras, e a que os europeus dão vulgar- 
mente o nome de «luas». Esta expres- 
são parece á primeira vista introdu- 
zida do francês, mas não c provável 
que o fosse, porque de longa data não 
consta que no país entrasse francês 
algum, a não ser ultimamente um cha- 
mado Joubert. 

Bélak, a. e part. achatado, chato. 

Bé-lalóran, 8. corrente. Este termo 
emprega-sc unicamente para indicar 
as correntes do mar, que principal- 
mente no canal de Ombai são muito 
fortes. 

Bélar, a. amplo, largo. 

Bele, V. ousar, poder, vencer. 

Bale, 8. poderio. 

Bele, a. dií^no, potente, vencedor. 

Bele-béirak, a. poderoso. 

Bele-halo, «. licito. 

Bélek, 8. dependurar. 

Bele-mate, a. mortal. 



Be-lihún, s, lago, lagoa, pântano. 

Be-liman, 8. canal, cano, levada, re- 
gueiro, rego de agua. 

Belite, V. grudar. 

Belite, 8. grude. 

Beliú, 8. agua estagnada. 

Belo, V. lamber. 

Belo, 8. alliança, amizade, camarada- 
gem, familiaridade. 

Belo, a. amigo, camarada, familiar. 

Belo dóben, «. estimado amigo, pre- 
zado amigo. 

Belo lós, 8. amigo certo. 

Beloko, 8. amolgadura, mossa. 

Bé-m&tan, s, fonte, poço, tanque. 

Bé mer, 8. agua salgada. 

Bó-méràk, 8. enxurrada, 

Bé-môsso, 8. leito da ribeira. 

Bé-mònrln, s. agua de cheiro. 

Ben, 8. suco, sumo. 

Bó-nabôno, a. alagado. 

Benate, t*. atassalhar. 

Bensa, v. abençoar. Este termo foi in- 
troduzido pelos primeiros missioná- 
rios que entraram na ilha, e tcm-sc 
conservado com varias significavoes, 
como «benzer, benção, benzido», ctc. 

Bera, adv. mais. 

Bera bessik, adv. mais perto. 

Bera dók, adv. mais longe. 

Bera kr&ik, adv. mais abaixo. 

Bera lóten, adv. mais acima. 

Berliko, «. rouxinol. 

Berlikoten, a. pHra»ita. 

Bó sarâ^ni, 8. agua benta. 

Bé-sassóik, 8. calha. 

Bó-sele, V. mudar de ares, trocar aguas. 

Bessi, 8. ferro. 

Bessi, a. forte, valentão, valente. 

Bessi-àbite, 8. alicate, pinça, tenaz, 
torquez, quando feitas de ferro. 

Bessi-ahl, 8. fusil. 

Bessi-asso, s. aço. 

Bessi daduías, 8. crivo de ferro. 

Bóssik, 8. sopé. 

Béssik, a. adjacente, conjunto, conti- 
guo, convizinho, immediato, immi- 
nente, propinquo, próximo, vizinho. 

Béssik, adv. acerca, ao pé, de perto, 
quasi. 

Béssik, pr. quasi, perto. 

Bessi kabúal, 8. bolla de forro. 

Bessi kàindnlas, s. eixo de ftírro. 

Bessi kakáik, s. cambo de ferro. 

Bessi-kerai, s. enxada. 

Bessi klalai, 8. broca de ferro. 

Bessik liu, adv. muito perto. 

Bessi knados, 8. cunha de ferro. 



BIB 



ÍM 



BIL 



Bessi kússan, s. cravo para ferradu- | 
ra, prego de ferro. 

Bessi lakutiko, s. tenaz ou torquez de , 
ferro. 

Bessi leias, a. parafuso de ferro. 

Bessi-xnóak, s. ferrugem. 

Bessi méan, s. ferro em brasa 

Bessi nesso, s. almofariz do ferro. 

Bessi-nia, a. fcrreo. 

Béssir, 8. alfaia^ mobília. 

Bessi rii, s. poste de ferro. 

Bessi-tali, s, corrente. 

Bessi-tanútiiko, s. maceta, maço, ma- 
lho, martello, quando feitos de ferro. 

Bessi tiino, s. grelhas de ferro. 

Bete, V. segurar. 

Bete, 8. chão. 

Bétik, a. pequeno. 

Betissék, «. cascata. 

Beto, 8. bambu grosso. 

Beto lako, s. bambu muito grosso. 

Bé-túdak, «. borbotão, cachão, ca- 
choeira, cascata, catarata. 

Bétun, 8. cheia. 

Bétun-bÃrak, 8. alluvifto. 

Bótun-bàssar, s. ajuntamento. 

Bótun-bote, 8. grande ajuntamento. 

Béu, V. debulhar. 

Béu batar, v. debulhar milho. 

Béuko, V. virar. Este termo emprega- 
se para indicar a mudança de direc- 
ção dos rebanhos de gado a pastar 
pelos matos. 

Bé ulún, 8. leito do rio. 

Béur, V. mudar de caminho. 

Biate, 8. pau duro, pau forte. 

Biatos, 8, orfao. 

Biba, a. viva^ vivo. Este termo é conhe- 
cidamente o português estropeado, 
como o seguinte. 

Biba! ijit. viva ! Este termo, pouco co- 
nhecido no interior da ilha, é usado 
em Dilly, em consequência da maior 
convivência dos indígenas com o ele- 
mento europeu, e é mais uma prova 
da difficuldade que elles tcem na pro- 
nuncia do y. 

Bibi, 8. anho, borrego, cabrito. 

Bibi- abate, «. bode. 

Bibi-ata, s, cabreiro, guardador de 

gado. 
Bibiite, s. risada. 
Bibi-knúar, «. bedum. 
Bibi-lássak, s. bode. 
Bibi malai, s. gado lanígero. 
Bibi-mate, s. accidente. 
Bibi-mate, a, epiléptico. 
Bibirussa, s. gamo, veado. 



Bibirossa dikul, 8. armação de veada 

Bibirussa-lnan, «. corça. 

Bibi sosso, s. teta de cabra. Esto 
termo é também a denominação de 
um reino situado no interior da ilbx. 
Vide Apontamentos para um dicciona- 
rio chorographioo de Timor, por K. D. 

Bibite, a. alto. 

Bibi-ten, «. caganitas. 

Bibnte, s. estrume. 

Bidadél, «. cego. Este termo só se eiu- 
prega a respeito da pessoa que tenb^ 
os olhos bem claros^ e abertos tâo na- 
turalmente que pareça ter vista. 

Bidln, 8. castiçal. 

Bido, V. bailar. 

Bi do, «. baile, dança, valsa. Este for 
mo significa principalmente o bailar 
indígena; mas em Dilly, onde porve 
zes tem havido uns pseudo-bailes no 
palácio do governo e em algumas re- 
sidências de funccionarios, ha muito 
que se vae adoptando a mesma deno- 
minação ás danças europeias como 
polka, valsa, etc. 

Bien, 8. alma. Este termo eó se em- 
prega falando de pessoa já fallecidH: 
assim diz-se por exemplo : bien líQ* 
rai — o fallecido rei, ou a alma do 
rei fallecido. 

Biér, V. deixar, testar. 

Biér, 8. deixa, herança. 

Bier hela, v. deixar herança. 

Biete, V, pegar numa cousa cum as 
pontas dos dedos. 

Bihite, V. tirar pitadas. 

Biite, 8. animo, ardor, brio, coragem. 
domínio, energia, enthusia^mo, es 
forço, faculdade, jurisdicção, foivH 
fortaleza, ímpeto, nervo, poder, pu 
Jança, reforço, vigor, violência. 

Biite, a. alentado, animoso, bravo. coii 
sístente, denodado, cncorporado,eDer 
gico, estrénuo, intenso, reforçado 
violento. 

Biite-lae, v. debílitar-se, enfraque 
cer-se 

Biite-liu, a. acérrimo. 

Bikan, «. prato. 

Bikan baredo, 8. barulho de pratos 

Bikan-fàtin, s. prateleira. 

Bikan-kik, 8. cuvilhete, pires. 

Bikan-ôan, 8. malga, pratinho. 

Bikúi, 8. tremura. 

Bikúran, v. confranger- se inconuno 
dar-se. 

Bilak, t*. enganar, trapacear. 

Bilak, a. trapaceiro, trapalhão. 



BOB 



95 



BOM 



ilak lia, V, fazer trapaça, 
ilan, V. cozer ao lume. 
ilan, a. e part. cozido, 
in, 8. irroà mais velha, mana. 
ínaka, 8. hospede, 
in alin, s. irmã mais nova. 
ira, adv. mais. 
ira, prep. para. 
ira dók, adv. mais longe, 
irak, 8. aço, ferro. 

ira léten, adv. mais acima, para 
cima. 

irus, 8. lorico de bico amarello, peri- 
quito do pais. 
iissek, a. pouco, 
iissek, adv. menos, 
•issen, a. demorado, moro80, pachor- 
rento, tardio, tardo, vagaroso. Al- 
guns indígenas que podem pronun- 
ciar o P, que são raros, dizem ulti- 
mamente pissen, principalmente no 
termo de Dilly. 
assole, 8. feitiço, fetiche, 
(issuko, 8. tratamento dado pelos in- 
dígenas ao seu rei; espécie de dom 
ou cxcellencia quando anteposto ao 
termo liurai — senhor, 
htak, a. achatado, chato. 
Jiti, 8. esteira, 
íitin, 8. ferrinho. 

MUy a. rombo. £mprcga-se este termo 
unicamente para designar que o gu- 
me de qualquer ferramenta ou instru- 
mento está rombo ou não corta bem. 
ió, a mais. Este termo serve como 
partícula para formar os augmontati- 
vos. 
^oas, 17. nascer, fender, rebentar a se- 
mente. 
Soas, 8. explosão. 
3oás, 8. íio igual, isto é, torcido com 

igualdade. 
3ôba, 8. ferida. Os indígenas dão este 
nome a certas feridas que lhes Hppa- 
recem pelo corpo e ás vezes na mu- 
cosa da boca-, este termo parece ter 
sido introduzido pelos africanos que 
deede longa data tem havido em Ti- 
mor, vindos de Moçambique, onde 
existe uma mMestii^ quasi epidemica, 
de caracter siphilitico, com essa mes- 
ma denominação e manifestações 
muito parecidas. 
Bobar, v. cingir, enrodilhar, enrolar, 

enroscar. 
Bôbàtak, v. apanhar camarões. 
Bôbi, 8. espécie de formigas, bastaute 
grandes e com asas. 



Bobinàran, 8. outra espécie de formi- 
gas com asas, mas mais pequenas. 
Bobo, 8. arlequim, mascarado, palha- 
ço. Este termo foi introduzido do dia- 
lecto creoulo de Macau onde tem o 
significado de «mascarado». 
Bobote, a. grandíssimo. 
Bobúr, 8. as fontes aos lados da testa. 
Bóek, 8. camarão. 

Bôibôi, V. balançar. Este termo foi in- 
troduzido do dialecto creoulo de Ma- 
cau, em que significa a brincadeira 
de crianças ou senhoras, que se ba- 
loiçam sobre uma corda presa em ar- 
vore ou outro qualquer suporte. 
Bóis, 8, grandeza. 

Bók, V. abalar, abalançar, bambolear, 
balançar, balouçar, bolir, chocalhar, 
mexer, tocar. 
Boka, V. abaixar -se para pBssar em lo- 

gar baixo. 
Bokae, 8. comida. 
Bokae-an, 8. comedoria. 
Bók-issin, 8. tregcitos. 
Bokal, 8. volume. 
Bokal, a. bojudo, corpulento, crasso, 

obeso, ^volumoso. 
Bôko, a. comprido, grande, taludo, vo- 
lumoso. • 
Bôko-liu, a. maior, máximo. 
Bôkon, V. ensopar-se, lentejar. 
Bòkon, s, humidade. 
Bôkon, a. húmido, molhado. 
Bôkon-uite, a. lento. 
Bokúr, V. engordar. Este termo em- 
prega-se também para significar o 
lustre que toma o pêlo dos animaes 
que estão gordos. e bem tratados. 
Bokúr, 8. adipe, banha, gordura, man- 
teiga, Bobo, unto. 
Bokúr, a. corpulento, gordo. 
Boleio, V. andar á roda. 
Bolo, V. chamar, convocar, denominar. 
Bôlo-sôúr, V. alternar nas ladainhaa, 
cantar nos coros da igreja, rezar alto 
em coro. 
Bôlossuma, s. cumprimento dirigido 
ao rei pelos indigenas em alguns rei- 
nos. 
Bôlossuma liurai, 8. adeus rei, viva 

o rei. 
Bôlo-sumir, v. cantar coros em geral, 
quer sejam religiosos, quer profanos. 
Bôlo-tene, v. convidar. 
Bômal, 8 feitiço. Este termo foi trans- 
formado pelos portugueses em pó- 
mal em que falam constantemente, e 
talvez por isso mesmo os indigenas o 



BOT 



i)tí 



BtA 



teCm abandonado, usando aaasi sem* 
pre do termo lâÚk para indicar as 
cerimonias usadas na casa onde guar- 
dam todos 08 seus feitiços. Os que sa- 
bem pronunciar o P dizem pomal, 
principalmente em Dilly. V. Ltillk. 
Bôn, «. fumo. 

Bonkô, ê. carcunda, corcovado. Este 
termo foi introduzido do dialecto 
creoulo de Macau, em que tem idên- 
tica significação. 
Boó, 8. feitiço. 
Bóroasso, s. as sedas que teem os ja- 

vardos dos lados do focinho. 
Bóros, V. atravessar, varar. 
BóSâan, a. usado, velho 
B6ssOy V. embuchar, fartar-se. 
BÔ880, a. cheio, satisfeito, repleto. 
Bóssok, V, abusar, allucinar; burlar, 
cavilar, defraudar, embaçar, embair, 
encalacrar, enganar, engodar, empos- 
turar, fallir, fascinar, fraudar, illudir, 
inventar, mentir. 
Bóssok, 8 artimanha, burla, carapc* 
tâo, dolo, embuste, engano, falácia, 
falcatrua, fraude, mentira, patarata, 
patranha, peta, trampolina,^ trapaça. 
Bóssok, a. fraudulento, impostor. 
Bôssok ema, v. mentir a alguém. 
Bossoko, a. falso. 

Bòssok-ten, a. doloso, embusteiro, il- 
lusivo, larapio, marralheiro, menti- 
roso, trapaceiro, trapalhão. 
BoBSO-òna, a. farto. 
Bosso-réssin, v. empanzinar-se, em- 

panturrar-sc. 
Bossti^ a. corpulento, crasso. 
Bote, a. alambasado, augusto, avulta- 
do, crasso, encorpado, formidável, 
grande, grandioso, illustre, majes- 
toso, magnifico, magno, pomposo, ré- 
gio, sublime, superior, tremendo, vas- 
to, vehemente. 
Bote, 8 saco que as mulheres indíge- 
nas usam pendendo da cabeça pelas 
costas abaixo. 
Bote-bó, a. celebre, colossal, grandis- 

simo. 
Bote-hanéssan, «. tamanho. 
Bote-liu, V. sobrepujar, sobresair. 
Bote-liu, a. agigantado, dcsconimuDal, 
desmarcado, desmesurado, enorme, 
exorbitante, extraordinário, garrafal, 
gigantesco, grandallião, grandissimo, 
immcnso, insigne, maior, máximo, 
niór, nimio, solemne, summo, supino. 
Bote-ôna, a. crescido, desenvolvido, 
espigado. 



Bote-réssin, a. agigantado. 
Botil, 8. botelha, garrafa. Este terni 
parece ter sido introduzido do inglês 
mas nao foi possível indagar lhe i 
procedência. 
Botil-bote, 8. garrafão. 
Botil tnro, s, garrafa rachada. 

Boto, 17. votar, do português. 

Boto, V. desconjuntar* estalar. 

Bótobôto, V. sussurrar. Este termo em 
prega-se principalmente para indicai 
o falar por entre dentes, ou como u 
costuma dizer falar pela beca pf 
quena. 

Bóton, V. estourar. 

Bôtú, c. cortar roupa. 

Bôú, t*. accumular, agglomerar, amon- 
toar, juntar. 

B6a, 8. meda, animal do paia. 

Bòti, 8. acervo, accumulação, barda, cat 
dume, lote, meda, montão, mootoro, 
pilha. 

BôQ-b&tak, V, apanhar camarões. 

Bônte, 8. acervo, ajuntamento. 

Brotos, a. áspero. 

Bua, 8. areca. 

Bna-fãan, «. fruta de areca. 

Bua-linn, «. areqneira. _ 

Bua-l&ran, «. arccal. 

Búan, V. cair, tombar. 

Bu&n, 8. agoureiro, satanaz. 

Ba&nk, a. bruxa, bruxaria, magia. Al 
guns indigenas de Dilly dizem snaiiX 
e os europeus todos dizem «snanguev 

Baa-s&ren, v. frisar o cabello. 

Bna-s&ren, «. cacho de areca. 

Bnate, 8, assunto, cousa, ente, enti 
dade, género, matéria, objecto, subs- 
tancia, traste. Este termo eerve ti» 
radical a muitas expressões da lis- 
gua teto. 

Buate-a&te, s. desgraça, infortúnio, 
mal, vicio. 

Bnate-ak&hik, «. impedimento. 

Bnate-àmak, a. desconhecido, falauo. 
pessoa, quidam, sujeito. 

Buate-b&rak, a. abundante. 

Buate-fó, 8. prenda. 

Bnate -fônn, «. prodígio. 

Buate-liatals, a. enxoval. 

Bnate- hodlbako, a. açoite. 

Baate-hodikol, a, cornudo. 

Bnate-homina, a. azeiteiro. 

Buate-hôto, a. tudo. 

Buate ida, a. uma cousa. 

Buate^inak, a. desconhecido, fulano, 
pessoa, sujeito. 

Bnate-kàhul, a. mistiforio. 



BUB 



97 



BUR 



ate-kalàuko, s. mixordia. 
ate-kfóer, s. esterco, immundicíe, 
ixo. 

ate-klàmar, a. animado, 
ate-kràlinko, s. caco. 
ate-làe, adv. nada. 
ate-liras, a. alado, 
ate-lós, 8, direitura, 
ate-lúlik, a. inviolável, 
ate-m&tak, a. verdura, 
ate-môrin, «.perfume, 
ate-moris, a. animado, 
.ate-nétin, «. bicho, 
.ate-namata, s. refresco, 
late-narôma, 8. luminar. 
.ate-nàTiko, s. roubo, 
até-neé, pr, isso. 
late-nélian, a. dentado, 
.ate ruma, «. alguma cousa, 
late-sàe, 8. ascendente, 
late-selo, s, salário, 
late-séluko, 8. ai, algo. 
late-snli, a. fluido, liquido, 
late-taka, 8. veu. 
late-tétek, a. atravessado. 
Late-tódan, 8. fardo, 
iate tós, «. cousa dura. 
late-tiian, s. cangalho, 
late-uàin, a. abundante, 
late-ular, a. bichoso. 
Latida, 8, alguma cousa, 
ibo, V. empolar a pelle com a quei- 
Dadura, inchar, inílammar. No Diccio- 
lario citado dá- se também este termo 
;omo significado de «empandeirar», 
nas nunca tive occasião de o ouvir 
empregar nessa accepçSo. 
ibo, 8. aposthema, empola produzida 
)or picada de bicho, ou queimadura, 
leimâo, fogagem, inchação, inchaço, 
ntumescencia, pústula, tumor, 
ibo, a. e part inchado, 
buko, 8, moscardo. Os indigenas dão 
íste nome a um coleoptero preto e de 
grande dimensão que ha no pais^ a 
espeito do qual teem a superstição de 
\ne aquelle que encontrar a cabeça 
ío bicho separada do corpo e a gran- 
ie distancia ha de ter uma fortuna, 
anto maior quanto o seja a dita dis- 
tancia. 

ibuko, a. rombo. 

Lbul, 8. palavão. Espécie de arvores 
ndigenas do país, que parecem da 
'amilia dos eucalyptos, e das quaes 
'oram ensaiadas as propriedades mè- 
licinaes das folhas em infusão, para 
íombater as febres endémicas, pelo 



chorado medico Francisco da Silva 
Magalhães. 

Bnbul mótan, 8. palavão preto. 

Búbul mútin, «. palavão branco. 

Bnbún, a. nascida, obstrucção. 

Bubún, a. túmido. 

Babo-nakrá.ik, v. desinchar. 

Budo, V. adubar, fazer conserva, tem* 
perar comida. 

Budo, 8. achar, conserva, tempero. 

Buis, a. brioso. Este termo emprega-se 
ordinariamente para indicar que um 
animal é imponente, e no Diccionario 
citado também se lhe dá a significa- 
ção de selvagem. 

Buka, r. averiguar, buscar, especular, 
examinar, indagar, inquirir, investi- 
gar, pesquisar, procurar, mudar. Este 
termo foi introduzido do português. 

Bukàe, 8. fardel, farnel. Este termo é 
principalmente usado desde longo 
tempo pelos indígenas, para indicar 
o pao sagrado, isto é, o viatíco. 

Buka-fali, »*. rebuscar. ' 

Búkal, 8. nó. 

Bukar&s, 8. cabaça. Fruta, a que os 
portugueses chamam marmello do 
mato, do tamanho c configuração de 
uma laranja regular, que tem a casca 
dura como a das cabaças, c parece 
da mesma familia, da qual os indi- 
genas cortando- a ao meio fazem 
duas tigelinhas em que deitam azeite 
de coco, e põe uma torcida de algo- 
dão com um palito para empregarem 
nas illuminações festivaes. 

Buka ulo, r. catar a cabeça. 

Bula, 7*. passear. 

Búlak, 8, alienação, doidice, loucura, 
necedade, tolice, tontice. 

Búlak, a. demente, desassisado, doido, 
estólido, insano, insensato, louco, ma- 
luco, mentecapto, néscio, orate. 

Bulak-nite, a. tonto. 

Bulak-ôan, a. estabanado, estouvado. 

Bula-mate, 8, accidente. 

Bula-mate, a. epiléptico. 

Buli, 8. peçonha, veneno. 

Bulto, 8. vulto. Este termo é introdu- 
zido do português, e prova a difficul- 
dade dos indigenas em pronunciar 
o V. 

Bumls, 8. molho de milho. 

Bunos, a. guisado feito, de espigas de 
milho ainda em leite, a que fazem 
molho delicioso para os que gostam* 

Bura, V. borrar. Este termo é o portu- 
guês estropeado e prova que o indi* 

7 



BLT 



98 



DAD 



geua 11 ao tem facilidade em carregar 
oR. 

Borado, a. borrado, sujo de tinta. Vido 
Bura. 

Bnras, «. ba^to, denso, espesso. Este 
termo é empregado priíicipsilmente 
para indicar que os cabellos das pes- 
soas sSo muito bastos. 

Borite, '*. burrifar. Este termo é indu- 
bitavelmente português estropeado, 
pois que SC emprega ordinariamente 
para indicar o acto de burrífar a 
roupa para passar a ferro, acto que 
nào era conhecido dos indígenas an- 
tes doa portugueses terem entrado 
na ilha. 

Burkassa, e, bambu. Este termo foi 
introduzido do dialecro creoulo de 
Macau, e está aproveitado no «teto» 
para indicar os bambus delgados e 
longos que os indígenas também de- 
nominam fafalo. 

Bnrtin, ir. chamma, labareda. 

Bnssa, s. gato. 

Bnssa-éiman, e. gato. 

Bussa ítiik, «. gato bravo. 

Bassa-inan, s. gata. 

Bussa-kaàJLy «. gateiro. 

Bussa-kúak, s, gateira. 



Bossa-lia, «. mião. 

BAssan, « buchH para earga de espb 
garda. Este termo também deve iiero 
português estropeado, pois teem 03 
indígenas difficuldade em pronuncii: 
o som de Ch. 

Bussa-ôan, «. bichano, gatinho. 

Bassa-nma, s. gateira 

Bnsso, 8, gato. Usado apenas em al- 
guns pontos do interior. 

Bútan, V. abotoar. 

BtLtan, 8. botão. Termo que não deÍAi 
duTida que foi introduzido do porto- 
guês, visto que os indigenas nh 
usam tal objecto na roa|>a. 

Búr^an uma, 8. casa de botão. 

Bati, V. afogar, apertar, comprimir, en- 
talar. 

Bnti-kàrak, i\ apertar as guelas. 

Bnti-liman, 8. bracelete, pulseira. 

Bati alo, r. apertar a cabeça com a; 
mãos. 

Bútako, «. grupo. 

Bútnko-ressin, 8. sobejo, sobra ni^' 
comida). Esta expressão nunca n's 
ouvimos aos indígenas nos diíiertr.- 
tes pontos da ill\a que percorreuio!'. 
mas entendemos de\ê-la mencioDa: 
por le achar no Diccionario citado. 



Daàn, v. cozer comida. Este termo é 
empregado pelos indígenas para in- 
dicar uma operação que ell- s fazem 
quando acampam, e que vem a ser: 
cortar em bocados a carne que se 
lhes distribue ou elles podem arran- 
jar, mettê-la em um canudo de bambu 
verde muito grosso, deitando-lhe sal, 
e atirar com esse bambu bem rolha- 
do para uma grande fogueira; em 
pouco tempo fica a carne cozida com 
o summo do bambu, o qual lhe trans- 
mitte um gosto bastante agradável. 

Daàte, s, interesse. 

Dàban, 8. casulo de abelha. 

Dabòr, 8. cozinha. Dá-se este nome a 
uma espécie de fornalha, que se faz 
com três pedras no chão, em qual 
quer parte, para fazer fogo entre ci- 
las e collocar-lhe em cima a vasilha 
em que se quer cozinhar a comida. 

bàbon, 8. chamma. 

Déibur, 8, cozinha. 



DÀbar*fÃtako, «. lareira. 

Dàrbar-nÀin, 8. cozinheiro. 

Dada, v. arrastar, attrahir, estende: 

estirpar, guiar, introduzir, puxar. 
Dada-akaàís, v. atesar, entesar, esti 

car, puxar. 
Dada-às, v. rastejar. 
Dada-d&lan, t*. encaminhar, ensinar o 

caminho. 
Dada-foi, r. flautear, gaitear, tocsi 

flauta 
Dada-hala, v. airastar, levar de ra^ 

tos. ^ 

Dada-halòlo, v. estender corda. 
Dadahis, r. agoniar, espirar. 
Dadabís, s. agonia. 
Dada-iis, r. arquejar, aspirar, re?; 

rar, tomar fôlego. 
Dada-iis, 8. fôlego. 
Dad&lan, 8. regueira, rego. 
Dadàlako, s. a febre symptomatica <i2 

erysipela. 
Dada-sàe, v. içar. 



i'»: 



DAL 



99 



DAT 



adéiun, adv. mesmo. 

adéik, V. tremer. 

adél, 8. madrugada, manhã. 

adél san, adr. de manhã cedo. 

aderos, s^ escaravelho. 

adi, 8. cigarra. Os indígenas dão este 

nome a um insecto coleoptero, espé- 
cie de cigarra que tem as asas ex- 
teriores de um verde muito brilhante. 

adinas, $. a face da madeira traba- 
lhada. 

adinis, «. poupa. 

adoba, v. cansar. 

adobaisiassa, s. louvadeus. 

adoko, V. embalar. 

adólek, s, dores de barrifi^a. 

adoras, s. calha de bambu, cano de 
bambu. 

adoras, loc. adv, de rastos. 

àdul, V. agrilhoar, amordaçar, appre- 
hender, capturar, prender. 

àdul, a. preso. 

adúlak, v. joeirar, peneirar. 

adúlak, s. peneira. 

•adúlaka, s. movimento. 

adulas, s. crivo. 

ádul-fÀtin, 8, prisão. 

âdul-hossi, V. acrescentar. 

*ádul-lioliéno, V. acorrentar. 

•adul-sàe, s. profusão. 

Maduras, s. redemoinho. 

)aete, v. apegar-se, contagiar, pe- 
gar-se. 

laete, a. contagio, contagioso, epide- 
mico, pestilento. 

•àhan, 8. espuma. 

làhir, V. fazer perder tempo. 

laho, 8. batanda. Uma das danças in- 
dígenas. 

^ài, 8. tarrafa. 

laia, 8. parteira. Este termo é do dia- 
lecto de Macau e os indígenas dão 
também o mesmo nome a uma espé- 
cie de adivinho, que no pomal con- 
sulta as entranhas dos animaes que 
são ali sacrificados. 

làkal, 8 lasca. 

>ako, V. borrifar, chapinhar, salpi- 
car. 

lala, 8. vez. 

^aladala, 8. massa de farinha. 

lala Mra, loc. adv. quantas vezes. 

lala ida, a. uma vez. 

lala-lima, a. quintuplo. 

lálan, 8. caminho, transito, via. 

)álan-bà.dak, 8. atalho, vereda. 

^álan bote, s. caminho principal. 

)álan inak, «. caminho publico. 



Dàlan klônko, s, caminho sinuoso, ca- 
minho torto. 

Dàlan-kik, 8. carreiro, vereda. 

Dâ.lan-klote, 8. carreiro, viela. 

Dàlan lélok, 8. caminho torto. 

Détlan lós, 8. caminho direito. 

Dàlan-lúak, s. estrada. 

Dàlan-lúan, 8. estrada. 

Dàlan móbate, «. caminho cheio de 
mato. 

Dàlan mólik, s. caminho sem mato. 

Dàlan mós, s. caminho limpo. 

Dàlan siko, «. caminho estreito. 

Dàlan slkuko, 8. caminho em zigueza- 
gues. 

Dàlan-sòrnn, 8. encruzilhada, travessa. 

Dàlan-téssiky 8. atalho, caminho curto, 
vereda. 

Dàlan-tétek, 8. caminho através da 
montanha. 

Dala-ruanulo, a. vigésimo. 

Dala ruma, loc. adv. ás vezes. 

Dalas, 8. dobra. 

Dala-sanulo, «. decuplo. 

Dala^uàin, adv. ameude. 

Dala úluko, adv. a primeira vez. 

Dalo, 8. gabinete do rei. 

Dalumba, «. onda do mar, ondulação. 

Dame, 8. pacificação, paz. 

Daméan, 8. besouro, ralo. 

Dàmer, 8. betume, grude, massa. 

D amo, 8. carolo. 

Dan, 8. bago, dente, gomo. 

Dànik, 8. juro. 

Dàniksànan, v. tapar a panela. 

Dardón, 8. chaleira. Este termo foi in- 
troduzido do dialecto creoulo de Ma- 
cau, mas ficou estropeado em conse- 
queocia da ditficuldade que teem os 
indígenas em pronunciar o G ; ha po- 
rem alguns que já dizem dargon, não 
podendo comtudo pronunciar os dois 
GG consecutivos. 

Dàren, 8. crista de galo. 

D assa, v. arrojar, levar de rojo, varrer. 

Dassa, adr. rente. 

Dàssin, 8. balança. Este termo foi in- 
troduzido do china pelo trato doa 
commerciantes que usam no negocio 
o conhecido «daxin», ficando o termo 
estropeado pela difficuldade que teem 
os indígenas em pronunciar o som 
deX. 

Dàssin-fúan, s. peso. 

Dàssin tahila, s. balança de braços. 

Dato, 8 plebe, povo, vulgo. 

Dato, 8, chefe de suco nos reinos. 

Dàtobéi, 8. segundo rei. Autoridade 



DEO 



100 



DIA 



que exifite em alguns reinos e que 
tem igual importância ao rei, apesar 
de lhe ser suDordinado ; tem sempre 
o apoio do povo e a obri^i^So de o 
defender ém tudo e por tudo. 

Bàun, ê. agulha. 

D&tin-bote, «. sovcla. 

Détiin-f&tln, 8. agulheiro. 

Déiun kúak, s. fundo de agulha. 

D&un tlliin, 8, fundo de agulha. 

Danràis, «. caranguejo de agua doce. 

Debo, 8. borralho. 

Debti, 8. chafurdeiro, charco. 

Dóbuko, V. desgrenhar. 

Débuko, 8, grenha. 

Débuko, a. desgrenhado. 

Déhan, v, affirmar, ai legar, articular, 
declarar, dizer, expressar, exprimir, 
falar, pairar, propor, recitar. 

Dóhan-aéite, v. deprimir, desacreditar, 
falar mal, maldizer, murmurar, cen- 
surar, sussurrar. 

Déhan-aétte, 8. maledicência. 

Déhan-assôro, v. oppor-se. 

Déhan-bà, v. dizer, na forma do impe- 
rativo — dizc. 

Dôlian-daá.te, r. interceder. 

Dôhan-ema, v. boquejar, maldizer, 
murmurar. 

Déhan-lia, v. articalar. 

Déhan-lós, v. pronunciar. 

Déhan-ôna, a. dito, sobredito. 

Déhan-sàe, v. accusar. 

Béhan-tiluko, v. predizer, prophetizar. 

Dóhan-tLlnko, 8. prophecia. 

Deite, a. pouco, singular, só, único. 

Dôite, adv. apenas, meramente, tão so- 
mente, unicamente. 

Deite, conj. senão. 

Déknr, v. afincar, caprichar, embirrar, 
emperrar, persistir, porfiar, teimar. 

Dékur, 8. birra, capricho, teima. 

Dôknr-ladiak, v. encanzinar-se. 

Dékur-ten, a. birrento, caprichoso, 
contumaz, persistente, pertinaz, tei- 
moso, tenaz. 

Dôlak, 8, partícula, pedaço. 

Dólak kari, v. fazer em pedaços. 

Délan, «. arrebento, rebento. 

Dele, 8. suspeita. 

Délek, a. inservivel. 

Délnn, 8. arrebento, rebento. 

Demite, a. demorado, lento, moroso, 
pachorrento; sendeiro, tardio, tardo, 
vagaroso. 

Den, V. alumiar, luzir. 

Den, 8, luz. 

Déo, 8. bardo. Os indígenas dâo este , 



nome a uma espécie de cerco que for- 
mam para pastagem de vários asi- 
maes. 

Dérak, v. emigrar. 

D are, v. pulsar, tanger, tocar. 

Dere baba, v. tocar tambor. 

Dere-bandú, t?. publicar. Ordem da au- 
toridade por meio de pregão, e com 
acompanhamento de caixa e bandeira. 

Dérok, 8, limão. Os indígenas dão esta 
denominação aos limões que se en- 
contram pelo mato em estado selva- 
gem, e que são mendos; para desi- 
gnar outros limões, e mais &ntas da 
mesma familia, pospõem a este termo 
outros que os especializam. 

Dérok-fato, 8, limão grande cultivado. 

Dérok-hQn, «. limoeiro. 

Dórok-kúban, «. laranja cuja casca 
fica sempre de um verde vivo mesmo 
quando madura. O termo kúbao, 
quer dizer Kôepan, capital da parte 
da ilha que pertence á Hollanda, -^ 
de onde os indígenas julgam terem 
vindo taes laranjas. 

Dórok-lótnko, «. limSo fino cultivado 
que serve para fazer a celebre con- 
serva que tão apreciada é em Macau 

Dérok-malai, s, laranja que ob euro- 
peus denominam da China, de casca 
fina e com a cor natural. Á maior 
parte dos indígenas chamam a esta 
laranja Sabor aka. 

Dérok-màssin, 8. limão de conserva já 
preparado. 

DériLS, V. ranger, 

Dérus néhan, v. ranger os dentes. 

Dôute, V. lavar. 

Douto, V. moer. £stc termo é usado 
pelos indígenas para indicar os mo- 
vimentos necessários para amassar e 
para esfregar. 

Diak, 8. allivio, apparato, belleza, ben- 
ção, beneficência, beneficio, benigni- 
dade, bonança bondade, clareza. 
conforto, consolação, doçura, fran- 
queza, graça, mercê, perfeição, etc 
Os indigenas empregam este termo 
para significar tudo que denota bel- 
leza, bondade e perfeição, tanto dos 
animaes, como nos inanimados. 

Diak, a. acabado, admirável, afortu- 
nado, airoso, apessoado, aprimorado, 
apto, asseado, beato, bello, bemaven- 
turado, bemdito, benéfico, benigno, 
benévolo, bom, bonito, cabal, capaz, 
celebre, celeste, celestial, comedido, 
commodo, completo, conveniente, de- 



DIL 



101 



DOE 



cente, delicado, digno, ditoBo, egré- 
gio, elegante, engraçado, esclarecido, 
especial, estupendo, esplendido, faus- 
to, favorável, felice, feliz, fértil, fir- 
me, âorido, formoso, fortunado, fran- 
co, galante, garrido, gentil, guapo, 
honesto, honrado, idóneo, illustre, in- 
offensivo, irreprehensivel, jucundo, 
justo, lauto, leal, licito, lindo, louvá- 
vel, moral, óptimo, opportuno, pláci- 
do, plausível, perfeito, pio, pomposo, 
precioso, primoroso, probo, profícuo, 
propicio, prospero, racional, raciona- 
vel, raro, razoável, recommendavel, 
recto, saboroso, sadio, salutifcro, san- 
to, são, selecto, suave, útil, valioso, 
vantajoso, venturoso, virtuoso, zeloso. 

>iak, adv. ainda bem. 

>iak-fali, V. desculpar. 

)iak-fã.lin, v. melhorar. 

)iak-lalós, a. fácil. / 

>iak-lin, a. augusto, eminente, excel- 
so, eximio, impagável, magnifico, me- 
lhor, óptimo, precioso, preclaro, so- 
lemne, sublime, transcendente. 

)iak-lia, adv. bellamente, divinamen- 
te, melhor, 
ak-ôua, V. bastar, 
ak-ôna, s, basta, basto, cousa basta, 
ak-ôna, a. bastante, 
ak-ôna, adv. assaz, 
ak-ôna, int. alto lá. 
an, a. manso. 

ate, 8. furúnculo, leicenso, sarda, 
di, 8. parede de palapa. 
diak, 8, cuidado, 
diak, adv. muitoJ>em. 
din, 8. parede. 

din-bote, s. muralha, muro, paredão, 
din-hakétak, s. tabique. 
din-lmn, 8. alicerce, 
din-siknn, 8. esquina, quina, 
dirin, 8. pau para esmagar bambu 
ou palapa. 

)i]ii, 8, vespa. 

3ilii-bote, 8. vespâo. 

!)iin, 8. beira, bordo, margem. 

3ikin, 8. viço. Igualmente lhe dão os 
indigenas a significação de pétala ou 
folha de flor. 

Dikin, a, viçoso. 

Dikin núrak, 8. muito tenro. 

Dikul, 8. chavelho, chifre, corno, ponta 
de búfalo. 

Dil, a. doente. 

)ila, 8. papaia (fruta indígena). £ tam- 
bém dâo o mesmo nome ao marmello 
indígena. 



Dila, 8. sinal. Os sinaes que apparecem 
pelo corpo. 

Dila métak, 8. sinal preto no corpo. 

Dilak, 8. papaia. 

Dilan, «. pernada de arvore, vergon- 
tea. 

Diman, t*. azagaiar, zagaiar. 

Diman, 8. dardo, hasta, lança, zagaia. 

Diman-kànek, «. azagaiada. 

Dimen, 8. dardo, lança, zagaia. 

Dimen-nan, «. azagaiada. 

Dindún, v. jejuar. Este termo foi in- 
troduzido pelos missionários que pri- 
meiro entraram em Timor, mas ficou 
estropeado em consequência da difii- 
culdade dos indígenas em pronuncia- 
rem o J. 

Dindún, «. jejum. 

Dinln, 8. aboboreira. 

Dinin-fúan, 8. abóbora. 

Dinis, 8. poupa. 

Diôko, V» ensurdecer. 

Diôko, a. mouco, surdo. 

Diu, 8. caranguejo. Denominação que 
dão os indígenas aos caranguejos 
que apparecem em terra em grande 
quantidade nos terrenos pantanosos 
do litoral, e os quaes são muito ve- 
nenosos. 

Diuko, V. brincar, divertir- se, entreter- 
se, recrear-se. 

Diuko, 8. brinco. 

Diuko, a. brincalhão. 

Dó, 8. luto. Este termo é português. 

Doba, V. puxar com força. 

Doba b&, 17. puxar para lá. 

Doba mai, v. puxar para cá. 

Dóben, v, amar, bem querer, estimar. 

Dóben, «. estima, estimação. 

Dóben, a. amado, bemquisto, caro, es- 
timado, prezado, querido, quisto. 

Dóben-an, v. estimar-se. 

Dóben-feto, 8. amada, estimada. 

Dódok, V. apodrecer, corromper, dete- 
riorar-se. Alguns raros indigenas 
empregam também este termo com o 
significado de «estafar-se». 

Dódok, 8. corrupção. 

Dódok, a. corrupto, podre. 

Dóen, V. doer. Este termo parece ter 
sido introduzido do português, pois a 
palavra mais usada de todos os indi- 
genas para indicar os soffrimentos 
physicos é moras. 

Dóen, 8. dor. Os indigenas indicam com 
este termo as dores que lhe percor- 
rem as diíferentes partes do corpo. 

Does, V. cheirar mal. 



DOU 



102 



UVL 



Dóhan, $. linba, nervo, tendão. 

Dóhan-mússan, s, ingua. 

Dois, 8. cheiro. 

Dois kfúan, v. cheirar a bafio. 

Dois kobàbur, v. cheirar a bolor. 

Dóky s, distancia. 

Dók, a, distante, longínquo. 

Dók, ^r«p. ao longe, longe. 

Dôk, 8. arúspice, feiticeiro. Este termo 
indica principalmente o feiticeiro do 
pomal. V. Bômal. 

Doka, V. jogar. Termo introduzido do 
poi'tuguê8 «joga». Alguns indigenas, 
principalmente em Dilly e arredores, 
dizem ioka. 

Doko, V, abalançar, abalar, abanar, ba- 
lançar, bambolear, bolir, chocalhar, 
mexer, mover, tocar. 

Doko, 8. abalo. 

Dòko, V. abafar, cobrir, emboscar. Os 
indigenas empregam mais usualmente 
este termo rcferindo-se á cobertura 
de folha de palmeira com que se faz 
o telhado das casas. 

Dòko, 8, borco, de borco. 

Doko-bé, V. enxaguar. 

Doko-bók, V. enxaguar, vascolejar. 

Dólar, V. andar de rastos, levar de ras- 
tos. 

Dóleo, 8. lóro. 

Dólen, 8, medula. 

Don, 8, caruncho, gorgulho. 

Dona, 8. cacete. 

Donbio, 8. artéria. 

Don-nan, a. carcomido. 

Doó, V. despejar, entornar, esgotar, es- 
vaziar. 

Doók, adv. longe. 

Dôr. Partícula sem significação própria 
que tem sido adoptada para pospor a 
alguns verbos a fim de formar os subs- 
tantivos á imitaç&o^dos que em por- 
tuguês teem essa terminação. 

Dora, 8. bambu comprido. 

Dóran, «. calha de bambu. 

Dor as, loc. adv, de rastos. 

Dóranài, «. tresavô. 

Dórek, a. torto, vesgo, zanaga, zarolho. 

Dórik, 8. cigarra. 

Doros, loc. adv, de rastos. 

Dôuis, V. cheirar mal, tresandar. 

Dôuis, 8. fartum, fedor. 

Dôuis, a. fedorento, fétido. 

Dôuis tua, V. cheirar a vinho. 

Dóun, 8, luto. 

Douôko, V, ameaçar. 

Douôko ulo, t'. ameaçar com a cabeça, 
cabecear. 



Dòuti, 8, pombo verde mais pequeno do 
que o commum. 

Dôuúko, 8, vénia. 

Dôuúko ulo, r. abanar a cabeça. 

Dôuúko-ulo, 8. mesura. 

Dua, a, dois. Este termo é mal aio e se- 
mente se emprega nas horas da ma- 
drugada, uso muito antigo e quâsi 
perdido. 

Dual, i\ entornar, esgotar. 

Dúate, V. mover todo o corpo. 

Dúban, «, bilha. 

Dúbun, 8. chamma. 

Dudo, r. empurrar, esfregar, impellir. 
induzir, lavar. Os indigenas empre- 
gam este termo principalmente pan 
indicar que quando se lavam esfr- 
gam o corpo com sabão ou com uma 
pedra especial que o substitue. 

Dudo, 8. empurrão. 

Dudo-búan, v. derribar, tombar. 

Dudo-bólla, v. incitar. 

Dudo-hôno, r. tombar qualquer cous^ 
empurrando-a. 

Dudo-môno, r. derribar um objecto 
com um empurrão. 

Dúduko, 8. isca para fazer fogo. Mas^a 
que os indigenas fazem raspando a 
folhas de uma palmeira que produz 
gamute. 

Dúdun, 8. âmago, cerne. i 

Dúil, r. dar voltas no chão, espojar-se, | 
rebolar- se. 

Dtds, 8, cérebro, juiz, juizo, siso, tin*. 

Duka, V, afastar- se, arredar- se, des- 
viar- se. 

Duka bà, adv, afasta-te para lá. 

Duka mài, adv chega-te para ei 
afasta te para cá. 

Dúkes, a, direito, o que não é torto. 

Dúkul, V. adormecer, adormentar, cod- 
ciliar o somno. 

Dúkul, 8. somno. 

Dúkul-ôna, a. dormente. 

Dúkul ressin, 8. somno pesado. 

Dúkul-ten, a. dorminhoco, somno- 
lento. 

Dúkul-uite, '*. dormitar. 

Dúkur, V. dormir. 

Dúkur-ôna, part. e a. dormido. 

Dúlan, 8. olho de planta, rebento. 

Dúlar, r. virar um prego que estejs 
meio pregado. 

Dulas, r. atarrachar, torcer. Os indi- 
genas empregam principalmente este 
termo para significar: trocar as vol- 
tas no caminho, ou voltar para outi" 
lado para não serem encontrados por 



DUU 



103 



£MA 



quem os procura. Termo da estraté- 
gia indígena. ^ 

)ulas, a. circumferencia, fçiro. 

)alka, i;. julgar. Alguns indígenas já 
dizem iulka. 

)úlar, 8. academia, companhia, socie- 
dade. 

)úlur, a. companheiro, sócio. 

)iin, 8. duração. 

)ani, V. accorametter, acossar, afugen- 
tar, arremetter, enxutar, espantar, 
perseguir, pôr fora. 

)iini, pr. mesmo. 

)uni-eina, v. correr atrás de alguém. 

Dunilha, s. gonilha, instrumento que 
serve de prisão para os pés ou para 
o pescoço. Este termo foi introduzido 
pelos portugueses e ficou estropcado, 
em consequência da dífficuldade dos 
indígenas em pronunciarem o 6. 

3unitan, prep. após, depois de, por 
causa de. 

Dnnitan, conj, porque. 

^nnitan ba, a. por amor de. 

Danitan mai, ado. por amor de 

Dunitan Marômak, adv. por amor de 
Deus. 

Dura, V. aturar, durar. Este termo foi 
evidentemente introduzido do portu- 
guês. 

Ouramento, s. juramento. Esta pala- 



vra é evidentemente portuguesa es- 
tropeada pelos indígenas em conse- 
quência da dífficuldade que na maior 
parte teem de pronunciar o som do J, 
o que também succede a todos os po- 
vos do raça malaia que habitam a 
Occania. 

Duras, s, juras, juramento. No Diccio- 
nario já citado, a pag. 2G7, acha- se a 
palavra «durameuto» como signifi- 
cado de juramento, e não obstante 
nunca termos tido occasião de ouvir 
aos indígenas tal palavra nas longas 
etupes que fintemos pela ilhn, acredi- 
' tanios que ella seja usada por nlguns, 
o que é mais uma prova da dífficul- 
dade que tem de pronunciar o J. 

Darobassa, s. interprete. 

Duruko, ado. sempre. 

Duú, V. assacar, attribuir, calurpniar, 
culpar, imputar, recriminar. 

Duti, s. calumnia. 

Duúko, adv. sempre. 

Duúte, r. burHcar, esburacar. Usa-se 
principalmente pnra indicar o fascr 
buracos cm bambu ou mHdeira com 
um ferro em brasa. 

Baú to, s. feno, herva, palha, pastagem, 
pasto, relva- 

Duúto-fatin, «. palheiro. 

Duúto-mó-ran, « feno seco, palha. 



E, conJ. ou, quer. 

Ean, V. remar. 

Eda, 8. follm para fazer charnteiras. 

Sdi, V. cravar, esburacar, csfuracar, 
pregar. 

Eék, adv. sim. 

Sék, conj. pois. 

3i ! int. agora ! 

Sik, V pôr era ordem. 

Sik, 8. ordem. 

Sin, V. parar, pausar, pôr ponto. 

Sin, 8. degrau. 

f^in-fàtin, s. parada, paragem. 

Slà, V. abstrahir, omittir. 

i^là, 8. omtssílo. 

Slà-fálnko, V. enviuvar. 

Slá-ikus, V. postergar. 

Slaré, *. El-Rei. Este termo parece 
introduzido pelos portugueses c acha- 
se completamente radicado na língua, 
com a dignificação de «o rei». 



Eli, 8. stbe de folhagem. Este termo 
significa uma espécie do ratoeira que 
03 indígenas fazem para apanhar 
certos auimaes. 

Elik, 8. alma de defunto. 

Ema, 8. ente, entidade, gente, habitan- 
te, mortal, personagem, pessoa, povo. 

Ema, pr. relat.^quem, 

Ema-aàte, 8. bandalho, condemnado, 
libertino, malandrim, pessoa de mau 
caracter, réprobo. 

Ema-aidada, a. ajudante. 

Ema-amékan, a. ciumento, invejoso. 

Ema-amenassa, a. jocoso. 

Ema-amúlak, «. interlocutor, orador, 

Ema-amútuko, 8. assembleia. 

Ema-ankan, a. invejoso. 

Ema-atnda, a. bellicoso, belligeranfo, 
combatente. 

Emabadaln, s. artífice, artista. 

Ema-bahússik, 8. caçador. 



EMA 



104 



EMO 



£ma-bal&an, a. balhento. 

Ema-bàrak, s, população, povo. 

Ema-bàrok, 8. lesma. 

Ema-bôik, «. autómato, camponio, la- 
brego. 

Ema-bessi, a. ferrenho, inílexivel. 

Ema-béssik, ê. vizinhança. 

Ema-béssiky a. próximo, vizinho. 

Ema-biite, a. brioso. 

Ema-bote, s. pessoa grande. 

Ema-bote, a. grandioso. 

Ema-búaxik» a. feiticeiro, magico. 

Ema-dadahis, a. agonizante. 

Ema-daduls&e, a. profuso. 

Ema-diak, a. bondoso, justo. 

Ema-dóka, s. jogador. Este termo indi- 
ca igualmente o homem que é consul- 
tado como feiticeiro no pomal. 

Emaétan, «. herdeiro. 

Ema-eaal, a. impio. 

Ema-fànun, s. despertador. 

Ema-fier, a. crente. 

Ema-fibir, e, cscolhedor. 

Ema-fó, 8. doador. 

Ema-fóboko, a, prudente. 

Ema-fólin, 8. negociante. 

Ema-fónun, a. soldado. 

Ema-fônon, a. adolescente. 

Ema-faik, 8. bicho de mato, gentio. 

Ema-fúnun, a. guerreiro, militar. 

Ema-bafolin, «. negociante. 

Ema-hafubo, 8. espia, espião. 

Ema-bak6rek, «. escritor, escrivão, 
pintor. 

Ema-baksiak, cr. irascivel. 

Ema-balo, 8. obreiro. 

Ema-bamata, s. caloteiro. 

Ema-bamaos, a. carinhoso. 

Ema-ban, a. intemperantc. 

Ema-banànnn, 8. cantor. 

Ema-banôrin, 8. educador, professor. 

Ema-bôin, 8. vigia. 

Ema-birus, a. enfadadiço, enfadonho, 
irascivel. 

Ema-ida, pr. quem quer. 

Ema-kàbul, s. mestiforio. 

Ema-kiak, 8. hospício. 

Ema-kiak, a. mendicante. 

Ema-kló, 8. gigante. 

Ema-koain, 8. caçador. 

Ema-kôan, 8. comilão. 

Ema-korubé, 8. aguadeiro. 

Ema-kttLÍr, a, condescendente. 

Ema-kudarai, 8. agricultor. 

Ema-kulite, 8. derma, derme. 

Ema-ladàlan, a. inspector, voador. 

Ema-labuko, 8. antepassado. 

Ema-lôribé, 8, aguadeiro. 



Ema-lúban, «. junta. 

Ema-lúlik, a. inviolável. 

Ema-mate, «. cadáver. 

Ema- mate, a. defunto, finado. 

Ema-moras, a. enfermo. Pospondo a 
esta expressão o termo fatin indi- 
cam os indígenas enfermaria. 

Eman, a. ágil, desembaraçado. 

Ema-néebé, pr. que, quem. 

Ema-nia, a. pessoal. 

Ema-oit&mak, a. insolente. 

£ma-088an, a. endinheirado. 

Emar, «. gentes, pessoas, povos. Este 
termo é um dos poucos plaraes que os 
indígenas fazem. 

£ma-ró, 8. marinheiro. 

Ema-rôna , «. ouvidor, ouvinte. 

Ema-ronia, «. marinheiro. 

Ema-róssak, a. invencível. 

Ema-mma, pr. alguém. 

Ema-sadia, a. clemente, misericor- 
dioso. 

Ema-sàeknda, 8. cavalleiro. 

Ema-sala, a. criminoso, facínora, pec- 
cador. 

Ema-sar&ni, «. baptisado. 

Ema-sé, pr. rdat. quem. 

Ema-sôío, 8, pagador. 

Ema-séloko, «. outrem. 

Ema- sisai, 8. cobrador. 

Ema-súank. a. feiticeiro, magico. 

Ema-srtra, «. contador. 

Ema-tada, 8. voz publica. 

Ema-tanis, a. choroso, lacrimoso. 

£ma-1;éin, 8. cozinheiro. 

Ema-tòlo, 8. trindade. 

Ema-tômak, 8. população. 

Ema-toós, 8. caseiro. 

Ema-túlon, «. ajudante, coadjutor. 

Ema-tússan, 8. devedor. 

Ema-aàin, «. muita gente. 

Ema-úkon, 8. director. 

Ema-uktini&e, 8. anarchia. 

Ema-nmalaran, 8. pessoa de familia. 

Embote, *. ^vemador. Este termo 
deve ter sido formado da expressai 
ema bote e adoptado para signiíicflr 
a autoridade superior da colónia. 

Emi, pr. pe8, vós. 

Emi-bira, loc. adv. quantos sois. 

Emi-nia, pr. pe8. vosso. 

Emo, V. abeberar. 

Emobé, r. matar a sede. 

Emoran, r. confederar- se, fazer socie- 
dade conforme os usos e costumes do 
pais. 

Emossala, 8, goto, que dá no goto, 

Emotna, v, molhar a palavra. 



EUK 



105 



FAN 



aa, 8. pano, xairel. 

aaida, s. flanella. 

aamútin, 8. malhas pelo corpo. 

aebé, int, onde está. 

aek, 8. seixo. 

aó, s, cadeia, corrente, grilhão. 

nó kmúrak, «. cordão de ouro. 

ren, s. papada. 

ri, V. pentear. 

rin, V. espanejar. 

ssi, ^^ conduzir, guiar, pastorear. 

ssuko, V. encarregar. 

ssuro, V. falar. 

tan, V, herdar. 



Etébes, adv. sim, por certo. 

Etessaía, v. fornicar. 

Eti, V. cilhar. 

Eto, 8, arroz cozido. 

Eto mótuko, 8. arroz queimado. Os in- 
dígenas dão esta denominação ao ar- 
roz que se pega ao fundo da vasilha 
em que se coze, e que elles apesar de 
queimado comem com grande satis- 
fação. 

Etotassa, s. arroz cozido. 

Euéi, V. baloiçar numa corda. 

Enài, 8. impiedade. 

Euko, V. falsear. 



'aân, v. vender. Fouco usado. 

'afata, s. travessão. Os indígenas dão 
esta denominação aos barrotes que 
assentam sobre os esteios na forma- 
ção do esqueleto de uma casa para 
supportar o telhado. 

*afédal, v. questionar, ralhar, zan- 
gar- se. 

'afóate, s. laço. 

'afoi, 8. banha. 

'afólar, 8. folhas chamuscadas. 

'afulo, 8. bambu longo e fíno. 

*afuúko, 8. virilha. 

^aha, t7. proclamar, promulgar. 

'ahe, V. apartar, compartir, departir, 
desaggravar, desagregar, desannexar, 
(lesapartar, distribuir, diminuir, divi- 
dir, espatifar, estremar, fríiccionar, 
partir, prescindir, rachar, segregar. 

■^ahe, loc. adv. á banda. 

^ahe-hetfiiak, v, arranchar num grupo. 

''ahe-kari, v. distribuir. 

''ahe-lia, v, decidir. 

''abe matarua, v. dividir a dois 

•"abe-ôna, a. eparL partido. 

^ahi, 8. cerdo, cochino, porco. 

i^aM-bókiir, 8. gordura, manteiga, un- 
to, toucinho. 

•^abi-fàtln, 8. curral de porcos. 

Tahi-fúlun, s. cerdas de porco. 

Tahi-inan, s. bácora, porca. 

rahi-inur, «. tromba de porco. 

rabi-kiklin, *. bacoriuho. 

Tahi-klian, 8. javali grande. 

Tahi-lia, 8. grunhido. 

Tahi-lúbo, v. cortar porcos. 

?ahi-lúbun, s. vara de porcos. 

^ahi-lúban, 8. cortelho, pocilga. 



Fahi-nia, a. suino. 

Fahi-ôan, «. bacorinho. 

Fabi-uén, «. banha de porro. 

F&i, V. buscar, indagar, investigar, 
procurar. 

Fai, V. espetar, espicaçar. O emprego 
mais usual doeste termo é para signi- 
ficar a acção de descascar e limpar 
o arroz, a que os europeus chamam 
•pilar». 

Faimàtak, 8. tomate. 

Fali, V. regressar, tornar, voltar, vol- 
ver. 

Fali, adv. bis, outra vez. 

Fali-mài, V. virar. 

Falin, adv. mais vezes^ 

Falin-tódan, v. custar caro, sair caro. 

Fali-sà, adv. como assim. 

Fali-aà, conj. porque. 

Falo, 8. amarrado. 

Fáluko, a. viuvo. 

Fàrlun, V. embrulhar, enfardar, enfei- 
xar, entrouxar, envolver. 

Fálun, 8. embrulho, fardo, feixe, mo- 
lho, trouxa. 

Fé,lnn-kik, 8. pacote. 

Fàlun-méite, v. amortalhar. 

Fàman, s. conceito. Este termo parece 
ter sido introduzido do português 
«fama». 

Fàn, V. vender. 

Fan-bxL&tida, v. desfazer-se de algu- 
ma cousa. 

Fánin, v. espirrar. 

Fánin, 8. espirro. 

Fan-sossa, v. fazer dinheiro. 

Fánun, v. acordar, despertar, desvelar; 
espertar. 



FAT 



106 



rvwt 



FET 



Fànnn-ôna, a. desperto, esperto, sem 
íomno. 

Fànun-tékil, v. estremunhar. 

Faro, 8. bajú, cabaia. Os indigenas em- 
pregam muito este termo para indi- 
car toda a roupa que se veste. 

Faro-aétte, s. farrapo. 

Faro-ain, s. calças. 

Faro^bàdak, s. vestia. 

Faro-bote, e. capote. 

Faro-kliak, s. gola de casaco 

Faro-liman, «. manga. 

Faro-nailúlik, s batina. 

Faro-nârnko, s. gabão, roupeta, so- 
taina, túnica. 

Faro-tômak. s. vestido. 

Fasse, v. abluir, lavar. 

Fas'?e, 8. ablução. 

Fasse-fàtin, 8. lavadouro, lavatório. 

Fasse-hamós, v. alimpar, limpar. 

Fasse-ibun, v. bochechar, lavar a 
boca. 

Fasse-lima, v. lavar as mãos. 

Fasse-òna, a. e pari. lavado. 

Fàtik, 8. cama. Alguns indigenas em- 
pregam este termo também para si- 
gnificar «logar», mas vào já sendo 
muito raros. 

Fàtin, 8. assento, destino, ensejo, lo- 
cal, localidade, logar, occasiao, op- 
portunidade, parte, sitio, trilho, vizi- 
nhança. 

Fatin, 8. vezes. Um dos raros pluraes 
feitos pelos indigenas. 

Fátin-ás, 8. eminência, logar elevado. 

Fàtin-kfóer, s. enxovia, logar im- 
mundo. 

Fátin-kik, s. cantinho, logarejo. 

Fàtin-klalàtak, 8. logar sombrio. 

Fâtin-kmàmuko, 8. vaga, vago. 

Fâtin-kràik, 8. baixura, logar baixo. 

Fátin-lae, v. não ter logar. 

Fátin-lailia, «. não ter vaga. 

Fàtin-leéte, v. vagar, ter vaga. 

Fâ,tin-leéte, «. vaga, vago. 

Fàtin-lúan, 8. terreiro. 

Fàtin-mânas, s. abafadiço, logar aba- 
fado, logar quente. 

Fàtin-môute, a. alagadiço. 

Fátin-ruma, adv. algures. 

Fátin-tó8, 8. granito. 

Fatír, 8. vez. 

Fato, a. duro. 

Fátuk, 8. pedra. 

Fátuk-laka, 's. diamante. 

Fàtxik-lá.tan, s. balisa de pedra. 

Fátuk-métin, «. escolho, precipício. 

Fátuko, 8. calhau, fraga, pedra. 



F&tuko-bélak, 8. lage, pedra lisa. 

F&tnko-bissole, 8. feifiço. De peèj 
para fazer mal a alguém. 

Fatnko-bôu, 8. monte de pedras. [ 
draria, pedreira. 

Fàtnko-bote, 8. penedo. 

Fàtuko-fàtin, 8. pedreira. 

Fàtnko-kabélak, s. lage. 

Fàtuko-kabtial, 8. bola de pedra, r^ 
bolo. 

Fàtuko-kabúar. s. rebolo. 

F&tnko-kadi, 8. pedra de amolar, r^ 
bollo 

Fàtnko-kain', 8. pedra molle. 

Fátuko-kilate, «. pederneira. 

Fâtnko-klabis, «. seixo. 

Fàtoko-kúak, «. caverna, lapa. 

Fàtuko-làtan, «. marco de pedra. 

Fàtako>mútin, «. pedra branca. 

Fàtuko-nesso, 8. gral de pedra. 

F^tnko-rônes, a. pedregoso. 

F&tnko-rii, s. columna de pedra, pi 
lastra de pedra. 

Fà,tiikortélim, «. rebolo. 

F&tnko-iLlan, s. penlia, piçarra. 

Fatnssàtm, s. ancora. 

Fatuss&tin-kik, s. aneorote. 

Féiiiko, a. amarello. 

Fedo, V. abalar, sacudir. 

Féhan, 8. campina, planirie. 

Féhuko, 8, batata doce. As vezes jiin 
tam os europeus e alguns indig^-u^ 
o termo midel «doce», mas nào t 
indispensável e fica como que uma 
redundância. 

Fekite, v. latejar, palpitar, pulsar. 

Fekite, 8. palpitação, pulsaçáo. 

Felite, V, tecer objectos de fibras «it 
bambu, como cestos, etc. 

Félo, s. zareta. Nome que do Orient»' 
se dá geralmente a uma metade da 
casca dura do coco, a qual depois 'le 
tirada a amêndoa fica uma especit 
de tigela, mui útil. 

Fen, 8. esposa, mulher casada. 

Fera, v. arrasar, arruinar, assolar, de 
molir, derribar, derrotar, desbatatar 
destroçar, destruir, devastar, esca 
char, escalar, fender. 

Fera-sôbo, r. reduzir a cinza. 

Férik, 8. velha. 

Feta, 8. fêmea, mulher. Este temio é 
uma modificação de feto. feita pelos 
portugueses que falam mal o teto oq 
quasi o desconhecem, portanto f 
muito pouco Uivado pelos iudigeDas. 

Fétik, V. estalo. Dar estalos com os 
dedos á maneira dos nossos campo 



FIH 



107 



FIL 



neses quando dançam os bailes de 

roda. 

Jtir, s. palpitação, pulsação. 

)to, s, fêmea, mulher, matrona. 

íto-aáte, s. -mulher atrevida, audaz, 

dissoluta, mundana, 

Jto-aljádak, s. boneca. 

3to-stnôrin, s, mestra. 

3to-"bádak, s. anã. 

3to-l3á,rak» s. mulherio^ 

íto-ljúank, «. feiticeira. 

3to-feto, s. mulheres. Um dos plu- 

raes feito pel* regra. ^ 

3to-fôiin, 8. nora, mulher do filho. 

3to-lniri, s. fiadeira. 

3to-!káben, s. consorte, esposa. 

eto-káik, s. meretriz, prostituta. 

eto-kaite, s. anã. 

eto-kik, 8. mulherzinha. 

eto-knua, 8. aldeã. 

eto-liurai, s. fidalga, rainha. 

eto-lúbnn, «. mulherio. 

eto-malo, s. irmãs. 

éton, 8. irmã. 

eto-nia, a. femenil, feminino, femeo, 
mulheril. 

'eto-ôan, «. sobrinha. 

'etorá, 8. cachopa, donzella, mulher 
solteira, rapariga crescida, virgem. 
Esta ultima significação é a mais 
geralmente usada. 

'etorá-issin, 8. rapariga corpulenta, 
rapariga gorda. 

'etorá-nia, a. virginal. 

'eto-sáu, 8. sobrinha. 

'eto-saúmâne, 8 mulher barlaqueada. 

'eto-sik, a. adivinha. 

^eto-súkate, s. medideira. 

''eto-tanis, «. choradeira. 

^eto-umakain, 8. amasia, concubina. 

i^etxi, a. igual. 

i^etú-lió, a. igual a. 

i^ia, V. manietar. 

riélas, 8. fivela Este termo foi intro- 
duzido pelos missionários em vista 
das fivelas que usam nos sapatos, 
indubitavelmente as primeiras que os 
indígenas viram e ficou estropeado 
em consequência da difiiculdade que 
elles teem em pronunciar o som de V. 

Fier, V. acreditar, ater-se, confiçir, crer, 
dar fé, fiar-se, persuadir- se. É possí- 
vel que este termo provenha do por- 
tuguês «fiar». 

Pier, 8. confiança. 

Fihin, a. designado. 

Pihir, V. apurar, designar, eleger, es- 
colher, nomear, optar. 



Fihir, 8. escolha, opção. 

Fihir, a. escolhido. 

Fihir-ôin, v. espelhar-se, exemplificar. 

Fihir-ôna, a. eleito, escolhido. 

Fila, V. desandar, mudar de rumo, tor- 
cer, virar, voltar- se, voltear, volver. 

Fila, V. converter. 

Fila, adv. ás vezes. 

Fila-an, v. converter-se. 

Filabà, V. fazer-se, passar-se, redu- 
zir-se, tornar-se, vir a ser, voltar -se. 

Filabá-aáte, v. aggravar-se, corrom- 
per, damnar, depravar, estragar-se, 
peorar, perverter-se, prevaricar, pros- 
titui r-se, viciar, viciar- se. 

Filabà-béik, v. embrutecer. 

Filabá-búlak, v. endoidecer, enlou- 
quecer. 

Fllabá-katuas, v. envelhecer. 

Filabá-kolabúr. v. abolerecer. 

Filabá-krekas, v. emagrecer. 

Filabà-diak, v. converter-se, mudar 
de vida, reconciliar-se, regenerar-se, 
tornar-se bom. 

Filabà-diak, s. conversão. 

Filabà-fátuk, v. petrificar. 

Filabà- filamái, v. bordejar. 

Filabá-fuik, v. assei vaj ar- se, barbari- 
za r-se, tornar se bárbaro. 

Filabà-kiak, v. empobrecer. 

Filabá-kmaos, v. enriquecer, enrique- 
cer-se, fazer fortuna, polir-se. 

Filabà-ítmôdGk, v. amarellecer. 

Filabá-ladiak, v. subverter. 

Filabá-malirin, v. refrigerar. 

Filabà-mamal, v. amollecer. 

Filabà-méme, v- humanar. 

Filabà-maos, v. amansar. 

Filabá-màtak, v. enverdecer, reverde- 
cer, verdejar. 

Filabà-méan, v. corar, fazer-se ver- 
melho. 

Filabá-métan, v. denegrir, ennegrecer, 
fazer-se preto, tornar-se preto. 

Filabá-módok, v. emmurchecer. 

Filabà-mútin, v. embranquecer. 

Filabá-nakúkun, v. entrevar. 

Filabà-séluko, v. alterar. 

Filabá-sii, v. azedar-se. 

Filabá-siin, v. envinagrar-se. 

Filabá-tós, v. difficultar. 

Filabá-túan, v. envelhecer. 

Fila-fali, V. virar. 

Fila-fali, adv. vice-versa 

Fila-falin, v. girar. 

Fila-fíla, adv. ameude, meudamento, 
meudo, muitas vezes. 

Fila-ikas, v. inverter. 



\ 



FOA 



108 



FOH 



Fila-kontra, v. conspirar. 

Fila-kótnko, r. dar costas, voltar as 
costas. 

Fila-lia, V. faltar á palavra, intrigar, 
malquistar.' 

Fila^lima, v. apropriar- se, surripiar. 

Fila-mai, «. volta. Este termo é em- 
pregado geralmente pelos indígenas 
para significar «virar de bordo», 
quando andam nos beiros ou corço- 
ras, navegando á vela. 

Filarai, i\ cavar. 

Fila-sà, prep. para. 

Fila-sôrin, v. voltar- se na cama. 

Finin, 8. grão, pevide, semente. 

Finta, 8. censo, contribuição. Este 
termo foi introduzido pelos primeiros 
portugueses que entraram na ilha, os 
quaes denominaram finta a capitação 
que impuseram aos reinos. 

Fio, V. entrançar. 

Fio, 8. trança. 

Firite, V, puxar. 

Fitei, 8. cicatriz. 

Fitai, 8, estreita. 

Fitul-dadél, s. estrella de alva. 

Fitun, 4. estrellas. Um dos pluraes. 

Fitun-lóroten, 8. as estrelias que ap- 
parecem de dia. Nesta expressão co- 
nhece -se perfeitamente que a termi- 
nação ten é a terceira pessoa do sin- 
gular do presente do indicativo do 
verbo ter, introduzida pelos portu- 
gueses, para poderem expressar ideias 
de que não conheciam as palavras. 

Fó, V, abonar, administrar, apascentar, 
apropriar, attribuir, causar, ceder, 
commetter, conceder, concorrer, con- 
ferir, confiar, consagrar^ contribuir, 
dar, dedicar, deferir, deparar, doar, 
dotar, empregar, encarregar, encom- 
mendar, entregar, immolar, imputar, 
legar, ministrar, offerecer, prestar, 
privar-se, produzir, receitar, regalar, 
sacrificar, subministrar, subsidiar. 

Fó, 8. doação. 

Fó, prep. a, de. 

Fó-adaÀte, v. passar de mão em mão. 

Fó-ahan, v. apascentar, dar de comer, 
sustentar. 

Fó-aihan, v. sustentar. 

Fó-almóruko, v. dar remédio, reme- 
diar. 

Fó-an, V. dar-se, ontregar-se. 

Fó-anôin, v. concordar, lembrar, memo- 
rar, mencionar, sugerir, suscitar. 

Fó-anôtin, r. admoestar. 

Fó-aris, v. banhai- 



Fóate, i'. enforcar. 

Fóate-an, v. enforcar- se. 

Fóate-mate, «. nó cego. 

Fóato, 8. dadiva. 

Fóato-aré, v. fazer ver. 

Foatorai, v. depositar. 

Fó-bad&me, v. fazer paz, pacificar. 

Fó-bandú, i*. dar ordem. 

Fó-béinia, t*. dar-lhe. , 

Fó-bensa, i\ abençoar, absolver. E?j 
termo foi introduzido do portugn* 
pelos missionários. 

Fó-biite, V. alimentar, alentar^ animn 
arbitrar, avivar, confortar, corrob< 
rar, dar alma, dar asas, enthnsia 
mar, esforçar, facilitar, fkcaltar, fo: 
talecer. 

Fó-boto, V. votar. Esta expressão f 
introduzida do português «voto» e £ 
cou estropeada em consequência d 
difiicUldade dos indígenas em pro 
nunciarem o som de V. 

Fó-bnatida, v. desfazer-se de algum 
cousa. 

Fó-d&la, V. dar exemplo. 

Fo-dalaa, v. abrir caminho, dar cami 
nbo. Emprega-se principalmente est 
expressão para indicar o dar csqí 
pula a pessoa ou animal que venh 
perseguido. 

Fó-diak, i\ absoher, felicitar, gala 
doar. 

Fó-diman, t*. armar. 

Fó-dunto, r. pastar. 

Foômo, V. abeberar, embeber. 

Fóen, 8. cunhada. É também o trat? 
mento que se dão entre si os primo 
nas famílias dos reis, c dos prínc 
pães, principalmente nos reinos dj 
interior. 

Fófali, t*. recambiar, tornar. 

Fofali-blite, v. reanimar. 

Fof&lin, V, compensar. 

Fó-fàtin, t' dar logar, occasionar, pr 
porcionar. 

Fóhan, v. banquetear, manter, nutrii 
pascer. 

Fóban-nain, v. fartar. 

Fó-hanôln, v, fazer propósito. 

Fóliatais, v. vestir. 

Fóhaten, v. annunciar, avisar, commi] 
nicar, dar parte, inspirar, intimai 
mostrar, noticiar, notificar, partici 
par, passar aviso. 

Fó-haú, r. dar-me.. 

Fó-haúntiko, v. vestir. 

Fohémo, v. dar agua. 

Fobéo, 8. montanha. Pouco em uso 



FOK 



109 



FOR 



Lpenas o ouvi nas povoações de Oeso- 
:el e Ossorôa. 

-hira, loc. adv. quanto custa? 
bo, 8. montanha, monte, serra, ser- 
ania. 

ho-kadóek, s. cordilheira, 
hôko, ê, prudência, 
hôko, a. prudente, 
ho-kik, 8. cabeço, collina. 
ho-lólon, costa, encosta de monta- 
lha. 

ho-lólon, a. vertente, 
hôn, 8. cimo, cume, fastígio, l^o Dic- 
ionário citado dá-se também como 
lignifícado «superfície», sentido em 
lue nunca o ouvimos empregar. V. 
)ag. 399. 

lion, adv. acima, encima, 
hon, prep. sobre. 

lio-nia, a. montês, serrano, silves- 
tre. 

•hon-leten, s. cume de montanha, 
•lio-òaiiy 8. collina, outeiro, serro, 
•ho-ttitun, 8. cabeço, monte, pico de 
montanha, serra. 

i-huú, V, dar-me. Este termo é muito 
pouco usado, e apenas o ouvi nas po- 
voações collocadas na montanha Be- 
tun-Klóte. 

>i, a. nova, novo, recém, 
ti-kaben, a. recem-casados. 
>i-mate, a. recem-morto. 
)i-moris, a. recem-nascido. 
)in, a. nova, novo, recente, 
iin, adv. indágora, ha pouco tempo. 
)i-nakákua, s. lusco fusco. 
)ln maiy loc, adv. aind'agora veio. 
)in-moris, 8. recem-nascido. 
)in-tó, V. chegar de novo. 
)i-tó, a. recem-chegado. 
)-kaben, v. desposar-se, esposar-se, 
receberem-se como noivos. 
)kado, 8. refogado. Este termo foi in- 
troduzido do português, ficando es- 
tropeado pela difficuldade dos indí- 
genas em pronunciarem o som do G, 
c tem principalmente uso em Dilly, 
Bondo quasi desconhecido em muitos 
pontos do interior da ilha. 
3kar, 8. empola na pellc. 
3-kbiite, V. alentar, fortificar, provi- 
denciar. 

j-kilate, V. armar, 
àkite, V. arrancar, 
ôkite-falin, v. desenterrar, 
ôkite-fúlun, v. depennar. 
ókite-faúko, v. arrepelar, 
ókite-mátan, t\ cegar, tirar os olhos. 



Fókite-néhan, v. desdentar. 

Fó-kolOy V. enfadar, incommodar. 

Fó konta, v. dar conta. 

Fólan, V. engulir sem mastigar. 

Fólan, 8, glutão. 

Fó-làkon, V. desterrar. ■ 

Fó-leéte, v. fazer de graça. 

Fó-leéte, a. gratuito. 

Fóli, 8. tecido. 

Folia, V. afíançav, apalavrar-sc, empe- 
nhar- se. 

Fólia-bóssok, v. cavilar, enganar. 

Fólia-lós, V. dar voto, fazer propósito, 
promover, protestar, votar. 

Fólin, V. apressar, saber o preço. 

Fólin, 8. commercio, mercadoria, nego- 
cio, preço, valia, valor. 

Fólin-ata, 8. escravatura. 

Fólin-diak, a. valioso. 

Fólin-kman, 8. baixo preço, barato, 
preço favorável. 

Fólin-tódan, 8. carestia. 

Fólin-tódan, a. caro, preço elevado. 

Fóliu, V. passar, de mão em mão. 

Fólok, V. corromper-se, exalar mau 
cheiro, tresandar. 

Fólok, 8. corrupção. 

Fólok, a. corrupto. 

Fó-lós, V. apalavrar-se, prometter. 

Fómai, V. dá cá. 

Fómai-haú, v. dar-me. 

Fó-malissen, v. execrar, imprecar. 

Fómàtak, v. cheirar a podre. 

Fó-matének, v. illustrar. 

Fó-meno, v. aprazar. 

Fómoe, V. envergonhar, escarnecer. 

Fómoris, v. animar, vivificar. 

Fona, 8. abertura, falha. 

Fona màtan, s. abertura na parede 
para porta. 

Fónáran, v. dar nome, denominar, in- 
titular. 

Fônaran, v. alistar-sc. 

Fó-narôma, v. aclarar. 

Fónia, V. dar -lhe. 

Fônun, 8. novo. 

Foón, V. exalar mau cheiro, tresandar. 

Foón, 8. ranço. 

Fó-ôna, part. dado, cousa grátis. 

Foórai, 8. cobra madeira. 

Fora, V. forrar. Este termo foi intro- 
duzido do português ficando com o 
R fraco, em consequência da tendên- 
cia natural para enfraquecer os RR. 

Fora, 8. forro. 

Fore, V. desenroscar, destorcer. 

Foré, 8. feijão. 

Fore-an, v. dpsenroscar-sei 



FOT 



110 



FLI 



Foré-hun, «. feijoeiro, pé de feijão. 

Foré-kior, s. feijão de trepar. 

Foré loto, #. feijão meudo. Também os 
indigenMS dão e8te nome ao mungo. 

Fore-rai, s. amendoim, mendobi. 

Foré-toós, 8, feijí ai. 

Fórite, V. desarmar, tirar á furça. Este 
termo parece o português «forte» in- 
troduzido e estropeado. 

Fórôko, 8. selvagem. Os iodigenss 
empregam este termo especialmente 
para indicar um novilho, ou um bú- 
falo novo, no estado bravio. 

Fóroko, a. vadio. 

Fó-rôna, v. participar. 

Fós, 8. arroz cru. 

Fó-sala, V. culpar. 

Fó-sanate, v. brindar, mimosear, pren- 
dar. 

Fós-knlite, 8. arroz com casca. 

Fó-sikôro, r. abrigar, acudir, accor- 
rer, ajudar, ausiliar, soccorrer. Este 
termo parece proveniente do portu- 
guês asoccorro». 

Fós-natar, 8. arroz de várzea. 

Fós-okálite, 8. arroz mal pilado. 

Fó-sólok, V. ccnsolar. O termo solok 
não será «consolo» estropeado pelos 
indígenas? 

Fó-sórite, V. afortunar. O termo sórite 
é claramente «sorte» modificado ou 
pelos indígenas ou pelos portugueses, 
que teem tido sempre uma tendência 
natural em estropear a sua lingua 
para se fazerem entender dos estran- 
geiros. 

Fós-rá, 8. arroz de importação. 

Fós-rai, 8. arroz do país. 

Fosse, V. encalhar. 

Fosser, a. curto. 

Fós-sós, 8. arroz branco. Ifato é bem 
limpo por ter sido pilado mais de 
uma vez. 

Fós-toós, 8. arroz de horta. 

Fó-susso, V. amamentar, mamentar. 

Fota, V. rachar. 

Fota, 8. racha. 

Fo-tebes, r. prometter. 

Foti, V. alar, alçar, alevantar, alterar, 
armar, arvorar, edificar, elevar, enle- 
var, erguer, erigir, exaltar, levantar. 

Foti, a. levantado. 

Foti-an, V. recalcitrar 

Foti-fali, V. reedificar. 

Fotl-lissuko, V. ajudar a levantar. 

Foti-sae, r. dar posto, promover. 

Foti-túan, c. renovai*. 

Fó-túlun, V. abonar, concorrer. 



Fo-uàin, V. prodigalizar. 
Fó-nkiiii, r. castigar, punir. 
Fo-nma, v, domiciliar. 
Fônn, a. fresco, moço, moderno, uoti 

recente. 
Fú, *. cabello. 

Fna, r. desplantar, dispor, plantar. 
Fúa-fali, L*. desenterrar. 
Fúak, 8. ajuntamento, cáfila^ catt^r\i 

cohorte, chusma, grupo, magote. 
Fúan, t*. zangar- se. 
Fúan, 8. coração, estômago. 
Ftian, 8. bagem, fruta, semente. 
Fúan-aàte, a. ingrato. 
Fúan-amaiio, r. atarantar-se. 
Fúan-lae, a. infrutífero. 
Fúan-lalha, a. infrutifero. 
Fúan-moras, t. indigestão. 
Fúan-nia, a. cordial. 
Fúan-sae, v. aangar-se. 
Fuan-samula, s. indigestão. 
Fndi, V. criar, nutrir. 
Fúdlk, 8, dissimulação, fingimento. 
Fudi-òa, r. criar criança estranha. 
FoftLan, 8, corações. Um dos pluriíe 

formado pelos indígenas. 
Fnhi, V. rogar pragas. 
Fáho, 8. cabello. 
Fnhuko, «. gorgulho. 
FtLlmmei, «. cogulo, cunulo. 
Fúbtir, 8. molleira, da cabeça das erian 

ças. 
FtLhTiro, 8. convexo. Empregam genu 

mente os indigenas este termo par 

indicar a parte convexa de um cha 

peu. 
Fui, r. baldear, deitar, derramar, des 

pejar, envasar, envasilhar, evacuai 

infundir, pingar, regar, vasar, ysLUS 

se. 
Fúi, 8. apito, í!auta, gaita, pi fano. 
Fúi-dada, s. fiauta, gaita, pifano. 
Fúi-doros, «. gaita. Feita de vario& oa 

nudos de bambu fino, como as dos ca 

padores em Portugal e Hespanha. 
Fui-falie, V. dividir liquido. 
Fui-halalémo, «. completamente li 

quido. 
Fúí-inur, s. gaita curta com vários k 

racoB, quatro ou mais. 
Fúik, a. bárbaro, bravio, bravo, brutí 

estéril, inculto, montês, selvagem, sei 

vatico, silvestre, vadio. 
Fúi-lalémo, 8. liquido em parte, quai 

liquido. 
Fui-mina, v, azeitar, olear. 
Foi-modo, t;. adubar. 
Fuin, s, seara. 



tm 



111 



FCT 



i-nan, s. gaita de dois buracos e 
urta, tocada por uma extremidade á 
laneira de tíbia pastoril, pifano. 
L-ôan, 8. flautim. 

i-ôno, 8. gaita comprida com vários 
uracos. 

ka, s. Os indigenas dâo este nome a 
im arbusto que tem abras finas muito 
emclhantes ao linho, 
kámak, 8, pollegar (dedo), 
kar, i\ adubar^ refugar, temperar, 
kar, 8. adubo, condimento, tempero, 
kilak, 8. annular (dedo). 
klaraSy 8. máximo (dedo), 
kun, 8. nexo, nó. 

lan, 8. lua, mês. Entre os indigenas 
lavam este nome á lua, e como não 
conheciam a divisão do tempo quando 
)3 primitivos missionários ali come- 
çavam a sua catechese, aproveitaram 
3 termo para indicar o mês ; succe- 
jendo porem que nenhum dos meses 
tem nome próprio, começaram a ser 
indicados pelo numero de ordem que 
lhe pertence no anno civil, e ás vezes 
pelo numero de dias de que se com- 
põe. 

ilan-àlin, 8. o mês futuro, 
ilan-fálan, adv. mensalmente, 
llan idatan, loc. adv, d'aqui a um mês. 
ilan ikas, s. mês passado, 
llan kalobas, s. eclipse da lua. 
ilan kúknn, 8. noite sem luar. 
llan moris, 8. lua nova 
Uan môsso, 8. lua nova. 
ilan nakúkon, 8, noite sem luar. 
ilan nanran, 8, eclipse da lua. 
ilan-narôma, s. luar. 
ilan-néen, 8. semestre, 
lilan-nia, a. lunar, mensal 
ilan rua, 8. dois meses, 
ilan seimai, 8. mês próximo futuro, 
ilan-sôna, «. menstruo, menstruação, 
ilan tolo, 8. três meses, trimestre, 
ilan tôlonia, a. trimensal. 
ilarôman, s. luar. 

ilin, 8. bagem, espiga. Também os 
indígenas empregam este termo para 
designar o caule da flor. 
álln-kik, 8. espiguinha, florinha. 
álÍD-moris, v. espigar. 
álin-sae, 8 o limpar da bagem. 
ãlnn, 8. cabello, pêlo, penna. 
álun-aãrte, 8. penuugem. 
úlun-mámal, «. pennugem. 
únan, «. flor. 
unan-kik, 8. florinha. 
tino, 8. escaramuça. 



Fónun, 8. batalha, combate, guerra, 
lide, peleja. Também os indigenas 
empregam o mesmo termo para signi- 
ficar «zumbido*. 

Fúnun-bârlun, «. inimigo. Esta expres- 
são empregam os indigenas unica- 
mente para indicarem nas guerras a 
gente que lhes é contraria. 

Fúrak, v. saber, ter sabor. 

Fúrak, s. goáto, paladar, sabor. 

Fúrak-diak, a. exceli ente, gostoso, sa- 
boroso. 

Fúrak-mórako, a. amargoso. 

Fúrak-siin, 8. agrura, azedume. 

Fórak-tua, a. avinhado. 

Furi, V. espalhar. 

Fárin, «. bolha na agua, espuma de li- 
quido. Como por exemplo do champa- 
gne e da cerveja. 

Furo, 8. betei de folha grande. 

Fússln, 8. inchado, quando tenha ver- 
melhidão. 

Fussil, 8. parte da fecharia nas armas 
de pederneira. 

Fússor, 8. umbigo. 

Fússo, «. gebo. 

Fútar, 8. enxoval, roupa, vestido. 

Fútar-issin, r. vestir o rei. 

Fútar-issin, s. roupa do rei. Esta ex- 
presãâo tem no Diccionario citado, a 
pag. 127, a significação de «corpo do 
rei», que nunca ouvi. 

Fútar-únuko, «. roupas. 

Futi, 8. verruga. 

Fnto, V. apertar, atar, cingir, colligar, 
encadear, enlaçar, enlear, enrolar, li- 
gar, travar, vincular. 

Futo, 8. amarrado, molho. 

Futo, a. apertado, atado, atarracado. 

Fato-fia, r. atar as mãos atrás das 
costas. 

Fato-kàbun, s. charpa, cinta, cinto, 
cinturão, faixa. 

Futo-knótak, v. enfaixar -se. 

Fútoko, 8. indicador, Índice, mostra- 
dor (dedo). 

Futo-lia, V. ajustar, assentar, combi- 
nar, contratar, contrahir, convencio- 
nar, fazer contrato. 

Futo-lia, s. combinação, convenção. 

Fato-lima, v. manietar. 

Futo-mano, v. jogar o gallo. Pôr aos 
gallos uns esporões de aço como lan- 
cetas, com os quaes alguns matam 
aos primeiros saltos os seus adversá- 
rios. Alguns commandantes teem ten- 
tado acabar com este uso bárbaro, 
mas tem sido impossível. 



FUL 



112 



IIAII 



Futo-métin, v. apertar, atarracar, en- 
faixar, enfeixar. 

Fatos, a. tingido, tinto. 

Futos-sabulo, v. tingir sarSo. Esta 
expressão indica a pintura de um ob- 
jecto que serve de vestido ás mulhe- 
res timoras, a que os portugueses 
deram o nome de sarão, o qual é 
uma espécie de saco aberto em am- 
bas as extremidades, e que ellas en- 
fiam pela cabeça e seguram na cin- 
tura, ou acima dos peitos com uma 
dobra do mesmo sarão; algumas 
usam dois sarOes, um seguro na cin- 
tura e outro posto por sobre a ca- 

' beça depois de enfiado para lhe co- 
brir o tronco. 



Ha, r. comer, manducar, papar. Este 
termo é empregado pelos indígenas 
como radical de um grande numero 
de verbos e substantivos, sendo aspi- 
rado ligeiramente em alguns pontos 
da ilha. 

Ha, 8. comida, iguaria, petisco, refei- 
ção. 

Habéleús, v. achatar, estender. 

Habiite, v. arremeter, atacar, oppor-se, 
oppugnar. 

Habitak, v. achatar. 

Habite, v, agan-ar com torquez, enco- 
lher, enconchar, entalar. 

Habite, s. marisco. Esta denomina- 
ção é dada em certos pontos á tar- 
taruga. 

Habókon, v. embeber, ensopar, mo- 
lhar. 

Habókur, v. anafar, engordar. 

HabósBOk, v. fraudar, malograr, sedu- 
zir, trahir. 

Habôtuk, V. mexericar. 

Hadàu, V. agadanhar, expoliar, extur- 
quir. 

Hadé, V. ter cautela, ter cuidado. 

Hadera, v. perder tudo. 

Hadia, v. acalmar, assear, accommodar, 
ajustar, anafar, conciliar, congraçar, 
domesticar. 

Hadia-âhi, v. atear, atiçar. 

Hadiak, v. abrandar, acommodar, ajus- 
tar, apaziguar, aquietar, avir, conci- 
liar, congraçar, consolar, harmoni- 
zar, melhorar, mitigar, pacificar, pôr 



Fntns-t&is, v, tingir panos. 
Fãtalo, ê. espécie de pombo indigec 

que tem um escapulário branco. 
Ftitan, s. enlace, vinculo. 
Fatún, 8. braçado, feixe, molho. 
Fuúko, 8. cabello, coma, pêlo. 
Faúko-babxila, 8. velo. 
Faóko-fio, 8. cabelleira com trança. r.i 

bicho (antigo). 
Faúko kamto, 8. cabello crespo, cars 

pinha. 
Fnúko-kôman, 8. crin^. 
Fatiko-krato, «. carapinha. 
Fatiko-mab&rate, 8. grenha 
Faúko makaéis, «. cabello grcnho. 
Faôko-sassi, s. o rabicho dos chicai 
Faôméi, 8. cabelleira. 



em paz, recompor, reconciliar, rego 

lar, remediar, sanar, suavizar, tornai 

se amigo. 
Hadômi, v. apaixonar- se, coitipadecei 

se, entemecer-se, prezar, sentir, qn 

rer, ter dó. 
Hadòmi, 8. caridade, misericórdia. 
Hadó, V. despejar^ esvaziar, extr-avs 

sar. 

Hadtilar, v. acompanhar em chasma 
Héie, 8. colmo, herva, palha. Que sen 

para cobrir as casas, quando nà 

teem folha de palmeira própria. 
Haé, cojij. é que. 

Hafabe, v. classificar, pôr á parte. 
Hafólin, V. commerciar, contratar, mei 

cadejar, negociar. 
Hafúak, v. agrupar. 
Haftiak, a. commum. 
Hafaho, v. mirar, remirar. 
Hafaho, 8. mira. 
Hafâhór, v. fazer cestos, fazer touca 

para crianças. 
Hafola, v. abraçar, estreitar nos br^ 

ços. 
Hafâlak, v. abraçar, atracar, engal 

nhar. 
Hafálak liman, v. cruzar os braços. 
Hafala-hela, v. desabraçar. 
Ha-fónan, v. florescer. 
Hahàuko, v. buracarj esburacar. 
Hahàlak, 8. criatura. 
Habalai, v, debandar. 
Habãrlok, s. criatura 
Habàluko, s. modo. 



HAH 



113 



HAK 



ihàn, 9. almoço. Este termo significa 
propriamente comer, mas como a pri- 
meira refeição dos earopeus é o al- 
moço, emquanto qae os indigenas não 
tem refeições regulares, dão-lhe esta 
denominação quasi geralmente. 
},liaiiey 8. alento. O e final soa mui 
pouco, parecendo quasi que não exis- 
te, e soando perfeitamente o n. 
ihi, V. admirar, adular, afagar, con- 
gratular, elogiar, encomiar, engran- 
decer, ensoberbecer, exaltar, gabar, 
gloriar, louvar, magnificar, pasmar, 
presumir, solemnizar. 
iM, 8, encómio, jactância, lisonja, 
orgulho, presumpçâo, ufania. 
ihi, a. Jisonjeiro. 

ilii-an, V. apavonar-se, arrotar, bla- 
sonar, congratular-se, engrandecer- 
se, ensoberbecer-se, exaltar-se, ga- 
bar-se, gloriar-se, glorificar-se, gra- 
tular-se, jactar-se, louvar-se, orgu- 
Ihar-se, pavonear-se, presumir, pre- 
zar-se, ufanar-se. 
ihi-an, a. orgulhoso, 
ihi-bóssok, V. adular, bajular. 
xhikf V. chamar. Termo que os indi- 
genas usam apenas quando se refe- 
rem aos cavallos. 
ihik knda, v, chamar cavallos. 
ihiik, V. gemer, 
khiik, 8, gemido. 
ihi-môssOy V. lisonjear, 
ihiros, V. affligir-se, angustiar-se, 
sangar-se. 

ihiros, 8. afflição, angustia, zanga. 
khissi, V. encher, entulhar, ^ehen- 
cher. 

thoi, V. açular. 
ihoris, V, dar á luz, parir. 
khú, V, começar, designar, destinar^ 
determinar, encetar, entrar, iniciar, 
íegar, principiar, travar, 
ihú, «. começo, principio, 
khuko, 8. a cova de onde se arrancou 
ima arvore. 

khti dúknl, V. pegar no somno. 
ihú halai, v. deitar a fugir, 
khú-halo, V. estrear, institnir. 
ihú-hanàntin, v, entoar, 
khii hatéten, v, ter a voz tomada. 
khiL nakali, v, levantar fervura, 
khti-semo, ». esvoaçar. 
khú-Tiko, V. balbuciar, 
khnúko; 8. abuis. Os indigenas dao 
iste nome a um bambu com que apa- 
iham uns passarinhos que devastam 
) nélie) espécie do «rice birds» de 



que ha grandes quantidades em Shan- 
ghai. 

HahtL-úknn, v. começar a reinar. 

HahtL-tLkun, #. accla mação, posse. 

Hal, V. tapar. Com betume, gomma ou 
massa. 

Hak. Este termo, que isoladamente não 
tem significação própria nem pode 
ser classificado por isso como parte 
da orarão, é, comtudo, uma espécie 
de particula que serve para dar força 
ao verbo c ao adverbio, e ao mesmo 
tempo é o radical de muitas pala- 
vras. 

Hakahik, v. enfrear, interdizer, pre- 
servar. O primeiro significado só os 
indigenas empregam no sentido figu- 
rado. 

Hakahik, a. interdicto. 

Hak&ik, V, emmaranhar, ennovelar^ in- 
trincar. 

Hakârik, a. emmaranhado. 

Hakalik, v. trocar aguas. 

Hakàlik, «. prestigio. 

Hakébnek, v. chagar, cortar^ fazer san- 
gue, ferir, golpear, lesar, ulcerar, vul- 
nerar. 

Hakétnek-uite, v. escalavrar. 

Hakàrak, v. annuir, aprazer, assentir, 
attentar, cubicar, desejar, eleger, 
emular, engraçar, gostar, intentar, 
interessar- se, prezar,, pretender, que- 
rer, simpathizár, tencionar, tender, 
tentar, ter vontade. 

Hakétrak, 8. apetite, desejo, gosto, gra- 
do, intenção, saudade, tenção, von- 
tade. 

Hak&rak-aàte, s. concupiscência, de- 
sejo desregrado, tendência a praze- 
res sensuaes. 

Hak&rak-aàte, a concupiscente, libi- 
dinoso. 

Hak&rak-an, v, amar-se a si mesmo, 
querer-se. 

Hak&rak-aré, «. curiosidade. 

Hakàrak^aré, a. curioso. 

Hak&rak kàtak, v, querer dizer. 

Hakàrak^didiak, v. bemquerer. 

Hakàrak-hadera, «. desejo de vin- 
gança. 

Hakéirak-halO) v, attestar, emprehen- 
der. 

Hakàrak-haten, 8. curiosidade. 

Hakàrak^-haten, a. curioso. 

Hakàrak hemo, í). gostar de beber. Os 
indigenas empregam este termo psra 
indicar os indíviduos que gostam da 
canipa. 

8 



HAK 



114 



HAK 



HakÀrak-kttir» v. si^j^iUr-ge. 

Hak&rak-lin, v. preferir. 

Hakate, v, ameaçar, arguir, corrigir, 
dirigir, estranhar, gritar, increpar, 
invectivar, ralhar, vituperar, sangar, 
zangar-ee. 

Hakbótuko, v. abalançar, balançar, 
baloiçar, ondetr-ee. Também empre- 
gam este termo para significar o pe- 
gar com geito. 

Hakbldak, v. piscar os olhos. 

Hakbòas, v. dar estalos com a língua. 

Hak-búkal, v. dar nó. 

Hakdaka, v. afastar-se a fugir. 

Hakdédal, v. estremecer, tremer. 

Hakdinko, v. brincar (próprio das 
crianças); 

Hakdôko, V. abalar, espantar-se, ir-se, 
mover- se. 

Hakdoras, v. escorregar. 

Hakdnlas, v. girar. 

Hakdulas, s. movimento. 

Haké, V. separar. 

Hakede, v. fazer cócegas. 

Hakednkos, v. chamar gallinhas. 

Hakeó, v. buscar, procurar. 

Hakérek, v. copiar, dar cor, escrever, 
fazer lavores, pintar. 

Hakéssil, v, não querer. 

Hakótak, v. apartar, desmembrar, des- 
unir, estremar, separar. 

Hakótak, ». estremo. 

Hakfàhek, v. apartar, dividir, repartir, 
separar. 

Hakfalo, v. subir uma montanha. 

Hakíalo-kadua, v. descer a monta- 
nha por um lado depois de a ter su- 
bido do lado opposto. 

Hakféduko, v, abalar. 

Hakfera, v. assolar, partir, quebrar, 
rachar. 

Hakfera, a. partido, rachado. 

Hakférak, v. partir-se. 

Hakfétik, v. latejar, palpitar, pulsar. 

Hakfétik, s. pulsação. 

Hakfétik-inur, v. dar piparotes no 
nariz. 

Hakfiro, v. andar de bêbedo, camba- 
lear. 

Hakfódak, r. abismar se, admirar-se, 
alvoroçar-se, amofinar-se, amotinar- 
se, arripiar os cabellos, assustar- ee, 
atemorizar* se, espantar-se, estar de 
boca aberta, ficar assombrado, ficar 
estupefacto; sobresaltar, surprehen- 
der, tremer. 

Hakfódak, a afflioto, alvoroçado, ató- 
nito, boquiaberto, estupefacto. 



Hakfóer, r. inquinar, tomar insalubn 
Hakfókar, v. empolar, escaldar-se, i 

car tisnado. 
Hakfbdik, s ficção. 
Hakítiheky t;. separar-se. 
Hakfúik, V. assobiar, chamar assobiui 

do, sibilar. 
Hak-fâkun, v, amarrar, atar, dar n( 

ligar, unir. 
Hakiak, v. criar, nutrir. 
Hakióky V. chamar gallinhas. 
Hakilar, v. bramar, chiar, clamar, da 

vozes, esganiçar-se, exclamar, hv. 

alarido, gritar, vociferar. 
Hakilar-leéte, v. ladrar á lua. 
Hakilar-lii^ «. grita, grito, voz a 

grita, voz forte. 
Hakl&líak, v. vozear. 
Haklàlak, «. gritaria, vozearia. 
Haklókar, v. desarranjar. 
Haldena, «. costado, lombada. 
Haklodite, v. cair. 
Haklohas, v. empolar, empolar-se. ei 

caldar-se. 
Haklúlnn, v. enrodilhar, enrolar, ei 

volver. 
Hakm&han, v. abarracar, acampa 

alojar-se. 
HakmÀhan, e. acampamento, arraia 

tenda. ' 

Hakmàhan-fatin, «. . abarracameot 

cabana. 
Hakm&tek, v. paraljsar. 
Hakmàtek» a. desenfadado, firme, s{ 

cegado. 
Hakm&tik, v. entorpecer, firmar-â 

sossegar. 
Hakmàtik, s. firmeza. 
Hakmumo, v. bochechar, encher ab« 

de ar ou agua. 
Haknahan, v. apprehender, confisca 

saquear. 
Haknan, v. rumiar, ruminar. 
Haknàuko, v, contratar, fazer coctr 

to, mercadejar. 
Hakn&nko, s. contrato. 
Haknó, «. amanho do peixe para se o 

zinhar. 
Haknia, t7. dobrar o joelho. 
Haknian, v. ajoelhar, pôr-se de joel^ 
Halcntikun, v. encher as mãos jund 
Hakói, v. esconder. 
Hakói-an, v. esconder-se, ííirtari 

occultar-se. 
Hakói-fatin, «. esconderijo. 
Hakóin, v. segredar. 
Hakóin, 8. segredo. 
Hakôno» v, encher* 



HAR 



115 



akôro, jprep. contra, 
akrak, v. clamar, 
akrâiky v. confranger. 
akr&iui» «. esboroar, pulverizar, que- 
brar (loQça), quebrantar, 
akrékas, v. enuMgrecer, mirrar, per* 
der carnes, 
akriak, a; bravo, 
akribi, s. aborrecimento, 
akridak, v. admirar-se, assombrar, 
assustar-se, atemorizar-se, espantar- 
se, pasmar, suffocar se, surprehender, 
tremer. 

akridak/«. espanto, susto, 
akridak, a. atónito, 
akrik, v. endireitar, pôr na perpen- 
dicular. 

akró, V, atropelar, conculcar, espesi- 
nhar, metter debaixo dos pés, pisar, 
submetter. 

iakroka, s. apalpões, beliscos, toques 
libidinosos. 
akrtL, V» ruiar. 

akmókOi v. abaizar-se, acurvar«se, 
baizar-se, curvar-se, dobrar- se, fazer 
continência, indinar-se, incurvar-se, 
recurvar-se. 

akmúko ulo, v. baizar a cabeça, do- 
brar a cerviz. 

akséssuko, v. altercar, argumentar, 
disputar, questionar, 
aksia, v. impacientar-se. 
aksia, «. impaciência, 
aksiak, v. agastar-se, arguir, arre- 
batar- se, arregaçar-se, desatar em 
farias, embravecer- se, encher-se de 
ira, encolerizar-se, enraivecer-se, es- 
bracejar, escamar-^; espinhar-se, es- 
quentar-se, ezasperar^se, impacien-« 
tar-se, increpar, indignar-se, irar-se, 
irritar-se, questionar, ralhar, sair de 
si, teimar, zangar-se. 
áksiak, s, animosidade, ira, rancor, 
teima. 

aksiak, a. desabrido, enfurecido, fu- 
rioso. 

akaimnko, v. aparar nas mãos. 
aksissuko, v, altercar, argumentar, 
disputar, questionar, teimar, 
aksissuko, a. persistente, pertinaz, 
teimoso. 

aksókal, v. trocar legares, 
aksóite, v. enriçar, espetar, pinchar 
gente. 

aksôite, «. alinhavo, ponto, 
aksólok, V, allegar, alliviar, confron- 
tar, consolar, contentar, defrontar, 
desanojar. 



Haksóloky b. ativio, coAsolaçio. 

Haksúbal, v. acantuar-se, encubar, es- 
conder-se. 

Haksúmik, v. acantuar-se, encubar, 
envolver, esconder-se, sumir-se. 

Haksumik-an, v, agachar-se, dissimu- 
lar. 

Haktòmak, v. entremetter-se. 

Haktàmak, a. metidisso. 

Haktéak, v. pular a pés juntos, saltar 
' a pés juntos. 

Haktúir, v. allegar, contar, descrever, 
ennunciar, informar, memorar, nar- 
rar, referir, relatar. 

Haktúir, «. narração. 

Hakt.ak, o. minar, solapar. 

Haknl, v. passar ribeira. 

Hakur, v. passar ribeira. Em uso prin- 
cipalmente nos indígenas das monta- 
nhaâi. 

Hakuúk, V, venerar. 

Haia, V. causar, effectuar, fabricar, &- 
zer, formar, fundar, obrar, operar, 
perpetuar, praticar. Este termo serve 
de radical a muitos verbos, e é em- 
pregado pelos indígenas quasi cons- 
tantemente. 

Halaà, v. acompanhar. 

HalaÀs, V, atear* 

Hala-anlaha, v, afáimar, esfaimat. 

Halaàte, v. maltratar. 

Hala-babilak, v. desfazer^ fazer o con- 
trario. 

Hala-biite, v. necessitar 

Ha.laboa, v, accumular. 

Hála-dadann, v. estar a fazer. 

Hala-dame, v. darem-se as mãos duas 
pessoas. 

Halàek, v. escarnecer. 

Halàek, a. trocista. 

Halafúdik, v, dissimular, enganar, íin- 

Hala-fónan, v. florear. 

HalÀhate, v, acossar, afugentar, arre- 
metter, perseguir. 

Halai, V. acolher-se, afastar-se, correr, 
desertar, escapar, escapar-se, escon- 
der-se, esquivar-se, evadir-se, fur- 
tar-se, fugir, ir- se, retirar-se, safar- 
se, soltar-se. 

Halaiy 8. carreira, fugida. 

Halai-aàte, v. escapulir-se, fugir do 
perigo. 

Halai-amútuko, v. concorrer. 

Halai-b&, v. descorrer, recolher-se, re- 
correr. 

Halai bibiite, v. correr á rédea solta, 
dar aos calcanhares, dar ás gambias, 



HAL 



116 



HAL 



foffic a pés de cayallo, tomar as de 
vifia-diogo. 

Halal-hakstunik, v. escapar-se) es- 
gaeirar«8e, raspar-se. 

Halai-halôU) v. correr i roda. 

Halai-liòsBi, v. evitar. 

Halai-kabas, r. alinhavar. 

Halai-kbiite, t\ dar ao8 calcanhares, 
fugir á pressa. 

HaJal-km&nek, r. alliviar. 

Halai-ktúir» v, acossar. 

Halai-knda, s. cavalgada. 

Halai-néitar, v. lavrar. 

Halai-nauena, «. cavalhada. 

Halai-rai, v. lavrar. 

Halais, V., fagir, partir, recolher-se, 
retirar- se. 

Halai-tóbok, v. trotar. 

Halaken, v. explicar. 

Hala-kfóer, v. contaminar. 

Hala-kloni, v estofar. 

Hala*kn&r, v, fazer serviço, laborar, 
trabalhar. 

Halakon» v* debellar, desgraçar, des- 
perdiçar, destruir, dissipar, espatifar, 
expender, exterminar, extraviar, gas- 
tar, inutilizar, malbaratar, mallograr, 
postergar. 

Halakon, a, desj^raça, estravagancia. 

Hala-konta, v, fazer contas. 

Hala^krekas, v. conseguir. 

Hala-ksólok, v, festejar. 

Hala-kttiir, v. copiar', executar, imitar. 

Hala-lalais, v, abreviar. 

Hala-lan, v» acrescer, acrescentar. 

Haia lemo, a. liquido. 

Hala-lúan, v. estender. 

Hala-maka, v. coxear, ficar coxo, em- 
manquecer. 

Hala-makaàs, v. consolidar. 

Hãla-manka, v. mancar, o coxear das 
bestas. Este termo parece introdu- 
zido do português. 

Hala-m&ruko, r. alongar. 

Hala-méssan, t;. alimiar, endireitar, 
nivelar. 

Hala^métan, v. tisnar. 

Hala«-métin, v, collocar, consolidar, fir- 
mar. 

Hala^midal, v. adoçar. 

Hala-midel, v, adoçar. 

&ala-mihls, v, adelgaçar. 

Hala-more, v. esvaziar. 

Hala-mós, v. assear. 

Hala*nakali, v, ferver. 

Hala-naklôuko, v. entortar. 

Hala-nakr&tm, t^. quebrar-se. 

Hala-nakròznaj i), esclarecer. 



Hala-namata, v. arrefecer, refresca 

Hala-namata, «. fresco. 

Hala-nanéssan, v. ajustar, alinha 
adaptar, assemelhar, nivelar, molda 
perfilar. 

Hal&no, V. embebedar, embriag'ar. 

Halano,' s. bêbedo, embriagado. 

Hala-nõbnn, v. completar. 

Hala-nôtete, v. rasar. 

Hala-6na, a. feitx>. 

Hala-sà, prep. para que. 

Hala-sala, v. peccar. 

Hala-sik, v. azedar. 

Hala-tadan, v. emporcalhar, ennodoar 
manchar. 

Hala-tan, v. acrescer, acrescentar. 

Hala-tòmak, r. lançar mão de todoí 
08 meios. 

Ha-làu, V. acompanhar. Os indigenas. 
quando querem referir-se a acompa- 
nhar o rei, ou qualquer chefe dizem 
ba-laúk. 

Halele, v. accometter, afugentar, enxo- 
tar, espantar. No citado Diccuman**. 
a pag. 119, dá-se também como signi- 
ficado d'este termo «conduzir ani- 
mais fugidos*». 

Haléu, V, acercar, andar ao redor, cir- 
cular, circundar, dar voltas, dobrar., 
enroscar, girar, revirar, tornear, vol- 
tar, voltear. 

Haléu, ». volta de caminho. ' 

Halôu, loc, adv. ao redor, de redor, em| 
torno, em volta. 

Halénko, v. arcar, arquear, curvar, el 
tortar, recui*var. 

Halérlk, v. chorar, gemer, prantear- 

ulular. 
*Halérik, s. gemido^ pranto. 

Halôur, v. adiar, delongar, differir, pr 
longar. 

Haléur, s. demora. 

Hali, V. urdir. 

Halia, V. bramar, clamar, gritar, p^ 
blicar. 

Halibnr, v. ajuntar, juntar. 

Halibur, a. junto. 

Halihnn, v. estagnar. 

Halik, V. enlcar-se, enrolar, eurd 
ver-se. 

Halik, 8, enleio. 

Halimar, v. brincar, distrahir-se, el 
treter-se, folgar, jogar, passear, r| 
crear, recrear-se, regaiar-se. 

Halimar, «. brincadeira, brinco, divc 
timento, entretenimento, pande| 
patuscada, regabofe. 

Halimar, a. divertido, folgado. 



i 



HAL 



117 



HAL 



alo, V, alevantar, amarrar, armar, cau- 
sar, commetter, constituir, construir, 
criar, cumprir, executar, edificar, ef- 
fectuar, erigir, exercer, fabricar, fa- 
zer, formar, fundar, instituir, juntar, 
obrar, operar, perpetuar, praticar, 
preparar, proceder. Este termo é o 
radical de muitos outros, c é empre- 
gado pelos indígenas de diffcrentes 
pontos nas mesmas condições de Haia, 
mas de forma que numas localidades 
ó cmprega.do com a terminação em a 
c noutras em o. 

[alo-aàte, v, adulterar, anojar, con- 
taminar, corromper, damnar, damni- 
iícar, deteriorar, estragar, lesar, mal 
fazer, malignar. 

[alo ad&me, v. fazer pazes. 

[alo-ahi, v. accender, fazer fogo, quei- 
mar. 

lalo-aliti, V, calcinar. 

talo-ametàuko, v. fazer tremer o 
queixo. 

[alo-aruka, v. determinar, estabele* 
cer, ordenar. 

lalo-às, V, altear. 

lalo-étta, V. escravizar. 

lalo-bétdak, v, abreviar, atalhar, di- 
minuir, encolher, encurtar^ fazer cor- 
tes. 

lalo-badélme, v. pacificar. 

lalo-bal&huko, v» azular. 

lalo-bank&ssal, v, enramalhetar, en- 
ramar. 

lalo-b&rak, v. abastecer, bastecer, 
fornecer^ multiplicar. 

lalo-belOf v. acamaradar, fazer ami- 
zade. 

ialo-biite, v. alentar- se, corroborar, 
enrijar, forcejar, fortalecer. 

lalo-bókal, v. engrossar. 

íalo-bókar, v, engordar. 

lalo-bote, v. amplificar, avultar, en- 
corpar, engrandecer, engrossar, es- 
tender. 

lalo-boto, h\ votar. 

ialo-bou, V. accumular. 

lalo-boa, «. accumulaçâo. 

ialo-búaiiy v. enfeitiçar. 

Salo-búbuko, v, arrombar. 

Salo-búis, V, embravecer. 

BLalo-búlak, v, emparvoecer, endoide- 
cer, enlouquecer. 

Salo-kabnal, v. arredondar, bolear, 
fazer redondo. 

Salo-kabtiar, v, arredondar. Termo 
usado principalmente no interior e na 
contra-costa ou costa sul da ilha. 



Halo-kabnbo» v. encaoteirar, fazer 
canteiros. 

Halo-kabuko, v, empenhar. 

Halo-kabuúd, v. abaular. 

Halo-kadei, v, aleijar. 

Halo-kalabó, v.>embaciar. 

Haío-k&nek, v, chagar, ferir, golpear, 
ulcerar. 

Halo-karlnnU v, estofar. 

Halo-klóan, v. afundar, aprofundar, 
profundar. 

Halo-kléoko, v, acurvar, aleijar, en< 
curvar, entortar. 

Halo-klótnko, v. adelgaçar. 

Halo-kobi, v, copiar, imitar, transcre* 
ver. 

Halo-kòko, v, ensaiar, experimentar, 
provar. ^ 

Halo-kolétbnr, v. abolorecer. 

Halo-kole, v. enfadar, enfastiar, fati- 
gar. 

Halo-kota, v. encastellar, fortalecer, 
fortificar. 

Halo-klote, v, afunilar, apertar, esti*ei- 
tar. 

Halo-krétik, v. abaixar, baixar, rebai- 
xar. 

Halo-krekas, v, emmagrecer. 

Halo-krik, v. aleijar. 

Halo-kruúko, v. aleijar. 

Halo-kúak, v. atravessar, furar, perfu- 
rar. 

Halo-kndei, v, aleijar. 

Halo-kuere, v. alisar, brunir, polir, 

Halo-dadann, v. proseguir. 

Halo-diak, v. alindar, alliviar, aper- 
feiçoar, aprimorar, consummar, embel- 
lezar, enfeitar, enriquecer, favorecer, 
formosear, ornar, prosperar, santifi- 
car, utilizar. 

Halo-didiak, v. apurar-se, desvelar- 
se, esmerar-se. 

Halo-didin, v. fazer parede. Os indí- 
genas empregam geralmente este 
termo para desienar a factura de 
grandes pedaços de tabiqne enfiando 
em travessas de bambu aguçadas os 
peciolos de palmeira, que depois de 
bem unidos é com que constituem as 
paredes das casas indígenas. 

Halo-dok, v. arredar. 

Halo-dóktil, V. adormecer. 

Halo-duni, v, realizar. 

Halo-dnra, v. jurar. 

Halo-fali, V, reedificar, refazer, refor- 
mar, reiterar, secundar. 

Halo-ào, V. entrançar. Este termo é 
empregado pelos indígenas para in- 



HAL 



118 



HAL 



dicar o entrançado das tiraa da es- 
teira e dos sacos de folha de pal- 
meira. 

Halo-fólin, v. commerciar, mercadejar, 
negociar, traficar. 

Halo-foti, V. construir. 

Halo-fúnun, t;. batalhar, combater, 
guerrear, militar, pelejar. 

Halo-fúttin, V. amarrar, enfeixar, faser 
feixes. 

Halo-tLahalai, v, alastrar. 

Halo-hàkati, v, agitar^ entortar, in- 
clinar. 

Haio^hakfódak, v. assustar se. 

Halo-hakiak, v. engendrar. 

Halo-hakribi, v. aborrecer, desagra- 
dar, ennojar. 

Halo-hakrídak, v. assustar. 

Halo-haksôite, v. alinhavar, pontear. 

Halo-halai, v. afugentar. 

Halo-]ialimar, v. divertir. 

Halo-hamélakay v. afairoar, causar 
fome, esfaimar. 

Halo-hametÀako, v. acobardar, ater- 
rar, estremecer, intimidar. 

Halo-kanéssan, v. adaptar, ajustar, 
alinhar, aplanar, optar, assemelhar, 
condizer, endireitar, igualar, levan- 
tar, moldar, níve)ar. 

Halo-hanôin, v. lembrar, relembrar, 
rememorar. 

Halo-hétan, v. acontecer. 

Halo-hiros, v, assomar, afflígir, agas- 
tar, amofinar, amargurar, apoquen- 
tar, atormentar, atribular, enfurecer, 
enraivecer, espinhar, importunar, in- 
dispor, irritar. 

Halo-htLSSo, V, consultar. 

Halo-inkilate, v. brunir. 

Halo-istori, v. altercar, brigar, bu- 
lhar, contender, debater, porfiar, 
questionar. 

Halokdók, V. afastar. 

Halo-kfóer, v. borrar, conspurcar, en- 
farruscar, ennodoar, enxovalhar, in- 
quinar, macular, manchar, poluir. 

Halo-kiak, v. empobrecer. 

Halo-kmàmuko, v. esgotar, esvaziar, 
evacuar. 

Halo-kman, v. aligeirar, alliviar, des- 
carregar, exonerar. 

Halo-kmaos, v. enriquecer. 

Halo-kmódok, v, amarellecer, enloure- 
cer. 

Halo-knoan, v, fazer frisos, frisar. 

Halo-knutLko, v, aninhar, fazer ninho. 
Os indígenas empregam este termo 
em sentido figurado para o barlaque. 



espécie de casamento conforme oi 
seus usos e costumes. 

Halo-kttLir, v. convencer, cumprir, 
desempenhar, imitar, obedecer, ob- 
servar, preencher, professar, secuii- 
dar. 

Halo-lékkon, v. baldar, desperdiçar, es- 
perdi çar, exterminar, gastar. 

Halo-lalais, v. abreviar, correr, dar-se 
pressa. 

Halo-lalóran, r. ondear. 

HaXo-lÀanko, v. embebedar, emborra- 
char, embriagar, inebriar. 

Halo-len, v. taipar. 

Halolo, V, endireitar, estender, esticar. 
estirar. 

Halolo, a. direito, esticado. 

Halólon, V. altercar, argonoentar, bri- 
gar, bulhar, contender, contestar, 
controverter, debater, declamar, dis- 
cutir, disputar, embirrar, encansioar- 
se, litigar, porfiar, provocar, questio- 
nar, teimar. 

Halo-lós, V. acertar, endireitar. 

Halo-lotóko, V. adelgaçar. 

Halo-lúan, v, alargar, ampliar, desen- 
volver. 

Halo-ltilik, V. sagrar. 

Halo-lúron, v. arruar. 

Halo-lnto, v. en taipar, fazer sebe, pa- 
gar ou taipa. 

Halo-malirin, v. arrefecer, es&iar, re- 
frescar. 

Halo-m&mal, v, abrandar, afeminar, 
afoufar, afrouxar, amaciar, amollecen 
embrandecer, ennervar, enfraquecer, 
mollificar. 

Halo-manas, v. aquecer, aquentar, en- 
calmar, esquentar. 

Halo-manka, v, emmanquecer. V. Ea- 
la-manka. 

Halo-mane, v. humanar, humanizar. 

Halo-má.raii, v. enxugar, secar. 

Halo-mate, v. apagar. 

Halo-méak, v. enferrujar-se. 

Halo-méan, v. avermelhar, encarnar, 
enrubescer, envermelhar, inflammar- 
se. 

Halo-mérak, v. turvar. 

Halo-métan, v. denegrir, enfarruscar. 
enfuscar, ennegrecer. 

Halo-métln, v. adstringir. 

Halo-midal, v. adoçar, dulcificar, fa* 
zer doce. 

Halo-midel, v. adoçar, etc. 

Halo-mihis, v. adelgaçar. 

Halo-môno, v. sossobrar. 

Halo-móo, v. alegrar. 



j 



HAL 



119 



HAL 



ilo-moris, V. gerar, 
ilo-mós, V. assoar. 
ilo-môS8d, t;. sascitar. 
ilo-moúte, V. sossobrar. 
ilo-múnuko, v, arrombar. , 

ilo-miitin, V. branquear, embranque- 
cer, encanecer. \ 
úo-mtLtuko, V. unir. 
ilo-nabón, v, derreter- se. 
ilo-nabite, v, brunir, 
ilo-nakdulas, v. fazer girar. 
ilo-nakduTil, v, fazer pregas, fran* 
zir. 

ilo-nakali, v. aferventar, 
ilo-nakfónan, v. abolorecer. 
ilo-nakôno, v, abastecer, bastar, en- 
cher, infestar, preencher. 
Edo-nakránn, v fazer em pedaços, 
quebrar. 

alo-nakúkim, v. ennegrecer, entene- 
brecer, escurecer, obscurecer, offus- 
car. 

alo-naktimto, v. encarquilhar, enge- 
lhar, enrugar. 

alo-naliíssi, v, espessar, tornar es- 
pesso. 

aJo-namâmute, v. amornar, aque- 
cer, atibiar. 

alo-namata, v. esfriar, 
alo-namekari, v. espalhar, 
alo-nanéssan, v. adaptar, 
alo-najiléiek, v. emmurchecer, mur- 
char, perder o viço. 
alo-naròma, v, aclarar, declarar, es- 
clamar. 

alo-namko, v, alongar, ampliar, di- 
latar, prolongar. 

alo-nàton, v. amoldar, apropriar, 
alo-nôbuxi, v. extinguir, perfazer, pôr 
fim, pôr termo, terminar, 
alo-nnlo, v, abrogar. 
alo-núnuko, v. emmudecer. 
alo-nuúdar, v. reformar, 
alo-ossan, v. amoedar, 
alo-r&hon, v. anniquilar, derrubar, 
destruir^ pulverizar, tornar em pó. 
a-lós, V, taxar. 
alo-sá, conj. porque, 
alo-sadia, .v. amiserar, apíedar-se, 
ter compaixão. 

alo-sala, v. fazer peccados, peccar. 
Os indígenas empregam também este 
termo para designar o ser porco, su- 
jo, falto de aceio. 
alo-salak, v, abarracar. 
alo-sarétni, v, christianizar, fazer-se 
christão. 
alo-sarOy v, franjar. 



Halo-aassi, v, entrançar. 

Halo-saaate, v. brindar, offertar, pre- 
sentear. 

Halo-sere, t;. ondear. 

Halo-siak, v. embravecer. 

Halo-siin, v. azedar. 

Halo-SQSsl, V. associar, fazer socie- 
dade. 

Halo-tétma, v. entrar, introduzir, pe>. 
netrar. 

Halo-tan, v. acrescentar, continuar, 
prolongar. 

Halo-tàssak, v, amadurar, amadure- 
cer, madurar, sazonar. 

Halo-t&uko, V. acobardar. 

Halote, V. acertar, accommodar, acon- 
dicionar, agachar, apparelhar, arran- 
jar, arrumar, avir, classificar, coUo- 
car, compor, concertar, coordenar, 
dispor, embrulhar, emmassar, empa- 
cotar, entrouxar, preparar, providen- 
ciar. 

Halo-tebes, v. realizar. 

Halo te-f ali, v. recompor. 

Halo-tinan, s, annuario. 

Halo-tito, V, anteparar, fazer ante- 
para. 

Halo-tóhar, v. fracassar, quebrar. 

Halo-tolii, V. quebrar pouco ou em 
parte, raxar. 

Halo-tós, V, deter, difficultar, emperti- 
gar, encruar, endurecer, entesar, 
exasperar. 

Halo-tússan, v. empenhar-se, endivi- 
dar- se. 

Halótnko, v, partir em pedaços. 

Halo-tún, V, apear, baixar. 

Halo-u&in, v. multiplicar. 

Halo-úkar, v. fazer cortesias. 

Halo-úluko» V. antecipar, estrear, in- 
ventar. 

Halo-ama, v. domiciliar- se, estabele- 
cer-se. 

Halúan, v. alargar. 

HaJuba, v. desaprender, descuidar, 
descuidar-se, desmemoriar, escapar, 
esquecer, esquecer-se, olvidar, pas- 
sar por alto. 

Haluba, s. esquecimento. 

Halaba, a esquecido. 

Haluha-bôto, s, memoria de gallo. 

Halúban, s. esquecimento. 

Haluho, V. esquecer-se. 

Haluho, a. esquecido. 

Halnli, V. enthesourar. 

Halúliky V, sagrar, consagrar. 

Halulik, a. sagrado. 

Haluro, v. coordenar^ 



HAM 



120 



HAM 



Halnro-lia, v. fazer vocabulário. 

Haxnaha, v. cobrir, encobrir. 

Hamaha, «. telhado, telheiro. 

Ham&mal, i;. afrouxar, alargar, ama- 
ciar, arrefecer, atibiar, desabrochar, 
desapertar, desatar, desenterrar, cm- 
brandecer, cntibiar, extenuar, fraque- 
jar, macerar, mollificar, relaxar, soltar. 

Ham&mal, a. brando, fraco, frouxo, 
largo. 

Haman, v. pagar. 

Haman-issin, s, gratificação. 

Ha-mÀnas, v. aquecer, encalmar, es- 
quentar. 

Hamaos, v. abrandar, acalentar, acal- 
mar, acariciar, acarinhar, adoçar, 
afagar, amainar, amançar, ameigar, 
amimar, anafar, aninar, aplacar, 
aquietar, cariciar, conter, desbravar, 
domar, domesticar, mitigar, moderar, 
quebrantar, suavizar. 

Hamaos, s. amabilidade, carinho, con- 
descendência. 

Hamaos-l&ran, v. quebrar a ira, sub- 
jugar. 

Ha-m&ran, v. dissecar, ensecar, enxu- 
gar, mirrar, secar. 

Hamata, v. fitar, fixar, mirar, olhar, 
ver com attençào. 

Hamata-bé, v. limpar, purificar. Este 
termo tem entre os indígenas outra 
significação quasi geral, e quer di- 
zer, o fazer uma cova na areia a dis- 
tancia da agua, a fim de consegui- 
rem filtrá-la para a livrar das impu- 
rezas que ordinariamente tem. 

Hamàtak, s, calote. 

Hamãitan, v. enxergar. 

Hamata-nó, r. limpar. V. Hamatabé. 

Hamate, v. apagar, extinguir, matar, 
saciar. 

Hamate-ôna, a, extincto. 

Hamàtuko, s. ajuntamento! 

H&me, V. alimentar-se, comer, nu- 
trir- se, sustentar-se. Neste termo que 
ó aspirado em muitos pontos do pais, 
o e mal 80 pronuncia, ferindo o ou- 
vido o som do m. 

Hame, 8. banquete, jantar, refeição. 
Este termo é geralmente empregado 
pelos indígenas para indicar as co- 
mesainas que elles costumam fazer 
para solemnizar os casamentos e os 
enterros dos seus maiores, e que sem- 
pre teem logar de tarde, e d*ahi o da- 
rem o mesmo nome ao jantar dos eu- 
ropeus que também é passado o meio 
dia, a difi^erentes horas. 



Hamó, V. balar, berrar. 
Ha-meéik, v. enferrujar-se. 
Haméak, v, acariciar, amimar, aninai 

cariciar. 
Haméan, v. encarnar, envermelhecei 

pintar de encarnado. 
Hamekan, r. invejar. 
Hamekan, «. ciúme, inveja. 
Hamekan, a. ciumento, invejoso. 
Hamekari, v, debandar, dispersar, dis 

seminar, dissolver. 
Hamela, «. fome. 
Hamélalia, v. ter fome. 
Hamólaha, «. fome. 
Hamólaha-ladiak, s. fome canina. 
Hamólaha-ladlak, a. esfaimado, esk 

meado, faminto. 
Hamélalia-mate, v, perecer á fome. 
Hamenassa, «. algazarra, gritaria, to 

zearia. 
Hameno, t*. deputar, designar, deter 

minar, prescrever. 
Hameo, v. miar. 
Hamérik, v. desencostar, desencostar 

se, endireitar-se, erguer-se, levas 

tar-se, pôr-se em pé. 
Hamérik, a. aprumado, levantado. 
Hamórlk-lós, v. aprumar-se, emperti 

gar-se. 
Hamórok, #. sede. 
Hamessalia, v. cansar-se. 
Hamessalia, a. epart. cansado. 
Hamessulio, v. afadigar, afadigai-se 

fatigar- se. 
Hamétan, v. enfarruscar, enfascai 

pintar de preto. 
Hamet&nko, v. acanhar-se, acat&i 

acobardar-se, adorar, assustar, ate 

morizar-se, estremecer, honrar, intí* 

midar-se, recear, submetter-se, eu 

jeitar-^e, venerar. 
Hametànko, «. adoração, ascombro 

medo, receio, submissão, sujeição 

susto, terror. 
Hamet&oko, a, covarde, esquivo, ba 

mil de. 
Hametànko-ladiak, v, ficar sem pings 

de sangue, tremer como varas ver 

des. 
Hamissal, v. lutar. 
Hamissal, «. luta. 
Hamis, V. tirar os estilos do pomat 

Este termo é empregado pelos indii 

genas para indicar que qualquer ioj 

dividuo, aue deposita objecto no lo^ 

gar que elles denominam lulik e q\ 

europeus ponud, vae retirar de ii 

esses objectos. 



HAN 



121 



HAN 



lamólik, V. limpar o caminho. 

iamólik» 8, limpeza. Este termo é em- 
pregado peloB iDdigenas para desi- 
gnar 08 cortes de matto que fazem 
para abrir passagem para o regulo, 
ou qualquer autoridade, quando naja 
diiiiculdadc em passar a cavallo ou 
de maxilla. 

lamôno, v. acamar, derribar, fazer 
cair, lançar a terra, tombar. 

lamóroko, v, asselvajar-se, fazer-se 
selvagem. 

lamós, V, a formoso ar, alimpar, apurar, 
depurar, espedregar, expiar, lascar, 
limpar, purgar, purificar^ sacudir, 
varrer. 

lamós, a. limpo. 

lamós-kànek, v. expurgar. 

lamós-talio» v. desenlamear-se. 

lamula, v. saudar. 

lamula, «. cumprimento. 

lamúlak, v. missionai*. 

lamúlak, 8. exortação, pregaç&o. - 

lamútik, V. esvair-se. 

lamutik, a. vasio. 

iamútuko, v. ligar, pegar. Este ter- 
mo é empregado pelos indígenas 
para indicar que qualquer objecto 
quebrado se pega com colla, gomma 
ou grude. 

Iamútuko, a. conteúdo, incluso, inhe- 
rente, junto. 

lan, V. comer, pascer. 

lan, a. sóbrio. Nao tendo ouvido nunca 
no trato com os indigenas termo al- 
gum bom esta significação, e vendo-o 
mencionado a pag. 394 do Dicciona- 
rio citado, resolvemos mencioná-lo, 
embora pareça contradizer a signifi- 
cação anterior. 

lana, v. atirar com seta. 

lana-kétnek, v. assetear, dardejar, 
frechar. 

lanakôno, v. atulhar, encher, impre- 
gnar. 

lanalin, v. capar, castrar, podar. 

lan-amútuko, v, comer em rancho da 
mesma gamela. 

lanànun, v. cantar, cantarolar, ler 
em voz alta. 

lanànun, 8. cântico, cantiga. 

lanânun-didiak, 8. boa voz. 

lan-bosso, v, encher a barriga. 

lan-dadel, v. almoçar. 

lan-dadel, 8. almoço. 

landi, V. desencostar, desencostar-se, 
endireitár-se, erguer-se, levantar-se, 
pôr-se em pé. 



Han-dldiak, v. ter boa boca. 

Han-daiito, v. pastar. 

Hanéban, v. agarrar, calcar, carregar, 
entalar, opprimir. 

Hanóhan^didiak, v. recalcar, repii- 
mir. 

Banélian-niótin, v. recalcar. 

HâJiek, 8. prato. Os indigenas indicam 
com este termo uns pratos de ma- 
deira que elles usam c que tendem a 
desapparecer. 

Hanelo, v. collocar duas pessoas pés 
com cabeças. 

Hanóssan, v. dar visos, igualar, ser 
igual, ser parecido. 

Hanôssan, 8, igualha, imitação, seme- 
lhança,. 

Hanéssan, a. direito, igual, equiva- 
lente, idêntico, parente, quejando, 
semelhante, uniforme, unisono. 

Hanéssan, âdv. conforme, idem, outro 
tanto, tal, tal qual, t^to monta. 

Hanéssan, pr, mesmo. 

Hanéssan-hó, adv. o mesmo. 

Hanéssan -nafatin, adv. sempre o mes- 
mo. 

Hani, V. grudar. 

Hani-an, v. grudar-se. 

Hanino, v. observar, ver bem. 

Hanino, «. observação, observância. 

Hanimko, v, aquecer ao lume. 

Hanitik, v. embaraçar, impedir, inter- 
dizer. 

Hankakôa, v. tragar. 

Hankakòa, adj. sôfrego. 

Hankari, v. dispersar, disseminar, es- 
palhar. 

Hankera, v. arrotar. 

Hankera, 8. arroto, flato. 

Hanklar, v. saber noticias. 

Hankòko, v. debicar, petiscar. 

Han-kntidak, v, devorar, engulir sem 
mastigar. 

Hanlaha, v, ter fome. 

Hanlaha, 8. fome. 

Hanlaha, a. esfomeado. 

Han-lalais, v. comer depressa, devo- 
rar. 

Han-môno, v. andar pensativo, pensar. 

Han-môno, a. pensativo. 

Hanôbnn, v completar, perfazer. 

Hanohik, v. cobrir-se, cmbrulhar-sc, 
encobrir- se. 

Hanôin, v. achar, acordar, adherir, ad- 
vertir, ajuizar, alludir, apreciar, arbi- 
trar, attender, attentar, avaliar, cal- 
cular, cogitar, commemorar, compa- 
decer, conceituar, conjecturar, con- 



HAN 



122 



HAS 



siderar, contar, crer, cuidar, corar, 
descorrer, entender, estimar, estudar, 
escogitar, fantasiar, forjar, idear, ima- 
ginar, julgar, lembrar, meditar, notan 
Decorrer, opinar, parecer, pensar, per- 
suadir, ponderar, raciocinar, reflectir, 
saber, suppor, suspeitar, tencionar, 
tentear, ver. 
Hauôin, «. calculo, consideração, dis- 
crição, fantasia, ideia, imaginação, 
juizo, lembrança, memoria, menç&o, 
nota, observação, opinião, parecer, 
pensamento, propósito, reflexão, sup- 
posição, suspeita, tenção. 
Hanôin-an, v. acordar-se, afigurar-se, 
apiedar-se, conceituar- se, lembrar-se, 
persuadi r-se. 
Hanòin-fali, vj amentar, emendar-se, 
recordar, recordar-se. 

Haxiôin^haxiósaan, v. assentar, con- 
cordar. 

Hanôin-hikas, v. arrepender- se, emen- 
dar- se. 

Hanôln-lós, v. acertar, atinar, ter in- 
tenções rectas. 

Hanôin-lÓ8, «. sabedoria. 

Hanôin-tLluko, v, presentir. 

Hanôln-úlnko, «. presentimento. 

Hanôrin, v, aclarar, admoestar, adver- 
tir, amainar, amestrar, avisar, civili- 
zar, corrigir, disciplinar, doutrinar, 

, educar, emendar, encommendar, ensi- 
nar, esclarecer, ezhortar, formar, il- 
lustrar, instruir, recommendar. 

Hanôrin, s. emenda, ezbortação, recom- 
mendação. 

Hanôrin-an, v. arrepender-se, emen- 
dar-te. 

Hanôrin-dá.lan, v. ensinar o caminho, 
mostrar o caminho. 

Hanréate, a. medonho. 

Han-réS8in, s. intemperança. 

Hanri, v. endireitar-se, erguer-se, le- 
vantar-dc. 

Hansala, v. dar no goto. 

Hansala, s. goto. 

Hananho, v. afadigar-se, cansar-se, es- 
falfar- se, estafar-se. 

Hansnlio, a. e part. cansado. 

Hansero, v, arrotar. 

Hansero, ^. arroto, flato. 

Hantéten, v. falar. Este termo é usado 
principalmente nos reinos da contra- 
costa. 

Hantóten-Uite, v. estreitar relações. 

Han-úain, v. ter bom dente. 

Han-nite, v, debicar. Este termo é em- 
pregado pelos indigenas em sentido 



figurado, para indicar que 
pretende comprometter outrem. 

Hannto, v. troncar.. 

Haôaka, v. avistar, avistar-se, desço 
brir, divisar, dirigir, entrever, ec 
zergar, espreitar, levantar a vista. 

HaoéB, V. enganar. 

Ha^rai, v. pedir. Este termo só os iii 
digenas empregam nos pedidos fei 
tos ao rei. 

Haràik, v. arrear, digiinuir, minguar, 
minorar. 

Ha-ràun, Vr esboroar, pisar, pulverizar,| 
quebrar. 

Haré, v. dirigir, especular, explor&r, 
inspeccionar, pastorear, presidir, re- 
correr. 

Hare, s. anroz com casca, nelle. 

Haró-didiak, v. cuidar, observar, vi- 
giar, verificar. 

Harekàin, s. cana do arroz, palha de 
arroz. 

Harek&kim, a. roxo (cor). 

Harekòko, t^. exercitar, fazer exercí- 
cio, manobrar. 

Haré-lós, v, diacemir. 

Hare natar» ». arroz de várzea. 

Hare-toós, «. arrozaL 

Harl. V. empinar, endireitar, erpftar, 
hastear, levantar. 

Hari-rin, t\ especar, estear. 

Haris, V. banhar, banhar-se. 

Haris, ê. banho. 

Hari-taha» v. desenlamear, deseDlo- 
dar. 

Haritan, v. collar, gommar, grudar. 

Haritan, s, colla, gtjmma, grude. 

Hariten, v. collar, gommar, grudar. 

Hariten, s. colla, gomma, grude. 

Haró, V. abeberar, embeber, embebe- 
rar, ensopar. 

Harôhan, v. implorar, invocar, pedii 
perdão. 

Haro-knda, v, dar agua aos cavallos. 

Haròns, v. lavar a cara, lavar- se. 

Bami, V. metter-se debaixo, rebai- 
xar-se. 

Hamka, v. deputar, despedir, destacar. 
destinar, dirigir, encarregar, enviar. 
estatuir, incumbir, legislar, obrigai 
ordenar. 

Haràin, v. humilhar. 

Harúin-an, v. baixar-se, humilhar-se, 
rebaixar-sc. 

Hás, 8. manga (^to). 

Ha-sà, V. brincar. 

Hàssa, s. queixo. 

Ha^sàe, V. abster, abstrahir, amover, 



HAT 



123 



HAT 



annallar, apagar, apartar, apontar, 
arredar, arrogar, arvorar, assentar, 
assumir, attenuar, banir, bifar, cer- 
car, confiscar, deduzir, defraudar, 4e- 
por, depredar, derrogar, desarraigar, 
descontar, desencantar, desfalcar, 
desligar, despedir, despojar, desviar, 
diminuir, dirimir, elevar, eliminar, 
encurtar, esbulhar, esgueirar, espo- 
liar, exceptuar, excluir, eximir, expe- 
dir, expelUr, extrabir, evacuar, içar, 
montar, prescrever, preservar, pros- 
crever, privar, rapinar, rechaçar, re- 
gressar, remediar, sacar, salvar, sa- 
quear, subir, sublimar, sublimar-se, 
subtrahir, supprimir, suspender, ti- 
rar, usurpar. 

a-sátla, V. condemnar, sentenciar, 
a-sàlak, v. condemnar. Este termo 
tem uso principalmente entre os in- 
digenas das montanhas do interior, 
assala, s. feria, sueto. 
assàn, v. acarretar aos hombros. 
àssan, s. barba, queixada', queixo. 
à43san-xiia, v. queixai. 
a-sarÀni, v. baptisar. 
a-sô, interj. quem vem lá. 
a-sei, V. entrar abaixando-se, passar 
baixando-se. O principal emprego 
doeste termo é designar a forma por- 
que os indígenas passam quasi aga- 
chados, por deante do rei ou de qual- 
quer autoridade, 
a-sél, 17. determinar, 
a-sôli', V, escarnecer, murmurar, 
a-sôii, «. murmuração, 
a-séran, v, canalizar, 
as-faan, s. manga (fruta)- 
as-han, e. mangueira (arvore), 
as-laran, s. mangueiral, campo de 
mangueiras. 

!a-8Ôi, V, relatar. Os indígenas tam- 
bém empregam este termo para si- 
gnificar corrigir alguém que fala 
.com erros. 
assÔTO, V. contra. 

ass'â., v. abaixar para passar em lo- 
gar baixo, metter-se debaixo, 
iassússnko, v. fitar, ver sem pesta- 
nejar, jogar o sisudo, 
atais, V. paramentar, revestir, trajar, 
vestir. 

iataiSy 8, roupa, vestimenta, vestuário, 
latais-a&te, a. esfrangalhado, mal 
vestido. 

iatais-cllak, v. ataviar-se, enfeitar-se. 
iatais-didiak, v, estar um brinco, ir 
de ponto em brancp. 



Hatais-kmtiis, «. rcupa apertada. 

Hatâma, v. conchavar, engastar, en- 
golfar-se, entrar, incluir, infundir, 
introduzir, mergulhar, metter, pene- 
trar 

Hatàman, v. enterrar. Também se em- 
prega para significar fazer exéquias 
aos régulos e ás pessoas de elevada 
posição social 

Hatâjna serabinan, v. prestar vassal- 
lagem. 

Hatan, v. afogar. Carregar em qual- 
quer cousa para a fazer submergir. 

Hat ao, V. embaraçar. 

Hate» a. quatro. 

Hatean, v, submergir. 

Hate-balnn, s. quadrado. 

Hate-fú.dik, v. esconder. 

Hatéki, V. encarar, fitar, olhar com at- 
tenção. 

Ha-teme, v. cagar. Neste termo o e 
mal se pronuncia emquanto que o m 
soa distinctamente. 

Haten, v. abarcar, abranger, alcançar, 
apprehender, aprender, attingir, cer- 
tificar, comprehender, conhecer, en- 
tender, honrar, penetrar, perceber, 
reconhecer, saber, sentir-se. 

Haten, s. entendimento, sabedoria. 

Haten, a. entendido, reconhecido, sá- 
bio. 

Haten-an, v. conhecer-se, reconhe- 
cer-se. 

Haten-didiak, v. saber bem, na ponta 
da lingua. 

Katene, v. aprender, comprehender, 
entender, perceber, saber. 

Haten-lós, v. acreditar, estar certo. 
Tambent quer dizer indagar, mas é 
empregado poucas vezes. 

Haten-ôna, v. certifícar-se, ficar scien- 
te. 

Hate-nulo, a. quarenta. 

Hatóten, v. articular, conversar, deci- 
dir, dizer, enunciar, excitar, expres- 
sar, exprimir, falar, pairar, pronun- 
ciar, razoar, vociferar. 

Hatóten, s, coUoquio, discurso, oração, 
seimão. 

Hatéten-aàte, v. maldizer, murmurar. 

Hatéten-abôtuko, v. barulhar, sussur- 
rar. 

Hatéten-amútuko, v, combinar. 

Hatéten-b&rak, v, bacharelar. 

Hatéten-biite, v, falar alto, gritar, 
levantar a voz, tagarellar. 

Hatéten-dôr, a. falador, garulo, lo- 
quaz. 



HAT 



124 



HEt 



Hatéten-halimar, v. dizer graçaa, 
gracejar. 

Hatéten-halimar, a. engraçado. 

Hatóten-kókok, v. |i:aguejar. 

Hatéten-lahôis, v, falar depressa, es- 
pevitar-se, pairar, tagarellar. 

Hatóten-laliòis, a. espevitado, loquaz, 
palrador. 

Hatóten-lais, v. espevitar, falar apres- 
sado. 

Hatéten-lai8, a. espevitado. 

Hatóten-lalais, a. falador. 

Hatóten leéte, v, falar desatinado, 
gastar palavras, ladrar á lua. 

Hatóten lós, v. falar claro. 

Hatóten-móSy v espevitar^-se, ser ex- 
plicito* 

Hatèten-xnós, a. espevitado, explicito. 

ÈCatóten-znúmuko, v. cochichar, falar 
entre dentes, sussurrar. 

Hatôten-nôinôik, v, gaguejar. 

Hatéten-ten, a. linguareiro. 

Hatéten-tiÀin, «. falador, língua com- 
prida. 

^atótnko, v. explanar, fazer plano, 
gradar, nivelar. 

Hati, V. entortar. 

Hati, ê, torto. 

Hatiía, V. pular, saltar. 

Hati-lia, V. gritar h intervallos. 

Hatôhar, v. britar, partir, quebrar. 

Ha-tólun, i>* desovar. 

Ha-tôman, r. acostumar. 

Hatómko, v. cobrir. Este termo só é 
empregado pelos indígenas quando 
cobrem a cabeça embrulhando-a para 
a preservar da chuva ou do sol. 

Hatôs, V. atesar, entesar. 

Hatós-knda, v, parar. Este termo é 
apenas empregado para indicar que 
se faz parar repentinamente o cavallo 
entesando-lhe as rédeas. 

Hatôu, V. Cair, despenhar. 

Hatiibuko, V. bordar. 

Hatada, v. batalhar, combater, escara- 
muçar, guerrear, pelejar. 

Hatado, v, amostrar, apontar, apresen- 
tar, demonstrar, derrotar, designar, 
dirigir, eleger, escolher, exibir, ex- 
por, inculcar, indicar, indigitar, in- 
teressar, manifestar, mostrar. 

Hatudo, s. observação. 

Hatudo-lôko, v. ostentar. 

Hatnka, v. difficultar, embaraçar, im- 
pedir. 

Hatuka, e, difficuldade. 

Hattin, V. desmontar. 

Hatur, V, baixar. 



Hatnró, v. varar. 

Hattumko, v. chorar, prantear. 

Hatússaa, v. dever, cmpenfaar-se, en 

dividar-se. 
HatntL, r. esconder. 
Hatnti, ê. esconderijo. 
Haú, proH, pe». eu, ^ne, mim. 
Ha-nai, v. assoalhar, desabafar, esil» 

recer. 
Hail-an» pran, peê. eu mesmo. 
Haú-ba, adv, adeus. 
Haú-duni» pron. pes. eu mesmo. 
Haizó, V. delir, derreter, diluir, dls 

solver, fundir, liquidar, liquefazer. 
Hauón, y, burlar, mentir. 
Haú liainalaha, v. ter fome. 
Haú hamérôk, r. ter sede. 
HaiUc, pron. en. Este termo é usad 

unicamente em alguns pontos da ilha 

principalmente nas montanhas. 
Hatik, adv. adeus. 
Hati km aos y v. ser rico. 
HatUnkOy v. inventar. 
Hatm, 8. quinhSo. 
Hatm, pr, pes. meu, minha. 
Haú-nia, pr. pe». meu, minha. Esta ex 

pressão é usada por alguns morado 

rea de DiUy para significar a «minhi 

casHa, o que nos parece nSo tem ri 

zân de ser. 
Hainiiko, «. vestido, vestimenta- 
Hati raasik, pr, pes. eu em pessoa 
Haú-sàla, V. enganar-se, errar, 

dir-sc. 

HatL tnr, t7. estar sentado. 
Haú uma, «. minha casa. Esta expre 

é usada quasi geralmente excepto e 

Dilly e circnmvizinhanças que nsa 

vam dizer haú-nia, e que me const 

tende a desapparecer. 
Hé, adv, sim. 
Hean, v. remar. 
Heda, s. folha de palmeira para fazc 

cigarreiras, etc. 
Hédi, V. aguilhoar, espetar, espicaçar 

picar. 
Hédi kuda, v. espetar em terra. 
Hódi-dimen, v. azagaiar. 
Heé, 8. é que. 
Heó-bé, adv. depois. 
Heé-tebes, cuiv. certamente, certo 

indubitável. 
Hôik, v. collocar. Este termo indic 

que se põe um objecto qualquer po 

baixo de outro para elevar este. 

igualmente que se põem as cousiu 

por ordem. 
Hôik, 8. ordem. Ko citado LHcdonari^ 



HEN 



125 



HIA 



a pag. 31, diz se que também signi- 
fica «iamphithcatro»,ma8 nâo encontrei 

semelhante emprego no mea longo 
trato com os indígenas de differentes 

pontos; mesmo parece-me que ne- 
nhum d^elles comprehende sequer o 
que seja amphitheatro. 

êin, 17. pastorear. 

éin, V. acautelar, espreitar, guardar, 
vigiar. 

éin, ê. alfofo, canteiro, degrau, geira, 
leira, socalco, taboleiro. 

ela, V. abandonar, atabafar, cohibir, 
conservar, deixar, depor, desampa- 
rar, desfazer, disfarçar, ficar, omitttr, 
passar por alto, preterir, pôr ponto, 
prohibir. Ebte termo tapnbem serve 
de radical a alguns verbos. 

!ela-krekas, v. emmagrecer, mir- 
rar-se. 

!ela-ikOB, v. atrasar-sc. 

iela-kmódok, v. amarellecer. Os in- 
dígenas empregam este termo tam- 
bém para significar «envelhecer». 

[éla-manka, v, emmanqueccr. 

[ela-màtak, v, verdejar. 

[ela-moras, r. enfermar. 

tela-nnko, v, emmudecer. 

íelaró» s. el-rei. £6te termo parece 
o português estropeado pelos indíge- 
nas, pois nunca o empregam a res- 
peito do seu regulo, mas tâo somente 
talando do Rei de Portugal. 

[ela-tá.sBak, v. sazonar. 

[éli, V. contradizer, denegar, desco- 
nhecer, descrer, desdizer, encobrir, 
impugnar, Indeferir, negar, occultar, 
sonegar. 

fóli, 8. negação. 

léllk, V. espreitar. 

lomo, V. beber. 

[õmo-hamula, v. fazer saúdes. 

[emo-lano, a. bêbedo, beberrão. 

[emo-l&nnko, v. embríagar-se, ínc- 
briar-se. 

[emo-létnnkOy a. bêbedo, beberrão. 

lemo-motl, a, sofreguidão. 

lemo-moti, a, sôfrego. 

lemo-naton, s. temperança. 

lemo-naton, a. sóbrio. V. Han. 

[emo-ressin, s. intemperança. 

lemo-ten, a. bebedor 

lemo-tua, a. bêbedo, beberrão, borra- 
cho. 

lemo ué, v. beber agua, matar a sede. 

lemo tiite, v, beber um gole de um 
copo, dar um beijo no copo. 

iena, s, pano, tecido, teia, tela. O 



principal significado doeste termo è 
sarão, vestuário das mulheres indí- 
genas. ' 

Hena-aétte, s. andrajo, bandalho, far- 
rapo, trapo. 

Hena-mútin, «. sarja. 

Hena úlan, s. peça de pano. 

Hôno, 8, cadeia, corrente, grilhão. 

Hóren, ». cachaço. Referindo-sc a ani- 
macs quadrúpedes. 

Heri, V. pentear. 

Heri, 8. penteado. 

Herin, v. limpar, sacudir. 

Hôssi, V, enxotar. 

Hessnko, v. dizer, explicar, expressar, 
exprimir. 

Hessnko-bà, loc. adv. dize lá. 

Hedsoro, v. falar. 

Hétan, v. abarcar, abocar, abranger, 
acercar, acertar, achar, acolher, acon- 
tecer, adquirir, agarrar, agenciar, al- 
cançar, angariar, apanhar, aprovei- 
tar, atinar, attingir, captar, conse- 
guir, eontrahir, deparar, descobrir, 
desencontrar, encontrar, ganhar, 
grangear, gozar, herdar, impetrar, 
lograr, obter, occupar, recuperar, sur- 
tir. 

Hótan-fali, v. recobrar. 

Hótan-km&os, v, afazendar-se, enri- 
quecer-se. 

Hótan-moras, v. adoecer, apanhar fe- 
bres. 

Hótan n&ran, v, ganhar fama. 

Hete, V. encastiçar. 

Hete-sala, v. fornicar. Os indígenas 
apenas empregam este termo em re- 
lação aos racionaes. 

Heti, V. cilhar, cintar. 

Heti, 8. feitiço de pomal para fazer 
mal, maleficío. 

Hetik, €ulv. bem. 

Hetin, 8, cinta. 

Hetok, adv. cada vez mais. 

Hetok-diak, adv. cada vez melhor. 

Heto tassa, 8. arroz cozido. 

Hetiéii, V. depreciar, desconhecer, des- 
denhar, desprezar, desestimar, en- 
jeitar, menoscabar, menosprezar, 
postergar, vilipendiar. 

Henai, 8. desdém, desprezo, menosca- 
bo, negligencia, vilipendio. 

Heu&i-Maròmak. 8. impiedade. 

Hia, V. ter. Na terceira pessoa do sin- 
gular do presente do indicativo «tem». 

Hlas, V. arregaçar, dobrar. 

Hias, 8, dobra. 

Hias, a. arregaçado, dobrado. 



mil 



126 



Hia499 adv. outra vez. 

Hibiuiy «. cômoro. Os indigenas empre- 
gam este termo para designar a se- 
paraçSo da6 Tarzeaa de arros de dif- 
ferentes proprietários. 

Hiite, V. pegar coih cuidado, leyarcom 
geito, segurar com delicadeza. 

Hikal, V, dobrar. 

Hikal, ê. dobra. 

Hikal, a. dobrado. 

Hikal, adv. outra vez. 

Hikas, adv, outra vez. 

Hikik, V. espanar, espanejar, limpar o 
pó, sacudir. 

Biko, V. arrastar os pés. 

Hilas, V. arremedar, assemelhar, pare- 
cer-se. 

Hilas, 8. effigie, figura, imagem, modo, 
semelhança. 

Hilas, a. parecido. 

Hilas-éiman, v. sair á raça. 

Hilas-an, v, assemelhar-se. 

Hilas-inan, v. sair á casta. 

Hili, V. apanhar, colher, escolher. Ebte 
termo emprega-se unicamente em re- 
laçâo ás trutas. 

Hili-bôto, V. votar. Este termo é usado 
principalmente pelos indigenas das 
montanhas. 

Hira, a. quanto. 

Hira, loc. adv. quantos sâo. 

Hira b&, a. quanto. 

Hira bà, loc. adv. quantos sào. 

Hirak, a. quanto. ' 

Hiri, V. estender, fiar. 

Hiri-klóssuko, s. lançada. 

Hirin, V. riscar. 

Hirin, 8. risco. 

Hiros, V. aborrecer-se, acabrunhar-se, 
assomar-se, agastar-se, agoniar-se, 
amofinar-se, angustiar-se, apaixonar- 
se, apoquentar- se, arrebatar-se, arre- 
gaçar-se, arrepelar-sc, arrojar-se, ar- 
rufar-se, assomar-se, atormentar-se, 
attribular-se, azedar-se, consumir-se, 
contender, desesperar- se, embirrar, 
embravecer- se, encanzinar- se, enco- 
lerizar-se, encrespar- se, enfurecer se, 
engrilar-se, enraivecer, escamar-se, 
espinhar- se, esquentar-se, exacerbar- 
se, exaltar-se, exasperar-se, indignar- 
86, impacientar- se, inquietar-se, irar- 
se, irritar-se, malquerer, odiar, oflen- 
der-se, picar-se, zangar-se. 

Hiros, 8. aborrecimento, animosidade, 
aversão, cólera, despeito, enfado, fre- 
nesi, furor, indignação, inimizade, ira, 
ódio, raiva, rancor, zanga. 



Hiros, a. enfurecido, enraivecido, e» 
turrado, fogoso, indisposto, indómito 
odiento, zangado. 

Hiros-an, v. amai^urar-se. 

Hiros-ladiak, v, accender em ira, dars 
a perros, escumar de raiva, estar eu 
brasa, sair de si. 

Hiros-ladiak, a. furibundo, furioso 
irado. 

Hiros-malo, v. odiarem-se duas pes 
soas mutuamente. 

Hiros-malnko, «. inimigo. 

Hiros-m&taa, «. o interior do peito ot 
o thorax. 

Hiros-nite, v. não estar para graça 

His, 8. suspiro. 

Hissin, a. solido. 

Hite, V. levantar com attençio, leva; 
com geito, pegar com cuidado, se^ 
rar com delicadeza. 

Hiti, v. pegar ao oollo. 

Hitik, r. assentar alguém sobre os joe^ 
lhos. 

Hitik, s. regaço. 

Hitin, t;. assentar no regaço algonu 
pessoa. 

Hitir, 8. regaços. Um dos poucos plu 
raes feitos pelos indigenas. 

Hito, a. sete. 

Hito-nnlo, a. setenta. 

Hó, V. juntar. 

Hó, prep. eom, de. 

Hó, canj. e, mais, também. 

Hó-ami, loc. adv. comnosco. 

Hcban, i;. impregnar. 

Hó-bàrok, 8. ao desdém. 

Hó-bàrok, adv. frouxamente, negligen- 
temente. 

Hobóssi, 8. corrente. 

Hóbo, V. galopar. A maioria dos euro- 
peus dizem Hopo, e por isso algoos 
indigenas que podem pronunciar o 
som de P, os imitam. 

Hóbo, 8. galope. 

Bó-bóssok, adv. enganosamente. 

Hó-dómite, adt. morosamente. 

Hódi, V. acarretar, conduzir, enviar, in- 
duzir, supprir, transportar, trazer, 
trasladar. Este termo também serve 
de radical a vários verbos. 

Hódi, 8. vontade. 

Hodiai, 8. paulada. 

Hó-diak, adv, a bem. 

Hódi-b&, V. levar. No citado Dicciona- 
^j ^ PAg* 41 If dá-se como signifi- 
cado d*e8ta expressão «traduzir», o 
que parece um erro, pois que nenhum 
raciocinio dá tal significado, nunca 



HOK 



127 



noN 



encontrei semelhante emprego, e fi- 
nalmente nunca os indígenas ouvi- 
ram sequer filiar em traduzir. 

!odibako, v. açoitar, bater. 

ódi-biite» V, compeUir, confraiiger, 
coasiranger, empurrar, evfbrçar-se, 
excitar, forçai^ impellir, impor, neces- 
sitar, obrigar, precisar,' reduzir, tei- 
mar, violentar. 

[ódi-fàtin, a, interino. 

[ódi-bena, v. acobertar. 

[ôdi-kalili, V. escudar. 

[ódi-kosse, v. besuntar. 

[ódi-kótako, v, recuar. 

[ódikul, V, cornear. 

[odikal, a. cornudo. 

[ódi lia, V, levar noticias. 

[ódi-mài, V. buscar, trazer. 

lódi-nó, V. levar. 

[ódi-taho, V. enlambusar. 

[oé, V. cagar, cursar, excretar, estra- 
var, evacuar. 

[oék, 8. balar de búfalo. 

ló-émi, loc. ado. comvosco. 

(ó-fitun, a. estrellado. 

lobas» V, esfregar o corpo no banho. 
Este termo designa o uso dos indíge- 
nas se esfregarem com sabfto ou com 
uma pedra quando tomam banho. 

ló-hatL, loc. adv. commigo. 

lohôno, s. corrente. 

ló-biros, adv. raivosamente. 

lobo, V. degolar, matar. 

loi, V. despejar as tripas. Usam os in- 
dígenas esta expressão para designar 
o esvaziar as tripas dos animaes aba- 
tidos de que fazem uso cozinhando-as 
depois, pelo modo já indicado para a 
carne, dentro de um bambu verde. 

[oimina, v. azeitar. 

loi-an, V. espreguiçar-se. 

lo-imiy loc. adv. comvosco. 

lolr, V. salvar do fogo, tirar do fogo. 

Eoir-ôna, a. salvo. De morrer quei- 
mado. 

lòis, V, amojar, ordenhar. 

ló-ita, loc. adv. comnosco. 

lokéi, V. amolar. Só se emprega para 
designar o afiar as ferramentas em 
pedras próprias. 

loka, 8. celleiro. Grande saco, que os 
indígenas usam para guardar géne- 
ros. 

lokil, a. tenro. 

loktL, V. chafurdar, enxurdar-se. Este 
termo emprega-se em relação aos bú- 
falos que vivem mettidos no lodo dos 
charcos. 



HokxL-fatin, s. charcoâ em 'que os bu* 
falos chafurdam. 

Hola, V. acceítar, adoptar, apoderar-se, 
apprehender, apropriar- se, arrecadar, 
assenhorear-se, assumir, encarregar- 
se, incumbir-se, recadar, receber, re- 
cuperar, senhorear- se, servir- se, to- 
mar, usar, usurpar, utilizar-se. Este 
termo serve também de radical a vá- 
rios outros verbos. 

Hola-étnin, v. espairecer. 

Hola-bé, V. beber. 

Hola-biite, v. animar-se, enrijar, en- 
thusiasmar>se, esforçar-se. 

Hola-dimen, v. armar-se. 

Hola dó, V. tomar luto. 

Hola dótin, v. tomar luto. 

Hola-fali, V. reassumir. 

Hola-baban, v. alimentar-se, susten- 
tar-se. 

Hola-han, v. nutrir-se. 

Hola-husso, v. aconselhar. 

Hola-kilate, v. armar-se. 

Hòlalia, a. civil, civilizado, cortês, de- 
licado, galante, urbano. 

Hola lissan, v. tomar lição. Este ter- 
mo parece ter sido introduzido do por- 
tuguês. ^ * 

Hola-liu, V. roubar. 

Hola-mâ.mal, v. cumprimentar. 

Hola-mòe, v. envereonhar-se. 

Hó-l&ran, a. cordial. 

Hó-létran, adv. cordialmente. 

Holas, 8. imagem, figura, pedestal, pea- 
nha. 

Hola-s&ssin, v. protestar, testemu- 
nhar. 

Hola-s6ro, v. obsequiar. 

Hola-tna, v. beber. 

Holia, V. incitar. 

Holia, adv. adeante. 

Holilin, V. encerar. 

Hôma, V. tecer. Este termo é empre- 
gado pelos indígenas para designar 
o trabalho de entrelaçar as folhas 
secas de palmeira, feitas de antemão 
em tiras, e tecer assim, cigarreiras, 
charuteiras, sacos e esteiras. 

Hôman, v. tecer. V. Hôma. 

Homeak, s. criança. 

Homina, v. azeitar. 

Homóe, adv. vergonhosamente. 

Hon, V. esfregar, limpar. 

Honeno, s. corrente. 

Hó-nia, adv. commigo. 

Hó-nia, pr. pea. lhe. 

Hôno, V. cair, tombar. 

Honóhik, v. arroupar, enroupar. 



lios 



128 



HIJD 



Hoó, cuív. comtigo. 

Horas, 8. praga. 

Horas-nan, v. praguejar, rogar pra- 
gas. 

Hori, V. ab8ter-8e,cohibir-8e,priyar-8C. 

Hôri, adv. desde. 

Hòri, prep. desde. 

Hôri-falie, v. poupar. 

Hóriky v^ achar-se, alojar-se, deter-se, 
demorar-se, estar, ficar, habitar, ja- 
zer, morar, occupar, permanecer, pos- 
suir, quedar, residir. 

Hórik-f&tin, s. estada, estancia, resi- 
dência. 

Hôri-keta, v. suspender. 

Hórik issin, v, ficar atrás. 

Hôri-léte, adv. logo. 

Hôri-moris, cuiv, de nascença. 

Horis, V, nascer, produzir, rebentar, 
reproduzir. 

Hòri-sehik, adv, bontem. 

Hôri-tànko, a. destemido. 

Hòri-tinidak, cuiv. annualmente. 

Hôrl-iilako, s, antiguidade. 

Hôri-úluko, adv, antigamente, a prin 
cipio, d'ante8, de principio, outrora, 
previamente, primitivamente, primei- 
ramente. 

Hôro, V, abeberar. 

Hórok, V. fazer estilos para impedir 
os roubos. Este termo designa umas 
cerimonias dos indigenas muito se- 
melhantes ás que usam entre nóa as 
mulheres de virtude a quem se dá o 
nome de feiticeiras. 

Hórok-lias, s, pomal arranjado junto 
de uma mangueira, ou sobre ella, 
para fazer os chamados eatilos. 

Hórok-nnn, s. pomal. Junto ou sobre 
um coqueiro. 

Heron, v. cheirar, farejar, sentir. 

Hôron, 8. cheiro, faro, olfacto. 

Hôrun, 8, bilis, fel. 

Hómto, V, cheirar, chupar, sorver. 

Hó-sira, loc, adv, commigo. 

Hossa, V, desgastar. 

Hó-sala, adv. erradamente. 

Hossar, v. esfofçar-se, espremer-se, 
fazer esforços. 

Hossar, 8. puchos. 

Hôssi, V. passar, vir. Este termo serve 
de radical a muitos outros. 

Hôssi, prep. de, des, desde. 

Hôssi, adv. aonde, onde. 

Hôssi-bé, adv. de onde. 

Hôssi-dók, prep, ao longe, de longe, 
longe, por longe. 

Hôssi-fôhon, prep. por cima. 



Hôssi-kótnko, a, traseiro. 

Hôssi-Ialéhan, i*. ser do cea. 

HÔBsi-l&ran, prep. de dentro, por den- 
tro. 

Hòssi-léten, prep. de cima, por cima. 
Alguns indigenas empregam esta ex- 
pressão para designar que qnalquei 
criatura é do ceu, por ter excel lentes 
qualidades. 

Hôissi-lilir, a. estrangeiro, estranho, 
exterior, externo. 

Hôssi-Uor, adv. fora. 

Hôssi-neé, adv. d'aqui, por ahi. 

Hôssi-neér, adv. d'ahi. 

Hôssi-okos, adv, por baixo. 

Hôssi-ôin, prqp. defronte, por avaute, 
por deante. 

Hôssi-sôrin, adv. de lado. 

Hôsso, 8, culpa, peccado. 

Hôssti, 8, peido, traque. 

Hô-tan, adv. certamente. 

Hótar, V. praguejar, rogar pragas. 

Hôto, t*. acabar, aperfeiçoar, arrema- 
tar, cessar, completar, eoncluir, con- 
sumar, encerrar, expirar, exterminar. 
extinguir-se, fenecer, finalizar, finar* 
se, findar, perecer, perfazer, rematar, 
terminar. 

Hôto, V. chuchar, chupar, crestar, ma- 
mar, sorver. 

Hôto, 8. cabal, completo, crescido, con- 
cluido, fim, total, universal. 

Hôto, a, crescido. 

Hôto, adv. depois. 

Hôto, prep. após, depois. 

Hôto-hôto, a, geral, tudo. 

Hôto-hôto, ado. completamente, geral- 
mente, totalmente. 

Hôto lakon, v. perder tudo. 

Hou, adv. sim. Este termo é a forma 
usual que os indigenas teem para ap- 
provar e corresponde perfeitamente 
no seu uso quasi constante, ao oyesn 
dos ingleses, e ao «oui» dos franceses. 

Hon-haré, v. cantar. Este termo signi- 
fica o canto monótono, e prolongado 
pela noite, até á madrugada, dos in- 
digenas (qaasi sempre as mulheres) 
a pilar o uelle nas quiptas perteo- 
centes aos seus patrões, costume 
perfeitamente idêntico ao dos ma* 
laios em Java. 

Hou-hon, V. chamar animaes. 

Houri, v. impedir. 

Hndi, 8. banana. 

Hudi aidila, 8. banana papaia. 

Hndi assara, 8. banana brava. 

Hndi daétn, 8. pente de bananas. 



HUR 



129 



HUU 



iudi dilak, s. banana papaia. 
Mi emar, s. banana homem. 
udi fâtuko, 8. banana pedra, 
adi-fúan, ^. banana. 
udi fúlin, 8. cacho de bananas. 
ndi hôron, s. banana cheiro. 
udi-hun, ê. bananeira. 
udi karan, s. banana búfalo. 
udi kmódok, a. banana amarella. 
udi labàrik, s. banana verde. 
udi làran, s. plantação de bananeiras. 
udi mentora, s. banana especial. Isto 
é, uma especialidade d*esta fruta que 
os indígenas assim denominam, 
udi sassuitô, s. penca de bananas. 
udi siin, 8. banana acida, 
udi susso, 8, banana leite. 
udi tambaka, 8. nome especial de 
uma qualidade de banana que não 
tem nenhuma traducção e a que os 
europeus chamam tambaga. 
udi toós, 8. banana horta. 
tihi, 17. puxar» Este termo é empre- 
gado entre os indigenas para signi- 
ficar a propaganda que elles fazem 
pelos campos a convidar gente para 
as guerras, dizendo Hulii emar, pu- 
xar gente. 

uhú, V. apanhar, colher, disfrutar. 
Também empregam este termo na 
mesma significação do anterior, com 
a differença de se referirem a gente 
estranha ao seu reino, o que nós cha- 
maríamos arranjar uma legião es- 
trangeira. 

idan, V. acorrentar dois a dois. Ho- 
mens ou animaes. 
lilar, 8. bicho, 
alar, a. bichoso. 

alas, V. esganar, estortegar, estran- 
gular. 

alas, 8. voltas. Este termo, que é 
muito usado nos reinos da contra- 
eosta, é em Dilly quasi desconhecido, 
dlas-issin, 8, voltas na cama. V. Hn- 
las. 

ilun, r. abainhar, embainhar. Fazer 
bainha em roupa. 

ime, 8. falda, fralda, fundamento, or- 
la, sopé. Neste termo o e mal soa 
Bobresaindo o som do m. 
une-nakeó, v. alvorar, alvorecer, 
amanhecer. 

imútin, V. alvorecer, amanhecer, 
madrugar. 

in, 8, haste, pé, pedestal, tronco, 
mo, 8. bagem. 
ir, V, adormecer, aninar. Este termo 



é empregado em relação ao fazer 
adormecer crianças de collo. 

Hari, V. açular, afilar, atiçar, fiar, filar^ 
irritar. Este termo é sempre empre- 
gado em relação aos animaes. 

Hiirlk, 8. larás. Paus para formar o es- 
queleto do telhado de qualquer casa. 

Hnro, 8. pião. 

Húriín, V, anovelar, dobar, ennovelar. 

Húrun kabas, v. fazer novelos de li- 
< nha. 

Hússar, 8. embigo, umbigo. 

Hússik, V. abandonar, abjurar, arrene- 
gar, cessar, deixar, depor, desampa- 
rar, desapegar) despregar, despren- 
der, dijungir, enjeitar, libertar, sol- 
tar. 

Hússik, a. enjeitado. 

Hassik, V. atirar, caçar, dar tiros, dis- 
parar. 

Hússik, 8. caça. 

Hússikan, v. desapegar-se. « 

Hússik-ata, v. libertar. 

Htissik-ata, s. alforria. 

Húsç(ik-belo, v, desamigar-se. 

Hússik-d&Ian, v. desencaminhar-se. 

Hússik-dor, 8. apontador, caçador. 
A partícula dor, que julgamos intro- 
duzida pelos portugueses, muito ra- 
ras vezes se usa. 

Hiissik-kilate, v. dtsparar, fusilar. 

Hussik-nain, a. caçador. 

HiLssik-ôna, a. solto. 

Hussik-sala, v. errar o tiro. 

Hussik-sàun, v. ancorar, fundear. 

Husso, V. requerer. 

Hnssôr, s. embigo, umbigo. 

Hussú, V. aconselhar, alliciar, depre- 
car, encommendar, esquadrinhar, exi 
gir, implorar, inquirir, interpellar, 
interrogar, invocar, pedir, pergun- 
tar, pretender, recorrer, solicitar, su- 
plicar. Também serve de radical a 
outros verbos. 

Hussú, 8. conselho, petição. 

Hussú-daáte, v. interceder. 

Hussú- dadàun, v. insistir. 

Hussú-fali, V. reclamar. 

Hussú-Maromak, v. orar. 

Hussúoko, V. balbuciar. 

Hussú-saka, v. reperguntar. 

Huú, V. assoprar, respirar, soprar, ven- 
tar. 

Huú-ahi, V. alear. 

Huú-ema, v. afiar. 

Huú-fui, V, flautear, gaitear. 

Huú-inur, v. assoprar pelo nariz. 

Huúr, V. embolar. 

9 



IHA 



130 



IHA 



labo, «. névoa, nevoeiro. 

laxnbata, «. ponte. Este termo vem do 
malaio onde tem a meema significa- 
ção ; e grande maioria dos moradores 
de Dilly e circum vizinhanças, que 
falam essa língua, dizem claramente 
cjambata». 

lambua, s. toranja. Igualmente e pe- 
las mesmas razoes uma parte dos in- 
dígenas de Dilly e arredores dizem 
•jambua». 

Iara, s. jarra. Do português, ficando 
estropeado pela difiiculdade que teem 
08 indígenas em pronunciar o R for- 
temente. 

laro, «. jarro. V. Jara. 

IbTin,.«. bico, boca, lábios. 

Ibun-bote, s. bocaça, bocôna. 

IbUA-kalifi, 8. cara de riso. 

Ibun-kal^, a. risonho. 

Ibun-kik, b. boquinha. 

Ibun-kulite, s. beiço, lábio. 

Ibun-l&ran, s. tromba. 

Ibun-namko, s. bocaça. 

Ibmi-nia, a. oral. 

Ibun-ralimi, «. bigode. 

Ibnr, 8. lábios. Ebte termo é um dos 
raros pluraes qfle fazem os indígenas. 

Ida, a. algum, qualquer, um, unidade. 

Ida, pr. deter. um. 

Ida-déite, a. único (sem par). 

Ida idak, a. a um e um, cada um, cada 
qual, cada um de per si, singular, um 
por um. 

Idak, a. uno. 

Ida-lae, pr. indif, ninguém. 

Ida-méssak, a. sem par. 

Ida-neé, pr. esta, este, isto. 

Ida-neóbé, a. qual. 

Ida-nia, a. particular, privativo. 

Ida-séluko, a. qual. 

Idatan, adv. d'aqui. 

Idatau, pr. depois. 

Ifiian, 8. barrote. 

lha, V. abarcar, achar-Be, assenhorear- 
se, assistir, comparecer, comprehen- 
der, conter, diefrutar, encerrar, es- 
tar, existir, fazer, gozar, grangear, 
grassar, haver, jazer, obter, occupar, 
participar, possuir, ter. Este termo 
serve também de regimen a alguns 
verbos, e de radical a muitos termos. 

lha, prep. a, durante, em, para. 

Iha-abuto, t*. enraizar. 

Iha-aiabo, v. ennevoar. 



Iha-aiduda, v. assistir (ao parto). 
Ilxa-bÀrak, v. afortunar. 
Iha-béurok, v, mandriar^ ser negligente. 
Iha-bé, adv. aonde, onde, por onde. 
Iha-biite, v. poder. 
Dia-dók, V. distar. 
Iha-dók, adv. ao longe. 
Iha-fitnn, a. estrellado. 
Iha-fôb.on, prep. acima, de cima, em 

cima. 
Iha-haú, pr. pet. me. 
Iha-iabo, v. ennevoar. 
Iha-ikos, adv. acabo, alfim, ao cabo, 

afinal, em conclusão. 
Iha-k&lan, adv. á noite, de noite, noc 

turnameute. 
Iha-kfati, v. envermgar-se. 
Dia-kl&reui, a. central. 
Iha-kl&ran, prep. entre, no raeío. 
Iba-kotnko, prep. atrás, detrás, trás. 
Iha-kraik, adv. abaixo. 
Iha-laléhan, adv. de telhas acima. 
Iha-l&ran, adv. a dentro, de dentro, 

dentro, incluso. 
Iha-làran, prqa. dentro. 
Iha-lóten, prep. acima, de cima, em 

cima. 
Iha-léten, adv. arriba. 
Iba-lôr, adv. lá baixo. 
Iha-lónm, adv. de dia. 
Iha-móB, V. participar. 
Iha-nàran, v. denominar-se. 
Iha-neé, adv ahi, aqui, cá, eis aqoi^ 

está aqui. 
Iha-nia, pr. lhe (a elle, a ella) nelle, 
Iha-ôin, adv. adeante, avista, defroc 

te, deante, perante. 
Iha-ôin, pr. ante. 
Iha-okoB, prep. debaixo, por baixo. 
Iha-ossan, v. ter bens, ter dinheiro 

ter fazendas. 
Iba-òiLdl, V. odiar. Este termo parece 

ter sido introduzido do português 

mas está absolutamente radicado, dt 

modo que é usado por todos os indi 

genas. 
Iha-ró, & bordo. 
Iha-talain, v. confrontar. 
Iha-tassi, v. navegar. 
Iha-tassi, adv. ao mar. 
Ihar-tnssan, v. endividar-se. 
Iha-tussan, a. atrasado em contas, eo- 

dividado. 
Iha-tútnn, adv. em cima. 
Iha-uàin, v. abundar. 



rsA 



Vil 



ISS 



hnik, pr. pes. yòa. * 

hnik ! int. ui ! 

is, V. respirar. 

is, s. respiração. 

Ican, 8. peixe, pescado. Também al- 
guns indígenas dâoesiejaome aos ma- 
riscos, e aos grandes camarões que 
se apanham nas ribeiras, talvez os 
maiores que se encontram no mundo. 

kan kikite, 8. escama de peixe. 

kan kláken, s. cardume de peixe. 

kan-raiu, 8. espinha. 

kan-táran, s. espinha. 

kan-tilun, s. barbatana, guelra. 

kan-tôlun, s. ovas. 

kan úluo, s. cardume de peixe. 

kas, r. investir, repetir. 

kas, adv. outra vez. 

kbei ! int. ah agora ! 

kbei ei! int ah esqueci -me ! 

knáhar, s. tear. 

koleu, 8. amalgama, mistura. Este 
termo refcre-se unicamente á mistura 
de saogue na geração humana. 

kos, 8. cabo, conclusão, desfecho, des- 
tino, epilogo, êxito, fenecimento, fim 
limite, remate, termo. 

kos, a. derradeiro, extremo, final, mo- 
derno, pequeno, posterior, traseiro, 
ultimo. 

kos, adv. atrátj, modernamente, ulti- 
mamente. 

£0S-ktúir, adv. atrasadamenté. 

kos-mài, adv. a cabo, ai fim, em con- 
clusão, finalmente, por ultimo. 

ran, 8. aguilhão, cauda, ferrão, rabo. 
Este termo é também o nome que os 
indígenas dâo ao tio mais novo por 
parte do pae, e á tia mais nova por 
parte da mãe. 

nm-làek, a. derrabado. 

as, 8. efígie, figura, retrato. 

ni, pr. pe8. vós. 

ni-nia, pr. pos. vossa, vosso. 

lak, 8. ente, ignoto, ser. 

lan, 8. fêmea (nos animaes irracio- 
naes), mâe, matriz, matrona. Com este 
ultimo signifioado, só os indígenas 
empregam o termo por desprezo, a 
respeito das mulheres mal comporta- 
das. 

lan-bei, s. avó paterna. 

lan-beiala, 8. bisavó materna. 

lan-férik, 8. avó paterna. 

lan-fudi, s. aia, ama. 

oan-hakiák, s. aia, ama. 

nan-kaztrua, 8. madrasta. 

aan-klétran, s. tia. 



Inan-nia, a. maternal, materno. 

Inan-sarâni, 8. madrinha. 

Inan-túak, 8. a tia mais velha. 

Inkilate, 8. fulgor, lustre. 

Inkilate, a. fulgente, lustroso. 

Insuri, a. contumelia. 

Iniin, 8. nariz, tromba. 

Innn-bai, a. fanhoso. 

Inun-bitak, «. nariz achatado, nariz 
esborrachado. 

Inun-bote, 8. narigão, penca. 

Inun-káin, 8. narinas. 

Inun^ktiak, 8. venta. 

Innn-nàrako, 8. narigão. 

Inun-nia, a. nasal. 

Inun-ten, 8. ranho, moneo, muco. 

Inun-tútun, 8. ponta do nariz. 

Inur, 8. narizes, trombas. Ij^ste termo é 
um dos raros pluraes feito pelos indí- 
genas. 

Inur-bai, a fanhosos. Outro plural. 

Inur-kain, 8. narinas. 

Inur-kúak, «. ventas. 

Irin, 8. riseo. 

Is, 8, alento, ar, aragem, arroto, atmos- 
pbera, aura, bafejo, bafo, cheiro, ex- 
piração, fôlego, hálito, respiração. 

Is-ikos, 8. artigo de morte. 

Is-kôto, V. espirar, morrer, perecer. 

Is-kõto, *. morte. 

Is-láek, V. desfalecer. 

Is-makaâ.Sy s. bafurada. 

Issa, V. içar. Este termo tem a sua si- 
gnificação, alem doesta que foi intro- 
duzida do português, a qual é mais 
natural, e se refere a cobrir as casas 
com palha, ou folha de palmeira. 

Issien, V. cessar, deixar, legar. 

Issien, 8. deixa, herança, legado. 

Issik, V. asperger, salpicar. 

iBsin, 8. corpo. Este termo é também 
empregado pelos indígenas para si- 
gnificar os paus em que se apoiam os 
que formam o tecto das casas, espécie 
de traves. 

Issin-aoso, s. lombo. 

Issin-bàluko, 8. órgão. Do corpo ani- 
mal. 

Issin-bÀrok, v. andar doente. 

Issin-bárok, s. modorra. 

Issin-bàrok, a. adoentado, doente, in- 
dolente, ocioso. 

Issin-diak, v. estar bom, rijo, ter saú- 
de, estar valente. 

Issin-diak, s, &aude. 

lesin-diak, a. ^adio, são, escorreito. 

Issin-kakúrak, a. moreno. 

Issin-kfúltiko, a. peludo. 



ICC 



132 



KAB 



Issin-kole, ». fadiga. 

Issin-kráes, a. entrevado. 

Issin-krekas, s. corpo seco. 

Issin-leéte, a. livre. 

Issln lólon, a. o próprio corpo. 

Issin-lúan, «. nu, em coiro. 

Issin-mâmal, a. indolente. 

iBsin-mànas, s. febre, sezão. 

Issin-màraii, a. descamado. 

Issin-méak, a. moreno. 

Issin-mate, a. defunto, morto. 

Issin-màtek, a. paralytico. 

Issin-moras, a. doente, doentio, in- 
disposto. 

Issin-moris, a. activo, enérgico, es- 
perto, expedito, fogoso. 

Issin-nakràkate, v. arrípiar os ca- 
belloB de espanto. 

Issin-nakntak, v. atarantar-se, atemo- 
rizar-se, ter medo. 

Issin-namata, s. constipação. 

Issin-nia, a. carnal, corporal. 

Issin-raàs, v. entrevar-se. 

Issin-raéis, a. entrevado. 



Is8in-raà3» a, entrevado. 

Issin-sae, s. febre. 

Is8i]i-ttoaii, a. despido, em pêlo, na. 

Istôriy ê, anarchia, contenda, contro- 
vercia, debate, desintelligencia, de- 
sordem, discórdia,' disputa, dissençlo, 
distúrbio, levantamento, litigio, mo- 
tim, pendência, pleito, porfia, questão. 

Ita, ê. autoridade. 

Ita, a. seuboría (tratamento). 

Ita, pr. pes. nós. 

Ita bote, a. Acossa grandeza. Este 
termo serve para todos os tratamen- 
tos desde a excellencia até á majes- 
tade. 

Ita-nia, pr. pes. nosso. 

Ita-tômak, a. mortal. 

Ito, 8. barda, em barda. 

Inoa, r. jogar. Este termo foi introdu- 
zido pelos chinas que commerceiam 
pelo interior e ao mesmo tempo váo 
ensinando os indigenas a jogar, vicio 
inberente á sua raça, senão a todas 
as raças. 



Két, V. esganiçar-se. 

Ká, C071J. ou, quer. 

Kaàk, s. buraco, etc. Este termo é só 
usado no interior. V. Kúak. 

Kaà,n, v. crescer. 

Kaàn, s. crescencia, excrescência. 

Kaàn, a. crescido, desenvolvido, esca- 
nado, nutrido. Também os indigenas 
empregam este termo como trata- 
mento dos primos e primas e dos cu- 
nhados e cunhadas entre si. 

Kaba. a. esperto, vivo. 

Kabéti, s, mulher gravida, prenhada, 
prenhe. 

Kabétik, 8. gravidez, prenhez. 

Kabàik, a. gravida. 

Kabakaba, s. astúcia, fingimento, ma- 
nha. 

Kabakaba, a. astuto, intrigante, ma- 
nhoso. 

Kabala, v. pôr a lipa ou o pano, con- 
forme o uso indigena. 

Kabala kmúis, v. vestir tanga. 

Kabaôna, 8. baptismo. Este termo 
usa-se para designar o individuo que 
é baptisado quando já adulto, como 
que para indicar que tem o conheci- 
mento indispensável para o acto no 
qual se empregam todas as cerimo- 
nias do ritual, que são muitas. 



Kabaressi, «. cabresto. Parece e»te 
termo o português estropeado comr> 
muitos outros. 

Kabas, 8. algodão. 

Kabas-hnn, s. algodoeiro. 

Kabas-búrun, s. novelo (de linha). 

Kabas-l&han, «. fiado, fio de algodão, 
linha. 

Kabas ràhnn, 8. algodão em rama. 

Kabas -toôs, 8. algodoal. 

Kabate, 8. arame. 

Kabebe, 8. argueiro. 

Kabebe-m&tan, v. pestanejar rapida- 
mente (quando entra qualquer cousa 
nos olhos). 

Kabôik, V. vomitar. 

Kabôik, 8. ânsia, náusea, vomito. 

Kabéik, a. nauseabundo. 

Kabélak, a. achatado, chato. 

Kétben, v. barlaquear, casar, despo- 
sar-se, esposar, esposar-se, matrimo- 
niar- se, mudar de estado. 

Kàben, «. casamento, consorcio, ma- 
trimonio, núpcias. 

Kàben, a. casado. 

Kabén, 8, baba, cuspo, escarro, espn- 
to, saliva. 

Kàben-lós, v. amigar. Tomar mulher 
sem as formalidades do barlaque nem 
do casamento. 



KAB 



133 



KAE 



Caber y v, alisar. 

Cabissen, a. dormente, esquecido, to- 
lhido. 

Cabo, 8. barriga 

Cabo, a. obeeo. 

Cabôbil, 8. atrevimento, má criação. 

Cabôbil, a, atrevido, descortês, inci- 
vil, malcriado. 

Cabôbir, a. atrevido, etc. Este teimo 
tem uso somente no interior. 

Cabobo, 8. cesto. Em que põem as gal- 
linhas. 

Cabôbo, 8, incivil. Muito pouco usado, 
e só no interior. 

Cabôko, a, junto. Este termo empre- 
ga-se para indicar que estão juntos 
variqs objectos ou pessoas. 

Cabóruko, «. carranca. 

Cabôsso, 8, um peixe que tem a ca- 
beça muitissimo grande, e que os ma- 
caidtas denominam peixe «bontalv. 

Caboúko, 8. junto V. Kabôko. 

Cabrônak, a. escorregadio, escorre- 
guento. 

Cabúal, «. bola, circular, circulo, es- 
phera. 

Cabúal, a, circulo, espherico, redondo, 
oval. 

Cabuar, 8. circular, etc. Em uso no in- 
terior. V. Kabual. 

Cabuar, a. circulo, etc. V. Kabnal. 

Cabubo, 8, camalhão, canteiro. 

Cabúbun, «. cômoro. 

Cábuko, V. conceber, emprenhar, es- 
tar pejada, estar prenhe. 

Cábuko, 8. prenhez. 

iCàbuko, a. prenhe. 

Cábun, 8. barriga, bojo, pança. Os in- 
dígenas empregam igualmente este 
termo para designar «silha» e outros 
correlativos. 

Càbun-dàda, 8. cinto, silha. 

Càbun-dalas, 8. cólica, dor de barriga. 

Càbun-fuan, s. estômago. 

Càbun klabis, 8. barriga lisa, barriga 
pequena. 

Cábun-sian, «. barriga cheia, barriga 
grande, fartura. 

Càbun-sian, a. farto. 

Cábun-ték, *. barrigada, barriga gros- 
sa, fartadella, pancada. 

iábun-ték, a. barrigudo, obeso. 

iCàbun-uén, « baba, cuspo, escarro, 
esputo, saliva 

iábun-úlun, s. bandulho, bucho, estô- 
mago. 

cCábura, 8. feto. Os indígenas para in- 
dicar a procedência de pae europeu 



pospõem a palavra mutin «branco», 
para a afripana a palavra métan 
«preto», e para as misturas de vários 
sangues a palavra ikuleu «amal- 
gama». 

Kabn-ték, a. barrigudo, obeso. 

Kabu-néu, 8. baba, cuspo, escarro, 
esputo, saliva. 

Kabuús, a. abaulado. O que tem feitio 
de bahu. 

Kadakir, 8. sulco (feito na terra pela 
chuva). 

Kadàlak, 8. arroio, regato, rego de 
agua, rigueiro. 

Kadél, V. coxear. Em uso na contra- 
costa, ou costa sul. . 

Kadôi, a. cozo, manco. 

Kadeli, 8. anel. 

Kadeli-nia, a. anular. 

Kadi, V. afiar, aguçar, amolar. 

Kadi, a. aguçado. Este termo empre- 
ga-se geralmente para indicar obje- 
cto feito de ferro. 

Kadii, V. inclinar-se. 

Kadii, 8. inclinação. 

Kadii, a. inclinado. 

Kadiki, V. inclinar-se. Este termo tem 
uso nas montanhas da contra-costa, 
onde ha principalmente o habito de 
introduzir um K nas palavras. 

Kadiki, 8. inclinação. 

Kadiki, a. inclinado. 

Kadissan, s. borralho, cinza. 

Kadiuko, 8. caranguejo do mar. 

Kadó, V. serrar. 

Kadó, 8. serra de carpinteiro. 

Kadóek, 8. serra de carpinteiro. Os in- 
dígenas empregam também este ter- 
mo para significar o uso de andarem 
sempre uns atrás dos outros a um de 
fundo. 

Kadoék, s. cordilheira, serrania. 

Kadólak, s. arroio, regato, rego de 
agua, rigueiro. 

Kadoras, s. canudo de bambu. 

Kadua, 5. inclinação. 

KadUQ., a. inclinado. 

Kadúak, a. gémeo. 

Kadúak, adv. a par. 

Kadua-aéte, a. íngreme. 

Kadiia-tun, a insrreme. 

Kàe, 8. amiga. Mulher que faz vida 
com homem sem ser casada nem bar- 
laqueada. Este termo parece ter sido 
introduzido pelos portugueses com a 
expressão «fulana cae», isto é, deixa- 
se vencer com palavras ternas, mei- 
guices e galanteios. 



RAI 



134 



KAR 



Kaék, a. tenro. 

Kaelado, «. feitiço. 

Kafé, 8. café. Grão iDtrodazidode Java, 
que ppoduz admiravelmente nas mon- 
tanhas da ilha, princi])almente na 
parte norte, e que tem sido o princi- 
pal producto da colónia. • 

Kafé-liun, e. cafeeiro, planta de café. 

Kaha, v. pendurar. Sobre o hombro 
qualquer objecto á maneira de alforge. 

Kaha, s. pepino. 

Kalialiman, s. parapeito. 

Kahan, s, cunhada. Este termo tam- 
bém se u-a como tratamento entre 
primos. 

Kaha-tàis, v pôr o piínopeloshombros. 

Kahe, v. pendurar (um objecto pelo 
centro). 

Kahi, V. apanhar ou pegar com cambo 
ou gancho. 

Kahi-liman, v. acenar. 

Kahônoko, v. agradar. 

Kahul, V. amalgamar, amassar, bara- 
lhar, emmaranhar, intrincar, mesclar, 
mexer, misturar. 

Kahnl, s. amalgama, mistura, promis- 
cuidade. 

Kahiil, a. amalgamado, misto, mistu- 
rado, promíscuo. 

Kalmr, v mexer, misturar. Em uso nas 
montanhas 

Kahur, s. mistura. 

Kahur, a. misturado. 

Kài, V. aferrar, dependurar, pender. 
No citado Diccionario pag. 329 dá-ae 
também este termo com as significa- 
ções de «peneira» «peneirar», o que 
nunca ouvimos. 

Kâi, a. tratamento que o» indígenas 
dão ás crianças pertencentes a pes 
soas de respeito, como reis, princi- 
paes, funccionarios europeus, etc. 

Kãri, 8. mulher que tem amantes não 
sendo casada. 

Kàidú, 8. caju. Este termo foi prova- 
velmente introduzido do português, e 
íicou estropeado em consequência dos 
indigenas terem difficuldade em pro- 
nunciar o J. 

Kaik, 8. meretriz, prostituta. 

Kàil, 8. anzol. 

Kàin, 8. talo. 

Kaindnlas, 8. eixo. 

Kain-hun, 8. peciolo, pé de folha. 

Elàir, V. agadanhar, agarrar, apprehen- 
der, empunhar, lançar mão, manter, 
metter a mâo, pegar, pilhar, segurar, 
sustentar, suster. 



Kàir, 8. amparo. Este termo parece ter 
sido introduzido do português, pel:i 
acção de amparar qualquer peseoa 
ou cousa que estivesse prestes a cair. 

K&ir-diak, t\ amparar. 

Kàir-didlak, v. segurar bem. 

Kair-halôlo, r. pegar perpendimlar- 
mente num objecto. 

Kàír iianôln, v. pegar direito. 

Kàir-knàr, v. trabalhar. 

Kàir-kois, r. deixar cair uma cousa 
sem querer. 

KÀir-mótin, v. aferrar, agarrar, am- 
parar, assegurar, sesurar. 

Káiir sturxK, v. rapar da espada. 

Kaita, V. dependurar, pendurar. * 

Kaite, s. amancebada, criada de pa- 
dre, concubina, manceba, mulher ami- 
gada. 

Kakab&lnn, 8. uma peça do tear indí- 
gena. 

Kakada, «. gargalhada. Este termo foi 
introduzido do dialecto crioulo de 
Macau, e é principalmente usado tin 

Dillv e arredores. 

tf 

Kakã.e, 8. cacatua. 

Kakàen, 8. cacatuas. Um dos raros 
pluraes que os indigenas fazem. 

Kakài, r. cirandar. 

Kakài, 8. ciranda. 

Kakãrik, v. aferrar, agarrar. 

Kakàik, 8. cambo, gancho, garrote. 

Kakéilako, s. bolsa, papo, saco. £-:t« 
termo emprefram geralmente os indi- 
genas para designar o saco de foiha 
de palmeira em que trazem a «are- 
caw, o «betei» e a «cal» para mascar, 

Kakàrak, v. querer. Este termo tem 
uso unicamente na contra-costa na 
costa sul da ilha. 

Kakékuko, v. chorar pelos mortos. 
Este termo significa o alarido que os 
indigenas fazem quando acompanham 
os mortos, e igualmente o que fazem 
quando ha tremor de terra, que se 
põem de bruços com a cara sobre o 
chão, gritando a toda a força dos 
pulmões, para que Deus saiba que 
ainda ha gente viva na ilha, e mo 
acabe o mundo. 

Kakéknko, 8. choradeira. 

Kakehe, «. abano, leque. 

Kakéite, 8. berimbau de ferro. 

Kakele, «. tibia. 

Kakérek, v. pintar. 

Kakete, v. tocar tambor á chamada para 
juntar gente. 

ElÀken, 8. casnarina. Árvore indigeoa, 



KAR 



135 



RAL 



a que os europeus dão o nome de es- 
tramangueira. 

Cakitin, s. caixa e bandeira. Este 
termo refere-se ao bando que as au- 
toridades costumam mandar aos rei 
nos para publicar algumas ordens ou 
instrueções, ou tomar conhecimento 
de qnaesquer factos, e o qual costuma 
ser composto de uma pequena força 
com uma caixa ou tambor e condu- 
zindo uma bandeira nacional, o que 
tudo vae subordinado á commissâo 
que publica o bando. 

Cako, V, abanar, acenar com a cabeça, 
mover, vibrar; 

^ako, 8. vibração. Esto termo indica 
principalmente a pêndula do relógio 
e o seu movimento. 

^akòa, adv. depressa, a toda a 
pressa. 

lakôe, V. cacarejar (daa gallinhas). 

^akoé, 5. dores de barriga. 

^akoluko, 8. costa. Parte da monta- 
nha que dá para o mar. 

^akórak, s. serra de carpinteiro. 

lakórak-kik, 8. serrote. 

£akórak-ôan, «. serrote. 

Sakorék) s. cantar (dos gallos). 

SCakórok, 8. coUo, gargalo, garganta, 
gasnete. 

£ako-tilo, V. abanar (com a cabeça 
para dizer nâo). 

lakti, V. derriçar. 

iakú, 8. mocho. Este termo é igual- 
mente o nome de uma ave que ha no 
pais, a qual anda de noite pelos ca- 
minhos na frente das pessoas acom- 
panhando-as por largo tempo, como 
uma espécie de coruja. 

^akuite, s. palmeira. Que produz, entre 
o tronco e os peciolos das folhas, 
umas fibras muito consistentes que 
os indígenas empregam em fazer cor- 
das e cabos com que se faz a amar- 
ração das embarcações do pais, bei- 
res e korkoras. 

^akuite-lako, s. denominação das 
mencionadas fibras. 

ECakukOy s. coruja. 

^akúluko, 8. tecto. 

SakTilnko-abuto, 8, pau de fileira, 
trave. 

S^àkun, 8. casca. 

^akiín, 8. xareta de coco. Isto é, me- 
tade da oasca dura que cobre a noz 
do coco e que se emprega em difPe- 
r entes usos domésticos, como colhe- 
res, tigelas, etc., e nas quaes alguns 



indígenas fazem desenhos muito com- 
plicados e curiosos. 

Kakún-màtan, s. funil. A razão doeste 
termo é que os indígenas fazem de 
uma chareta de coco uma espécie 
de funil, abrindo-lhe um orificio no 
ceutro, no qual introduzem bem aper- 
tado um pequeno canudo de bambu 
fino. 

Kakúrak, a. pardo. 

Kakúniko, 8. concha. Feita de charéta 
de coco, que se emprega para tirar 
agua. 

Kakútak, 8, cérebro, encephalo, mio- 
leira*, miolos. 

Kakuúko, 8. tenaz. 

Kala, adv. acaso, quiçá, talvez, prova- 
velmente. Este adverbio entra quasi 
sempre no principio das phrases. 

Kalabo, v. bispar, confundir, não dis- 
tinguir muito bem. 

Kalabo, a. curto (da vista). 

Kalabó, a. embaciado. 

Kalade, 8. planta silvestre de que os 
inc^genas fazem uso para comer 
como hortaliça. Em Dilly dá-se tam- 
bém este nome á gente que vem das 
montanhas vizinhas para vender gé- 
neros no bazar que se realiza todos 
os domingos. 

Kala-kala, 8. astúcia^ fingimento, ma- 
nha Este termo, tem já mui pouco uso 
e unicamente em alguns pontos. Y. 
Kaba-kaba. , 

KalÀmar, 8. alma. Em uso somente no 
interior. 

Kálan, v. anoitecer^ cerrar a noite. 

Kàlan, s. noite. 

Kalanbàin, 8. meia noite. 

Kalan bote, adv. alta noite. 

Kàlan fabe, 8. meia noite, pino da 
noite. 

Kàlan nakúkun, v. fazer escuro. 

Kalan naktiknn, 8. noite escura. 

Kéklan-nia, a. nocturno. 

Kàlan-ôna, pai't. anoitecido. 

Kalan uàin, adv, meia noite. 

Kaiéiuko, v. atrapalhar, mexer, mistu- 
rar. 

Kalàuko, 8. amalgama, mistura, mi- 
xordia. 

Kalàuko, a. estabanado, estólido, es- 
touvado, impertinente. 

Kalehú, 8. cruz. 

Kalen, 8. calim, lata, zinco. Este termo 
parece introduzido do fi*ancês por ter 
exactamente a mesma pronuncia do 
d^aquella lingua, mas é mais prova- 



KAN 



136 



RAN 



vel que seja o termo português mo- 
dificado pelos indígenas como tantos 
outros. 

Kalônko, a, torcido, torto. 

Kali, V. coçar os comos. Os indígenas 
empregam este termo para indicar a 
acção dos búfalos roçarem a cabeça 
em qualquer tronco de arvore ; mas os 
portugueses que conhecem pratica- 
mente a língua teto dão -lhe geral- 
mente um sentido pouco moral. 

Kalili, 9. escudo. 

Elalis, V. rir. 

Kalo, 8. celeiro, saco. V. Kalú. 

Kalobas, s. eclipse. 

Kalóban, v. ennuvear. 

Kalóban, s. nuvem. 

Kalóban métan, s. nuvem negra. 

Kaloban-ten, s. musgo. 

Kalolo, 8. aprumo, prumo. 

Kalolo, a. perpendicular. 

KalÔQ, 8, concavidade. 

Kalòu, a. cavo, concavo, covo, recôn- 
cavo. 

Kalúy 8. saco. Grande para gemeres, 
que os indígenas fazem de folhas de 
palmeira. 

Kalnko, s. saco. Os indígenas empre- 
gam este termo também para desi- 
gnar o estado de prenhez nas mulheres. 

Kalumba, s. mareta, onda do mar, on- 
dulação. 

Kalumba-bote, s. borrasca, mar pi- 
cado. 

Kaman, v. desembaraçar. 

KàmaxLy a. desembaraçado. 

Kamate, v, agatanhar, arranhar, esga- 
tanhar. 

Kamate, s. arranhadella, arranhão. 

Kamédak, s. crepúsculo. 

Kameli, s. sândalo. Arvore indígena, 
de que houve grande abundância na 
ilha, mas que tende talvez a desap- 
parecer, em consequência da grande 
exportação para a China, e ninguém 
plantar outras arvores novas. 

Kamétan, v encobrir. 

Kàmin, s. arvore que produz um fruto 
com a mesma denominação, e que os 
indígenas, pisando, usam nas luzes e 
nas illumlnações locaes. 

Kamuda, v. toldar. 

Kamuda, a. toldado. 

Kamiidi, «. leme. 

Kamutis, v. desmaiar. 

Kamatis, a. descorado, desmaiado, lí- 
vido, macilento, pallldo. 

Kaiiy 8, arroz. £ste termo é usado prin- 



cipalmente pelos montanhezes de 
Bétún-cióte e outros. 

Kan&lnko, r. atordoar. 

Kanaloko, a. atordoado, atormentado. 
desfallecido. 

Kanar, «. vassoura. 

Kandôlar, s. hortelã. 

Kandua, «. mulher que pertende ho- 
mem pertencente a outra. 

Kanôdak, «. nódoa. 

Kànek, «. chaga, corte, ferida, feri- 
mento, golpe, lesão, mazella, nascida^ 
postema, pústula, ulcera. 

Kànek-dimen, s. azagaiada. 

Kànek-fatin, s. cicatriz. 

Kànek-fitel, «. cicatriz. 

Kànek-fólok, s. gangrena. 

Kànek-klóan, «. fistula. 

Kànek-stirik, s. catanada. 

Kànek-tòmak, 8. cicatriz, sinal de fe- 
rida curada. 

Kaniba, «. canipa. Bebida importada 
de Java, de que os indígenas sâo 
muito apaixonados, a qual é feita da 
canna do assucar ou, para melhor di- 
zer, dos seus resíduos depois de ti- 
rado o producto principal. Este ter- 
mo foi introduzido pelos commer- 
dantes que lhe chamam «ícanipa», eé 
hoje tão conhecido em toda a ilha 
que, apesar da difficuldade na pro- 
nuncia do P, já muitos dos indígenas 
pronunciam clara e dlstinctamente 
como os europeus, chinas e malaioâ 
«canipa», e essa palavra magica pro- 
duz no indígena o mesmo efielto qne 
a palavra vinho no trabalhador e no 
mechanlco português. 

Kaniko, s. bambu. Com bico e tampa 
para acarretar agua. 

Kanôin, v. fazer propósito, propositar, 
tencionar. 

Kanraa, 8. madrasta, mulher que vive 
com homem viuvo. As mulheres indi- 
genas dão este nome igualmente aos 
homens femeeiros, principalmente 
aos europeus que procuram varias 
mulheres na mesma localidade e pela 
mesma occasião. 

Kanten, s. chupista, comedor, comilão, 
glotão, papa-jantares, parasita. 

Kanten, a. goloso, lambão, lambareiro. 
voraz. 

KanudOy 8. canudo. Espécie de cigam> 
que os indígenas fazem enrolando o 
tabaco cm pequenos pedaços de folha 
de bananeira seca ao sol, o que lhes 
dá um sabor multo agradável. 



KAT 



137 



KAT 



^anuro, 8. colher. Com este termo os 
indígenas querem principalmente in> 
dicar as colheres que elles fazem de 
conchas ou huzios marítimos, algu- 
mas muito hem feitas e com certos 
lavores, parecendo de madrepérola. 

lanuro-issin, s, colherada. 

lárak, v. apertar, escassear. 

^àrak, s, ambição, avareza, mesqui- 
nhez. 

làrak, a. mesquinho. 

larak-ten, a. ambicioso, amesquinha- 
do, avarento, avaro, cainho, escano, 
forreta, mesquinho, mofino, sovina, 
tacanho. 

laras, s. largura. Os indigenas com 
este termo também indicam os lados 
menores do telhado ou tecto. 

^aras, a. largo. 

lar&s, 8. peito. 

barata, s. o grunhir do porco. 

barato, v. fazer alarido, gritar. 

Carate-méar, v. escarrar, expectorar. 

karàn, s. búfalo. 

Caràn banite, s. amostra de búfalo. 
A bufala que serve para apanhar os 
búfalos bravos que se querem matar 
ou separar da manada para vender 
ou pagar a finta. 

Laràa dikul, s. armação de búfalo. 

^aràu forôkOy s. búfalo embravecido, 
irritado. 

Laràn-inan, s. bufala. 

Caràu ten, s. bosta de búfalo. 

Caràu-uaka, s. boi, vaca. Para indicar 
os indivíduos que guardam os reba- 
nhos ou manadas, pospõe-se a esta 
expressão a palavra ata «criado», e 
para indicar a própria manada ou re- 
banho, pospõe-se -lhe a palavra bà- 
rak «muito» ou lúbtin «grupo»; e 
íinalmente para designar o bezerro 
ou a vitella, poepõe-se a palavra 
ôan «pequeno». 

Caré, V. ver. Em uso somente na con- 
tra-costa. 

Caré, 8. vista. 

^ari, V. dispersar, derramar, dividir, 
espalhar, vulgarizar. Este termo é 
especialmente empregado pelos indi- 
genas para significar o semear o ar- 
roz. 

^àrik, adv. acaso, porventura, prova- 
velmente, quiçá, talvez. Este adver- 
bio pospôe-se sempre ás palavras 
com que concorda, e nunca se usa no 
principio das phrases. 

Carleti, s. gatilho. 



Karltmi, 8. almofada, chumaço, tra- 
vesseiro. 

Karltini-bote» «. colchão. 

Kartús, 8, cartucho. Este termo é o 
português estropeado, e é empregado 
pelos indigenas unicamente para in- 
dicar os cartuchos para armas de 
fogo. 

Karuko, 8. canho, canhoto, esquerdo. 

Kartiik, «. cume de montanha, lomba, 
lombada, serrania. 

Karúik, a. vertente. 

Kamto, a. anelado, crespo, encaraco- 
lado. 

Karnúko, 8. beringela. 

Kasso, V. abrogar, annuUar, degradar, 
excluir, exonerar, demittir, depor. Os 
indigenas empregam também este 
termo para indicar que uma cousa se 
tira de um logar elevado onde se não 
chega facilmente. 

Kasso-an, v. abdicar, demittir-se, lar- 
gar o logar. 

Kasso-òna, a. e part. deposto. 

Kassôri, v. inclinar. 

Kasaôri, a. inclinado. 

Kassumba, 8. cachimbo. Este termo 
parece o português estropeado como 
tantos outros. 

K&tak, r. affirmar, allegar, articular, 
dizer, enunciar, explicar, expor, ex- 
pressar, exprimir, falar, narrar, pro- 
por, referir, significar, vulgarizar. Este 
termo serve de radical a muitos ver- 
bos e outras palavras. 

K&tak, 8. narração. 

Kàtak-aàte, v. murmurar. 

Kàtak-akaàs, v. afiançar, assegurar, 
asseverar. 

Kàteú^-bà, V. dizer. Que só tem esta 
forma como imperativo «dize»; No 
Diccionario citado, a pag. 408, dá-se 
também a significação de tocar, refe- 
rindo-se ao que parece a qualquer 
assunto. 

K&tak-bibiite, v. falar alto, fazer bu- 
lha, gritar. 

Kàtak-bóssok) v. mentir, pregar men- 
tiras ou petas. 

Kàtak bôtobóto, v. murmurar em se- 
gredo. 

Kéttak-bnate, «. frioleira, insignifícan- 
cír, ninharia. 

Kàtak-diak, v. approvar, bem dizer, 
dizer bem, elogiar, encomiar, lou- 
var. 

Kéitak-fali, v. bisar, repetir, tornar a 
dizer. 



KAT 



138 



KEH 



Kàtak-fólin, v, ayaliar. 

KÀtak>hanéssan, v. condizer, redi- 
zer, repetir. 

Kàtaíc-liôri, v, difficultar, embaraçar, 
empecer. 

Elàtiík-liôsao, v. arguir, calpar, encol- 
par. 

K&tak-km&nek, v. louvar. 

Kéttak-kontra, v. contradizer, contra- 
riar. 

Kàrtak-lós, V. acertar, aclarar, afian- 
çar, afiirmar, assegurar, asseverar, 
confessar, confirmar. 

Kàtak na&k, loc. adv. diz que. 

Kàtak nanôko, v. mandar calar. Pondo 
o dedo sobre os lábios. 

K&tak nàran, v. dar o nome. 

Kéttak neé, loc. adv. a saber, isto é. 

Kàtak rasslk, v. dizer boçalmente. 

Kàtak-s&e, v. accusar, descobrir, des- 
pedir, lamentar-se. 

Kâtak-sékar, v. contradizer, contra- 
riar. 

Kàtak-sala, v. confessar, confessar-se, 
penitenciar-se. 

Kátak simo, v. accusar a recepção 

Kà>tak-tim, r. contradizer- se, desdi- 
zer-se. 

Kàtak-úlnko, v. adivinhar, antecipar, 
predizer. 

Kàtal, V. coçar. Este termo é provavel- 
mente uma deturpação do português. 
V. Katar. 

Kàtal, 8. coceira, comichão, formiguei- 
ro, prurido. 

Ká^tar, 8. comichão. Este termo foi in- 
troduzido do português pela acção 
de catar a cabeça quando nella ha 
grande comichão pela falta de asseio, 
o que é muito vulgar nos indígenas. 

Kataro, «. catarro. Este termo foi in- 
troduzido do português, e ficou estro- 
peado em consequência da difiicul- 
dade dos indígenas em dobrar o R. 

£ate, 8. cate. Denominação de um peso 
usado em todo o Oriente, o qual tem 
aproximadamente uma libra ou doze 
onças; foi introduzido no uso e na 
linguagem dos indígenas pelos com- 
merciantes chinas, de modo que é 
quasi geral. 

K&teki, V. observar, ver com attenção. 

Katen, v. aprender, entender. 

Kateri, a. tesoura. 

Katl, 8. chamar (os cães). 

Katuas, a. ancião, encanecido, idoso, 
longevo, velho. 

Xatnas dàdaun, v. fazer-ie velho. 



Katnas-òna, o. velhíssimo. 

Katoma, s. cl^to, peolho ladro. 

Kauà, V. gprasnar. 

Kauà, 8. corvo. 

Kaaaik, a. o mais velho, primogeni 

Kanere, v. alisar, cepilhar. 

Kaaere, a. liso, polido. 

Kaukan, #. mal cozido. 

Kà.nko, t*. não distinguir. 

K&nko, 8. estupidez, ignorância, nece- 
dade. 

KÃuko, a. estúpido^ idiota, ignorante.! 
imperito. Os indígenas também usam 
este termo para indicar os irracio- 
naes em estado selvagem. 

KaassOy a. torto. 

K&ato, 8, alforge, bolça, saca, saco. ta* 
lega. 

Kànto bote, 8. saco grande. 

Kànto-nacôno, «. ai forjada, alforge 
cheio. 

Kbab&mko, «. espeto. 

Kbabébal, 8. borboleta. 

Kbabédal, 8, barata grande alourada. 

Kbàen, «. ancião, idoso, velho. 

Kbàen, a. acabado, velho. 

Kbàbin, 8. lado. 

Kbàhin-ráin, s. costella. 

Kbàr, 8. travo. Alguns indígenas, mnito 
raros, dizem «kpar*, em consequên- 
cia de ouvirem assim os portugueses, 
e poderem pronunciar o P. 

Kb&s, 8. hombro. Alguns indígenas, ra- 
ros, dizem «kpás», po): assim ouvi- 
rem dizer os portugueses europeus. 

Kb&nko, 17. perturbar. 

KbÀuko, 8. perturbução. 

Kbàoko, a. perturbado. 

Kbilte, 8. alento, força. 

Kbiite, a. forte, poderoso, valente. 

Kbiite-balo, v. dar força, fortalecer. 

Kdétdal, 8. cavaca. 

Kdédal, 8. voz tremula. 

Kdók, adv. aparte. 

Kdól, 8. liquido denso. 

Kdoók, a. longínquo. 

Kdoók, adv. longe. 

Kébite, V. arranhar, beliscar, depeni- 
car. 

Kédan, adv. agora, já, mesmo, próprio. 

Kedaa, adv. agora, já, mesmo, próprio. 

Kede, 8. cócegas. 

Kedo, 8. rã, sapo. 

Keô, V. cavar, cultivar, escavar. 

Keé-múrak, v. minar. 

Keé-rai, v. escavar. 

Keé-rai, a. escavado. 

Kelie, V. abanar com leque. 



KET 



139 



RID 



3he, 8. abano, leque. 
5in, V. acautelar. 
âin, 8. cautella. 
èkar, i). espalhar. 

8ke, V, arrastar. Este termo é em- 
pregado pelos indígenas para indicar 
a queima da lenha e do cisco, folhas 
e mais resíduos das hortas, com o fim 
de produzir estrume. 
&ko, V. abanar oj dentes. Igualmente 
empregam os indígenas este termo 
para significar o acto de arrancar ar- 
vores. 

ékuko, V. abanar os dentes, 
ékuko, s. movimento, 
ela, 8. grillo. 

ela bétik, s, grillo pequeno. 
ela ukif 8 grillo grande. « 

élen, s. coixa, gambia, perna. Alguns 
indígenas também designam com este 
termo a palapa ou peciolo da pal- 
meira. 

élen-kabissen, «. caimbra (na per- 
na). » 
élen-sttssuiiko, s. verilha. 
eno, 8. caneca, copo. 
erai, s. enxada. 
érek, 8. enxurdeiro. 
és, V. riscar. Os indígenas empregam 
este termo para indicar os riscos que 
fazem no chifre de búfalo para cortar 
08 pentes q<ie usam, bem como os ins- 
trumentos que lhe servem para abrir 
os dentes dos mesmos pentes, 
lessa, 8. borralho, cinzeiro, 
léssak, 8. palito, ponteiro, 
léssar, v. queixar-se. Este termo pa- 
rece ter sido introduzido do portu- 
guês, ficando estropeado pela diffi- 
culdade dos indígenas em pronunciar 

o som do X. 

essi, V. amarrar, prender. 
es si, 8. amarração, 
essi, a. amarrado, preso, 
essi-mátan, v. vender, 
easi tali, v. amarrar com fio. 
eta, V. abster-se, apartar, cohibir, se- 
parar. 

^eta, 8. balisa. 
leta-bote, 8, poste, 
leta-fahe, v, poupar, 
létak, a. desigual, differente, diverso, 

outro, 
létak, conj. aparte, 
leta-kétaky adv. aparte, 
leta-kuda, 8. baia. 
leta-òa, v. desmamar, 
teta-rai, v, balisar. 



Keta-rai, a. balisado. 

Keta-tânko, a. medroso. 

Kfak, a. bruto, estúpido, fátuo,, idiota^ 
ignaro, ignavo, ignorante, néscio, pa- 
lerma, pateta. 

Kfàlur, a. pombo. 

Kfàlnr-inan, «. pomba. 

Kfidel, ê. caco (de louça). 

Kfilak, V. mudar de ideias. 

Kfilak, a. volúvel. 

Elfilak-lia, v. contradiz er-se, desdi- 
zer-se. 

Kfissui, 8. apostema, fleimâo, leicen- 
ço, nascida. 

Kássnl-maran, 8. tumor. 

Kflssul-ôan, 8, ache, ferida. 

Kfóer, 8. borrão, enxovia, impureza, 
mancha, nódoa, porcaria, sordidez, 
sujidade. 

Kfóer, a. asqueroso, borrado, esquáli- 
do, hediondo, immundo, indecente, 
manchado, nojento, obsceno, porco, 
sebento, sensual, sórdido, sujo, torpe. 

Kfoli, 8. langutim. 

Kfótak, V. escavar. 

Kfúak, 8. ajuntamento, cardume, con- 
gregação. 

Kfuan, 8. bafio. Usado somente em al- 
guns pontos. 

Kfudik, V. fingir. 

KfCidik, 8. fingimento. 

Kfúi, 8. pifano. 

Kfúluko, 8. p61o. 

Kfúmite, 8. a polpa do fruto da man- 
gueira. 

Ktúnan, s. bolor. 

Kfúnair-dois 8 bafio. 

Kfusso, V. cardar. 

Kfuti, 8. verruga. 

Kl a, V. chamar, chiar, chilrar^, chilrear, 
chorar, piar. Os indígenas empregam 
este termo quasí unicamente a pro- 
pósito das aves. 

Kiak, 8. lazeira, necessidade, penúria, 
pobreza. 

Kiak, a. coitado, falto, indigente, men- 
digo, mesquinho, miserável, necessi- 
tado, pobre, proletário. 

Kiak-uma, s. hospital. 

Kiar, 8. arvore que produz a fruta de- 
nominada «canária». Uma espécie de- 
amendoa de gosto muito agradável,, 
de que se faz excellente doce. 

Kidan, 8. ancas, cadeiras, quadris, ná- 
degas. 

Kidan klôuko, 8. nádegas salientes. 

Kidan kuis, 8. nádegas magras. 

Kidun, 8. anus, cesso, cu, fiindo. 



KIS 



140 



RLA 



Kie, «. dor passageira. 

Kii, a. tia (irmã do pae). 

Kiik, a. pequeno. Este termo ^somente 
é usado pelos indígenas das monta^ 
nhãs. 

Elik, a. exíguo, maneiro, meudo, parco, 
pequeno. 

Kiki, s. frio (que antecede a febre in- 
termittente). 

Klki iknn, v. sacudir o rabo. 

KIkir, s. lado. Os indígenas empregam 
este termo para designar cada um 
dos lados da cabeça. 

Kikiro, V. sacudir. Este termo empre- 
ga-se para indicar os animaes que 
sacodem o corpo depois de se terem 
espojado ou esperguiçado. 

Kikite, a. escama. 

Kik-liUy a. menor, mínimo, pequenino, 
ténue. 

Kilate, a, arma, bacamarte, boca de 
fogo, carabina, espingarda, peça. 

Kilate-bàdak, a. clavina, escopeta. 

Kilate-bitin, a. os ferros da coronha 
da espingarda. 

Kilate-bote, a. arcabuz. , 

Kilate-d&btir, a. caçoleta. £ curiosa a 
maneira como os indígenas formam as 
palavras compostas ; aqui por exem- 
plo détbur é cosínha, mas como na 
cosinba ha fogo, e na caçoleta da ar- 
ma se faz fogo, chamam-lhe a cosi- 
nba da arma. 

Kilate-fúan, a. bala. 

Kilate-fassil, a. fusil (da fecharia). 

Kilate-kik, a. pistola. 

Kilate-kússin, a. coronha, culatra. 

Elilate-léten, a. trovão, trovoada. 

Kilate-r&liun, a. pólvora. 

Kilate-tilmi, a. ouvido (da arma), lo- 
gar para a espoleta. 

Kilate-uàin, a. espingardcria. 

Kili, V. fazer cócegas. 

Kinikiniy a. cascavel. 

Kinkini, a. guiso. 

Kinnr, a. açafrão. 

Kiokàe, a. codorniz. 

Klraka, a. negridão, negrume. 

Kiraka métan, s. ceu toldado, nuvem 
negra. 

Kiran, a. membrana. 

Kirate, v. cardar. 

Kisso, V. tirar. Este termo empregam 
os indígenas para indicar que tiram 
quaesquer objectos, de um buraco ou 
saco estreito, com as pontas dos dedos. 

Kisso-néhan, v. esgaravatar os den- 
tes com os dedos. 



Kisso-tilun, t*. esgaravatar os onvi 
dos com os dedos. 

Kiti, a, cócegas. 

Kititili, «. pirilampo. 

Kititili-den, a, luz do pirilampo. 

Kiuko, a. estéril. . 

Klabi, a. andar de casas, casa de um 
andar. 

Klabl klabis, s. casa de vários anda* 
res. 

Klabis, a, andares de casas. 

Klâ^bis, a. liso, polido. 

Klàbite, V. alisar, polir. 

Ellabite, o. liso, polido. 

Klétdak, a. carraça. 

Kladik, V. balisar. 

m&dik, a. balisa, marco. 

KlÀek, a. gafanhoto. 

KlÀbate, a. rede. 

Klak, a. brasa. 

Klákate, a. rachado. Termo com qae 
os indígenas indicam que um bambo 
é rachado numa das extremidades, oa 
para colher fruta ou para pôr as tige- 
linhas nas illuminaçocs publicas por 
festejos. 

Kl&ken, a. cardume. 

KlalÀi, V. fiar. 

Klal&i, a. broca. 

KlÀlak, V. gritar, vozear. 

Klal&lak, v. gritar, vozear. Este termo 
só se emprega a propósito de muito 
grande algazarra. 

KlalÀlak, a. algazari*a, celeuma, grita- 
ria, vozearia, voz em grita. 

Klalata, a, lousa. De apanhar pássaros. 

Klal&tak, a. sombra de uma pessoa. 

Klalénak, a. espelho. 

Klalênok, a. espelho. 

Klalétek, a. encosta de montanha, la- 
deira, lomba, cerro. 

Klaléuko, a, zig-zag. 

Klalissnko, a. dobadoura. 

KlaltLtuko, a. cortelho de porcos, cur- 
ral de porcos. 

Klàmar, a. alma, consciência, espirito. 

Klâmar-hanôin, a. imaginação, mente. 
pensamento. 

Klâ,mar-haâ, v. nutrir o espirito. 

Klá.mar-nia, a. espiritual, intellectua), 
mental. 

Klara, a. tio. 

Klétran, a. centro, meio. Os indigenat 
empregam também este termo para 
designar o tio, que não é o mais novo, 
nem o mais velho dos irmãos do pae 
quando os tem. 

Klàran, a. meado. O que está no meio. 



KU 



141 



KMA 



làran, prt^. contra. 

léiriniko, s, pau pequeno. De que os 
indígenas se servem para deitar 
abaixo os frutos das arvores. 

lata, 8. bicho do bambu. 

lata-nan, s. cárie. Os indígenas di- 
zem que a carie dos dentes é um bi- 
cho como o que roe os bambus. 

latarài, s. lagarta. 

lauto, 8., fatia, posta. 

léan, 8. abysmo, baixo, profundidade. 
Os indígenas também empregam este 
termo para designarão mal interior 
que sentem. 

léan, a. fundo, profundo. 

lleba, V. desobedecer. 

leba, 8. desobediência. 

leba, a. desobediente. 

léhek, r. relaxar. 

léhek, 8. relaxação. 

lléliek, a. relaxado. 

lléikate, s. rã. 

llékar, «. intelligente. 

liékate, 8. râ. Este termo é geral- 
mente usado pelos indígenas da con- 
tra-costa, pois os da costa norte di- 
zem a maior parte Kléikate. 

llénan, s, abysmo. Pareceu-nos este 
termo o plural de Klean, mas por 
mais diligencia que azemos para ob- 
ter a prova da parte dosi indígenas, 
nâo podemos conseguir explicação 
convincente. ^ 

Lies, 8. campo, descampado, pousio. 
Terreno sem arvores e que apenas pro- 
duz erva. 

Iles-ftinan, 8. jardim. 

Cles-kik, 8. cerca, quintal. 

Llétak, V. importar-se. 

lléu, 8. arco, argola, círculo. 

Llénko, a. curva, semi-circulo. 

^ènko, a. curvo, sinuoso, torcido, torto. 

Uéur, V. aturar, demorar, durar, pau- 
sar, prolongar. 

Qéur, 8, demora, duração, pausa. 

lléur, a. annoBO, antigo, diuturno. 

Llenro, i\ chegar tarde, demorar-se, 
deter-se, tardar. 

Lléuro, 8. delonga, demora. 

Llèuro, adv. tarde. 

llénro-bissen, ,a. tardio. 

Lléur-ôna, loc. adv. desde muito antes, 
ha muito tempo. 

^éaro ôna, loc. adv. ha muito tempo? 
que tempo ha? 

i^léaro-réssin, adv. a deshoras. 

^iak, 8. coUo, gargalo, gola, pescoço. 

Cliak, a. impar, nones. 



Kllak-bókar, $. cachaço. 

Klian, a. grande. 

KlidQko, a. convexo. 

Klik, a. impar, nones. 

Klili, 8, sovaco. 

Klill-ktiak, 8. sovaco. 

iClir, V. entortar. 

Klir, a. torcido, torto. 

Klissak, ê. lêndea. 

Klinr, 8. cinto. Uma espécie de cinto 
do tear, indígena, em que se tecem os 
panos e sarões. 

Kló, a. muito alto 

Klóbar, 8. latada. 

Klóbik, V, atrophiar, definhar, exte- 
nuar. 

Klóbik, a. atrophiadO; definhado, ex- 
tenuado. 

Klók, V. importar-se. 

Klók, a. cuidadoso. 

Klolókon, 8. delírio. % 

Klolon, «. fumo. 

Klor, 8. a curva do joelho. 

Klôr, 8. pegada, rasto. 

Klóran, a. linha torcida. 

Klóssan, a. adolescente, innupto. Tam- 
bém os indígenas empregam ás vezes 
este termo para indicar o estado celi- 
batário. 

Klóssnko, s. lança. 

Klote, 8. angustia. Os indígenas dão 
esto nome principalmente ao calor 
produzido pelo fogo constante que fa- 
zem durante os primeiros oito ou dez 
dias que se seguem ao parto, por baixo 
do lanten ou cama em que as mulhe- 
res dão á luz. 

Klot;e, a. apertado. 

Klote-uko, 8. estreito, parte estreita. 

Klótúko, a. agudo, delgado, fino, 
meudo. 

KltLan, 8. formiga pequena e verme- 
lha. 

Klubnko, a. amputado, castrado, muti- 
lado. 

Kluki, 8. caranguejo da praia. 

Kluni, 8. almofada, chumaço, estofo, 
travesseiro. 

Kluni-bote, «. almofadâo. 

Kluni-kik, a. almofadinha. 

Klússin, 8. lombo. 

Klússin-issin, a. lombada. 

Klússin-rúin, a, espinhaço. 

Kmaba, v, gelar. 

Kmaba, a. gelado. 

Kmaba-aén, a. cacimba, humidade, 
orvalho, sereno.^ 

Kmàl, a. collar. E o nome que os in- 



142 



KNE 



digenas dâo aos coUares que usam 
ao pescoço, tanto homens como ma- 
Iheres, compostos de contas varia- 
das em cores e tamanhos. 

Kmamàhan, «. barraca, sombra, ten- 
da. Este termo é empregado pelos 
indígenas para indicar umas casas 
que sâo constraidaa nos pontos que 
geralmente são indicados para des- 
cansarem ou pernoitarem os funecio- 
narios que vâo em qualquer serviço 
ao interior da ilba, e mesmo quaes- 
quer forças ou caravanas que transi- 
tam fora dos seus reinos. 

Kmamàlmn, s, burraca, tenda. V. 
Kmamahan. 

Kmàmar, «. liberdade. 

Kmàmar, a. liberal. 

Kmamókoko, #«. bochecha. 

Kmàmuko, s. cavidade. 

Kmétmako, a^ despegado, despido, des- 
tituído, ôco, nu, vácuo, vago, vão, vazio. 

Kmàmnko, v. ser mudo. 

Kmàmoko, s. mudez. 

Kman, s. agilidade, destreza, ligeireza, 
velocidade. 

Kman, a. agil, desembaraçado, destro, 
lesto, Icve^ ligeiro, veloz. 

Kmétnek, s. beldade, belleza, bem^ bem- 
aventurança, benignidade, bondade, 
per£BÍção. 

KmâJiek, a. bello, bemaventurado, 
bemdito, bom, bonito, ditoso, esplen- 
dido, flórido, formoso, lindo, magni- 
fico, perfeito, precioso, primoroso, 
proficuo, selecto, vistoso. 

Kmá,nek-liTi, a. melhor, óptimo, perfei- 
tíssimo. 

KmAnek-lJTi, ac2t\ bellamente, melhor- 
mente, perfeitamente. 

Kmà.os, V. enriquecer, ser rico. 

Kmàos, s. cabedal, riqueza. 

Kmàos, a. abastado, adinheirado, afa- 
zendsdo, afortunado, grandioso, ma- 
jestoso, opulento, rico. 

Kmàos-lin, v. nadar em bens ou em 
riquezas. 

Kmátek, a. pacato, pacifico, quieto, so- 
cegado. 

Kméik, 8. pico aguçado. 

Kmèite, a. avarento, avaro. 

Kmela, s. pulga. 

Kmétlk, a. espesso. 

Kmiy 8. arvore que produz o bucarás 
que serve para illuminação, como se 
explicou a pag 97. 

Xmin, 8. arvore cuja fruta pisada serve 
para dar luz. 



Kmirai, 8. formiga brancs. 

Kmôdc^, «. hortaliça. 

Kmódok, a. amarei lo, louro, rofu, roli 

Kmódok-ôna, v. enlourecer. 

Kmódnn, «. modo. Este termo é tal 
o «modo» português a que os indi; 
nas do interior antepnaeram o 
como tem por habito. 

Kmoék, 8. elegância. 

Kmoék, a, elegante. 

Kmólak, «. as covas que fazem na fi 
a falta de dentes. 

Kmólak, a. desdentado. 

Kmoluko, a. desconhecido, desprezai 
enjeirado, só. 

Kmómok, a. basofio. Este termo, t 
uso quasi geral nos reinos da cont 
costa, é por assim dizer deseonhec 
em Dilly e mais pontos da costa doi 

Kmoók, a. basofio, vanglorioso. 

Kmooko, a. descascado. 

Kmôuko, a. liso. 

Kmais, 8. tanga. 

Kmnrak, 8. pedra preciosa. 

Kmúrak-móan, 8. ouro. 

Kmórak-mútin, s. prata. 

Kmúrak-Tiàin, 8, pedraria. 

Knaàl, t-. cerimonia, cortesia, cumpri- 
mento, mesura. 

Knàban, 8. baldy, ceira, cesto. Eet^ 
termo é empregado príncipalmeDte 
para Resignar uma espécie de balde 
ieito de uma folha de certa palmeira. 
amarrada no centro com um fio tia 
mesma, e a que os europeus duo o 
nome de timba. 

Knaban-bote, s. cabaz, cesto vindimo. 

Knàban-kik, «. cestinha, cestinho. 

Knârdek, v. chorar sem motivo. 

Knados, 8. cunha. 

Knàhan, «. despojos de guerra. 

Knâjnak, 8. lagarta, larva. 

Knanôik, «. exemplo. 

ELnanoko, v. cantar. 

Kiiâ.niiko, 8. cantiga, canto. 

K n An nko-fuan, <. cântico. 

Elnàr, v. trabalhar. 

Knàr, s. serviço, trabalho. 

Knàr-kòto, r. acabar, finalizar. 

Knar-nétin, s. trabalhador. 

Knasse, s. marisco. Os indígenas dá* 
este nome mais especialmente á la 
gosta. 

Knássuko, s. catinga, cheiro do corp( 
de suor. 

Knédak, s. colher grande para servi 
arroz. 

Knédok, s, idem. 



KOA 



143 



KOfi 



iiêi, 8, cascavel, gaieo. 

Jiénnko, s. tinta vermelha. 

Jió, a. pacato, pacifico, quieto, soce- 

gado. 

Inôan, s. friso. 

Jiore, s. pano. Que indica luto e que 
os iudigenaB, tauto homens como mu- 
lheres*, enrolam á cabeça. 

InôrOy 8. parte do tear indígena. 

Lnórals:o, s. nuca, toutiço. 

Lnóruko-ktiaJc, s. a cova do ladrão a 
baixo da nuca. 

[nós, s, cambo. 

[nóssen, s. costella. 

[nóssen róin, s. costella partida. 

Lnótak, v. apertar-se, cintar-se, cn- 
faixar-se, ligar-ee. 

Lnótak, «. cinturão. Os indígenas dâo 
igualmente esta denominação aos ra- 
mos entrelaçados, que formam uma 
sebe., para separar as propriedades 
de differentes donos. - 

Cnótak-fassa, a. corcunda, corcovado, 
giboso, marreca. 

^nótak moras, s. dores de parto. 

^ua, 8. aldeia, casal, habitação, po- 
voação., villa. 

Inna fákan, s. suco de reino. 

^úaik, 8. aldeia. 

^na-kik, «. logarejo. 

[inúa-léo, 8. povoavão. 

^núan, s. cal)aça. Os indígenas empre- 
gam também este termo para signifi- 
car a bainha de uma espada. 

Bjiúa-ôaa, «. aldeia. 

KjiTíar, 8. cheiro. 

Knnba, s. parte do tear indígena. 

Knúdak, 8. sofreguidão. 

^údak, a. voraz. 

Knúko, 8. ninho. 

Kniila, 8. garrafa. 

KnxLl&n, V. arrolhar, rolhar. 

Knulo, 8, acha, archote. 

Knxiro, 8. colher. 

Kniissttko, 8. trado. Ferro que, posto 
em brasa, serve para fazer furos em 
madeira e em bambu para serem uti- 
lizados em certos serviços. 

Kó, prep. como. A qual se usa antes da 
Begunda pessoa do singular, exemplo 

, haú iDÀ kó ó «eu vou comtigo». 

Kôa, V. amputar, atalhar, capar, cas- 
trar, ceifar, cortar, fanar, golpear, 
interceptar, inutilizar, mutilar, po- 
dar, talhar. 

Kôa, s. amputação, excisão. 

£oá, 17. grasnar. 

£o&, «. corvo, gralha. 



Koabes, s. goiaba. 

Kôa-âaúto, v, ceifar, segar cereaes. 

Kòain, V. caçar. 

Kôain, 8. caça. 

Kôa-ixmr, v. desnarigar. 

Kôa-kanek, 8. golpe. 

Koàlélok, 5. andorinha. 

Kôa-lia, 17. cortar a palavra, decidir. 

Kôa-liras, v. desasar. 

Kôa lótnko, v. cortar em pedaços, 
trinchar. 

Kôan, «. carinho, caro amigo, compa- 
nheiro. Alguns indígenas empregam 
este termo também para indicar um 
comilão, ou papa -jantar es. 

Kôan, a. estimado. £ste termo é em- 
pregado pelos indígenas como trata- 
mento, quando dirigido ás crianças 
das famílias dos régulos indígenas. 

Kôan-doben, a. queiido. . 

Kôan-màlnko, «. companheiro. 

Kôa-ôna, a. capado, castrado. 

Kôan-ten, 8. ladrão. 

Kôa-tótak, 17. esquartejar, fazer em 
quartos. 

Kobi, V. copiar, trasladar. Este termo 
foi introduzido do português, mas fi- 
cou estropeado em consequência da 
difiiculdade que os indígenas teem em 
pronunciar o P. 

Kobi, 8. copia, traslado. 

Kôbi, 8. couve. Igualmente introduzido 
do português. 

Kôbo, 8. copo. Também introduzido 
do português. V. Kobi. 

Kobo-kobo, 8. borboleta. Introduzido 
do crioulo de Macau copo- copo. 

Kodo, 8. doença, mal. 

Kódok, 8. lepra. 

Kódokata, a. samento, samoso. 

Kódok-mérik, 8 sarna. 

Kódô-kolar, 8, doença das bexigas. 

Kolie, «. charuteira, cigarreira, taba- 
queira. O significado primitivo e o 
mais empregado pelos indígenas é 
uma espécie de saco tecido de folha 
de palmeira, em que conduzem sem- 
pre areca, bétel, cal e tabaco, para 
mascar, e somente depois do trato 
com os europeus começaram a fazer 
cigarreiras e charuteiras e a dar- lhe 
a mesma denominação. 

Koke-lúlun, 8. cigarreira Esta expres- 
são indica uma pequena cigarreira 
de um tecido muito fino, de folha de 
palmeira, que os indígenas fazem 
para uso dos europeus. Algumas ha 
muito perfeitas, e até com as iniciaes 



KOK 



144 



RON 



do nome que lhe mandam pôr e exe- 
cutam mesmo sem que elles saibam 
ler nem escrever. 

Kolie-mâ,ma, «. tabaqueira. Esta ex- 
pressão é geralmente usada no inte- 
rior da ilha e na contra -costa, com a 
mesma significação dó Kohe que 
tem mais uso em Dilly e suas imme- 
diaçòes. V. Kohe. 

Kóhen, s. grelo desenvolvido. 

Kohe-riak, s. charuteira. Dão os indí- 
genas este nome ás charuteiras e ci- 
garreiras que fazem para os euro- 
peus, e que elles próprios não usam. 
V. Kohe-ltLlxm. 

Kôhi, V. acenar, agarrar (alguém que 
quer fugir). 

Kohn, 8. carepa, caspa. 

Koi, V. arranhar, coçar, esgravatar, ra- 
lar, rapar, raspar. 

Koi, a. rapado, raspado. 

Koiaba, s. goiaba. Fruta oriunda do In- 
dustâo. £ste termo foi introduzido do 
português, mas ficou estropeado em 
consequência da difiiculdade dos in- 
dígenas em pronunciar o som do G. 

Koi-an, V. agatanhar-se. 

Koi&ssan, v. barbear. 

Koilan, 8. agua estagnada. Dão os in- 
dígenas esta denominação aos pânta- 
nos e paúes de aguas pútridas que 
exiátem por todo o litoral, princi- 
palmente na costa norte, e que os eu- 
ropeus denominam «coilões». 

Koin, 8. falador. 

Koir, r. rapar, raspar. 

Koir, a. rapado, raspado. 

Kois, V. descambar, escorregar. 

Kois, a. descambado, escorregadio, es- 
correguento. 

Kokar, v. andar de noite, espreitar. 
Este termo parece ter sido introdu- 
zido do português pelas expressões 
«andar á coca», «estar á coca>, «co- 
car». 

Kôko, V. apalpar, ensaiar, experimen- 
tar, observar, provar. 

Kôko, 8. apalpadela, ensaio, experiên- 
cia, observação, prova. 

Kókok, a. gago. 

Kokorek, v. cantar do gallo. 

Kókoték, V. cacarejar da gallinha. 

Kókotérek, s. gaita. Espécie de instru- 
mento feito pelos indígenas, de bam- 
bu, com uma chareta de coco em a ex- 
tremidade, o que lhe dá a apparencia 
de um clarinete. 

Kokotók, V. experimentar. 



Kokotók, 8. experiência. 

Kokotók, a. experiente. 

Kolabúr, v. abolorecer. 

Kolàbur, s. bafio, bolor. 

Kolabnr, a. bolorento. 

Kólan, 8. agua morta, charco, lago. 
pântano, paul. Os europeus dizem 
«coilão». 

Kólar, 8. contagião. moléstia das be- 
xigas. 

Kólar-àtan, a. bexigoso. 

Kólar-n&ln, a. bexigoso. 

Kole, V. afadigar, afadigar-se, cansar. 
cansar- se, enfadar-se, esta&r-se, fati- 
gar- se, lidar. 

Kole, 8. canseira, cansasso, enfado, es- 
tafa, fftdiga, incommodo, trabalho. Al- 
guns indígenas dão também este no- 
me a umas feridas parecidas com as 
bobas syphiliticas de Moçambique, 
mas a mais usada significação é : fo- 
lha da palmeira que se emprega para 
fazer esteiras, cestos e sacos. 

Kole, a. afadigado, cansado, enfadado. 
estenuado. 

Kole-ladiak, v. esfalfar-se. 

Kole leéte, v. cansar-se de balde. 
cansar-se sem proveito, malhar em 
ferro frio, trabalhar em vão. 

Kole-ôna, a. en&dado, estafado, fati- 
gado. 

Kolo, V. innovar. 

Kolú, V. arregaçar-se, desnudar-se. 
despir, despir-se. 

Kómak, a. destituído, incapaz. 

Kóman, 8. aresta superior do pescoço 
do cavallo, onde nascem as crinas. 

Kòman, 8. carapinha. 

Kom&rk, 8. comadre. Este termo foi 
talvez introduzido do português. 

Kombare, 8. compadre. Este termo foi 
igualmente introduzido do português, 
ficou estropeado pela difiiculdade em 
pronunciar o P, mas alguns indíge- 
nas já dizem Compare, principal- 
mente em Dilly e vizinhanças. 

Kombile, 8. tubérculo. Semelhante á 
batata doce e que os indígenas em- 
pregam na sua alimentação. 

Kómen, 8. Y. Kóman. 

Kómen faúko, 8. crina de cavallo. 

Komokômo, 8. crina de cavallo. 

Kôna, V. acertar, atinar, passar, per- 
tencer, tocar. 

Kôna-lima, 8, toque. 

Konsinte, v. annuir, consentir. Termo 
introduzido do portugaês sem neces- 
sidade alguma, visto existirem no 



KOS 



145 



KRA 



Teto os verbos Hakã.rak «consentir» 
e Ktúir «annuiro. 

lenta, V. contar. Palavra portuguesa 
perfeitamente radicada no Teto. 
lonta, 8. conta. 

lontra, a. adversário, contra, contra- 
rio, inimigo. Este termo foi introdu- 
zido do português, e acha-se tão ra- 
dicado e tanto, em uso que por toda 
a parte se ouve na boca dos indige- 
nas, e comtudo elle tem o seu cor- 
respondente em Teto que é As- 
sôro. 

'ontra, ptep, contra. 
!ora, V. serrar. Os indígenas empre- 
gam também este termo para desi- 
gnar uma espécie de união ou confe- 
deração que elles formam, segundo os 
seus usos, para fazer opposição a 
qualquer ordem, ou para n guerra. 
Em certos casos graves fazem um ju- 
ramento sagrado, fazeiído-ee sangue 
que bebem mutuamente para firmeza 
d'elle. 

^ora, a, alliado (que bebeu sangue), 
ore, V. desamarrar, desapertar, des- 
atar, descoser, desenvencilhar, desli- 
gar, desmanchar, desprender. Este 
termo é quasi geralmente usado para 
indicar que a febre do doente passou 
ou remittiu. 

ore-klôu, v. desenroscar. 
ore-kúda, v. desalbardar, desappare- 
Ihar. 

ore-lúlun, v. desembrulhar, 
orkora,^. embarcação (construída em 
Timor sob a direcção dos europeus e 
que navega a remos ou a velas pró- 
ximo da costa da Ilha), 
orlina, v, alinhavar. Este termo foi 
introduzido do português da expres- 
são «corra a linha», 
orlina, a. alinhavo. 
Drtel, V. aprisionar, deter, prender. 
Este termo provém do facto de estar 
desde tempos immemorlaes a cadeia 
contigua ao qu£^rtel e entregue á 
guarda principal do mesmo, o que só 
ultimamente findou quando se fez 
uma nova cadeia inteiramente sepa- 
rada. 

)rtel, 8, captivo, preso, prisioneiro. 
)rú, 8, cigarra. 

)rúbé, 8. aguadeiro, vedor. Que pro- 
cura agua. 

)s, 8. camisa^ capa, carapela. 
)ssal, V. suar. 
)ssal, 8, suor. 



Kóssal, a. suado. 

Kóssal-ladiak, v, banhar-se em suor. 

Kóssal-nàin, v. cobrir-se de suo). 

Kóssar, v. suar. Principalmente em uso 
no interior da ilha. 

Kóssar, 8. suor. 

Kóssar, a. &uado. 

Kosse, V. besuntar, desgastar, esfre- 
gar, friccionar, ungir, untar. Os in- 
dígenas empregam também este ter- 
mo antepondo-lhe ahí, para designar 
o fósforo, pela circumstancia de ter 
de friccionar para produzir o fogo. 

Kosse, 8, fricção. 

Kosse-haú, v. rebocar (a parede). 

Kosse-lilin, v. encerar. 

Kosse-màssin, v. salgar. 

Kosse-midel, v. adoçar. 

Kóssun, 8. gordura. Dão os indígenas 
este nome a certa gordura que tem o 
animal próprio do pais denominado 
Bôa oméda». 

Kota, 8. baluarte, bateria, eastello, 
fortaleza, forte, fortificação, presidio, 
tranqueira, trincheira. Também os 
Indigenas empregam este termo para 
Indicar um contra-ataque usado por 
elles, nas suas guerras gentilicas. 

Kota-kik, 8. foitim. 

Kótan, 8. lumiar. 

Kota-ôan, 8. fortim. 

Koték, V. cacarejar. . 

Kôto, V. cegar, ceifar, cortar. Também 
se emprega este termo em alguns pon- 
tos com a significação de finalizar, 
findar. 

Koto, 8. feijão branco. 

Kôto-fuúko, V. tosquiar. 

Kôto-ikun, V. derrabar. 

Kótolia, V. arbitrar, decidir, desempa- 
tar, sentenciar. 

Kótoko, 8, costas, dorso. 

Kótnko, prep. após, atrás. 

Kótuko-Âisso, a. corcovado, corcunda, 
glboso. 

Kótuko-hala, v. virar as costas. 

Kótnko-kruduko, s. corcova, corcunda, 
marreca. 

Kótako-krndako, a. corcovado, cor- 
cunda, derreado, giboso. 

Kótuko-nia, a. dorsal. 

Kótuko-rúin, a. espinhaço, espinha 
dorsal. 

Kônko, 8. roupa multo larga. 

Kràdek, v, encurtar. 

Kràdek, a. curto. 

Kráek, v. sujar. 

Krâek, 8. porcaria, sujidade. 

10 



>• 



KRU 



146 



KLD 



Kràek, a. porco, sujo. 

Kraes, a. immovel. 

Kràliate, v. carregar de mais. 

Kráiliuko, a. frágil, quebradiço. 

Kr&ik, s. baixa, baixo. 

Krô.ik, a. baixo, chão, inferior, rasteiro. 

Kràiky adv. abaixo. 

Elràik, prep. infra. 

Krar&s, a. canaiistula. 

Krarék, a. chafurdeiro, charco, ensun- 
deiro. 

Kraroko, v. seringar. 

Kraroko, a. clister, esguicho, seringa. 

Krébek, a. ruioas. 

Kreda, a igreja. Egte termo foi intro- 
duzido pelos primeiros missionários 
que entraram na ilha, os qaaes co- 
meçaram a sua catechese ensinando 
e explicando o credo, e d'ahi veio o 
darem os indígenas a denominação 
de uma créda — casa do credo, e 
mais tarde simplesmente «creia» — 
casa de Deus, ou igreja, ou aind» 
barca de b. Pedro, como lhe ensinam 
os padres. 

Kreéky v. servir (para alguma cousa), 
ser útil. 

Krekas, v. emagrecer. 

Krekas, a. lâzeira, magreza. 

Krekas, a descamado, macilento, ma- 
grizela, magro. 

Krekas-fall, v. emmagrecer, perder 
carnes. 

Krekas ladiak, v. fícar na espinha, 
transparente. 

Kreiíy a. lixo. Os indígenas dáo este 
nome á lenha e mais lixo que as 
cheias fazem trasbordar das ribeiras. 

Krlk, a. membro tolhido. 

Kriky a. direito, perpendicular, verti- 
cal. 

Krôate, a. gume. 

Kroâte, a. açude. 

Króeky v, corromper- se. 

Krôek, a. corrupto, podre. 

Krôhuko, a. eabelludo. hirsuto, peludo, 
piloso. 

Krolk, a. supporte. Os paus que susten- 
tam uma sebe a que os europeus cha- 
mam «pagai'». 

Kroik-inan, a. oa parafusos da espin- 
garda. 

Krtidako, a. corcunda, corcova, mar- 
reca. 

Krúduko, a. corcunda, corcovado, der- 
reado, giboso. 

Krókun, a. atarracado (o que é baixo 
e gordo). 



Krato, a. anelado, crespo, encrespado, 
risso. 

Krútuko, a. anelado, crespo, encres- 
pado, risso. 

Krunko, a. aleijado, curvo, curvada 
inclinado. 

KsÀkan, a. quadril, nádega. 

Ks&lak, «. animal a desmamar. 

Ksale, a. percevejo. 

KsÀmen, a. nervo, tendão. 

Ksólok, t*. consolar, destrahir, divirtir^ 
festejar. Este termo parece o portit 
guês estropeado. 

Ksólok, a. festa, festejo, festividade^ 
solemnidade. 

Ksólok, a. consolado, divertido. 

Ksúal, a. desleixo. 

Ksúal-ten, a. dealeixado, desmazelado^ 
preguiçoso. Um dos adjectivos feitoi 
pelos indígenas com a partícula teu. 

Ktiiir, V. aeceder, acompanhar, alcan- 
çar, annuir, condescender., enunciar, 
forçar, seguir, trilhar, violentar. 

KttLir-dadaim, v. acossar. 

Kttiir-mài, v. seguir, segnir-se. 

Kúak, a, buraco, cavidade, cova, eit 
trevallo, fisga, fresta, furo, olho d( 
ferramenta, vão. 

KtLak-bussa, a. gateira. 

KuÀik, a. muito, tanto. 

Kúak-ôan, a. buraquinho, orifício. 

Knana, a. direito ; o lado coontraiio ad 
esquerdo, 

Knar, a. lêndea desenvolvida, piolho 
pequeno. 

Kna-uén, a. orvalho. 

Kiiban, a. Cupão. Nome da capital da 
cjlonia dos hollandeses que está si- 
tuada na parte occideutal da ilha dl 
Timor e que elles escrevem Koepanç 

Kúbite, V. beliscar (com as pontas d<M 
dedos). 

Knda, v. plantar, transplantar. 

Kuda, a, besta, cavalgadura, cavallo^ 
ginete. 

Kada-ai, v, arborizar, pôr arvores. 

Knda-ata, a. boUeiro, cocheiro. 

Kvda-bàrak, a, cavallaria. 

Knda-bnis, a. cavallo fogt»8o. 

Kuda dadínis, «. crinas de cavallo. 

Kuda-fali, v. desplantar, dispor. 

Kada-fÀtin, a. cavallariça. 

Kuda forôko, a. cavallo embravecidt 

Kuda faúko, a. crinas de cavallo. 

Kada-hena, a. xairel. 

Kuda-hétin, a. cilha. 

Kuda ikun, a. cauda de cavallo. 

Knda-inan, a. égua. 



KUL 



147 



KLR 



dak, a. coxo, manco. 

da-kidan, s. anca de ca vallo, garupa. 

dakólar, v. vacinar. 

dakólar,' «. vacina. 

da-lassak, s. garanhão, homem ou 

uimal vicioso. 

da-lúbun, s. recua. 

da-lnhan, s. cavai larica. 

da-nàhan, s. alforjada. 

da-nia, a. bestial. 

da-ôan, s. potro. 

da-oé, 8. chicote, pingalim. 

daôna, part. semeado. 

darâi, v. agricultar, semear. 

da-sélan, s. jaez. 

da-tali, 8. arreata, rédea. 

da-ama, s. cavallariça. 

déi, V. coxear. 

déi, a. aleijado, cozo, manco. 

dir, V. accorrer, accudir, soccorrer. 

^8te termo foi introduzido do portu- 

ucs, e está tão radicado que se ouve 

or toda a ilh^i. 

duo, V. arrulhar, ruiar. 

duo, «. arrulho. 

ék, V. enganar. 

ék, 8. eogano. 

ere, s. planície, plano. 

ere, a. polido, liso, raso. 

is, V. secar. 

is, 8. seco. 

ite, epidemia. Este termo tem tam- 

em como significado o mollusco pol- 

0. 

ite-nan, v. praguejar, rogar pra- 
ias. 

kàmak, 8. pollegar (dedo). 

kan, 8. unha. 

kànek, v. apalpar a fruta. 

kan-kanek, «. unhada. 

kilak, 8. anular (dedo). 

ko, 8. unha. 

kúmak, s. pollegar (dedo). 

kiin, 8. unha. 

kxin, 8. escuridade, escuridão, ne- 

ridâo, negrume. 

ktm-mÀtan, «. unha (do dedo pole- 

ur). 

kur, V. trovejar, 
kur, 8. trovão, 
kuto, a. ungido. 
la, V. esfregar (os olhos), 
la-màtan, v. esfregar os olhos. 
lan, 8. enxundii de gallinha. 
late, 8. cogumelo. Esta é a primi- 
íva e principal significação, mas suc- 
edendo que ha cogumelos no pais 
ue, não sendo completamente vene- 



nosos, produzem comtudo cólicas a 
quem os come, os indígenas empre- 
gam-o tamhem para indicar dores de 
barriga. 

Kulé, 8. lombriga, solitária. 

Kulén, 8. lombrigas. Um dos poucos 
pluraes feitos pelos indigenas. 

Kalite, 8. casca, coiro, epiderme, pelle, 
tez. Os indigenas, na falta de outro 
termo, empregam este para indicar 
cabedal, correia e outras cousas fei- 
tas de coiro ou pelie cortida. 

Kolite-laiha, a. descascado, pelado. 

Kalite-malial, s. cal lo. 

Kúlo, 8. nome de uma fruta do mato 
que serve de alimento aos indigenas, 
e que os europeus denominam «fruta 
pâoo. Com este termo indicam igual- 
mente a castanha commum, que ali 
raras vezes apparece importada, e 
se assemelha no gosto a essa fruta; 
e com a junção de outros termos for- 
mam as palavras «castanhal, casta- 
nheiro». 

Kalo-hon, 8. castanheiro. 

Knlo-làran, s. castanhal. 

Knlo-lôbas, s. a parte interna do ou- 
riço d esta fruta. 

Knlo-naka, s. jaca (fruta muito volu- 
mosa e enjoativa por doce de mais, 
cuja pelle é erriçada de bicos como o 
medronho. 

Kalo-t&rak, 8, O esterior do ouriço 
da fruta pão, exactamente igual ao 
da castanha commum. 

Kulo-tono, $. arvore (que produz a 
fruta pão). 

Kulo-uhi, 8. idem. 

Kamc, V. amassar (com as mãos). 

Kumú, V espremer. 

Kun, 8, ^oma. Espécie de goma, pa- 
recida á guta- percha, produzida por 
uma arvore indígena do pais. 

Knna, 8. vingança. 

Ktma, a. vingativo. 

Kunak, s. os ramos pequenos das ar- 
vores. 

Knraka, 8. escuridão, negridâo, ne- 
grume. 

Kuraka metan, 8. nuvem negra. 

Kúran, v. precisar. 

Kiiran, 8. trabalhadeira. 

Kúran, adv. de volta, por volta. 

Kiiran-kúran* prep. cerca, cousa da, 
perto, por ahi, pouco mais ou meoas^ 
quasi. 

Knre, v. desatar. 

Kurite, 8, polvo. 



KLU 



148 



LAA 



Karkara, v. degavir, fazer questão, 
questionar. 

Kurkara, s. desavença, questão. 

Ktirkora, s. barco de construcçâo in- 
dígena dirigida pelos europeus. 

Knro, V. buscar. 

Knrobé, v, ir buscar agua. 

Kurol&a, s. inchaço (com dureza sub- 
cutânea). 

Kurti, V. bater (com os nós dos dedos 
na cabeça de outra pessoa). Y. Kuti. 

Kurtl, 8. cacholeta. 

Kússan, «. prego. Quando este é de 
ferro os iudigenas antecedem este 
termo de bessi e sendo de pau de ai. 

Kússan-kik, «. alfinete. 

Kussl, 8. bacio, boiáo, orinol, pote. 

KnsBi-bote, 8. talha. 

Kússln, «. albarda, sella. Este termo 
veiu do malaio, e foi ali introduzido 
do português «coxim». 



KxLSsin-iknn, «. rabicho. 

Knta, V. ungir. 

Knta, a. ungido. 

Knta-òna, a. baptizado. Este teu 
serve para designar o baptismo i 
adulto, com todas as cerimonias^ 
ritual, que são muitas. 

Kati, V bater. Este termo foi intr 
zido do dialecto crioulo dê Macao 
expressão «dá unga kuti», que s\ 
fica dar uma pequena pancada 
rosa na cabeça da pessoa amada, ap 
nas com os nós dos dedos. 

Knti, 8. pancada. 

Kuú, V. beliscar, colher fruta. 

Kuti, 8. beliscão, belisco. 

KatL-fànan, v. deflorar, desflorar 

Kuá-tàlian, v. desfolhar. 

Knús, «. defluxo, escarro, monco, vm 
ranho. 

Kntis-nén, «. ranho. 



La, adv. nada, nao, nem. Nas phrases 
em que os indigeuas empregam este 
termo antes de qualquer verbo a sua 
significação é quasi sempre «nada»; 
noutros casos tem igual valor ao do 
«pasu na lingua francesa, isto é, func- 
ciona como partícula negativa sem 
traducção. Também serve de radical 
a muitos termos 

Laà, V. andar, caminhar, correr, cur- 
sar, ir-se, marchar, palmilhar, partir, 
passar, recorrer, seguir, transitar. 

LaÃ, s. marcha, partida. 

Laàbassar, v. andar em linha. Isto é, 
uns aos lados dos outros conforme o 
uso excepcional dos indígenas, que 
andando sempre a um de fundo atrás 
uns dos outros entram em linha no 
recinto destinado para mercado, fa- 
zendo naturalmente a manobra que a 
táctica militar denomina «frente for- 
mar». 

Là-abelo, s. inimizade. 

Lét-abelo, a. inimigo. Também alguns 
indígenas empregam este termo para 
designar « incorrigível». 

Laàbes, v. esquivar- se, fugir do cami- 
nho, furtar as voltas. 

La-ada, v, desarrumar. 

La-ada, a. desarrumado. 

LaÃ-d&lan, v. caminhar, jornadear, 
viajar. 

Laâ.-dá>lan, 8. jornada, viagem. 



Laà-d&lan, a. viajante. 

Laà dólar, v. andar de rastos. 

Laéi dnlas, t\ andar de roda, âod 

ns voltas, esconder-se, fazer gin 

mascarar-se (em campanha). 
La& énko, v. falsear o caminho, troe 

as voltas. 
LaÂ-halimar, v. passear. 
Laà-halôlos, r. andar a direito, segi 

bom caminho. 
LaÃ-hatéten, v. andar a dois, and 

atrás, andar conversando, caminii 

a par (o que entre q3 indigeoas 

raro). 
La&-hó, V. acompanhar, escoltar, goi 

dar, vigiar. 
Laà-hônoko, v. andar pé ante pé. 
La-aliônoko, a. desagradável. 
Laéi-hôssi, V. perpassar. 
La&-kadóek, v. andar atrás. Isto 

UDS atrás dos outros conforme o i 

quasi constante dos indígenas. 
La-akiduko, v. andar para trás, reti 

ceder. 
Laà-kolabur, v. andar errado. 
La-akúak, v. andar nos bicos dcs p 

andar pé ante pé. 
La-akúmik, v. acachapar se, agaclu 

se, alapardar- se. 
La-akamik, a. acachapado, agachai 

alapardado. 
Laà-làbmi, v, andar errado. 
Laà-lalàbim, v. .andar errado. 



LAB 



149 



LAD 



i-làlais, V. adeantar, andar de- 

ressa, iradeante, ir a galope. 

i-lemo, V, correr terras, jornadear, 

iajar. 

i-léu, V. andar á roda, andar em 

ídor. 

i-lima, V, passar de mâo. Manobra 

ae os indígenas fazem quando en- 

nam os seus cavallos 

i-lós, V. andar a direito, seguir bom 

iminho. 

ametàuko, s. irreverência. 

ametanko, a. irreverente. 

âmiite, V. andar pé ante pé. 

i-nanéssan, v. emparelhar, igua- 

.r. 

L-nôinôiky v. andar de vagar, atra- 
ir-se, ficar atrás. 

i-sala, V. desencaminhar-se, errar 
caminho. Os iodigenas empregam 
lasi sempre este termo cm sentido 
curado, referindo-sc aos indivíduos 
ic se esquecem dos seus deveres e 
i tornam mal comportados, 
assôro, V. evitar, prevenir, 
.-taròbuko, a. andar como os pa- 

)S. 

ttétek, V. atravessar (um monte)- 
atéten, s. mudo. 
i-tótek, V. arrastar os pés. 
,-tóuko, V. mancar, manquejar. 
»ak, 8. cobra madeira, 
ladàin, s. aranha, 
àdain, s. incapacidade. 
lÀdain, a. destituído, incapaz, ine- 
0, mal geitoso. 

•adétin uma, s. teia de aranha, 
ahuko, V. economizar, juntar, 
almka, s. economia, 
•aliuko, a. económico, forreta. 
>àrik, 8. criança, joven, rapaz, sol- 
ira, solteiro. 
árik-Tjote, 8. rapagão, 
árik-feto, .«. cachopa, donzella, 
ven, manceba, rapariga, 
árik-halérik, s. vagido (de crian- 
, recemnaseida). 

lârik klóssan, s. moço solteiro, ra- 
iz púbere. 

àrik-i]iâ.ne, s. joven, mancebo, 
oço, rapaz. 

àrik-nla, a. juvenil, pueril, 
árik^ôan, s. criança, menino, pá- 
tio. 

ate, V. latir (dos cães), 
ele, V. cohibir, prohibir. 
lele, 8. difficuldade, impossibilida- 
i, impotência. 



Labelo, 8. inimigo. 

Labétik, a. insignificante, pequenís- 
simo. 

Labi, 8, andar (de casas), camada. 

Labiite, 8. debilidade, fraqueza, impo- 
tência. 

Labiite, a. débil, debilitado, fraco, 
impotente. 

Labi-labis, s. andares de casas, ca- 
madas. Um dos raros empregos que 
encontrei do termo Labis, que só por 
si não tem uso próprio 

Labis, 8. camadas. Parece que deve 
ser um plural feito pelos indígenas, 
mas que só ouvi empregar em Labi* 
labis, e Rai-labis. 

Labo, V. errar (o caminho). 

Labo, 8. enfifano, erro. 

L&bok, a. firme, immovèl, inamovível, 
seguro. 

Labôkon, a. enxuto, teco. 

Labo-labo,-t;. andar errado, desenca- 
minhar-se^ perder o caminho. 

Labóssok, 8. sinceridade. 

Labóssok, a. sincero. 

Labuate, adv. nada. 

Labuatida, 8. zero. 

Lábubo, V. desinchar. 

Làbun, V. dar fundo, fundear. 

Laburas, a. chato, plano, raso.* 

Ladàlan, v. inspeccionar, observar, re- 
vistar, 

Ladàlan, «. inspecção, revista. 

Ladau, adv. ainda não. 

Ladaúk, adv. ainda não. Usado nos 
reinos do interior e contra-costa, 
principalmente nas montanhas. 

Ladaúk bala, v, estar por fazer. 

Ladanko, i^. criar. 

Ladau-tàssak, a. acerbo. 

Ladiak, 8. iniquidade, maldade, per- 
versidade. 

Ladiak, a. depravado, desalmado, dís- 
colo, funesto, íl licito, ímmodcsto, im- 
perfeito, ímprobo, inconveniente, in- 
fausto, iníquo, maldoso, malévolo, 
malicioso, maligno, malvado, mau, 
nefando, nocivo, odioso, perverso, 
prejudicial, ruim, scelerado, temível, 
terrível, torvo, vil. 

Ladiak, adv, mal. 

Ladiak-liu, a. peor. 

Là-dódok, a incorrupto, incorruptível. 

La-doók, adv. perto. 

La^dúkul, V. desvelar, não dormir, ve- 
lar, vigiar, vigilar. 

Laduú, conj. nem por isso. 

Laduú-métan, a, escuro, trigueiro. 



LAH 



150 



LAI 



Làe, a. irrito, nullo. 

L&e, ddv. afora, aliás, jamais, nada, 
não, nunca, sem. 

Léte, conj. nem. 

Laék, adv. não. 

Lâ.e-kmÀnek, a. scelerado. 

L&e-leéte, ado, sempre. 

Lâ.en, s. esposo, marido. 

Làe-ôna, v. acabar, concluir, termi- 
nar 

Làe-òna, a, acabado, conclnido, termi- 
nado. 

L&e-ôna, conj. já não. 

Lafaôk, a. crocodilo^ jacaré, lagarto. 
Animal muito vulgar na ilha, nos 
vários pântanos do litoral e que pas- 
sa d'ahi para o mar, onde muitas 
vezes se vê ao lume de <igua. 

La-fahe, v. economizar. 

La-falie, a. económico. 

Lafàtik, 8. cesto grande (tecido de fo- 
lha de palmeira, que os indigenas 
ueam para o aiToz). 

La-fier, v. desconfiar, descrer. 

La-fíer, s, desconfiança, descrença. 

La-fier, a. desconfiado, descrente. 

Là-fó, V. indeferir, negar. 

Lâ-fó, «. negação. 

Laha, s. rato. 

Laha-àman, a. rato. 

Laha-dôuko, s. desmaio. Os indigenas 
empregam este termo para indicar a 
falta de alimentos. 

La-bahi, v. vituperar. 

La-hahi, a. vitupério. 

Laha-inan, s. rata. 

La-hakàik, v. desimpedir. 

La-hakàik, a. desimpedido. 

La-hakárak, v, prohibir. 

La-hakârak, s. prohibiçâo, 

La-hakàrak, a. prohibido. 

La-hakmã,tek, v. desassosegar, deein-. 
quietar. 

La-hakmàtek, a. desassocegado, de- 
sinquieto. 

La-halo, v. desfazer, evitar, infringir, 
omittir. 

La-halo, a, desfeito, omisso. 

La-hamela, s, abundância, fartura. 

La-hametáuko, v. afoitar- se, atre- 
ver-se, desacatar, desacobardar- se, 
desafiar, desattender, destemer, in- 
subordinar- se. 

La-hametâuko, a. atrevido, denodado, 
destemido, independente, indócil, in- 
subordinado, irreverente. 

La-hametã.uko, adv. atrevidamente, 
impavidamente. 



liàlian, j. cinto, cinturão, farxa, fio. \ 

gadura. 
La-hanéssan, a. designai, discrepai 

te, inverosímil. 
La-Àanòin, v. desestimar, esqoece 

olvidar. 
La-hanóin, a. inconsiderado. 
La-li6nòin, adv, á toa, impensadi 

mente. 
Laha-ôan, s. espádua. 
La-haré, r. fechar os olhos, naove 

tapar os olhos. 
Lahate, v. acompanhar, ir atrás, pa 

seguir, seguir. 
Lahate, s. chilrao, rede. 
Labate-mata, «. malha (de redei. 
La-bâten, v. desconhecer, desentd 

der, e8tranhar, ignorar, nâo entei 

der, não saber. 
La-hàten, a. ineensivel. 
La-heli, v. concordar. 
La-heli, s. concordância. 
Lahi, r. lamber. 
Lahiros, v. moderar. 
Lahiros, «. moderação. 
Lahiros, a. moderado. 
Lahiros, adv, a bem. 
Lahis, V. escaldar a boca. 
Lahol, V. recusar. 
Lahoi, B. recusa. 
Lahôis, 8, grulha. 
Labôis, a, inintelligivel. 
Lahôis, adv, depressa. 
La-hóron, a. inodoro. 
Lahú, 8. rato. 
Lahú-àman, s. rato. 
Lahú-bote, a. ratazana. 
Lahú-inan, s. rata. 
Lahuko, a. antigo, bolorento, Cc^rca 

choso, podre. 
Lahá-òan, a. ratinho. 
Lahtissik, a. continuo. 
Lai, V. lamber. 
Lai, a. primeira vez. 
Lai, adv, ainda, ora. 
La-iha, r. carecer, fallecer, não te 

necessitar, precisar. 
La-iha, s. indigência, miséria, necei 

sidade. 
LaikortL, a. cigarra. 
Lain, a. pennacho. 
Lain, a. fuligem. 
Lais, V. urgir. 
Lais, a. acceleração, necessidade, prâ 

sa, urgência. 
Lais, a. urgente. 
Lais, adv, depressa, presto, urgenb 

mente. 



LAK 



151 



LAK 



«ais-òan, s, ápice, in&tante, minuto, 
momento. 

iaka, V. brilhar. 

jaka, 8. brilho. 

iaka, a. brilhante (o que tem brilho). 

jakàben^ a. celibatário. 

iãkale, v, entrelaçar bambas. Este 
termo significa o trabalho qae os 
indígenas fazem esmagando, espal- 
mando e entrelaçando os bambus, de 
que resulta um entrançado de boa 
appareneia e que serve para forrar 
paredes, fazer os tectos das casas ou 
mesmo para as esteirar. 

jakalei, e. sebe (que rodeia a casa em 
que vive o rei). 

jàkan, v. arder, btilbar, coruscar, dar 
claridade. 

já.kany s. brilho, chamma. 

jàkan, a. brilhante (o que tem brilho). 

jakaro, s. direito. Individuo que tra- 
balha á direita, que nao é canhoto. 

jakará, a. canho, canhoto, esquerdo. 

^akate, s. amojo. - 

jakateti, s. pombo. 

^akateu-àman, e. pombo. 

liakateu-inan, 8. pomba. 4, 

liakaten-lian, s. arrulho (a voz do 
pombo). 

^akatif, 8. alcatifa. Este termo foi in- 
dubitavelmente introduzido do por- 
tuguês, e é provável que o fosse pe- 
los missionários que primeiro conse* 
guiram levar ali a amostra doesse or- 
namento para as igrejas. 

[iakatiere, a. áspero. 

[iakàako, v. saber. 

Lakàuko, s. sabedoria. 

Lake, v. abrir, desabafar, desabrochar, 
desapegar, desfechar, despegar, des- 
tapar, folhear. 

[iake, a. aberto. 

[iake-kéikan, v, e^^foiar. 

[^kerú, 8. aboboreira. 

Lakerú-fâan, s. abóbora. 

[ia-kfóer, a. impolluto, sem defeito. 

Lakfúrak, a. insipido, sem sabor. 

[iakidtm, 8, terçol. 

Làkin, a. antigo. 

Lakléiran, a. máximo (o maior). 

Lakleta, v. descuidar. 

Lakleta, s. descuido. 

Lakleta, a. descuidado. 

Laklônr, a. passageiro (cousa que 
passa). 

Laklôtiro, a. temporário. 

Laklèuro, adv. ha pouco, recentemen- 
te, ultimamente. 



Lakló, 8. cloaca, commua, latrina, ne- 
cessária, secreta. Este termo é tam- 
bém a denominação de um reino do 
interior da ilha. 

Laklôko, a. descuidado, deslembrado, 
esquecido. 

La-kmànek, a. malvado, mau^ terrível. 

La-kmnis, a, folgado. Eete termo é 
empregado pelos indígenas para de- 
signar roupa larga como é a «Upa» 
kmuis. 

Laknàbite, 8. torquez. 

Laknéite, 8. cigarra. 

Lako, 8. dialecto. Também os indíge- 
nas dâo este nome a um pequeno aai- 
mal parecido com nm rato que faz 
grandes estragos nos cafesaes. 

Lakôhi, V. abdicar, aberrar, abjurar, 
abnegar, abominar, aborrecer, abre- 
nunciar, abster-se, arrenegar, con- 
trapor, desistir, detestar, enfastiar- 
se, enjeitar, execrar, prohíbir, recu- 
sar, refilar, refugar, refusar, rejeitar, 
sacudir, teimar, visar. Este termo 
também serve de radical a alguns 
outros. 

Lakòhi, conj. não quero. 

Lakôhi-fila, v. obstinar se. 

Lakôhi-ktúir, r. insubordinar-se^ re- 
calcitrar, revoltar-se. 

Lakôhi-lan, v. empurrar. 

Lakôhi-rôna, v. nâo querer ouvir, ta- 
par os ouvidos. 

Làkole, a. desenfa'iado. 

Lakoló, 8, cloaca, commua, latrina, ne- 
cessária, secreta. 

Lako-màtan, v. pestanejar. 

Lâkon, V. baldar, consumir, degradar, 
deportar, desapparecer, desbaratar, 
desgraçar-se, despender, desperdiçar, 
desterrar, extraviar, mudar de ter- 
ra, perder,- sumir-se. Este termo tam- 
bém serve de radical a muitos ver- 
bos e outros termos. 

Làkon, 8. degredo, desterro, perda, 
perdição. 

Lâkon, a. perdido. 

Lákon-biite, v. afracar, consternar, 
debilitar-se, desacoroçoar, desalentar, 
desanimar, desfetllecer, enfraquecer, 
esfriar, esmorecer. 

Létkon-dàlan, v, desencaminhar- se, 
perder-se no caminho. 

Lákon-fàman, v. deshonrar-se, perder 
o conceito. 

L&kon-fálun, v. pelar-se. 

L&kon-faúko, v. cair o cabello, encal- 
vecer, pelar-se. 



LAL 



152 



LAL 



Lãrkon-hanôin, v. desesperar, exaspe- 
rar. 

Làkon-hôto, v. empobrecer, ficar po- 
bre, perder tudo. 

Lâ.kon-kalite, v. pelar-se. 

L&kon-làraii, v. diffainar. 

Làkon-l&ran, s. diffamaçâo. 

Lákon-leéte, v. gastar. 

Làkon-lia, v. emmudecer, ficar roudo. 

Làkon-mata, r. cegar. 

Làkon-nâran, v. ficar desacreditado, 
perder o conceito. 

L&kon-t&nko, v, atrever-se, dcsaco- 
bardar-se. 

Laktaro, 8. lagarta, larva. 

La-kttdr, v. desobedecer, divergir, 
exorbitar, insubordinar- se, postergar, 
transgredir, violar. 

La-ktnir, a. incorrigivel, insubordi- 
nado. 

Lakn, s. raposa. Os indigenas dáo 
principalmente este nome a um ani- 
mai um pouco maior que a doninha e 
de formas parecidas, que faz gran- 
des estragos na plantação de café, 
pois não consta que haja raposas em 
toda a ilha. 

Laknana, s. esqaerdo. Individuo que 
não trabalha á direita. 

Lakuere, a. áspero. 

Laknko, a. coruja, mocho. Este termo 
empregam os indigenas para desi- 
gnar uma ave nocturna, a que os eu- 
ropeus dão o nome de «cuco», a qual 
acompanha as pessoas de noite pelos 
caminhos indo na sua frente e canta 
«cúcúo quasi igualmente á ave da Eu- 
ropa que tem esse nome. 

Lakumeta, s. feitiço (para fazer mal ás 
pessoas). 

Lakntiko, s. alicate, tenaz, torquez. 

La-laâ., a. trôpego (que não pode mo- 
ver- se). 

Lalâ.bnn, v, desencaminhar-se, errar o 
caminho. 

Lal&is, V, accelerar, apressar, desem- 
baraçar, urgir. 

Lalais, 8. acceleração, diligencia, pres- 
sa, urgência. 

Lalais, a. accelerado, apressado, pres- 
to, rápido, súbito, urgente. 

Laláris, adv. azinha, breve, depressa, 
em breve, presto, quanto antes, ace- 
leradamente, agilmente, apressada- 
mente, brevemente, immediatamente, 
instantaneamente, subitamente. Este 
adverbio serve de regimen aos ver- 
bos compostos. 



Laláis-lin, adv. a toda a pressa, num 
ápice, num átomo, quanto antes. 

La-làkon, r. poupar. 

La-l&kon, a. poupado. 

LalÀkon, 8. dialecto. 

Laléir, V. aquecer o pano. Este termo é 
unicamente empregado a respeito do 
pano com que são ligadas as mulhe- 
res depois do parto, e que é aque- 
cido ao lume. 

L&lar, 8. mosca. 

Làlar-assòko, «. varejeira (mosca). 

Lédar-féttin, 8. mosqueiro. 

Lalata, 8. lousa, ratoeira. 

Lal&tak, s. sombra de alguém. 

Lale, 8. sarilho. 

Laledo, 8. escudo, rodela. Objectos 
que os indigenas usam na guerra e 
que são feitos, por elles, da pelle dos 
animaes curtida por meios muito pri- 
mitivos. 

Laledo kabas, v. enrolar algodão. 

Laledo kalili, v. manejar o escudo. 

Laledo-lima, 8. movimento. 

Laléan, «. ceu, empyreo, fírmameoto, 
paraizo. 

Laléan-linxi, «. madrugada. 

Laléan-nia, a. celestial, etherio, para 
disiaco. 

Leléan okos, 8. o outro mundo. 

Lalemo, 8. cousa liquida em parte. 

L&Ieo, 8. barraca (do guarda nas hor 
tas ou nas várzeas). 

Laleók,' v. ameaçar, brandir a espaia. 
esgrimir. 

Lalero, v. b4dalar, falar demasiada- 
mente. 

Lales, 8. banha (a gordura do porco). 

Lalônr, «. rolo, Que as mulheres usaoi 
sobre a cabeça, para eqnilibinr a 
bilha de agua ou qualquer outro ob- 
jecto. 

Lali, 8. centupeia. 

Lalian, 8. centupeias. Um dos pluraes 
feitos pelos indigenas. 

Laliétn, 8. fogão, fogareiro, fomalba. 
trempe. 

Lali&n-bessi, 8. trempe de ferro. 

Laliàn-fatako, 8. trempe de pedras. 
Como já se explicou. 

Lalika, V. escusar, não ser preciso 

Lalika, a. desnecessário. 

Lalikan, a. dispensável. 

L&lin, V. acarretar, levar, mudar. 
transferir. 

Làlln, 8. muda, mudança. 

L&lin-mÀi, V. trazer. 

Lalino, 8. antebraço. 



LAM 



153 



LAR 



Lalir, a. falido, oco, seco. 

Lalin, V. atrasar. 

Laliu, a. atrasado. 

Lalira, v. zangar. 

Lalira, s. zanga. 

Lalira, a. zangado. 

Laloir, a. leitoso. 

Lalóran. v. picar-se o mar. Também é 
empregado pelos indígenas para de- 
signar «correr rapidamente». 

Lalóran, s. onda, vaga. 

Lalóran bote, s. mar empolado, mar 
encapelado. 

Lalós, V. duvidar. 

Lalós, 8. duvida, incerteza. 

Lalós, a. bastardo, confuHO, errado, 
fácil, falso, illusívo, impróprio, incer- 
to, indefinid'^, indeterminado, indire- 
cto, injusto, postiço, temerário, vario. 

Lalós, adv. de má mente, illegalmente, 
mal, vagarosamente. 

Lalôsso, 8, carteira portátil, pasta, 
porte-monnaie. 

Lalota, 8. parte do tear iudigena. 

Làmak, s. refeição real. Muitos indí- 
genas empregam este termo para de- 
signar a genebra, porque nas festas 
só bebem canipa, emquanto que o rei 
como os principaes bebem sempre ge- 
nebra. 

Lamàmal, a, teso. 

La-má.nas, a. fresco. 

Lamas, v. apalpar, procurar ás escu- 
ras,, palpar. 

Lamas, a. apalpadelln. 

La-mate,/u. sobreviver. 

La-mate, a. sobrevivente. 

Lambe, v. lamber. Este termo foi in- 
troduzid) do português e é muito 
pouco usado. 

Lame, s. barata grande escura. Neste 
termo o e mal se pronuncia e soa dis- 
tinctamente o m. 

Lamehe, s. barata grande, preta. 

Lamék, a. bicha, sanguesuga. 

Lames, v. procurar (ás apalpadellas e 
ás escuras). 

La-môsso, v. cortar, desappareccr, 
supprimir. 

La-móe, v. desaforar, nSo ter vergo- 
nha, perder o brio. 

La-móe, a. desvergonhado. 

La moón, s. alegria. 

La-moón, a, alegre. 

La-moras, a. escorreito, sadio, são, 
saudável. 

La-mós, a. confuso, desasseado, impuro, 
sujo. 



Lamúruko, 8. doença (epidemica que 
dá nos búfalos). 

Laznúrnkonàn, v. praguejar, rogar 
pragas. 

Lan, 8. vela de navio. 

La-nanéssan, a. desigual, descre- 
pante, differente. 

La-naròma, a. desconhecido, escuro, 
obscuro. 

La-noussi, a. desigual. 

Lanten, a. cama indígena. 

Lanú, V. embebedar- SC, emborrachar-se, 
embriagar- se. 

Lanú, 8. bebedeira, ebriedade. 

Lanú, cr. bêbedo. 

Lanuko, v. embriagar se. 

Lanuko, 8. bebedeira, crápula, ebrie- 
dade, enibriaguez. 

Lanuko-ten, «. chupista. 

Lanuko-ten, a. bêbedo, bebedor, be- 
berrâo, boiTachâo, borracho, ébrio, 
embriagado, toldado. 

Lanú-ten, a. bêbedo, bebedor, beber- 
rão, borraííhão, borracho, ébrio, em- 
briagadof toldado. 

La-óa, adv. impropriamente, impró- 
prio. 

Làran, s. âmago, coração, entranha, 
humor, seio, tripa, ventre, viscera. 
No Diccionario citado dá-se como si- 
gnificado a palavra «grémio «, que 
nunca ouvimos nem os indígenas sa- 
bem o que isso é, parecendc-uos que 
tal expressão será tomada na acce- 
pção de centro. Este termo serve de 
radical a muitos outros. 

Làran, a. cavo, interior. 

Làran, adv. dentro. 

Làran-aàte, s. malieia. 

Làran-aàte, a. cruel, ingrato, mali- 
cioso, patife. 

Làran-diak, 8. beneficência, boa von- 
tade, bom humor, bondade, dedica- 
ção, humanidade, piedade. 

Làran-diak, a. benévolo, cândido, 
condescendente, dado, dócil, humilde, 
magnânimo, pio. 

Làran hiros, a, mau humor. 

Làran kabôik, v. ter ânsias. 

Làran-kmàmuko, a. concavidade. 

Làran-kmàmuko, a. concavo. 

Làran-kmànek, a. feliz, fiel. 

Làran-kôna, v, decidir-se, fazer ten- 
ção, tencionar. 

Làran-kúak, a. oco. 

Làran ladlak, a, génio mau. 

Làran-lós, a. sinceridade. 

Làran-lós, a. sincero. 



LAT 



154 



LEB 



Làran-makérek, r. atraiçoar, dissi- 
mular, enganar, fingir. 

LÀran-makérek, s, dissimalaçfto, en- 
gano, fingimento, bjpocrisia, mosca 
morta. 

LÀran-makérek, a. aleivoso, desleal, 
dissimulado, enganador, fingido, son- 
80, traiçoeiro. 

Làran-mamàl, s. inactividade, indiffe- 
rença, moleza, tibieza. 

Làran-má.mal, «. aversão, desgosto, 
repugnância, tédio. 

Làran-màmal, a. laxo, tibio. 

Lã.ran>mâ.os, s. docilidade, mansidão, 
pacifneia. 

Làran-métan, a. intestino grosso. 

LÃran-mútin, s. intestino delgado. 

Làran-nakali, v. arder em coler», 
arder em ira. 

Láran-sá.e, v. engulbar, engulhar-se, 
enjoar, enojar- se. 

Làran-sàe, s. ânsias, enjoo, nojo. 

Laransài. v. usar anéis. 

Láran-tós, a. atroz. 

Larite, r. cortar (em pedaços muito 
pequenos). 

Lsrlóran, s. onda que sobe, tempestade 
maritima. 

La-rôna, v. desattender, não ouvir, ta- 
par os ouvidos. 

Laráin, a. impostor, soberbo. 

Laruko, s. brincalhão, divertido, tra- 
quinas. 

Larnko, a. bulhento. 

Lartis, V. adelgaçar bordados, alisar. 

Làs, 8. ripa. As ripas para assentar o 
telhado. 

La-sadia, v. desapiedar-se. 

La-sad'ía, a. desapiedado. 

La-sala, s. inuocencia, docilidade, pu- 
reza, virtude. 

Làssak, a. inteiro (não castrado), ma- 
cho. 

Làssan, s. órgão genital, testículo. 

La>séluko, a. immudavel, immntavel, 
invariável. 

La-sura, adv. exclusivo. 

La-tada, v. ignorar. 

La.-tada, s. ignorância. 

La-tada, a. ignorante. 

La-tama, v. não caber. 

Lâtan, a. balisa de pedra, marcação, 
marco. 

La-tebes, s. falsidade. 

La-tebes, a. falso. 

La-teros, «. impaciência. 

La- teres, a. impaciente. 

Lato, V. debulhar. 



Lato-bàtar, v. debulhar milho. 

L&tódan, a. leve. 

La-tóman, a. insólito. 

La-tós, adv, facilmente. 

La-troka, a. immudavel, introcjirel 
invariável. 

Latn, V. rebentar (da herva). 

Lattikar, a. immudavel, introcayel,m- 
variavel. 

LattLlttn, r. dessoccorrer, deixar de 
soccorr» r. 

Láktan, s. morrão. 

Laú, v. andar, caminhar, ir-se. mar- 
char, palmilhar, partir, passar, per- 
c rrer, peregrinar, recorrer, viajar. 

Laú, a. marcha, partida, viagem. 

Latl-abònoko, v. andar pé ante pé. 

L&nain, a. raridade. 

Làuàin, a. raro. 

Lan-amiite, v, andar pé ante pé. 

Laú-dadaon, v. ir andando. 

Laú-dàlan, t\ caminhar. 

LatL-d&lan, «.caminhada, jornada, pas- 
seio. 

Laú-dólar, r. andar de rastos. 

Laú-dnlas, r. andar ao redor, andar 
em roda. 

Lauéro, a. aranha grande, preta. 

Laú-fátin, a. passagem (de om ponto 
para outro). 

LatL-liakoi, v. agachar. 

Laú-hakoi, a. agachado. 

Laú-hakràik, v. andar (nas pontas dos 
pés). 

Laú-haksúbal, v. acachapar-se, aga- 
char-se, esconder-se. 

Lati-liaksTimiky v. agachar- se. 

Laú-balôa, v. andar á roda. 

Laú-halimar, v. passear. ' 

L^tLko, V. mexer. 

Làuko, a. fátuo. 

Laú-kudei, v. x;oxear, mancar (de gen- 
te), manquejar. 

Laú-laiàbun, r. andar errado, andar 
perdido. 

Laú-lalais, v. adeantar-se, andar de- 
pressa. 

Laú-nôinéik, v. andar devagar, atra- 
sar- se. 

Laá-raiy v. passear. 

Lauto, V. esfatiar, fazer em faias. 

Lé, V. ler. Este termo é evidentemeote 
introduzido do português, pois antes 
d'e11es entrarem na ilha os indígena? 
ignoravam o que era ler. 

Lébar, v, pedir gritando. 

Lébar, a. voz. 

Lebas, a. caca de criança. 



LEX 



155 



LIA 



Lebàs, s. cobra madeira. 

Lebo, V. carregar (á pinga sobre o 
hombro por equilibrio, como auam os 
chinas e oa japoneses). 

Lébok, s. zigue-zague. 

Ledik, 8. estaca. 

Ledlk-béy s. açude. 

Ledik-ué, «. açude. 

Ledo, V. triturar. 

Ledo, a. triturado. 

Lédoko, 8. roubo. 

Lédoko-ten, s. ladrão. 

Leéte, s. espaço, fresta, folga, inter- 
vallo, lacuna, vão, vazio. 

Leéte, a. baldado, frustrado, fútil, sem 
proveito, vago. 

Leéte, adv. baldadamente, de balde, 
frustradamente, gratuitamente, inu- 
tilmente, vãmente. 

Leéte, prep. entre. • 

Lebete, s. oceasiâo, opportunidade. 

Leho, V. carregar (ao hombro). 

Leisso, s. abertura, fenda. 

Leisso-mâtan, s. abertura (para fazer 
porta). 

Lekiràu, s. macaco, mono. 

Leklráuko, s. bugio, macaco pequeno, 
macaquinho. 

Lekiráu-inan, s. macaca. 

Leias, V. aparafusar, escorjar, parafu- 
sar, torcer. - 

Leias, 8. parafuso. 

Leias,' a. aparafíisado. 

Lele, r. inundar. 

Lele, s. inundação. 

Lele, a. inundado. 

Lelir, s. a gritaria nos enterros. 

Lélok, s. regador. Também alguns in- 
dígenas designam com este termo 
«torto», o que não é direito. 

Lélok-bé, V. regar. 

Lélok-modo, v. adubar, espalhar es- 
trume. 

Lélok-ué, V. regar. 

Léloko, s. andorinha. 

Leme, v. alumiar. Neste termo o e mal 
soa e o m tem um som muito pronuu- 
ciado, e tende a desapparecer da lin- 
guagem mesmo na Cí ntra-costa onde 
tivemos occasião de o ouvir. 

Lemo, a. alguns, muitos, todos. 

Lemo, adv. geralmente. 

Lemo-rai, s. universo. 

Lemo-rai, a. universal. 

Lenka, v. desalinhar. Também os in- 
dígenas empregam este termo para 
designar o dependurar qualquer ob- 
jecto nos braços. 



Lenka, s. desalinho. 

Lenka, a. diesalinhado. 

Leno, V, alumiar. 

Lénuko, 8. cágado, tartaruga. 

Leo, 8. povoação. 

Leók, 8. movimento. Este termo tem uso 
unicsimente no interior da ilha entre 
a gente *das montanhas que tem uma 
grande tendência para modificar a col- 
locação das vogaes. 

Leók-lima, v. accionar. Idem. 

Lere, v. brandir, esgrimir, manejar, 
menear, vibrar. Os indígenas, antes 
de conhecerem estes significados, em- 
pregavam o tenno para indicar que 
de uma arvore já arrancada corta- 
vam primeiro a ramagem e depois as 
pernadas até a desfazer. 

Lere, v. esgrimir. 

Lere, «. esgrima. 

Lerôk, adv. sempre. 

Lere-súrik, v. esgrimir, jogar a es- 
pada. 

Lerlerek, adv. sempre. 

Les, V. agatanhar, dilacerar, esface- 
lar, esfarrapar, rasgar. 

Les-kari, v. desfazer, espatifar, estas- 
salhar. 

Lete, 8. pachorra, paciência. 

Lete, n. descuidado, pachorrento, pa- 
ciente. 

Léten, «. cima, cimo, empyreo, fastí- 
gio, superfície, tona. 

Léten, adv. acima. 

Léten, prep. sobre. 

Léten-nia, a. aerco. 

Leu, V. assediar, cercar, enrolar, en- 



roscar, enroscar-se. 



Leu, a. enrolado, enroscado. 

Léu, 8 parque. 

Leu-foho, 8. montaria. 

Leúko, a. arqueado, arredondado, 
curvo. 

Léur, V. convencer, voltar, volver. 

Léur, a. convencido, voltado, volvido. 

Lia, 8. assunto, boato, dito, fala, gor- 

. geio, idioma, lábia, lingua, lingua- 
gem, litigio, locução, loquela, motim, 
noticia, palavra, pendência, proposta, 
questão, rumor, sedição, som, vocá- 
bulo, voz. 

Lia-aàte, 8. asneira, palavrada, pala- 
vrão. 

Lla-abótuko, v. desacreditar, intri- 
gar, mexericar. 

Lla-abótuko, s intriga, mexerico. 

Lla-amenassa, 8. amabilidade, galan- 
taria, troça. 



LIB 



156 



LIM 



Lia-assara, s. galhofa 

Liap-bósBoky s. balda, blague, hyper- 
bole, ironia. 

Lia-fônn, s. uoy idade. 

Lia-ftian, e. estatuto, exprcesfto, lei, 
mandado, mandamento, ordem, pala-* 
vra, preceito, regra. 

Lia-hakôin, s. segredo, sigillo. 

Lia-halimar, s. amabilidade, galanta- 
ria. 

Lia balòloa, «. dares c tomares. 

Lia-hanóssaiii s. melodia. 

Liarhatéten, s. fala. 

Lla-hasso, 8. pedido. 

Lia kdédal, a. voz tremula. 

Lia-kfllak, r. contraditer, desdizer, 
negar, refutar. 

Lia-kfilak, a. bilíngue (individuo que 
tem duas palavras). 

Lia-kfóer, s. asneira, palavrada, pala 
vrâo. 

Lia-km&muko, s. palavin vâ. 

Lia-laék, a. mudo. 

Lia-lós, 8. promessa, propósito, pro- 
testo, voto. • 

Lia-màran, v. enrouqueccr. 

Lia-màran, a. enrouquecido, rouco, 
roufenho. 

Lia-matének, «. lábia. 

Lia-méar, v. enrouquecer. 

Lia-móar, a, enrou(]uecido. 

Lia-menas, 8. segredo, sigillo. 

Lia-mótik, v. enrouquecer, ficar rouco, 
rouquejar. 

Lia-mótik, a. enrouquecido, rouco, 
roufenho. 

Lia-múmnko, 8. segredo, sigillo. 

Lian, V. gritar, latir. 

Lian, 8, (;cho, palavra, som, sonancia, 
tom, voz. 

Liéin, 8. pequeno. 

Lia-nain, 8. orador. 

Lia-nakdédal, «. vo/. tremula. 

Lia-nanôkOy ». segredo, sigillo. 

Lian-kúak, 8. gruta. 

Lia-nonôko, 8. segredo, sigillo. 

Lia-ntidako, 8 echo. 

Lia-sala, v. oífendcr. 

Lia-saln, 8. offensa. 

Lia-súmik, 8. segredo, 8'gillo. 

Lia-ten, a. falador, garulo, linguarei- 
ro, loquaz. 

Liba, 8. lipa. £m Dillj, arredores e 
mais alguns pontos, já os indígenas 
dizem «lipa» á força de ouvirem os 
europeus. 

Libani, a. grandioso. Os indígenas dSo 
também este nome á grande monta- 



nha que é preciso transpor indo d 
Dillj para Manatuto, a qual é se 
duvida a maia elevada, ou peiom 
nos a mais difficil de transitar. 

Libàrak, «. cesto para limpar arroz. 

Libétik, tf. gafanhoto. 

Libôtik, a. insignificante, peqaenis 
simo. 

Libnr, v. addir, additar, accamolar, 
aggiomerar, ajuntar, coadunar, coUi 
gir, compilar, juntar, unir. 

Libnr, 8. accnmulaç2o, aggiomeraçàov 
ajuntamento. 

Libnr, a. accumnlado, apinhado, jon^ 
unido. 

Libnr-amntnko, tf. ajuntamento, gru- 
po, magote. 

Libnr-mntnko, r. concordar, concorrer, 
contribuir. 

Libnr-mntnko, «. contribuição. 

Lid&rak, tf. cesto pequeno. Tecido de 
folha de palmeira, que os indígenas 
usam para limpar arroz. 

Lido, tf. canto. 

Lidnn, v. acantuar. 

Lidnn, tf. abertura do angulo, canío, 
recanto. 

Lihnn, v. estagnar. 

Lihnn, a. estagnado, podre. 

Libnr, tf. fora. 

Lihnr, a. exterior, externo. 

Liki, V. oscillar, sacudir. 

Likin, V. amostrar, mostrar. 

Liki, tf. amostra. 

Likin, tf. amostras. Um dos poucos pln 
raes feitos pelos indígenas. 

Likiran, tf. macaco, simio. 

Likiraa-&man, tf. macaco. 

Likiran-inan, tf. macaca. 

Lila, tf. concha. 

Lila&n, V. fungar. 

Lilan, tf. conchas. Um dos poucos plu- 
raes feitos pelo3 indígenas. 

Lilanér, tf. madrepérola. 

Lilin, tf. cera. 

Li lo, tf. concha. Usado nos reinos do 
interior, e da contra-costa. 

Lima, tf. mão. 

Lima, a. cinco, quinto. 

Lima-foho, tf. costa da mão. 

Lima-fôbon, tf. costa da mão. 

Lima-fâan, tf. dedo da mão. 

Lima-issin, tf. punhado. 

Lima kamko, tf. mão canhota, mão es- 
querda. 

Lima-kótnko, tf. costa d d mão. 

Lima-kmtiko, tf. maneta (tendo a mão 
sem poder fazer uso d'ella). 



LIS 



157 



LO 



Lima-kúana, s. destra, mão direita. 

Lima-kúkon, s. casco,. unha. 

Lima-làran, s. palma da mSo. 

Lima^iur, s, costa da mão. 

Lima-lós, s. destra, mâo direita. 

Lima-màtan, s. unha. 

Liman, s. braço, cacho. Também os in- 
dígenas empregam este termo como 
plural de Lima para designar «mãos*. 

Lima nakôno, «.mâo cheia. 

Liman-kábun, s. antebraço. 

Lixnan-kliak, s. pulso. 

Llman-klúbuko, ê. maneta. Não tendo 
mâo. 

Liman lúbuko, s. coto do braço. 

Liman-sikun, «. cotovelo. 

Liman tuúko, 8. coto de braço. 

Lima-nulo, a. cincoent». 

Lima-númur, 8. punhado, punho fe- 
chado. 

Lima-róhan, 8. deixa, herança, lem- 
brança. 

Lima- talar an, 8. palma da máo. 

Lima-tane, 8. palma da mâo. 

Lima-tútun, s. cabeça de dedo. 

Liminari, 8. illuininação. Este termo 
foi introduzido do português «luminar 
ria». 

Lina, 8. iiO; linha. Este termo parece 
que foi introduzido do português, e 
que não pode ser bem pronunciado 
pelos indígenas por nâo poderem ex- 
primir o som NH. 

Lino, 8. passarinho. Denominação que 
os indigenas dão a uns passarinhos 
mui pequenos que vivem nos arro- 
zaes, parecidos com os «rice birds» 
de Shanghae ; alguns indigenas dizem 
«lime» mal pronunciando o e e fa- 
zendo soar claramente o m. 

Lir, V. olhar de esguelha, pôr de lado, 
deitar o rabo do olho, olhar por cima 
do hombro. 

Liras, 8. aba^ asa. 

Liras-bélek, a, desalinhado, desasa- 
do, desconcertado, descuidado. 

Liras-uàin, a. alado. 

Lirú, V. atirar (com um pau pequeno 
para deitar abaixo os frutos das ar- 
vores). 

Lis, s. cebola. 

Lis-asso, 8, alho, bago, dente. 

Lissan, 8. lição. Este termo foi, ao que 
parece, introduzido do português mas 
fícou estropeado pela difficuldade, se- 
não impossibilidade, dos indigenas 
pronunciarem o som «ão». 

Lissen. 8, cerimonia, modo. 



Lissnko, V. ajudar. 

Lissnko, 8. ajuda. 

Lis-toós, 8. cebolal. 

Lita, V. abainhar, bainhar, embainhar, 
fazer bainha. 

LI ta, 8, bainha (na roupa). 

Liter, 8. periquito. Ave pequena de 
bico preto e cores vivas, a que os 
europeus chamam «piriquito». 

Litik, injuriar, insultar, maltratar de 
palavras. 

Lia, V. abalisar-se, aseinalar-se, atra- 
vessar, avançar, avantajar- se, decor- 
rer, distinguir-se, dominar, exceder, 
ganhar, prevalecer, sobrepujar, so- 
bresaír, transferir, transitar, traspas- 
sar, varar, vencer. 

Lin, adv. a mais, bem mais, mais, 
muito mais. Este termo emprega-se 
muitas vezes para dar força á ex- 
pressão. 

Lia, prep, após, depois. 

Lia-bà, V. passar-se. 

Lla-dadaan, v. adeantar, continuar, 
passar adeante. 

Lia dadaun, adv. ao deante. 

Lia dàlan, adv. de caminho. 

Lia-fá.tin, 8, passagem. 

Lia-hóssi, V. passar. 

Lia iLÔto, adv, ante tudo, comtudo, so- 
bre tudo. 

Lia-lalàis, a. passageiro (o que não é 
permanente). 

Lia-lia, adv. mormente, particular- 
mente, principalmente, sobretudo. 

Iiia-lúan, a. oblongo. 

Lia-òna, a. passado, pretérito. 

Liar, 8. cluaca, commua, latrina, re- 
trete, secreta. 

Liarai, 8. chefe, monarcha, rajá, re- 
gente, regulo, rei, senhor da terra, 
soberano. 

Liarai-feto, 8. rainha. 

Liarai-ito, í. sete-estrello. 

Liaral-nia, a. real, régio. 

Liaral-sien, a. nobre. 

Lia-réssin, v. sobejar. 

Lia-réssin, a. excesso, sobejo, so- 
bra. 

Lia-réssin, a excessivo, exorbitante, 
exuberante, supérfluo. 

Lia-réssin, adv. demais, demasiada- 
mente, muito mais. 

Lia tan, adv. alem de que. 

Lia tômak, 8. sobre tudo. 

Ló, 8. senhor. Antigo cumprimento que 
os súbditos dirigiam ao rei e já quasi 
caido em desuso. 



LOK 



ir)8 



LOR 



Loba, 8, acompanhameuto, funeral, prés- 
tito. 

liOb&k, V. fazer céreo, pagar ou sebe. 
Também os iudigenas usam este termo 
para iudicar os cercos que elles fazem 
ao inimigo nas suas guerraa gentíli- 
cas. 

Lobas, 8. comida mal cozida. 

lióe, V. mover, oscillar, vibrar. No ci- 
tado Diccvnario, a pag. 321, dá-se 
este termo como significado de para- 
lytico, e com a explicação «sem movi- 
mento», o que me parece incoherea- 
cia. 

lióe, 8, pêndula, vibração. 

Lóek, 8, movimento. 

Lóek-lima, v. accionar. 

liOer, V. arrastar, levar de rastos. 

liOer, a. arrastado. 

Lober, v. desarregaçar, desdobrar, de- 
sembrulhar, desencolber, desenrolar, 
desenvolver, estender. 

liOher, a. d sdobrado, desenrolado, de- 
senvolvido, estendido. 

Lober-biti, v, esteirar, forrar as casas 
de esteiras. 

liObo, 8. despensa. 

Lóbon, 8. papo. 

Loi, V. buscar fogo, procurar fogo. 

XiOke, V. abrir, deparar, desabafar, de- 
sabrochar, desapegar, deicobrir, des- 
enfardar, desfechar, despregar, des- 
tapar^ escancarar, folhear, rachar. 

liOke, 8. escancara, ás escancaras. 

Loke, a. aberto. 

liOke dàlan, v. dar exemplo. 

Loke féttin, v. dar logar. 

liOke ibnn, v, abrir a boca. 

Loke-knlite, v. descascar, esbrugar, 
escoriar, esfolar, pelar. 

Loke-néon, v. desabafar, vomitar (no 
sentido de fazer confidencias). 

Lôko, V. presumir. 

Lôko, 8. altanaria, amor próprio, arro- 
gância, egoismo, presumpçâo, prosá- 
pia, soberba. 

liòko, a. altivo, ancho, arrogante, ba- 
sofío, concho^ egoista, patarateiro, so- 
berbo. 

Lóko-axLi V. empantnfar-se, impostu- 
rar, engrandecer- se, ensoberbecer- 
se, entonar-se, gabar-se, gloriar-se, 
enfatuar- se, jactar se, orgulhar-se, 
ufanar- se, vangloriar-se. 

Lòko-an, 8, orgulho, presumpçâo, van- 
gloria. 

Lôko-an, o. entufado, fanfarrão, enfa- 
tuado, orgulhoso, presompçoso. 



Lôko-fàtin, 8. pretensioso. 

Lôkolòko, 8. aldrabâo. 

Lòko-lôkon, V. delirar. 

Lôko-lôkon, «. deli rio. 

Lôkon, 8. empregar. 

Lolar, 8. ponto. 

Lol&s, r. andar de rastos (como as co- 
bras). 

Lolitd, V. enrolar. 

Lolite, 8, rolo. 

Lolite, a. enrolado. 

Lóliarai, 8. cumprimento. Maneira de 
compriínentar o rei indigetia. 

Lolo, r. dar, entregar, offerecer, sacri- 
ficar. 

Lolo kélen, v. levantar as pernas. 

Lolo lima, v. levantar as mãos. 

Lolo liman, v. levantar os braços. 

Lólon, 8. alfobre, canteiro, geira. leira, 
tabuleiro. Alguns indígenas empre- 
gam também este termo para desi- 
gnar a costa escarpada que dá para 
o mar. 

Lôlon, 8. exemplar, volume. 

Lolón, 8. tronca 

Lólon-kr abate, t*. emprenhar. 

Lólon-krÀhate, 8. gravidez, prenhez. 

Lólon-kr abate, a. gravida, prenha, 
prenhe. 

Lólon nakòno, v, ter a barriga á 
boca. 

Lolos, V. reparar. 

Lolos, 8, reparação. 

Lolós, a. infalHvel. 

Lolós, adv. a propósito, certo, clarO; 
coherentemente, efectivamente, exa- 
ctamente, propriamente, rectameote, 
seguramente, terminantemente, ver- 
dadeiramente. 

Lólun, i\ patrocinar. 

Lólun, a. próprio. 

Loók, V. offerecer. Só se emprega a res- 
peito de areca, betei, cal e tabaco para 
mascar, que todos os indigenas tra 
sem numa bolça tecida de folha de 
palmeira. 

Loóko, 8. maçã indígena. 

Lór, adv, abaixo, longe. 

Loràik, 8. véspera. 

Lòré, 8, dança. Este termo significa 
somente as danças de goerra e os te- 
bed&s, nas quaes dançando muitos 
indivíduos ha um a quem os indignas 
denominam Lôré ou Loire e os eu- 
ropeus chamam «bobo* ou «sombra». 
o qual anda aos saltos fazendo jogo 
com uma catana como se cortasse ca- 
beças aos inimigos. 



LOR 



159 



LOT 



lóré, 8. sombra. Nas danças. Y. 
Lôré. 

lôribé, 8. vedor. Individuo que pro- 
cura nascentes de agua. 

lOriko, 8. ave de cores vivas e bico 
vermelho, espécie de «piriquito». 

toriíia, 8. enredo, intriga, mexerico. 

loro, 8. sol. 

roro-dara, s. cinco da tarde. Uso ma- 
laio quasi perdido na ilha. 

lOro-falie, 8. meio dia. 

lOro-kaniuda, s. dia nublado. Quando 
o sol se não vê. 

lOro-klalàtak, 8. luzerna. 

lOro-kráik, v. anoitecer. 

toro-krá,ik,.8. tardinha. 

lOro-léten, v. relampejar. 

lOro-léten, «. corisco, faisca, raio, re- 
lâmpago. 

joro-malirin, v, entardecer. Os indí- 
genas empregam este termo das 3 ho- 
ras até as 6 da taide, porque nesse 
espaço de tempo arrefece a tempera- 
tura elevada que ha habitualmente 
entre as JO horas da manhã e as 3 da 
tarde, o que vem do habito malaio, 
mas vae caindo em desuso. 

joro-manas, s, dia quente, estio. 

joro-môsso, 8. nascimento do sol. 

joro-môno, 8. occ^iso, cccidente, oeste, 
poente, pôr do sol. Com esta expres- 
são indicam os indígenas ordinaria- 
mente as «Ave-Marias». 

joro môute, 8. seis da tarde. Uso ma- 
laio, que se vae perdendo. 

jóron, 8. dia. Serve este termo de ra- 
dical a muitos outros. 

joro-naiàtak, ir. sol nublado. 

joro-namaha, 8. eclipse do sol. 

joro-uamata, adv. á tarde. 

aoro-narôma, 8. dia claro. 

joro-natik, 8. uma hora da tarde. Uso 
malaia quasi perdido. 

joro-natúton, «. meio-dia, o pino do 
dia. 

jóron-bote, 8. Paschoa. 

^ron liira, 8. quantos dias. 

iióron-liito, 8. todos os dias da se- 
mana. 

^ron-hito, a. setenario. 

iiOro-nia, o. solar. 

^ron-ida, adv. outr'ora. 

jóron-lóron, adv, diariamente, quoti- 
dianamente, quotidiano. 

Lóron-mài, adv. todos os dias. 

[jóron-mate, 8. dia de finados. 

^óron-rua, a. biduo, de dois em dois 
dias. 



Lóron-sae, s. este, leste, levante, nas- 
' cimento do sol, oriente. 

Iióron-séluko, adv, outra vez, outro 
dia, outr'ora. 

Lóron-tòlo, adv, de três em três dias, 
triduo 

lióron-ualo, b. oitava. 

Loroten, 8. claridade (do romper da 
aurora). Conforme ao uso malaio. 

Loro-toba, 8. poente, pôr do sol. 

Lónm, 8. dia. Este termo é usado 
quasi exclusivamente nos reinos do 
intt^rior e da contra-costa, ou costa 
sul, e serve de radical a muitos ou- 
tros. 

Lórun-bote, «. Paschoa. 

Lórun hira, loc. adv. quantos dias. 

Lórun hôto, 8. todos- os dias. 

Lórnn-lórun, adv. diariamente. So- 
mente usado nos reinos do interior e 
contra-costa. 

Lórun-mai, adv. todos os dias. 

Lómnmate, 8. dia de finados. 

Lórun-séluko, adv. outra vez, outro 
dia, outr'ora. 

Lós, V. acertar, sair certo. 

Lós, 8. certeza, equidade, razão, reali- 
dade, rectidão, veracidade, veras, 
verdade. 

Lós, a. acertado, adequado, conforme, 
devido, direito, evidente, exact:), ex- 
presso, fiel, genuino, germano, idó- 
neo, legitimo, opportuno, perpendi- 
cular, pontual, positivo, prefixo, ra- 
zoável, real, recto, sincero, valido, 
veraz, verdadeiro, verídico, vero. 

Lós, adv. á fé, cei*to, deveras, justa- 
mente, sãmente, validamente, verda- 
deiramente. 

Lôsso, v. abrir. Quasi sempre os indí- 
genas empregam este termo para si- 
gnificar o abrir a porta. 

Lôsso knúla, v. abrir garrafa. 

Lôsso màtan, v, abrir os olhos, esbo- 
galhar os olhos. 

Lôsso-BíLlaxL, V, abrir garrafa. 

Lôsso-snrik, v. desembainhar a es- 
pada. 

Lota, V. aprender, estudar, exercitar, 
fazer exercício. 

Lota, 8. aprendizagem, estudo, exercí- 
cio. 

Lota, a. exercitado. 

Lota-lae, v, experimentar, fazer expe- 
riências. 

Loto, 8. melão. 

Loto, 8, mungo. 

Lotú, 8. finura. 



LUH 



160 



LLU 



Lotú, a. fino, meado. 

l4Óti2ko, V, trinchar. 

Lótuko, a. delgado, fino, partido, trin- 
chado. 

Lon, a. Este termo não tem correspon- 
dente em português, pois ó o trata- 
mento que 08 indígenas d£o ás filhas 
dos reis e dos principaes dos reinos. 

Lònlin, 8. entrada. Abertura ou porta 
lateral de uma casa ou barraca. 

Lòuri, V. acarretar, carregar, carretar, 
conduzir, levar, mudar, transferir, 
transportar, trasladar. 

Lòtiribé, «. aguadeiro, vedor. V. Lo- 
ribé. 

Louri-lia, v. desacreditar, intrigar, 
malquistar, mexericar. 

Luà, 8. largura. 

Ln&k, 8. largura. 

Luàk, a. largo. 

Luan, 8. comprimento, grandeza, lar- 
gura. 

Luan, a. amplo, ancho, extenso, largo, 
vasto. 

Lúan, a. despido', nu. 

Lnbo, 8. quinhão. Os indígenas empre- 
gam principalmente este termo para 
designar a parte de um tronco de ar- 
vore, isto é, da palmeira do sagu que 
o regulo ou principal manda deitar 
a baixo e dividir por elles. 

Lúbnko, 8, coto. Parte de onde se cor- 
tou um tronco. 

Luba-ikiin, v. derrabar, tirar o rabo. 

Lúbnn, 8. ajuntamento, assembleia, cá- 
fila, caterva, chusma, congregação, 
concurso, grei, grupo, magote, mana- 
da, multidão, rancho, turba. 

Lnka, v. mergulhar-se. 

Luka, 8. mergulho. 

Luko, V. mergulhar-se Em uso nos 
reinos da contra-costa ou costa sul. 

Luko, 8. buraco. 

Lúdun, 8. sete-estrello. 

Lúlian, V. apriscar. 

Lúhan, 8. aprisco, cortelho, curral, lo- 
gar, pocilga, redil. 

Lúhas, V. escaldar, esfolar, queimar, 
tisnar. 

Lúhas, «. escaldadella, esfoladela, quei- 
madura. 

Lúlias, a. escaldado, queimado, tis- 
nado. 

Lúhas-an, r. escaldar-se, esfolar-se, 
queimar-se. 



Luho, 8. açafate, cabaz, cesta, cesto. 
condessa. 

Lnho-bote, 8. cana-tra. 

Lnho-kiky 8. cabazinho, cestinho, coq> 
decinha. 

Lai, t*. descer (por uma corda). 

Luli, V. abster-se, cohibir-se, reprimir- 
se, ser prohibido. 

Lnli, 8. abstenção, abstinência, repres- 
são. 

Lôlik, 8. feitiço, pomal. 

Lúliky a. divino, intacto, sacro, sagra- 
do, santo. 

Lúlik dók, 8. feitiço para curar. 

Ltdtin, V. bainhar, debruar, dobrar. 
embainhar, cncartuzar, enrodilhar, 
enrolar. 

Ltilnn, 8. bainha, debrum. 

Lúliin, a. debroado, dobrado, embai- 
nhado. 

Lamnte, 8. musgo. 

Lan, 8. cobra (fina e curta). 

Lnn-uén, 8. lagrima. 

Lurite, V. atravessar, traspassar. Este 
termo cmprega-se para significar a 
passagem por uma ribeira de uma 
margem para a outra. 

Lnrite, 8. passagem. 

Lnrite, a. atravessado. 

Luro, 8. criança pobre. 

Luro, 8. pião. 

Lurón, 8. caminho, estrada, ma. 

Lnrón-klote, 8. azinhaga, rua estreita. 
viela. 

Lnrón-ôna, «. travessa (que liga duas 
ou mais ruas). 

Lámko, *. forno. 

Lurún, 8. rua. Também os indigenãs 
empregam este termo para designar a 
qualidade de orphão nas crianças. 

Lútan, 8. tição. 

Luto, 8. bardo, cerco, sebe, taipa. Â 
pag. 280 do citado Diccianario dá-se 
este termo com a sua própria signiê- 
cação portuguesa, o que pode confon- 
dir-se com a palavra propriamente 
indígena que tem os significados que 
aqui vão indicados. 

Lutudo, 8. indicador (dedo). 

Lato-knótak, «. travessas (que segu- 
ram as sebes ou pagares). 

Lútuko, V. apertar, assediar, cercar, 
sitiar. 

Lútnko, 8. funeral. 

Luúto, V. chocar (da gállinha). 



MAK 



161 



MAR 



J^ 



k. Este termo é uma espécie de par- 
tícula que não tem traducçâo pró- 
pria, e que serve para antepor a cer- 
tos verbos a fim de formar os corres- 
pondentes substantivos, 
abárate, s. crespo, grenho, rissado, 
risse. 

adis, V. amolar. Os indígenas usam 
este termo somente referindo-se á 
navalha de barba, 
ae, conj. mas. 

ábal, 8. espessura, grossura. 
áhal, a. espesso, gro.-so. 
ahálak, a. applicado, laborioso, tra- 
balhador. 

ahálok, a. applicado, laborioso, tra- 
balhador. Em uso especialmente nos 
reinos do interior. 

ãihan, «. bagagem, carga, carrego, 
fardo, fato. 

ahantoba, adj. inservivel. 
ahédik, v. acertar no alvo. 
ahédik, a. certeiro. 
ahi, pron. alguém, se. 
aho, 8. descanso, 
a-hõlio, a. bomicidio. 
á-hússik, 8. apontador, atirador, ca- 
çador. 

ai, V. apparecer, comparecer, cres- 
cer, dimanar, encorpar, medrar, so- 
brevir, vegetar, vir. Este termo serve 
de regimen de alguns verbos, e é ra- 
dical de vários termos. 
ú, prep. a, em, para. 
aifali, V. regressar, tornar, virar, 
voltar. 

aifali, 8. regresso, volta, 
il-haú, pron. pes. me. 
ii-hikas, V. voltar, 
ú-hikas, tf. volta. 

ii-bôssi, V. derivar, descender, des- 
viar. 

ii-ktiilr, V. seguir, seguir-se. 
ú lài, loc. adv, anda cá, vem cá. 
ii-lalaiSy V. adeantar-se, dar-se 
pressa. 

li-ôna, a. crescido, criado^, desenvol- 
vido, escanado. 
ii-ôna, loc, adv. já veio. 
li-teni, V. bisar, repetir, tornar, 
li-úluko, V. adeantar-se, anteceder, 
preceder, 
ik, 8. soberba, 
ik, a. altivo, soberbo, 
ika, V. cansar-se. Também indicam 



os indígenas com este- termo, antece- 
dido de oin, um iudividuo cheio de 
vangloria e prosápia. 

Maka, a. cansado. 

Maka, conj. é que. 

Kaka, adv, mesmo. 

Makaàs, v. apertar, comprimir, espre- 
mer, primir. 

Makaàs, a. áspero, brusco, comprimi- 
do, consistente, crespo, encrespado, 
entesado, esforçado, forte, grenho, 
risso, teeo. 

Makadadi, s. chumbo. 

Makailúlik, s. guarda. Dão os indíge- 
nas este nome ao individuo que cuida 
do pomal e serve de guarda. 

Kakáir, s. olheiro. 

Maka-neôy adv. eis aqui, esse mesmo, 
este mesmo. 

Makas, v. tostar. 

Makas, a. tostado. 

Makdadi, «. chumbo. 

Makdnko, s. arrecadas, brincos, pen- 
dentes. 

Makdnite, s. porteiro. 

Makérek, v, bordar, affectar, colorir, 
variar. 

Makérek, a. bordado, colorido, florea- 
do, lavrado, malhado, pintado, varia-, 
do, variegado. 

Makórek-létran, v. a£Pectar-se. 

Makérek-létran, a. affectado, desleal. 

Makes, s. cócegas. 

Makfàniin, s. porteiro. 

Makikitdy s. milhano grande. 

Makikite-mútin, s, águia. 

Makiliy v.ter cócegas. 

Mako, 8. tigela. 

Maksoi, 8. rico. 

Maksoik, v. amoedar. Este termo re- 
fere-se ás ordens que mandam consi- 
derar moeda as Upas, saròes, lenços, 
parões e facas. 

Maksoik, a. amoedado. 

Maksôrin, 8. rim. 

Maksôrin-tàis, 8. banha de porco. 
Também empregam os indígenas esta 
expressão para designar o tecer os 
panos que elles mesmos usam. 

Maksôssal, 8. rico. 

Makteri, «. milhafre pequeno. 

Makú, 8. cuvilhete, pires. 

Makuri, 8. milhafre pequeno. 

Makus, V. comer, mastigar. Os indíge- 
nas empregam este termo para indi- 

1] 



MAU 



1G2 



MAN 



car OB indivíduos que quando comem 
fazem grande bilrulbo a mascar, pa- 
recendo porcos. 

Maléthnko, a. -azul cinzento. « 

Malai, 8. branco. Com este termo os in- 
dígenas designam todos os brancos 
europeus ou descendentes, nascidos 
em qualquer parte. 

Malai-métun, «. africano, cafre, ho- 
mem preto. Este termo indica < m ge- 
ral individuo que não é branco nem 
da raça amarella. 

Malibai, 8. formiga vermelha e grande. 

Malibó, 8. cegonha, gaivota branca, 
garça. 

Malirin, v. arrefecer, fazer frio, refres- 
car. 

Malirin, «. fresco, frescura, frialdade, 
frio. 

Malirin, a. frigido. 

Malissan, «. maldição. Termo introdu- 
zido do português, ao que parece, e 
que ficou estropeado. 

Malissen, 8. imprecação, maldade, mal- 
dição, malicia. Outra forma estro- 
peadii da palavra portuguesa. 

Halissen-aáte, v. amaldiçoar, anatbe- 
matizar, execrar. 

Malissi, 8. malicia. Palavra iutrodu- 
zida do português ao que parece. 

Maio, 8. companheiro, parceiro, paren- 
te, próximo, semelhante. 

Maios, 8. betei. De folha fina 

Malos-lôto, 8. folha de betei. 

Malu, pron. reciproco, outro. Este ter- 
mo empregado como pronome não tem 
uma significação própria, mas pro- 
duz o effeito do nosso reciproco 
«se». 

Màluko, 8. adjunto, collega, compatrio- 
ta, consorte, par, parceiro, parelha, 
parente, patricio, sócio, vizinho. 

Màlnko, a. junto, próximo. 

Métluko-fúnun, 8. inimigo. Do partido 
contrario nâ guerra. 

Métliiko-sala, à. cúmplice. 

Maluli, V. chocar. 

Maluli, 8. galliuha choca. 

Maluúto, 8. cobrir. Apenas os indíge- 
nas empregam este termo para desi- 
gnar a gallinha a cobrir os pintai- 
nhos com H3 próprias asas. 

Mama, v. mascar. A folha de betei, 
areca e cal á moda do país. 

Mâmal, 8. almofada. No IHccionario ci- 
tado apparece, a pag. 43, este termo 

^ para ajudar a significar «aragem», 
mas nunca encontrei no longo trato 



com os indígenas o seu emprego eu 
tal accepção. 
. M&mal, «/fraqueza, lan^nidez. 

Màmal, a. apoucado, balofo, bambo. 
brando, cho4'ho, covar ie, d^ibil, des- 
leixado, desmazelado, effeminado, tle 
xivel, fofo, fraco, frouxo, imbecil^ 
inerte, lasso, macio, meigo, molk 
tenro, ténue. 

Mamik, 8, bexiga (onde se junta a uri- 
na, segregada pelos rins). 

Mamoite, 8. resistência. 

Mamoite, a. resistente. 

MamOkok, 8. face. 

Mamôno, 8. pensamento. 

Mamuto, a. tépido. 

Man, r. parar. 

Mana, v. admirar-se, embasbacar, es- 
pantar-se. 

Mana, 8. admiração, estupefacção. 

Mana, a. admirado, embasbacado, es- 
tupefacto. 

Manán, v adquirir, alcançar, aprovei- 
tar, captar, conquistar, conseguir. 
debellar, exceder, ganhar, gr^ngear, 
lograr, lucrar, sobrepujar, 8<;bre&air. 
subjugar, superar, triampbar, ven-j 
cer. 

Manàn, 8, lucro, proveito, vantagem. 
victoria. 

ManÀn nàran, v ganhar fama. 

Manas, v. aquecer, aquentar, encalmar, 
estar quente 

Manas, 8. ardor, calma, calmaria, ca- 
lor, fervor. 

Manas, a. aquecido, ardente, callido. 
encalmado, esquentado, fervente, j i- 
cante, quente. 

Manas-réssin, a. fervido. 

Mandnko, s. rã, sapo. Este termo 
existe no dialecto crioulo de Macas, 
onde passa como ^indo do malaio. 
por isso tanto pode ter sido introdu- 
zido pelos macaistas, como pelos ma- 
laios ou pelos europeus. 

Mane, 8. homem, 

Màne-aàte, «. homem mau. 

Maneàman, a. valente. 

Màne-badain, a. habilidoso. 

Màne-bàdnk, s. anão, boneco, homem- 
zinho, homuncolo. | 

Màne-bote, 8. homemzarrão. 

Mâne-btian, è. feiticeiro. I 

Mâne-diak, 8. homem bom, homem de 
bem. 

Mànefôon, «. genro, sobrinho. 

Mâne-hadòmi, a. amador. 

MâJie-lianôin, a. amador. 



MAi\ 



163 



MAN 



Mâne-hanôrin, a. director, mestre, re- 
gente. 

Mâ.iie-kã.'ben, «. casado, consorte, ma- 
rido. 

Mâne-kaite, s. amancebado, amasio, 
amigado. 

Màne-kik, s, homem zinho. 

Màne-klóssan, s. joven, mancebo, sol- 
teiro. 

Màne-knua, s. aldeão. 

Mâne-krekas, s. escanzelado, homem 
seco, magro. 

Mâne-liorai, s. fidalgo. 

Mãne-mÀmal, a. eíFeminado, mari- 
cas. 

Mâne-matének, s. letrado. 

Mâne-moris, a. desembaraçado, desen- 
volto. 

Màne-nia, a. humano, varonil, viril. 

Mâne-ôan, s. enfesado, enfraquecido, 
raquítico. 

Mâne-oinain, s. homem liberal, homem 
liso. 

Màne-róssak, s. gorduncho, homem 
corpulento. 

Mane ruma, s. alguns homena. 

Mâne-sik, s. adivinho. 

Màne-sira, s. homens. Um dos plu- 
raes feitos pelos indigenas. 

Mànéssan, v, assemelhar, igualar, pa- 
recer. 

Manéssan, 8. parecença, igualha, se- 
melhança. 

Mâne-snkate, s. medideiro, medidor. 

Maniko, s. rouxinol. 

Manka, v. cansar-se, mancar, manque- 
jar. Este termo parece ter sido intro- 
duzido do português, e os indigenas 
empregam-no quasi exclusivamente 
a respeito dos irracLonaeg». 

Mankàine, v. delirar, variar. 

Mankàme, «■ delirio, desvario, dou- 
dice, loucura. 

Manko. s. covilhete, tigela, xareta de 
coco. 

Mankoite, s. resistência. 

M&no, 8. ave, gallinha, gallo, pássaro. 

Mano-étman, «. gallo. 

Mano dian, a, aves domesticas. 

Mano fàuko, s. gallo amarello. 

Manofónan, a. impingem. 

Mano fuik, s. ave brava, pássaro sel- 
vagem. 

Mano fnlan, s. pena de ave. 

Máno-fúlun, s. penugem, pluma, plu- 
magem. 

Ma.no ftirak, 8. gallo pintado. 

Mano hamérik, «. cinco da manha. 



Esta expressão provém do malaio, 
mas vae perdendo o uso. 

Méino-ibun, 8. bico (de ave). 

Mano-inan, s. gallinha. 

Mano kéilabo, s. gallo pardo. 

M&no-kakórok, a. cantar (de gallo). 

Manokélen,'«. cano de espingarda. 

Manokidiin, a. impigem. 

Mâno-kik, a. passarinho. 

M&no klá.ken, a. bando de aves. 

Mâno-knasse, a. gallo branco e preto. 

Ma.no -knuúko, a. ninho (das gallinhas 
porem). 

Mâ.no-kúlan, a. moela. 

Mâno-lia, a. chilro, gorgeio, pio, voz 
de pássaro. 

Mâ.no-lian, a. chiada, chilreada. 

Mano lido, a. canto de aves. 

Mâ.no-liIi, a. passarinhos muito peque- 
nos, que em grandes bandos se sus- 
tentam nas searas do nélle, muito se- 
melhantes senão iguaes aos «rice 
birds» de Shangae. 

Ma.no luíLto, a. gallinha a pôr. 

Mânomalirin, a. rouxinol. 

Mano maluli, «, gallinha choca. 

Ma.no maluúto, a. gallinha (a cobrir 
os pintos com as asas). 

Màno-maos, a. aves djmtsticas. 

Màno-métan, a, corvo. 

Mano namerik, a. cinco da manhã. 
Esta exprescão provém do malaio, 
mas vae tendo pouco uso. 

Màno-naránl, v. empoleirar se. 

Ma.no natilia) v. saltar do poleiro. 

Mâ,no-ôan, a. avezinha, passarinho, 
pintainho. 

Màno-sikas, a. gallo de cores varia- 
das. 

Manotàlin, a. enredador, intrigante, 
mexeriqueiro. 

Mâno-tàran» a. esporão de gallo. 

Mâno-tato, a. gallo branco com pen- 
nas pretas. 

Mâ.no-teki, a. gallo de cores differen- 
tes. 

Méino-tôlnn, «. ovo. 

Màno-túdik, a. esporão. Dão os indi- 
genas esta denominação ao esporão 
de aço com que armam os gallos 
para o jogo. 

Mano túían, a. frango crescido, meio 
gallo. 

Mâno-tútun, a, bicada. D'e8ta expres- 
são formaram os indigenas a denomi- 
nação de «Mauatuto» que tem um 
reino da costa norte, ao nascente de 
DiUy. 



MAS 



164 



HAT 



Kâno úlnn, 8. bando de aves. 

Màno-ama, e. capoeira, gallinheiro. 

Mansila, s. maca, maxilla. £ a ma- 
xilla usada na índia e.em Africa, de 
que alguns indivíduos teem feito uso 
em Timor. 

Man-tôluiiy «. ovo. 

Maná., 8. gallo. Alguns indígenas pro- 
nunciam este termo accentuando a 
ultima syllaba, de modo a parecer 
que deve escrever- se com «u», como 
em alguns pontos se diz no Dircio- 
nario citado, mas sâo tão poucos que 
talvez fosse melhor supprimi-lo; 
como porem este trabalho é princi- 
palmente para novos estudos, por if so 
se menciona. 

Maoék, V. andar perdido. 

Maônoan, «. aranha (pequena, muito 
venenosa, que se encontra na erva 
e que chega a matar os animaes que 
a comem). 

Mãos, a. brando, fagueiro, manso, 
meigo, pacato, pacifico, plácido, sua- 
ve, terno, tranquillo< 

Má.raka, v. marcar. Este termo é o 
português estropeado, e somente é 
empregado para dignificar o marcar 
letras na roupa a ponto de marca. 

Maréte» 8. formiga grande e preta. 

M&ran, « seca, secura. Este termo é 
principalmente usado pelos indígenas 
para significar a carne seca ao sol, a 
que em Dilly dão vulgarmente o 
nome de tassalho. 

Màran, a. árido, seco, enxuto. 

Maré, v. ver. Este tem; o é usado ape- 
nas nos reinos da contra-costa, e 
nalguns do interior. 

Maré-m&tan, v. irar, virar os olhos 
irado. 

Marômak, s. Christo, Criador, Deus, 
Divindade, Jefaová, Senhor. 

Marômak duni, s. o mesmo Deus. 

Marômak neé, s. por Deus. Forma de 
juramento que usam os indígenas, e 
lhe foi naturalmente ensinada pe- 
los missionários. 

Marômak-nia, a. divino. 

Marômak-ôan, s. Jesus Christo. 

Maruko, a. comprido, longo. 

Mas, V. bocejar. No Diccionario citado, 
a pag. 77, dá-ee tombem o significado 
«boquejar», que nunca ouvimos aos 
indígenas em nenhum dos pontos que 
percorremos. 

Mas, «. bocejo. 

Màssik, 8. inconstância. 



M&ssik-ten, a. inconstante, pregui- 
voso. 

Massila, «. maca, mnxilla. Gste termo 
foi provavelmente introduzidcr na 
lingUHgem pelos índios de .Goa e 
africanos de Moçambique, onde se 
usam as maxillas como uieio de trans- 
porte, e que alguns introduziram oa 
ilha de Timor. 

Màssin, 8. sal. Os indígenas também 
designam com este termo as conser- 
vas que se fazem de vegetaes saigan- 
di)-os, principalmente de iimòee. a 
qual é muito apreciada em Macaa e 
na índia portugueza. 

M&ssin-fàtln, 8. saleiro. 

Métssin-lae, a. ensosso, insípido, Eem 
sabor. 

Màssin-midal, «. açúcar. 

Màssin-midel, 8. açúcar. 

Massnôko, v. andar perdido, perder-se, 
vadiar. 

Massnnko, «. bandarra, vadio. 

Massnnko, a. desobediente, perdido, 
vago. 

Mata, 8. olho. Também os indígenas 
usam este termo para indicar nmã 
abertura que sirva de porta. 

Matadók, 8. arúspice. Feitiço que 
mata animaes no pomal. 

Matadoók, 8. feiticeiro. 

Mata-fâknn, 8. sobrancelha. 

M&tak, V. enverdecer, reverdecer. 

Màtak, 8. verdura. 

Màt^k, a. cru, loução, tenro, verde, ver- 
doengo, verdor. 

Mataka, «. sangue- suga. 

Mata-kàktin, «. pálpebra. 

Mataka-tutiko, «. bostela, costura, 
crosta, crpsta. 

Mata-rineda, v. dormir (com os olLos 
abertos, como dizem os indígenas 
que dorme o animal assim denomi- 
nado). 

Màtan, «. olhos. Um dos raros pluraes 
que os indígenas fazem. 

M&tan, 8, tampa. 

Matàn, «. casco (dos quadrúpedes). 

Má.tan-b&luko, «. cego de um olho 

Màtan-bidàdel, 8 cego. Que tem os 
olhos abertos em branco. 

Màtan-délek, a. cego, pisco. 

Màtan-dórek, a. torto, vesgo, zanaga. 
zarolho. 

Màtan-dxLkxil, 8. somno. 

Màtan-fúknn, s. sobrancelha. 

Méttan-fàlan, 8. pestana. 

M&tan-ikun, 8. canto exterior do olho. 



MAT 



16Õ 



MEI 



fi[àtan-kâ.kiin, «. pnlpebra. 

Uátankàrak, a. ambicioso. 

Màtan-klénko, a. torto, vesgo, zana- 
ga, zarolho. 

Mátan-klir, a. torto, vesgo, zanaga, 
zarolho. 

Mátan-klóssuko, s, cego (de olhos fe- 
chados). 

Mátan-kuék, a. remei oso. 

MEátan-kulite» s. capella do olho. 

Uátan-làe, «. cego. 

Bíàtan-laék, s. cego (em uso nos rei- 
nos da coDtra-costa). 

fiíâtan-lakidan, s. terçol. 

Mátan-nia, a. ocular. 

BIâ.taii-taka, s. operculo. 

ttàtan-ten, s. ramela. 

Iilátan-iién, s. lagrima. 

ULàtan-uérok, a. rameloso. 

Màtan-úlun, s. canto interior do olho. 

Bftatarua, «. dois a dois. 

Matas, «. obesidade. Tambcm os indí- 
genas indicam com este termo o 
mais velho referindo-se aos filhos de 
qualquer casai. 

Mata-úen, ». lagrima. 

Mate, V. fallecer, finar-se, perecer, 
morrer. Em consequência do trato 
com os portugueses, alguns indíge- 
nas já empregam este termo para si- 
gnificar : «delatar qualquer segredo, 
vomitar o que sabe a respeito de 
qualquer pessoa». 

Mate, s, fallecimento, finado, morte, 
morto. E também se usa para indicar 
que a pessoa vae dar conta dos pec- 
cados. 

Mate, a. e part. apagado, fallecido, fi- 
nado, morto. 

Mate béin, 8. alma de defunto. 

Mate-fàlun, s. mortalha. 

Mate-hira, loc. adv. quantos morreram. 

Mate-iôsin, a. defunto. 

Maték, «. estupor, estuporado. 

Maték, a. entorpecido, paralytico. No 
Diccionario citado, a pag. 227, tam- 
bém apparece como significado de 
«firme», mas no longo trato com os 
indígenas nunca tivemos occasião de 
ouvir tal emprego. 

Mate leéte, v. morrer de repente. 

Mate leéte, s. morte súbita. 

Mate mútus, «. despesa de funeral. 

Matének, v. ser instruído, ter conhe- 
cimentos. 

Matének, s. educação, erudição, illus- 
traçâo, sabedoria, sapiência, scien- 
cia, talento. 



Matônek, a. comedido, cordato, douto, 
ensinado, entendedor, entendido, eru- 
dito, esclarecido, esperto^ illustrado, 
instruído, intelligente, lido, litterato, 
p.erito, perspicaz, sabedor, sábio, sa- 
gaz, sapiente, sisudo, talentoso. 

Mate ôna, loc. adv. já morreu. 

Matéten, v. falar. Em uso apenas na 
contra-costa. 

Mate tós, V. custar a morrer. 

Màtik, a. estupor. V. Matek. 

Matiten, v. falar. Este termo tem uso 
unicamente em alguns reinos da con- 
tra-costa, ou costa sul. 

Mauék, a. vadio 

Mànko, V. furtar, roubar. 

Màuko, 8. passageiro. (O que não é 
durável). 

Méiuko-ten, «. ladrão. 

Mànn, «. germano, irmão, mano, primo 
irmão, primo mais velho. 

Métun-alin, a. alliado, co-irmao. 

Mann dóben, s. caro mano. 

Mé, V. balar, berrar. 

Méak, 8. ferrugem. Os indígenas em- 
pregam também este termo para de- 
signar a primeira infância. 

Méak, a ferrugento. 

Móan, V. envermelhecer. Este termo 
usam os indígenas também para de- 
signar certa moléstia de pelle, a que 
os europeus dão o nome de « cascado». 

Méan, e. rubor, vermelhidão. 

Méan, a. encarnado, purpúreo, rubi- 
cundo, rubro, tetro, vermelho. 

Mear, v. cuspir, escarrar, espectorar, 
tossir. 

Mear, s. catharrò, cuspo, defluxo, es- 
carro, espectoração, tosse. 

Mear, a. constipado, encatharroado. 

Méar-tàssak . 8. escarro. 

Méas, 8, meias. Termo introduzido do 
português e em uso apenas em Dilly 
e poucos pontos nas proximida- 
des. 

Meda, 8. meda. Animal selvagem que 
tem o rabo pelado e que se encontra 
em grande quantidade nas planta- 
ções de café em que faz estragos* Com 
este termo, antecedido de Néhek, 
designam os indígenas uma formiga 
pequena, vermelha, que levanta a 
cauda como o lacrau. 

Mehi, V. sonhar. 

Mehi, 8. sonho. 

Mehi, a. sonhador. 

Méi, 8. cunha. 

Méi, a. aguçado, agudo. 



MET 



166 



BIOD 



Môik» 8. cunha. Em uso principalmente 
no8 reinos do interior. 

Môik, a. aguçado, agudo. 

Kôlt, s. beldroega. 

Mélan, s. átomo. 

Mélek, a. pequenino, verme. 

MenaSy a. silencio. 

Meno, V. aprazar, combinar, prazar. 

MenOi 8. combinavão, prazo. 

Mono basso, v. passar do prazo. 

Mentora, a. especial, extra. Quando 
referido á qualidade da banana. 

Mer, a. salgado. Este termo é pouco 
usado e não muito conhecido dos ín- 
digo nas das novas gerações. 

Mérak, v. turbar. 

Mérak, a. tnrbado, turvo. 

Mérak, adv, muito. 

Mérlk, 8. lepra, sarna. 

Mérik-ata, a. sarnento, sarnoso. 

Mérin, v. entristecer. 

Mérin, s. tristeza. 

Mérin, a. triste. 

Meris, t;. amolar (a navalha de barba). 

Mérok, V. amargar. 

Mérok, 8. amargura. 

Mérok, a. amargo. 

Mossa, V. andar só, errar, estar tó. 

Messa, 8. ermo, isolamento, soledade, 
solidão. 

Me^sa, a. solitário. 

Messa, adv. aparte, meramente, só, so- 
mente. 

MessA-déite, 8. deserto, solidão. 

Méssak, v. andar só, errar, estar só. 
Em uso nos reinos do interior. 

Méssak, s. solidão. 

Méssak, a. solitário. 

Méssak, adv. apenas, meramente, so- 
mente. 

Messa-kànek, a. chagado. 

Messa-lia, v. vozear. 

Messa-lian, s. vozearia. 

Méssan, a. igual. 

Messa-taho, a. barrento, lamacento. 

Métak, a. preto. P^ste termo tem uso 
apenas eai alguns reinos do interior 
e da contra-costa. 

Métan, 8. cor escura. 

Métan, a. atro, escuro, farrusco, ne- 
gro, preto. 

Métan alúmnto, a. azul escuro. 

Métan-ladiak, s. azeviche. 

Métan-liu, 8. azeviche. 

Métan-mer, a. azul. 

Métan-màtak, a. azul, cor do mar. 

Métan-uite, a. trigueiro. 

Métar, a. preto. 



Meti, V. metter, pôr. Este termo parece 
introduzido do português. 

Meti, 8. escolho, recife, restinga. 

Meti, a. apertado, estreito, justo. 

Métik, a. basto, denso, espesso, fero, 
seguro, tapado. 

Meti klòssan, 8. mar bonanço&o. 

Métin, r. firmar. 

Métin, 8. firmeza 

Métin, a amarrado, basto, consibteDte, 
denso, ezpesso, firme, fixo, impresso, 
justo, opaco, prefixo, seguro. 

Métin, adv. bem. 

Meti-nlo, «. baixio, baixo, banco de ai eia. 

Meti-nlnn, 8. cachopo, escolho, res- 
tinga. 

Ménl, V. desengonçar. 

Méul, a. deseugonçado. 

Mi dal, 8. doce, doçura. 

Mldbl, a. dulcifíco. 

Midel, 8. doce, doçura. 

Midel, a. duleifico. 

Mihi, V. sonhar. 

Mihi, 8. sonho. 

Mibin, 8. sonhos. Um dos poucos plu- 
raes feitos pelos indigenas. 

Mihis, a. delgado, delicado. 

Mil, V. mijar, urinar, verter aguas. 

Mii, 8. mijo, urina 

Mii-an, V, mijar-se (por si, e sem se 
sentir). 

Miin, 8. mijo, urina. 

Miis, a. eusonso, sem sal. 

Mina, 8. azeite, óleo. 

Mina fahi, 8. unto de porco. 

Mina nnn, 8. azeite de coco. 

Mina-rai, 8. petróleo. 

Mina sarâni, 8. óleo sagrado. 

"NLó^prep com. Usa-se antes da segunda 
pessoa do singular. 

Móate, V. absorver, chuchar, chupar, 
fumar, mamar, sorver. 

Moàte, a. expesso. 

Modo, 8. adubo, caldo, carne, comi- 
da, condimento, hortaliça, verdura. 
vianda. 

Módok, a. amarello, louro, murcho. 

Módok-ona, pari. amarellecido, loure- 
cido, murchado, murcho. 

Módok-sae, r. amacellecer, lourecer. 
murchar. 

Modo tâ.han, 8. mostarda verde. 

Modo-ten, s. missanga. 

Modo-uén, 8. caldo, molho. 

Módnn, s. causa, cerimonia, espécie, 
génio, gesto, roí>do, tregeito. Ette 
termo parece introduzido do portu- 
guês, do significado «modo». 



MO\ 



167 



MOR 



Hódnn-diak, s. affabil idade. 

M oe, V. acanbar-se, afognear-se, airoD- 
tar-se, envergonhar-se. 

Hõe, r. moer, pisar. Também este ter- 
mo parece introduzido do portagaês, 
como tantos outros. 

Móe, s. pejo, vergonha. 

Môe, s. e^cameo. 

Hoe, a. envergonhado, vergonhoso. 

Moe-aáte, v. envergonhar. 

Móe-aíite, a. acanhado, envergonhado, 
vergonhoso. 

Hôek, a. desobediente. 

Moe-hametÀiiko, r. acanhar-se, escon- 
der-se. 

Móe-Iadiak, r. vexar- se. 

Móe-laek, a. descarado, desa vergo- 
nhado. 

Môen, 8. as partes pudicas. 

Holiate, s. mata (de arbustos ou arvo- 
res). 

Hohatey a. expesso. 

Moho, V. enfatuMr-se. 

Moho, a. enfatuado. 

Hobâ, V. acabar, concluir, finalizar, 
terminar. 

Mok, V. calar. 

Mok, a. calado. 

Moko, adv. só. 

Hokok, s. patarateiro. 

Mólak, a. primeiro. 

Mólak, adv. antes. 

Mólek, 8. careca. 

Mólek, a. ensosso, insulso, insipido, 
simples, singelo. 

Mólen, 8. amalgama, mistura. 

Mólen, a. amalgamado, misturado. 

Hólik, 8. caminho limpo, caminho 
Buave. 

Mólik, a. maninho. 

Hólok, adv. antes. 

Mólnko, a. pensativo. Também os in- 
dígenas empregam este termo para 
significar primeiro. 

Mólnko, adv. antes. 

Momôko, a. só. 

Hôno, V. aluir-se, baquear, cair, desa- 
bar, decair, descair, mover, remover, 
sacudir, sucumbir. E^te termo tam- 
bém serve de radical a outros. 

Mono, 8. baque, boleu, caida, queda, 
tombo. 

Môno-bá, conj. por isso. 

Monòko, 8. falta. 

Mono' dadoras, v. dar cambalhotas. 

Môno-fali, v. recair. 

Môno-fali, «. recaída. 

Môno-iha, v. incorrer. 



{ Hôno-iba, o. incursa 

Hôno-òna, eu derribado. 

Monnko, a. leitoso. 

Moó, r. alegrar- se. 

Moó, 8. alegria. 

Moó, a. alegre. 

Mook, V. gtorinr se, regoxijar-se. 

Hoók, 8. patarateiro. 

Hoók, a. bel lo, bonito, capaz, felix, fol- 
gado, gozoso, ledo, lindo. 

Moóko, a. urgentissimo. 

Môon, r. mascar, mastigar, remoer, ru- 
minar. 

Moón, a. sério, sisudo. 

Moras, v. adoecer, doer, enfermar, es- 
tnr doente, soffrer. 

Moras, s. doença, dor, enfermidade, 
pena, soffirimento, tormento. 

Moras, a. achacado, achacoso, doente, 
doloroso, dorido, enfermo, indisposto, 
mórbido. 

Moras-a&te, a. entrevado, invalido, to> 
Ihido. 

Moras ladiak, s. perigo de vida. 

Moras toba, r. cair de cama. 

Moras-uite, a. adoentado, mal dis 
posto. 

More, V. esvaecer-se. 

More, a. esvai do, fraco, frouxo. 

Môrin, V cheirar bem. 

Môrin, 8. aroma, cheiro, {mgancia, 
odor, perfume. 

Môrin, a. aromático, balsâmico, chei- 
roso, odorifero, perfumado. 

Môrin tua, r cheirar a vinho. 

Móris, r. descender, gerar, nascer, so- 
breviver, vegetar, viver. 

Môris, V. morar, occupar. 

Móris, 8. descendência, nascimento, 
vida, vitalidade. 

Móris, a. descendente, nascido. 

Môris, a. activo, desembaraçado, pres- 
to, vivo. 

Móris-amútnko, v. cohabitar. 

Móris dadann, v. ir vivendo. 

Móris-diak, 8. bom comportamento, 
vida decente. 

Móris-bó, V. conviver. 

Móris kàben, v. viver amancebado. 

Móris ladiak, s. mau comportamento, 
má vida. 

Morkalian, v. ai grarse, distrair- se, 
divertir-se. 

Morkalian, a. alegre, contente, diver- 
tido. 

Mormôr, s. detracção, murmuração. 
Este termo provém evidentemente do 
verbo português «murmurar». 



IIOT 



168 



IIUM 



Morôko, s, animal embravecido.l 

Mórten, «. coral. .Os indigenasjfser- 
vem-se também d'ebte termo para 
designar os coUares, que ut^am ao 
pescoço, feitos de contas de diferen- 
tes tamanhos e feitios, eeJHm de co- 
ral ou de outra qualquer matéria. 

Mómko, V. amargar. 

Móruko, 8. amargura, bilis, peçonha, 
veneno. 

Mornko, s. alliança, camaradagem, 
confederação. 

Móruko, a. amargo, peçonhento, ve- 
nenoso. 

Mornko, a. alliado, confederado. Este 
termo tem a significação especial 
que provém do juramento que os in- 
digenas fazem, com muita solemni- 
dade, bebendo o sangue dos confe- 
derados. 

Mómn, 8. veneno. 

Mós, V. alimpar, assear, limpar, purifi- 
car. 

Mós, 8. asseio, decência, pureza. 

Mós, a. asseado, bom, claro, decente, 
immacnlado, impolluto, jrreprehen- 
sivel, limpo, puro. 

Mós, adv. até, outrosim, como assim, 
mais, também. 

Mós, çonj. também. 

Mósse, V. elogiar, engrandecer, gabar, 
louvar. 

Môsse, 8. elogio, louvor. 

Mósso, V, amostrar-se, apparecer, 
apresentar- se, assomar, despontar, 
espontar, parecer, raiar, rebentar, 
romper. 

Môsso, a. apparecido, despontado, no- 
vo, rebentado. Também os indígenas 
empregam este termo para dizer 
«golfada». 

Móssun, 8. nascente de agua. 

Mota, 8. corrente de agua, riacho, ri- 
beira, rio. 

Mota-ain, s. barra, desembocadura, 
embocadura, foz. Os indígenas em- 
pregam esta expressão quasi exclusi- 
vamente para indicar a confluência 
de duas correntes de agua, pois que 
na ilha nao existe barra nem foz, 
visto que todas as ribeiras ao chegar 
ao sopé das montanhas, a maior ou 
menor distantes da praia, infiltram- 
se no solo dando em resultado os pân- 
tanos do litoral ; esta regra só tem 
excepção quanio ha chuvas torren- 
ciaes, o que não é muito vulgar. 

Mota-bôko. 8. no. 



Mota-bote, «.;cheia, enchente. 

Mota-duú, 8. margem (de ribeira). 

Mota-nia, a. fluvial. 

Mota-ninin, 8. margem (de rio). 

Móta-óan, 8. arroio, levada, regatj 
ribeiro. 

Mota sónui, «. ribeiras confluentes. 

Mota-tnn, *. enchente, enxurrada, ri- 
beira cheia. 

Mota úlnn, s. nascente de ribeira. 

Mó ti, 8. ribeira seca. 

Móti, a. torto. 

Mótik, a. torto. Em uso nos reinos de 
interior e especialmente nas monta- 
nhas. 

Mótok, 8. soluços da agonia. 

Mótuko, V. esturrar, queimar, tisnar. 
torrar. 

Mótnko, 8. esturro. 

Mótuko, a. esturrado, queimado, tis- 
nado, torrado. 

Mótur, 8. elephantiasis. 

Móuko, a. despido, nu. 

Moúko, a. destemido. 

Mourin, 8. cheiro, perfume. 

Mourin, a. cheiroso, perfumado. 

Móute, V. afnndar-se, alagar-se, aluir- 
se, atascar-se, atolar-se, fundir-se. 
mergulhar-se, submergir se, snbver- 
ter-se. 

Móute, a. afogado, alagado, aloido. 
atascado, atolado, mergulhado, sub- 
mergido, submerso. 

Mudi, V. amojar, espremer, mugir, or- 
denhar. Este termo parece ter sido 
introduzido do português, ficando es- 
tropeado pela d ffií'uldade dos indí- 
genas em pronunciarem o som do J 
e pela sua tendência em substitui-lo 
por D. 

Muis, V. ajustar 

Múis, a. justo. 

Múkite, V. carecer, faltar, necessitar. 
precisar. 

Múkite, 8. indigência, miséria, neces 
8 idade, pobreza, precisão. 

Múkite, a. indigente, necessitado, po 
bre. 

Múkite-mate, v. morrer de fome, pe- 
recer á mingua. 

Muko, 8. mudez. 

Múlak, 8. mineral. 

Mumo, 8. bochecho. 

Múmuko, V. arrombar. 

Múmuko, a, aiTombado. 

Múmun, a. e part, caido. Os indigenas 
empregam este termo para indicar a 
comida que cae da boca. 



MIJU 



169 



NAF 



Múrak, 8. mineral. 

Múrak-méan, s. ouro. 

Múrak-mútin, s. prata. 

Mússan, s. bag», baganha, ba^o ca- 
roço, grão, pevide. Alguns indígenas 
empregam também ette termo para 
designar «rosca». 

Mu ta, V. arrevessar, lançar, vomi- 
tar. 

Muta, s. vomito. 

Mutan, 8. vómitos. Parece-nos um dos 
pluraes feitos pelos indígenas. 

Mútik, a. branco, descorado, desmaia 
do, esbranquiçado, lívido, macilento, 
pallido. 

Mútin, a. alvo, alvacento, branco, 
branqueado, cândido, descorado, es- 
branquiçado, lívido, macilento, ni- 
veo, pallido, pombo (cor). 

Mtttissala, s. contas. Missangas de cor 
vermt-lha, de que os indígenas fazem 
muito uso, e que servem como que de 
moeda para as permutas. 



Muto, V. juntar. 

Mato, a, junto. 

Mútuko, V. sommar. 

Mútako, 8. somma. 

Mútuko, o. adjunto, annexo, conjunto, 
junto, unido. 

Mútun, V. despender, gastar. 

Mútun, í. despesa, gasto. 

Mútun, a. gastador. 

Muú, V. beijar, oscular. 

Muú, 8. beijo, osculo. 

Muúk, 8. mudo. 

Muúko, V. beijar-se (quando reciproca- 
mente). 

Muúko, 8. beijo (reciproco). 

Muúko, a. commovido, mudo. Os in- 
dígenas usam este termo para desi- 
gnar a pessoa que se commove a 
ponto de nào poder falar ; tendo nós 
visitado em diiferentes épocas a 
maior parte da ilha nunca encontra- 
mos nos percursos que fizemos um 
único surdo-mudo. 



isr 



ífa, 8. palmeira (que produz o gamute). 
Este termo é também uma espécie de 
particula afirmativa sem significação 
própria e empregada para dar força 
á expressão. 

Nfaàk, conj, que. 

Naân, s. carne. Ha muitos indígenas 
que com este termo indicam somente 
a carne seca ao sol, ao uso do pais. 

N^aân-bàrak, 8. carnaça, carniça. 

ííaán-krókas, «. febra, fevera, carne 
magra. 

N'aá.n-má,raii, 8. carne (seca ao sol), 
X arque. 

ííaán-mer, s. carne salgada. 

ííaán-nia, a. carnal. 

ííaán-sôna, 8. torresmo. 

^aàn-tassi, «. peixe, marisco. 

ííaán-tuno, s. así^adura. 

5íaán-uâin, s. carniça. 

^abàrate, a. desgrenTiado. 

ííáben, v. derreter. 

ííabile, V. brilhar, curiscar, fulgurar, 
fusílar, lampejar, luzir, radiar, reful- 
gir, relampejar, scintillar. 

íTabile, «. brilho, fulgor, lampejo, lu- 
zerna, luzimento, relâmpago. 

ííabile, a. brilhante, fulgente, Insidio, 
lustroso, radiante, refulgente, ruti- 
lante, scintillanté. 

ííabite, V. apertar, comprimir, sujeitar. 



Nabite, a. apertado, comprimido, su- 
jeito. 

Nabo, V. berrar, mugir, rugir, urrar, 
zurrar. 

Nabó-lian, 8. berro, rugido, urro, 
zurro. 

Nabóran, s. ruido. Que faz a toáca ou 
vinho de coqueiro, quando está a fer- 
mentar. 

Nabôto, 8. zunido (nos ouvidos). 

Nabuko, v. rebentar (das arvores). 

Nabuko, 8. botão de planta, rebento 
novo de arvore. 

Naburo, v. arder. 

Nabuta, v. crescer. 

Nabuta-láran, s. inehaçâio, inchaço, 
inflammaçào, pústula. 

Nadai, v. melhorar. 

Nadai-lai, a. convalescente. 

Nadéiun, v. grelar. 

Nadàun, «. grelo. 

Nadelo, v. abrolhar, agomar, arreben- 
tar, brotar, rebentar. 

Nadelo, 8. esgalho, rebento. 

Nadéiun, v. despontar, rebentar. 

Nadéiun, 8. rebento. 

Nadero, 8. esgalho, rebento. 

Naduko, v. rebentar (das arvores). 

Nafatin, a. constante, contínuo, eter- 
no, incessante, perpetuo. 

Nafatin, adv. constantemente, conti- 



NAH 



170 



NAI 



nuamente, eternamente, insessante* 
meute, perennemente, permanente- 
mente, perpetuamente, sempre. 

Nafâan, v. frutifiísar. 

Nafáan, s, borbulhagem. 

Nafúan, a. frugifero, frutífero. 

Naftidik, V. falsear. 

Nafxidik, a. falso. 

Nafiirin, v. escumar. 

Nafàrin, 8. escuma. 

Naha, a. bagagem, carga. 

Nahã.Íeik, s. gaivota dé cores. 

Nétlian, v. soar, tinir, toar. 

N&lian, 8. bagagens, cargas, carrego, 
enxoval, fardo, fato, roupa, trem, ves- 
tuário. Pareceu-Qos este termo um 
dos pluraes feitos pelos indígenas 
nos seus dois primeiros signítica- 
dos. 

Nàlian-tódan, a. carregado. 

Nahas, «. depressa, pressa. 

NahaSy adv. já. 

Nahas-ôna, adv. já. 

Nahe, v. desdobrar, desenvolver, es- 
tender. 

Nahe, a. desenvolvido, estendido. 

Nahe-biti, v. esteirar. 

Nahehék, s. rincho (de cavallo). 

Nahi. Este termo só por si não tem 
um significado próprio em poi tuíruês, 
pois é apenas uma espécie de radical 
de varias expressões, umas vezes 
para lhe dar força e outras para mo- 
dificar o sentido da desinente. 

Nahl-ahulas, v. andar ás voltas na 
cama. 

Nabi-dadoba, 8. cansaço, fraqueza. Os 
indígenas empregam esta expressão 
geralmente para indicar a pessoa que 
não pode andar em seguida a qual- 
quer doença. 

Naiii-diuko, «. ócio, ociosidade, pre- 
guiça. 

Nahi-diuko, a. ocioso, preguiçoso. 

Nabi-babulas, v. andar ás voltas na 
cama. 

Nabi-halimaí, a. ocioso, preguiçoso. 

Nabi-klolókon, v. delirar, faltar á toa 
(com a febre). 

Nahi-klolókon, a. delirante. 

Nabi-kméimnko, a. mudo. 

Nabi-lalabun, adv. á toa. 

Nabi-lalira, «. frenesi. 

Nabi-lalira, a. adoidado, estabanado 
estouvado, inconsiderado, leviano, li- 
geiro, m&luco, matuto. 

Nabi-lôko, a. pimpão, presunçoso, so- 
berbo. 



Nahi-lôkolôko, a. aldrabão, trapa- 
ceiro, trapHlháo. 

Nahi-lókolókon, v. delirar, falar sem 
tom nem som. 

Nabi-lókolókon, 8. delírio, desvario, 
loucura. 

Nahi-lókolókon, a. delirante, toaco. 
variado. 

Nahi-mamoite, t\ suffocar. Este termo 
empregam os indígenas igualmente 
para indicar que o cavallo resiste ao 
governo estendendo o pescoço. 

Nahi-mamôno, a. meditabnudo, peD- 
sativo. 

Nabi-rib&k, v. gesticular. 

Nahi-sass&en, v. agoniar-se, angus- 
tiar se, apoquentar-se, desgostar-se. 
inquietar-se, magoar-se. 

Nahi-sassÀen, «. afflíção, agonia, ân- 
sia, ansiedade, angustia, desgosto. 
inquietação, magua, penn. 

Nahl-sass&en, a. afiiicto, inquieto. 
maguado, penalizado. Os indígenas 
também indicam com esta expres- 
são o ultimo suspiro, oa a agonia dos 
moribundos. 

Nahi-sàssik, r. titubear. 

Nahissi, V. coagular, coalhar, conden- 
sar, congelar, gelar. 

Nabissin, v. solidifícar-se, tornar-se 
t-olido. 

Naboék, v, mugir. 

Nahoko, v. alagar. 

Noboko, a. alagado. 

Nai, a. senhor, dono, principal, supe- 
rior. Os indígenas empregam este 
termo como tratamento dado aos reis 
e princípaes, bem como em geral aos 
eur peus, e também serve de radical 
a aliíumas expressões. 

Naibóko, 8. mílhano grande. 

Nal-féto, 8. dama, dona, madama, se- 
nhora. 

Nai-hira, loc. adv. quantos são? 

Nai-lon, 8. filha de regulo ou de prin- 
cipal. 

Nailnlik, 8. abbade, clérigo, cara. 
ecclesinstico, padre, presbytero, sa- 
cerdote. E^te termo foi formado de 
lulik que os indígenas empregam 
para designar o homem que trata do 
pomal, o qual para os gentios é sa- 
grado, e portanto a sua única e pri- 
mitiva religião, e os que já entraram 
no grémio da igreja igualmente o em- 
pregam antepondo-lhe o termo uai 
•senhor», ficando a sua significação 
mais exacta «senhor sagrado». 



NAK 



171 



NAK 



Nailnlik-bote, s. bispo. 

Nailulik-hôto, s. clero. 

Nailalik-nia, a. clerical, sacerdotal. 

Nai-máne, s, dono, possuidor. 

Nain, 8. fidalgo, patrão, pessoa concei- 
tuada. Este termo também serve como 
radical para formar alguns substan- 
tivos. 

Nain, 8. forte. Usam os indigenas ordi- 
Dariamente este termo para deoi^nar 
quantidade, porção quer de pessoas, 
quer de animaes, quer de cousas. 

Nain, a. dono, senhor. 

Nain, adv. muito. 

Nainan, 8^. taça. 

Nain-dlak, e. santidade. 

Nain-ida, 8. idolo. 

Nai-nó, a. Este termo níto tem tra- 
ducção em português, pois é o trata- 
mento que 08 indigenas dâo aos fi- 
lhos dos reis e dos priocipaes. 

Nal-noi, a. Este termo também não 
tem traducção, pois é empregado 
como tratamento das filhas dos reis 
e dos principaes. 

Nain-tada, 8. sabedoria. 

Nain- tolo, «. trindade. 

Nair, V. vergar. 

Nair, a. vergado. 

Nai-úlun, 8. chefe, maioral, persona- 
gem, principal, regente, superinten- 
dente. O significado dVsta expressão 
é cabeça de suco na divisão do reino 
indigena. 

Nak, a. Outra forma da partícula Na, 
nas mesmas circumstancias e usado 
principalmente na contra-costa ou 
costa sul. V. Na. 

Naka, 8. berimbau de bambu. 

Nakadaite, 8. relâmpago. 

Nakahul, 8. amalgama, mistura, pro- 
miscuidade. 

Nakahul, a. amalgamado, intrincado, 
misturado, promiscuo. 

Nakal, a. travesso. 

Nakali, v. ferver,. irar. O primeiro dos 
significados emprega-se muito em sen- 
tido figurado. 

Nakali, s. ebulição, eíFervescen feia, fer- 
vura. 

Nakálik, a. mudável, substituivel, va- 
riável. 

Nakàrak, v. querer. Este termo é usa- 
do somente em alguns reinos da con- 
tra-costa e do centro da ilha. 

Nakaras, 8. crepúsculo. 

Nakaraa-mótin, 8 lusco-fusco (depois 
do sol posto). 



Nakati, v. dobrar. As arvores com o 
vento. 

Nakbelite, a. glutinoso, pegadiço, pe- 
gajoso, viscoso. 

Naki)issen, a. entorpecido, tolhido. 

Nakbôas, v. arrebentar, fender-se, 
gretar, gretar- se, rachar. 

Nakbôas, 8. abertura, explosão, fenda, 
greta, racha. Também os indigenas 
usam este termo para indicar o nas- 
cer do sol. 

Nakbôas, a. arrebentado, fendido, gre- 
tado. 

Nakbôba, s. pisadura. 

Nakbôba, a. pisado. 

Nakbôko, v. estalar. 

Nakbôko, 8. estalo. 

Nakdakas, v. estalar. 

Nakdakas, 8. estalo. 

Nakdáite, v. fusilar, relampejar, scin- 
tilar. 

Nakdáite, s. liquido denso. 

Nakdédal, v. tremer. 

Nakdédal, 8. tremura. 

Nakdédal, 8. tremolo. 

Nakdoko, v. balançar, balançar-se, 
dobrar-se, vibrar. 

Nakdoko, 8. pêndulo. 

Nakdoó, V. despejar-se, entornar-se, 
esgotar-se, esvaziar-se. 

Nakdoó, a. despejado, entornado, es- 
gotado, esva2Íado vazio. 

Nakdúal, v. entornar, esgotar, esva- 
ziar. 

Nakdúal, a. entornado, esgotado, es- 
vaziado, vazio. 

Nakdulas, v. girar. 

Nakdnlas, s. ^iro. 

Nakduúl, 8 folho, froco, prega, refego, 
ruga. 

Nakeé, v. raiar. 

Nakék, v. amortecer, anoitecer,^ des- 
pontar, entreluzir. 

Nakérek, v. tingir. 

Nakérek, a. tinto. 

Nakfahe, v. partir, quebrar. 

Nakfahe, a. partido, quebrado. 

Nakfàhek, v. dividir, repartir, separar. 

Nakfàbek, 8. divisão, repartição, re-. 
partimento separação. 

Nakfáhek, a. dividido, repartido, se- 
parado. 

Nakfàkal, v. despejar-se, entornar-se, 
esgotar-se, esva&iar-se. 

Nakfàkal, a. despejado, entornado,"es- 
gotado, esvaziado, vazio. 

Nakfera, v. fender-se, partir-se, que- 
brar-se, rachar-se, rebentar. 



NAR 



172 



NAR 



Nakfera, «. racha. 

Nakfera, a. amarrado, arrebentado, 
assolado, «rniinado, demolido, d« rre- 
tido, derribado, derrotado, desfeito, 
escalado, escalavrado, fendido, par- 
tido, rachado. 

Nakférak, a. partido. 

Nakfétík, v. palpitar, pulsar. 

Nakfètik, s. palpitação, pulsação. 

Nakfókar, v. queimar se, tihnar-se. 

Nakfôkar, s. empola, queimadura. 

Nakfókar, a. empolado, escaldado, 
queimado, tisnado. 

Nakfólar, a. adoentado. Os indígenas 
empregam também este termo para 
designar umas ligeiras dores de bar- 
riga. 

Nakfore, v. desenroscar. 
Nakfore, a. deaenroscado. 
Nakfáak, «. inchação, inchaço, tumes- 
cencia. 

Nakfúan, «. borbulhagem, fogagem, 
inflammação. 

Nakfúdik, o. dissimulado, falso, fictí- 
cio, fingido, sonso. 

Nakfónan, «. bolor. 

Nakfúnan, a. bolorento. 

Nakfunite, s. aspereza. 

Nakfunite, a. aspe-ro. 

Nakitik, 8. bolhas de gordura á super- 
fície de qualquer liquido. 

Naklà, 8. racha, veio. 

Naklà, a. rachado. 

Naklake, v. abrir-se, desabrochar. 

Naklake, s. abertura. 

Naklake, a. aberto, desabrochado. 

Naklàken, v. descobrir, destapar. 

Nakláken, a descoberto, destapado. 

Naklar, v. rasgar-se. 

Naklar, a. rasgado. 

Naklàtar, s. inchação, inchaço, in- 
flammaçáo, intumescência. 

Naklékar, v. espalhar. 

Naklékar, a. espalhado. 

Naklelas, v. enlamear-se, enxurdar-se, 
sujar-se (de lama). 

Nakles, v. despedaçar-se, dilacerar-se, 
esfacelar-se, esfarrapar-se, rasgar-se. 

Nakles, a. despedaçado, dilacerado, 
esfacelado, esfarrnpado, rasgado. 

Naklôu, a. dobrado (nâo estendido) 

Nakleuko, v. entortar. 

Naklôuko, a. entortado, enroscado, 
torcido, torto. 

Nakli, V. soar, tinir, toar. 

Nakli, 8. som. 

Naklok, 8. abertura, brecha, entrada, 
fenda. 



Nakloke, v. abrir-se. 

Nakloke, 8. abertura. 

Nakloke, a. aberto, desabrochado. 

Naklolas, v. andar de rastos. 

Nakluhas, a. empolado, escaldado, 
queimado, tisnado. 

Naklúto, a. dobrado (nao eatendidoi. 

Nakméite, «. avareza. 

Nakméite, a. avarento. 

Nakmon, ». despido, nu. 

Nakmòssnko, v. nascer, rebentar, rom- 
per (referindo-se á agua). 

Nakmôsstiko, s. nascente. 

Naknakas, v. trovejar. 

Naknakas, 8. estalo, estouro, roído, 
trovão. 

Naknés, a. esfarrapado. 

Naknótak, a. meio, metade. 

Nakôko, V. guardar dieta. 

Nakoé, V. grunhir. 

Nakoé, 8. grunhiio. 

Nakòno, v. abastecer, encher, fartai, 
inçar. 

Nakôno, «. enchente, fartara. 

Nakôno, a. cheio, farto, grado, imbol- 
d , inçado, plenário, pleno. 

Nakòno-fúhumei, v. acugular. 

Nakòno-nàton, s. medida rasa. 

Nakónnn, a. frinzido. Para designar a 
cositura mal feita. 

Nakôron, 8. murmúrio, sussurro. 

Nakrahnko, v. quebrar. 

Nakràhoko, a. quebrado. 

Nakrétik, r. diminuir, desfazer. 

Nakràkate, v. enriçar os cabellos. 

Nakràkate, s. guedelha. 

Nakràkate, a. enriçado. 

Nakrakite, v. arrebentar. 

Nakrakite, a. arrebentado. 

Nakraiin, v. britar, quebrar. 

Nakratm, a. despedaçado. 

Nakrók, v. não saber guardar segredo 

Nakrék, a. abelhudo, linguareiro. 

Nakrioko, v. esguichar, injectar, se- 
ringar. 

Nakróe, v. apodrecer. 

Nakroé, v. derrancar-se. 

Nakróek, v. corromper-se. 

Nakróek, 8. corrupção, podridão. 

Nakróek, a. apodrecido, corrompido, 
corrupto, podre. 

Nttkrôma, v. alumiar, esclarecer. 

Nakrôma, «. claridade. 

Nakròma, a. alumiado, claro, esclare- 
cido. 

Nakru, s. arrulho. 

NakmiL, v. espirrar. 

Nakruú, s. espirro. 



NAL 



173 



NAM 



faksàek, s. adormecer. 

faksàek, a. adormecido, dormido, dor- 
mente. 

Faksákar, v. enriçar os cabellos. 

iaksákar, a. enriçado. 

faksaki, v. arrebentar, rebentar. 

raksaki, a. arrebentado, rebentado. 

íaksala, v. deslocar. 

faksala, a. deslocado. 

íaksàlak, v. desengonçar, deslocar, 
estortegar. 

Faksàlak, a. desengonçado, deslocado. 

íaksõbak, v. salpicar. 

raksôbSLk, a. salpico. 

raksoi, V. enriçar. 

laksoi, a. enriçado. 

íaksoik, V. enriçar (os cabellos). 

íaksoik, a. enriçado. 

laksôite» s. alinhavo, ponto. 

raksôlok, V. alliviar, confortar, conso- 
lar. 

faksora, v. espalhar. 

faksôraji, v. espigar. 

raksóran, s, fagulha, faulha. 

faksôran, a. espigado. 

Taksúbal, a. recôndito. 

íaknari, v. descansar. 

rakuari, a. descansado. 

rakiLkun, v. ennegrecer, entenebre- 
cer, entrevecer, escurecer. 

rakxikTiii, 8. escuridade, escuridão, tre- 
vas. 

raktLknii, a. escuro, fusco, lusco-fusco, 
obscuro, opaco, tenebroso, tetro. 

rakúkun, adv. ás escuras. 

rakúkun-ôna, part. ennegrecido. 

rakúkun-uite, a. brusco, escuro, som- 
brio. 

rakúnin, a. franzido. Para indicar 
que uma costura está mal feita. 

lakuruto, v. arrugar, encarquilhar-se, 
engelhar-se, enrugar-se. 

lakoruto» s. prega, ruga. 

íakútak, v. ter medo. Ei«te termo é de 
uso quasi exclusivo dos povos da 
costa sul. 

rakuúko, V. correr liquido. 

rakuúko, 8. seringa. 

íala, 8. atordir. atordoar. 

raláek, v. murchar. 

Taláek, a. murcho. 

lalai, V. atordir, atordoar. 

íalàtak, a. encoberto, nablado. 

íale, 8. malhas claras (que alguns in- 
dígenas tem pelo corpo). 

íaleéte, v. frequentar. 

íaleéte, s, frequência. 

Talian, v. cantar (de pássaros). 



Naliliiin, V. estagnar. 

Nalibun, a. estagnado. 

Nalin, a. capado, castrado, eunuco. 

Nalirik, v. chuviscar. 

Nalirik, s, chuvinha, chuvisca. 

Nalirik, a. meudinho. 

Nama, *. tocaio. Termo muito em uso 
no Oriente para indicar pessoas que 
tem o mesmo nome. 

Namaha, v. assombrear, sombrear. 

Namaha, s, sombra. 

Namaba, a. assombreado, ensombra- 
do. 

Namaban, 8 sombras. Um dos poucos 
pluraes feitos pelos indígenas. 

Namàmute,«. agua choca, agua morna. 
Os indígenas empregam este termo 
para designar que a agua não está 
fresca. 

Namánas, a. esquentado, quente. 

Namata, v. fazer frio. 

Namata, 8. fresco, frio. 

'Namata^ a. frigido. 

Nanbon, a. sonoro. 

Name, v. balar. Neste termo os indíge- 
nas quasi nâo pronunciam o e, e fa- 
zem soar bem o m. 

Name, 8. berro. Idem. 

Naméssan, 8. aptidão. 

Naméssan, a apto. 

Namekari, v. derramar, diffundir, es- 
palhar, vulgarizar. 

Namekari, a. derramado, diffundido, 
dispersado, disperso, espalhado, vul-» 
garizado. 

Namessuho, v. oífegar, soluçar. 

Namessuho, 8. soluço. 

Namessuho, a. afflicto, offegante, solu- 
çante. 

Namelaék, v. emmurchecer, morrer, 
murchar, murchar-se. 

Namelaék, a. fallido, murcho. 

Namélan, v. apontar a barba, despon- 
tar a barba. 

Namelele, v. boiar, navegar. 

Namelele, v. vogar, (o que está em 
voga). 

Naméo, s. mião. Que mia muito, o que 
os indígenas empregam nao somente 
em relação aos gatos, mas também 
em sentido figurado referindo- se aos 
indivíduos que se lamentam constan- 
temente dos seus achaques ou das suas 
desgraças. 

Namérak, *. arco da velha, arco iris. 

Namérik, v. elevar-se, erguer-se, le- 
vantar-se. 

Nametànko, v. amedrontar. 



NAN 



174 



NAR 



Namó, 8. borbulha, borbulbagem, fa- 
ruDCuIo, leieenço. 

Namôitô» a. engasgado. Os in'ligena8 
também empregam este termo para 
designar os gestos e tregeitos que a 
pessoa faz quando quer expelir o ob- 
jecto que o engasga. 

Namon, s. fundeadouro, porto. 
. Nétmotnko, <. queimadura. 

Namotuko, a. queimado. 

Namôute, v. ir ao fundo. 

Namú, V. atroar. 

Namn, «. som, zumbido. 

NamtLdo, 8. som. 

Namun, 8. echo. 

Namuko, v. atroar, estrepitar, estron- 
dear, soar, toar. 

Namnko, «. ribombo, som. 

NamtLTuko, 8. detonação, estampido, 
estrondo, fragor, frémito, ribombo, 
som, zumbido. 

Namúmko, a. sonoro. 

Namúrnto, v. assoprar, bufar, soprar. 

Namúruto, 8. assopro, sopro. 

Namuúko, a. mudo. 

Nan, V. moer, roer. Este termo também 
serve como particula para dar força 
á expressão. 

Nanétl, 8. lingua. 

Nan&l-nia, a. lingual. 

Nanàl-ôan, 8. campainha (das guellas). 

Nanàn, 8. lingnas. Um dos raros plu- 
raes feitos pelos indigenas. 

Nanétr, «. lingua. 

Nanar aka, 8. ceu d a boca. 

Nanaraka-óan, 8, campainha (das guel- 
las). 

Nanarate, «. interior da guella. 

Nanarú, v. atirar. Este termo empre- 
gam os indigenas para designar um 
uso que elles teem de atirar de certa 
distancia com a bebida que outros 
aparam na boca com muita ligeireza. 

Nanás y s. ananás. 

Nandi, v, levantar. 

Nandl, a. levantado. 

Nanéssan, v. adaptar, adherir, igua- 
lar. 

Nanéssan, 8. igualha, igualdade. 

Nanéssan, a. equivalente, exacto, 
igual, parecido, parelho, quejando, 
tal, uniforme, unisono. 

Nanéssan, adv. exactamente, outro 
tanto, tal e qual. 

Nanéssan, pron mesmo. 

Nanéssan, conj. quer sim, quer não. 

Nanéssan-ho, v. igualar a. 

Nani, V. nadar. 



Nani, a. nadador. 

Nani haklena, v. nadar de costas. 

Nanissi, «. inseto. 

Nani tassi, v. nadar no mar. 

Nani-né, v. nadar em ribeira. 

Nankair, v. confinar, entestar, limitar. 
separar. 

Nan-kari, v. diffundir, dissipar, efiíiQ- 
dir, espalhar. 

Nan-kari, a diffundido, dispersado, 
disperso. 

Nanknari, v. espalhar. 

Nankuari, a. espalhado. 

Nsml&ek, V, emmurchecer, morrer. 
murchar, murchecer, perecer. 

Nanléiek, a. murcho. 

Nanlalir, v. soar. 

Nanlalir, 8. som. 

Nanlalir, a. sonoro. 

Nanlele, v. navegar. 

Nanlele, «. navegação. 

Nanlele, a. navegante. 

Nanòik, v. historiar. 

Nanôik, 8. historia. 

Nanôko, v. accommodar-se, calar, ca- 
lar-se. 

Nanôko, 8. silencio. 

Nanôko, a. calado, quedo, quieta, si- 
lencioso. 

Nanôko, inteij. caluda, chiton, reti- 
rou. 

Nanon, v. historiar. 

Nanon, «. historia. 

Nanran, «. eclipse. 

Nan-sero, v. arrotar. 

Nansero, í. arroto.. 

Nan-sódan, v. cair. Os indigenas em- 
pregam esta expressão para designar 
a caida das folhas das arvores no 
tempo próprio. 

Nansuhu, v. affilgiNse, estafar -se, offe- 
gar. 

Nansnlia, a. afflicto, estafado, ofe- 
gante. 

Nanú, cuiv. assim. 

Nan-ná.lek, a. agitado. 

Nannn, a. trilião. 

Nanuú, adv. assim, como. 

Nanuú dnni, adv assim como. 

Néiran, v. chamar-se, cognominar-se. 
deiiominar-se, dizer-se, intitular-se. 
nomear-se. 

Nàran, s. conceito, denominação, epi- 
theto, fama, nome. 

Nàran, a. qualquer. 

Nàran, s. aborto. 

Néiran-fàtin, «. pronome. 

Nétrani, «. poleiro. 



NAT 



175 



NEE 



Náran-iktis, s, alcunha, appellido, co- 
gnome. 

Náranki, a. qualquer. 

Náran-màluko, «. tocaio. 

Nàran-nia, a. nominal. 

Nâran-rolian, s. alcunha, appellido, co- 
gnome, pronome, sobrenome. 

Nàran-sarâni, s. nome de baptismo. 

Nare, v. ver. Em uso apenas na con- 
tra-costa e entre os povos das mon- 
tanhas. 

Naréssin, v. sobejar, sobrar^ trasbordar. 

Naréssin, s. sobejo, sobra. 

Nari, V. ladrar. 

Nari, a. ladrador. 

N'arôina, v. alumiar, illuminar, irra- 
diar, luzir, refulgir, reluzir. 

Narôma, s. clareza, claridade, luz. 

Narôma, a. clarão, claro, esclarecido, 
lúcido, luzente, rutilante. 

Naruko, s, dimensão, extensão. Os in- 
dígenas empregam muitas vezes este 
termo para designar uma trave, o 
que dá indicio ter sido a sua primi- 
tiva significação. 

Naruko, a. amplo, comprido, esguio, 
extenso, longo, oblongo, talar. Tam- 
bém se emprega para designar roupa. 

Naruko-liu, a. immenso. 

tarumã, «. claridade. Em uso so- 
mente nalguns pontos. 

N^assassirin, a. todos. Isto é, não falta 
nenhum homem ou animal dos que de- 
vem estar presentes. 

N^asséik, v. correr liquido. 

N'asso, V. remediar. 

^asso, 8. remédio. 

Níassahu, s. aâliçâo. 

Nfassuliu, a. afflicto. 

N'ata, V. mastigar. 

^ata-kôa, v. rilhar, roer (a comida 
quando já faltam os dentes). 

C^àtais, 8. gamute. Espécie de pias- 
saba, que produz a palmeira da tua- 
ca, á qual os indígenas chamam 
igualmente natais. 

ííatali, V. parecer-se. 

^atali, a. parecido. 

Matar, s. várzea. 

ííatar kéin, «. alfobre de várzea. 

ííatar lólon, s. alTobre de várzea. 

ííateten, v. falar. Em uso na contra- 
costa. 

^atlha, V. saltar. Apenas empregado 
pelos indígenas para designar as gal- 
linhas a saltar do poleiro. 

^atik, 8. uma hora (uso malaio que 
vae deaapparecendo). 



Náton, V, adaptar, apropriar, bastar, 
caber, chegar, convir, quadrar. 

Nàton, a, adequado, cabal, estricto, 
exacto, sufficiente. 

Nétton, adv, quando. 

Nàton, iwerj. »»lto lá. 

Natútnn, 8. meio-dia (aso malaio que 
se vae peidendo). 

NatLéiik, a. maior. 

ITauálek, a. vergado. 

Nauàuko, v, latir. 

Nauàiiko, «. latido. 

Nauén, v. derreter, delir, diluir. 

Nanena, v. cavalgar. 

Nauena, s. cavalgada. 

Naniko, V. zunir. 

Nauiko, 8. zunido. 

Nauiro, v. zunir. 

Nauiro, s, zunido. 

Nátuko, V. bifar, defraudar, depredar 
desapossar, empalmar, espoliar, filar 
furtar, pilhar, piratear, privar, rapi- 
nar, roubar, saltear, saquear, surri- 
piar. 

Náuko, 8. espoliação, fraude, furto, la- 
droeira, rapina, roubo, saque. 

Néiuko-tassi, s. pirata. 

N&uko-ten, 8. gatuno, ladrão. 

Nàuko-tôman, a. aladroado, apiratado. 

Néan, v, adentar. Também alguns in- 
dígenas empregam este termo para 
significar «questionar» e «trazer .en- 
tre dentes». 

Néan, s. dente. 

Néan-asso, 8. dente canino. 

Néan-assôko, 8. dente canino. 

Néan-kekuko, v. abanar (os dentes). 

Néan-kiran, 8. gengiva. 

Nôan-làek, a desdentado. 

Néan-mônoko, «. desdentado. Com 

'esta expressão os indígenas designam 

principalmente as covas que appare- 

cem nas faces das pessoas a quem 

faltam os dentes. 

Néan-ren, s. dentes incisivos. 

Néan-siin, 8. dentes debotos, dentes 
embotados. 

Neé, a. tal. 

Neé, pr. dem. a, esta, este, isto, essa, 
esse, isso. 

Neé, adv. assim, cá. 

Neé-bá, pr. idem. aquella, aquelle. 
aquillo, aqueiroutro, essa, esse, isso. 

Neé-bà, adv. alem, lá. 

Neé-bé, a. qutl, que, quem. 

Neé-bé, pr. dei. em que, no qual, onde, 
qual, que, quem. 

Neé-bé, adv, aonde. 



NEO 



176 



NIR 



Neé-duni, adv. conseguintemente, con- 
sequentemente. 

Neé-dnni, prep. por isso. 

Neé-duni, conj. com effeito, é isso, en- 
tão, logo, portanto, poique, ora, por> 
quanto, pois. 

Neé-ete, pr. dem. aquella, aquelle, 
aquillo. 

Neé k&taky loc. adv, isto é. 

Neé-lalika, a. desnecessário. 

Neé-lós, conj. deveras. 

Neé-mai, prep. áquem. 

Neén, a. seis. 

Neén-nulo, a. sessenta. 

Neé os, pr. dem. esse mesmo. Este 
termo tem uso somente em alguns 
reinos da contra-costa. 

Neér, pr. dem. aquellas, aquelles, essas, 
esses. Um dos pluraes feito pelos in- 
dígenas. 

Neér, adv. acolá, ai em, ali, lá. 

Neéte, adv. acolá, alem, ali, lá. 

Neéte-seluko, adv. áquem. 

Neé tós, loc. adv. isto custa. 

Néhan, s. dente. 

Néhan, a. riscos. 

Néhan bahate, s. riscos em zigueza- 
gue. 

Néhek, s. formiga pequen». 

Néhek-meda, s. formiga (pequena, ver- 
melha, que levanta uma cauda como 
o lacrau). 

Néhek-fátin, s. formigueiro. 

Néinéik, a. baixo, brando, manso, mo- 
roso. 

Néinéik, adv. devagar, docemente, 
frouxamente, lentamente, mansamen- 
te, morosamente, paulatinamente, 
pausadamente, v{)garosamente. 

Nének, pr. dem. estas, estes. 

Neón, v. ter ânsias, \ omitar. 

Neón, s. vómitos. 

Néon, 8. juizo, memoria, pensamento, 
siso, tento. Também alguns indíge- 
nas empregam este termo para. dizer 
t humilde» e serve de radical a va- 
rias expressões. 

Néon-aéite, s. crueldade. 

Néon-aàte, a. cruel. 

Neon-kabéik, v. enjoar. 

Néon-kabêik, s. náusea, nojo. 

Néon-kmânek, s. humildade. 

Néon-lae, v. commover-se, desgos- 
tar-se. 

Néon-lae, s. commoção, desgosto. 

Néon-laek, s. irreverência. 

Néon-laek, a. cruel. 

Néon-lós, «. fidelidade. 



Néon-sala, s. affliçâo, arrependimento, 
desgosto, tristeza. 

Néon-sala, a. aflSicto, arrependido, des- 
gostoso, triste. 

Nere, s. chilrâo, rede. 

Nesséik, #. bica, cachSo. 

Néssik, r. engasgar-se. 

Néssik, a. engasgado. 

Nessn, s. almofariz, gral, pilão. 

Nessn ai, s. gral de pau. 

NessTi bessi, s. almofariz de ferro. 

Nessn diknl, t. gral de como. 

Nessa f&tnko, s. almofariz de pedra. 

Nessn riti, «. almofariz de cobre. 

Néssnn, s. pilões. Um dos pluraes feito 
pelos indígenas mais comprovado ua 
pratica, tendo notado que quando 
está apenas uma mulher a pilar o ar- 
roz, elles dizem nessn e quando es- 
tio mais, dizem néssnn. 

Netéten, r. falar. Este termo tem aso 
apenas em alguns reinos da contra- 
costa principalmente nas montanhas. 

Nétik, v. bastar. 

Nétik, a. seguro. 

Nétik, adv. bem. 

Nenai, v. divorciar-se. 

Nenai, a. divorciado. 

Nénl, V. dançar. Este termo indica o 
dançar isolado em redor do grnpo 
aos passos de um lado para outro, a 
que chamam fazer sombra. 

Kia, pr. pes. a, ella, elle. si. 

Nia, prep. a, de. 

Nia-an, jpr. jpe«. se. 

Nia dnni, pr. pes. elle mesmo. 

Nia môssak, pr. pes. de per si. 

Nian, 8. dente. 

Nia-rã.sslk, pr. pes. de per si, elle 
mesmo, elle próprio, em pessoa. 

Nidak, s. colher grande (para tirar ar- 
roz). 

Niki, 8. morcego. 

Nikite, 8. carangueijo peqaeno. 

Niko, V. dar cornadas, escomar, escor- 
near. 

Niko, a. escornado. 

Nikn, 8. bambu (para acarretar agnã< 

Ninia, pr. pes. seu (d'elle), sua (d'ellai. 

Ninian, pr. pes. d'ella, d*elle, eeus, 
suas. 

Ninik, s. mosquitinho, mosqnito pe- 
queno. 

Ninimer, s. mosquitinho. 

Ninin, 8. barra, beira, fimbria, fralda, 
limbo, margem, orla. 

Nlnnto, 8. bem cheio^ muito cheio. 

Niraissin, «. nervo do dente. 



NUM 



177 



NUU 



^issik, r. engasgar-se. 

ífissik, a. engasgado. 

ííó, a. Este termo não tem correspon- 
dente em portuguê;!, pois é o trata- 
mento que os indígenas dáo aos fi- 
lhos dos reis, dos principaes e dos 
empregados superiores europeus. 

?ío, int. ó. 

lôbun, V. acabar, aperfeiçoar, arrema- 
tar, concluir, completar, consummar, 
dctíinçar, esgotar-se, expirar, exter- 
minar, extinguir-se, fenecer, finali- 
zar, finar- SC, findar, perecer, rema- 
tar, terminar. 

^Tôbun, a. acabado, arrematado, ca- 
duco, completo, commodo, concluido, 
esgotado, findo, rematado, termi- 
nado. 

Toébá, pi\ dem. esta, este, isto. 

7oi, s. Este termo uSo tem significado 
próprio em português, pois é empre- 
gado pelos indígenas como trata- 
mento das filhas dos reis, dos prin- 
cipaes e dos europeus. 

fomôko, V. tapar a boca. 

íono, V. aquecer agua. 

fónó, 8. fidalgo. 

íonôko, V. accommodar-se, calar-s?, 
guardar segredo. 

íonôko, 8. silencio. 

fonôko, a. quedo, silencioso. 

roruko, 8. nuca. 

roruko kúak, s. cova do ladrão. 

Tosse, V. coçar-se. Este termo empre- 
gam os indígenas para designar ani- 
mal que se coça em algum tronco ou 
parede. 

Fôssi, V, parecer-se. 

fôssi, a. parecido. 

Fotete, «. raridade. 

Fotete, a. raro. 

Fouri, a. curado, sao. 

Foussi, 8, igualdade. 

Foussi, a. igual. 

Fu, 8. coco. 

'uduko, 8. som. 

iUka, 8. feridas na boca. 

'úkan, 8. mão cheia. Os indígenas em- 
pregam este termo para designar o 

juntar as mãos abertas a fim de apa- 
rar qualquer cousa. 

"ulite, V, pegar (com gomma ou grude 

qualquer objecto). 

ulito, a. glutinoso, pegado, pegajoso, 

peganhento. 

ulo, a. dez. 

úmur, V. fechar. 

úmur, a, fechado. 



Númur-lima, 8. punho fechado. 

Nun, ^. coco, coqueiro. 

Nun-fnan, s. coco, coquilho, coquinho. 

Nun-hun, 8. coqueiro. 

Nun-huno, «. ramo de cocos. 

Nun-kik, 8. coquilho, coquinho. 

Nankiu, 8. ramo de cocos. 

Nun-lalólr, *. coco lenho. 

Nun-sàren, *. ramo de cocos. 

Nan-t&lian, 8. palma. 

Nunuko, V. emmudecer. 

Nunuko, 8. mudez. 

NuQUko, a. mudo. 

Nun-nén, «. azeite de coco. 

Núnun, 8. boca. 

Núnon-bete, «. torno, torquez. . 

Núnun-kalis, v. elogíar-sc, gloriar-se, 

sorrir- se, vangloriar-se. 
Núnun-kalis, s. cara de riso. E a si- 

fnificação mais em uso, mas também 
empregado para designar «vanglo- 
ria». 

Núnun-làran, s. boca molhada. Em- 
pregam os indígenas esta expressão 
para designar os indivíduos que já 
beberam a tuaka do bambu que passa 
de mão em mão. 

Núnun-mahal, 8. beiço grosso. Tam- 
bém indicam com esta expressão 
ac^uelles que ainda não beberam 
qualquer bebida que se distribua. 

Núnan-maliat a. beiçudo. 

Núnun-ràun, s. bigodes. 

NúraJc, 8. criança de leite, infante. 

Núrak, a. tenro. 

Núrak-ôan, a. tenrinho. 

Nuro, 8. colher (para comer). 

Nassa, 8. ilha. 

Nussa-kik, 8. ilhota. 

Nússan, loc. aclu. o que quer ? 

Nussa-ôan, s. ilhéu, ilhota. 

Nussien, v. ceder, deixar. 

Nussien, 8. cessão, deixa. 

Nuú, adv. á maneira, assim, como. 

Nuú-bé, adv. aonde. 

Nuúko, V. emmudecer. 

Nuúko, a. mudo. 

Nuúda, adv. á maneira, assim como, 
como. 

Naúdar, 8. imitação. 

Nuúdar, adv. á maneira, á medida, á 
proporção, assim como, como. Tam- 
bém nos pareceu o emprego d'este 
termo como plural em certas phrases. 

Nuúdar, conj. assim, como. 

Nuúdar-ahi, a. ígneo (em ignição). 

Naúdar-búlak, a. adoidado, despro- 
positado. 

12 



NUU 



178 



OIN 



Nnúdar-hak&rak, adv. a bel prazer, á 

descrição, á escolha. 
Nutidar-lae, a. fácil, invalido, irrito, 

nullo. 
Nuú-neé, adv. assim, doesta arte, doesta 

feita, d'esta maneira. 



Nuíi-neéy conj. amen, assim como. as- 
sim seja, por exemplo, poÍ8,5pois en- 
tão. 

NatL-sà, adv. como assim^ porque. 

Naú-s&, conj. porque. 

NatL-8& ! int, então ! 



O, a. tu, você, vós. 

O, pr. pes. te, ti, tigo, tu. 

O ! int. ah ! oh ! 

Oa, s. criança. 

Oa, a. pequeno. 

Oa-féttin, «. ovário, útero, ventre (de? 
mulher gravida). 

Oa-fetorét, s. donzella, rapariga púbe- 
re, virgem. 

Oaky a. pequeno. Em uso na contra- 
costa e nos reinos do interior. 

Oàka, 8. coutumelia, injuria, invectiva, 
opprobrio. 

Oa kiak,.«. criança pobre. 

Oa-kik, 8. criança^ fedelho, menino, 
orphão, párvulo, rapazinho. 

Oa liurai, s. filho do rei. 

Oa-lúmn, «. orphão. 

Oa-méak, 8. criança. 

Oan, 8. filho, sobrinho. 

Oan, a. pequeno. 

Oan-kanura, s. filhos (de differente 
mãe, mas do mesmo pae). 

Oan-kanrua, s. filhos (da mesma mãe, 
mas de differentes pães). 

Oan-kauàik, a. primogénito. 

Oan-klá.ran, s. o filho mais novo. 

Oan-feto, s. filha. 

OâJii, 8. abelha, insecto, vespa. 

Oâ.ni-búbnko, 8. zangão. 

Oan-ikun, 8. o quarto filho ou o ul- 
timo. 

Oôni fúnun, s. zumbido de bbelhas. 

Oâni ahoron, s. zumbido das abelhas. 

Oani-nàin, s. enxame. 

Oânin-nain, s. enxames. Com este ter- 
mo prova-se a regra de formar os plu- 
raes acrescentando um n aos termos 
que terminam em vogal. 

Oani-úlnn, s. favo. 

Oani-uén, 8. mel. 

Oan-kik, 8. o terceiro filho. 

Oan-màne, 8. filho. 

Oan-matas, 8. o fi^Iho mais velho. 

Oan-náin, ». fecundidade. 

Oan-nétin, a. fecunda, fecundo. 

Oan-tômak, s. prole. 



Oan-úlako, a. primogénito. 

Oa-núrak, a fedelho. 

Oa-ték, 8. criança, pequeno. 

Oda, 8. escada. 

Odamata, «. abertura na parede para 
porta, postigo. 

Odamàtan, s. caixilho, porta, portal. 
pórtico. 

Odan, ê. escadas. Um dos pluraes fei- 
tos pelos indígenas e que confirma a 
regra apontada. V. Oanin-nain. 

Odi-biite, *. compellir, forçar, obri- 
gar. 

Oé, 8. badine, bastão, bengala., bordão. 
cajado, chibata, pau. 

Oé-bàdak, «. cacete. 

Ohi, adv hoje. 

Ohin, adv. hoje. 

Obi-neô, adv. actualmente. 

Ohinia, a. de novo, hodierno, moderno 

Ohis, adv. hoje. 

Obo, V. assassinar, degolar, esganar. 
matar. 

Obo, a. afogado, assassinado, degola- 
do, esganado, morto. 

Obo-an, v. enforcar- se, matar- se, sui- 
cidar-se. 

Obo-nia, s. suicida. 

Oi, 8. cara, face, rosto. 

Oia ! int. olá ! 

Oi-kabôbil, a. brutal, bruto, lapuz. 
selvagem. . 

Oi-kabóniko, a. carrancudo, embir- 
rento, feio, horrendo. 

Oin, 8. apparencia, aspecto, cara, cata- 
dura, deanteira, facha, fachada, fei- 
ção, figura, fronte, geito, laia, ma- 
neira, modo, mostra, phisionomia. 
presença, qualidade, rosto, semhlac- 
te, testeira, vista. 

Oin^a&te, «. carantonha, carranca. 
fealdade. 

Oin-a&te, a. afeado, deforme, disfor- 
me, feio, fúnebre, horrendo. 

Oinàin, 8. franqueza. 

Oináin, a. firanco, galhardo, generoso, 
liberal, magnânimo. 



OIK 



179 



ORA 



Mn-amenassa, a. alegre, contente, 
jovial, satisfeito. 

)in-bóssok, a. impostor. 

)in-bul)o, 8. cara carregada. 

)in-bálak, a. adoidado, atabalhoado, 
estouvado. 

)in-diak, s. garbo. 

)iii-diak, 8. airoso, bem parecido, ele- 
gante, galhardo, garboso, generoso, 
gentil, louçã, vistoso. 

)in-ida, 8. semelhança. 

Mn-ida, a. idêntico, semelhante. 

)in-ida, pr. mesmo. 

)in-ida, adv. o mesmo, tanto monta. 

)in-kabôbil, a. brutal, desabrido, 
desatinado, descortês, grosseiro, in- 
civil, malcriado, selvagem. 

)in-kabôbir, a. descortês, incivil, 
malcriado. 

)in-kamôtan, v. encobrir- se, escon- 
der (as próprias faltas). 

)in-kamutis, v. empallidecer. 

)in-kamutis, s. pallidez. 

)in-kamutis, a. cadavérico, pallido. 

>m-kik, s. carinha. 

>in-kràik, v. consternar, entristecer. 

)m-kràik, s. consternação, melancho- 
lia, tristeza. 

Hn-kràik, a. modesto, serio, sisudo, 
sombrio, taciturno, triste, tristonho. 

>in-krekas, . a. cadavérico, escavei- 
rado. 

lin-lais, 8. curiosidade. 

lin-lais, a. curioso. 

tin-mak, s. soberba. 

dn-mak, a. soberbo. 

in-maka, «. vangloria. 

in-maka, a. vanglorioso. 

in-máran, a. arrependido, repeso, 

triste. 

In-maos, a. civil, civilizado, educado. 

in-méan, v. corar. 

in-méan, a. cotado. 

in-mérin, 8. impostura. 

in-mérin, a. impostor, serio. 

in-métan, v. corar. 

in-métan, a. corado. 

in-moók, s. formosura. 

in-moók, a. contente, formoso, gai- 
teiro, gozoso, jovial, lépido. 

in-moón, v. entristecer-se. 

in-moón, s. melancholia, modéstia, 

pesar, seriedade, tristeza. , 

in-moôn, a. desconsolado, descon- 
tente, lúgubre, mono, pesaroso, serio, 

severo, taciturno, triste. 

in-nakrékete, s. careta, can*anca, 

mascara. 



Oin-nakuruto , v. tontear. 

Oin-nakumto, a. carrancudo. 

Oin-nàin, s, generosidade. 

Oin-nàin, a. generoso, ingénuo. 

Oin-nalai, v. arvorar-se. 

Oin-nalai, 8. tontice. 

Oin-nalai, d. atordoado, tonto. 

Oin-namânas, r. delirar. 

Oin-namétnas, 8. delirio, desvario. 

Oin-naméinas, a. delirante, tonto. 

Oin-roite, a orgulhoso, soberbo. 

Oin-séluko, 8. differença. 

Oin-séluko, a. discrepante, distincto, 
diverso, inverso, vario. 

Oin-séluko, adv. aliás, ás avessas, ao 
contrario. 

Oinsólok, a. contente. 

Oin-tamas, a. atrevido. 

Oin-tômak, a. atrevido, desavergo- 
nhado, despropositado 

Oin-tós, a. traquinas, travesso. 

Oio ! int. safa ! 

Oi-oin, 8. feitio. 

Oi-oin, a. variado, variegado. 

Oir, tf. robtos Um dos poucos pluraes 
que os indígenas fazem. 

Ois, 8. macaco. 

Ois-áman, s. bugio, macaco. 

Ois-inan, 8. bugia, macaca. 

Oit&mak, a. atrevido, entremettido, 
insolente. 

Oko, 8. açafate, cabaz, cesto, condeça. 

Okos, 8. fímbria, fralda.- 

Okos, 8. atrevimento. 

Okos,.a. atrevido. 

Okos, adv. debaixo. 

Okos, prep. sob. 

Okii, V. debruçar-se. 

Okú, adv. debruços. 

Okulite, 8. desleixo. 

Okulite, a. desleixado. 

Oli, adv. mais. 

On, pr. p€8. teu, tua. 

Ona, adv. já. Este termo é igualmente 
uma espécie de partícula que serve 
para formar os pretéritos dos ver- 
bos. 

0'm.a.y pr. pe8. teu, tua. 

Ono, a. esburacado, esfuracado. 

Oóe, 8. baço. 

Oóte, 8. cubículo. 

Ora, 8. hora. Este termo é introduzido 
do português, e já está muito radi- 
cado. 

Ora-sida, adv. depois, logo. Este ter- 
mo foi formulado pelos primitivos 
missionários como se deprehende da 
expressão «hora sida» usada nas colo- 



OUN 



180 



RAI 



nias portuguesas, do Oriente, como 
Ceilão, Malaca, etc. 

Ora-oras, loc. adv. de quando em 
quando. 

Oras, cdv. agora. 

Oras-neé, a. ao presente, hoje. 

Oras-neé, adv. actualmente, agora, 
presentemente. 

Oras-ôna, v. dar horas. 

Oras-údan, s. temponil. 

Orilae, a. logo. 

Oro, 8. bambu fino. 

Os, pr. mesmos. 

Ossa, 8. cabedal, dinheiro, pataca, rupia. 

Ossa-fàtin, a. cofre. 

Ossan, 8. dinheiros. Parece outro plu- 
ral formado pelos indígenas, mas não 
foi pofsivel adquirir a certeza, pela 
difficuldade em conseguir d^elles res- 
postas claras. 

Ossan, «. cabedal, dinheiro, moeda, 
pataca, rupia. 



Rà, V. importar (géneros e objectos do 
estrangeiro). 

Râ, s. importação. Este termo é em- 
pregado pelos indígenas apenas quan- 
do se trata do arroz que. recebem de 
fora da ilha. ■ 

Raéts, a. achacado, achacoso, doentio, 
entrevado, invalido. 

Haéts-màran, a. acanaviado. 

Haba, adv. rente. 

Rabaraba, «. reles. Este termo foi in- 
troduzido do creoulo de Macau, em 
que designa cousa de pouco valor^ e 
serve de denominação a uma comida 
feita de varias hervas, que as ma- 
caistas chamam «bredo rabaraba». 

Rabate, v. unir. 

Rabate, a. unido. 

Rabate, adv. rente. 

Radé, i;. agglutinar. 

Radé, 8. aden, marreco, pato. 

Radé, a. collado, grudado, pegado, sol- 
dado. 

Rade-bote, 8. ganço. 

Rade-núnun, a, ferro (da pederneira 
nas espingardas primitivas;. 

Ràdik, adv. individualmente, pessoal- 
mente. 

Raes, 8. invalide/. 

Raes, a. invalido. 

Raha, v. arrancar, arrepelar. 



Ossan-fiman, s. juro. 

Ossan lae, 8, bolça vazia. 

Ossan-mma, s. quantia. 

Otas, 8. degrau. 

Otas-lin, a. mais idoso, mais velho. 
primitivo. 

Oto, s. babadoiro. 

Ona. Este termo, que julgo não ter eí- 
gnificação própria, é uma espécie de 
partícula que serve para dar força 
ás phrases em que apparece, que sâo 
raras, e ás vezes é empregada como 
approvação, á maneira do oni dos 
franceses, o yes dos ingleses e o ia 
dos hoUandeses, dos allemães e até 
dos próprios malaios. 

Oudi, V. aborrecer, odiar, zangar-se. 
Este termo parece ter sido introdu- 
zido do português, ficando estro- 
peado. 

Ondi, 8. aversão, ódio, rancor. 

Oún, a. fundo do fundo. 



Rajia, a. arrepelado. 

RaJiofali, V. desenterrar. 

Raho-falnn, v. arrepelar, depennar. 

R&linn, V. partir- se, quebrar-se. 

R&lmn, 8. pó, vida. 

R&hnn, a. partido, quebrado. 

R&hTin b&dak, a. vida breve, vida 
curta. 

R&liun-sei, v. viver. 

R&hnn-sei, a. vivo. 

Rai, V. acautelar, arrecadar, arrumar. 
conservar, depositar, encerrar, guar- 
dar, pôr, pousar, recadar, recolher. 

Rai, «. chão, mundo, pais, pátria, re- 
gião, solo, terra, torrão. 

Rai aàte, s. terra inbospíta. 

Rai-bÀbute, a. vuleão. 

Rai biknr, a. abalo de terra, terremo- 
to, tremor de terra. 

Rai-dodók, a. barranco, despenha- 
deiro. 

Rai-doók, a. terras longas. 

Rai fahe, a. pino da noite. 

Rai-faik, a- baldio, deserto, matagal. 
pousio, terra inculta. 

Ral-faik, a. deserto. 

Raibének, a. areia. Os indígenas em 
pregam igualmente este termo para 
designar «ampulheta». 

Rai-hòro, a. barranco. 

Rai-bôto, a. orbe. 



RAI 



181 



REI 



Raik, a. inteiro (não castrado). 

Rai-kabélak, a. trovoada. 

Rai kamuda, s. sol encoberto. 

Rai-klâran, s. mundo. 

Rai-keta, s. balisa, confim, divisão, 
fronteira, limite, marco, meta, raia, 
testada. 

Rai-kfótak, s. brecba. 

Rai kiak, adv, á noite. 

Rai-kidun, s. averno, inferno. 

Rai-kles, s. campo, descampado, de- 
serto, terra deshabitada. 

Rai-kmárOS, v. amanhecer. 

Rai-koak, s. antro, caverna, cova, fos- 
so, lapa. 

Rai-koi, 8. barranco, despenhadeiro, 
promontório. 

Rai-kois, 8. rampa. 

Rai-kúak, 8. antro, caverna, cova, co- 
vil, fosso, lapa. 

Rai-kiina, v. ser de reserva. 

Rai-kuna, a, reservado. 

Rai labi, s. camada de terra. 

Rai-laka, s. centelha. 

Rai-làkan, s. raio. 

Rai leéte, 8. terra inculta. 

Rai>lian, s. gruta. 

Rai-lôbak, s, horta, propriedade, quin- 
ta, quintal, terras. 

Bai-lóban, 8. herdade, propriedade. 

Rai-lólon, «. costa, descida, encosta, 
ladeira, ribanct;ira, vertente. 

Rai métik, 8, terra deshabitada. 

Rai moliate, 8. terra deserta. 

Rai-nabile, v. relampejar. 

Rai-nabile, «. relâmpago. 

Rai nakdóko, «. abalo de terra, terre- 
moto, tremor de terra. 

Rai-nakeè, v. alvorecer, alvorar, ama- 
nhecer, clarear, esclarecer, raiar. 

Rai-nakeé, s. alvorada, ante-manhâ, 
crepúsculo. 

Rai-narôma, v. alvorecer, amanhecer, 
raiar. 

Rai-narôma, 8. alvorada, aurora, cre- 
púsculo. 

Rai-nia, a. térreo, terrestre. 

Rai-ókos, a. averno, inferno, subter- 
râneo. Os indígenas também empre- 
gam esta expressão para designar «o 
outro Qiundo». 

Rai-ràban, 8. pó, poeira. 

Rai-ru, 8. abalo de terra, terremoto, 
tremor de terra. 

Rai ruú, s, abalo de terra, terremoto, 
tremor de terra. 

Rai sabútar, adv. ao anoitecer, lusco- 
fusco. 



Rai-sassuúte, s. vulcão. 

Rai-sae, 8. ladeira. 

Rai-sani, s. ladrilho. 

Rai-soúko, 8. barranco. 

Rai-suúte, «. vulcão. 

Rai tétek, v. coHocar um objecto atra- 
vessado. 

Rai-tétuko, 8. plano, planura. 

Rai-tissek, 8. declive. 

Rai tissik, 8. terra escalvada. 

Rai-tômak, 8, orbe. 

Rai- tu ao, s. tejolo. 

Rai-uto, 8. bicharada, bicharia. 

Raku, V. burrifar, chapinhar, salpicar 

Raku-tahu, ^^ enlamear. 

Raku-tahu, 8, enlameado. 

Ralai, V, fugir. Em uso só na contra- 
costa. 

Rama, v. arranhar. 

Rama, 8. arco de seta. 

Rama-issin, 8. dardo, frecha, seta. 

Ramas, v. burrifar, salpicar, regar. 

Ramé, 8. malva. 

Ran, 8. sangue. 

Rana, «. arco de seta. 

Rana-issin, 8. dardo, frecha, seta. 

Ran-króek, a. matéria, pus. 

Ran-fúlan, 8. menstruação. 

Ran sae, v. verter aguas. 

Réire, V. ver. Somente em uso nos rei- 
nos do interior e contra-costa. 

Raribàkan, a. rabugento. 

Ràssan, v. ralhar. 

Ràssan, s. questões, ralhos. 

Rassi, V. agglutinar, apegar, collar, 
gradar, pegar, soldar. 

Rassi, a. collado, grudado, pegado, 
soldado. 

Ràssik, a. presencial, próprio. 

R&ssik, ado. pessoalmente. 

Rate, «.campa, cova, jazigo, sepul- 
chro, sepultura, tumulo. 

Rate-kaknluko, s. lapide. 

Rann, v. quebrar-se. 

Raun, 8. migalha, pó. 

Raiin, 8, barbas, cabellos, pêlos. 

Raúto, t*. apanhar. 

Ré, V. aparar (com ambas as màos). 

Real, 8. acampamento, arraial, campa- 
nha. Este termo parece ter sido intro- 
duzido do português, ficando sempre 
estropeado. 

Réi, 8. fronte. 

Rei, V. oscular. Com este termo os in- 
digenas designam o que no creoulo 
de Macau se chama um cheiro^ e que 
vem a ser uma espécie de caricia que 
os orientaes usam tocando-se com o 



RIK 



182 



ROM 



nariz, e ás vezes fainbem com a testa, 
e aspirando com força pelas narinas. 

Reiy «. beijo, cheiro, osculo. 

Hôin» s. frontes. Um dos plurties feito 
pelos indígenas. 

Rékete, i\ arreganhar. 

Rekete néan, v. arreganhar o dente. 

Rekete niaja, v. idem. 

Reko, r. adubar, condimentar, refugar, 
temperar. 

Reko, ê. adubo, condimento, tempero. 

Reko, a. refogado. 

Relossi, 8. relógio. £ste termo parece 
introduzido do português, ficando es- 
tropeado. 

Ren, 8. continência. 

Rénes, 8. pedrinha. 

Rénes, adv. muito. 

Rentos, 8. testa. 

Resa, t\ rezar. Este termo foi introdu- 
zido do português, ao que parece. 

Resan, 8. razão. Igualmente introdu- 
zido do português. 

Réssin, a. sobresalente, supérfluo. 

Réssin, adv. mais, tanto. 

Réssin, conj. e. 

Reta, V. embeber, ensopar. 

Rhi, 8. pau de fileira das casas indi- 
genas. 

Ri, 8. coIuKna, pilastra, poste. 

Ria, 8. primo. 

Riak, 8. matiz. 

Rian, 8. cunhado, primo. Alguns indí- 
genas quando dizem ria reforem-se 
a um primo, e quando dizem rian 
referem- se a vários primos, fazendo 
assim uma espécie de plural. 

Riba, V. atirar abaixo. 

Riba-fáttnko, v. apedrejar. 

Ribak, 8. gesto. 

Ribak, a. rabugento. 

Ribite, V. grudar. 

Ribite, a. grudado. 

Rie, 8. cunhado, primo. 

Rien, 8. primos. Um dos pluraes feito 
pelos indígenas, e que justifica a re- 
gra. 

Rihik, 8. chuva. 

Rii, 8. alicerce, arrimo, empa, esteio, 
poste. 

Rii-kakiiluko, 8. esteio. Este termo 
designa os dois esteios que susten- 
tam o pau de fileira nas casas cons- 
truídas á moda indígena. 

Rlliuii, a. mil, milhar, milheiro. 

Rihan-ida, a. mil. 

Rikan, 8, cunhado. 

Rikan-feto, 8, cunhada. 



Rike, K. chocalhar, enxaguar, vascole- 
jar. 

Rikik, 8. chuvisca. 

Riliin, a. mil. 

Rin, 8. arrimo, empa, esteio 

Rln-bim, 8, pedestal de columna. 

Rin-klore, «. esteio. Os dois qne sus- 
tentam o pau de fileira nas casas in- 
digenas. 

Rita, r. soldar. 

Rita, 8. soldado (objecto que se tivesse 
quebrado). 

Ritan, 8. colla, gomma. 

Rlten, 8, grude. 

Riten, a. grudado. 

Ri ti, 8. bronze, cobre, metal. 

Riti kmódok, «. metal amarello. 

Riuko, 8, bilha, cântaro, gorgoleta, 
vaso. 

Ró, 8. baixel, barca, barco, beiro^ bri- 
gue, canhoneira, canoa, embarcação, 
nau, nave, navio. 

Ró, prep. com. Emprega- se antes da 
terceira pessoa do plural (pag. 19). 

Ro-ahi, 8 navio a vapor. 

Róan, V, amesquinhar. 

Rôan, «. cabo (geographico). 

RoÀte, a. agudo (ferro). 

Ró-balabim, v. dar fundo, fundear. 

Ró-bóte, 8. navio (de alto bordo). 

Ro-ba, V. ir- se. 

Roba, V. abrir os braços. 

Roha, 8, braça. 

Róban, v. amiserar-se, apiedar-se. 
compadecer-se, deplorar, doer-se, la- 
mentar, lastimar, ter dó. 

Róban, 8. clemência, commiseraçâo, 
misericórdia, piedade. 

Rôhan, «. aba (de casaco), bico, cabo. 
extremidade, extremo, fim, ponta, pro- 
montório, termo. 

Roho, V. abrir os braços. 

RohU) 8. esgar. 

Rohn-oin, 8. arrogância, caretas, es- 
gares, zanga. 

Ró-ikiin, 8, popa, ré (dos navios). 

Ròite, V. desarrumar, desencost&r, le- 
vantar de um lado. 

Róite, 8. orgulho, soberba. 

Rôite-an, v. elevar- se. 

Róka, V. tactear. Emprega-se apenas 
em sentido deshonesto. 

Roka, 8. tacto, toque. 

Ró-kidun, 8. porão (de navio). 

Ró-kik, 8. batel, escaler. 

Ró làbun, V. dar fiindo, fundear. 

Ró-lan, 8. navio de vela. 

Ró-móúte, r. naufragar. 



RLU 



183 



SAB 



Elôna, V. acolher, acudir, at tender, 
coDstar, entender, escutar, ouvir, sen- 
tir- se, 8ubmetter-se. 

Rôna-bét, foc. adv. ouve lá. 

Kó-nakràun, v. naufragar. 

Elôna didiak, v, abrir os ouvidos, ou- 
vir bem, prestar attenção, ter bom 
ouvido. 

Elôna sássin, v, tomar testemunhas. 

Rónia, 8. marinhagem. 

Roó, V. desconjuntar os ossos. 

Ró-ôan, 8. lancha. 

Ró-rin, 8. mastro. 

Rossae, cl. ' alentado, animoso, duro, 
encorpado, esforçado, estrénuo, forte, 
membrudo, teso, valentão, valoroso. 

Ró-sôrin, *. bordo. 

Róssak, a. invencivel. 

Rótalo, 8. sardâo. 

Rotuko, V. cbocíir, tocar-se. 

Rotuko-malo, v. abalroar. 

Ró-tnn, V. dar fundo, fundear. 

Rótur, V. fundear. 

Róulo, 8. proa. 

Rou-màran, 8. secura. 

Rou-màran, a. sequioso. 

Ru, 8. palavâo preto. 

Rua, a. ambos, dois. 

Rua-amalo, 8, par. 

Rua-amútuko, 8. par 

Rna-amútukOy a. ambos. 

Ruai, 8. vapor. 

Rúak, a. ambos, dois. 

Rna-nnlo, a. vinte. 

Rua raa, 8 dois a dois, par a par. 

Ruas, a. dois. Mui pouco usado nos rei- 
nos da contra-costa. 

Ruáto, V. apanhar. 



Hubia, 8. rupia. Termo introduzido do 
português maa que âcou estropeado 
pela difficuldade que teem os indíge- 
nas de pronunciar o P; alguns d'el- 
les já dizem rupin, principalmente em 
Dilly. 

Ruhének, 8. areia. 

Ruin, 8, osso, ossada. Também os indi- 
genas indicam com este termo a ca- 
nela da perna. 

Rúin, a. humilde. 

Ruin-bou, 8. ossaria. 

Ruln-tànan, a. descarnado. 

Rnin-tóliar, 8. fractura. 

Ruin-uétin, 8. ossaria. 

Rama, 8. cousa. 

Ruma, pr. deter, algum. 

Rúman, pr. de'er. alguns. Alguns indí- 
genas fazem este plural, mas o seu 
uso não é geral. 

Rumbia, 8. palmeira de folha longa e 
da qual o peciolo é parecido com o 
sabugueiro, e aproveitado para diíFe- 
rentes utensílios como gaiolas, qua-< 
dros, etc. . 

Run, V. ranger. 

Rxin néan, v. ranger os dentes. 

Run nian, v. ranger os dentes. 

Russa, 8. gamo, veado. 

Russa-àman, s. veado. 

Russa-inan, 8. corsa. 

Rússun, V. cantar. Os indígenas em- 
pregam este termo para designar as 
cantilenas que usam fazer de noite, 
emquanto pilam o nélle ; um cantar 
monótono e triste, mas que revela 
uma certa poesia. 

Ruú, V. abalar, estremecer. 



S 



Sà, a. qual. 

Sá, pr. rei. qual, que. 

Sà, conj. como assim, em que, na qual, 
no qual, onde, qual, que. 

Saba, 8. chapa. Parece introduzido do 
português, ficando estropeado pela 
dupla difficuldade de pronuncia dos 
sons Ch e P. 

Sababo, a. curto da vista, míope. 

Sabako, v. assar. Os indígenas empre- 
gam este termo para designar que 
assam qualquer cousa sobre folhas, o 
que melhor se indica com a significa- 
ção chamuscar. 

Sabata, i7. desfallecer, desmaiar, per- 
der os sentidos. 



Sabata, 8. desmaio. 

Sabata, a. desfallecido, desmaiado, 
esfomeado. Este termo usam quasi 
sempre os indígenas para designar os 
effeitos da falta de alimento. 

Sabélok, V. ensarilhar, entrelaçar, en- 
tretecer. 

Sabélok kilate, v, ensarilhar armas. 

Sàbil, V. adelgaçar. Este termo em- 
prega-se falando a propósito de bor- 
dados. 

Sabó, V. sonhar alto. Os indígenas em- 
pregam quasi sempre este termo 
para designar pessoa que exclama 
aos gritos. 

Saboraka, «. laranja. 



SAE 



184 



SAK 



Saboraka-hnn, s. laranjeira. 

Saboraka-lôto, s. tangerina. 

S abulo, s. Barão. Trage das mulheres 
indígenas, compondo-se apenas de 
uma espécie de saco sem fundo, que 
enfiam pela cabeça e seguram um 
pouco acima dos peitos, ou entfio na 
cintura, enfiando um segundo que se- 
'^uram por cima dos hombros ou so- 
bre a cabeça. 

Sabnlo-futos, s, earão tingido. 

Sabútak, v. corromper-se, csphace- 
lar-se. 

Sabútak, a. putrefacçâo. 

Sabútak, a. corrompido, putrefacto. 

Sabútar, s. crepúsculo. 

S&dan, 8, sepultura. 

S adere, v. acostar, acostar -se, arri- 
mar, encostar, encostar-.se, estribar- 
se, inclinar, reclinar, reclinar-se, re- 
costar-se. 

Sadere, a. encostado, inclinado, obli- 
quo. 

Sadere-f&tin, s, arrimo, encosto, re- 
costo. 

Sadia, v. amiserar-se, commover-se, 
compadecer-se, condoer-se, deplorar, 
doer-se, enterneccr-se, lamentar, las- 
timar, ter dó. 

Sadia, s. clemência, commiseração, 
compaixão, dó, lastima, piedade. 

Sadia, a. coitado, desgraçado, despro- 
tegido, infeliz. 

S&dik, V, amesquiohar, desafiar, pro- 
vocar. 

Sadikul, 8. pião. 

Sàe, V. abalar, abeirar, abençoar, afas- 
tar, afastar- se, alar-se, arredar, arri- 
bar, ascender, descartar-se, desen- 
yencilhar-se^ desertar, desgarrar, des- 
viar-sè, elevar-se, embarrar-se, enga- 
tinhar, escapar-se, esgueirar-se, es- 
vair-se, evadir-se, furtar-se, ir-se, 
massar, montar, partir, quitar-se, sa- 
far-se, sair, segregar, soltar-se, su- 
bir, trepar, trotar, verter. 

Sae, 8. ascensão, ausência, deserção, 
evasão, partida. 

Sàe ! int. fora ! 

Sae-bà, v. ausentar-se. 

Sae-bókiir, v. criar carnes, desenvol- 
ver-se, engordar. 

Sae-bote, v. ennobrecer. 

Sae-búlak, v. emparvoecer, endoide- 
cer, enlouquecer. 

Sae-eto, v. comer o arroz. Os indíge- 
nas empregam esta expressão para 
designar dois primos que se barla- 



queiam ou casam, para comerem jun- 
tos o seu arroz. 

Sae-f&tin, «. saida, subida. 

Sae-férik, v. envelhecer. 

Sae-hôssi, r. desembaraçar-sc, dima- 
nar, livrar, surdir, torcer. 

Saek, a, eó, único. 

Saek, adv. ao certo. 

Sae-katnas, v. entrar cm annos, en- 
velhecer. 

Sae-kmaos, v. afazeudar-se. 

Saeknda, v. cavalgar, montar. 

Sae-linrai, v. envelhecer. 

Sae-màtak, v. enverdecer, reverdecer. 

Sae-nailulik, v. ordenar- se. 

Sae-ró, v. embarcar, ir a bordo, seguir 
viagem. 

Saeroko, v. arrotar. 

Saemko, s. arroto. 

Saha, 8. adelgaçar, alisar (referindo-se 
a lavores e bordados). 

S&han, V. extravasar, cxtravasar-se. 
trasbordar. 

S&ban, a. extravasado. 

Sahi, V. migar, partir com a uíSo. 

Sahin, s. parte, porção, quinhão, ra 
ção. 

Sahôi, V. admirar- se, estranhar, ex- 
clamar, maravilhar-se, pasmar 

Sabòi, 8. admiração, estupefacção, ex- 
clamação- 

Sahôi, a. admirado, estupefacto, ma- 
ravilhado. 

Sàian, «. dó, pena, piedade. Este 
termo foi introduzido do creouio ma- 
caista, em que tem, alem doestas si- 
gnificações, o emprego que em por- 
tuguês tem a poética palavra sau- 
dade. 

S&-ida, a. onde, qual, que. 

Sà-ida, conj. então? Os indígenas em- 
pregam também esta expressão par» 
perguntar o que ha de novo. 

Saka, V. cortar. Kste termo só se em- 
prega para designar o corte que ^c 
faz cm roda de um tronco de arvore 
para depois a deitar abaixo. 

Saka, (idv. outra vez, tudo. 

Saka-a&te, r. coxear. Quando provém 
de defeito nos quadris. 

Sak&hik, 8. mostarda. 

Sakair, 8. tamarindo. 

Sakâ.ltLko, s. substituto. 

Sàkar, r. cortar ao revés, cortar raso, 
cortar rente. 

S&kar, adv. ás avessas, avessas. 

S&kar, prep. contra. 

Sákate, V. cortar, medir. Este termo é 



SAL 



185 



SAR 



empregado para designar o fazer as 
folhas de palmeira em tiras para te- 
cer as esteira», etc. 

Sàkatx?, adv. ás avessas, avessas. 

Saki, V, cortar, sarjar. 

Saki-kábun, v. desentranhar, estri- 
par. 

Sako, V. encadear, fazer cadeia. 

Sakórek, v. fazer cócegas (ao de leve 
ou de mansinho). 

Sakú, 8. sagit. Prodacto de uma pal- 
meira, de que os indígenas cortam 
em pequenos pedaços o tronco, e as 
mulheres reduzem a farinha no pilão 
ou gral de madeira. 

Sakúnar, s. alacrau, escorpião, lacrau. 

Sala, V.' adulterar, allucinár-sc, com- 
prometter-se, delinquir, desacertar, 
equivocar- se, errar, falhar, faltar, il- 
ludir-se. 

Sala, 8. adultério, asneira, balda, cri- 
me, culpa, defeito, delicio, desacer- 
to, engano, equivoco, erro, falta, go- 
zo, infracção, illusão, labéu, lacuna, 
offensa, peccado, prazer, tacha, vicio. 

Salabo, a. crepúsculo. 

Sala-bote, s. peccado capital, sacrilé- 
gio. 

Sala-dálan, v. descncaminhar-se, er- 
rar o caminho. 

Salafúan, v. injuriar, insultar. 

Sálak, 8. barraca, cabana, choça, ishou- 
pana, enramada. 

Sala-kfóer, e. impudicicia, luxuria, pec- 
cado sensual, porcaria. 

Sala-kfóer, a. deshonesto, impudico, 
luxurioso, obsceno, porco. 

Salalaha, s. desmaio. 

Salaláhan, v. enxovalhar, injuriar, in- 
sultar. 

Sala-màluko, a. cúmplice. 

Sàlan, 8. peccados. Um dos pluraes 
feitos pelos indígenas. 

Salan, a. peccador, vicioso. 

Salaú, V. esfregar. 

Salaúko, v. sacudir esfregando. 

Salia, V. fazer cócegas (ao de leve). 

Sàlin, V. despejar, esvaziar. 

Sàlir, V. olhar de esguelha, olhar de 
lado. 

Salobà, 8. carteira. Os indígenas dão 
este nome a um canudo que fazem de 
bambu, e de que usam para guardar 
papeis. 

Saloko, V. balbuciar. 

Salúrik, s. guarda-chuva. Com este 
termo designam os indígenas uma 
folha da palmeira denominada pelos 



portugueses «col»), da qual elles fa- 
zem um excellente guarda-chuva que 
usam sobre ar cabeça,* segurando com 
as mãos pelos lados de modo a fa- 
ze-lo maior ou menor conforme as 
circumstancias. 

Sarna, V. amassar, atropelar, esmagar, 
espesinhar, machucar, pisar. 

Sama-ráliuii, v. britar. 

Samàran, a. rufo, ruivo. 

Saméan, s. cobra, serpente. 

Saméan-lian, s. silvo (de serpente). 

Saméan-ôan, ^. zigue-zague. 

Sami, V. apodrecer, corromper-se. 

Sami, a. podre, putrefacto. 

Samodo, s. cobra verde. 

Samnla, 8. indigestão. 

Samula, a. indigesto. 

San, V. ser. Este termo foi introduzido 
do creoulo macaista, em que designa 
a terceira pessoa do singular do pre- 
sente do indicativo, única que usam. 

San, 8 começo, principio. Os indíge- 
nas empregam este termo para desi- 
gnar o principiar a tecer uma es- 
teira. 

San, adv. cedo. 

Sànak, v. enterrar, sepultar, soterrar. 

Sànak, s. pernadas, ramagens, ramos 
grandes. 

Sànan, 8. panela. 

Sànan-bote, s, caldeii*a. 

Sànan-méttan, a. cobertura, tampa, 
testo. 

Sànan-téikan, 8. testo. 

San-diak, v. prestar-se, ser bom, ser 
útil. 

Sá. neé, loc, adv. o que é isto. 

Sani, V. amassar. 

Sanibir, v. construir alpendre. 

San ladiak, v. parecer mal. 

San-tétkan, 8. testo. 

S anulo, a, dez. Este termo foi eviden- 
temente introduzido do malaio sa- 
pulo, «dez», mas ficou modificado 
como se vê, em consequência da diffi- 
culdadc que os indígenas teem de 
pronunciar o som do P; com este 
termo e o adverbio ressin «mais» 
formam-se todos os adjectivos nume- 
raes ordinaes compostos, juntando- 
Ihes os simples pelos quacs sempre 
terminam. Exemplos Sanulo ressim 
bate «quatorze» dua nulo ressin 
dua «vinte e dois». 

Sar, V. varrer. 

Sara, v. fazer entrega, entregar. 

Sarada, v. mitigar. 



SAR 



186 



SAU 



S&rak, V. bastar. 

SÀrak, a. sufficiente. 

Sara-kikir, t\ cumprimentar. Col lo- 
cando a mão esquerda entre o pes- 
coço e a nuca e um pouco de lado, ao 
uso indígena, e estendendo um pouco 
a direita na attítude de pedir. 

Saralia, v, ser dado, ser urbano. 

Saralia, a. civil, civilizado, delicado, 
dado, galante, polido, urbano. 

Sàran, v. provocar desordem. 

Séiran/a. desordeiro, provocador. 

Sarani, v. baptizar, benzer, christiaui- 
zar, consagrar, converter. 

Sarani, s. baptismo, benção. 

Sarani, a. afilhado, baptizado, bento, 
benzido. 

Sarani-a&te, «. anti- cb ris tão. 

Sarani-fali, v. rebaptizar (baptizar se- 
gunda vez). Facto muito vulgar nos 
indígenas, havendo alguns que teem 
sido baptisados por todos os missio- 
nários que passaram pela terra onde 
vivem. 

Sarani-fàtin, s. baptistério. 

Sarani-fônn, «. ncophyto. 

Sarani-lós, «. catholico, fiel. 

Sarani-ôna, a. benzido. 

Sara rsn, v. fazer continência. 

Saráulio, v. agrisalhar-se. 

Sarétiiko, a. grisalho. 

Sare, «. franja, fímbria. 

Sarébak, v. admirar-se, assustar-se, 
espantar-se, pasmar, sobrtsaltar-se, 
surprehender-se. 

Sarébak, «. admiração, espanto, pas- 
mo, Bobresalto, surpresa, susto. 

Sarébak, a. admirado, assustado, at- 
tonito, espantado, pasmado, sobre- 
saltado, surpreso. 

S&rek, V. tossir. Os indígenas empre- 
gam este termo para designar que 
alguém tosse desfarçadamente para 
se fazer notado. 

Sétren, s. cacho. Alguns indígenas de- 
signam somente com este termo um 
cacho de cocos. 

Séirin, 8. cacho. 

Saródok, v. escorregar. 

Saródok-fãrtin, s. escorregadio, escor- 
reguento. 

Saroón, v. acocorar-se. 

Saroón, s. croças, croquinhas. 

Sarúto, 8. charuto. Este termo foi in- 
troduzido do português, e ficou es- 
tropeado, justificando a difficuldade 
que tem os indígenas em pronunciar 
o som de Ch ou X. 



Sassa, V. abrir (a boca). 

Sassà, 8. bens, cousas, fazendas, hare- 
res, movei f>, objectos, propriedades. 
trastes, utensílios. Parece -nos que 
esta palavra não tem forma no síd- 
guiar. 

Sassék, a. tudo. 

Sassabe, 8. mostarda. 

Saas&en, a. maguado. 

Sassa-fahe, v. apartar, desapartar. 
desunir, disgregar, estremar, sepa 
rar. 

Sassa ibun, r. abrir a boca. 

S&Bsak, 8. porta de dobradiças. 

Sassaki, «. bracelete. 

Sass&nak, v. escarrapachar-se, es- 
tender-se. 

Sassa nnnun, r. abrir a boca. 

S assara, r. atar com cordas, amarrar 
com cordas. 

Sassatômak, 8. bens, fazendas, have- 
res, propriedades. 

Sassôik, 8. calha. 

Sassi, 8. china, chinês. 

S&ssik, V. divisar, vislumbrar. 

Sassidi, V. arrastar a asa. 

Sàssin, 8. testemunha. 

SÀssin aré, 8. testemunha de vista. 

Sàssin bóssok, 8. testemunha falsa. 

Sàssin-lalós, «. perjúrio, testemunho 
falso. 

Sàssin ròna, «. testemunho de ouvid» 
(por ouvir dizer). 

S&ssin-aék, a. perjuro. 

Sassiri, v. joeirar, peneirar. 

Sassiri, 8. peneira. 

Sassirin, a. todo. 

Sassókal, v. calcar. 

SasBókal, a. calcado. 

Sassôro, «. canja, aopa. 

Sassnite, 8. pente. 

Sassnkate, «. medida, modelo, molde. 

Sassnko, 8. garfo. 

Sassukn, 8. pontada. Também os indí- 
genas empregam este termo para de- 
signar uma dôr ou pon^da duradoaa 

Sassnknko, «. garfo. 

Sassukn mànko, 8. pontada passa- 
geira. 

Sassnlar, 8. furo. 

S assolo, 8, archote. 

Sassute, v. arder. 

Sassute, «. fogo, buraco (que sopra 
como o folie do ferreiro). 

Sassunko, 8. verilha. 

San, V. es&egar, limpar o pó. 

San, a. isento, livre. 

S anate, «. brinde, dadiva, donativo. 



SEK 



187 



SER 



graça, mimo, offerta, pienda, presen- 
te, regHÍo, saguate. Este termo foi 
introduzido do china ficando estro 
peado, em consequência da difficul- 
dade dos indígenas em pronunciar 
oG. 

Saokàte, s, presente. V. Sauàte. 

SanmáJie, v. barlaquear. Também os 
indigenas empregam este tei*mo para 
designarem os seus sócios ajuramen- 
tados pelos usos do pais, bebendo o 
sangue lins dos outros. 

$àun, 8. ancora. 

Se, V. acceitar, aparar (nas mãos). Este 
termo é radical de muitos outros. 

3e, pro. rei. que, quem. 

5e, conj, que, quem, quem é, quem 
vem lá. 

Sebe, V. encanar agua. 

Sebila, s, plaina. Este termo foi in- 
troduzido do dialecto creoulo de Ma- 
cau em que se diz «cepilha», mas como 
os indigenas quasi geralmente teem 
diífículdade e alguns impossibilidade 
de pronunciar o P, substituem -o por 
B ; e como também difficilmente pi o- 
nunciam o Lh, sâo poucos os que oi- 
zem Sebilba. 

3e-ema, pr. rei. quem. 

Séhik, adv. hontem. 

Sei, V. aumentar, chamar, de ver- se. 
Também é partícula sem traducção, 
e que serve para formar o futuro. 

lei, 8. murmúrio. 

Jei, adv. ainda. Algims indigenas em- 
pregam unicamente sei para dizer 
«ainda nâo». 

Seidàn, adv. ainda não. 

Jeidétu, adv. ainda não. 

Jeidàuk, v. estar por fazer. 

^eidàuk, adv. ainda não. 

Seidàuk-diak, a. imperfeito. 

Seidàuk halo, v. estar por fazer. 

Seidáuk-kàben, a. celibatário, innu- 
pto. 

SeidÀuk-liras, a. implume. 

Jeldáuk-tômak, a. incompleto. 

leií, v. acrescentar, augmentar, emen- 
dar. 

leik, v. chamar. 

(eik, 8. chamamento. 

\eík, 8. calha. 

teimai, a. futuro. 

iei-ona, a. passado. 

iei-tan, adv. ainda, mais, et cetera. 

Sei-tômak, a. intacto. 

leka, 8. migalha, resto, retalho, sobejo, 
sobra. 



Sela, V. albardar, apparelhar, sellar. 
Este termo parece ter sido introduzido 
do português. 

Selai, conj. senão. 

Sela kuda, v. apparelhar o cavai lo. 

Sélan, V. albardar, aparelhar, sellar. 
Este termo parece plural, pois que os 
indigenas só o empregam quando ap- 
parelham vários cavallos. 

Sele, V. cagar, cursar, entrampar-se, 
estravar, evacuar, sujar-se. 

Selo, V. compensar, estipendiar, in- 
demnizar, pagar, premiar, recompen- 
sar, satisfazer. 

Selo, 8. estipendio, paga, recompensa, 
salário, soldo, tença, vencimento. 

Sélok, V. entrelaçar. 

Selo-kole, v. pagar (canseira, serviço, 
soldada ou trabalho). 

Selo-kole, s. ordenado, soldada, Eoldo, 
vencimento. 

Selo-ôna, a. pago, satisfeito. 

Selo tússan, v. pagar dividas. 

Selu, 8. muda, mudança. * 

Séluko, V. alterar, cambiar, inverter, 
substituir, transferir," transfigurar, 
trocar, variar. 

Séluko, 8. alternativa, muda, mudança, 
transferencia, troca. 

Séluko, a. differente, outro. 

Séluko, pr. dem. aquelle, outro. 

Séluko-bé, V. acclimar-se, acostu- 
mar-se. 

Séluko-bé, 8. mudança de ares», troco 
de aguas. 

Semo, V. avoejar, esvoaçar, voar. 

Semo, 8. voo. 

Semo, a. volante, volátil. 

Sôna, V. encher, ensacar, metter. Este 
termo é empregado pelos indigenad 
para designar que se enche colchão 
ou enxergão, com palha, lã, panha ou 
sumaúma. 

Serabinan, 8. vassalagem. Este termo 
vem do malaio e como os portugue- 
ses o pronunciam Seraplnan, ha já 
bastantes indigenas, principalmente 
em Dilly e vizinhanças, que o pro- 
nunciam da mesma forma. 

Séran, «. augueiro, cano de agua, le- 
vada. 

Sere, v. ondear. 

Sere, 8. onda. 

Seri, V. vadiar, vaguear. 

Seri, a. foragido, vadio. Alguns indi- 
genas empregam este termo para si- 
gnificar «serio», mas é imitação do 
português. 



SIK 



188 



SIR 



Seruto, 1*. aparar pancada, dcsviar-se, 
livrar-Sf. 

Setilun, V. escutar, espreitar, estar á 
escuta. 

Sé-ué, V. encanar agua. 

Sia, 8. pessoa. 

Sia, a. nove. 

Sia, pr. pes. ellas, elles. 

Siak, 8. fera. 

Siak, a. bravo, feroz, indomável, rabu- 
gento, severo, zangado. 

Siaji, V. amparar, apoiar, escorar, es- 
pecar, estear, estribar, fincar. 

Sian, 8 espeque. 

Sian knótak, v. pôr a mão na cintura. 

Sian-reii, v. encostar-se. Os indígenas 
empregam esta expressão para indi- 
car que a pessoa firma o cotovelo no 
joelho e encosta a face sobre a mão. 

Sia-nulo, a. noventa. 

Siate, 8. sombreiro. Que os indigenas 
costumam fazer de folha de pal- 
meira, como já se explicou. 

Sibú, 8. butio, concha. Este termo pa- 
rece formado do Siput malaio que 
achando-se, como está, radicado no 
creoulo macaista, fosse introduzido 
d^ahi, ficando modificado em conse- 
quência dos indigenas na sua grande 
maioria não poderem pronunciar o P. 

Sibú kiman, s. concha branca e fina. 

Sibute, 8. busio. Introduzido do creoulo 
de Macau «sipute». 

Sidi, V. topar, tropeçar. 

Sidi fà.tuko, V. topar em pedra. 

Sidi haklodite, v. cair tropeçando. 

Sieiíy V. amparar, escorar, fincar, sup* 
poitar. 

Sien, 8. categoria, jerarchia. 

Sihi, V. encher, preencher. Este termo 
é empregado pelos indigenas para 
designar o fazer flores ou bordados 
nas cigarreiras de palha, em que fa- 
zem alguns trabalhos de mereci- 
mento. 

Sii, a. azedo. 

Siik, a. acido, acre, agre, avinagrado, 
azedo, mordaz (em sentido figurado). 

Siin, a. acido, acre, agre^ avinagrado, 
azedo. 

Sik, ^. acertar, adivinhar, atinar, de- 
cifrar, excogitar, forjar, inventar, va- 
ticinar. 

Sikas, s. mistura de cores. 

Sikate, v. collocar, por, tapar. 

Sikate, a. collocado, posto, tapado. 

Sikate liba, v. segurar a lipa. 

Sik-inur, v. farejar, fariscar. 



Sikite, 8. escama. 

Sikôro, 8. abrigo, ajuda, adjutorio,soc- 
corro. Este termo parece ter sido in 
troduzido do português, resultando i 
sua modificação do indigena nao do- 
brar jamais a letra R. 

Siku, V. acotovelar. 

Sikti, «. cotovelo, cotovelada, encou- 
trão, volta (de caminho). 

SlktL, a. estreito. 

Siknko, s. caminho ás voltas, estrada 
em zigue-zagues, sinuoso, tortuoso. 

Siktm, 8. e&quina, quina, saliência de 
angulo. Também os indigenas em- 
pregam este termo para designar 
«joanete». 

Siknn, «. inhame (tubérculo). 

Silan, 8. formiga (pequena vermelha 

Silate, V. acunhar, encunhar, metter 
cunhas. Os indigenas designam tam- 
bém com este termo a comida que se 
introduz entre os dentes e que obriga 
a pessoa a palitar-ie. 

Silir, V. olhar (de esguelha, de lado, 
por demais). 

Silo, V. entortar, csnocar, quebrar, tor- 
cer. 

Silo-lima, V. ajoelhar (o cavallo). 

Silo-t&han, v. desfolhar, esfolhar. 

Simo, r. acceitar, acolher, acudir, ad- 
mittir, adoptar, advertir, aparar, ap- 
provar, perceber, receber, recolher. 
responder, tornar. 

Simo, 8. recepção, resposta. 

Simo-binaka, r. hospedar. 

Simo-fali, V. recuperar. 

Simo-kole, 8. ordenado, paga. soldo. 
vencimento. 

SimtL, 8. resposta. 

Sinal, V. assinalar. Este termo é in- 
troduzido do português, ao qae pa- 
rece, como muitos outros. 

Sinal, 8. balisa. 

Sinela, 8. chinela. Termo introdoiidí 
pelos antigos portugueses, e que fi- 
cou estropeado pela difficuldade que 
os indigenas teem em pronunciar o 
som de Ch ou X. 

Sino, V. brigar. 

Sino, *. briga. 

Sinte, r. deplorar, sentir. Este termo 
também parece que foi introduzido 
do português. 

Sinte, a. sentido. 

Sira, pr. pe8. ellas, elles. 

Sirak, pr. po8. d'ellas, d'elles, seus. 
suas. 

Siran, pr. pos. d*ellas, d'eUes, seus, suas 



SOE 



189 



SOR 



Sira-nia, pr. pos. d'ella8, d'elles, seuS; 
suas. 

Sira-ma, adv, ambos, um a um. 

Siribna, s. betei (de folha grande, do 
qual os indígenas mascam também os 
frutos). 

Sirite, cortar. Que os indígenas usam 
para designar o corte de madeira a 
favor das fibras. 

Sissa, 8. migalha, resto, retalho, sobe- 
jo, sobra. 

Sisse, 8. migalha, resto, sobra. 

Sissi, V. cobrar. Alguns indígenas de- 
signam apenas com este termo o co- 
brar dividas, mas a maior parte em- 
pregam a expressão seguinte. 

Sissl-tússan, v. cobrar dividas, rece- 
ber dividas, remir dividas. 

Sita, 8. chita. Termo introduzido do 
português, o qual ficou modificado 
pela difficuldadc na pronuncia do 
som Ch. V. Sinela. 

Si vi, a. nove. Termo pouco usado já. 

Só, V. uivar. 

Só, 8. uivo. 

Sóbak, V. abocanhar, apanhar, filar, 
prender. 

Sóbak, a. abocanhado, apanhado, fila- 
do, preso. 

Sôbo, V. arruinar, assolar, ater, consu- 
mir, demolir, derrocar, desarmar, des- 
fazer, desinçar, desmanchar, desmo- 
ronar, desolar, destroçar, destruir, 
devastar, esbandalhar, esborralhar, 
escangalhar, estragar, extinguir, inu- 
tilizar^ subverter. 

Sôbo, 8. cinza, estrago. 

Sôbo, a. arrasado, ermo. 

Sôbo-bôto, V. aniquilar, an*asar, des* 
truir. 

Sôbo-ôna, a. arruinado, demolido, des- 
truído. 

Sódaii, V. cair. Os indígenas designam 
com este termo os géneros que caem 
de uma medida depois de cheia de 
cogulo. 

Soe, V. arrojar, atirar, aventar, despre- 
sar, enjeitar, expellir, lançar, recha- 
çar, rejeitar. 

Soe, a. arrojado, desprezado, enjeitado, 
expeli ido, rejeitado. 

Soe-bibite, v. arremessar, empurrar, 
deitar fora. 

Soék, V. agitar, mover 

Soe-kari, r. desarranjar. 

Soe-malo, v. abandonar. Este termo é 
empregado pelos indígenas para in- 
dicar que se abandonou ou deixou 



para trás no caminho qualquer pes- 
soa. 

Sóban, v. estar impedido, estar occu- 
pado. 

Sohi, V. apanhar, colher. Este termo é 
empregado quasi exclusivamente para 
designar que se colhem espigas de 
milho. 

Sohi-tétlian, v. esfolhar. 

Sobôro, V. juntar. 

Sobôro, adc, junto. 

Sôi, V, libertar, resgatar. 

Sôi, 8. liberdade. 

Sói, 8. equidade. 

Sói, a. abastado, amoedado, direito, 
justo, liberal, recto, rico^ severo, ver- 
dadeiro. Este termo era o antigo tra- 
tamento que os indígenas davam ao 
seu regulo, mas tem caído em desuso 
e tende a desapparecer. 

Soik, V. remir. 

Soik, adv. talvez. 

Soi-neé, v. deitar fora. 

Soinôri, 8. ferida sarada. 

Soinôna, adv. basta. 

Soinôna, interj. basta ! 

Sôi-ona, a. liberto. 

Sokair, «. tamarindeiro. 

Sokair-fúan, 8, tamarindo. 

Sokal, 8. prestígio. 

Sokalia, v. intrigar, malquistar, me- 
xericar. 

Sokalia, 8. intriga, malquerença, me^ 
xerico. 

Sókar, v, metter alavanca. 

Sókar súrik, v, embainhar a espada. 

Sólok, 8. allivio, conforto, consolação, 
consolo 

Sóman, a. sócio. 

Son, V. colorir, pintar (com cores di^ 
versas). 

Sona, V. esboracar, esfuracar, espetar^ 
espicaçar, ferretoar, queimar, torrar, 
tostar. 

Sòna, 8. menstruação, menstruo. 

Sona kéinek, s, ferida de zagaia. 

Sónan, v. frigir, fritar. 

Soó, V. virar. 

Soón, V. coçar-se. Os indígenas em- 
pregam este termo para designar 
qualquer animal que se coça em 
tronco de arvore, muro, etc. 

Soó-rai, V, cavar, virar a terra. 

Sôran, v. acirrar, assanhar, assolar (os 
cães). 

Sóran, v. medir. 

Soranbi, «. alpendre. 

Sóran ma.no, 8, jogo de gallos. 



SUB 



190 



SCN 



Sóre, V. despojar, entornar, esgotar. 

Sóre, V. entulhar. 

Sóre, 8. entulho. 

Sôre, a. despojado, esgotado. 

Sôri, V. apartar, defender, escudar, 

favorecer, proteger, pugnar. 
Sôri, s. protecção. 
Sôri, a. advogado, defensor, patrono, 

protector. 
Sôrin, s. ilharga, lado. 
Sórite, 8, fortuna, sorte, ventura. £8te 

termo parece que foi introduzido do 

português. 
Sórite-diak, s. felicidade. 
Soro, V. dignar-se, fazer favor. 
Soro, V. prc' curar a caça. 
Soro, 8. favor, obsequio. 
Sôruko, r. afMstar-se, arredar-se, des- 

viar-se, se parar- se. 
Sôrnko bà ! lf>c. adv. afasta- te para )á. 
Sóruko mai ! loc. adv. chega-te para cá. 
Sôrnn, 8. forquilha, ramificação dos 

troncos de arvore. 
Sósfós, V, pilar (o mesmo arroz mais 

de uma vez). 
Sóssa, V. comprar, custar, feirar, mer- 
car, remir, resgatar. 
Sóssa, 8. dinheiro. Em uso somente 

nos reinos do interior da ilha. 
Sóssal, V. acalcar, atafulhar, atacar, 

calcar, carregar. 
Soúko, 8. selvagem. 
Souna, 8. plano, planta. 
Sour, V. alternar. 
Sonr, a. alternado. 
Sonrl, V. defender, reparar, repor. 
Souri, 8. protecção, reparação. 
Sourl, a. reparado, reposto. 
Sonri-an, v. defender-se. 
Sonrin, «. banda, lado. 
Sourin-bétlnn, «. meio, metade. 
Sonrin-bétlnn, a. meado. 
Sonrin-bàlnn, adv, semi. 
Souro, V. comparecer, encontrar. 
Souró, V. tecer (no tear). 
Souro, 8. ajuntamento. 
Sonro-mxLtuko, v. comparecer (refe- 

rindo-se a muita gente). 
Su, a curvo. 
Súak, 8. alavanca. 
Súak bessi, 8. alavanca de ferro. 
Súak-bote, «. bimbarra. 
Suai, «. fumo. 
Sualten, a. mandrião. 
Suank, s. bruxa, bruxaria, feiticeira, 

feitiço, magia. V. Buank. 
Súbal, V. arrolhar, metter rolhas, ro- 
lhar. 



Snbal-f&tliiy o. escondedooro, escon- 
derijo. 

Sadi, V. avivar, fustigar. 

Sudi-ahi, V. atear, atiçar. 

Sue, V. deitar fora, lançar fora. 

Suho, r. amalgamar, temperar ferro. 

Snho, 8, amalgama. 

Sabo-óho, a. afogado, esganado. 

Suhako, ê. asthma. 

Sni, V. descoser, desfazer, desmanchar. 
desperdiçar. 

Sul, r. pent<>ar. 

Sui, a. dominante, governante, pode- 
roso. 

Sui-an, t*. pentear- se. 

Sui-hakée, v. abrir risca no penteado. 
fazer marrafa. 

Súin, r. tirar objectos de algam bu- 
raco. 

Súkan, 8. homem do leme. Este teime 
parece vir do malaio e é muito nsado 
pelos portugueses na forma «sncão». 

Súkate, V. commensorar, medir. 

Sukate, 8. dimensão, medida. 

Sukôek, c. esgaravatar. 

Sukite, V. afocinhar, chafurdar, escâ 
rafunchar, foçar. 

Suko, f. coser, remendar. 

Suko, 8. costura. 

Suko, 8. garfo. 

Suko-lólar, 8. ponto (de costura). 

Suko-makórek, v. bordar, fazer lavo- 
res. 

Suko-néan, t*. esgaravatar os dentes 

Suko-nian, v. esgaravatar os dentes. 

Suku, 8. pontada passageira. 

Súkun, 8. suco. Divisão de território 
nos reinos. 

Sul&n, V. apriscar, encurralar. 

Súlan, V, arrolhar, rolhar. 

Sul&n, 8. earrafa. 

Súlar, 8. iiiso. 

Suli, V, correr, defluir, escorrer, erapo- 
rar-se. 

Suli, 8. marulho (som de correr qual- 
quer liquido). 

Sulo, 8. acha, archote, facho. 

Súmen, t*. afocinhar, chafurdar, foçar 

Sumik, 8. segredo. 

Súmik, a. tácito. 

Sumir, V. cantar. 

Sumir, 8. cantiga, canto 

Sumir, a. cantor. 

Suni, V. accender, incendiar. 

Suno, a. acceso. 

Suno, V. abrasar, accender, afoguear. 
arder, incendiar, inflammar, inflam- 
mar-se, queimar. 



suu 



191 



TAB 



Juno, 8. queima. Os indígenas com este 
termo querem dizer as grandes quei- 
madas que fazem no mato das monta- 
nhas. 

5uno-aliú, V. calcinar. 

Junnko, v. arder. 

5úo, V. exhumar, fazer cova. 

júo-kmúrak, v. minar. 

5úo-rai, v. minar. 

Juóruii, V. enterrar. 

3ura, V. annunciar, annumerar, com- 
putar, contar, enumerar, numerar. 

3úra, 8. computo, couta, contabilidade, 
numero. \ 

5ura-amútTiko, v. inventariar, som- j 
mar. 

iura-amala, v. relacionar. 

3ura-ladiak, a. innumeravel. 

Sura-muto, v. inventariar. 

Snra-mútuko, v. sommar. 

3ura-ôna, a. contado. 

3 ura sala, v. errar a conta. 

Súrate, s. carta, diploma, epistola, li- 
vro, papel. 

3urate-bou, s. papelada. 

3iirate-fá,tin, «. estante, papeleira. 

3urate-kik, 8. bilhete. 

3úrik, 8. cris (arma malaia), cutelo, 
espada, gladio. 

3ú.rik-bélar, s. eèpadagâo, espadão. 

Súrik-bote, «. espadagâo, espadão. 

3úrik-kànek, «. cutilada. 

3tirík-kik, «. florete. 

3úrik-knúan, s. bainha de espada. 

3úrik-naruko, s. espadagâo, espadão, 
sabre. 

3urisso, 8. chouriço. Este termo deve 
ter sido introduzido pelos portugue- 
ses que primeiro apresentaram na 
ilha esse comestivel. 



Súro, V, pescar. Os indígenas empre- 
gam também, este termo para desi- 
gnar a divisão da comida tirada da 
vasilha em que foi feita para servir 
08 comensaes. 

Suro-ikan. s. pescai. 

Sussan, s. peitos. 

Sússar, V. balançar-se, contestar, du- 
vidar, embasbacar, fluctuar, hesitar, 
titubear, vacillar. 

Sússar, 8. ambiguidade, duvida, per- 
plexidade- 

Sussar, a. duvidoso. 

Sussi, 8. sociedade, sucia. Este termo 
foi introduzido do português ao que 
parece. 

Siissn, V. absorver, chuchar, chupar, 
mamar. 

Sussu, s. amojo, leite, mama, peito, 
peitos, teta. 

Sussu-bé, 8. leite. 

Sttssn-ben, s. leite. 

Sussufali, V. recoser. 

Sussuko, 8. mosquito grande. 

Sussu-méti, V. pôr. Os indígenas de- 
signam com esta expressão o segurar 
do sarâo ou da lipa das mulheres 
por cima dos peitos, como ellas cos- 
tumam usar geralmente. 

SussTin, V. mamar.. 

Sússun, 8. mamas, tetas. Um dos ra- 
ros pluraes feitos pelos indígenas. 

Sussu-nia, a. mamíUar. 

Sussu sussu, V. mamar sôfrego. 

Sussu-ué, 8. leite. 

Sussu-uén, 8. leite. 

Suúte, V. assoar, assoar-se, assoprar, 
bufar, soprar. 

Suúte, 8. buraco, fresta. Por on le so- 
pra o vento com violência. 



T 



Paà, V, cortar, dividir, golpear, muti- 
lar, partir. 

Daá, s. corte. 

Paâ-kànek, s. ferida (feita por instru- 
mento cortante). 

raá-hun, s. ourelo. 

raàn, 8. cesto grande, ganta. 

Daáii-tilun, v. escutar, ouvir attento, 
prestar attençao. 

raá-rai, v. cavar. 

raà-saka, v. cortar de lado. 

raàslia, a. civil, civilizado, cortês, da- 
do, delicado, galante, galanteador, 
polido, urbano. 



Taà-tete, v. cortar (um pau em sentido 
perpendicular). 

Taá-tilun, v. escutar, ouvir attento, 
prestar attençao. 

Taá-ulo, V. cortar a cabeça, decapi- 
tar, decepar, degolar. 

Taba, v. apedrejar, atirar pedras. 

Tabako, 8. tabaco. Não obstante actual- 
mente a planta do tabaco parecer in- 
dígena, em vista da sua producçâo 
quasi espontânea, o facto de não ter 
uma denominação própria em teto, 
sendo preciso denominá-la com o 
nome português, leva-nos a concluir 



TAU 



11>2 



TAL 



que tal planta foi introduzida peloB 
portugueses ou entio.que o seu pri- 
mitivo nome na lingua do país desap- 
pareceu por completo, visto que por 
toda a parte é denominado Tabako. 

Tabako-ràliim, s. rapé. 

Tabako-sónan, s. rapé. 

Taba-f&tuko, v, apedrejar, correr á pe- 
drada. 

Taba-f&tuko, s pedrada. 

Taba-saboraka, s. laranjada. 

Tabis, 8. saco (que os indigenas usam 
para conduzir comida). 

Tabo, «. hora. 

Tabo-anba, s. quatro da manha. Ex- 
pressão malaia que iicou modificada 
pela difiiculdade de pronunciar o P c 
que vae caindo já em desuso. 

Tabo-dua, a. duas da manhã. Uso an- 
tiquado que vem do malaio. 

Tabo-san, «. alvorada. 

Tabo-tika, s. três da manhã. Vem do 
uso malaio, ficou estropeado pela dif- 
ficuldade de pronunciar o som de 6, 
e vae desapparecendo. 

Tada, v. adivinhar, atinar, conhecer, 
comprehender, entender, saber. 

Tada, 8. comprehensão, conhecimento, 
entendimento, sabedoria, tino. 

T&dan, a. macula, mancha, nódoa, 
pinta, sujidade. 

Tado, V. apparecer. 

Tado kdok, v. avistar ao longe. 

Taes, V. coar, filtrar. 

Taes, a. coado, filtrado. 

Tafi, V, cuspir. 

Tafui, V, cuspir. 

Tafúi, a. gallo bravo, gallo de mato. 

Taba, a. parão. Instrumento cortante 
como a faca de cortador. 

Taba, a. barro, barraçal, lama, lama- 
çal, lamaceiro. 

Taba-fàtin, a. lamaçal, lameiro, lodaçal. 

Taba k&nek, a, ferida de parão. 

Taba-kléuko, a. podôa. 

Taba-môute, v. alagar. 

Taba-môute, a. alagado. 

Tàban, a. aba (de chapéu), folha (de 
arvore). 

Tàban-buras, »-. rama, ramada, rama- 
gem, ramalhagem. 

Tàban-kélen, a. peciolo. 

Téiban-lae, a. esfolhado, esfolhoso. 

Tétbek, v. joeirar, peneirar. 

Tàbek, a. plebe, povo. 

Tàbek-màtan, v. pestanejar. 

Tabila, a, balança de braços, fiel de ba- 
lança. 



Tabu, a. lama, lodo. 

Tais, a, pano (que vestem os indige 
nas), habito, veste, vestido. 

Tais-aÀte, a. andrajo, farrapo. 

Tais-feto, a, saia, sarão (trajo das 
mulheres indigenas). 

Tais-futus, a. pano tingido. 

Tais-btm, t*. orlar, tarjar. 

Tais-ban, a. orla, tarja. 

Tais-nixiin, a. orla (na roupa). 

l)aka, V. abafar, acobertar, adstringir. 
aiiixar, agglutinar, apagar, atabafar. 
atravancar, chapar, cobrir., cerra, en- 
cerrar, envcetir, estancar, fechar, gru 
dar, interceptar, obstruir, palliar. ta- 
par, trancar, transparecer, vedar. 

Taka, a. coberto, encoberto, transpa- 
rente. 

Taka-bô, a. açude. 

Taka dàlan, v. interceptnr o camiDbo. 

T^ka-fila, r. emboicar. 

Taka-fila, a. emborcado. 

Taka ibnn, v. tapar a boca. 

Taka-issin, v, agasalhar-se, cobrir-se. 
tapar- se. 

Taka-ktiak, v. remendar, tapar bura- 
cos. 

Taka-m&tan, i*. fechar os olhos, vcd 
dar. 

Taka-m&tan, a. operculo, tampa. 

Taka-métan, v. enlutar. 

Tàkan, a. cobertura, tampa. 

Taka-nétik, v estorvar. 

Taka-òna, a. tapado. 

Taka-rabate, v. deitar-se, prosternar- 
se, prostrar-se. 

Taka sánan, t;. tapar a panela. 

Taka-tnro, r. vedar. 

Taka-turo, a. vedado. 

Taka-né, a. açude. 

Taka-tQo, a. barrete, chapéu. 

Takrúik, «. espinhaço. 

Talain, a. parente. Os indigenas em- 
pregam geralmente este termo para 
designarem os primos. 

Talain, cuív. ante, de frente, defronte. 
em frente. 

Talas, a, inhame. Dá-se igualmente 
esta denominação a uma raiz indí- 
gena muito semelhante ás tubaras. e 
de que a gente da ilha faz uso na ali- 
mentação. 

Tali, a, corda, cordel. Também se dá 
este nome á palmeira de que as fo- 
lhas servem para cobrir as casas. 

Talia, a, ostra. 

Talian, a, ostras. Um dos. raros pluraes 
formados pelos indigenas. 



1 



TAJM 



193 



TAR 



ili-fafiruko» s. funda, 
ili-kik, «. baraço, barbante. 
ilin, 8, par, parelha. 
ilin-iná,liiko, s. parceiro, 
ili-ôan, 8. atilho, baraço, cordão, cor- 
del, guita. 

sili-tàliaii, 8, folha de palmeira, 
palma. 

ili-tonda, 8. sirga. Empregam os in- 
dígenas esta expressão, para designar 
a manobra que executam de puchar 
as corcoras nos coilões ou riachos in- 
ternos. 

iliur, V. dar costas, virar as costas, 
virar- se. 

iloban, 8, barraca: Designam os indi- 
genas com este termo as barracas dos 
guardas nas hortas e nas yarzeas, as 
quaes mais merecem o nome de to- 
cas. 

à.ma, V. acolher-se, agasalhar-se, alis- 
tar-se^ caber, desembocar, encaiiar, 
eucerrarse, entranhar-se, entrar, fu- 
rar, internar-se, intervir, invadir, 
raetter-se, penetrar. 
Btma, 8. gasalhado, gasalho, 
àma-fàtin, 8. adito, entrada, portão, 
pórtico. 

amak, s. cobertor, cobertura. 
Sima-lemo, v. entrar (em qualquer 
parte para examinar), 
iman, v. enterrar. 

iman, s. enterro, exéquias, funeral, 
préstito fúnebre, 
iman-mate, v. sepultar, 
iman-ôna, a. sepultado, 
iman-simo, v. agregar. 
km as, 8. atrevimento. 
imas, a. atrevido. 

imbaka, 8. nome que os indígenas 
ião a uma banana especial muito 
gostosa. 

,me, V, amparar (com as mãos). Neste 
termo, o e mal soa e pronuncia-se dis- 

ictamente o m. 

ei, V. conjurar, insistir, obsecrar, 
ir, solicitar, supplicar. 

ei, V. exigir, exorar. 

lí, V. lembrar-se. Os indígenas 

iam este termo para designar que 

onhecem uma pessoa quando a 

icontram de novo depois de muito 
po de ausência. 

i, 8. lembrança. 

is, V. mascar, mastigar, ruminar, 

)orear. 

is, 8. sabor. 

o, V, pôr ao fumo. 



Tàmun, t;. defumar. 

T&mun, a. defumado. 

Tan, V. acrescentar, acrescer, aumen- 
tar, reproduzir. 

Tan, adv. mais. 

Tâ.iia, V, ralhar. 

Tânan, v. gritar. 

Tànan, «. gi-itaria. 

Tanàn, a. despido, nu em pelote, sin- 
gelo. 

Tanara, 8. bigorna. 

Tanate, v. olhar para cima. 

Tanbã., prep. após, depois de, por 
causa de. 

Tané, v. aparar na mão, segurar na 
mão. 

Tané-b&lnko, 8. punhado. 

Tanessa, v, amostrar. 

Tanessa, «. amostra. 

Tan-lianéssan, «. dobro. 

Tan-liaiiéssan, a. dobrado, duplo, ou- 
tro tanto. 

Tanik, V. chorar. 

Lanik, í. choro. 

Taniro, v. cuspir. 

Tanis, V. chorar, derramar lagrimas, 
lagrimejar. 

Tanls, 8. alarido (nos enterros), cho- 
radeira, choro, lamuria. 

Tanis-a&te, 8. choraminga, chorão, me- 
droso, poltrão. 

Tanis hakfudik, «. choro falso, lagri- 
mas de crocodilo. 

Tanis ladiak, v. banhar-se em pranto, 
debulhar-se em lagrimas, desatai' em 
choro. 

Tanis-mate, 8. choradeira, gritaria 
(nos enterros). 

Tanis-ten, «. choramingas, chorão. 

Tanis-ten, a. lacrimoso. 

Tan-nanéssan, a. duplo. 

Tan-réssin, a. sobresalente. 

Tanútnko, «• malho, martelo. 

Tara, v. appensar, dependurar, enfor- 
car, pender, pendurar, suspender. 

Tara, a. pendurado, suspenso. 

Tàrak, 8. espinho, pico. 

Téiran, 8. engulho. 

Tarido, v. bater o queixo, estremecer, 
tiritar, tremer. 

Tarido, 8. tremor (de frio), tremura. 

Taro, V. apostar. 

Taro, 8. aposta. 

Taróbnko, v. espesinhar, patear. 

Tarnik, 8. serrania. Os indigenas desi- 
gnam também com este termo o cume 
ou a parte mais elevada da monta- 
nha. 

13 



s 



TAT 



194 



TAU 



Tamto, V, barulhar, fazer bulha, tro- 
vejar. 

Tarato, s. barulho, bulha, estrondo, 
trovoada. 

Tassa, v. coser. 

Tassa, a. cosido. 

Tassak, v, amadurar, amadurecer, sa- 
zonar. 

Tassaky a. maduro, sazonado. 

Tassak-ôna, v. enlourecer, sazouar-se. 

Tassak-ôna, a maduro, sazonado. 

Tassi, 8. mar, ocetmo. 

Tassi-bote, s. mar encapellado. 

Tassi-dada, s. maré baixa. 

Tassi-dàban, s. espuma das ondas. 

Tassi-diak, s. mar de leite. 

Tassi-diin, s. praia, costa do mar. 

Tassi-fai, a. ondulação, rebentação. 

Tassi-feto, «. mar mulher. Denomina- 
ção que os indígenas dão ao mar do 
norte que forma o canal de Ombay, 
provavelmente por ser muito trau- 
quillo durante o anno. 

Tassi-ibun, s. bahia, barra, enseada, 
praia. 

Tassi-keta, s, bahia. 

Tassi kléan, s. abysmo marítimo, pe- 
lãgc. 

Tassi-lidun, s. bahia. 

Tassl-mâ.ne, s. mar homem. Dão os in- 
dígenas esta denominação ao mar do 
sul, ou da contra costa, que é cons- 
tantemente revolto, em consequência 
da pequena profundidade, e grande 
largura. 

Tassi-maos, s. bonança. 

Tassi-màran, s. baixia, maré baixa, 
vasante. 

Tassi nakôno, s. maré cheia. 

Tassl-nia, 8. marinha. 

Tassi-nia^ a. marinheiro, marinho, ma- 
rítimo. 

Tassi-roate, s. praia. 

Tassi-sikun, s. promontório. 

Tasso, 8. sertã, tacho. Este termo foi 
introduzido do português e prova a 
dificuldade dos indígenas em pro- 
nunciar o som de Ch ou X. 

Tasso-tilnn, s. asa do tacho. 

Tatá, V. filar, morder, trincar. 

Tatá, 8. dentada, picada. 

Tata-kànek, 8. dentada, mordedura (a 
ferida resultante). 

Tatàkun, 8. badalo (de sino). 

Tatamalo, v. assanhar. 

Tatamalo, a. assanhado. 

Tata-nanissi, 8. picada de insecto. 

Tatáirak, 8, laço. 



Tate, V. entulhar. 

Tate, 8. entulho. 

Tate, a. entulhado. 

Tatóiian, v. comparecer. 

Tatehi, 8. bolso, saco. Espécie de bolso 
que as mulheres indígenas fazem com 
a lipa na maneira de a amanar na 
cintura. 

Tatei, V, amassar, massar. Este termo 
designa o uso das massagens, invete- 
rado entre os indígenas, e que con- 
siste em bater com- os punhos fecha- 
dos alternadamente e muito ao de leve. 
correndo o corpo todo, o que produz 
no individuo que recebe a massagens 
um certo bem estar. 

Tatis, 8, beira de telhado. 

Tato, V. abafar 

Tato, a. abafado. 

Tatòan, 8. muleta. 

Tatohe, «. folie de ferreiro dos indíge- 
nas. 

Tatôkar, v. arrefecer, arripiar, tintar. 
tremer. 

Tatôkar, a. arripiado, frigido. 

Tatoli, V. entregar (qualquer objecto 
para dar à outrem). 

Tatoras, 8. formiga grande preta. 

Tatossa, t*. igualar. 

Tatossa, a. igual. 

Tatuaka, s. cancro. 

Tatui, f. rodar. 

Tatula, 8. tranca. 

Tatnúko, v. bater (para partir qualque 
cousa). 

TatatLko, s. espeto. 

Tàn, t*. atiixar, applicar, assentar, ãii 
mentár, collocar, constituir, deposi 
tar, estampar, exarar, fazer, fitar, ê 
xar, franjar, implantar, impor, infcn 
dir, interpor, obrigar, pôr, postai 
refugar, situar. Este termo é tambcn 
o radical de muitos verbos. 

Tau, 8. voz. Os indígenas designai 
com este termo um certo som qut- h 
zem as lagartixas, espécie de osga 
esbranquiçadas de que todas as c 
sas estão cheias internamente, e qu 
são de grande utilidade porque dizi 
mam os milhares de insectos que h 

Tau, a. exposto, situado. 

Tau-ahi, t*. accender, atear. 

Tau-abú, v. caiar. 

Tau-ai, V. emmadeirar, madeirar. 

Tau-amútuko, v. achegar, ajuda 
amontoar, appor, incluir, inserir. 

Tau-an, r. esconder-se, refugiar se. 

Tau-an, a. escondido. 



rf» 



lAU 



195 



TEB 



Tan-bé, v. aguar, encher. 

Tau-bé, a. cheio. 

Tau-bessi, v. acorrentar, agrilhoar, fer- 
rar. Este termo empregam geralmente 
os indígenas para designar o acto de 
coUocar na golilha os prisioneiros. 

ran-béssik, v. aproximar- se. 

rau-biti, V. esteirar. 

Pau-biti, a. esteirado. 

rau-bútan, v. abotoar. V. Butan. 

rau dâdul, v, pôr a canga, pôr o jugo. 

Tau-doôk, v. alongar. 

ran-hanéssan, v. emparelhar. 

rau-iharó, v. embarcar. 

rau-issin, v. pospor. 

rau-kabaressi, v, encabrestar. 

Tau-kadúak, v. emparelhar. 

Tau-kalôlo, v. endireitar, levantar. 

rau-karlTini; v. almofadar. 

Can-keta, v. balisar, demarcar, dividir, 
marcar, separar. 

Cau-kinur, v. açafroar. 

rau-kliini, v, almofadar. 

rau-knúlan, v, arrolhar, rolhai*. 

Cauko, V. acanhar- se, acatar, acobar- 
dar-se, assustar-se, atemorizar-se, re- 
cear, temer, tremer. 

Pauko, s. espanto, medo, receio, sujei- 
ção, susto, temor, terror. 

'auko, a. aterrado, cobarde, medroso, 
tímido. 

'auko-lae, s. irreverência. 

'auko-lae, a. irreverente. 

'auko-laék, a, destemido. No Diccio- 
nario já citado, a pag. 290, dá-se tam- 
bém como significado o adjectivo 
«meigo», o qu« parece pouco regular 
se não é erro de imprensa. 

auko-ten, s. cagarola, pusillanime. 

auko-ten, a. medroso, tímido, timo- 
rato, vergonhoso. ' 

au-kússan, v. encravar. 

au-kússin, v. albardar, apparelhar, 
selar. 

au-líras, v. implumar. 

au-makdadi, v. chumbar. 

au-máissin, v. salgar. 

au-mâtan, v. fitar, fixar. 

au-métin, v. gravar. 

sLU-midal, v. adoçar. 

au-mina, v. azeitar. 

aun, s. tinta preta (de que os indíge- 
nas se servem para tingir os seus 

panos). 

3.a-náran, t?. assinar, firmar. ■ 

iu-néan, v. adeutar. 

a.u-nétik, v. defender. 

au-nian, v. adentar. 



Tan-ninin, v. guarnecer, orlar, tarjar. 

Tau-ôna, a. epart. posto (do verbo pôr). 

Tau-rai, v, aterrar. 

Tau-raihének, v. arear. 

Tau-ran, v. ensanguentar.' 

Tau-ran, a. ensanguentado. 

Tau-saba, v. chapar. 

Tan-sadere, v. estribar. 

Tan-sinal, v. assinalar, balisar, de- 
marcar, dividir, marcar, separar. 

Tan-tahú, v. enlamear, enlodar. 

Tau-talain, v. contrapor. 

Tau-tali, V. encordoar. 

Taa-tan, v. acrescentar, aditar, appor, 
aumentar. 

Tau-tan, a. aumentado. 

Tau-tatàrak, v, enlaçar. 

Tan-tétek, v. atravessar (qualquer ob- 
jecto). 

Tau-tilan, v. escutar, ouvir attento, 
prtstat attenção 

Tau-tua, V. avinhar. 

Tau-tua, a. avinhado, bêbado. 

Tau-úluko, V. antepor. 

Tan-unbà, v. engodar. 

Te, V. cagar, estravar. 

Te, 8. escremento, merda. 

Tóan, V. calcular, conjecturar, descon- 
fiar, forjar, suppor, suspeitar. 

Téan, s. desconfiança, supposiçâo, sus- 
peita. 

Tébar, v. adubar. Este termo serve 
aos indígenas para designar o tem- 
perar a comida já na mesa. 

Tébar, «. condimento. 

Tebe, v. acoicear, dar coices, escoi- 
cear, pemear. 

Tebe, 8. coice. Com este termo desi- 
gnam também os indígenas o movi- 
mento que se denomina pontapé, e os 
movimentos que se podem fazer com 
os músculos do pé. 

Tebedà, s. batuque. Dança dos indí- 
genas nas suas festas, casamentos e 
recepções das autoridades, e que co- 
meçando ás vezes ainda com dia, 
quasi sempre terminam quando o sol 
vem a romper. 

Tebes, s. certeza, promessa, razão, rea- 
lidade, verdade, veras. 

Tebes, a. evidente, certo, verdadeiro, 
verídico. 

Tebes^, adv. certo, deveras, effectiva- 
mente, justamente, positivamente, 
realmente, verdadeiramente, veridí- 
camente. 

Tebe- tebes, adv. certamente, certo, 
deveras. 



TEM 



19(> 



TET 



Tóhen, s, beira do telhado. 

Tôik, V. pisar. Só se emprega este ter- 
mo quaodo se pisa alguém involan- 
tariamente. 

Tein, V. cozer comida, cozinhar. 

Tein, a. cozido. 

Tein-fali, v. recorrer, referver. 

Tein-ladiak, i'. engrolar. 

Tein-màssin, v. pôr sal^ salgar. 

Tein-midal, pôr açúcar. 

Tein-réssin, v, recozer. 

Tek, a. pequenino. Este termo só se 
usa para designar as crianças; no 
Diccionario mencionado, a pag. 67, 
dá-se como significado de kabon 
ték «barriga grossa», o que parece 
á primeira vista contraseuso, mas 
não é, porque o indigena com essa 
expressão quer designar o feto que 
contém a mulher gravida,,e á falta 
de outros termos designam igual- 
mente a obesidade ou a oarrigada. 

Teka, v. fugir. 

Teka, a. fugido. 

Teki, *. lagartixa. Com este termo de- 
signam os indigenas um pequeno rep- 
til muito semelhante á osga, que se 
vê em grande quantidade em todas 
as casas pelas paredes, e a quem nin- 
guém faz mal, porque são de muita 
utilidade para desbastar a grande 
quantidade de insectos que enchem o 
espaço, alguns quasi invisíveis. 

Teki-aáte, s. osga. 

Tekil, V. arrebatar. 

Tekil, 8. diligencia, rapidez. 

Tekil, a. arrebatado, desembaraçado, 
diligente, rápido. 

Tôkil, a. novo, primeiro, recente. 

Tekil, adv. de repente. 

Teki-rai, s. lagartixa. Referem-se os 
indigenas ás que vivem no campo, de 
cor verde. 

Tekis, V. vir, voltar. 

Teki-sae, s. breca, caimbra. 

Teki-tekil, adv. asinha, de chofre, de 
improviso, immediatamente, quanto 
antes, repentinamente, subitamente. 

Telo, V. arredondar. 

Telo, a. redondo. 

Telun, s. pedra fina, seixo. Também os 
indigenas empregam este termo para 
dizer «redondo». 

Tómek, s. calvície. 

Temek, a. calvo. 

Temi, V. lembrar-se, recordar-se. 

Temi, 8. lembrança. 

Temi, a outro. 



Temok, v. lisongear. 

Témok, 8. lisonja. 

Témok, a. lisonjeiro. 

Ten, 8, caca, cagadela, escrementí 
estravo, merda, trampa. Este teime 
alem doestas significações é um sut 
fixo que serve para formar varias 
adjectivos, como kanten, «comilàcK 
«voraz». 

Tenbar, «. condimento. 

Ten'bra, 8. adubo, tempero. Este temi' 
foi provavelmente introduzido do por 
tu^uês, ou do creoulo macaista. 

Ténan, a. reforçado. 

Tenda, «. abarracamento. Este termc 
parece ter sido introduzido do porra- 
guês «ttenda». 

Tene, v. convidar. 

Tene, «. convite. 

Teni, V. deitar cal em pó na palma da 
mão e atirá-la depois para abocaa 
fim de mascar com betei, areca e ta- 
baco, o que os indigenas fazem com 
tal jprecisão que não cae no chào <> 
mais ténue residuo. 

Teni, adv. mais. 

Teni-fali, adv. outra vez. 

Teni-hikas, .adv. outra vez. 

Ténik, a. curto. 

Ténik, adl\ mais. Em uso apenas no-: 
reinos da contra- costa. 

Te-ôan, s. tripa. 

Térek, a. obliquo. 

Teri, V. cortar (com tesoura). 

Teri, 8. tesourada. 

Teri-fanko, v. tosquear. 

Teri-nótik, v. interromper. 

Teros, v. accommodar-se, admitíir 
aguentar, arrostar, aturar, compor- 
tar, consentir, conformar-se, conter 
se, padecer, penar, soflFrer, supportar 
tolerar, traçar. 

Tems, 8. paixão, sofi&imento. 

Te-sele, v. cagar-se, cursar, evacuar 
sujar-se. 

Tessi, V. cortar, dividir, mutilar, sepa 
rar. 

Téssik, adv. perto. 

Teta, V. pesar. 

Teta, a. pesado. 

Tétak, V. fracassar. 

Tétak-fahe, v, migar. 

Tétak-kari, v. espatifar, fazer em pe 
d aços. 

Tete, V. avoejar, esvoaçar, voar. Os is 
digenas também empregam este ter 
mo para designar o estender roop 
numa corda. 



TIL 



197 



TOA 



Tete, 8. voo. 
Tete, a. volante, vdlatil. 
Tete, adv. rente. 

Tetebes, adv, certamente, deveras. 
Teteheuko, s. galeria, varanda. 
Tétek, V, atravessar, crescer, engrossar. 
Tétek, a. através, atravessado, trans- 
versal. 
Téten, V. falar^(pouco em uso). 
Téten-ktuir, v. calumniar, desacredi- 
tar, diffamar. 
Tetérik, «. coxinho. 
Tetétiko, «. galeria, varanda. 
Tetirik, «. coxinho, coxo. 
Teto, V. librar, pesar, ponderar. 
Tetuko, 8. campo, chão, explanada, 

planicie, plano, planura. 
Tetuko-luan, 8, campina, campo sem 

arvores. 
Tetu-ôna, a. pesado. 
Tias, V. arregaçar. 
Tias, a. arregaçado 
Tibe, V. entupir, entupir-se, obstruir- 
se. Os indígenas empregam também 
este termo para designar pessoa que 
seja tão obesa que tenha difficuldade 
em passar em logar estreito. 
Tibe, a. obstruído. 
Tidi, V. cair, calcar. O conteúdo de 

qualquer saco ou vasilha. 
Tidl-kidun, s. cuada, culapada. 
Tiba, V. tarrafar. 
Tiba, adva já. 

Tíi, s. o movimento do fuso. 
Tiinelek, s, átomo. 

Tika, a. três. Termo malaio que se em- 
prega somente nas horas da madru- 
gada, mas vae caindo em desuso. 
Tikel, «. timba. 
Tiki-íima, v. despedir-se (acenando 

com a mão). 
Tikl-tekll, adv. asinha, repentina- 
mente. 
Tikitili, 8. pirilampo, tira-olhos. 
Til, V. cortar (ás talhadas). 
Tila, V. dividir (em pequenas partes). 
Tila-bàluko, 8. fatia. 
Tilais, V. cortar, talhar. 
Tilak-bakné, v. alanhar. 
Tilak-kalolo, v. alanhar. 
Tilak-tétek, v. cortar ás rodelas. 
Tila-uto, v. matar piolhos. 
Tile, V. cortar. Somente usado em re- 
lação a frutas. 
Tilun, 8. orelha, ouvido. Os indígenas, 
á falta de termo próprio, empregam 
este para designar a asa de uma va- 
silha. 



Tilun-áuko, v. arrecadas, brincos, pen- 
dentes. 

Tilun- diúko, v, emmouquecer, ensur- 
decer. 

Tilun diúko, 8. surdez. 

Tilun-diúko, a. moco. burdo. 

Tilun-kúak, s. ouvido (na sua parte ex- 
terna). 

Tilun-nia, a. auricular. 

Tilun-taba, s. doença de ouvidos. 

Tilun-taban, s. orelha. 

Tilun ten, «. cera de ouvido, cerume. 

Timir, 8. pêra. 

Timis, V. provar, saborear. 

Tinan, 8. anuo. 

Tinan-atos, s. século. 

Tinan fôun, s. ao no bom, anno novo. 

Tinan-bito, a. septennío. 

Tinan ikos, 8. anno findo, anno pas- 
sado. 

Tinan-klôur, a. annoso. 

Tinan-llma, 8. lustro (cinco annos). 

Tinan-linona, 8, anno passado. 

Tinan-raa, a. biennío, dois annos. 

Tinan-sanulo, 8. decennio, dez annos. 

Tinan-tinan, adv. annualmente, cada 
anno. 

Tinan-tòlo, a. triennio, três annos. 

Tinidak, v. lançar rede. 

Tino, 8. reclusão. 

Tino, a. recluso. 

Tinole, adv. mais um anno. 

Tira, 8. ostra. 

Tiran, 8. ostras. Um dos pluraes for- 
mado pelos indígenas. 

Tiras, 8. cinturão facha, fio. Este termo 
parece introduzido do português. 

Tissek, a. curto, rápido. 

Tissik, a. escalvado. 

Titelile, 8. cigarra. 

Titi, V. joeirar, peneirar. 

Titik, V, salpicar (cotn a mão). 

Titl-lotuko, V, choviscar. 

Titirik, a, inteiriçado (que não pode 
mover- se). 

Tito, V. aguardar, anteparar, deter-se, 
esperar, estacar, parar, pausar, sus- 
pender. 

Tito, 8. espera, expectação. 

Tito-fátin, 8. parada. 

Tito-lae, conj. alto lá. 

Tiú, 8. tabaqueira. Alguns indígenas 
dizem Tió como os portugueses. 

Tôan, V. acocorar-se, fornicar. Pare- 
cerá á primeira vista irregular que 
este termo tenha duas significações 
tão differentes, e comtudo tem isso 
uma explicação muito simples, que é 



TOK 



19ft 



TOO 



os indígenas praticarem o acto da 
copula de cpcoras, collocando a fê- 
mea sobre 00 joelhos. 

Tóba, V. deitar, deitar-se, estar deitado. 

Toba-anba, s qaatro da manhã. Ex- 
pressão malaia, que vae caindo ^ 
desuso. 

Toba-dua, s. duas da manhâo. Idem. 

Toba-dúkal, v. adormecer, dormir. 

Toba-fatin, s. cama, dormitório, leito, 
tálamo, tarimba. 

Toba-lianelo, v, deitar- se. Esta expres- 
são designa o deitarem-se duas pes- 
soas na mesma cama, uma com a ca- 
beça para os pés da outra. 

Toba-kalena, v. deitar-se de costas. 

Toba-ló8, V. espernegar-se. 

Toba moras, v. cair de cama, doente 
de cama. 

Toba-tika, s. três da manhã. Expres- 
são de uso malaio que vae desappa- 
recendo. 

Tobi, 8. cubículo, gabinete, quarto. 
Muitos indígenas empregam este 
termo para designar o aposento do rei. 

Tóbok, V. trotar. 

Tóbok, 8. trote. 

Tóbnr, v. encontrar, visitar. 

Tobur, 8. encontro. 

Tódan, v. pesar. 

Tódan, s. volume. Também é empre- 
gado para significar «carestia». 

Tódan, a. carregado, grave, lerdo, pe- 
sado, volumoso. 

Todo, 8. bolsa, saco, taleiga. 

Tódok, V. estortegar. 

Tóhak, V. tingir (preto), turbar, turvar. 

Tóbak kabas, v. tingir linhas (de 
preto). 

Tóhar, v. quebrar-se. 

Tóhar, a. quebrado. 

Tohi, V. afunilar, faiscar, petiscar. 

Tobi, 8. mossa. 

Tobi, a. amolgado. 

Tohu, 8 cana de açúcar. 

Tok, a. presto, prestes, pronto, rápido, 
seguido. 

Toké, 8. lagarto especial do país, que 
dá uns sons que parecem dizer tó ké, 
os quaes repete por vezes, dizendo 
alguns indígenas que o numero d 'es- 
sas vezes indica as horas que são ; o 
que é certo é que esse numero é 
muito variável, succedendo que em- 
quanto que de uma vez repete o som 
por duas ou três vezes, de outras che- 
ga a sete e mais. * 

Tókon, a. milhão. 



Tókon-rua, a. bilião. 

Tókon-tôlo, a. trifião. 

Tólan, V. deglutir, devorar, engulir. 
tragar. 

Tólek, V, chocalhar, enxaguar, vasco 
lejar. 

Tolek, a. enxaguado. 

Tólik, a. manco. 

Tolo, o. três. 

Tólok, V. a£Prontar, aggrsvar, escanda- 
lizar, injuriar, insultar, maltratar de 
palavras, offender. 

Tólok, 8. aggravo, escândalo, offensa. 
insulto. 

Tólon, 8. grelo de palmeira. 

Tòlo-nia, a. trino. 

Tólo-nnlo, a. trinta. 

Tólun, 8. ovo. 

Toma, V. alcançar,^ apanhar, pilhar. 
prender. 

Toma, a. pilhado, prezo. 

Tómak, s. totalidade, todos. 

Tómak, a. integral, integro, inteiru. 
massiço, plenário, total, tudo, univer- 
sal. 

Tómak, adv. completamente, geral- 
mente. 

Tomân, v. acostumar-se, aíazer-se. 
agarrar, amoldar-se, costumar, fazer, 
habituar, ter. 

Tomàn, 8. costume, habito. 

Tomàn, a. afeito, consuetudinário, cos- 
tumado, habituado, inveterado. 

Toman-óna, a. acostumado. 

Tonda, v. rebocar. 

Tonda, 8, reboco (de parede). 

Tonda-ró, v. rebocar (navio). 

Tone, V. chegar, ir. 

Tone, a. chegado. 

Tonka, v, especar, estear. 

Tonka, a. especado. 

Toó, V. abicar, abranger, alcançar. 
aportar, chegar, penetrar, sobrevir. 
valer, vir. 

Toó, 8. accesso. 

Toó, adv, até. 

Toó, pr€j>. até. 

Toó-bà, V. aproximar-se. 

Toó-béssik, «. achegar-se, aproximar- 
se, conchegar-se. 

Toók, adv, acaso, quiçá, talvez, prova- 
velmente. Este adverbio usa-se in- 
distinctamente no principio ou no 
fim das phraseS; mas quando na 
mesma phrase entrar kala ou kari^, 
que tem a mesma significação, então 
deve qualquer doestes ir no principio 
e aquelle no fim. 



TUA 



199 



TUD 



roó-mai, V. achegar-se, aproximar- se, 

avizinhar-se. 
roó-mate, adv. vitalício (até a morte). 
Coó-ona, V. bastar. 
Poós, 8. campo, casas, cerca, horta, 
jardim, parque, prado, prédio, pro- 
priedade, quinta, quintal, 
roós-fáan, s. seara, 
rós, V. custar. 
róSy «. dureza. 

rós, a. árduo, austero,' complicado, 
custoso, difiScil, diÔicultoso, duro, es- 
cabroso, hirto, intrincado, invetera- 
do, penoso, perro, pesado, recôndito, 
teso, trabalhoso. 
Teta, V. espreguiçar- se. 
Tota-ain, v, espernear, pemear. 
Tota-liman, v. bracejar, gesticular. 
Tótek, a. custoso, difficil. 
Toti, V, derriçar. 
Toti, a. derriço. 

Tótok, 8, barriga inchada, hydropisia. 
Tôtok, 8, loDibriguinha. 
Tótok, a. hydropico. 
Touko, a. manco. 

Tronko, s. cadeia, golilha, gonilha, pri- 
são. 
Trotok, V. gargarejar, gargolejar. 
Trotok, 8. gargarejo. 
Trôtok, 8. fei^vescencia, fervura. 
Truka, V. cambiar, commutar, escam- 
bar, inverter, permutar, recambiar, 
transfigurar, trocar. Este termo é evi- 
dente ter sido introduzido do portu- 
guês «trocar», ficando estropeado. 
Truka, s. commutação, escambo, muda, 

mudança, troca. 
Traka-an, v. modificar-se, transfigu- 

rar-se. 
Troka kulite, v. mudar a pelle, trocar 

a pelle 
Tua, 8. vinho. No citado Diccionario, a 
pag. 60, dá-se também o significado 
de «Bacho», que me nâo parece pró- 
prio e nunca tive occasiáo de ouvir 
aos indígenas, que creio não conhecem 
esse deus mythologico. 
Tua-ain, 8. borra. 
Tua diak, 8. boa pinga. 
Tua fúrin, «. espuma de vinho. 
Túak, a. ancião, antepassado, avô. 
Tuakala, a. bisavô. 
Tua-méan, 8. cachaça. 
Tua mérak, 8. vinho turvo. 
Tua métan, 8, vinho tinto. 
Tua-mina, v. olear. 
Tua-mútin, 8. genebra, tuaca, vinho 
branco. Com esta expressão, ou sim- 



plesmente com o termo tua, desi- 
gnam quasi sempre os indígenas a 
tuaca, que é uma bebida que elles 
extraem de uma palmeira, que é per- 
feitamente incolor e quando se tira é 
refrigerante, depois da primeira fre- 
mentação é embriagaute, e em desen- 
volvendo o acido acético, é um excel- 
lente vinagre. 

Túan, V. envelhecer. 

Túan, 8. velhice. 

Túan, a. acabado, ancião, annoso, an- 
tigo, caducof cangalho, decrépito, en- 
canecido, idoso, longevo, primitivo, 
prisco, pristimo, velho, vetusto. 

Tua-nàran, «. cerveja. 

Tua-nasso, 8. jagra. Espécie de açúcar 
ou melaço que os indígenas tiram do 
coco e que empregam em certos pre- 
parados. 

Tuan-môras, 8. indigestão. 

Tua sabo, 8. aguardente de tuaca. Dão 
também os indígenas esta denomina- 
ção ao barulho que a tuaca faz a fer- 
ver, 

Tua-síik, ^. vinagre. 

Tua-siin, 8, vinagre. 

Tua-tôin, s. xarope. 

Tua-ten, «. bebedeira. 

Tua-ten, «. fezes do vinho. 

Tua-ten, a. bêbedo. 

Túban, 8. tacão. 

Tubi, V. moer. 

Tubi, 8. farinha. 

Tubi, a. moído. 

Tubi-ráhun, «. farinha. 

Tubuko, V. grelar, nascer, rebentar 
(das sementes). 

Tubuko, 8. grelo" rebento. 

Túbun, V. abrolhar (das arvores). 

Túda, V. atirar, lançar. 

Tuda-dimen, v. azagaiar, atirar á za- 
gaia. 

Tuda-fàtuko, v. apedrejar. 

Tuda-fatuko, 8. pedrada. 

Túdak, V. esticar (o algodão para se 
enrolar no fusoj. 

Túdak, 8. bica. Também os indígenas 
indicam com este termo a «nascente 
de agua». 

Tuda-saboraka, «. laranjada. 

Túdik, 8. cutelo, faca. 

Túdik-bote, 8. facalhâo, parão. 

Túdik-kànek, 8, facada. 

Túdik-kik, 8. canivete, faquinha, nava- 
Ihinha. 

Túdik-ôan, «. canivete, faquinha, na- 
valha. 



TCL 



200 



TUR 



Túdik úliin, 8. cabo de faca. 

Tudo, V, eleger, elevar, escolher, no- 
mear. 

Tado, a. eleito, elevado, escolhido, no- 
meado. 

Txiha, 8. planta indígena que se asse- 
melha ao barbasco. 

Tnhln, v. alarmar. Os indígenas empre- 
gam este termo para indicar o toque 
que fazem para chamar gente, em- 
pregando um instrumento a que os 
portugueses chamam «gon». 

Tiihln, 8. alarme, assemWeia, rebate. 

Tni, V. pautar, rasgar, riscar, traçar. 

Tui, 8. rasgo, rasgão. 

Tui, a. rasgado. 

Tnik, 8. balisa. 

Tni-hakórek, v. redigir. 

Tni-hilas, v. desenhar. 

Tiii-oin, V. benzer- se. 

Tuka, V. acaparar, alborcar, empachar, 
trocar. 

Tnka, prep até. 

Tnka-nôtik, v, embaraçar, embargar, 
estorvar. 

Tnkar, v. cambiar, commutar, escam- 
bar, inverter, permutar, recambiar, 
transfigurar, trocar. 

Tnkar, 8. cambio, commutaçâo, escam- 
bo, muda, mudança, permuta, trans- 
formação, troca. 

Tukar-an, v. modifícar-se, transfígu- 
rar-se. 

Tnkar-kalite, v. mudar a pe]le, trocar 
a pelle. 

Túkil, V, cozer a comida num bambu á 
maneira iudigena, como já se expli- 
cou. 

Tnkil, a. delinquente. 

Tnko, V. bater, dar horas, fazer bulha, 
maçar, malhar, marrar, pulsar, tan- 
ger. 

Tuko, 8. hora, pancada, pulsação, tan- 
gido. 

TiSco, adv. até. 

Tnko-bessi, v. bater ferro. 

Tuko hira, adv. que horas são ? 

Tuko ida, 8. uma hora. 

Tuko-inur, «. narigada. 

Tuko-liras, v. alear. 

Tuko-ràhun, v. esborrachar, esmiga- 
lhar, esmiuçar. 

Tuko rua, s. duas horas. 

Tuko-tur, V. ajoelhar, dobrar o joelho, 
reverenciar. 

Tuko-tur, 8. genuflexão. 

Tuia, V. entrançar, entrelaçar, fazer 
trança. 



Tuia, a. entrançado. 

Ttilan, V, engalfinhar, enredar, envol- 
ver. 

Tulan, a. envolvido. 

Tuli, V. encontrar (a pessoa que se es- 
pera). 

Túlun, V. abonar, abrigar, acorrer, acu- 
dir, ajudar, amparar, apoiar, auxiliar, 
coadjuvar, enrolar, soccorrer, subsi- 
diar, suffragar. 

TxLlun, 8. abono, abrigo, achega, adju- 
torio, ajuda, amparo, auxilio, graça, 
soccorro, subsidio. Igualmente dáo 
os indígenas este nome á parte mais 
alta de uma montanha. 

Ttdun-klak, r. proteger, valer aos des- 
graçados. 

TiUun-malo, v. ajudar-se. Empregara 
os indígenas esta expressão para de- 
signar qualquer serviço que dois in- 
divíduos se prestam mutuamente. 

Tuxna, 8. chato, piolho ladro. 

Tun, V. apear- se, descer, escorregar. 

Tun, 8. descida, rampa. Também indi- 
cam com este termo a cheia das ri- 
beiras. 

Tun, a. baixo, fundo. 

Tuna, 8. eiró, enguia. 

Tunba, «. ataúde, mausulen. Este termo 
parece ter sido introduzido do portu- 
guês. 

Tuni, V. tirar (comida para o prato). 

Tuni-anéssan, v. rasar. 

TunJ-atôtuko, v. alhanar, aplanar, fa- 
cilitar, vencer difficuldades. 

Tuni-hatétuko, v, nivelar a terra (nas 
hortas e várzeas). 

Túnin, «. eirozes, enguias. Um dos pln- 
raes feito pelos indígenas. 

Tuni-rai, v. aterrar, entulhar. 

Ttmis, 8. ervilha. Este termo designa 
principalmente uma planta indigena 
que produz bagens parecidas coma 
ervilha da Europa. 

Tuno, V. assar (sobre brasas). 

Tuno, 8. eiró, enguia. 

Tuno-fatin, s. fornalha, forno. 

Tunon, s. eirozes, enguias. Um dosplu- 
raes feito pelos indígenas. 

Tuno-ona, a. assado. 

Tuno rai, v. fazer tejolo. 

Tunu, 8. grelha. 

Tur, V, abarracar, achar-se, agachar- 
se, alojar, assentar-se, descansar, do- 
miciliar-se, estabelecer -se, habitar, 
permanecer, pousar, quedar, sen- 
tar-se. 

Tur, 8, barraca. Á razão doeste signi- 



TUU 



201 



IJAL 



ficado, é o facto de serem construí- 
das pelos indígenas em certos pontos 
umas barracas qae servem para des- 
cansar quaesquer forças, caravanas 
ou comitivas de funccionarios que 
percorrem o interior da ilha. 

Tur-béssik, v. achegar-se, aproximar- 
se, assentar- se. 

Tnr-bete, v, assentar-se (no chão). 

Tnr-duka, v. afastar-se, assentar-se 
(afastado). 

Tur-fàtin, s. assento, banco. 

Tur-fóktin, *. joelho. 

Turfúlan, s. menstruação. 

Tnr-hakruúko, v. acachapar-se, aco- 
char-se, agachar-se. 

Tur-bandi, v, acocorar -se. 

Tur-bandi, a. acocorado. 

Tnr-banri, v. acocorar-se, acuar, es- 
tar de cócoras. 

Tur-banri, *. cócoras, cocorinhas. 

Tur-kaleliú, v. cruzar, encruzar, en- 
cruzar-se, encruzilhar. 

Toris, 8. espécie de ervilha indigena. 

Tur-nanôko, v, aquietar, sossegar. 

Tnr-nanôko, a. quieto, sossegado. 

Turo, V. correr, derramar, despejar, 
despejar-se, distillar, effundir, escor- 



rer, esgotar, esgotar-se, extravasar, 
extravasar-se, gotejar, ir-se, lagrime- 
jar, marejar, pingar, rachar, vasar, 
vasar-se. 

Turo, 8. gota. 

Turo, a. esgotado. 

TtLSsan, «. debito, divida. 

Tussi, V. acrescentar, ampliar, ampli- 
ficar, aumentar, avultar, corrigir, 
desenvolver, emendar. 

Tussi, 8, correcção, emenda. 

Tussi, a. corregido. 

Tútan, V. acrescentar, aumentar, corri- 
gir, emendar. 

Tutan, a. correcto. 

Tuto, V. apicaçar, depenicar, espica- 
çar, picar. 

TtLtnn, 8. altura, alto, ápice, cabeça^ 
cima, cimo, cucuruto, cume, cumiada, 
fastígio, pino, ponta, vértice. 

Tútur, V, acarretar (á cabeça), trans- 
portar. 

TuTí, V. apalpar, bulir, enfiar, esbora- 
car, esfuracar, tocar. 

Tuú, 8. tacto. • 

Tuúko, 8. coto. 

Tuú-lima, s. toque. 

Tuú-uite, V. attingir. 



Uai, V. arejar, crescer. 

Uai, 8. dia, tempo. 

Uai-bira, adv, quando. 

Uai-hirak, conj. como, quando. 

Uàik, 8. magote. 

Uaik, 8. tia (a mais velha da parte da 
mâi), tio (o mais velho da parte do 
pae). 

Uaik, a. muito. 

Uai-lóro, 8. estio, verão. 

Uáin, V. abundar. 

Uàin, 8. abundância, caterva, chorri- 
lho, dose, grupo, manada, multidão, 
tempo, quantidade, tarraçada, tropeio. 
Também os indígenas empregam mui- 
tas vezes este termo como plural de 
uai para indicar «dias». 

Uáin, a. copioso, exuberante, innume- 
ravel, lauto, muito, profuso, supera- 
bundante, tanto. 

Uàin, adv. assaz, bastante, basto, em 
barda, largamente, muito. Com este 
termo formá-se ás vezes de um verbo 
o correspondente substantivo. 

Uàin-basso, v. estar com ânsias, ter 
ânsias. 



U&in-basso, 8, ambição, avidez. 

Uàin-basso, a. ambicioso, ávido. 

Uéiin-basso, adv. ansiosamente, arden- 
temente, avidamente. 

Uâi neé, «. tempo presente. 

Uàin-hira, adv. quando. 

Uàin-liírak, s. quantidade. 

Uâ.in-naklókar, v. espalhar. Com esta 
expressão designam os indígenas 
muitas pessoas ou cousas espalha- 
das em qualquer logar. 

Uàín-naklôkar, a. espalhado. 

Uàin-rua, adv. ante-hontem. Também 
alguns empregam esta expressão para 
significar ante- véspera. 

Uáti rua, adv. depois de amanha. 

Uài-uàin, adv. sempre. 

Uaka, 8. vaca. Pronuncia que os indí- 
genas dão á palavra portuguesa «va- 
ca», em consequência de não poderem 
pronunciar o som do V. 

Uál, 8. cachaço de búfalo. 

Uale, V. valer. Este termo parece que 
veio do português. 

Uàlek, 8. agente. 

Ualo, a. oito. 



LEN 



202 



IIKU 



Ualo-nulo, a. oitenta. 

Uar, «. carepa, caspa. 

TJàrik, a. tratamento das crianças fi- 
lhas de reis e principaes, mas que vae 
caindo em desuso. 

Uasso, 8. vasilha, vaso. Este termo vem 
evidentemente do português, ficando 
estropeado, e está perfeitamente radi- 
cado na linguagem. 

ITate, 8, artéria, nervo, tendSo, veia. 

Udan, 8. chuva. 

TJdan-anin, 8. chuveiro. 

Udan-lae, 8. estio. 

TJdan-loro, 8. aguaceiro. 

XJdan-nabile, v. relampejar. 

Udan-nabile, s. relâmpago. 

TJdan-naklés, v. estiar. 

Udan-nalirik, v. chuviscar. 

TJdan-rihik, v. chuviscar. 

TJdan-tarnto, v, trovejar. 

Udan-taruto, s. trovão, trovoada. 

Udan-tau, v. chuver. 

Udan-tan, 8. aguaceiro. 

Udan-tinan, «. inverno. 

Udar, 8. animaes. Parece este termo 
um plural feito pelos indígenas. 

TJé, 8. agua. 

Ué-ain, *. foz. 

Ué-babute, «. nascente. 

Ué-dadúlak, 8. redemoinho. 

Ué-dàlan, 8. rego. 

TJé-fàtin^ 8. fauces, garganta, guela. 

Uô fcurin, 8. bolha de agua. 

Ué-hlrin, s, rego. 

Ué-irin, «. canal, cano. 

Uék, V. burlar, enganar, illudir, men- 
tir, trapacear. 

Uék, 8. iilusâo. 

Uek, a. burlado, enganado, illudido. 

Ué-kléan, 8. pego, redemoinho, sorve- 
douro. 

Uôko, 8. icterícia. 

Uék-ten, a. burlão, enganador, menti- 
roso, trapaceiro, trapalhão, tranqui- 
bemeiro. 

Uó-lalôur, 8. redemoinho. 

Ué-lihim, 8. charco, pântano, paul, re- 
manso. 

TJé-liman, s. levada. 

XJé-lôlon, 8. agueiro, algerós. 

Ué-luà, «. poço. 

Ué-mâ.tan, 8. fonte, nascente, poço. 
Esta expressão é propriamente olno 
de agua. 

XJô-môsso, 8. borbulhão, golfada. 

TJé-môute, v, afogar-se. 

TJén, 8. chorume, humor, suco, sumo. 

Ué-nabissi, v. gelar agua. 



Uô-nabissi, s. gelo. 

Ue-nabissi, a. gelado. 

Ué nakmôssnko, «. nascente de agna. 

Uó-xialibnn, «. lago, lagoa. 

Ué namamnte, 8. agua choca. 

Uén-lima, «. algema. 

Ué-otm, 8. pego, redemoinho, sorve- 
douro. 

Úérok, 8, ramela. 

Uórok, a. rameloso. 

Ué-seik, 8. caiba. 

Ué-séran, 8, rego, valia. 

Ué-sono, 8. petróleo. 

Ué-snnnko, «. petróleo. 

Ué-ten, 8. lodo. 

Ué-ti8sek, 8. cachão, catadupa, cata- 
rata, queda de agua. 

Ué-túdak, 8. esguicho, repncho. 

Ué-tun, 8. enchente. 
J Ué-tnro, v. pingar. 

Ué-tnro, «. pinga, pingo. 

Ué-uaik, 8. melancia. 

Ubak, «. jambulão (fruta oriental). 

Ubak-uén, 8. roxo. Esta expressão pa- 
rece á primeira vista disparatada. 
mas visto que se refere ao sumo da 
fruta jambulão, que é de um rox" 
muito vivo, mostra que tem razão de 
ser. 

Ubi, 8. batata. 

Ubi daln, «. batata do pais. 

Ubi-bnn, 8. batateira, planta de batata. 

Ubt malai, 8, batata da Europa. 

Ubi midal, s. batata doce. 

Ubi midel, «. batata doce. 

Ubi-toós, 8. batatal. 

Ui, 8. órgão genital feminino, vagina. 

Ui ! int. hui ! 

Uilóro, 8. verão. 

Uin, 8, órgão genital feminino. Parece 
que 08 indígenas fazem doeste tenr/> 
o plural de Ui. 

Uite, V. diminuir. 

Uite, 8. bagatella. 

Uite, a. acanhado, diminuto, fraco, pe- 
queno. 

Uite, adv, pouco. 

Uite deite, cuiv. al^m tanto. 

Uite *bak, adv. bem pouco, muito 
pouco 

Uite-ôan, «. tantinho. 

Uite-^an, adv. poucachinbo, poQqaií- 
simo. 

Uko, 8, nascimento. 

Uko, a. unido. 

Uktm, V. administrar, assenhorear-^e. 
castigar, commandar, corrigir, diri- 
gir, dominar, endereçar, goTeroar. 



ULU 



203 



UNA 



imperar, mandar, presidir, reger, re- 
gular, reinar, senhorear-se. 

Jknn, *. castigo, direcção, dominio, go- 
verno. 

Jkiin, a. dirigido, dominado, governado. 

[Jkuii-l)ã.luko, 8, punhado. 

Jkun-didiak, v. encarrilhar. 

Jktm-ladiak, v. desgovernar. 

Jkiin-ladiak, a, desgovernado. 

Jkiin-lae, s. desordem. 

Jkun-ró, v. marear. 

Jknr, s. affabilidade, cerimonia, cor- 
tesia, costume, estilo, etiqueta, me- 
sura, rapapé, saudação. 

Jlar, s. animal, animalejo, bicho, in- 
secto. 

Jlar-bárak, s. bicharia. 

Jlar-bote, s. bicharroco. 

Jlar-kfiilnko, s. lagosta de pêlo. Os 
indígenas referem- se a umas lagostas 
que são eriçadas como os nossos ou- 
riços. 

Jlar-kik, «. bichinho, verme. 

Jlar-mélQk, a. verme. 

Jlar-ten, s. cagadela. Este termo ô 
principalmente usado para significar 
as manchas que deixam as moscas. 

Jlo, 8. cabeça, cabeceim. 

Jlo anin, a. cabeça de vento, distra- 
hido. 

Jlo-fólion, 8. coruto, cucoruto. 

Jlo-horis, 8. cativo, prisioneiro. 

Jlo-kakulnko, s. cérebro. 

Jlo-kakútak, «. cérebro. 

Jlo-kalânko, a.«atordoado, cabeça ton- 
ta, estonteado. 

Jlo kmàmuko, s. cabeça oca, cabeça 
sem miolos, criatura sem juizo. 

Jlo-lailia, a. acephalo. 

Jlo-mamal, ». cachimonia, entendi- 
mento, memoria. 

Jlo moras, a, dores de cabeça. 

Jlo-mútin, 8, cans. Isto é, ter a cabeça 
branca. 

Jlo-mútin, a, encanecido. 

Jlo-ruin, «. casco, crânio. 

Jlo-témek, r. encalvecer. 

Jlo-tômek, 8. calva, careca. 

Jlo-temek, a. calvo. 

Jlo-tós» 8, memoria de gallo. 

Jlo-tós, a. estúpido, rude. 

Jluko, V. adeantar, começar, estrear, 
preceder. 

Jluko, 8. causa, começo, deanteira, es- 
treia, exórdio, origem, nascimento, 
principio, proenlio, prologo, rudimen- 
to. 

Ulnko, a. antecedente, anterior, anti- 



go, preliminar, prévio, primeiro, pri- 
mitivo, píimo, principal, principio, 
pristimo. 

Ulnko, adv. adeante, antes, antemão, 
anteriormente, avante, de antemão, 
d^antes, primeiramente. 

Uluko-lailia, a. sempiterno. 

Ulnko nétin, adv. a primeira vez. 

Ulnn, 8. cabeça, cabo chefe, matriz, 
nascimento, presidente, primazia, pri- 
meiro, principal, reitor, superior. 

Ulnn, a. principal. 

Ulun-kakntak, 8. meolos. 

Ulun-laek, a. descabeçado. 

Ulun-mólek, 8. careca. 

Ulnr, 8. principaes. Um dos pluraes 
feito pelos indígenas. 

Uln-tós, 8. cabeça dura, cabeça romba. 

Uma, 8. aposento, barraca, casa, domi- 
cilio, estabelecimento, gasalhado, ha- 
bitação, mansão, morada, residência, 
vivenda. 

Uma-abukina, 8. teia de aranha. 

Uma-anôrin, 8. academia, aula, escola. 

Uma-bote, 8. palácio. 

Uma-f&tnko, «. casa (de pedra e cal 
coberta de telha) edifício. 

Umak, a. caseiro. 

Uma-kakuluko, 8, telhado, tecto. 

Umakaln, 8. amiga, concubina. 

Umakeke, 8, alpendre. 

Uma-kik, 8. casebre. 

Umakléiran, 8. familia. 

Uma-knànak, «. abobada, tecto das ca- 
sas indígenas. 

Umakreda, 8, igreja, santuário, templo 
(quando pertencente á religião ca- 
tholica). 

Umakreda-kik, «. ermida. 

Umakreda-ôan, 8. capella. 

Umakreda-oln, 8. frontaria, frontispí- 
cio (de templo catholico). 

Uma-làran, 8. familiar, mãe de fami- 
lia, mulher casada. 

Uma-naln, 8. amo, dono de casa, pa- 
trão. 

Umar-nakúknn, «. cadeia, cárcere, casa 
escura, prisão. 

Uma-nia, a. domestico, familiar. 

Uma-oin, 8. frontaria. 

Uma-rôban, «. ponta da casa. Osindi- 
genas empregam esta expressão, ou a 
seguinte, quando falam do fecho su- 
perior dos telhados de folha de pal- 
meira. 

Uma-tútnn, 8. pináculo. 

Un, 8, planta. 

Unar, ». âmago, cerne, meolo. 



LSS 



204 



IXT 



Unbà, 8. engodo, isca ^de pesca). 

Undòr, f. recuar. 

Undôr, a. recuado. 

Undur, v. comparecer. 

Unnko, v. vestir. 

UnukOy 8. roupa, vestidos. 

Ussar, 8. umbigo. 

Ussi, 8. dom. Tratamento que se di aos 

régulos; também os indígenas lhe dfto 

o significado de «condão». 
Ussik, «. tiro. 
Ussik sala, v, errar tiro. 
UsBÔr, 8. umbigo. 



Ussnko, ê, esteio. Os paus de ambo: 
lados que sustentam as casas 
genaS; e sobre os quaes fica estável 
toda a armação em que se firmam o» 
telhados. 

Uti, 8. aguilhão, ferrão, órgão genital 
masculino, penis. 

Uto, 8. piolho. 

Uto-tôlnn, 8. lêndea. 

Uttiko, adv. antes. 

Uú, 8. tubarão. 

Utiko, 8. nascimento. 

Uúto, 8. farinha, farelo. 



ADDENDA 



belak, v. achatar, 
bitak, 17. achatar, 
dia, V. aceommodar. 

[A.faak, v. juntar. 

Afalak, V. espreitar. 

Ahi-lilin, 8. vela. 

Áhôuko, a. vontade. 

Ailakan, *<. flama. 

Akaás, a. esticado, tezo. 

Akadik, a. brincalhão. 

Akaik, a. probidade. 

Akarak, «. desejo. 

Akate, v. reprehender. 

Akfuik, V. «ssobiar. 

Akleuko, V. retardar. 

Akolite, V. rodar. 

Ali, V. urdir. 

Alolon, 8. questão. 

Aman-uain, 8. tio. 

Ametànko, a. terror. 

Amidal, V. adoçar. 

Amitik, 8. desmaio. 

Anbà, 8. isca. Também quer dizer qua- 
tro, do uso malaio, mas vae caindo em 
desuso. 

Anéssan, v. igualar, parecer-se. 

Anin diak, 8. bonança. 

Auk, pron. pe8. eu. 



Babérak, «. deliberação. 

B abula, a. amarrotado. 

Baha, v. acompanhar. Este termo é 
usado. na contra-costa, e principal- 
mente nas montanhas. 

Basso, 8. anciã, anciedade. 

Be-Ina, «. poço. 

Bessi, 8. corrente. 

Boloi, V. chamar. 

Budú, 8. conserva. 

Buka, 8. mudança. 

Bula, 8. passeio. 



D&da-tiain, a. frequente. 
Daln, a. nativo, natural. 



Dore, a. enviaeado. 
Doms, V. esfregar. 
Dôu, 8. pombo. 
Duka, V, jogar. 
Dtissl, 8, dúzia. 



Ema-dada, 8. gaia. , 
Ema-lietan, a. herdeiro 
Ema-kmaos, a. millionario. 
Ema-metan, a. africano. 
Ema-óho, a. assassino. 



Faflmoa, 8. ííinda. 

Faha, v. dividir. 

Fali, V. repetir. 

Fatin-a&te, a. precipício. 

Fen, 8. cunhada, cunhado. 

Fetik, V. palpitar. ^ 

Fier, 8. reputação. 

Fihan, 8. pianicie. 

Filiir, V, examinar. 

Fila-fila, V. bordejar. 

Fila-mai, v. bordejar. 

Fó-hanôin, v. recordar-se. 

Fó-haris, v banhar, dar banho. 

Folin, 8, frete. 

Fonan, 8. folhas. Um dos pluraes feito 

pelos indígenas. 
Furi, V. semear. 
Futo, adv, igual. 
Futos, V. tingir. / 



Hababute, v. amotinar, fazer desor- 
dem. 
Habadak, v. abreviar, encurtar. 
Habadak, 8. abreviatura. 
Habarak, v. aumentar, multiplicar. 
Habokal, v. engordar, engrossar. 
Haboto, V. enredar, intrigar, mexiricar. 
Habutlk, V. lutar. 
Hadak, 8. leito. 
Hadame, v. apaziguar, fazer paz. 



206 



Hadaur, v, festejar. 
Hadel, v. acordar. 
Hadera, a. vingança. 
Haderak, v. inclinar. 
Haderak, s. inclinaçSlo. 
Hadomi, v. amar. 
Hadomi, 8. amor, sympathia. 
Hae-foin, prep, depois. 
Haek, a. pouco. 
Hafuhan, s. espião. 
Hafútar, v vestir. 
Hahalak, s. obra. 
Hahalok, v, obrar. 
Hakabak, v, conceber, emprenhar. 
HakaMk, v. deter, impedir. 
Hakaik, v. defender, prohibir. 
Hakaik, s. intenção, negação. 
Hakaik, a. prohibido. 
Hakalik, v. negar. 
Hakanek, a. ferido. 
Hakate, v. castigar, reprehender. 
Hakate, a. castigado. 
Hakaul, v, mesclar, misturar. 
Hakleuko, v. retardar. 
Haklolite, v. rodar. 
Hakmatek, v. firmar. 
Haknar, v, varrer. 
Haknean, v. ajoelhar. 
Hakoak, v. abraçar. 
|Hakook, v. abraçar. 
Hakoron, v. gargarejar. 
Hakoto, V. decidir. 
Hakrae, v. bramar. 
Hakraik, v. abaixar. 
Hakili, V. aborrecer, enjoar. 
Haksei, v. murmurar. 
Haksó, V. pizar. 
Haksoite, v. saltar. 
Haksnmik, a. escondido. 
Haktilak, v. lutar. 
Haknhuko, v. curvar-se. 
Hakúhnko, a. curvado. 
Halai-bà, v. correr. 
Halalemo, v. liquidar. 
Hale, V. urdir. 
Halele, v. diffamar. 
Halo-diak, s. propriedade. 
Halo-lialote, v. preparar. 
Halo-kfoer, v. emporcalhar-se. 
Halo-ktuir, v. incitar. 
Halo-kuda, v. transplantar. 
Halo-tinan, s. anniversario. 
Halo-tito, V. deter. 
Hamahn, v. contar. 
Hamenâuko, v. roubar. 
Hamenassa, v. alegrar-se, rir, sorrir. 
Hamissaly v. lutar. 
Hamoe, v. escarnecer. 



Homolan, v, engulir. 

Hamôute, r. submergir, 

Hâmutnko, v. coUeccionar. 

Hanai, v. atirar. 

Hananun, v. estudar. 

Handi, v, visitar. 

Hanetik, v. impedir, interdizer. 

Hankan/«. inveja. 

Haoôin, V. amar. 

Hanôin, s. amor. 

HaaLtâ.tiko, s. medo. 

Hantàuko, a. medroso. 

Harani, v. pausar. 

Haré, v. ver. 

Haré, s. vista. 

Har^los, v. distinguir, examinar. 

Haró-lós, s, distincçâo. 

Hamoa, v. commandar, governar. 

Ha-sae, v. abulir. 

Hassai-lioiissi, t;. livrar. 

Hassan-rahim, s. pêra. 

H as sara, v. escarnecer, zombar. 

Hassoi, V. cantar. 

Hassôro, v. encantar. 

Hatadsji, a. maculado. 

Hat ali, r. ligar. Este termo parece ser 
introduzido por português, da expres 
são «ata alli». 

Hatame, v. recolher. 

Hatan, v. impedir^ responder. 

Hatodan, v. carregar. 

Hatudo, 8. representação. 

Han-né, v. fundir. 

Han-nôn, v. fundir. 

Hena-mútin, s. toalha. 

Hessi, V. conduzir, guiar. 

Hetan, s. herança. 

Hiak, V. ter. Muito antiquado e que 
vae perdendo o uso mesmo nas mon- 
tanhas. 

Hikas, V. arrepender-se. 

Hilas, 8. retrato. 

Hossi, jyrep. por. 

Hussik-séitin, s. ancoradouro. 

Hussn, V. entregar. 



lan, 8. separação, 
lis, 8. hálito. 
Iknaar, 8. tear. 
Issin-moak, a. moreno. 



Kadessan, s, cinza. 
Kakele, s. leque. 



207 



alena, 8. de co&tas. 

ar, a. avarento. 
Kô, V. cultura. 
Keé, adv. sim. 
Kessan, s. borralho. 
Ketan, v. obter. 
Keta-uai, a, grilo. 
Kfurak, s. paladar. 
Kinino, s. quinino. 
Kissik, V, borrifar. 
Kles, 8. planicie. 
Klosse, a. adulescente. 
Kmôuko, a. destituído. 
Knanàk, 8. aboboda, tecto. 
Koak, 8. caverna, cavidade, 
Koana, a. amoroso, carinhoso. 
Kolie, 8, bolsa, saco. 
Koilabó, V. agatanhar. 
Komis, 8. crinas. 
Kotan, 8» tranqueiras. 
Kotis, s. seio. 
Knno, 8. montanha. 



Lahili, 8. antídoto 
Laik, adv. ainda. 
Lak, c. folha. 
Lakan, v. perder. 
Lalean, s. ceu. < 

Lalemo, v. liquidar. 
Lanbô, v. lamber. 
Liman-sikun, s. cotovello. 
Idur, adv. externo, 
liiurai-ôan, s, príncipe. 
Lokon, 8. soberba. 
Lorl, V. transportar. 
Loro-krai, adv. tarde. 
Loro-nali, s. dia nublado. 
Luri, 8. cesto. 

iso: 

Malas, 8. betei. 
Mini, V. ourinar. 
Mota-kik, 8. riacho, ribeiro. 
Moti, V. secar. 
Massônko, 8. segredo. 



. 3Sr 

Nakdaite, 8. relâmpago. 
Nakerek, 8. tinta. 
Namokok, «. face. 
Nanéssan, a. direito. 
Nanklatar, «. inflamação. 
Nanoko, 8. segredo. 
Neô duni, pron. esta. 
Neéte, pron. aquella. 
Nilian, 8. dente. 
Noon, 8. pensamento. 



Oliar, s pequenez. 
Okulite, a. pilado. 



Kala, 8. fuga. 
Rala, a. fugido. 
Kihik, V. chuviscar. 



Sabo, 8. bulha, som. 
Santi, V, levantar 
Sàruma, 8. casebre, palhota. 
Seln, V. mudar. 
Seluko, 8. adulterar. 
Seran, «. rego. 
Seru, V. mudar. 
Sikos, V. estreitar. 
Soin, V. soltar. 
Soite, adv. talves. 
Suma, V. chafurdar. 
Snno, 8. petróleo. 
Stinuko, 8. petróleo. 



Taba, 8. doença. 
Talaran, 8. intestino. 
Takuik, «, espinhaço. 



VOCABULÁRIO 



DE 



TETO. PORTUGUÊS E MALAIO 



Teto 


Português 


Malaio 


A! 


Ah! 


A! 




Aabé 


Depois 


Hansiur 




Aák 


Fallar 


Bissiara 




Aák 


Que 


Apa 




Aáte 


Atrevido 


Brani 




Aba 


Moléstia de pelle 


Kurta 




Ababute ' 


Investir 


Mengassute 




Abádak 


/Vbreviar 


Rengkaskan 




Aban 


Amanhã 


Bessók 




Abárak 


Multiplicar 


Bertanba 




Abáuko 


Criar 


Grhiaditan 




Abé 


Fundir 


Hadi ruma 


f 


Aben 


Dissolver 


Banassakan 




Abite 


Tenaz 


Sepit 




Abo 


Zurrar 


Bertuak 




Abokal 


Engrossar 


Menghissi 
Rendan 




Abokon 


Molhar 




Abokur 


Engordar 


Bergomo 




Abôssok 


Enganar 


Bohong 




Abôto 


Intrigar 


Sungut 




Abukina 


Aranha 


Labu-laba 




Abutik 


Lutar 


Bertengkar 


• 


Abuto 


Raiz 


Akar 




Adahur 


Festejar 


Ber-suka 




Adak 


Banco 


Bang-ku 




Adame 


Paz 


^alan 




Adão 


Arrebatar 


Pete 




Adé! 


Eia! 


Adohi ! 




Adel 


Acordar 


Ledar 




Adera 


Vingança 


Tungo 




Adia 


Acomodar 


Bakia 




Adiak 


Acomodar 


Bakia 




Ado ! 


Ai! 


Ado! 




Adomi 


Simpatisar 


Ber-insat 




Adual 


Estravasar 


Tunpa-kan 




Aék 


Pouco 


Kessil 




Afaá 


Arrancar 


Pete 




Afali 


Frequentar 


Ber-selalu 




Afia 


Ópio 


Afiún 





14 



210 



Teto 


Poitagfuêt 


, MaUio 

1 




Afobo 


1 

Traficar 


' Tukar 




Afokar 


Queimar 


Ber-api 




Afula 


' Espreitar 


Peluk 




Afulak 


1 Espreitar 


Felok 




Afutar 


1 Vestir 


Pukei-kain 




Ahak 


1 Fallar 


Bissiaia 




Ahan 


Alimento 


Makan 




Ahei 


' Gemer 


Didalan 




Ahi 


Fogo 


Api 




Ahi 


Las 


Trang 




Ahi b<m 


i Fomegar 


Ber-arap 




Ahi-dubun 


Chama 


Niala 




Ahi-kadésaan 


Ciosa 


Habo 




Ahi-késsan 


Borralho 


Habu 




Ahi-klak 


Brasa 


Bara-api 




Ahi-klólon 


Forno 


Arap 




Ahi-lakan 


Fiam ma 


Magnala 




Ahi-lilin 


Vela 


Tâlin 




Ahi-snal 


Fumegar 


Ber-arap 




Ahi-toi 


Fuzil 


Senapang 




Ahôuko 


Vontade 


Kapkndak 




Ahú 


Cal 


Kapur 




Ai 


Arvore 


Pohon 




Aiabo 


Névoa 


Kabus 




Ai-balun 


Caixa 


Peti 




Ai-ben 


Goma 


Gussi 




Ai-dila 


Papaia 


Kiki-bite 




Aidttda 


Ajuda 


Telorg 




Aifúan 


Pomo 


Bera-apel 




Aifúnan 


Flpr 


Bunga 




Aihan 


Alimentar 


Makan 




Aikabelak 


Taboa 


Rain 




Aiklalolok 


Vara 


Grodi 




Ai-kuados 


Cunha 


Baghi 




Aikuanoik 


Fabula 


Sikríta 




Ai-kuda 


Balisa 


Rabun 




Ai-kulite 


Cortiça 


Kulit-kaio 




Ai-kúnak 


Rama 


Daán 




Ai-koBsan 
Ai-lakan 


Prego de madeira ^ 
Flama 


Pa^ papan 
Magnala 




Ailaran-alas 


Arvoredo 


Hutan 




Ailaran-métin 


Floresta 


Rinba 




Aimanas 


Pimenta 


Assier 




Ai-meik 


Cunha 


Baghi 




Ai-meik 


Garfo 


Garpu 




Ai-mórako 


Remédio 


Penauar 




Ain 


Base 


Hain 




Ain 


Perna 


Kaki 




Ai-naruko 


Madeiro 


Tonkat 




Ain-fatin 


Sapato 


i^pato 




Ain-lani 


Calcanhar 


Tumit 




Ain-tuban 


Calcanhar 


Tumit 




Ain-tur 


Joelho 


Lalut 





\ 



211 



Teto 


PortQfafift 


Malaio 


Aio! 


Hai! 


Aii! 


Ai-ri 


ColumDa 


Tiang-bata 


Ai-rin 


Esteio 


Kain 


Ai-sának 


Ramagem 


Siaban 


Ai-sassoko 


Garfo 


Garfo ^ 


Ai-sako 


«arfo 


Garpu 


Ai-táhaa 


Remédio 


Penauar 


Ai-uén 


Goma 


Gussi 


Ai-aén 


Leite 


Sussu 


Aka 


Folha 


Daun-caiu 


Akádik 


Brincar 


Ber-suka 


Akaik 


Probidade 


Haran 


Akal 


Sagú 


Sagú 


Akan 


Inveja 


Ganti 


Akárak 


Desejar 


Men-inghin 


Akárak 


Querer 


Anda 


Akate 


Reprebender 


Haru-bara 


Akbedako 


Arredar 


Putarkan 


Akbes 


Sacudir 


Gansiang 


Aké 


Separar 


Kenal 


Akérek 


Escrever 


Tulis-ganbar 


Akíilak 


Falsidade 


Aniaia 


Akfudik 


Dissimular 


Kinsiu 


Akfuik 


Assobiar 


Bersiol 


Akilar 


Gritar 


Teriak 


Akladik 


Limpar 


Basso 


Aklaken - 


Aclarar 


MeBg>adu 


Aklêuko 


Retardar 


Tango 


Akliki 


Tremular 


Naik 


Aklolite 


Rodar 


Gheleng 


Akmamuko 


Esvasiar 


Sapu 


Akmatek 


Tranquilo 


Dian 


Akmó 


Escolher 


Pili 


Aknan 


Mastigar 


Mamo 


Aknar 


Varrer 


Sapu 


Akoak 


Abraçar * 


Dakap 


Akraik 


Abaixar 


Punduk 


Akribi 


Enjoar 


Ussip 


Akridak 


Sobresaltar 


Tang-kap 


Akró 


Pisar 


Tunbi 


Akanko 


Adorar 


Mengani 


Akseék 


Batuque 


Batanda 


Aksólak 


Consolar 


Karang 


Aksubal 


Esconder 


Sen-bussi 


Aksumík 


Encobrir 


Tudong 


Alai 


Afastar 


Putarl^ 


Alas 


Espesso 


Krop-kali 


Alele 


Difamar 


Lungut 


Alia 


Publicar 


Meniatakan 


Alin 


Irmão 


Adek 


Alin-feto 


Irmã 


Adek-praupua 


Alôlon 


Questão 


' Porgado-an , 


Alossá 


Porque 


Kan-apa 



212 



Teto 



Alumuto 

Amak 

Aman 

Aman-ikun 

Amaii-^ak 

Aman-uaik 

Aman-aain 

Amenassa 

Amenassa 

Ameno 

Amerok 

Ametáuko 

Ami 

Amidal 

Ami-nia 

Amitik 

Amolik 

An 

Anbá 

Anfian 

Anin 

Anin 

Anin-bote 

Anin-dadura 

Anin-diak 

Anin-iha 

Anin-náin 

Aré 

Aré-didiak 

Areia ! 

Ari 

Aris 

Aroka 

Arui ! 

Aruka 

Aruka 

As 

Assae 

Assak 

Assan 

Assara 

Assáun 

Asso 

Aesôro 

Aseuain 

Assuaten 

Ata 

Ata 

Ata-feto 

Ata-folin 

Aten 

Aten 

Atene 



Portngnfts 



Azul 
Incerto 
Pae 

Tio mais novo 
Avô 

Tio mais velho 
Tio 

Alegria 
Recrear- se 
Aprazar 
Sede 
Terror 
Kós 
Adoçar 
Nosso 
Desmaio 
Limpeza 
Manhã 

Isca (de pesca) 
Ópio 
Ar 

VBnto 
Fui-acão 
Vendaval 
Bonança 
Ventar 
Ventania 
Ver 

Ter cuidado 
Irra! 
Esfregar 
Banho 
Facto 
Eia! 
Mandar 
Ordehar 
Grandeza 
Abolir 
Abrir 
Barba 
Caçoar 
Descascar 
Cão 

Encontrar 
Heroe 
Roxo 
Escravo 
Creado 
Creada 
Escravatura 
- Fígado 
Pulmão 
Entender 



Malaio 



Bissu 
Ta-tendu 
Bapa 

Pêra nakan 
Tok-laki 
Bapa-sudara 
Bapa 

Kanuka-ang 
Ber-Boka 
Hari-raghia 
Dagha 
Kata-kutan 
Kami 
Per-gulan 
Kita-punia 
Passan 
Bagusae 
Essok 
Um pan 
Afiun 
An-hin 
Udara 
^Ribut 
Tnfan 
Tedo 

Kipas-kan 
Udara 
Lihat 
laga-kaite 
Dengar ! 
Gossok 
Mandi 
Bnang-kali 
Pighi ! 
Hantar 
Suro 
Tinghi 
Buang 
Bnka 
Ghiantong 
Tetaua 
Per-lighi 
Anping 
Dapat 
Brani 
Mera 
Hanbá 
Sapada 
Ghínak 
Habdi 
Ati 

Puparo 
Atener 



213 



Teto 


Português 


MaUio 


Ateten 


Fallar 


Bissiara 


Ateten-abutuko 


Fallar baixo 


Ber-bissek 


Ateten-mnmuko 


Fallar baixo 


Ber-bi8sek 


Ato 


Quasi 


Dekat 


Atok 


Para 


Pada 


Ates 


C«m 


Saratos 


Atos-rua 


Dazentos 


Du>ft ratos 


Atada 


Guerra 


Prang 


Atun 


Abaixar 


Tunduk 


Au 


Bambu 


Buiu 


Aúk 


Eu 


Aku 


Aú-láran 


Bambual 


Bulu-banha 


Bá 


Ir 


Menghiadi 


Baba 


Tambor 


Ghendoug 


Babilan 


Cozer 


Massa 


Babôras 


Carangueijo 


Restong 


Babual-loto 


Melão 


Mendikei 


Babuar 


Melancia 


Pateka 


Babar 


Fontes (na testa) 


Pelipiran 
Bonba 


Babarite 


Seringa 


Badain 


Arte 


Elmu 


Badain 


Engenhoso 


Pandei 


Badain 


Génio 


Ak^al-budi 


Badain 


Hábil 


Buli 


Badain 


Industrioso 


Raghin 


Badain 


Intelligente 


Ber-budi 


Badak 


Breve 


Btiniaka 


Badak 


Curto 


Pandak 


Badame 


Pacificar 


Ber-hantu 


Badan 


Comparar 


Bading-kan 


Badinas 


Diligente 


Baghin 


Ba-íila fila 


Frequente 


Krop-kali 


Baba 


Acompanhar 
Quando 


Ber-sama 


Bai-hira 


Apa-bila 


Rako 


Bater 


Pahi 


Bako 


Castigar 


Menieksa 


Bako 


Castigo 


Laksa 


Balabu 


Procurar 


Buka 


Balahuko 


Azul 


Bissu 


Balauko 


Gritar 


Bersorak 


Bálaun 


Rumor 


Gomig 


Bali 


Curar 


Peduli 


Balin 


Mudança 


Melinat 


Baliun 


Machado 


Bansi 


Baluko 


Bocado 


Sidikit 


Baluko-ôan 


Quinhão 


Sakrat 


Bálun 


Lado 


Pingang 


Bálun 


Outro 


Lain 


Balun neé 


Outro que tal 


Baghini 


Banati 


Amostra 


Banati 


Banati 


Modelo 


Dahulo 



214 



Teto 



Portafaês 



Malaio 



Bani 

Bani-beD 

Baniu 

Banin-feto 

Ba-ona 

Barak 

Barak 

Barak-Iia 

BÃrak-liu 

Bárok 

Bárok 

Barok-ten 

Barok-ten 

Ba-Bá 

Basear 

Bassonahas 

Batanda 

Batar 

Batar-kain 

Bauio 

Baur 

Bé 

Beibeik 

Beik 

Beik 

Beik 

Beik 

Beis 

Belar 

Bele 

Bele-mate 

Be-liman 

Belo 

Belo 

Belo mane 

Belua 

Bé massin 

Bé-matan 

Bé-mer 

Bé mutan 

Bé nahissi 

Bé nahÍ88Í 

Bé nalium 

Bessi 

Bessi 

Be88Í-ahi 

Bessik 

Befisik 

Bessik 

Bessi-kussan 

Bessi-tanutuko 

BiatOB 

Bibi 



Abelha 

Mel 

Sogro 

Sogra 

Vae-te 

Assas 

Muito 

Demais 

Infenidade 

Indolente 

Inerte 

Negligente 

Preguiçoso 

Porque 

Mercado 

Já 

Dansa (do pais) 

Milho 

Bracelete 

Torcida 

Arcoiris 

Agua 

Sempre 

Boçal 

Bruto 

Ignorante 

Rude 

Perto 

Largo 

Poder 

Mortal 

Canal 

Amigo 

Lamber 

Amigo 

Poço 

Agua salgada 

Fonte 

Agua salgada 

Poço 

Gelado 

Gelo 

Lago 

Corrente 

Ferro 

Fuzil 

Perto 

Próximo 

Visinho 

Prego 

Martello 

Orfâo 

Borrego 



Bani 

Madn 

Manta 

Mantu-pranpna 

Perghi 

Sanga 

Banha 

Telalu 

Tarba-niak 

Malas 

Alpa 

Lalai 

Pegniagan 

BuTon 

Passar 

Siap 

Batanda 

Batar 

Gla-tangan 

Luubu 

Plan-ghi 

Aier 

Salalu 

Sa-keping 

Bttdo 

Dungu 

Kassar 

Dekat 

Lebar 

Buli 

Tena 

Parit 

Kanan 

Menghilat 

Sa-habat 

Prighi 

Aier massin 

Mata aier 

Aier massin 

Préghi 

Baku 

Aier-batu 

Danao 

Harrus 

Bissi 

Senapang 

Dékat 

Di-sablas 

Hanpir 

Pakei 

Pumukol 

Piatu 

Anak-biri 



215 



Teto 


Português 


MalAio 


Bibi-inan 


Cabra 


Kanbíng 


Bibi-malai 


Ovelha 


Bibi-biri 


Bibi-ôan 


Cabrito 


Anak-kanbing 


Bidin 


Castiçal 


Kaki-dian 


Bido 


Bailar 


Bola 


Biite 


Bravo 


Brani 


Biite 


Poder 


Buli 


Biite 


Violeuto 


M a adang 


Bikan 


Prato 


Pingan 


Bikan-kik 


Pires 


Piring 


Bilan 


Cozer 


Massa 


BÍD 


Irmã mais velha 


Kaka 


Bin-alin 


Irmã mais nova 


A4é pranpua 


Bi8eék 


Menos 


Kuran 


Biti 


Esteira 


Tikar 


Boek 


Camarão 


Udan gragan 


Bokon 


Húmido 


Leng-bap 


Bokon 


Molhado 


Batrassa 


Bokur 


Gordura 


Gomo 


Bolo 


Chamar 


Han-ghit 


Bolo-tene 


Convidar 


Minta 


Bóssok 


Enganar 


Kissiu 


Bóssok 


Impostor 


Penbo-hong 


Bóssok 


Mentir 


Bohong 


Bote 


Encorpado 


Bessa 


Bote 


Grande 


Tinghi 


Bote 


Grandioso 


Bessar 


Bote-liu 


Immenso 


Maha-bessar 


Boa 


Montão 


Tanbun 


Buank 


Magia 


Uemata 


Buate 


Cousa 


Apaka 


Buate-aáte 


Desgraça 


Ghia-at 


Buate-aáte 


Mal . 


Bahia 


Buate -suli 


Liquido 


Siaer 


Buate-taka 


Veu 


Kain-klanbu 


Bubo 


Inchado 


Baghi 


Bubo 


Inchar 


Bunka 


Buis 


Selvagem 


Buas 


Buka 


Examinar 


Preksa 


Buka 


Procurar 


Buka 


Bukal 


Nó 


Sinpul 


Bula • 


Passear 


Ghialan 


Bulak 


Loucura 


Ka-bodoan 


Buli 


Veneno 


Rassiun 


Bussa 


Gato 


Kui^sin 


Bussa-inan 


Gata 


Kussin-betina 


Bussa-ôan 


Gatinho 


Anak-kussin 


Butan 


Botão 


Butang 


Biiti-liman 


Bracelete 


Glang 


Dabur 


Cozinha 


Dapôr 


Dada 


Arrastar 


Tarit 



216 



Teto 



Portognès 



Mal Aio 



Dada 

Dada-ii8 

Dada-uáiu 

Dadel 

Dadul 

Dadul-fatin 

Daete 

Daia 

Dalan 

Dalan-badak 

Dalan laek 

Dala-uáin 

Dame 

Dardon 

Daren 

Dassin 

Dasein-fúan 

Dáun 

Dehan 

Dehan-daáte 

Dehan- sae 

Deite 

Deite 

Den 

Derak 

Derok 

Dêute 

Dêuto 

Diak 

Diak-liu 

Diak-ôna 

Didin 

Dídin-bote 

Diin 

Dikal 

Dila 

Dimen 

Dindan 

Diu 

Doben 

Doben 

Dôko 

Dolen 

Donbio 

Doók 

Dorus 

Dou 

Douk-ulo 

Dudo 

Dudo 

Duis 

Duka 

Duka 



Guiar 

Respirar 

Freauente 

ManhS 

Prezo 

Prizío 

Contagio 

Parteira 

Caminho 

Vereda 

Estrada 

Frequência 

Paz 

Chaleira 

Crista 

Balança 

Pezo 

Agulha 

Dizer 

Interceder 

Accusar 

Somente 

Luz 

Emigrar 

Limão 

Lavai* 

Moer 

Bom 

Magnifico 

Basta 

Parede 

Muralha 

Margem 

Corno 

Papaia 

Lança 

Jejum 

Carangueijo 

Amor 

Caro 

Cobrir 

Medula 

Artéria 

Longe 

Esfregar 

Pombo 

Ameaçar 

Empurrar 

Esfregar 

Juízo 

Jogar 

Jogo 



Pinpin 

Menapas 

S«lalu 

Paghi 

Harga 

Ghiel 

Berghianki 

Bidan 

Ghiaban 

Galan-gan 

8ada-príçhi 

Rrop-kah 

Danrai 

Tanpa 

Tassaliat 

Dadin 

Piknlan 

Ghiamn 

Pertuto 

Talon-bissiara 

Dana 

Sindiri 

Sa-paghía 

Trang 

Ponda 

Liman-kapas 

Siussi 

Kissar 

Bagusse 

Mulia 

Sndak 

Tenho 

Tenho 

Tepi-bihi 

Tandok 

Papua 

Lenbing 

Puassa 

Kaku 

Mengassi 

Kakassian 

Tudong 

Ota-tulang 

Urat-dara 

Huda pighi 

Gossok 

Punei 

Ugut 

Tola 

Gossok 

Budi-bissiara 

Berghidi 

Tebal 



217 



Teto 


Português 


Malaio 


Dukul ^ 


Dormir 


Tidor 


Dnkal 


Somno 


Saia 


Dulas 


Torcer 


Pulas 


Dulur 


Sócio 


Kong-BÍ 


Dunitan 


Porque 


Kan-apa 


Duramento 


Juramento 


Sunpa 


Daro-bassa 


Interprete 


Knxi harti 


Ousai 


Dúzia 


Lossen 


Duúto-maran 


Palha 


Miráng 


Eék 


Sim 


U 


£ma-aiduda 


Ajudante > 


Bidan 


Ema-dada 


Guia 


Pandu 


Ema-fánun 


Guerreiro 


Hulu-bolang 


Ema-hakerek 


Escrivão 


Krassi 


Ema-hetan. 


Herdeiro 


Uaris . « 


Ema-klo 


Gigante 


Raksaka 

^1 


Ema-kmaos 


Milionário 


AÍen-baiki 


Ema-mate 


Cadáver 


Maiat 


Ema-métan 


Africano 


Kafri 


Ema-moras 


Enfermo 


Sakit 


Ema-oho 


Assassino 


Penbono 


Ema-ro 


Marinheiro 


Anak-prau 


Ema-sadia 


Misericordioso 


Ra-mat 


Emi 


Vós 


Tuan 


Emi-nia 


Vosso 


Ankau-punia 


• 

Faán 


Vender 


Ghinal 


Faha 


Dividir • 


Pontong 


Faha 


Proclamar » 


Menia-takan 


Fahe 


Dividir 


Ba-baghi 


Fahe-lia 


Decidir 


Tentukan 


Fahi 


Porco (animal) 


Bali 


Fahí-inan 


Porca 


Bali-betina 


Fai 


Procurar 


Preksa 


Fali 


Repetir 


Bilang-lighi 


Faluko 


Viuvo 


Ghianka-laki 


Faluko-feto 


Viuva 


Ghianka-pranpua 


Falun 


Embrulhar 


Kussot 


Fanin 


Espirrar • 


Bersin 


Fanun 


Acordar . 


Sedar 


Faro-liman 


Manga 


Tanga-kighi 


Fasse 


Lavar 


Basso 


Fasse-fátin 


Lavadouro 


Dobi 


Fatik 


Cama 


Tenpat 


Fatin 


Assento 


Bang-ku 


Fatin 


Destino 


Nassib 


Fatin-aáte 


Precipicio 


Terghial 


Fatin-tós 


Granito 


Batu-ubin 


Fatuko 


Pedra 


Batu 


Fatuko-úlan 


Rochedo 


Pulo-batu 



218 



Teto 



Porta g«ès 



MaUio 



Fata-sáun 

Fekite 

Fen 

Fen 

Fen 

Fera 

Fetik 

Feto 

Feto fôun 

Feto-kaik 

Feton 

Fetorá 

Fiélas 

Fier 

Fier 

Fihan 

Fihir 

Fihir 

Fila 

Fila 

Fila-fila 

Fila-raai 

Finin 

Rnta 

Fitai 

Fó 

Fó 

Fo-biite 

Fó-boto 

Foen 

Fohan 

Fohan 

Fo-hanôin 

Fo-harÍ8 

Fo-haten 

Foho 

Foho 

Fohon 

FÔbon 

Fobo-ôan 

FÔin 

Fo-kik 

Folaa 

Folia 

Folin 

Folin 

Folin 

Folin-todan 

Fo-lós 

Fo-mai 

Fo mai neé bé 

Fo moe 

Fosse r 



Ancora 

Latejar 

Canhada 

Cnnhado 

Esposa 

Destruir 

Palpitar 

Malner 

Nora 

Prostituta 

Irmã 

Virgem 

Fivela 

Crer 

Reputação 

Planície 

Escolher 

Examinar 

Converter 

Voltar 

Bordejar 

Bordejar 

Semente 

Contribuivâo 

Estrella 

Dar 

Emprestar 

Alimentar 

Votar 

Cunhada 

Manter 

Nutrir 

Recordar- se 

Banhar 

Communicar 

Montanha 

Monte 

Acima 

Sobre 

Outeiro 

De novo 

Montinho 

Engulir 

Empenhar 

Frete 

Preço 

Valor 

Preço caro 

Prometter 

Dá-me 

Dá-me aquillo 

Escarnecer 

Curto 



Sái^ 

Sipit 

Ipar-praupua 

Ipar-íaki 

Bissu 

Bossak 

Siubit 

Pranpua 

Menantu 

Ghialang 

Sndara 

Gadis 

Kokot 

Persiaia 

Nama 

Maidan 

Pili 

Preksa 

Maala-kan 

Balik 

Relok 

Relok 

Beni 

Ulti 

Builan 

Tauar 

Pingian 

Pli' arakan 

Kossong 

Ipar pranpua 

Dian 

Pli-arakan 

Ingat 

Mandi 

Bri-tan 

Gunnng 

Bukit 

Ka-atas 

Diatas 

Bukit 

Kanbali 

Bussut 

Telan 

Gadir 

Tflnbagan 

Seua 

Harga 

Mahal 

Berghiang 

Kassi 

Kassi sarna sahia 

Tetaua 

Pendek 



219 



T«lo 



Pôakun 

Pó-ukun 

Foun 

Foun 

Paan 

Pudi 

Fui 

Fui-dada 

Puik 

Fakan 

Fulan 

Fulan 

Falan-fulan 

Fulan-ida 

Fulan-kalobas 

Fulan-linona 

Fulan-moris 

Fúlun 

Fúlun 

Fúnan 

Fúnun 

Fúnun 

Fúnun 

Farak 

Furi 

Furo 

Fússor 

Puto 

Futo 

Puto 

Futos 

Fuúko 

Fuúko 



Haábé. 

Haák 

Habadak 

Habauko 

Ha-bé 

Haben 

Habokon 

Hadak 

Hadau 

Hadau 

Hadel 

Hadera 

Hadia 

Hadiak 

Hadomi 

Hadomi 

Hadomi 

Hae 



Português 


Htlalo 


Castigar 


Meoicksa 


Dar castigo 


Aghier 


Fresco 


Bum 


Moderno 


Baharu » 


Coração 


Ghiantong 


Nitrir 


Harakan 


Flauta 


Surling 


Flauta 


Surling 


Bravo 


Gaia 


Nó 


Suipul 


Lua 


Bulan 


Mês 


Bulan 


Mensalmente 


Bulan-bulan 


Primeiro mês 


Bulan satu 


Eclipse de lua 


Gherama-bulan 


Mês passado 


Bulan suda 


Lua oova 


3ahari bulan 


Cabello 


Topi 


Penna 


Pen 


Flor 


Bunga 


Batalha 


Prang 


Combate 


Krumun 


Guerra 


Prang 


Gosto 


Rassa 


Semear 


Menahur 


Betei 


Siri 


Umbigo 


Pussat 


Igual 


Ghenap 


Apertar 


Tinde 


Ligar 


Ikat 


Tingir 


Selup 


Cabello 


Topi 


Pello 


Baubut 


Depois 


Di-blakang 


Falar 


Siakap 


Abreviar 


Reng-kaskan 


Crear 


Gbiadikan 


Fundir 


Hansiur 


Fundir 


Hansiur 


Molhar 


Rendan 


Leito 


Tenpat tidor 


Arrebatar 


Pete 


Extorquir 


Saúun 


Acordar 


Ledar 


Vingança 


Tungo 


Acommodar 


Bakia 


Conciliar 


Ussang 


Amar 


Mengassi 


Amor 


Berkassi 


Simpathia 


Insat 


Palha 


Gbierama 



220 



] 



Teto 


Portagnéa 


Malaio 


Hae-fôin 


Depois 


Di-blakang 


Hafolin 


Contratar 


Menauar 


Hafufaun 


EapiSo 


Solo 


Hafuimn 


Florescer 


Uontun 


Hafutar 


Vestir 


-Pakei-kain 


Hahalak 


Obra 


Kergia 


Hahalok 


Obrar 


Ber-kergia 


Hahi 


Engrandecer 


Ang^kat 


Hahissi 


Encher 


Mengissi 


Haku 


Começar 


Mulac 


Haknúko 


Balbuciar 


Bersorak 


Hakahik 


Deter 


Paog-kap 


Uakahik 


Impedir 


Sekat-kan 


Hakahik 


Interdizer 


Tlnga-kan 


Hakaik 


Defender 


Pang-kap 


Hakaik 


Intenção 


Maksur 


Hakaik 


Prohibido 


Haran 


Hakaik 


Prohibir 


Larang-kan 


Hakalik 


Negar 


Mnnku 


Hakanek 


Ferido 


Rina-lttka 


Hakanek 


Ferir 


Melukakan 


Hakarak 


Desejar 


Berkahandak 


Hakarak 


Desejo 


Ka-nighin 


Hakarak-halo 


Emprehender 


Brani 


Hakarak-liu 


Preferir 


Leba-suka 


Hakate 


Castigado 


Betul 


Hakate 


Reprehender 


Haruhara 


Hakdedal 


Tremer 


Ghementar 


Hakdalas 


Girar 


Putar 


Hakerek 


Escrever 


Tulis ganbar 


Hakerek 


Pintar 


Sapú siat 


Hakfahek 


Dividir 


Ba-haghi 


Hakfetik 


Latejar 


Siubit 


Hakfodak 


Surprehender 


Tan-kap 


Hakfuik 


Assobiar 


Bersiol 


Hakiak 


Criar 


Ghiaditan 


Hakilar 


Bramar 


Goring 


Hakilar 

• 


Gritar 


Menghesset 


Hakiêuko 


Retardar 


Tango 


Haklolót 


Rodar 


Goleng 


Hakmatek 


Firmar 


Tetap 


Haknahan 


Saquear 


Ranpassan 


Hak-nan 


Ruminar 


Mamo 


Haknar 


Varrer 


Sapu 


Hnknauko 


Contratar 


Tanar 


Haknean 


Ajoelhar 


Tundnk 


Haknian 


Ajoelhar 


Mulntuk 


Hakoak 


A braçar 


Dakap 


Hakoi 


Esconder 


Sen bussi 


Hakoin 


Segredo 


Liat 


Hakouo 


Encher 


Menghissi 


Hakoók 


Abraçar 


Dakap 


Hakoron 


Gargarejar 


Mendide 



221 



Tete 



iakoto 

iakrae 

iakrak 

lakraik 

lakribi 

iaksei 

laksiak 

iaksó 

ilaksoite 

laksubal 

laksumik 

laksumik 

rlaktuir 

ilaktuir 

Saktuir 

flakuhuko 

ílakuhuko 

9ala 

Halai 

Halai-bá 

aalai-bá ♦ 

Fíalai natar 

Halai rai 

Halakon 

Kala-ktulr 

EJala-ktuir 

Haia lalais 

Haia lúan 

Haia metin 

Haia nakali 

Halele 

Haleu 

Haleu 

Haleu ida 

Haleu r 

Halia 

Halia 

Halikir 

Halimar 

Halimar 

Halo 

Halo- aá te 

Halo-badak 

Halo -bote 

Halo-díak 

Halo-halote 

Halo-kanek 

Halo-kfoer 

3alo-klean 

Halo-kobi 

Halo-ktuir 

Halo-knda 

Halolon 



Português 



Decidir 

Bramar 

Clamar 

Abaixar 

Enjoar 

Murmurar 

Enfurecido 

Pisar 

Saltar 

Esconder-se 

Esconder 

Escondido 

Contar 

Esconder 

Narração 

Curvado 

Curvar-se 

Fabricar 

Fugir 

Correr 

Recolher- se 

Lavrar 

Lavrar 

Destruir 

Executar 

Imitar 

Abreviar 

Estender 

Firmar 

Ferver 

DiíFamar 

Girar 

Volta 

Uma volta 

Delongar 

Bramar 

Clamar 

DiíFamar 

Jogar 

Folgado 

Fazer 

Corromper 

Abreviar 

Engi*andecer 

Prosperidade 

Prepapar 

Ferir 

Emporcalhar 

Profundo 

Transcrever 

Incitar 

Transplantar 

Disputar 



Malaio 



Tentakian 

Goring 

Bersorak 

Tunduk 

Ussik 

Sungut 

Betol 

Tunbo 

Lanpat 

Sen Dussi 

Sen bussi 

Langhit 

Bilang 

Sen bussi 

Kabas - 

Bang-kok 

Melenkong 

Ihat 

Lari 

Lassi 

Filei 

Baghía 

Baghia 

Binassakan 

Ruat 

Turot 

Bengkaskan 

Bentang 

Ber-dian 

Mendide 

Menselakan 

Balik 

Kali 

Satu-kali 

Lengha 

Goring 

Panghil 

Menselakan 

Main 

Malas 

Ikat 

Kassi-suap 

Rengkaskan 

Aros 

Berliuntong 

Sediakan 

Melukakan 

Lumor 

Dalan 

Minnlis 

Ikot 

Pida-lakan 

lui 



222 



T«t« 



Halo-mamal 

Halo-morÍ8 

Halo-nakono 

Halo-sá 

Halote 

Halote 

Halote 

Halo-tito 

Haluha 

Haluho 

Hamahu 

Hamamal 

Hamau 

HamaoB 

Hamaran 

Hamata 

Uaxnate 

Hamate 

Hamekan 

Hameiia88& 

Hamenassa 

HamenaBsa 

Hamenáuko 

Hamerik 

Hamerok 

Hametaoko 

Hametauko 

Hamoe 

Hamolan 

Hamos 

Hamôate 

Hamutuko 

Hamutuko 

Han 

Hananun 

Hananun 

Hauanan 

Handi 

Handi 

Hanehan 

Hanek 

Hanek 

Hanéssan 

Hanéssan 

Hanéssan 

Hanetik 

Hanetik 

Hankan 

Han-knadak 

Han-lalais 

Han-môno 

Han-môno 

Hanôin 



Fortafots 



Airouxar 

Gerar 

Encher 

Porque 

Accommodar 

Embrulhar 

Preparar 

Deter 

Esquecer 

Esquecer-se 

Contar 

Afrouxar 

Pagar 

Abrandar 

Enxugar 

Fitar 

Extinguir 

Matar 

Inveja 

Alegrar- se 

Rir 

Sorrir 

Roubar 

Levantar-se 

Sede 

Cobarde 

Submissão 

Escarnecer 

Engulir 

Limpar 

Submergir 

Colleccionar 

Ligar 

Comer 

Cantar 

Estudar 

Ler 

Levantar-se 

Visitar 

Carregar 

Prato 

Taça 

Direito 

içual 

Similhante 

Impedir 

Interdizer 

Inveja 

Devorar 

Devorar 

Escutar 

Pensar 

Amar 



Mjami« 



Kendor 

Piara 

Menghissi 

Ghinga 

BaUa 

Kussot 

Sediakan 

Tang-kap 

Lupa 

Lupa 

Hitong 

Kendor 

Menbaiar 

Kendor 

Sapn 

Bikin 

Padan 

Buno 

Ganti 

Ber-suka 

Hormat kan 

Singhe-niua 

Samun 

Bangun 

Haus 

Penak 

Hormat 

Tetaua 

Tolan 
I Sítpu 
I Karan 
i Makao-paghi 

Ikat 

Makan 

Men-nasBU 

Blaier 

Bassia 

Bangun 

Bi-ghiunpat 

Grondon 

Rata 

Kandi 

Adapon 

Gherap 

Iberat 

Sekat-kan 

Tinga-kan 

Ganti 

Tilan 

Til^ 

Skif 

Sang-ka 

Mengassi 



223 



Tete 



Hauoin 

HaDoin 

Hanoin 

Hanoin 

Hanoin 

Hanoin 

Hanoin 

Hanoin 

Hanoin 

Hanoin -£ftH 

Hanôrin 

Hanôrin 

Hanôrin 

Hanri 

Hantáuko 

Haoen 

Harahun 

Haraik 

Harani 

Hare 

Hare 

Hare-didiak 

Hare-los 

Hare-lo8 

Hare-los 

Haruka 

Haraka , 

Has 

Ha-sae 

Ha-sae 

Ha-sae 

Hassai-houssi 

Hassan 

Hassara 

Hassara 

Hassoi 

Hassôro 

Hatadan 

HataH 

Ha ta ma 

Hatama 

Hatan 

Hatan 

Hate 

Hateki 

Haten 

Haten 

Haten 

Haten 

Hate-nulo 

Hateten 

Hati-lia 

Hatodan 



Port»gvAn 



Amor 

Avaliar 

Crer 

Cuidar 

Entender 

Meditar 

Memoria 

Peccado 

Reputação 

Recordar- se 

Emendar- se 

Ensinar 

Instruir 

Levantar- se 

Medo 

Enganar 

Pisar 

Arrear 

Pousar 

Ver 

Vista 

Cuidar 

Distincção 

Distinguir 

Examinar 

Coramandar 

Governar 

Man^a (fructo) 

Abolir 

Montar 

Subir 

Livrar 

Barba 

Escarnecer 

Zombar 

Cantar 

Encantar 

Maculado 

Ligar 

Metter 

Recolher 

Impedir 

Responder 

Quatro 

Encarar 

Aprender 

Reconhecer 

Respeito 

Saber 

Quarenta 

Falar 

Gritar 

Carregar 



Mftlaio 



Kessi 

Nilei 

Pérniaia 

Peduli 

Pahan 

Pikir 

Ingat an 

Oor8% 

Nama 

Ingat 

Meniessol 

Mengaghiar 

Mengaghiar 

Bangun 

Takal 

Tipu 

Tunbo 

Tundnk 

Letak 

Lihat 

Lihat 

Peduli 

Laiu 

Kenal 

Preksa 

Kamudian 

Men-renta 

Mangu 

Hapus 

Panghiat 

Naik 

Lepaskan 

Ghiangot 

Tetaua 

Olo-olo 

Hitong 

Bertumu 

Be-rintek 

Tanpat 

Taro 

Kanpong-kan 

Sekat-kan 

Balas 

Anpat 

Baiki 

Blaier 

Prighi 

Brás 

Tahu 

Anpat-pulo 

Bissiara 

Teriak 

Kreta 



224 



Teto 



Hatoman 

Hatado 

Hatodo 

Hatudo 

Hatado 

Hataka 

Hatússan 

Haú 

Hauba 

Haak 

Haaluko 

Uau-né 

Han-uen 

Haa-nia 

Hean 

Heé 

Heébé 

Heik 

Heli 

Heli 

Hemo 

Hena 

Hena-mútin 

Heno 

Hessi 

HesBi 

Uetan 

Hetan 

Hetan 

Hetik 

Henai 

Hikas 

Hilas 

Hilas 

Hilas 

Hili 

Hirus 

Hirus 

Hito 

Hito-nulo 

Ho 

Hodi-bá 

Hodi-biite 

Hodi-no 

Hodi tan mal 

Hoho 

Hokil 

Hola 

Hola 

Hola bé 

Holalía 

Hola-iiu 

Hola-tua 





Portagoit 


Maiaio 




Acostumar 


Bi assa 




£« colher 


Pile 




Indicar 


Tunghiu 




Mostrar 


Tunghiu 




Representação 


Tenga-duan 




Impedir 


Sekat-kan 




Dever 


Hutang 


• 


Eu 


Aku, Saia 




Adeus 


Tabé 




Eu 


Hanba 




Inventar 


Mindapat 




Fundir 


Hassiur 




Fundir 


Massa 




Meu 


Saia punia 




Remar 


Kaio 




É que 


Deri 




Depois 


Di-blakang 




Ordem 


Parinta 




Contradizer 


Banta 




Negar 


Munkir 




Beber 


Minun 




Teia 


Kain-raun 




Toalha 


Tuala 




Cadeia 


Rantei 




Conduzir á cabeça 


Ghiungghiong 




Guiar 


Pínpin 




Alcançar 


Gnmpa 




Herança 


Penaka 




Herdar 


Dapat-saka 




Bem 


Bagusse 




Despresado 


Renda 




Arrepender-se 


Meniessol 




Figura 


Sikap 




Imagem 


Berhala 




Retrato 


Garbar 




Colher 


Petek 




Cólera 


Pntussassa 




Raiva 


Mara 




Sete 


Tuju 




Setenta 


Tuju -pulo 




Com 


Dengan 




Levar 


Keli 




Impelir 


Mengassute 




Levar 


Patang 


p 


Dá- me mais 


Kassi lagbi 




Matar 


Buno 




Tenro 


Lenbut 




Acceitar 


Trima 




Receber 


Trima 




Beber 


Minun 




Civil 


Sopan 




Roubar 


Sanun 




Beber 


Minun 



225 



Teto 


Portngnés 


M Al alo 


Hon 


Limpar 


Sapu 


Horik 


Alojar-se 


Teupang 


Horik 


Demorar- se 


Reshinti 


Horik 


Morar 


Berdiri 


Horis 


Produzir 


Baua di muka 


Hori-sebik 


Hontem 


Kelmarin 


Horon 


Sentir 


Dengar 


Ho8SÍ-neé 


D'aqui 


Deri sini ' 


Houfi 


Impedir 


Sekat-kan 


fíoussi 


Por 


Bdghei 


Houssi 


Por 


Faro 


Hoto 


Finalisar 


Habis-kan 


Hoto 


Perecer 


Binassa 


Hoto 


Todos 


8ama 


Hoto 


Total 


Tiap 


Hudi 


Banana 


I^issan 


Huhu 


Colher 


Petek 


Hiissar 


Embiffo 
Abanaonar 


Passat 


Hussik 


Tmgal-kan 


Hussik 


Caça 


Berburo 


Hussik 


Caçar 


Menburo 


Hu38ik-8áun 


Ancoi*adouro 


Labuhan 


Hussor 


Umbigo 


Passat 


Hussu 


Entregar 


Preksa-kan 


IIUSBU 


Ptídir 


Intei 


Hussu-daáte 


Interceder 


Tulun-bissiara 


Huií 


Assoprar 


Han ben 

* 


labo 


Névoa 


Ksibus 


lanbata 


Ponte 


Ghenbata 


Iara 


JaiTa 


Passu 


Ibun 


Bico 


Paru 


Ibun 


Boca 


M.ilut 


Ibun-laran 


Tromba 


Mulut 


Ida 


Um 


8atu 


Ida-lae 


Ninguém 


Tidak-satu 


Ida surate 


Uma carta 


Surat-satu 


lha 


Durante 


Tahan lama 


lha 


Em 


Kadalan 


lha 


Possuir 


Ada punia 


lha 


Ser 


Ada 


lha 


Ter 


Stnpan 


Ihabé 


Onde 


Derimana 


Iha-klaran 


Entre 


Antara 


Iha-kotuko 


Detrás 


Diblakang 


Iha-neé 


Aqui 


Di-sini 


Iha-neé 


Eis aqui 


Reka 


lha neébá 


Alli 


Diásana 


lis 


Hálito 


Niassa. 


lis 


Respiração 


Napas 


Ikan 


Peixe 


Ikan 


Ikan-bote 


Baleia 


Ikan-panas 



15 



226 



Teto 

« 


PortiMniês 


MalAio 


Iknabar 


Tear 


Tenpat-lennn 


Ikos 


Atrás 


Diblakan 


Ik08 


Destioo 


Nassik 


IkOB 


Fim 


Penabiésan 


Ikos 


Limite 


Prengan 


Ikos 


Moderno 


Bam 


Ikiin 


Cauda 


Epor 


Imi 


Vós 


Aukan, tuan 


Iini-DÍa 


Voesa 


Ankau punia 


Imi-nia 


Vosso 


Tuan pnnia 


Inan 


Mãe 


Ibu 


Inan 


MSe 


Ma 


Inan-bei 


Âv6 paterna 


Tok-pranpua 
Tok-laki 


Inan-ferik 


Avó paterna 


Inaa-fudi 


Ama de leite 


Babu 


Inan-bakiak i 


Ama de leite 


Babu 


Inan-sarani 


Madrinba 


Matiji 


Inun 


Nariz 


Hidong 


Inur 


Nariz 


Hidong 


Inur 


Nariz 


Liong 


Inur-kuak 


Venta 


Lubang-bidong 


Issin 


Corpo 


Badan 


Issin-diak 


Saúde 


Apat 


Issin-kakurak 


Moreno 


Itan manis 


IsBin-leéte 


Livre 


Lcpas 


Isfiin-moak 


Moreno 


Itan-manis 


Issin-moris 


Activo 


Ragn 


Ifa 


Nos 


Kita, kami 


Ita-nia 


Nossa 


Kita pnnia 


Ita-DÍa 


Nosso 


Kamu-punia 


Kaan 


Canbada 


Ipar pranpna 


Kaba-kaba 


Astuto 


Tanghian 


Kabas 


Alg dão 


Kapas 


Kabas-laban 


Fio 


Beng 


Kabas-laban 


Linba 


Benang 


Kabate 


Arame 


Tanbaga 


Kaben 


Matrimonio 


Kau in 


Kaben 


Saliva 


Luda 


Kabual 


Oval 


Bugbíor 
Bufat 


Kabual 


Redondo 


KabuD 


Barriga 


Prut 


Kabun-dalas 


Cólica 


Mamulas 


Kabun-fuan 


Estômago 


Anpedal 


Kadeli 


Anel 


Sissin 


Kadii 


Inclinação 


Kaandak 


Kadiuko 


Carangaeijo 


Ketan 


Kaduak ' 


Gémeo 


Anak-kcnbar 


Kaek 


Tenro 


Lenbut 


Kafé 


Café 


Kofi 


Kaba 


Pepino 


Tinun 


JKabul 


Misturar 


Sianpur 



227 



Teto 


Portngaéi 


• 

MaUio 


Kahnr 


Misturar 


Sianpur 




Kaindulas 


Eixo 


Pcbsialak 




Kair 


MHuter 


Dian 




Kaír-knar 


Trabalhar 


Kreghia 




Kftir-métin 


Assegurar 


Tunanff 
Gundek 




Raite 


Concubina 




Rakae 


Creatura 


Kakatu 




Kakaik 


Gancho 


Gansin 




Kakaluko 


Bolsa 


Pandi-pondí 




Kakehe 


Leque 


Kipas 




Kakekuko 


Choradeira 


Kaiak 




Kakele 


Leque 


Kipas 




Kakaluko 


Tecto 


Bunlang 




Kakaluko 


Trave 


Kepiting 




Kakun-mátan 


Funil 


Siorot 




Kakutak 


Cérebro 


Otak 




Kaia 


Acaso 


Buang-kali 




Kalan 


Noite 


Malan 


» 


Kalanbain 


Meia noite 


Tengha-malan 




Kalan-fahe 


Meia noite 


Tengha-malan 




Kalan nain 


Meia noite 


Tengha-malan 




Kalauko 


Impertinente 


Kasser 




KMlaako 


Mistura 


Sian-purkan 




Kalen 


Zinco 


Tima ' 




Kalôhan 


Nuvem 


Anan 




Kamate 


Arranhar 


Garis 




Kameli 


Sândalo 


Siapal 




Katnudi 


Leme 


Kamudi 




Kamutis 


Pálido . 


Pussiat 




Kanek 


Ferida 


Puru 




Kanek 


Ulcera 


Kurap 




Kanuro 


Colher 


Sendo 




Karas 


Largo 


Lebar 




KarH8 


Peito 


Dad»i 




Karáu 


Búfalo 


Karbáu 




Kari 


Empalhar 


Tunpakan 




Karik 


Acaso 


Barang-kali 




Karluni 


Almofada 


Bautal 




Karluni 


Travesseiro 


Bental 




Katak 


Dizer. 


Kata 




Katak 


Falar 


Siakap 




Katak- aáte 


Murmorar 


Ber-sungut 




Katak-diak 


Louvar 


Kepughian 




Katak-sae 


Accusar 


Daua 




Katak-sae 


Contradizer 


Banta 




Katak-sae 


Descobrir 


Buka 




Katak-tun 


Contra']izer-se 


Banta 




Katal 


Coçar 


Kikir 




Kateri 


Tesoura 


GuntinpT 


■ 


Katuas 


Velho 


Oran tua 




Katuas feto 


Velha 


Pranpua-tua 




Kauá 


Corvo 


Gaghia 




K4uko 


Idiota 


Oran-ghila 





228 



Teto 


Portvgnéa 


MaUio 


Kaako 


Ignorante 


Beba! 


Kbahin 


Lado 


Paigang 


Rbahin-rain 


Costela 


Kostella 


Kbiite 


Forte 


Bar-kuan 


Kbiite 


Valente 


Brani 


Rdoók 


Longe 


Di-sabla 


Kebite 


Arranhar 


Garis 


Kedao 


Já 


Sedia 


Kedas 


Já 


Siap 
Glikan 


Kede 


Cócegas 


Ueé 


Cavar 


Gali 


Keé 


Sim 


lá 


Keke 


Arrastar 


Panghiat 


Kelea 


Perna 


Raki 


KesBÍ 


Amarração 


Tali-san 


Keasi 


Preso 


Harga 


Keian 


Obter 


Dapat 


Keta-uai 


Grito 


Bilanlan 


Kfak 


Estúpido 


Bodo 


Kfak 


Idiota 


Oran-ghila 


Kfak 


Ignorante 


Bodo 


Kfalur 


Pombo 


Marpali 


Kfalar-inan 


Pomba 


Tekukor 


Kfílak-lia 


Contradizer 


Banta 


Kfoer 


Immundo 


Haran 


Kfoer 


Obsceno 


Rotor 


Kfuluko 


Pelo 


Buiu 


Kfurak 


Paladar 


Mulat 


Kia 


Cborar 


Raiak 


Kiak 


Indigente 


Miskin 


Kiak 


Pobre 


Miskin 


Kidun 


Fundo 


Tohor 


Kii 


Tia 


Ma-sudara 


Kik 


Menor 


Panda 


Kik 


Pequeno 


Ressil 


Kikite 


£scama 


Sire-ikan 


Kilate 


Arma 


I<*anghiat 


Kilate-solun 


Pólvora 


Obat-bedel 


Kili 


Fazer cócegas 


Gheli 


Kioino 


Quinino 


Bema bessar 


Kissik 


Borrifar 


Merissik 


Kiuko 


Estéril 


Mandul 


Rlahate 


Rede 


Ghiaring 


Klalai 


Furar 


Persiaia 


KlaleDok 


Espelho 


Siermin-muka 


Kl amar 


Alma 


Niame 


Klamar-hanoin 


Mente 


Akal 


Klamar-nia 


Intelectual 


Akal 


Klaran 


Centro 


Tenga 


Kles 


Campo 


Pundok 


Kles 


Planície 


Padang 


Rlêuko 


Curva 


Beng-kak 


Klêuko 


Torto 


Sala 



229 



Teto 


Portuguêa 


Malaio 


Klêur 


ÂDtigO 


Lama 




Klenro 


Demora 


Kralan 




Klêuro 


Demorar-se 


Brinti 


' • 


Klêuro 


Tarde 


Lanbat 




Kliak 


CoUo 


Lehor 




Klik 


Impar 


Ganghil 




Klor 


Curva 


Beng-kok 




Klote 


Apertado 


Bidang 




Klotuko 


Fino 


Pen-habissan 




Kluni 


Almofa<ia 


Pinit 




Klimi 


Travesseiro 


Bental 




Rlussín-ruin 


Espinhaço 


Blakang 




Kmaha-uen 


Orvalho 


Un-bun 




Kmamar 


Liberal 


Mura-hati 




Kmamuko 


Caridade 


Lubang 




Kman 


Leve 


Ringan 




Kman 


Ligeiro 


Sugra 




Kmanek 


Bom 


BaguBse 




Kmanek 


Magnifico 


Mulia 




Rmanek 


Perfeição 


Sen poma 




Kmaos 


Abastado 


Sinkaia 




Kmaos 


Riqueza "^ 


Raia-an 




Kmela 


Pulga 


Rutu-anghin 




Rmodok 


Amarello 


Runin 




Rmôuko 


Destituído 


Bang sát 




Rmurak-mean 


Ouro 


Mas 




Rnaban 


Serviço 


Rarghia 




Rn ar 


Trabalhador 


Tukan 




Rnar-nain 


Cesto 


Bakul 




Rno88en-ruin 


Costella 


Panti 




Rnotak-fuBsu 


Corcovado 


BonkÔk 




Rnua 


Povoação 


Ronpong 




Rnua 


Villa 


Kabun 




Roa 


Castrar 


Renbiri 




Roá 


Corvo 


Gaghia 




Roabes 


Goiaba 


lanbu-bighi 




Roak 


Caverna 


Goa 




Roak 


Cavidade 


Lubang 




Roan-ten 


Ladrão 


Rissiu 




Rôbi 


Couve 


Robis 




Robô 


Copo 


Priuk 




Rohe 


Bolsa 


Pondi 




Robe 


Saco 


Rorcng 




Rohe -mama 


Tió de betei 


Tenpat 




Roi 


Arranhar 


Garu 




Roi 


Raspar 


Rikir 


. 


Roir 


Raspar 


Rikir 




Rokorek 


Cantar do galo 


Me-nassi 




Rolan 


Lago 


Tessek 




Rolan 


Pântano 


Rolan 




Rolar 


Bexigas 


Sia-siar 




Role 


Cansado 


Lete 




Role 


Fadiga 


Sakit 





230 



Teto 


a 

Portagués 


MsUio 


Kôna 


Plissar 


Meliuat 


Kora 


Serrar 


Ghergaghi 


Kore 


Desligar 


Longar 


Kóssal 


Suor 


Pelo 


KoBse 


Esfregar 


GhoBSok 


Rota 


Fortaleza 


RoU 


Rota 


Tranqueira 


Tanpon 


Rotan 


Tranaoeira 


Tanpon 


Roto 


Finalizar 


Putus-kan 


Roto lia 


Decidir 


Tau tu 


Rotako 


Atrás 


Rablakan 


Rotuko-ruin 


Espinhaço 


Blakang 


Roas 


Seio 


Dada 


Rradek 


Curto 


Pendek 


Rrahuko 


Frágil 


Rapo 


Rraik 


Baizo 


Di-baua 


Rraik 


Inferior 


Ruran-laik 


Rroat 


Gume 


Tanghian 


Rsale 


Persevejo 


Pighiat 


Rsameu 


Nervo 


Urat 


Rsamen 


Tendão 


Tirei 


Rtuir 


Annuir 


Menauar 


Rtair-mai 


Seguir 


Menghit-kut 


Ruak 


Cova 


Parit 


Ruda 


Cavallo 


Ruda 


Ruda 


Plantar 


Gali 


Rada-inan 


Égua 


Ruda-betina 


Ruda-uma 


Cavallaríça 


Rudan-kada 


Ruek 


EugHnar 


Rissin 


Kuere 


Polido 


Brisi 


Rukamak 


Dedo polegar 


Ibu-ghiari 


Rukun 


Unba 


Rukn 


Rukar 


Trovão 


Guntnr 


Rulite 


Pelle 


Rulit 


Rulo-tuno 


Fruta páo 


Bua-sokur 


Runa 


Vingança 


Tango 


Rniio 


Montanha 


Gunun 


KuBsan 


Prego 


Paku 


Russan-kik 


Alfinete 


Pirit 


Rasei 


Bacio 


Bassin 


Russin 


Sella 


Sela 


Ruú 


Colher 


Tetek 


La 


Não 


Tida 


Laá 


Andar 


Perghi 


Laá 


Passar 


Melinate 


Laá-dalan 


Viagem 


Plaieran 


Laá-dulas 


Girar 


Balik 


Laá-bfl limar 


Passiar 


Ghialan 


Labadáin 


Aranha 


Laba-laba 


Labadain-uma 


Teia de aranha 


Saran laba-laba 


Lftbahako 


Económico 


Ffemat 



231 



Teto 



Labarik 
Labarik-feto 
Labele 
Labele sura 
Labele terás 
Labelo 
Labiite 
Labóssok 
Labuate 
Labuli 
Laburas 
Ladiak 
Ladiak 
Ladukul 
Lae 
Lae 
Laen 
Laen 
Lafaek 
Lafahe 
Lahan 
La-hanessan 
La-hanóin 
Laha-ôan 
Labate 
• La-haten 
Labu-ôan 
Lai 
Lais 

Lais-ona 
Lakan 
Lakan 
Lakateu 
Lake 
Lakfurak 
Lakin 
Lakletak 
Lakleuro 
Lakló 
Lnkmaoek 
Laknabite 
Lako 
Lako 
Lakobi 
Lakohi-fila 
Lakobi simu 
Likon 
Lakuere 
Lalais 
Lalais 
Lalais 
Lalakun 
Lalar 



Portagués 



Rapaz 

Rapariga 

DitHeuldade 

Innumeravel 

Impaciente 

Inimigo 

Débil 

Sincero 

Nada 

Antídoto 

Raro 

Imperfeito 

Terrível 

Vigiar 

Jamais 

Não 

Esposo 

Marido 

Corcodilo 

Económico 

Tio 

Inconsiderado 

Esquecer 

Espádua 

Rede 

Insensível 

Ratinho 

Ainda 

Lamber 

Instante 

Brilhante 

Perder 

Pombo 

Aberto 

Insípido 

Antigo 

Descuido 

Ultimamente 

Latrina 

Malvado 

Torquez 

Dialecto 

Meda 

Não quero 

Obstinado 

Não tem respeito 

Perdição 

Áspero 

Depressa 

Immediatamente 

Rápido 

Dialecto 

Mosca 



Malaio 



Anak laki 

Anak pranpua 

Skaii kali 

Tiada terbilan 

Tiadá-salar 

Musso 

Lema 

Ber-mugo 

Ang-ka 

Panauer 

Ghiarang 

Tiada senperna 

HHiras 

Ber-ghialan 

Tida perna 

Bukan 

Men pelei 

Laki 

Buaia 

Heniat 

Benag 

Tida-nama 

Lupa 

Bahu 

Ghiaring 

Ghemas 

Tikus 

Bubune 

Menghilat 

Sabintar 

Ria ghia 

Hilang 

Marbut 

Terbuka 

Tauer 

Lama 

Tida-apa 

Tadi 

Ghianban 

Âng kara 

Pinghighit 

Bhassa 

Tupai 

Tada 

Ang-kara 

Tada-ianet 

Ghieman 

Kassar 

Lakasse 

Skaran-an 

Laghiu 

Bassa 

Salat 



232 



Teto • 


Portngnèfi 


MaUio 


Lalata 


Ratoeira 


Peran-kap 


Lalean 


Ceu 


Ijanghit 


Lalehan 


Para*zo 


SiíTga 


Lalia 


Centupeia 


Âlipan 


Lale ran 


Onda 


Aier sumi 


Lalós 


Bastardo 


Anak-ganpong 


Lalôs 


Confuso 


KassI-an 


Lalós 


Errado 


Sala 


Lalós 


Falso 


Dorta 


Lalós 


Incerto 


Ta tentu 


Lalós 


Injus'o 


Tida-betul 


Lamós 


Confuso 


Kassi-an 


Lan 


Vela de navio 


Lai ar 


Lanbê 


Tiamber 


Men ghilat 


La-nanéssan 


Desigual 


Tida>8ama 


La-noussi 


Desigual 


Tiada-sama 


Lanu 


Bêbedo 


Mabok 


Lanuko 


Kmbreagar-se 


Mabu 


Laran 


Coração 


Ghiantong 


Laran 


Dentro 


Di dalan 


Laran 


Interior 


Ka dalan 


Laran-aáte 


Cruel 


Benghis 


Laran-diak 


Benévolo 


Mura-pati 


Laran-diak 


Condescendente 


Akal-budi 


LaraD-diak 


Doeil 


Ghinak 


Laran-diak 


Piedade 


Kitakita 


Laran-kmanek 


Feliz 


Saka-pati 


Laran -mutin 


Intestino 


Tali-prut 


La tebes 


Falso 


Bohong 


La todan 


Leve 


Enteng 


Lau 


Andar 


Perghi 


Lau 


Passar 


Melinat 


La uain 


Raro 


Ghiarang 


La-uain 


Raro 


Indá 


Lau-halimar 


Paseear 


Bar-seiar 


Ledoko 


Roubo 


Sanun 


Ledoko-ten 


Ladrão 


Kissin 


Leéte 


Entre 


Antara 


Leéte 


Intervallo 


Kalangan 


Leisso-matan 


Porta 


Pintu 


Lekirau 


Macaco 


Moniet 


Lekirau-inan 


Macaca 


Moniet-betina 


Lenuko 


'l*artaruga 


Penin 


Les 


Raspar 


Pessia 


Leten 


Acima 


Ka-atas 


Leten 


Sobre 


Amat 


Lia 


Idioma 


Buma siakap 


Lia-fôun 


Novidade 


Kabar 


Lia-fúan 


Lei 


Unkun 


Lia-fúan 


Ordem 


Parinta 


Lia-fúan 


Regra 


Garis 


Lia-kfílak 


Contradizer 


Banta 


Lia-los 


Voto 


Koron 



233 



Teto 



Português 



Malaio 



Lido 

Lilauér 

Lilin 

Lima 

Lima 

Liman 

Liman-kakun 

Liman -kl iak 

Liman-kuana 

Liman-lÓ8 

Liman-rohan 

Liman-sikun 

Li ma- nulo 

Liras 

Lis 

Lis-asso 

Litik 

Liu 

Liu-fatin 

Liu-hôssi 

Liu ôna 

Liur 

Liur 

Liur ai 

Liurai-feto 

Liurai-ôan 

Loer 

Loher 

Loke 

Loio 

Lolos 

Lor 

Lori 

Loro 

Loro fahe 

Loro hito 

Loro-krai 

Loro-kraik 

Loro leten 

Loro-manas 

Loro -mono 

Loron 

Loro-namaha 

Loro-sae 

Los 

Los 

Los 

Los 

Los 

Los 

Los 

Los 

Lota 



Canto 

Madrepérola 

Cera 

Cinco 

Mâo 

Braço 

Braço 

Pulso 

Mão direita 

Mão direita 

Herança 

Cotovelo 

Cincoenta 

Aza 

Cebolla 

Alho 

Insultar 

Dominar 

Passageira 

Passar 

Passado 

Externo 

Latrina 

Regulo 

Rainha 

Príncipe 

Arrastar 

Desdobrar 

Aberto 

Dar 

Certo 

Abaixo 

Transportar 

Sol 

Meio dia 

Semana 

Tarde 

Tardinha 

Relâmpago 

Estio 

Pôr do sol 

Dia 

Eclipse do sol 

Nascer do sol 

Certo 

Direito 

Genuíno 

Justo 

Justamente 

Positivo 

Rectidão 

Verdade 

Aprender 



Lagu 

Indong 

Lilin 

Lima 

Langan 

Lengan 

Leugan 

Nadi 

Tanga kanan 

Tanga kanan 

Hassiat 

Sika 

Lima pulo 

Saiap 

Banang-mera 

Banang-puti 

Maki 

Diwn 

Ghialan 

Melinat 

Lalu 

Dengan tidak 

Ghiauban 

Raghia 

Raghia pranpua 

Anak raghia 

Panghiat 

Meghietakan 

Tubuka 

Kassi 

Singu 

Ka-baua 

Pergemakan 

Matahari 

Tengha hari 

Satu mingo 

Lanbat 

Pctan hari 

Kilat 

Tedo 

Mata-hari massek 

Hari 

Gherma mata-hari 

Mata-hari naik 

Singu 

Betol 

Betul 

Adil 

Ber-sama 

Tentu 

Ka-aditan 

Rentr 

Blaier 



234 



Teto 


Portagnês 


Malaio 


Lotuko 


Fino 


Akir 


Lotuko 


Trinchar 


Sinsiang 


Lôuri 


Levar 


Keli 


Luak 


Largo 


Laus 


Luan 


Despido 


Te-langhian 


Laan 


Largo 


Lebar 


Lun-uen 


Lagrima 


Aier-mata 


Luú 


Cesto 


Raga 


Mae 


Mas 


Tapi 


Mahal 


Grosso 


Bessar 


Mahalak 


Trabalhador 


Tukan 


Mahan 


Bagagem 


j>arang 


Mai 


Crescer 


Ghiadi 


Mai 


Vir 


Mari 


Mai-ho88Í 


Descender 


Turun 


Mai -lai 


Vem cá 


Marí-sini 


Makaás 


Esforçado 


Kraás 


Makadadi 


Chumbo 


Tima-bitan 


Makaneé 


Eis aqui 


Reca 


Makdadi 


Chumbo 


Tima-hitan 


Maksoi 


Rico 


Kaia 


Maksôurin 


Rim 


Bua-pingang 


Maksóssal 


Rico 


Kaia 


Makus 


Mastigai* 


Mama 


Malirin 


Fresco 


Bahan 


Malirin 


Frio 


Sighinp ' 


M alisai 


Malicia 


Dan-dan 


Maio 


Parente 


Aia- bunda 


Malako 


Vizinho 


Dekat 


Maluli 


Chocar 


Meng-ran 


Malus 


Betei 


Sire 


Mamai 


Almofada 


Pipi 


Mamai 


Covarde 


Penakut 


Mamai 


Coxim 


Bantal 


Mamai 


Débil 


Lema 


Mamai 


Languidez 


Lete 


Mamai 


Tenro 


Lenbut 


Mamokok 


Face 


Muka 


Mamuto 


Tépido 


Suan 


Manan 


Conquistar 


Ala-kan 


Munaii 


Proveito 


Laba 


Manan 


Triumphar 


Makau 


Manan 


Vencer 


Menaug 


Manas 


Calor 


Panas 


Manas 


Picante 


Assior 


Manas 


Quente 


Panas 


Manas-réssin 


Fervido 


Daghin-rebus 


Mane 


Homem 


Orang 


Mâne-bádak 


Anão 


Orang-pindik 


Mâne-fôun 


Genro 


Menantu 


Mano-aman 


Gallo 


Aian 



235 



Teto 



Português 



MflDO-fuik 


Pássaro 


Mano-fálun 


Pennu^em 
GallinEa 


Mano-inao 


Matio-knuúko 


Ninho 


Mano-métan 


Corvo 


Mano-táran 


Esporão de gallo 


Mano-uma 


Gallinheiro 


Mao8 


Tranquillo 


Máran 


Árido 


Maran 


Seco 


Marômak 


Deus 


VIarômak-ôan 


Jesu Christo 


Maruko 


Longo 


Aíaruko-ten 


Inconstante 


Ma-sin 


Sal 


Massin-midal 


Açúcar 


Mata 


Olho 


Mata-fúkun 


Sobrancelha 


Mátak 


Cru 


Mátak 


Tenro 


Matak 


Verde 


Mátan 


Olhos 


Mátan-delek 


Cego 


Mátan-kakun 


Sobrancelha 


Mátan-lae 


Cego 


Mátan-laek 


Cego 


Mata uén 


Lagrima 


Mate 


Morrer 


Mate 


Parecer 


Matenek 


Intel ligen te 


Matének 


Sábio 


Máuko 


Roubar 


Mauko-ten 


Ladrão 


Máun 


Irmão 


Méak 


Ferrugento 


Míéan 


Vermelho 


Mear 


Tossir 


Mer 


Salgado 


Mérak 


Turvo 


Hessa 


Só 


Míéseak 


Solidão 


MesBan 


Igual 


Métan 


Preto 


Métin 


Bem 


Métin 


Opaco 


Métin 


Seguro 


Meti-ulo 


Banco de areia 


Midal 


Açúcar 


Mihi 


Sonho 


Mii 


Urina 


iliin 


Ourinar 


dina 


Azeite 


llíina 


Óleo 



Malaio 



BurODg 

Bulo 

Aian-betina 

Sarang-buru 

Gaghia 

Ghingher 

Rebau-aian 

Dian 

Mandul 

Kring 

Halla 

Aoak-halla 

Panghiang 

Binbang 

Massin 

GuU 

Mata 

Rening 

Menta 

Lenbut 

Muda 

Mata-mata 

Buta 

Keuing 

Buta 

Buta 

Aiermata 

Mati ^ 

Danpôr 

Berbudi 

Berbudi 

Samun 

Kauer 

Sudara-laki 

Karal 

Mera 

Batok 

Paian 

Kro 

Sin-dire 

Tanpat-mughi 

Sama 

Hitan 

Elok 

Leban 

Tentu 

Tebing 

Gula 

Minpi 

Aier-kensing 

Kensing 

Minia 

Miniak 



« 


236 




Teto 


Português 


Halaio 


Mina-rai 


Petróleo 


Minia-tanan 


Moate 


Chupar 
Caldo 


Hissap 


Modo 


Kuá 


Modo 


Verdura 


Saiur-saior 


Modok 


Amarello 


Kunin 


Modo-uén 


Caldo 


Kuà 


Módim 


Espécie 


Ranpa 
Akal-bodi 


Modun 


Génio 


Moe 


Moer 


Kissar 


Moe 


Pisar 


Tunbo 


Moe 


Vergonha 


Mahi 


Molak 


Antes 


Di alap-an 
Ani-iaia 


Molak 


Primeiro 


Molek 


Simples 


Bodo 


Moluko 


Antes 


Di adap-an 


Moluko 


Pensativo 


Rangbin 


Moluko 


Primeiro 


Ani-iaia 


Mono 


Cair 


Lain 


Moó 


Alegre 


Kahuka 


Moók 


Bello 


Melok 


Moók 


Félix 


SiU 


Moón 


Mastigar 


Mamo 


Moras 


Dor 


Duka 


Moras 


Mórbido 


Lenbut 


Môris 


Activo 


Pautas 


Mor is 


Descender 


Túrun 


Moris 


Gerar 


Piara 


Moris 


Vivo 


Indop 


Morkaliau 


Alegria 


Kauka-an 


Morten 


Coral 


Marghian 


Mós 


Impolluto 


Ghierue 


Mós 


Puro 


Bersi 


Mosso 


Raiar 


Súnar 


Mota 


Rio 


Batan-aier 


Mota-kik 


Ribeiro 


Anak-aier 


Moti 


Secar 


Ghiemur 


Motur 


Elephantiasis 


Untut 


Môuko 


Destemido 


Bangrat 


Môurin 


Perfume 


Uanghi 


Môute 


Submergir-se 


Karan 


Mukite 


Indigente 


Miskin 


Mukite 


Pobreza 


Kapa-ang 


Mumuko 


Segredo 


Lihat 


Múrak-mean 


Ouro 


Mas 


Múrak-mutin 


Prata 


Pêra 


Mnta 


Vomitar 


Munta 


Mútik 


Branco 


Puti 


Mútik 


Pallido 


Pnssiat 


Mútin 


Branco 


Puti 


Mutuko 


Somma 


Tanba 


Mútun 


Despeza 


Bangbia 


Muú 


Beijo 


Siun 


Muúk 


Mudo 


Kelu 



237 



Teto 



Português 



Malaio 



luúko 



Beijar- se 



8ÍUQ 



*^aán 

^abile 

^abo 

^abo 

*Iabuko 

*íabuta laran 

*íatatin 

Níafatin 

^afatin 

*^afadik 

*<aha 

Síahan 

^ahan 

^ahaa 

Síahas ona 

S'ahl-8a8Baen 

Nai 

ííai-feto 

^íailulik 

Nakabul 

Kakali 

Nakaras 

Kakbôas 

^akdaite 

Makerek 

Kakfahek 

Nakfúan 

^^akfudik 

Sakfúnan 

í^akitik 

Kaklake 

Kaklok 

Kakloke 

Níaknakas 

^^aknotak 

Nakôno 

Nakúkun 

^íakúkuQ 

NHknkan 

Nalian 

Namaban 

^^amata 

Naine 

Namelaek 

Namessuha 

Namokok 

Nainuruko 

Namnúko 

^^anaba 

NanU 



Carne 

Brilhante 

Rugir 

Urrar 

Botão de planta 

Inâammação 

Eternidade 

Perpetuo 

Sempre 

Falso 

Bagagem 

Bagagens 

Vestuário 

J4 

Já 

Âfflicto 

Senhor 

Senhora 

Padre 

Misturado 

Ferver 

Nascer da lua 

Abertura 

Relâmpago 

Tinta 

Diviaâo 

Inílammação 

Falso 

Bolorento 

Gordura 

Aberto 

Brecha 

Aberto 

Trovejar 

Meio 

Cheio 

Escuro 

Escuridão 

Obscuridade 

Cantar 

Sombra 

Fresco 

Roncar 

Murchar 

Soluço 

Face 

Estrondo 

Mudo 

Sombra 

Língua 



Danghin 

Ria- h aia 

Berghia 

Bertuak 

Kuntun 

Bintan 

Chekal 

Sadi-iakala 

Salala 

Dosta 

Barang 

Barang-barang 

Pakian 

Siap 

Sédia 

Naghis 

Tuhan 

Manan 

Iman 

Sianpar 

Mendide 

Bulan-sablá 

Lubang 

Kilat 

Tinta 

Din-ding 

Bintan 

Bo-hong 

Bussi 

Gomo 

Terbuka 

Lubang 

Terbuka 

Bar-guntur 

Teng-ha 

Pono 

Kapak 

Klan 

Glap 

Men-nassa 

Baiang 

Baharu 

Mingossok 

Lain 

Scdie 

Muka 

Bergado 

Keln 

Baian 

Lida 



238 



Téte 


Portugnèa 


Nanan 


Línguas 


Nanar 


Língua 


Nanas 


Ananás 


Nanéssan 


Direito 


Nanéssan 


Igual 
Uniforme 


Nanéssan 


Nani 


Nadar 


Nanklatar 


Inílammaçâo 


Nanlaek 


Murchar 


Nanoik 


Historia 


Nanoko 


Segredo 


Nanoko 


Silencio 


Nanuú 


Assim 


Nanuú 


Como 


Náran 


Nome 


Náran 


Qualquer 


Naran-ké buate 


Qualquer cousa 


Narisein 


Sobra 


Narôma 


Claro 


Naroma 


Luz 


Naruko 


Dimensão 


Naruko 


Longo 


Naruko 


Trave 


Naruko-liu 


Immenso 


Nata 


Mastigar 


Naton 


Cbeg«r 


Naton 


Quadrado 


Nanko 


Rapina 


Nauko 


Roubar 


Nauko 


Roubar 


Naubo-tassi 


Pirata 


Nauko-ten 


Ladrão 


Neé 


Esta, este 


Neé 


Isto 


Neé-bá 


Aquillo 


Neé-bá 


Lá 


Neé bé 


Qual 


Neé-duni 


Esta, este 


Neé fulan 


Este mês 


Neé loron 


Este dia 


Neén 


Seis 


Neén-nulo 


Sessenta 


Neé-sá 


Tal e qual 


Neéte 


Aquella, aquelle 


Nehan 


Dente 


Nehek 


Formiga 


Neineik 


DevagMr 


Neineík 


Docemente 


Néon 


Memoria 


Neonaáte 


Cruel 


Neon-kabeik 


Enjoar 


Neon-Iao 


Cruel 


Neon-laek 


Cruel 



MalAio 



Lida-lida 

Lida 

Nanas 

Adapon 

Ghenap 

Sa-mpa 

Bemang 

Bintau 

Lain 

Hikagat 

Intel 

Dian 

Bigbitu 

Snka 

Nama 

Apa 

Buang-kéli 

Baki 

Trang 

Trang 

Ukuran 

Panghiang 

Balak 

Maha-bessar 

Mama 

Datang 

Anpat parighi 

Tikus 

Ranpas 

Samnn 

Sen-píang 

Ponciuri 

Tenghai 

lui 

Itu 

Sabia 

Siapa 

luila 

Bnlang-ini 

Ini hari 

Anan 

Anan-pulo 

Bsgbítn 

Itu 

Ghi-gbi 

Semut 

lalan-perlahan 

Manis 

Ka-ingatan 

Benghis 

Ussik 

Benghis 

Bcnghis 



239 



Teto 


Português 


Malaio 


Néon -sal a 


Desgostoso 


Naghis 


Neon-sala 


Triste 


Hati-panas 


Nessu 


Pilão 


Alu 


Néssun 


Pilões 


Antan 


Netik 


Bem 


Bagusse 


Nia 


Ella 


Dia 


Nia 


Elle 


Ia, iga 


Nian 


Dente 


Ghi-ghi 


Nihan 


Dente 


Ghi-ghi 


Niki 


Morcego 


Klanar 


NiDia 


Sen, sua 


Dia, punia 


Ninik 


Mosquito 


Ninmok 


Nõbun 


Completar 


Ghenap 
Habis-Kan 


Nôbun 


Fii\alisar 


Nôbun 


Perecer 


Danpôr 


Noón 


Pensamento 


Fikiran 


Norai-buli 


Lua cheia 


Bulang-permana 


Nosse 


Coçar 


Garis 


NÔ88Í 


Parecido 


Sama 


Nunun 


Boca 


Mulut 


Nununláran 


Boca 


Mulut 


NuHsa 


Ilha 


Pulu 


Nuu 


Como 


Luka 


Nuúda 


Como 


Beghimaua 


Nuúdar 


Como 


Beghimana 


Nuúdar-lae 


Facil 


Senang 


Nuú-neé 


Assim 


Bighitu 





Tu 


Lu, ankau 


Oa 


Creança 


Anak 


Oaka 


Injuria 


Nistaka 


Oa-kik 


Menino 


Kanak-kanak 


Oa-lurun 


Orphão 


la-tin 


Oan 


Filho 


Anak-Iaki 


Oan-feto 


Filha 


Anakpranpua 


Oani 


Abelha 


Babt 


Oani-uén 


Mel 


Madu 


OdH 


Escada 


'l'anga 


Oda-mata _ 


Postigo 


Seranbi 


Oé 


Bastão 


Ton-kat 


Ohin 


Hoje 


Ini hari 


Ohi-neé 


Hoje 


Ini-hari 


Oho 


Matar 


Buno 


Oia! 


Olá! 


Tinghi ! 


Oin 


Cara 


Muka 


Oin 


Fronte 


Dahi 


Oin 


Qualidade 


Massian 


Oi-nain 


Generoso 


Mura-hati 


Oin-iimenassa 


Alegre 


Suka 


Oin-diak 


Gentil 


Sopan 


Oin-kraik 


Modesto 


Santun 


Oin-kraik 


Tristeza 


Suka-kali 



240 



Teto 


Portaguêfl 


Malaio 


Oia-mak 


Soberbo 


Son-bong 


Oin-mao8 


Civil 


Sopan 


Oin-moók 


Impostor 
Melancolia 


Penbo-hong 


Oin-moón 


Muran 


Oin-moón 


Modéstia 


Maiu 


Oin-sólok 


Contente 


Suka 


Oin-tamas 


Atrevido 


Brani 


Oitamak 


Insolente 


Sonbon 


Oko 


Certo 


Bakol 


Okos 


Debaixo 


Di-baua 


Ona 


Já 


Siap 


0-nia 


Teu 


Lu punia 


0-nia 


Tua 


Ramu punia 


Oras-neé 


Agora 


Sampei 


Oras^neé 


Hoje 


Ini-hari 


Orasneé 


Presente 


Kiriman 


0ra-8ida 


Logo 


Kondien 


Oro 


Bambu fino 


Buiu 


Ossa 


Dinheiro 


Uang 


Rade 


Pato 


Ang-sá 


Rahun 


Pó 


Habu 


Rahun 


Vida 


Guiua 


Rai 


Guarda 


Tengo 


Rai 


Terra 


Bumi 


Rai-bikur 


Terremoto 


Gen-patana 


Rai-f)4he 


Meia noite 


Tengba-malan 


Rai-béoek 


Areia 


Passir 


Rai-keta 


Limite 


Sen-padan 


Rai-kidun 


Inferno 


Neraka 


Rai-klaran 


Mundo 


Helan 


Rai-kles 


Campo 


Kabun 


Rai-koak 


Caverna 


Goa 


Rai-kuak 


Caverna 


Gohá 


Rai-kuak 


Fosso 


Lubang 


Rai-lakan 


Kaio 


Bangha-api 


Rai-lólon 


Ribanceira 


Pantei 


Rai-nabile 


Relâmpago 


Kilat 


Rai nakeé 


Amanhecer 


Dini-hari 


Rai-ru 


Terremoto 


Gunpá tana 


Rai-eani 


Ladrilho 


Ba tu bata 


Rai-tetuko 


Plano 


Pala-ban 


Rai-tuno 


Tijolo 


Batu-bata 


Rama 


Arranhar 


Garu 


Ran 


Sangue 


Dará 


Rei 


Fronte 


Dáhi 


Relossi 


R*»logro 


Orloghi 


Rentos 


Testa 


Kapala 


Ria 


Primo 


Per ta ma 


Ria 


Primo 


Sá-pupo 


Rian 


Cunhado 


Ipar-laki 


Rian 


Primos 


Dua pupo 



241 



Teto 


Portagnès 


MaUio 


Rian 


Primos 


lang-dalo 


Ribite 


Gradar 


Tanbat 


Rie 


Primo 


Pertama 


Rie 


Primo 


Sá-pupo 


Rien 


Primos 


Dua-pupo 
lang-dulo - 


Rien 


Primos 


Rihun-ida 


Mil 


Saribus 


Kikan 


Cunhado 


Iparlaki 


Rikan-feto 


Canhada 


Ipar-pranpua 


Rilun 


Mil 


Saribas 


Ritan 


Cola 


Perka 


Ritan 


Gomma 


Gheta 


Riti 


Metal 


Liloran 


Riuko 


Bilha 


Kendi 


Ro 


Barca 


Prau 


Roan 


Cabo 


^Tanghiong 


Roate 


Agudo 


Sieraek 


Roha 


Braça 


Dapat 


Rohan 


Cabo 


Tanghiong 


Rohan 


Misericórdia 


Rolin 


Rohan 


Ponta 


Ughiong 


Ro-lan " 


Navio de vela 


Kapal 


Rona 


Entender 


Pahan 


Rona 


Escutar 


Dengar 


Ro>nakraun 


Naufrágio 


Karan 


Rossae 


Duro 


Kras 


Rossae 


Valoroso 


Brani 


Rua 


Dois 


Daa 


Raa-amalo 


Par 


Passang 


Rua-nulo 


Vinte 


Dua-pulo 


Ruhének 


Areia 


Passer 


Ruhének 


Areia 


Tolok-lara 


Ruin 


Humilde 


Renda-hate 


Ruma 


Algum 


Sadikit 


Russa 


Viado 


Russa 


Russa-inan 


Corsa 


Russa-betina 


Saboraka 


Laranja 


Liman-ghianbaa 


Sadere 


Obliquo 


Hantin 


Sadia 


Compaixão 


Ka8si-han 


Sadia 


Condoer-se 


Mongo-siam 


Sadia 


Piedade 


Kassi-han 


Sae 


Elevar-se 


Naik 


Sae 


Sair 


Menghiadi 


Saekuda 


Cavalgar 


Benaik-kada 


Sakair 


Tamarindo 


Assan-ghiana 


Sakate 


Medir 


Sukatan 


Sakú 


Sa^ú 


Sagú 


Sala 


Crime 


Sala 


Sala 


Engano 


Tipu 
Salahan 


Saia 


Erro 


Sala 


Peccado 


Dossa 



242 



Teto 



Salak 

Salau 

Saláuko 

Sarna 

6améaa 

Sanolo 

Sanulo ressin ida 

Sanulo ressin lima 

Sanulo ressin rua 

Sarak 

Saralia 

Sarani 

Sarani-loB 

Sarebak 

Sassá 

Saasá 

Sassaki 

Sassin 

Sassôro 

Sassuite 

Sassukate 

Sasukate 

Saú 

Se 

Sehik 

Sei 

Sei 

Sei 

Seka 

Selo 

Selo 

Seluko 

Sena 

Setilun 

Sia 

Siak 

Sia- nulo 

S.bu 

Siik 

Siik 

Siin 

Siin 

Simo 

Siino 

Simu 

Siribua 

Sissa 

Sisse 

Sivi 

Sobo 

Sobo 

Soi 



Portaga6« 


UaXãlo 




Cabana 


Pondok 




Esfregar 
Sacudir 


GoBSok 1 


Gansiang 1 


Pisar 


Tunbo 


Serpente 


Naga 


Panella 


Kip-sian 


Dea 


Sapato 
Sabias 


Onse 


Quinze 


Lima blas 


Doze 


Dua blas 


Suficiente 


Sanpé 


Civil 


Sopan 


Baptisado 


Ber-nama 


Fiel 


Harapan 


Surprehender 


Tang-kap 


Fazenda 


Bagfaiu 


Tudo 


^ama 


Bracelete 


Glang 


Testemunha 


Sassi 


Sopa 


Kuá 


Pente 


Sikat 


Medida 


Ukuran 


Modelo 


Di ha dapan 


Esfregar 


Gossok 


Acceitar 


Trima 


Hontem 


Kelmarin 


Ainda 


Sanpei 


Aumentar 


Bertanba 


Chamar 


Panghil 


Resto 


Baki 


Paga 


Baiar 


Salário 


Gaghi 


Outro 


Lain 


Metter 


Bubo 


Escutar 


Skit 


Nove 


Sambila 


Bravo 


Gaia 


Noventa 


Sambila pulo 


Busio 


Siput 


Acido 


Assan 


Azedo 


Tunpul 


Acido 


M assan 


Azedo 


Tunpul 


Acceitar 


Trima 


Receber 


Minurima 


Resposta 


Ghianab 


Betei (folha) 


Bua-pinang 


Resto 


Baki 


Resto 


Baki 


Nove 


Sambila 


Destruir 


Rossak 


Estrago 


Hcran 


Resgatar 


Tebus 





243 



Teto 


Portngnèi 


Malaio 


Soi neé 


Deita fora isto 


Bua perfi^hi ini 


Sokar 


Metter 


Taro 


Solok 


Conforto 


Kessanagan 


Soón 


Coçar 


Garu 


Soran 


Medir 


Sukat-kan 


Sórite 


Sorte 


Untong 


Soro 


Procurar 


Preksa 


Bossa 


Comprar 


Ali 


Sossa 


Resgatar 


Tebus 


Souri 


Defender 


Larang 
Dong-kan 


Souri 


Protecção 


Sourin 


Lado 


Pingang 


Suank 


Magia 


Hiemat 


Sukate 


Dimensão 


Ukuran 


Suko 


Coser 


Pangang 


Suko 


Costura 


Ghiaitan 


Suli 


Correr 


Lari 


Sumik 


Segredo 


Intei 


Sura 


Conta 


Kira 


Sura 


Numero 


Ang-ka 


Surate 


Carta 


Surat 


Surate 


Papel 
Bilhete 


Kartas 


Surate-kik 


Surat-panda 


Sussan 


Peitos 


Tetek 


Sussar 


Duvidoso 


Seio 


Sussi 


Sociedade 


Ghiema-hat 


Susso 


Leite 


Sussu 


Susso 


Mamar 


Sussu 


Susso- uen 


Leite 


Sussu 


Sussun 


Mamar 

• 


Sussu 


Taá 


f 
Cortar 


Ukir 


Taán 


Cesto grande 


Raga-bessa 


THán-tilun 


Escutar 


Dengar 


Taáslia 


Civil 


Sopan 


Tada 


Entender 


Pahan 


Tada 


Saber 


Tabu 


Tadan 


Mancha 


Sioring 


Tahan 


Folha 


Tepi-tope 


Tahan-buras 


Rama 


Ranting 


Tahila 


Fiel 


Satia 


Tabu 


Lama 


Lunpôr 


Tais 


Habito 


Salankap 


Taka 


Cobrir 


Tudong 


Taka 


Fechar 


Tuto 


Taka 


Grudar 


Ikat 


Taka-netik 


Estorvar 


Larang-kan 


Takruik 


Espinhaço 


Blakang 


Talain 


Parente 


Aia-bunda 


Tali 


Corda 


Tali 


Tali 


Cordel 


Tarek 


Talia 


Ostra 


Tiran 



244 



Teto 


Portoguêt 


Malaio 


Tama 


Entrar 


Massuk 


Tama 


Invadir 


Melangar 


Tamei 


Conjurar 


Ber hantu 


Tamei 


Pedir 


Hinta-doa 


Tanán 


Despido 


Te-langhiak 


Tanara 


Bigorna 


Lendassan 


Tanik 


Chorar 


Kaiak 


Tânia 


Chorar 


Menanghis 


Tanutuko 


Martello 


Puunnkul 


Taro 


Aposta 


Taro 


Taro 


Apostar 


Ber taro 


Taruto 


Trovoada 


Unbun 


Ta^sak 


Maduro 


Massa 


Taasi 


Mar 


Laut 


Tassi-dada 


Maré baixa 


Tanda 


Tasbi-diin 


Praia 


Pantei 


TasBÍ-ibun 


Praia 


Tepi-laut 


Tassi-lidaii 


Bahia 


Teiok 


TaABi-máran 


Maré baixa 


Grat surut 


Tassi-nakono 


Maré cheia 


Aier-passang 


Tani-roate 


Praia 


Pantei 


Tatá 


Morder 


Ghighit 


Tatui 


Rodar 


Goleng 


Tau 


Estampar 


Riap-kan 


Tau 


Refugar 


Lindoogan 


Tau-iharó 


Embarcar 


Naikapal 


Tauko 


Covarde 


Penakut 


Tauko 


Cobarde 


Tnkot 


Tau-kussan 


Encravar 


Pakukan 


Tau-netik 


Defender 


Larang-kan 


Tau-ôna 


Posto 


Pegaogan 


Tau-tan 


Aumentar 


Bertamba 


Tau-tilun 


Escutar 


Skit 


Tean 


Calcular 


Bilang 


Tean 


Suppor 


Kira 


Tean 


Suspeita 


Menaro 


Tebes 


Certo 


Tentu 


Tebes 


Justamente 


Ber-sama sarna 


Tebes 


Verdade 


Benar 


Tebe-tebes 


Certo 


Tentu 


Teik 


Pisar 


Tunbo 


Tein 


Coser 


Ghia hit 


Teka 


Fugir 


Lari 


Tekil 


Diligente 


Ragin 


Teki-tekil 


Immediatamente 


Ska.an-ini 


Terek 


Obliquo 


Slatin 


Teros 


SoflPi-er 


Didalan 


Teros 


Supportar 


Talain 


Terus 


Paixão 


Mara 


Teta 


Pesar 


Tuibang 


Tele 


Voar 


Ber-liank 


Tete-euko 


Varanda 


Seranbi 


Teteu 


Falar 


Bissiara 



24Õ 



Teto 



Português 



Teten-ktuir 


Difiamar 


Tetuko 


Campo 


Tetiiko 


Planura 


Tiha 


Já 


Tilak 


Talhar 


Tilun 


Orelha 


Tilun-diuko 


Surdo 


Tilun-fáhan 


Orelha 


Tinan 


Anno 


Tinan-atos 


Século 


Tinan-fôun 


Anno novo 


Tinan 'linona 


Anno passado 


Tira 


Ostra 


Tiras 


Fio 


Tito 


Espera 


Tito 


Esperar 


Tito 


Parar 


Tito-lae 


Alto lá 


Toba 


Deitar-se 


Toba-anba 


Quatro da manhã 


Toba dua 


Duas da manhã 


Toba-dukul 


Dormir 


Toba-tika 


Três da manhã 


Todan 


Pesado 


Todo 


Bolsa 


Tok 


Pronto 


Tokon 


Milhão 


Tolan 


Devorar 


Tolan * 


Engulir 


Tolo 


Três 


Tolok 


Insultar 


Tolo-nulo 


Trinta 


Toó 


Chegar 


Took 


Acaso 


Toós 


Jardim 


Toós 


Prado 


Tos 


Difficil 


Tos 


Dureza 


Tos 


Duro 


Trotok 


Gargarejar 


Tua 


Vinho 


Tiian 


Antigo 


Tuan 


Velho 


Tua-síik 


Vinagre 


Tua-síin 


Vinagre 


Tubi 


Farinha 


Tubi-rahun 


Farinha 


Tudik 


Faca 


Tudik-ôan 


Navalha 


Tuka-netik 


Estorvar 


Tukar 


Cambiar 


Tukil 


Diligente 


Tuko 


Bater 



Malaio 



Mense-lakan 

Kabun 

Padang 

Siap 

Potong 

Telinga 

Tuli 

Telinga 

Tahun 

SaratoB-tahun 

Tahun-daro 

Tahun-lalii 

Tiran 

Benaga 

Nanti 

Harapan 

Ber henti 

Nanti-dahila 

Baring 

Toba-anpa 

Toba dua 

Tidor 

Toba-tiga 

Brat 

Pondi-pondi 

í5édia 

Ghinat 

Tilan 

Telau 

Tiga 

Maki 

Tiga-pulo 

Dataning 

Baran-kaii 

Kabun 

Padang 

Sussa 

Liat 

Kras 

Mandide 

Angor 

Sassian 

Tua 

Siuka 

Siuka 

Tuping 

Tepon 

Pissan 

Poón-sinkur 

Larang-kan 

Tukar 

Kagin 

Pukul 



246 



Teto 


Português 


MalAio 


Tuko 


Hora 


Ghian 


Tulun 


Graça 


Tolong 


Tur 


Alojar 


Tunpan 


Tur 


Sentar- se 


Dudo 


Tur-fatin 


Assento 


Bang-ku 


Tur-fókun 


Joelho 


Lubut 


Turo 


Gota 


Titek 


Tusai 


Aumentar 


Bertanha 


Tutan 


Aumentar 


Bertanha 


Tutun 


Ponta 


Ughiong 


Tutur 


Transportar 


Tatang 


Tuú 


Tacto 


Sintu 



Uai 

Uai 

Uaik 

Uai-loro 

Uain 

Uain 

Uain 

Uain-rua 

Uaka 

Ualo 

Ualo-nulo 

Uate 

Udan 

Udan-nabile 

Udan-tan 

Udan-tinan 

Ué 

Uek 

Ué-mátan 

Uen 

Ue-na)iis8i 

Ue-nalihun 

Ué-ten 

Uhi 

Uhi-dai 

Uhi-malai 

Uhi-midal 

Ui 

Uiloro 

Uite 

Uko 

Ukun 

Ukun 

Ukun 

Ukun 

Ukun 

Ukun 

Ukun 

Ukun 



Crescer 


Ber-tunbo 


Tempo 


Hatu 


Muito 


Sangat 


Verão 


Mussin-panas 


Abundância 


Bassiak 


Muito 


Banha 


Tempo 


Mussin 


Ante-bontem 


Kalmarin-dalu 


Vaca 


Sapi 


Oito 


Dilapan 


Oitenta 


Dilapan-pnlo 


Veia 


Urat 


Chuva 


Aier bá 


Relâmpago 


Kilat 


Chuver 


Unghian 


Inverno 


Mussin-dínghi 


Agua 


Aier 


Enganar 


Tipu 


Fonte 


Mata-aier 


Suco 


Kua 


Gelado 


Baku 


Lago 
Lodo 


Dando 


Lunpôr 


Batata 


Ubi 


Batata do país 


Ubi 


Batata da Europa 


Ubi bengala 


Batata doce 


Ubi -gula 


Vagina 


Puki 


Verão 


Mussin panas 


Pouco 


Sadikit 


Nascimento 


Beranaka 


Castigar 


Menieksa 


Corrigir 


Aghier 


Dirigir 


Tunghiuk 


Dominar 


Duduk 


Governar 


Men-renta 


Governo 


Prenta-an 


Mandar 


Kirin 


Regular 


Tar-8U88un 



247 



Teto 


Português 


Malaio 


Ular 


Bicho 


Blang 


Ular 


Insecto 


Ulat 


Ulo 


Cabeça 


Kupala 


Ulo-horis 


Captivo 


Tiada-baik 


Ulo-kakuluko 


Cérebro 


Otak 


Ulo mamai 


Memoria 


Per ingatan 


Ulo-témek 


Calva 


Batak 


Uluko 


Antigo 


Lama 


Uiuko 


Primeiro 


Ani-iaia 


Uluko 


Origem 


Mula 


Uluko 


Principio 


Pertana 


Ulun 


Nascimento 


Beranakaii 


Uma 


Casa 


Ruma 


Uma-abukÍDa 


Teia de aranha 


Saran labu-laba 


Uma kreda 


Igreja 
Mulher casada 


Greghia 


Uma-laran 


Bini 


Uma-nakukun 


PrisSo 


Penghiara 


Ussar 


Embigo 


Pussat 


Ussik 


Tiro 


Kossik 


Ussik-neé 


Deixa isto 


Ankat ini 


Uuko 


Nascimento 


Beranakan 


Uúto 


Farinha 


Tepong 



UX QQl 222 aSM 



HECKMAN 

BINDERY INC. 



w 




JULY 87 

N. MANCHESTER, 
INDIANA 46962